Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de fevereiro 2010

O que eu vi no Galegão lotado domingo

28 de fevereiro de 2010 0

Foi uma festa como há muito o esporte de Blumenau merecia. Estive no Galegão superlotado domingo à tarde para ver Soya/Blumenau x Pinheiros/Sky, pela Superliga masculina. Do jogo não falarei muito, basta resumir aqui que o time blumenauense em nenhum momento esteve à frente no marcador (o máximo que conseguiu foi três empates _ em 24 a 24 no 1º set e um 3 a 3 e um 5 a 5 no 3º set).  Nada surpreendente, o adversário era muito superior. O time da casa lutou o quanto conseguiu, chegou a beliscar o primeiro set na raça, mas acabou sucumbindo, como nos dois sets seguintes, aos próprios erros. Ponto. Agora, vou comentar sobre o que observei antes, durante e depois do jogo.

- Giba é um fenômeno dentro e fora de quadra. Dentro, desequilibra o jogo quando e como quer. É nítida a superioridade técnica sobre os demais. Já tinha o visto jogando pela Seleção e posso dizer: o que vimos no Galegão foi uma mostra bem real do que é o melhor do mundo. Fora de quadra, ele é ainda mais fantástico. No fim do jogo, ficou mais de uma hora atendendo a todos os fãs, um por um. Tirou fotos, deu autógrafos, pegou o microfone para agradecer ao público. E pensar que todo santo jogo, em qualquer lugar que ele vá, é isso que acontece. É preciso ter uma paciência monstro, e ele tem. É um astro, enfim.

- Marcelinho não veio ao jogo, está doente, mas não faltaram estrelas. Rodrigão foi outro que atendeu pacientemente a todos os fãs no fim da partida, como o cubano Roca (como joga!). Já Gustavo, que foi mal na partida, sumiu logo após os cumprimentos tradicionais na rede. E tinha craque até fora das quatro linhas. Kid, ex-Seleção, não jogou, mas estava no Galegão com a mulher e a filha (sentou ao meu lado na arquibancada). No fim, foi lá distribuir fotos e autógrafos também.

- Quem esperava pelo som irritante das tietes enlouquecidas gritando no ginásio, teve uma surpresa. A torcida blumenauense teve um comportamento surpreendentemente bairrista. Enquanto a bola rolou, vaiou impiedosamente os astros do time rival e apoiou os da casa. Até foi possível ouvir aqueles tradicionais gritinhos das meninas pelo Giba, mas logo eles eram abafados.

- A estrutura montada para o jogo funcionou perfeitamente. Lá fora, acesso tranquilo. Dentro, tudo certinho e uma animação digna do grande jogo que era. Mas como sempre tem alguém para estragar, antes do jogo os cambistas faziam a festa nos acessos ao Galegão. Vi pelo menos dois vendendo por R$ 50 ingressos comprados por R$ 5. A Polícia foi chamada, mas alegou que que a prática não é crime. Então, o máximo que fez foi pedir educamente que a dupla se retirasse. No que, prontamente, não foi atendida. Lamentável.

- O time de Blumenau merece aplausos. Quem sabe das dificuldades deles para estar nessa Superliga, sabe do que estou falando. No jogo, sobrou raça no primeiro set, de resto o time, talvez nervoso, errou acima do normal. Não esperava vitória, mas esperava um pouco mais. Espero que esse pouco a mais venha terça, contra o Sesi do técnico Giovane Gávio.

- Mesmo que não tenha jogado tão bem neste domingo, fiquei mais uma vez impressionado com o cubano Dariel Cortina. Um potencial tremendo, jogador de time grande, sem dúvida.

- Por fim, acho que o time paulista, que até aqui alternou altos e baixos na competição, vai brigar pelo título da Superliga. Terça, faz um jogão com cara de final contra a atual campeã Cimed, em Floripa. Vamos ver se minhas previsões se confirmam. E o Soya/Blumenau até pode brigar pela oitava vaga nos playoffs, mas mesmo que não consiga, já terá cumprido com o objetivo na competição. O time é bom, dentro das suas limitações, e está no caminho certo.

Returno começa com novidades

28 de fevereiro de 2010 1

Sim, o returno do Catarinense cmeçou com alguns fatos novos. Em relação aos clubes, nada de muito surpeendente. O Avaí venceu o Brusque, o Metrô afundou o Juventus, empates em Chapecó, Ibirama e Criciúma.

De novo mesmo, o primeiro 0 a 0 do campeonato. Os autores da proeza foram Chapecoense e Atlético de Ibirama. Jogo equilibrado e ruim (se bem que o Verdão do Oeste esteve mais perto de marcar), ficou a impressão que ambos precisarão melhorar bastante. Mas a situação do time de Suca é bem mais preocupante.

Outra: nenhum mandante venceu na rodada. Fato raro até aqui. Quem chegou mais perto disso foi o Criciúma, mas o Tigre deu um tremendo vacilo e, mesmo com um a mais em campo, permitiu o empate do mistão do JEC aos 44 da etapa final. O tricolor está tranquilo, já o time do Sul já viu que vai sofrer até o fim para buscar alguma coisa no Estadual, nem que seja apenas fugir da degola.

Rebaixamento que começa a ficar mais próximo de Juventus e Brusque. O time do Vale nem está na zona dos que cairiam hoje (tem uma vitória a mais que a Chapecoense), mas apresenta todos os sinais de candidato a uma vaga na Divisão Especial do ano que vem. Neste domingo, bateu uma barbaridade e foi presa fácil para o Avaí no Augusto Bauer. 2 a 0 mole, com outra boa atuação do meia Sávio (marcou o primeiro dele no Estadual). Será que o veterano vai enfim começar a mostrar a que veio? Parece que sim. Batista também voltou, após uma passagem discreta pelo Botafogo no ano passado, e deixou o dele. O Leão vai brigar na parte de cima. O Brusque, na de baixo. E Viola, que nem jogou após voltar das férias nos EUA, já viu a lua-de-mel com a torcida terminar. Agora, é o casamento com o clube que parece estar por um fio. Previsível, até.

Em Jaraguá do Sul, vitória importantíssima do Metropolitano. Fazer 3 pontos no virtual rebaixado Juventus é obrigação de quem quer alguma coisa neste returno. Só que o 4 a 2 ilude um pouco quem observa apenas o placar. O time blumenauense não jogou bem, abusou do direito de errar e de perder gols, e só não foi castigado porque o Juventus é muito, mas muito ruim. O Metrô abriu 2 a 0 de cara, dando pinta de que golearia, mas bobeou e deixou o adversário empatar em dois lances seguidos, ainda na primeira etapa. No 2º tempo, um daqueles lances que sempre deixarão dúvida: Ramon, a promessa grená que já tem pré-contrato com o time de Blumenau para depois do Estadual, despediçou pênalti e a chance da virada. No fim, um gol contra e outro do Nequinha (isso mesmo!) definiram o placar. Olhando só o resultado, foi ótimo para o Verdão, pois como joga 5 em casa (onde tem 100% de aproveitamento) no returno, tem tudo para ir às semifinais outra vez. Isso na teoria, porque na prática o time precisará melhorar muito, pois nem todo mundo, ou provavelmente ninguém, dará a mleza que o Juventus deu.

E o Figueirense? Bom, jogar em Imbituba é complicado, mas o alvinegro decepcionou quem achava que no returno tudo seria diferente. Continua devendo ao torcedor.

Palpites da primeira rodada do returno

27 de fevereiro de 2010 3

Returno começando neste sábado e os palpites estão de volta ao blog. Sem delongas, vamos a eles. Quem quiser, já sabe: concorda, discorda ou simplesmente manda os seus.

Imbituba 1 x 2 Figueirense

O time do Sul foi a grata surpresa do turno, mas acredito que agora é o Figueira que vem para brigar na parte de cima. Aposto em vitória alvinegra, mesmo que difícil.

Brusque 2 x 4 Avaí

O time do Vale tem um seríssimo problema para resolver: o elenco dá toda a pinta de estar rachado pelas regalias dadas ao fanfarrão Viola. Avaí, que não tem nada com isso, me parece favorito.

Juventus 0 x 1 Metropolitano

O Metropolitano cultiva uma tradição de fazer caridade quando enfrenta times com um pé na cova, como é o caso do Juventus. Porém, o time de Jaraguá é tão fraquinho que não acredito nessa possibilidade. Dá Metrô.

Chapecoense 2 x 1 Atlético Ibirama

Grande jogo no Oeste, mas acredito que o Verdão vai fazer valer o fator torcida no Índio Condá e começar a reação na tabela.

Criciúma 2 x 0 Joinville

Campeão do turno e já na final, o JEC vai poupar alguns titulares e fazer testes com o elenco. O Tigre, apesar de estar numa draga terrível, já mostrou que ao menos raça e vergonha na cara tem. Então, deve vencer essa.

Manual para ir domingo ao Galegão

26 de fevereiro de 2010 0

Com todos os ingressos vendidos para o jogão de domingo entre Soya/Blumenau/Furb/Barão e Pinheiros/Sky, no Galegão, a organização da partida fez alguns esclarecimentos e pedidos, que reproduzo integralmente aqui no blog:

- Os ingressos para o jogo de domingo esgotaram, inclusive as isenções para idosos e crianças até 12 anos, acompanhadas dos pai. Pedimos a compreensão de todos. Afinal, dispomos de uma capacidade de lotação máxima de pessoas sentadas no Galegão e não podemos ultrapassar o limite, sob risco de penalização ao clube. Portanto, não haverá venda no dia do jogo no ginásio.

- Ao final do jogo, será distribuido o flyer promocional para o jogo da próxima terça-feira, dia 2 de março, às 20h, contra o Sesi-SP, treinado por Giovani Gávio, e que tem o Murilo da Seleção. Existe a possibilidade, ainda não confirmada, de, em parceria com a Blucredi, vender ingressos para o confronto de terça, ao final do jogo de domingo.
 
- O Galegão abrirá os portões às 15h30min. As portas do ginásio serão abertas às 16h. Haverá a distribuição de um número limitado de bate-bate (em torno de 500 pares).

- Foi ampliado o atendimento nos bares, com mais uma área próxima ao Setor 1 para venda de água e refrigerante.
 
- A segurança também foi ampliada para este jogo. Não será permitido que pessoas assistam ao jogo em pé. Atitudes que venham a prejudicar o espetáculo serão coibidas com rigor.

- Segundo a assessoria do Pinheiros/Sky, as estrelas do time (Giba, Marcelinho, Gustavo e Rodrigão) costumam atender os torcedores no fim da partida, após realizarem alongamento e o atendimento à imprensa. Portanto, pedimos a compreensão de todos para se aproximem com tranqüilidade ao local mencionado, caso queiram tentar fotos e autógrafos. O time paulista chega a Blumenau no sábado à noite e faz um treino no Galegão no domingo pela manhã, entre às 10h e às 12h.

- Eventuais tentativas de invasão de quadra serão coibidas com rigor. Qualquer anormalidade em relação à segurança poderá gerar punição ao time blumenauense por parte da CBV.

- Sobre o acesso da imprensa à quadra, somente será permitido o acesso ao ginásio de profissionais, com as respectivas credenciais, obedecendo ao seguinte critério:

TV: um repórter e um cinegrafista por veículo.

Jornal: um repórter e um fotógrafo por veículo

Rádio: Um profissional de rádio

Sites: Um fotógrafo

- Somente poderão entrar no ginásio os profissionais que realmente estiverem fazendo a cobertura do jogo. O acesso à quadra durante o jogo somente será permitido aos fotógrafos e cinegrafistas, devendo respeitar o local pré-determinado (não poderão ficar no fundo do banco de reservas e mesa de arbitragem).

- Ao término do jogo, a entrada de repórteres em quadra (um por veículo), somente será permitida junto ao portão de acesso localizado próximo às cadeiras brancas (VIP), desde que estejam credenciados. Pela ordem, terão prioridade: TVs, rádios ao vivo, jornais e rádios não ao vivo.

O que o returno nos reserva

26 de fevereiro de 2010 1

 E lá vamos nós outra vez. No fim de semana começa o returno do Catarinense. Tem muita gente dizendo até que no fim de semana começa, de fato, o Catarinense. Será?
Não tenho dúvida de que a coisa vai ficar mais difícil a partir de agora. Os grandes, que podiam se dar ao luxo de abrir mão do turno, agora precisam mostrar serviço para não botarem o primeiro semestre na lata do lixo. Quem surpreendeu, aproveitando a brecha que eu já havia alertado antes do Estadual, segue embalado e pode até repetir a dose. Abaixo, algumas previsões desse blogueiro. Aceito manifestações, sejam de apoio ou não.

No camatote

O Joinville exerceu o favoritismo no turno e foi campeão. Já está na final e agora espera pelo adversário, o campeão do returno. Como uma eventual nova conquista não terminaria o campeonato sem final, ao tricolor não restam muitos desafios nesta fase. Ou seja, vai jogar para preparar o time, zerar cartões e tentar garantir, no somatório de pontos, a vantagem de decidir a final na Arena. Vantagem que mostrou-se extremamente útil no turno.

Agora ou nunca

É o caso de Figueirense, Chapecoense, Avaí e Criciúma. No papel, todos eles podem deslanchar e enfrentar o JEC na final. Na prática, a história é outra. Após um começo catastrófico, o Figueirense arrumou a casa e tem tudo para brigar na ponta de cima no returno. O Avaí já mostrou a força que tem, estando a 3 segundos do título do turno. Superar o baque daquele empate/derrota na Arena e administrar com cuidado os jogos da Copa do Brasil (deve enfrentar o Coritiba durante o returno) me parece o grande desafio. Essa questão, Copa do Brasil, também se aplica ao Verdão do Oeste, que foi a grande decepção do turno. O time do Suca vai ter que dividir atenções de qualquer forma, até porque precisa, antes de mais nada, eliminar o risco de rebaixamento (sim, ele existe). E o Tigre, esse vai precisar, e muito, do fator tradição _ que fez diferença no fim do turno _, para afastar a crise e sair do atoleiro. Diferente dos demais, o time não inspira muita confiança no torcedor.

Embalados e perigosos

Metropolitano e Atlético de Ibirama aproveitaram bem o fato de terem se preparado melhor no começo do ano e foram às semifinais do turno. Perderam, é verdade, mas ficou uma boa perspectiva. Tanto o Verdão quanto o time grená ganharam reforços e têm um fator que pode fazer a diferença: no returno, jogam cinco vezes como mandantes. Como ambos têm bom retrospecto diante da torcida _ o Metrô inclusive segue 100% _, sonhar com as finais novamente não é nada impossível. O surpreendente Imbituba não foi às semifinais por um gol, e pode atrapalhar os planos de muita gente outra vez. Principalmente porque, com mais algumas vitórias, afasta o risco de rebaixamento. E aí vai sobrar para alguém que não estava nos planos.

Alerta geral

Com o Juventus praticamente com o pé na cova, resta uma vaga no vagão do rebaixamento. Matematicamente até dá para o time de Jaraguá do Sul escapar _ ano passado, o Metropolitano fez péssimo turno, mas reagiu no returno e não caiu. O problema é que o time não dá muita pinta de que pode operar este milagre. Com isso, o Brusque é quem precisa abrir o olho. O time do Vale não terminou bem o turno, trocou de comando e claramente tem problemas de relacionamento no elenco _ as regalias dadas ao Viola podem estar custando caro demais. O Bruscão precisa resolver todos esses pepinos para não ser pule de dez na degola, como o Juventus.

Ah, os palpites da primeira rodada do returno eu coloco no blog neste sábado, prometo.

Futebol às 8h - Era só o que faltava!

25 de fevereiro de 2010 9

Nunca, mas nunca mesmo, ache que você já viu de tudo nesse tal de futebol brasileiro.

Para fazer pirraça (só pode ser isso) após uma decisão judicial que proibiu jogos de futebol no RJ entre 10h e 17h durante o verão, a Federação Carioca marcou jogos para as 8 da manhã! Isso mesmo, oito da matina. O sujeito acorda, compra uns pãezinhos na padaria e segue pro campo. Insólito? Não quando estamos falando de cartolas brasileiros.

Dois jogos vão inaugurar o futebol em horário de missa neste sábado: Resende x Bangu e Madureira x Boavista, isso porque os dois mandantes não têm iluminação artificial nos estádios, o que inviabiliza jogos depois das 17, como quer o Sindicato dos Atletas, autor da liminar na Justiça. Fico pensando a que horas da madrugada estes jogadores vão acordar para estar em campo às 8h? E a torcida, será que vai encarar? Convenhamos, assistir a Resende x Bangu ou Madureira x Boavista já é dureza à tarde, imagine então num horário desses.

Outros jogos da rodada, como os dos times grandes, por exemplo, estão descaradamente marcados para começar às 17h01min. Polêmico é, certamente. Também não arrisco dizer quem tem ou não razão nessa briga (e vem outra por aí, já que cidades como São Paulo e Porto Alegre querem proibir que eventos esportivos terminem depois das 23h). Só não concordo com soluções que mais parecem provocação de criança. A país da Copa de 2014 precisa amadurecer em todos os sentidos, cartolagem.

Avaí e Chapecoense começam muito bem

25 de fevereiro de 2010 9

No Índio Condá, a Chapecoense usou a pressão da torcida para fazer 3 a 0 no Brasiliense e ficar muito perto da vaga na segunda fase, onde o Atlético-MG já está na espera/Alan Pedro

Copa do Brasil é assim mesmo.

Quando um time tem a chance de matar, não pode, e não deve, desperdiçá-la. Avaí e Chapecoense, os representantes catarinenses na edição 2010, mostraram nesta quarta-feira que leram, e entenderam, o manual de instruções.

Em Chapecó, o jogo era mais duro para o Verdão do Oeste, afinal o Brasiliense, apesar do viés de baixa, tem mais tradição. Sentiu o peso da pressão do Índio Condá e levou 3 a 0, resultado difícil (eu diria praticamente impossível) de ser revertido em competições como a Copa do Brasil.

Além da larga vantagem, o time de Suca não levou gols em casa, o que sempre é primordial. significa que, se fizer um golzinho no jogo da volta, em Taguatinga-DF, o time do técnico Roberto “Professor Pardal” Fernandes terá a obrigação de marcar cinco. Se já não está oficialmente na segunda fase, a Chapecoense botou um pé e meio lá. E já tem adversário esperando. O Atlético-MG, de Vanderlei Luxemburgo, foi ao Acre e fez 7 a 0 no Juventus (com cinco do Obina!). Já pode começar a reservar hotel em Chapecó.

O Avaí também fez o que dele se esperava. Foi a Erechim-RS e não tomou conhecimento do Ypiranga, como manda o manual do time grande contra os nanicos que só uma competição extremamente democrática como essa coloca no mapa da bola. Na condição de time de Série A, fez 3 a 0 e nem precisará receber os gaúchos na Ressacada. Espera, agora, por Coritiba ou Luverdense-MT (nesta quarta o Coxa fez só 1 a 0 fora e precisará do segundo jogo, no Couto Pereira, mas é completamente favorito).

Destaco ainda do jogo no Colosso da Lagoa a aparição de Sávio no Leão. Entrou no segundo tempo, jogou bem e fez os dois primeiros gols dele com a camisa azurra. Ficou a impressão de que a paciência de colocá-lo em forma antes de mais nada começa a surtir efeito, o que deixa uma boa perspectiva para a torcida tanto para o returno do Catarinense quanto para a própria Copa do Brasil, a inegável prioridade do clube no primeiro semestre.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Tiago Splitter será novo galáctico do Real Madrid?

24 de fevereiro de 2010 1

Tiago é destaque do basquete europeu, da Seleção Brasileira e está nos planos do San Antonio Spurs para a próxima temporada da NBA/Divulgação CBB

O pivô blumenauense Tiago Splitter segue a trajetória para tornar-se um dos principais nomes do basquete mundial na atualidade. O diário esportivo As, da Espanha, informou ontem que o jogador está na mira do milionário Real Madrid. O clube merengue tem intenção de elevar o time de basquete _ historicamente bem inferior ao do arquirrival Barcelona, por exemplo _, ao mesmo patamar do futebol. Ou seja, potência mundial. Tiago, nesse caso, seria um dos primeiros galácticos dessa nova fase.

Aos 25 anos, o brasileiro de 2m11cm, cria das quadras do Ipiranga, de Blumenau, joga há muitos anos no Caja Laboral, de Vitória, no País Basco, e é considerado o principal pivô do basquete europeu atualmente. Em números, é o jogador mais eficiente da ACB, a liga fortíssima espanhola, o quinto cestinha (média de 16 pontos por jogo) e o sétimo reboteiro (6,8 rebotes/jogo).

Titular absoluto da Seleção Brasileira, Splitter, se confirmado o assédio do Real Madrid, pode adiar mais uma vez o sonho de jogar na NBA, a milionária liga norte-americana. Os direitos econômicos do jogador já pertencem ao San Antonio Spurs desde 2006, e ele já adiou pelo menos uma vez a transferência para o time texano. Na época, o time espanhol ofereceu uma renovação de contrato extremamente vantajosa, e Tiago decidiu ficar, até porque é ídolo na Espanha e o basquete por lá é muito forte e popular (a Espanha é a atual campeã mundial, só para ficar em um exemplo).

Agora ele tem um acordo por mais dois anos com o Caja Laboral, mas dessa vez a cláusula de rescisão é mais baixa para a NBA (em torno de 1 milhão de euros). E o Spurs quer o brasileiro o quanto antes, pois considera Tiago Splitter um jogador promissor, que seria um parceiro ideal para o pivô Tim Duncan. Portanto, o Real terá realmente que caprichar na proposta para ganhar a concorrência. Nada impossível, convenhamos, quando estamos falando do clube de Florentino Perez.

Splitter acompanha as especulações enquanto se recupera de uma lesão, que deve afastá-lo das quadras por pelo menos mais 15 dias. Mas eu não descarto a possibilidade de Tiago seguir na Europa, agora como uma estrela do poderoso Real Madrid. Certa vez, numa conversa com o pai dele, Cássio Splitter, ele me disse que o basquete europeu caminha a passos largos para suplantar a NBA, tanto em termos de estrutura e estrelas, quanto no poderio financeiro.

Será?

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Quem aí lembra do Zagalinho?

24 de fevereiro de 2010 1

Zagalinho posa ao lado do pai famoso. Por mais que ele tenha algum talento de técnico, as pessoas sempre o contratam achando que terão um novo Zagallo no comando/Divulgação

Essa é praticamente da terra dos mortos-vivos.

Paulo Zagallo, o Zagalinho, técnico cujo único talento, aparentemente, é ser filho do tetracampeão mundial Mário Jorge Lobo Zagallo, reapareceu.

Quase nem me lembrava mais que ele passou por aqui nem faz tanto tempo assim. Sim, caro leitor, ele dirigiu a tentativa de ressuscitar o Carlos Renaux, de Brusque, em meados de 2006 (com o nome de Brusquense na Terceirona do Estadual) e, a rigor, não fez nada demais e logo foi embora. Lembrou agora?

Pois é, essa semana o Zagalinho, que desde então dirigiu esporadicamente times inexpressivos das divisões inferiores do RJ, ressurgiu das cinzas. Assumiu o Aquidauanense, que disputa as últimas posições do campeonato sul-matogrossense. O cartola do clube definiu a contratação da seguinte forma: “Agora nosso clube está inserido no mapa do futebol nacional”.

Ah, bom.

Em tempo: Na passagem pelo Vale o Zagalinho mostrou-se uma ótima pessoa, extremamente simpático e simples. Qualquer maldade contida nestas linhas, portanto, tem base apenas nas questões profissionais. Além disso, confesso que sempre invejei ele num ponto: o cara tem uma das maiores coleções do mundo de camisas de clubes de futebol. Cortesia do pai famoso, claro.

Postado por Rodrigo Braga, da redação

Que final de final! Parabéns ao JEC

21 de fevereiro de 2010 75

Tricolor fez a festa na Arena após conseguir o gol de empate, que garantiu a taça e a vaga na final, a 4 segundos do apito final/Ricardo Duarte

É aquela velha, batida, surrada, manjada, mas muito verdadeira história:

O jogo só acaba quando termina.

Quando saiu o golaço do Ricardinho, me dei ao trabalho de esticar os olhos para ver o cronômetro, que marcava 48min56seg. Era, certamente, o último lance do jogo. O JEC tanto martelou na etapa final, após o primeiro golaço da tarde, o do avaiano Patric, que quando já parecia pouco provável, já que é inegável a falta de fôlego do tricolor na reta final das partidas, saiu o gol do título. Catarse na Arena. JEC campeão do turno, merecidamente, e na final da Estadual. E a torcida do Metropolitano, que neste domingo à tarde vestiu vermelho, preto e branco, festejou também. Agora, o time de Blumenau só perde a esperada vaga na Série D do Brasileiro se uma hecatombe ocorrer no returno.

Sobre o jogo, cheguei a comentar no Twitter que os instantes iniciais mais pareciam pelada de casados x solteiros, aquelas que sempre acabam em cerveja e churrasco. Muita correria e pouca eficiência.

Depois veio a chuva, e a coisa ainda piorou um pouquinho mais. Registre-se o lance capital do primeiro tempo: pênalti claro no Lima, que o José Acácio da Rocha não marcou.

Na etapa final, o Avaí manteve a receita de jogo sóbrio, tocando a bola com eficiência e usando bem os contra-ataques. Foi premiado com o golaço do Patric, lateral direito que acertou um chutaço de perna esquerda.

O que se viu depois disso foi um Avaí mais perto do segundo gol do que o JEC do empate. O time da casa, na base do abafa, tentava de tudo que é jeito, mais na raça do que na técnica. O que me chamava a atenção era a quantidade de bolas que a defesa avaiana rebatia para a entrada da área, já que o tricolor cruzava de tudo que é lado. Isso não costuma dar certo, lembro bem de ter comentado. E numa delas, pra ser mais exato na última delas, o rebote sobrou no pé do Ricardinho, que acertou um chute daqueles.

O gesto do goleiro Zé Carlos ao ver a bola no fundo das redes resume bem o sentimento avaiano: o time queria muito o título do turno para concentrar-se apenas na Copa do Brasil nas próximas semanas. Vai ter que remar tudo outra vez no returno, que promete ser bem mais equilibrado. O JEC, de forma merecida, vai ver tudo de camarote.

Que venha o returno, então!

Postado por Rodrigo Braga, da redação