Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O exemplo do Vasco aos times do Vale

09 de novembro de 2009 11

A nação vascaína está feliz da vida. Afinal, tirou das costas o peso da obrigação de todo clube grande que cai: subir no ano seguinte com uma campanha que mostre a diferença entre ele e os demais times da Segundona. O Vasco fez isso, sem dúvida. E com sobras. Costumo dizer que alguns clubes chegam a uma situação na qual a única solução é ser rebaixado. A frase que eu uso é: “cair faz bem”. Foi assim com Grêmio, Palmeiras, Botafogo e, em casos mais recentes e até mais didáticos, com Atlético-MG e Corinthians. Foram ao inferno e voltaram mais fortes, inclusive em termos de ligação com a torcida. Financeiramente é óbvio que trata-se de uma ré, mas no fim das contas passar esse ano “de férias” tem mais vantagens do que desvantagens para quem andava em baixa.

Sobre o Vasco, só acho que o clube ganhou sim a Segundona (ainda não ganhou, mas vai ganhar), mas não leva dela o que Corinthians, Galo e até o Grêmio (menos) levaram em anos anteriores: uma base forte para o ano seguinte. O Corinthians, com poucas mudanças pontuais, saiu da Série B direto para um primeiro semestre perfeito, com título estadual invicto e da Copa do Brasil. O Grêmio, então, em 2 anos foi direto para a final da Libertadores. E o Atlético-MG, que apostou na garotada, está colhendo os frutos nesse ano com a bela campanha que faz no Brasileirão. O Vasco não fez isso. Tem um time sob medida para a Série B, tanto é verdade que a diretoria, acesso confirmado, já planeja uma reformulação total para 2010. Ou seja, esquece tudo e começa do zero com reforços. É uma forma de se fazer, claro, mas na minha opinião não é a melhor delas.

E uma última coisa: o senhor Eurico Miranda que não me venha querer aparecer agora outra vez, como já andei vendo por aí. Ele é o principal culpado por tudo que aconteceu com o clube, jogou a bomba na mão do desafeto Roberto Dinamite e depois que ele roeu o osso e vai degustar o filé, ele quer sentar à mesa. Sai fora! Esse papel cabe ao torcedor vascaíno, colocar esse sujeito no lugar que ele merece: no esquecimento completo.

Bom, mas acreditem se quiser, esse post não era para falar do Vasco. Não só dele, pelo menos. Ao ler sobre as comemorações do clube, um dado me deixou perplexo. Até o ano passado, o Vasco tinha 930 sócios. Não está errado, é isso mesmo: 930!! O time que tem a quarta ou quinta maior torcida do país tinha quase o mesmo número de sócios do Metropolitano, e menos do que o Brusque. Um ano depois, a onda de união que aproximou clube e torcida fez o número de sócios saltar para quase 40 mil (e até 2010 o sonho é atingir os 100 mil). Difícil, mas não impossível.

Digo isso por uma razão simples: guardadas as óbvias proporções, é isso que falta aos times do Vale, ao Metropolitano em especial. Uma faísca, um fato que levante uma onda de mobilização pela cidade e pela região em torno da causa do Metrô. E esse passo precisa ser dado pelo clube. Só a propaganda do Seu José, muito simpático e tudo mais, não vai resolver. Credibilidade a direção tem, falta mesmo essa mobilização que desperte nas pessoas a vontade de aderir. E para vencer as barreiras que distanciaram o Verdão da cidade nos últimos anos, como a falta de estádio, só vejo uma solução: um investimento pesado, um time para ser campeão estadual ou ao menos brigar por isso. Um passo adiante, como participação na Série D ou na Copa do Brasil.

Só assim pode ocorrer uma onda verde que faça o clube crescer estruturalmente. Esperar que isso ocorra (aumento no número de sócios), para só aí investir na formação de um time forte vai acabar matando o projeto do Metrô. Pensem nisso.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Comentários (11)

  • marco diz: 9 de novembro de 2009

    braga, o vasco fez o arroz com feijão básico, mesmo assim foi suficiente para conseguir o acesso facilmente. Diante do nível tecnico da serie B, isso passa ser obrigação para esses clubes, como já vimos anteriormente em outras edições. Mas falasse uma verdade perigosa, o vasco não tem time para encarar a serie A, vai precisar contratar muito bem. Quanto aos sócios, se eu fosse vascaíno tambem não me associaria ao Eurico Miranda, hoje é outra história, por isso é evidente a crescente nos numeros.

  • Eduardo M diz: 10 de novembro de 2009

    Escalação do Gremio contra o Náutico em 2005 : Galato , Patrick , Pereira , Domingos e Escalona. Sandro Goiano , Nunes , Marcelo e Marcel ( Anderson ). Lipatin ( Marcelo Oliveira ) e Ricardinho. Em 2006 , esse mesmo time foi eliminado na segunda fase da Copa do Brasil pelo poderoso XV de Campo Bom. Na quarta rodada do brasileirão , acumulava 3 derrotas com o seguinte time : Galato , Patricio , Evaldo , Pereira e Wellington. Jeovanio , Lucas , Marcelo Costa e Hugo. Ricardinho e Pedro Junior.

  • Julio de Blumenau diz: 10 de novembro de 2009

    Uma vez podia se pensar em futebol com paixão, apenas. Hoje se sabe que nada que envolve dinheiro, pode ser encarado desta forma. Futebol é um investimento, que aparece entre aqueles mais procurados a fim de obtenção de lucro. A razão de tantas desavenças internas ocorre por conta dos interesses econômicos contrariados. Veja o Metropolitano, por exemplo. Não decola, primeiro porque não existe paixão e segundo, porque a diretoria não se entende nos objetivos do clube.

  • Eduardo M diz: 10 de novembro de 2009

    O Vasco vai vender o Alex Texeira por R$ 20 milhões para o futebol ingles. O bom é que 100% do passe é do clube. Esse dinheiro será usado para ajudar em reforços. Ficarão o bom goleiro Fernando Prass , o zagueiro Fernando , o lateral Ramon ( será trocado por Alan Kardeck com o Inter ) , os volantes Nilton e Souza , o meia Carlos Alberto e os atacantes Aloisio Chulapa e Adriano.

  • Eduardo M diz: 10 de novembro de 2009

    Quem disse que o dinheiro da venda do Alex Texeira será integralmente usado no futebol ? O Vasco deposita 20% de tudo que arrecada para evitar penhoras. Se pegar 20 milhões , tire logo 4 milhões para o fundo do TRT-RJ e mais uns 2 milhões de comissões. Sobrarão 14 milhões. Não duvido que metade seja usado no futebol. Mas o clube trabalha com receitas de R$ 85 milhões para 2010.

  • cristiano diz: 9 de novembro de 2009

    vou te corrigir, o Vasco tem a terceira maior torcida do Brasil, só perde para o Flamengo e Corinthians, em 4° esta o Palmeiras e em 5° São Paulo, engraçado que quando se fala em rebaixamento esquecem que o grêmio caiu duas vezes e só porque ganhou uma, só lembram daquele jogo esquisito onde o árbitro foi um banana por completo .. tsc tsc tsc . obs, a maior torcida de sc é do Vasco.

    Do blogueiro: Caro Cristiano, vou te recorrigir, então. Todas as pesquisas sérias feitas nessa década colocam o SP, a torcida que mais cresce desde os anos 90, em terceiro, muito à frente já de Vasco e Palmeiras, que se alternam no quarto e quinto lugares. E, de fato, a primeira volta do Grêmio foi vergonhosa, graças a um canetaço da CBF. Mas me referi apenas aos casos mais recentes, tenho certeza que você entendeu o que eu quis dizer. Abraço

  • fiedler diz: 10 de novembro de 2009

    É este o caminho , um clube como o Atlético , com 1.000 ( sócios ) à R$ 30,00 ( mês ) sendo este cobrado Via Casan ou Celesc deixaria o clube numa exelente situação financeira , aí sim poderiamos cobrar um time de chegada…Mas existe um problema , muitos falam , criticam , cobram , mas quando é para botar a mão no bolso a maioria somem…Saudações Atleticanas…

  • emerson diz: 10 de novembro de 2009

    Olá, Fiedler? Como anda o Atlético? Ganhando? rsrsrsrs

  • Eduardo M diz: 10 de novembro de 2009

    Nas 15 primeiras rodadas , usando como base o time de 2005 , o Gremio ganhou 4 partidas , empatou 5 e perdeu 6. Fez 17 dos 45 pontos disputados. Era candidato ao rebaixamento. O que fez a direção do clube ? Contratou a rodo com o dinheiro da venda do meia Anderson. Chegaram os meias Tcheco e Leo Lima , o zagueiro William , os atacantes Romulo e Herrera , só para ficar nos mais conhecidos. O time , compeltamente diferente , terminou em terceiro lugar. Que base foi essa ?

    Do blogueiro: Leia mais uma vez, respirando fundo e bem atento, e com sorte entenderá que o principal exemplo citado foi o Corinthians e o Galo, o Grêmio foi apenas citado pela façanha de ter ido 2 anos depois à final da Libertadores. O Vasco não fez nem perto do que fez o Corinthians, mas nem por isso tem menos mérito em ter subido com sobras. E só quem acredita em conto da carochinha pode acreditar que os dólares da venda de jogadores vão ser usados integralmente em reforços, ainda mais em um time dos mais endividados do país. Me poupe.

  • Eduardo M diz: 10 de novembro de 2009

    Me esclareça uma coisa. O Avai , Figueirense , Criciuma e Chapeconese e o Marcilio Dias já estão garantidos em campeonatos nacionais ano que vem. Como será o critério das vagas para a série D em SC ? O Marcilio está automaticamente classificado pelo rebaixamento na C. E o estado ainda terá , senão em engano , duas vagas. Como será ? VOLTA Joinvile

    Do blogueiro: Avaí na A, Figueirense na B ou na A (tomara que a segunda opção), Criciúma e Chapecoense (subiu esse ano) na C e na D Marcílio Dias (caiu na C e como caiu no Estadual também só volta nessa competição), e duas vagas em aberto. A primeira está sendo disputada agora na Copa SC entre Joinville, Metropolitano, Brusque e Ibirama (Joinville já está na final) e a outra será decidida no Estadual de 2010.

  • Leonardo diz: 9 de novembro de 2009

    Caro Blogueiro, você já se associou ao Verdão do Vale?? Se já, parabéns, senão, faça a sua parte também.

Envie seu Comentário