Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

(Mau) Exemplo da Arena serve de alerta

25 de setembro de 2009 8

Cinco anos após a inauguração, Arena Joinville convive com a falta de jogos e sofre com a ausência de manutenção/Fabrizio Motta

O jornal A Notícia, de Joinville _ através do colega Diego Santos, com quem dividi o banco da universidade na década passada (estamos velhos!) _ traz uma série de reportagens muito interessante, a qual o Santa de papel publica parte na edição deste fim de semana, sobre a agonia da Arena Joinville, que completou cinco anos (isso mesmo, só cinco!) na sexta-feira.

O estádio municipal, inaugurado em 2004 como o mais moderno de SC, motivou o sentimento nada nobre da inveja em muitos blumenauenses na época. Isso porque por aqui muita gente sempre pleiteou o mesmo tratamento por parte dos governantes. Lembro de ter ouvido, por exemplo, que Joinville só teria conseguido a obra por interferência direta do governador Luiz Henrique (ex-prefeito da maior cidade do Estado e que, curiosamente, nasceu em Blumenau).

A verdade é que, cinco anos depois, a Arena definha. Como quase tudo que é administrado pelo poder público, falta manutenção, planejamento para torná-la rentável e outras tantas coisas. Para piorar, a chegada da casa nova, que nesse meio tempo foi ampliada para 22 mil lugares, coincidiu com a pior fase do JEC, que de lá pra cá até rebaixado no Estadual foi, coleciona fracassos e passa mais da metade do ano de portas fechadas. Ou seja, mais um mito que cai: o de que antes de ter time forte é preciso ter um estádio. Joinville tem um belo estádio, mas descuidou dele justamente porque há tempos não tem um time forte (pelo menos não no nível da tradição de lá).

Tá, mas por que, afinal, a discussão aqui no blog?

Porque Blumenau discute como nunca a construção de um estádio. Fala-se na ampliação do Sesi, no estádio próprio do Metrô, através de parcerias, e, claro, de um estádio municipal. Penso ser ponto pacífico que a cidade precisa, na pior das hipóteses, de uma alternativa ao Sesi, que nos últimos dois anos passou a maior parte do tempo fechado por várias circunstâncias e deixou o Metropolitano na mão. Mas torço que a opção estádio municipal seja descartada.

Governantes já mostraram não ter condições de administrar um complexo esportivo. Aí está o exemplo de Joinville, aqui do lado. Além disso, tem aquela velha discussão de que governo tem mais com o que se preocupar do que estádio de futebol. Projetos como esse, quando bem administrados, podem ser bem rentáveis para a iniciativa privada. Tenho certeza que se a Arena Joinville tivesse um dono de fato, jamais completaria cinco anos na situação em que está. Pensem nisso na hora de falar de estádio em Blumenau, por favor.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Comentários (8)

  • claudemir casarin diz: 27 de setembro de 2009

    digamos que o metro ganhe todas daqui para frente! sejamos otimistas! estádio lotado sempre. quem apostar que construa o estádio. vamos deixar a prefeitura construindo só pontes, ruas, creches e postos de saúde. o que já é pedir demais para um politico. e o futebo, que construa seu estádio com as próprias pernas!

  • Marielle Loewe diz: 26 de setembro de 2009

    E os palpites do fim de semana?

  • luiz otavio hilario diz: 25 de setembro de 2009

    sou funcionário publico de carreira na minha cidade e estado,nem tudo que é administrado pelo poder público é ruim, tem coisas que não são prioridades, saude,educação,transportes,etc..são mais prioritarios, o esporte como inclusão social e de educação sim, depois o esporte de competição, haja visto que o COB é sustentado pelo governo comrecursos da união para pagar dirigentes que fazem o que quer com o dinheiro público, o PAN que custaria um valor custou quatro veses mais pra onde foi esse.

  • luiz otavio hilario diz: 25 de setembro de 2009

    publico, administrar dinheiro público é facilpois sai do cofre publicos e do bolso da população, por isso que a iniciativa privada deveria construir o seu proprio estádio como quer o presidente pingo do metro, mas tem que em lugar de facil ascesso para a população e ser multiuso, imagine o Metro só utilisando 90 dias o local agora 45 dias na cpoa SC, não há empresa que resista e os socios da MIP, iam a falencia memo assim! vão precisar do investimento publico sim ou não terão estádio.

  • luiz otavio hilario diz: 25 de setembro de 2009

    foi esse dinheiro, bem voltamos ao que interesa, se em blumenau o pder público for fazer um estádio, o Metro tambem o quer se não for uma arena multiuso não funciona, o local deverá ter shopping e outros atrativos não só o estádio em sí para o futebol, um ginásio em anexo para outras modalidades, não como o ginasio de Blumenau que foi gastos 10 milhoes na ampliação e não pode ter jogos oficiais de algumas modalidade por causa de um metro e meio na largura isso sim é um desperdicio com o dinheiro

  • luiz otavio hilario diz: 25 de setembro de 2009

    minha opinião apesar de ser inaugurado a cinco anos a Arena joinvile, como é chamado apesar de não ser uma arena, pois arena ela tem que ser multiuso, não só para futebol, para show artistico etc…bem como a mesma como em outros paises normalmente funcionam shopping e outros interesse a população sem ser somente futebol que acontece duas ou uma vez por semana, se nós trabalhasse-mos uma vez por semana não manteriamos as nossas familias, muitos ainda fazem o famoso bico para ajudar o orçamento

  • luiz otavio hilario diz: 25 de setembro de 2009

    não concordo tambem com a oinião do cronista, joinvile esporte clube, sempre foi tradicional em todo Brasil, participou de campeonatos brasileiro, teve nome de destaque com o Nardela, dentre outros, a propria Consul oriunda de joinvile investiu durante anos na equipe, bem como a Tigre de renomes esta empresas ajudou o clube em sí alem de outras modalidedes como volei etc.., o Luiz Henrique mesmo antes de ser prefeito ou governador joinvile era tradicional, não dá pra levar pelo lado politico.

  • Doravante Albuquerque diz: 26 de setembro de 2009

    Blumenau precisa de um bom time de futebol. O resto vem com o tempo. Esse negócio de ficar batendo na mesma tecla com a história de estádio já encheu o saco faz tempo. Só para citar dois exemplos práticos, Corintians e Flamengo, os dois times mais populares do Brasil, não tem estádio até hoje.

Envie seu Comentário