Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Blumenau perdeu os Jasc. Bom para Blumenau!

21 de novembro de 2009 17

Presidente da FMD, Sérgio Galdino (D), cumprimenta o prefeito da Capital, Dário Berger, pelo título conquistado. Esporte é assim mesmo, mas Blumenau também volta vencedora ao largar na frente no resgate pela essência dos Jasc, que há tempos se perdeu/Divulgação Mafalda Press

Blumenau perdeu os Jogos Abertos de Santa Catarina, que terminaram neste sábado em Chapecó.
Tragédia?
Não para mim.
E nem para a cidade. Explico:
A melhor coisa que podia acontecer a Blumenau era perder os Jasc, tirar esse peso das costas. A tal da hegemonia esportiva não vale mais um centavo furado, mas pesa. Pesa muito. Nesse fim de semana, por exemplo, ouvi gente dizendo que foi uma derrota política do prefeito. E outra: apareceu até uma estatística para me informar que JPK é apenas o sétimo prefeito da cidade a ser derrotado em um Jasc!
Repito. Pra mim, tudo balela.
Há muito tempo os Jasc perderam o brilho. No ano que vem, quando completam 50 anos, deveriam ser completamente repensados para não apagar de vez o ideal do brusquense Artur Schlösser. O excesso de importados, essa praga que começou nos anos 90, quando eu ainda participava dos Jasc, está matando a competição.
Esse ano tivemos alguns absurdos, como Hugo Hoyama. O mesatenista deve ser incapaz de localizar Chapecó no mapa, muito menos de dizer o que aquela estátua enorme faz bem no Centro da cidade. Mas foi a estrela da delegação anfitriã (até acendeu a pira na abertura, outro absurdo). Bom, ele foi lá e fez o que sabe: jogar ping-pong (vão me xingar…) e perder pra um chinês qualquer. Sim, porque tivemos um chinês nos Jasc! Aliás, no Pan 2007 eu aprendi que torneios de tênis de mesa são disputados por chineses de várias nacionalidades: é o chinês da Argentina, o chinês da Austrália, o chinês da Finlândia… Nos Jasc, tinha o chinês manezinho, os donos da casa não contavam com a astúcia dos ilhéus!
É só um exemplo, tivemos “importados” por todos os lados. Não em Blumenau.
A cidade, do alto de suas 39 conquistas em 49 edições, fez o que dela se esperava: vanguarda. Abandonou as importações e levou o que é fruto dos programas de esporte na base por aqui. Perdeu? Paciência. Perder ou ganhar os Jasc tem cada vez menos relevância. O importante deve ser revelar atletas, estimular a base. Esse é o espírito da competição e precisa ser resgatado. Porque pra mim chega a ser constrangedor ver atletas como os da Malwee, do time de basquete de Joinville (ganhou e se esforçou para convencer que se importava com aquilo) ou da Cimed (esses não foram), disputando Jasc contra Palmitos, Braço do Trombudo, Capinzal e ganhando por 200 pontos de diferença. Ou então nadadores olímpicos e de mundial nadando uma piscina na frente dos outros (isso Blumenau fez, trouxe a Julinha Volkmann).
Os Jogos Abertos de Santa Catarina são, por regra, amadores (no sentido bom dessa palavra). Essa essência se perdeu em algum lugar. Blumenau volta vitoriosa de Chapecó ao largar na frente nessa corrida para resgatar a essência dos Jasc. E agora que se livrou desse encosto chamado hegemonia (alguns poucos vão reclamar, e só), espero que os dirigentes sigam esse caminho, que mais adiante certamente será vitorioso, tanto nos Jasc quanto na revelação de novos talentos locais. Além disso, tem aquela: Blumenau pode fazer isso porque mesmo que custe perder 30 Jasc seguidos, ainda assim continuará sendo a cidade mais vezes vencedora.

Antes de terminar, duas considerações importantes:

1 - Óbvio que não quero aqui tirar o mérito da conquista de Florianópolis. A Capital vive um momento iluminado no esporte. De patinho feio antes, hoje tem dois times de futebol fortes no cenário nacional, uma equipe campeão brasileira de vôlei, futsal forte e vários atletas de alto nível em outras modalidades. Alcançou o que Blumenau ainda não achou a receita para fazer. Partir da base para a formação de times realmente de alto nível, para ter projeção nacional e internacional. Fica aqui registrado os parabéns e a dica: Blumenau tem o que aprender com o trabalho que vem sendo feito em Floripa.

2 - Também é preciso registrar que o que ocorreu em Blumenau há exato um ano influenciou de certa forma no resultado nos Jasc. Muitas equipes ficaram sem verba e até sem local para treinar 2009 inteiro. Tudo que conquistaram pode ser colocado na conta da superação que faz parte do blumenauense. Por isso, parabéns também!

Postado por Rodrigo Braga, de casa

Comentários (17)

  • Fabrício Cardoso diz: 22 de novembro de 2009

    É isto aí, Oscar. Querem se comportar como o Rei do Catar, que só contrata gente te fora para competir pelo país deles. Esquecem que, mais importante que a vitória, é a identificação cultural. Tomara que Blumenau dê esta guinada e, num futuro mais adiante, deixe de lamber as botas dos clubes cariocas. Abraço

  • Sandro diz: 22 de novembro de 2009

    Concordo sobre mudar algumas regras do JASC para valorizar os catarinenses. Não existe nada contra Floripa, Joinvile ou outras cidades, mais importar atletas só para vencer esta competição é uma pisada de bola muito grande e que ja acontece a muito anos. E esqueçam o aspecto politico da história pois esse prefeito não é melhor nem pior que os outros. Temos que parar de descontar os problemas apenas nos prefeitos. Também temos uma grande parcela de culpa pois não valorizamos os nossos atletas.

  • eugenio diz: 22 de novembro de 2009

    parabéns pela lucidez…como ex-atleta campeão me dói uma derrota, porém, quem convive com o meio sabe que o JASC perdeu o brilho e precisa de renovação..nada contra Floripa ou outras grandes Joinville, Chapecó, etc ..as regras tem que ser revistas..aliás, atleta importado não é de hoje, o problema são os aventureiros..tenho muitos amigos de fora que vieram competir com honra por blumenau, mas tem um monte que só veio tirar vantagem..estes, nós temos que mandar embora o mais rápido possível

  • volnei david diz: 22 de novembro de 2009

    CONCORDO PLENAMENTE COM OS COMENTARIOS CITADOS E VOU REPETIR EQUANTO NAO ACABAR COM ESTA IMPORTAÇOES DE ATLETAS O JOGOS ABERTOS PERDEU A ESSENCIA DO ESPORTE AMADOR .AGORA REFLITA QUE GRAÇA TEM UM GAROTO DE UMA CIDADE PEQUENA TREINAR SE DEDICAR A REPRESENTAR SUA CIDADE SE EXISTE ESTA TAL DE IMPORTAÇÃO DE ATLETAS DE FORA.E´VERGONHOSO ISTO.

  • Rafael diz: 22 de novembro de 2009

    Sabe pq falei que JPK foi o 7º prefeito a perder os JASC? Pq a manutenção da hegemonia foi bandeira de campanha dele. Repito: DELE. O futebol não tem o compromisso do Poder Público, o handebol decide Liga Nacional em Brusque e por aí vai. O Galegão serviu mais pra aparecer em propaganda política do que pra sua real finalidade. “Ah, mas o esporte amador sempre é o forte de Blumenau”. Pois está aí o forte. Perguntem a quem foi à Chapecó como é o envolvimento do prefeito de lá com o esporte.

    Do blogueiro: Ô Rafa, nada contra sua estatística, viu, muito pelo contrário. Só acho que os Jogos Abertos precisam ser vistos novamente como uma competição de esporte amador. E aí sim formar atletas que, com mais investimento público e privado, passarão a atuar em equipes de alto nível representando a cidade. É mais ou menos o que Floripa está fazendo, e por isso merece os parabéns. O prefeito de Chapecó é radialista, apaixonado pelo esporte, mas aí também há um problema: quando ele sair, haverá continuidade? O esporte não pode viver de paixões, precisa de planejamento sério. Abraço e obrigado pelas informações viu.

  • Alexandre Carlos Aguiar diz: 22 de novembro de 2009

    Ai, como dói o seu cotovelo, né. Parece aquela histórinha da raposa e as uvas. Se a campeã fosse Joinville, Brusque, Chapecó, Lages, ou mesmo Blumenau, com aquela velha frase de “é, que fazer, ganhamos mais uma”, o teu discurso seria outro. Não estava nem aí para os importados e a desculpinha de hegemonia que cansa. Mas, é a velha briga imbecil entre Capital e interior, com o pessoal do interior querendo ser a capital e desprezando Florianópolis. Que coisa feia!

    Do blogueiro: Putz, véio, se tu quiser pensar que é isso, tens todo o direito, aqui respeito todo tipo de opinião. Mas posso lhe assegurar que não é. Só quem vive aqui e sabe o peso (negativo) dessa história de ter que vencer os Jasc todo ano sabe do que eu estou falando. Floripa teve todos os méritos, vive um momento especial no esporte. E essa tal rivalidade ficou lá no passado, pode apostar. Abraço

  • Bueno diz: 22 de novembro de 2009

    Braga, confessa, este teu texto foi escrito por duas pessoas. Uma é um apaixonado esportista, que, resignado, tenta explicar que perder faz parte do jogo. E a outra parte se esforçou para convencer que não foi a incompetência dos dirigentes do esporte que causou esta derrota. E colocar a culpa na tragédia de novembro ja ficou tão manjado…

  • André diz: 22 de novembro de 2009

    Sem dúvida, “importar” atletas que mal sabem chegar à cidade que irão representar é ridículo. Mas e aqueles que nasceram, trabalham e vivem numa cidade, e nos JASC vão representar outra, jogando contra sua própria cidade? Tem muito disso tb. Gente blumenauense que vai para os JASC competir contra Blumenau. Tá tudo errado nessa competição.

  • Pedro Almeida diz: 23 de novembro de 2009

    É só fazer como Blumenau fez na natação , mandam os atletas treinar fora , em centros maiores e depois colhe os frutos.

  • Pessoa Comum diz: 23 de novembro de 2009

    David Argeu Klegin, ouvi a ¨célebre¨ frase ¨Deu Zebra nos JASC¨ em um programa de TV. Foi mais uma dessas frases que apresentadore(a)s soltam após muito pensar. Para o bem do esporte amador, não deve se repetir.

  • Pessoa Comum diz: 22 de novembro de 2009

    Bem lembrado, Rafael, não dá para esquecer aquela promessa ¨ESPORTE FORTE¨: ¨Revitalizar o vitorioso esporte amador blumenauense em todas as modalidades, mantendo apoio aos jogos estrudantis e liderando movimentos (?) para manter nossa hegemonia nos JASC¨. Só faltou combinar com os atletas de Florianópolis. E, blogueiro, parabéns por não falar em ¨zebra nos JASC¨. Pode existir zebra em alguma modalidade no decorrer das competições, mas não no resultado de jogos amadores.

  • Mario diz: 22 de novembro de 2009

    Bom dia,
    Realmente concordo contigo que a festa do esporte catarinense esta perdendo o brilho tanto é que até pouco tempo tinhamos transmissão pela tv local dos jogos agora é dificil até de encontrar uma emissora de rádio que transmita a competição. É preciso que se faça uma campanha urgente pela imprensa para que seja resgatado o espirito do esporte “Olímpico” dos JASC para que a competição não caia no esquecimento.

    Sds;

    Mário
    Indaial – SC
    mcesarbackes@hotmail.com

  • 100%AZURRA diz: 22 de novembro de 2009

    JASC sao jogos esportivos amadores, vc esta coberto de razão…agora tu vens tirar o mérito de Floripa que teve a competencia de achar varios talentos para diputar em seu nome?! Me responde uma coisa: Blumenau n teve NENHUM atleta de outro municipio disputando em seu nome?? Com certeza TEVE,é fato! Então devemos ter a coerencia de analisar os fatos sem a paixão, como vc fez! Ou deveria ser proibido qqer atleta de outro municipio disputar por outro, ou, ser liberada (como é o caso)A REGRA É CLARA

    Do blogueiro: Meu amigo Azurra, em nenhum momento tirei o mérito de Floripa na conquista, pelo contrário. A cidade vive um momento especial no esporte, tanto na formação quanto no alto rendimento (e ainda no futebol). As outras cidades têm que entender e copiar o que está sendo feito aí. O problema é outro. Blumenau tem uma relação diferente com os Jasc, e felizmente está quebrando com certas verdades absolutas que se perpetuavam por aqui. O preço foi a derrota nesse Jasc, mas certamente o esporte da cidade ganhará lá na frente. E não, Blumenau não trouxe atletas de outras cidades. Abraço

  • Everton Siemann diz: 22 de novembro de 2009

    Só quem foi atleta da base sabe a importância de ter a oportunidade de disputar um Jasc e ser reconhecido na “equipe de cima” ou a “equipe adulta”. Como você mesmo escreveu Rodrigo, esse trabalho de revelação de talentos vai aparecer daqui a alguns anos, e espero que seja logo. O futsal masculino deu o exemplo, mesmo ficando fora dos Jasc, subindo da Primeira para a Elite com um time de garotos. E este ano quase ficou entre os 4 melhores do Estado. É assim que se deve encarar o esporte.

  • Pessoa Comum diz: 22 de novembro de 2009

    Não são só os atletas ¨enlatados¨ que detonaram os JASC, o conceito que muitos envolvidos tem do evento é totalmente anti-esportivo. Ouvi a seguinte frase na imprensa: ¨Deu zebra nos JASC¨. Depois dessa só rezo para que os Jogos Abertos de Santa Catarina continuem revelando talentos para o futuro, sem que os atletas que perderem sintam-se ¨zebra¨ e deixem de lado o espírito esportivo.

  • David Argeu Klegin diz: 22 de novembro de 2009

    Deu zebra nos Jogos Abertos. Que frase redicula para um comentarista,Falam de importados mas quantas vezes Blumenau importou jogadores ou tirou jogadores de outras cidades vizinhas´oferecendo vantagens melhor aceitar a derrota do que fazer justificativas infundadas Abraço

    Do blogueiro: David, acho que você não leu direito. Não fui eu quem falou isso, um dos comentários citou outras pessoas que falaram isso, sei lá onde. Abraço

  • João Silva Filho (nome Legitimo) diz: 3 de dezembro de 2009

    Bem, lendo que Blumenau perdeu os Jascs, eu que disputei 20 edições e fui muitas vezes Campeão destes jogos, e conheço o espirito que ele ja teve, hoje me pergunto que Jogos temos em SC. Onde mora a culpa, onde mora o erro? Tenho certeza que é na Politica desportiva! Permitir importar atletas abertamente é um desmerecimento a base de qualquer cidade…Deixar de investir na formação pra investir na contratação pura e simples é a maior ilusão…Faltará identidade…sempre…

Envie seu Comentário