Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Post da mala branca tem repercussão nacional

09 de novembro de 2009 4

O assunto da mala branca no Brasileirão rendeu. E como! Neste fim de semana, este blogueiro publicou artigo no Jornal O Estado de São Paulo sobre a hipocrisia que prevaleceu no tratamento desse assunto. O ponto de partida foi o post aqui do blog (confira aqui), que ganhou repercussão nacional.

Fui debater no espaço do Estadão (veja aqui o link) com o Promotor de Justiça de São Paulo, José Reinaldo Carneiro, que pensa o contrário de mim, ou seja, que a mala branca é sim um crime e que mancha a imagem do futebol. Opinião que também merece ser respeitada, claro. A diferença é que ele enquadra tudo da mesma forma, se o cara erra pouco é capaz de errar muito, simplificando. Eu prefiro continuar acreditando que uma pessoa que aceita a mala branca como incentivo para vencer uma partida saberá discernir isso de um suborno, que pode lhe ser oferecido mais adiante. Em resumo, é isso. Debate interessante, quem quiser, opine também.

Aproveito para publicar na íntegra abaixo o texto enviado ao Estadão, já que o publicado acabou ficando bem menor (é a ditadura do papel, minha gente…).

 

A culpa é da semântica

Vejo essa polêmica da suposta mala branca aos atletas do Barueri com uma dimensão exagerada. E carregada de hipocrisia. O termo mala branca, admito, pressupõe algo ilícito, ou pelo menos faz parecer que é. E, na minha opinião, o fato de uma equipe vitaminar a vontade da outra de vencer (repito, vencer) não deveria ser vista dessa forma.

Não consigo enxergar nada de errado em um time estar mais motivado a buscar o objetivo maior do esporte, o triunfo, mesmo que isso seja feito através de ajuda financeira de um terceiro interessado. Tampouco aceito a comparação com suborno feita por alguns. Se motivação a mais é ilegal, como eles pregam, então acabemos logo com aquelas baboseiras de discursos melosos no vestiário, recadinhos da família colados no mural, recortes de jornal, palestra de auto-ajuda e tantas outras. Porque, afinal de contas, todos esses são exemplos de motivação extra. Usando a mesma linha de raciocínio, podem tornar um time mais forte do que outro.

E tem outra: um time apenas cumprindo tabela, sem maiores pretensões no campeonato, é um desanimado por natureza. Logo, o adversário será favorecido por este estado de espírito, por esta falta de vontade (o famoso tanto faz como tanto fez), em um confronto. Então, o que há de errado em dar um motivo para que os dois times voltem a entrar em campo em condições iguais em termos de interesse?

Reitero, toda a celeuma reside na utilização do termo mala branca. Se eu não soubesse do que se trata, ao ouvir pela primeira vez por certo acharia tratar-se de um crime hediondo. Culpa, claro, da mala preta, de reputação bem menos digna e que tem sentido inverso. De qualquer forma, com esse nome ou com outro que venham a criar, o ato da mala branca faz parte do futebol, não é ilegal nem imoral e não merece todo esse circo armado.

Muita gente pensa assim, principalmente no mundo da bola. Mas hoje em dia as pessoas têm pavor de defender em público coisas que não sigam a maldita ditadura do politicamente correto. E até com obviedades como essa, que sempre existiu e sempre existirá, se fazem de chocadas, pregam um moralismo de fachada e dão espaço para as malas de verdade, como a turma do STJD, aparecer.

Por situações como essa é que o nosso futebol está cada dia mais robotizado, desinteressante e chato. Muito chato!

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Comentários (4)

  • Anderson diz: 9 de novembro de 2009

    O “incentivo” é para ganhar ou para não perder? Eis a questão! Quando os médicos que trabalham pelo SUS cobram um “incentivo” do paciente para atender melhor são criminalizados e por vezes demitidos. Não seria a mesma coisa? Ambos já estão recebendo salário para fazer um bom trabalho. Concordo que é hipocrisia achar que isso não existe. e é bem comum.

    Do blogueiro: Tem diferença, Anderson. Em princípio, pela questão público e privado. Mas a discussão é longa, concordo. Abraço

  • Pessoa Comum diz: 9 de novembro de 2009

    Muito bonito chamar a turma do STJD de mala.

  • Alessandro diz: 11 de novembro de 2009

    PEraí, quem critica a mala branca o que diz do bicho pago por vitória? Não é um incentivo também? É legal pq é pago pelo próprio clube?
    Não vejo nada de mais na mala branca.
    Mala preta que não pode, mas coincidentemente tem um resultados que estão bem estranhos nesta reta final, principalmente na Segunda Divisão.
    Parabéns pelo sucesso.
    Saudações Azurras,
    Sandro

  • Eduardo M diz: 9 de novembro de 2009

    O assunto terá mais oportunidades para discussão. Ou alguém duvida que a mala-branca vai rodar o pais nessa reta final ? Aqui no Rio ninguém duvida da mala branca da Unimed , a rica patrocinadora do Fluminense , já no jogo de domingo entre Barueri e Botafogo. E teremos mais malas em ação…

    Do blogueiro: Com certeza.

Envie seu Comentário