Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Outra vez nos acréscimos!

25 de março de 2010 2

O Figueirense deu o troco em grande estilo. No turno, no Scarpelli, tomou o gol de empate nos acréscimos. Nesta quarta-feira, na Ressacada, mais uma mostra de como o futebol pode ser irônico. O Leão vencia até os 49 minutos, até que Willian, que está virando pedra no sapato azurra, deixou tudo igual.

Fantástico, como sempre deve ser um clássico cercado de tanta rivalidade.

Foi um grande jogo, pelo que acompanhei (vi um pouco do clássico, um pouco da vitória de virada do Metrô sobre o JEC). Fiquei com a impressão de que o Avaí foi um melhor, mas, apesar de ter desperdiçado algumas chances de matar o jogo, nada que justicasse vitória mais elástica que o 1 a 0 que ia se concretizando até os 49 minutos. Aliás, que dureza para a torcida azurra. Outro gol de empate em 1 a 1 no apagar das luzes (comparação com a final do turno na Arena é inevitável).

O Figueira lutou, até meio desordenado, e acabou premiado pelo empate. Aliás, 1 a 1 que eu cravei nos palpites da rodada, registre-se. Na tabela, o Avaí lidera, mas vê a turma encostar. Uma derrota na Arena, domingo, por exemplo, poderia complicar uma classificação dada como certa às semifinais. O alvinegro, com 10 pontos, pode perder uma posição se o Tigre vencer a Chapecoense, nesta quinta, mas não deixaria o G-4. Pega o rebaixado Juventus sábado e vai encostar de vez na ponta de cima.

Registro aqui os parabéns à sensacional campanha do Imbituba. Vice-líder do returno, da classificação geral e com o artilheiro isolado da competição, Felipe Oliveira, com 13 gols. Fantástico, até porque ninguém, ninguém mesmo, acreditava nessa possibilidade.

Comentários (2)

  • Eduardo diz: 25 de março de 2010

    A matemáticaé clara, 45 + 3 = 48, o gol saiu aos 49.?????????
    Ultimo lança do jogo, bandeirinha da tiro de meta, Luiz Orlando de Souza que estava a quilometros de distancia da escanteio.??????????????
    ?????????????????????????????????????????????????????????

    Do blogueiro: É, nada que fuja da média da arbitragem catarinense, meu caro. Algo precisaria ser feito, e rápido. Nossos times estão evoluindo, mas nossos árbitros não. Mas uma coisa precise ser dita: quem jogou o foguete em campo deu brecha pra esse minuto a mais, não achas?Abraço.

  • Guilherme diz: 25 de março de 2010

    Sei que não é teu nem do teu público alvo o foco sobre os times da capital, razão pela qual gosto muito de ler tuas postagens por ser uma visão externa às já viciadas pelo cotidiano, mas não posso concordar com a tua opinião sobre o clássico. Não entendo essa insistência em dizer que o Avaí não matou o jogo quando poderia, que o primeiro clássico terminou empatado no final e que clássico é assim mesmo. Primeiro porque o Avaí não é vidente pra saber que o arbitro vai operar o jogo daquela maneira; segundo porque o classico do turno terminou empatado graças a arbitragem que nao deu 3 penaltis para o Avaí e a torcida alvinegra não foi unânime (nem ouvi pra falar a verdade) na questão de serem garfados, além dos cenários serem totalmente distintos; e por último isso não é clássico, pois errar num esporte que mexe com a paixão é no mínimo irresposável e muitas vezes falta. Veja que não faço apologia à violência, mas ontem ao final do jogo temi por uma confusão generalizada fora de campo. Isso não é clássico, isso não é espetáculo, isso sequer é futebol! Até pensei em falar de quais os lances considerei má fé do trio, mas o comentário ficaria muito longo. Abraços

    Do blogueiro: Guilherme, observasse bem. Não vi o jogo inteiro, minha análise está baseada em poucos lances e em conversas rápidas com quem viu o jogo. Baseado nisso, vi o Avaí um pouco melhor, mas o empate justo no fim das contas. Sobre arbitragem, já ouvi dizer que foi terrível, ou seja, o normal da arbitragem catarinense. Mas aí como eu não vi prefiro me abster dessa. Abraço

Envie seu Comentário