Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de setembro 2010

O Brasileirão dos hermanos

30 de setembro de 2010 7

Meias típicos, que honram a camisa 10 que vestem, são cada vez mais raros no futebol atual. No Brasil, mesmo, dá para contar nos dedos.

Pelo jeito, porém, os poucos que sobraram produzindo este artigo de luxo falam espanhol e são nossos vizinhos adorados. Pois é, os hermanos argentinos. Lá, sobram camisas 10 de qualidade. O melhor do mundo atual é argentino, Messi, e ostenta a 10 que já foi de Maradona. Por ele estar lá, outros qie brilhariam em qualquer outro lugar, como Riquelme, estão fora. Sem falar em Verón, que vira e mexe é sonho de consumo de times brasileiros.

Por falar em Brasileiro, por aqui a moda é ter um argentino para chamar de seu. Um jogador, que fique claro… Também pudera: são eles, os argentinos, que estão roubando a cena no atual Brasileirão. Três deles disputam a condição de melhores do campeonato: D’Alessandro (Internacional), Montillo (Cruzeiro) e Dario Conca (Fluminense). O que não seria inédito, nem para os argentinos e nem para um estrangeiro em geral. Em 2005, Carlitos Tevez deu as cartas no título corintiano. E no ano passado o sérvio Petkovic, velhinho, cercado de desconfiança, foi o maestro da arrancada do Flamengo para o título.

Dos três destaques atuais, apenas D’Alessandro voltou recentemente a ser convocado pela seleção argentina. E também, a meu ver, é o único que não deve brigar pelo título brasileiro. Mas por um motivo mais que justo: ele já comandou o Inter na conquista do bi da Libertadores e está focado no Mundial de Clubes, em dezembro (como outro hermano que é ídolo por lá, o volante Guiñazu, e o goleiro Pato, banco). Dos outros dois destaques do post, se Flu ou Cruzeiro ficarem com o título, é certo que será pelas atuações de Conca ou Montillo.

Conca já brilha no Brasil há anos. Primeiro no Vasco, depois no Flu. Sempre foi sonho de consumo de Muricy Ramalho quando este ainda estava no São Paulo, sofrendo sem um meia clássico. Agora que o comanda, justifica as razões: nas mãos de Muricy, Conca vive seu melhor momento. Já Montillo estava lá dando sopa na Universidad de Chile, semifinalista da Libertadores. Arrasou com o Flamengo e foi um dos melhores da competição. O Cruzeiro foi mais esperto, chegou primeiro e não se arrepende. Em poucos jogos, já virou ídolo da torcida, que tem identificação enorme com os argentinos desde o lateral Sorín. Tem até outro argentino lá, Farias, mas esse é apenas um atacante normal.

Os demais times carecem de um meia desses, o verdadeiro camisa 10. O Santos tinha talvez o único brasileiro de primeira linha atual, Ganso, mas ele se machucou e não joga mais o Brasileirão. O Palmeiras não tem argentino, mas sim um chileno que nasceu na Venezuela (Valdívia). Apesar da fama de mago, não está no nível dos outros três. De resto, o que temos? Diego Souza, injustamente o craque do Brasileirão ano passado pelo Palmeiras, mas que esse ano despencou de nível com a camisa do Galo? Douglas (Grêmio), Paulo Bauer (Atlético-PR), Bruno César (Corinthians)? Pra mim, todos jogadores voluntariosos, mas longe da condição de craque. E tem time que nem isso tem, geralmente tem um volante improvisado por ali. E outra curiosidade: os times dos argentinos são os que têm maior qualidade no setor, inclusive no banco. O Inter, se não tem D’Ale, pode usar o bom Andrezinho ou improvisar o excelente Giuliano (ainda será craque top, anotem). O Cruzeiro tem Roger no banco ou dividindo as funções com Montillo, exatamente o que acontece no Flu com Conca e Deco.

Depois de uns anos aí em que a teoria de que os volantes seriam o futuro do futebol, me alegra saber que times que ainda apostam em craques de verdade se dão bem na escolha. Mesmo que a gente tenha que aturar os argentinos brilhando no nosso quintal.

Avaí cai no golpe do Muricy

29 de setembro de 2010 39

O Avaí caiu no velho golpe do Muricy. De bola cruzada na área em bola cruzada na área, os times dele vão colecionando 1 a 0 e estão sempre nas cabeças.Foi assim no tricampeonato pelo São Paulo, está sendo assim com o Fluminense.

O Leão fez uma bela partida do ponto de vista tático nesta quarta, em Volta Redonda. Bem fechado e especulando vez ou outra em busca de um contra-ataque. Totalmente compreensível em se tratando de jogo contra o líder fora de casa. Ia dando certo até a arma secreta (nada secreta) de Muricy Ramalho entrar em ação. A bola cruzada em escanteio do ex-Figueirense Marquinho pererecou na área até sobrar para o ótimo argentino Conca empurrar para as redes e garantir a manutenção da liderança para o Flu. Um pecado para o time catarinense.

A derrota é ruim para os planos do Avaí, mesmo que fosse razoavelmente esperada. O problema é que, após aquela sequência terrível, o time precisa de pontos que normalmente não estariam na contabilidade para sair do sufoco. Mas, inegavelmente, a postura já é outra.

Sábado, o jogo é contra o São Paulo (quem inventou esse horário das 9 da noite?). Em ritmo de embalos de sábado à noite na Resssacada, o Leão pode sim passar pelo tricolor paulista, que vive uma fase de transição e já pensa mais em 2011 do que no atual Brasileiro.

Uma rodada toda do Figueirense

29 de setembro de 2010 38

A Série B está tão equilibrada, mas tão equilibrada, que o acesso, e o eventual título, virão assim, matando uma rodada por vez. A desta terça-feira, a 25ª, foi toda do Figueirense. O time catarinense fez a parte dele virando um jogo enroscado contra o ASA, no agreste alagoano.

Vitória importantíssima para as pretensões alvinegras, ainda mais que boa parte dos rivais diretos tropeçaram. O Coritiba cedeu empate para a Ponte Preta nos acréscimos, em confronto direto. Bahia e América-MG perderam em casa. O Figueirense não deu bobeira, fez o que dele se esperava e com isso voltou para a vice-liderança. Pode reassumir a ponta na próxima rodada, quando faz o famoso jogo de seis pontos com a Macaca, no Scarpelli. E já é sexta-feira, o que vai exigir do time superação para enfrentar a maratona praticamente sem descanso.

A Série B hoje tem praticamente 10 times, metade dos participantes, brigando pelo acesso. Ou seja, as últimas 13 rodadas serão uma verdadeira batalha.

No jogo lá distante Arapiraca-AL, brilhou o meia-atacante Héber, autor dos dois gols da vitória. O Figueira perdia por ter atuado no início da etapa final com uma certa preguiça, justamente aquela que andava complicando a vida da equipe. Mas, felizmente, dessa vez o apagão durou pouco. O Figueira soube se impor e a virada foi merecida.

A batalha da 25ª rodada está ganha, merecidamente. Mas a guerra pela volta à elite ainda vai exigir muito.

Avaí e a incógnita Sandro

28 de setembro de 2010 9

Que é estranho, é.

O Avaí apresentou nesta terça, último dia para inscrever novos jogadores para a reta final do Brasileirão, o meia Sandro, que ganhou notabilidade na semana passada ao se envolver em uma tremenda confusão extra campo em Curitiba, onde defendia o Coxa.

Sandro foi detido por dirigir embriagado e bater o carro na capital paranaense. Desde então, estava afastado do elenco do Coritiba. Coincidentemente, o empresário dele é Luiz Alberto, o contraditório parceiro do Leão.

O blog prefere esperar um pouco mais para analisar a qualidade do jogador. Ele pode até vir e dar muito certo, como se diz, cair como uma luva no time. Mas que chega cercado de desconfiança por todos os lados, isso chega. A princípio, fica a impressão de que o empresário desovou o jogador no Avaí, já que não seria mais aproveitado no Coxa. Espero, no entanto, que não seja isso.

PS: E o Sávio, hein. Pode ser o reforço de última hora para o Macaé, adversário do Criciúma por uma vaga na Série B de 2011. Se jogar no time fluminense o que jogou aqui, ninguém no Tigre precisa se preocupar.

Palpites do Brasileirão

28 de setembro de 2010 9

A semana é diferente para o Brasileirão, por isso os palpites também chegam mais cedo. Confiram e participem:

Brasileirão

Vasco 1 x 3 Santos

Goiás 1 x 0 Flamengo

Prudente 0 x 2 Guarani

Atlético-PR 1 x 0 Vitória

Cruzeiro 2 x 1 Atlético-GO

Palmeiras 2 x 2 Internacional

Fluminense 2 x 0 Avaí

Grêmio 1 x 1 São Paulo

Corinthians 2 x 1 Botafogo

Ceará 0 x 0 Atlético-MG

Série B

ASA 0 x 1 Figueirense

CBF nos enganando outra vez

27 de setembro de 2010 13

Começou cedo.

Ao dar posse a Mano Menezes como substituto de Dunga (alguém lembra?) na Seleção Brasileira, o ditador Ricardo Teixeira afirmou (e já havia feito antes, logo após a elimnação na África do Sul):

“O Brasil só enfrentará adversários de nível competitivo”. Teixeirão se referia aos amistosos desse ciclo até 2014, no qual o Brasil não disputará as Eliminatórias por ser o país-sede.

Tudo bem, quase ninguém acreditou, mas vá lá, um voto de confiança por ser um período especial, o Brasil sediará a Copa. Nada de amistoso caça-níquel, parecia algo profissional e comprometido demais para os padrões da CBF.

Aí o que aconteceu? O Brasil enfrentou os EUA em agosto, bom teste, afinal os americanos há tempos têm uma boa seleção. Mês passado, a CBF não conseguiu arrumar nenhum jogo de alto nível (ou seja, ninguém quis pagar os R$ 3 milhões de cota que a CBF exige) e o Brasil de Mano foi, constrangido, treinar para não jogar em Barcelona, apenas para atender patrocinadores.

Aí, para não passar vergonha outra vez, a Seleção vai enfrentar o posderoso Irã no próximo dia 7, em Abu Dhabi. Obviamente que é um jogo de alto nível, conforme prometido, até porque o Irã é o 57º no ranking da Fifa, atrás de seleções de respeito como Bielorússia, Chipre, Bolívia e, pasmem, Burkina Faso (pra quem não sabe, fica na África). E o local do jogo, claro que não foi para a CBF arrecadar alguns milhões a mais. Não sejam maldosos, vocês também enxergam maldade em tudo…

Dia 11 haverá outro amistoso na data Fifa, e já temo pelo que vem por aí agora à tarde a CBF confirmou que a Ucrânia será a segunda adversária, na Inglaterra. Se não é uma seleção de ponta, ao menos está longe de ser uma baba. Essa eu relevo. Mas dias atrás vi uma lista, acho que publicada pelo Diário Catarinense, das seleções europeias que estariam de folga nestas duas datas, nas quais haverão rodadas das Eliminatórias da Euro 2012 (a Ucrânia será sede ao lado da Polônia, por isso não disputa o qualificatório). Havia seleções melhores que a doi veterano Shevchenko, mas a CBF (que é bom que se diga, terceirizou a marcação de amistosos para uma empresa árabe) preferiu essas aí. No cado do Irã, vai ver foi o Lula, que agora até estádio dá pro time do coração, que quis fazer um agradinho ao amido Ahmadinejad.

Não se enganem, o ciclo até a Copa de 2014 ainda nos reverva muitas decepções, e não estou falando apenas da vergonheira que será a construção dos estádios por aqui. Há interesses muito maiores do que simplesmente torcida dando as ordens.

Bem-vindo de volta, Avaí

26 de setembro de 2010 27

Quem é vivo sempre aparece, diz aquele velho dito popular. E não é que o Avaí apareceu, 40 dias depois da última vitória.

Fica a dúvida do que fez o time, enfim, se reencontrar: se foi o susto com a entrada na zona de rebaixamento (ou seja, a famosa água batendo… vocês sabem onde) ou se foi a mandinga do blog, que resolveu apostar em derrota do Leão nos palpites (veja aqui), já que nas últimas rodadas toda vez que cravava vitória ou empate, o time perdia. Nunca saberemos.

Importante é que o Avaí engatou uma tração 4×4 e começou a sair do atoleiro (apropriado, já que o campo estava encharcado pela chuva do fim de semana). Ninguém esperava, ninguém mesmo, moleza contra o bom time do Ceará. Mas o primeiro tempo do Leão na Ressacada beirou a perfeição. Jefferson, o meia quebra-galho que chegou cercado de desconfiança, teve uma senhora atuação. Fez dois golaços com chutaços de fora da área, um de direita, um de canhota, que é a boa, e ainda fez um belo lançamento para o gol que abriu a porteira, de Rudinei. Só no lance do pênalti convertido por Davi, a não ser que eu não tenha notado, Jefferson não teve participação direta. E não foi só ele que foi bem. Nos primeiros 45 minutos, o Avaí patrolou o time cearense. Depois disso, com a fatura já resolvida, não precisou fazer mais do que administrar. Nessa toada até fechou a conta em 5 a 0, mais um de Davi (e foi outro belo gol).

Voltar a ganhar, o Avaí voltou (ufa!). E em grande estilo. Agora fica a torcida para que, com o fim da urucubaca, venha a estabilidade para que o time não oscile entre atuações primorosas, como a desse domingo, e catastróficas como a de Salvador, quinta-feira. Na próxima rodada, tem só o líder Fluminense pela frente, no Rio, quarta-feira. E sábado recebe o instável São Paulo, na Ressacada. Só pedreira.

Mais uma vez usando uma frase famosa, desa vez da turma do Barão Vermelho, o Avaí foi ao inferno e voltou. Que o passeio pela zona de rebaixamento tenha sido só isso mesmo, um passeio. Curto e sem retorno. Para os supersticiosos, vale a lembrança de que o Avaí estreou no campeonato metendo 6 no Prudente na Ressacada. Vai que essa goleada de agora signifique a reestreia do Leão nesse novo campeonato que é a briga para se segurar na elite.

Ah, só uma pergunta: e o novo técnico, hein?

Os outros jogos do domingo

Aproveito para comentar também os outros destaques do domingo no Estado. O Joinville, num jogo truncado em gramado molhado, não conseguiu furar o bloqueio do Operário-PR e ficou no 0 a 0, na Arena. O JEC já está garantido na outra fase da Série D e, se não me engano (me corrijam se estiver errado), este empate garante o time paranaense também, que de bobo não tem nada. Mas pontuar é importante, justamente pensando nos próximos confrontos, por isso a torcida certamente saiu um pouco decepcionada da Arena.  Jogar lá em Ponta Grossa não é nada fácil, eu vi bem como é  e o JEC também sabe, pois já foi lá e perdeu. Mas o foco tem que seguir no acesso, e o tricolor tem time para isso.

E na Segundona Catarinense, título do turno para o Atlético Tubarão, que faz bela campanha sob o comando de um velho conhecido da turma do Vale: o técnico Suca. A última rodada tinha quatro times no páreo, e o Atlético só conseguiu o título nos acréscimos, ao fazer 1 a 0 no Concórdia, adversário direto. Até então, quem estava ficando com o título (já que o Marcílio Dias também empatou) era o XV de Outubro, que em Indaial fez a parte dele batendo o Joaçaba por 2 a 0. O time do Vale é outro que merece reconhecimento. Faz um belíssimo trabalho (basta dizer que revelou o atacante Leandro Damião, hoje no Internacional) e desde que ingressou no futebol profissional só cresce, graças a uma estrutura que mataria de inveja muito time maior do Estado.

Pesquisa eleitoral do blog

26 de setembro de 2010 18

Pois é, minha gente, as eleições estão chegando. Domingo que vem votaremos para eleger presidente, governador, deputados federais e estaduais e senadores.

Mas calma, não se assutem. Este blog não se bandiou para os lados da política. Nossa pesquisa eleitoral aqui tem outro tema: Brasileirão.

Estamos entrando na parte final do campeonato (já!!!), então o blog quer saber de seus fiéis leitores:

Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para:

1) Campeão Brasileiro

2) As três vagas na Libertadores

3) Os quatro rebaixados

4) Os que não vão cair e nem vão a lugar algum (nem Sul-Americana)

5) Os quatro que vão subir da Série B

Votem! Aqui não tem segundo turno e muito menos margem de erro. A pesquisa foi encomendada por este blogueiro e ficará registrada aqui mesmo. Em breve publicarei uma prévia com os mais votados e no fim do ano a gente confere quem se deu bem.

Figueira volta aos trilhos

25 de setembro de 2010 3

Se eram três derrotas seguidas por 1 a 0, o antídoto veio com um… 1 a 0! Que seja!

Se não foi lá um espetáculo, Muricy Ramalho já disse certa vez: “quer espetáculo vá ao teatro”. Primordial era vencer, e o Figueirense venceu o moribundo Brasiliense por magrinho 1 a 0, no Scarpelli. Se fosse 193 x 0 valeria três pontos igualzinho, então o que interessa no momento é que o Figueira está de volta ao G-4. A rodada vinha ajudando, por isso vencer neste sábado era ainda mais importante. Objetivo alcançado.

Firmino, um dos melhores jogadores desse time, fez um gol emblemático, já que vaias começavam a pipocar, de uma minoria.

Agora que a uruca de sequência de derrotas se foi, o próximo passo, se possível, é recuperar o bom futebol do turno. Se fizer isso, o acesso volta a ser apenas uma questão de tempo. Terça-feira o alvinegro tem jogo complicado contra o ASA, um time chato, principalmente pelo jogo ser em Arapiraca-AL. Mas projetar mais uma vitória não é nenhum exagero.

Sobre o Avaí – Aproveito o post do dia para comentar o Avaí: com os resultados do sábado, o time entrou na zona de rebaixamento. O que só aumenta a pressão e a necessidade de vitória sobre o Ceará, neste domingo. Que seja domingo de reação também do outro lado da ponte, como foi no Scarpelli. Se não for, a coisa fica feia de vez.

Palpites do final de semana

24 de setembro de 2010 12

No meio de semana falhou, motivo pelo qual começo o post com um pedido de desculpas. Mas para o fim de semana cá estão os palpites. Sem embromação, vamos a eles. Quem quiser, sabe como participar:

Brasileirão

São Paulo 3 x 1 Goiás

Flamengo 0 x 0 Palmeiras

Guarani 2 x 2 Vasco

Santos 1 x 2 Cruzeiro

Atlético-GO 4 x 1 Prudente

Internacional 1 x 1 Corinthians

Vitória 2 x 3 Fluminense

Botafogo 1 x 2 Atlético-PR

Atlético-MG 0 x 2 Grêmio

Avaí 1 x 2 Ceará

Brasileiro Série B

Figueirense 2 x 0 Brasiliense

Brasileiro Série D

Joinville 3 x 1 Operário

Catarinense Divisão Especial

Camboriú 1 x 0 Próspera

Atlético Tubarão 1 x 1 Concórdia

Hercílio Luz 1 x 2 Marcílio Dias

XV de Outubro 3 x 0 Joaçaba