Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Senna o melhor de todos. Nada mais justo

12 de dezembro de 2009 15

Tricampeão mundial, Senna foi considerado por pilotos e ex-pilotos como o maior que já esteve na Fórmula 1/Banco de dados

Uma eleição nesta semana devolveu aos debates um tema que sempre rende boas discussões: quem foi o maior piloto de todos os tempos na Fórmula 1?

A Revista Autosport, uma das mais respeitadas do meio em todo o mundo, divulgou uma eleição pra lá de respeitável. Nela, pilotos e ex-pilotos da categoria votaram nos 10 principais nomes da F-1 desde os primórdios, em 1950, até os dias atuais.

E não deu outra: entre quem entende da coisa, Ayrton Senna foi o maioral. O piloto foi escolhido pelo meio o melhor entre os melhores. Os outros finalistas divulgados pela revista, além de Senna, foram nomes óbvios: pela ordem o alemão Michael Schumacher, o argentino Juan Manoel Fangio e o francês Alain Prost. O curioso é que, entre eles, Senna foi o que menos ganhou títulos mundiais, três _ 1988, 1990 e 1991 _, contra sete de Schumacher, cinco de Fangio e quatro de Prost.

Mas é bem verdade que teve a carreira abreviada quando tinha tudo para engatar uma sequência de títulos. Além disso, Senna nunca teve moleza, sempre teve que suar sangue para alcançar as façanhas que conquistou. Por tudo isso, teve o justo reconhecimento dos pares.

Eu concordo. Todos os quatro foram geniais, mas Senna foi um pouco mais do que todos eles. A cada discussão dessas, penso no tanto que o esporte brasileiro perdeu com a morte dele, em 1994. Mas para espantar a tristeza, e mostrar – afinal uma imagem vale mais do que mil palavras – deixo os leitores do blog com dois vídeos do imortal Ayrton. O primeiro, um clique com momentos marcantes ao som da música Simply The Best, de Tina Turner, que parecia feita para ele e pela qual inclusive foi homenageado pela cantora em um show na Austrália. E o segundo, um dos momentos que eu considero inesquecível das manhãs de domingo acompanhando ele: uma volta simplesmente genial em Donnington Park, em 1993, debaixo de chuva. Para muitos, a melhor primeira volta de uma corrida de todos os tempos (largou em quarto, caiu para quinto e completou a volta na frente, para depois ganhar a prova). Curtam aí.

Dá saudade.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Comentários (15)

  • Taciano Andrade diz: 14 de dezembro de 2009

    Ayrton Senna da Silva. Simplesmente o melhor. Oara aqueles que acham que o “alemão” foi um gênio eu digo, Gênios foram, Mansel, Prost, Patrick També, Piquet, Fangio, Lauda, Stweuart, Gilleis Vilhienev, Carpandiê, Grall Wil, Fitipaldi. estes caras tiravam leite de pedra, corriam com verdadeiras bombas nas costas, carros sem tecnologia eletrônica nenhuma. Tiravam a diferença no braço a cada freada, a cada retomata, estes sim eram gênios e todos abaixo de Ayrton, o maior de todos.

  • Taciano Andrade diz: 14 de dezembro de 2009

    Não me lembro o ano, mas sei que foi no GP dos USA em Detroite cirquito de rua onde ainda na Lotus Preta Senna avisa no rádio que só tinha freio trazeiro. Mandaram ele parar e ele falou que ia tentar levar o carro até onde dava. Na parada para troca de Pneus um dos mecânicos constatou que os discos de freios dianteiros estavam frios e não haviam sido usados. Final da corrida Senna em 1º e sem freio dianteiro. É pouco?

  • Gustavo Wolfsburg diz: 13 de dezembro de 2009

    Eu tenho um livro autografado pelo Ayrton que fala da sua carreira na F1….essa primeira volta em Donington park foi a melhor de todos os tempos!

  • Norberto Wandersee diz: 14 de dezembro de 2009

    Voltei. SENNA É O MELHOR DOS MELHORES.Vencia ele a cada curva, a cada reta ao longo de sua carreira e com carros as vezes inferiores dos demais. Uma coisa é certa, não tenho mais aqueles domingos felizes após mais uma vitoria do SENNA.

  • carlinhos diz: 12 de dezembro de 2009

    Ayrton Senna e Nelson Piquet eram do mesmo
    patamar! Senna era simpático, carismático e
    Piquet era o inverso!! Até hoje, esses
    aspectos pesam na opinião das pessoas!

  • emerson diz: 12 de dezembro de 2009

    ótimo post e ótimos vídeos. Senna, o maior de todos os tempos. Várias vezes campeão numa época em que existiam vários competidores de verdade. Schumacher só pegou mamata.

  • marco diz: 12 de dezembro de 2009

    O numero de títulos é irrelevaante. Ele foi o melhor que já existiu. Podem até supera-lo em números, mas jamais em qualidade.

  • Taciano Andrade diz: 14 de dezembro de 2009

    Imaginem se hoje um piloto de F1 tiver que correr em um carro sem controle eletrônico? tendo que usar a embreagem para as trocas de marcha, tendo que largar sem o auxilio da eletrônica, sentindo o giro do motor no pé. Seria uma festa? do grid com 24 carros devem sair do lugar 2 ou 3. O giro de largada de um F1 na época do Senna era em média 7500 giros, hoje a ECU do carro mantem ele assim e é só soltar o botão no volante manter o pé embaixo que o carro troca até as marchas antes de frear.

  • emerson diz: 12 de dezembro de 2009

    Concordo com quem disse que a máquina faz a diferença, mas antes de pegar um carro bom, Senna alcançou resultados espetaculares em escuderias sofríveis.

  • Márcio diz: 12 de dezembro de 2009

    Caro José! Não sei se vc acompanhava F1 desde os tempos de Piquet, pq eu vejo F1 desde 1983 e posso te garantir q o Senna sorria sim senhor, mas na hora certa! Até pq muitas vezes ele varava a madrugada pra arrumar problemas do carro junto com os engenheiros, coisa q duvido q o Schumacher fez! Ele não teve adversário a altura, por isso ganhou 7 vezes o campeonato! Não disputou títulos com Mansel, Prost, Senna. Assim é fácil!!! E Senna era melhor que Piquet: é só ver o nº de vitórias: 44 a 23!

  • jose diz: 12 de dezembro de 2009

    Não concordo que o Chumacher seja arrogante como falou O Márcio ,pelo contrario , o Alemão é um exenplo de sinpatia o cara participa de jogos de futebol corridas festivas ,quando é focado esta senpre com um sorriso , ao contrario do Airton que numca mostrou os dentes ,quanto a ser o maior ou o menor neste esporte , o que faz a diferença não é o adversario ser fraco , e sin o carro ser forte ! o piloto pouco enfluencia no desenpenho da maquina .

  • Márcio diz: 12 de dezembro de 2009

    Cheguei a ficar com os olhos cheios de lágrimas só de lembrar das manhãs que eu acordava pra ver esse gênio correr e nas madrugadas também! É o melhor de todos! Schumacher tem 7 títulos pq não tinha concorrentes e o companheiro de equipe não podia ultrapassá-lo por força de contrato! Assim até eu bato todos os recordes da F1! E tem gente na nossa imprensa que endeusa esse alemão arrogante! A empresa que gerencia a F1 é alemã e era a patrocinadora do Schumacher, por isso ganhava fácil!

  • jose ernesto diz: 14 de dezembro de 2009

    Caro Márcio eu não aconpanho a formula um desde 1983 igual a voce , eu aconpanho desde 1970 e Emersom Fitipaldi foi o piloto que inseriu o brasil na formula 1 como grande canpeão apostou no copersucar uma equipe brasileira , fracassou e verdade mas isto so conprova minha teoria o carro é que faz o piloto ser vencedor , e um idolo tem que sorrir senpre ,e o Emersom neste quesito é o melhor senpre sinpatico sorridente , assim deve ser um grande idolo .

  • Norberto Wandersee diz: 12 de dezembro de 2009

    Funcionarios de Domington Park estavam magoados com as criticas da imprensa inglesa contra a escolha do cirduito como palco do GP de 1993 de formula 1.Um dos argumentos dos críticos era do que o circuito não tinha pontos de ultrapassagem. Senna precisou de apenas uma volta da corrida, a primeira, para demonstrar, aos críticos de Domongton,que o circuito tinha, sim não apenas um, mas quatro pontos de ultrapassagem. Dependia, é claro, de quem estivess

  • Mario L. Nascimento diz: 13 de dezembro de 2009

    Valeu, Braga. Ótimo post para lembrar de um dos maiores nomes do esporte brasileiro. Foi, sim, o maior. Schumacher foi quase tão bom quanto, mas correu quase sem adversários. Senna enfrentou gente grande, enquanto o alemão pairava sobre todos os concorrentes, sabia disso e usava isso. Quanto à arrogância de um e de outro, questão de preferência pessoal. Também não sou muito fã do “Dick Vigarista”. Mas que foi bom, isso não tem como negar. Um bom segundo para grande o Airton… Abraços

Envie seu Comentário