Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de janeiro 2011

Metrô pode perder mando de campo

31 de janeiro de 2011 32

Não bastasse a arbitragem problemática de Célio Amorim, os estragos do jogo de domingo com o Avaí ainda prometem render no Metropolitano.

Isso porque, tenha o árbitro errado ou não (continuo achando que errou), nada, nada mesmo, justifica um torcedor(?) ter atirado um copo no gramado no fim do jogo. Erro grotesco que, anotado na súmula do jogo (a confirmação veio nesta segunda), pode e deve render punição ao clube blumenauense.

Amorim também relatou na súmula que foi ofendido por dirigentes do Metropolitano. Agora, o TJD deve julgar o caso. E o clube, que brigou muito nas últimas semanas para manter seus jogos no Sesi, e contou com a boa vontade da Fiesc (que mudou o cronograma nas obras da pista de atletismo) para isso, agora pode botar tudo a perder pelo destempero de um único torcedor.

Aliás, que na minha opinião não merece ser chamado assim, de torcedor. Com todo respeito aos demais que foram ao Sesi domingo e fizeram uma bela festa (mas não perdem a mania de ir embora 15 minutos antes de o jogo acabar), este cidadão que fez isso é um imbecil, um desmiolado e egoísta, que não sabe controlar os poucos neurônios e coloca o bem comum em risco por causa de seus atos. Você, cidadão que fez isso e não teve sequer a dignidade de se identificar, deve desculpas a todos que gostam e torcem de verdade pelo futebol blumenauense pelo estrago que fez. Você causou um provável prejuízo enorme ao clube que supostamente torce e prejudicou a diversão de tantos outros que, diferente de você, sabem se controlar. E que agora provavelmente terão que ver o Metrô longe de Blumenau (pra variar) em um ou mais jogos.

Arbitragem em SC é péssima, vai errar com frequência e muito até o fim do Estadual (e no próximo, e no próximo…). O que não dá é para admitir que hoje em dia pessoas como essa sabotem o clube porque não conseguem controlar os nervos.

Torço para que o Metropolitano consiga evitar a punição nos tribunais, mas não acredito. Como também duvido que uma suposta representação do Metrô contra Célio Amorim por tudo que aconteceu domingo vá surtir algum efeito prático. Clubes pequenos como o Metropolitano precisam é ter mais representatividade política dentro da Federação, para, aí sim, ter condições de, por exemplo, vetar nomes como o desse árbitro em jogos do clube. Só esbravejar diante das câmeras não adianta nada e ainda pode render punição também. Aliás, lição que os nossos dirigentes custam a aprender.

Em tempo: Célio Amorim está fora da próxima rodada, quarta-feira. Oficialmente, apenas não teve sorte na bolinha (estava no sorteio de Chapecoense x Figueirense, mas Zé Acácio da Rocha levou). Paulo Henrique Godoy Bezerra apita Criciúma x Metropolitano, no Heriberto Hülse.

Resumo da 5ª rodada do Catarinense

30 de janeiro de 2011 99

Meu destaque na rodada é para o jogo que assisti, o do Sesi. Vamos a ele:

A chuva atrapalhou e Metropolitano e Avaí foi um jogo ruim no Sesi (o primeiro 0 a 0 do campeonato). Mas não foi só ela, a chuva, a culpada. Ao time da casa, faltou um pouco mais de coragem diante de um Avaí visivelmente pressionado desde os primeiros minutos pela situação desastrosa na tabela. O Metrô respeitou demais o Leão, no segundo tempo mesmo pouco atacou. Jonatas, enquanto esteve em campo, mal foi notado. O garoto Artur também foi discreto, e dele muito se espera. A verdade é que um pouco mais de presença no ataque poderia ter resultado em maior sorte para o Verdão. E o goleiro Flávio, mais uma vez, foi o destaque do jogo.

O Avaí, definitivamente mal das pernas, deu adeus ao turno, apesar do primeiro pontinho conquistado. Por incrível que pareça, isso tem um lado bom para a torcida azurra. Ao menos agora, poderá arrumar a casa sem tanta pressão para entrar forte no returno, quando precisará do título para seguir sonhando com o tri estadual. Se, sem a tal pressão, conseguir bons resultados contra o Joinville, na quarta, e no clássico da Capital, domingo, pode mudar completamente o clima pelos lados da Ressacada.

Mas o jogo de Blumenau, outra vez, foi marcado pela arbitragem. Célio Amorim deu calafrios na torcida local o tempo todo, todos esperavam pelo momento no qual ele prejudicaria o Metrô (afinal, já tinha operado o clube no mesmo estádio, contra o mesmo adversário, em 2010). Era esse o sentimento no Sesi. E, após vários pequenos erros, o pior veio no fim, num pênalti inexistente marcado em Marquinhos aos 43 minutos do 2º tempo. Balde de água fria no Verdão, igualzinho ao jogo de Chapecó, quarta passada. Diante das vaias das arquibancadas, Marquinhos mostrou que a fase é negra no Leão mesmo e  isolou a cobrança (será que foi por vergonha?). O Metrô ainda terminou o jogo com nove jogadores, saiu de campo revoltado com a arbitragem, mas é preciso admitir que, lambanças e poças à parte, o time não foi bem. Há o que conversar e melhorar.

Sobre arbitragem, há pouco de novo a falar, estamos sempre nos repetindo. A arbitragem catarinense é muito fraca, nomes como Célio Amorim erram em todos os jogos, mas nada acontece (vocês lembram de alguém punido, como ocorre por exemplo no Brasileirão?). Isso que o presidente Delfim estava no Sesi, viu tudo (ou pelo menos deveria ter visto). Vai mudar alguma coisa? Vocês sabem que não. A diretoria do time blumenauense, preocupada em não se indispor com a Federação (e infelizmente está certa), não reclamará, ou reclamará moderadamente, para constar, e ficaremos por isso mesmo. Até a próxima arbitragem lamentável ganhar espaço aqui novamente.

E os outros jogos da rodada?

Sábado, o Figueirense, como eu esperava, não encontrou a moleza que todos acreditavam diante do Concórdia. Os gols só vieram na etapa final, e até o primeiro, um golaço de Maicon, o jogo era complicado. Depois disso, méritos ao jogador alvinegro, a porteira abriu e o 3 a 0 foi justo. O time do Meio-Oeste é curioso: se o futebol tivesse apenas 45 minutos, só teria perdido um jogo até aqui, para o Metropolitano. Mas como são dois tempos, o time desanda completamente na etapa final. O Figueira, agora o único invicto, caminha para ser o melhor do turno, por enquanto vai fazendo a parte dele.

Na Arena, aniversário de 35 anos do JEC, muita chuva (o jogo quase foi adiado) e vitória justa sobre a então líder Chapecoense do tricolor. Foi um belo jogo, apesar das dificuldades. O Verdão do Oeste não se intimidou e o time da casa mostrou força, fica cada vez mais claro que a saída de Leandro Machado mudou os ares por lá. O time do Norte do Estado volta ao páreo pelas vagas nas semifinais do turno. A chapecoense, apesar da primeira derrota, segue lá.

Nos jogos que fecharam a rodada neste domingo à noite, emoção em Itajaí no duelo do Vale entre Marcílio Dias e Brusque. No fim, um 2 a 2 com gosto de derrota para os visitantes. O time de Paulo Turra sobrava em campo, vencia fácil por 2 a 0 quando, já no 2º tempo, teve um pênalti a favor, o segundo no jogo. Téti, artilheiro do Estadual com seis gols (já havia convertido a primeira cobrança), desperdiçou e colocou o Marinheiro, de novo no jogo. Com duas expulsões, o Brusque recuou, viu o Marcílio empatar e só não virar porque também já faltavam forças aos jogadores do rubro-anil. Reação com méritos táticos ao técnico Gelson Silva e à raça do time, mais uma vez. O Brusque, com muito mais qualidade, vacilou e deixou outra vitória escapar. No primeiro jogo contra adversários diretos (nas primeiras rodadas o time s enfrentou os quatro grandes), deu mostras da superioridade, mas também de seus defeitos. Se arrumar a casa (Paulo Turra balança por não conseguir fazer o time render, mas a diretoria garantiu após o jogo que segue com ele), tem tudo para deslanchar na semana que enfrenta Imbituba e Concórdia. Já o Marcílio segue dependendo da raça para buscar algo mais. E aqui um registro justo: num jogo cheio de lances polêmicos, três pênaltis e três expulsões, por exemplo, o árbitro Raimundo da Luz Nascimento foi muito bem, acertou em todos os lances capitais.

Por fim, o duelo do Sul entre Imbituba e Criciúma. Jogar no Emília Mendes não é fácil, desde o ano passado todo mundo que acompanha o Estadual sabe disso, mas confesso que esperava mais do Tigre. O jogo foi ruim, cheio de chutões e com poucos lances de perigo, e aí tivemos o segundo 0 a 0 do Estadual na mesma rodada. O Zimba, animado pela vitória na Ressacada, foi para cima tentando acuar o Tigre. Aos poucos os visitantes foram tirando o ímpeto adversário, mas sem lá muito entusiasmo, também pouco assustaram. O Imbituba não almeja nada demais mesmo, empatar com o Tigre até dá moral para o trabalho do Müller por lá. Mas ao Criciúma parece qua falta algo para o time de Guilherme Macuglia engrenar. Salvou-se da derrota em Brusque nos acréscimos e neste domingo novo empate, agora sem gols e sem graça, com um adversário reconhecidamente mais fraco. Tem 8 pontos e está na briga pelas semifinais, mas ainda não convenceu de que merece a condição de um dos favoritos ao título, na qual foi colocado por muita gente (inclusive por mim).

Comente Metropolitano x Avaí

28 de janeiro de 2011 13

Domingo o blog acompanha em tempo real o jogo entre Metropolitano e Avaí, no Sesi. A bola rola às 17h, mas antes disso você já pode participar, mandando seu comentário ou pergunta.

Após o jogo de Blumenau, segue o Catarinense, com o duelo do Vale entre Marcílio Dias e Brusque, em Itajaí. E você também vai poder participar.

Enquanto a bola não rola, confira os palpites da 5ª rodada do Catarinense:

Palpites da 5ª rodada do Catarinense

28 de janeiro de 2011 27

Depois da atuação do meio de semana (confiram aqui), acertando 4 jogos, 3 com resultado exato, a pressão está grande sobre este humilde blogueiro nesta rodada do Catarinense. Mas vamos lá. Quem quiser participar, concordar ou atirar pedras, já sabe como funciona a brincadeira:

Sábado

Figueirense 2 x 0 Concórdia

Joinville 3 x 2 Chapecoense

Domingo

Metropolitano 2 x 1 Avaí

Marcílio Dias 1 x 1 Brusque

Imbituba 1 x 2 Criciúma

- Lembrando que o blog acompanha domingo, em tempo real, Metropolitano x Avaí. E mais tarde também os principais lances de Marcílio Dias x Brusque.

Ah, e já viu quem apita o jogo do seu time? Então confira aqui a escala de arbitragem da 5ª rodada. Olho neles!!!

Crise no Avaí?

27 de janeiro de 2011 68

Essa você não esperava, caro leitor, seja sincero. O Avaí, precisando de reação, perder em casa para o Imbituba é a zebraça do Catarinense 2011 até aqui.

É crise no Avaí?

E o pior é que, pelo que leio (não pude ver o jogo inteiro), não foi exatamente uma injustiça. O Zimba soube explorar a situação, jogou fechadinho e num contra-golpe foi lá e matou o jogo (e foi um belo gol, mais uma vez com uma “participação especial” do goleiro Zé Carlos). Méritos ao time do Sul, certamente é a vitória salva emprego do técnico Müller.

E o do Vagner Benazzi, como fica? O artífice da reação espetacular que manteve o Leão na Série A na reta final de 2010 está por um fio. Ele garante que fica, e eu até concordo com os argumentos dele: diz estar montando um time pensando na temporada, e um começo desses, onde claramente o time titular entrou antes do planejado, numa tremenda fria, não pode colocar tudo a perder. Minha opinião: pelo que Benazzi fez pelo clube no Brasileirão, merece esse crédito da torcida e, principalmente, da diretoria, para mostrar que pode dar a volta por cima (até porque vai trazer quem agora?). Porém, mais um tropeço domingo, entrando em semana de clássico, aí vai ficar difícil segurar. E tem outra: cá entre nós, não é hora de ter a arrogância de dizer que “quem não tem paciência comigo é burro”. Aí fica complicado, Benazzi…

A torcida protestou, pediu raça, e está no seu direito (afinal, pagou R$ 50 para ver o jogo, o mínimo a que tem direito é não gostar do que viu). Quatro derrotas seguidas não estavam nos planos, mas as três primeiras até tinham alguma explicação. Já essa, com time completo, fica difícil argumentar muito. Aquele chavão bem surrado do futebol, de que “agora é hora de falar pouco e trabalhar muito” cai como uma luva no momento azurra.

E é esse Avaí, sob enorme pressão, que vem ao Sesi domingo enfrentar o Metropolitano. Jogando matematicamente suas últimas fichas no turno. Imaginar o time azurra lá na rabeira por muito mais tempo é delírio permitido apenas aos torcedores rivais, e olhe lá. A reação virá, mais cedo ou mais tarde. Mas a matemática é impiedosa: qualquer resultado que não seja vitória contra o Metrô enterra o Avaí no turno, obrigando o Leão a vencer o returno para manter vivo o sonho do tricampeonato.

Confira aqui, pra quem ainda não viu, o post de ontem, com o resumo dos outros jogos da 4ª rodada.

Arbitragem volta a "brilhar"

27 de janeiro de 2011 43

Foi uma grande rodada. Belos jogos, muitos gols, mantendo a belíssima média do Estadual até aqui. A lamentar apenas que, até demorou, é verdade, mas a arbitragem voltou a ser protagonista. E quando isso acontece, não é nada bom. Em Brusque, em Chapecó e em Itajaí as reclamações foram imensas pra cima das figurinhas carimbadas PH Bezerra, Jefferson Schmidt e célio Amorim, respectivamente. O futebol catarinense melhora notadamente dentro de campo, mas precisa urgentemente de renovação no quadro de árbitros.

No Augusto Bauer, um belo jogo de duas equipes fortes. O Brusque virou na etapa final, quando apostou na entrada de Aloísio, que mudou o jogo. Marcou um, o primeiro dele pelo Bruscão, o outro foi do artilheiro do campeonato, Téti, de pênalti. O time da casa reclamou muito do pênalti que originou o primeiro gol do Tigre, de Lincom (gols em todos os jogos até aqui). Não vi o lance, mas já li relatos, inclusive de Criciúma, opinando que não foi. De qualquer forma, o empate seria mais justo, pelo que se viu em campo, e ele veio aos 48 da etapa final. Crueldade com a torcida brusquense, mas foi o resultado justo. Aposto nas duas equipes brigando pela vaga na semifinal do turno.

Em Itajaí, o Figueirense saiu perdendo do empolgado Marcílio Dias, mas buscou o empate em 1 a 1. Perdeu a liderança e a paciência com a arbitragem (foram muitos cartões para o Figueira, além do gol anulado (aguardo opiniões, mas já li gente defendendo que não foi falta). Foi um bom resultado para o Marinheiro, que também reclamou muito de lances duvidosos (um pênalti que eu achei que foi) e sobretudo da falta de critério do Sr. Célio Amorim. Mas no fim das contas o time do Litoral ganha moral pra reagir na tabela após ter saído de duelos com JEC e Figueira com quatro pontos. O Figueira tem tudo para voltar a vencer sábado, quando pega o saquinho de pancadas oficial do Estadual, o Concórdia, no Scarpelli. Estará na semifinal do turno. Essa eu banco.

E em Chapecó? Jefferson Schmidt conseguiu desagradar a todo mundo. Primeiro, os donos da casa. Reclamaram demais de dois pênaltis não marcados (um eu achei que foi, a bola vai na mão de Téio em lance “marcável”. Aí, sob pressão enorme dos jogadores do Verdão do Oeste e da torcida que lotou e fez uma festa espetacular no Índio Condá, não deu outra: Aloísio caiu na área e ele marcou pênalti aos 43 da etapa final. O próprio foi lá e fez o gol da vitória. No fim, assumiu diante dos microfones dos repórteres, corajoso ou inocente, que cavou a penalidade, sentindo que o árbitro marcaria. O resultado no fim das contas foi justo ao time que mais procurou. Mas foi um jogo interessante, as duas equipes mostraram qualidades. Sobre o Metrô, repito frase que escrevi para a coluna impressa do Santa aqui em Blumenau: faltou malandragem para a garotada na hora decisiva, para perceber que a pressão resultaria num pênalti em qualquer lance na área. Futebol também é feito disso, às vezes vence simplesmente quem é mais esperto. Ficou a lição ao jovem elenco verde, certamente. Mas o time mostra a cada rodada (e esse foi até aqui o desafio mais difícil) que tem potencial. E o Verdão do Oeste lidera e com chances enormes de se garantir na semifinal do turno. Enormes mesmo.

E em Concórdia o momento mais inacreditável do campeonato até o momento (e dificilmente será superado). O Concórdia foi para o intervalo batendo o Joinville por 3 a 0, o tricolor ainda mais humilhado após as duas derrotas já sofridas anteriormente, que derrubaram o técnico Leandro Machado. Mas aí, algo incrível aconteceu. Não sei se a preleção do estreante técnico Giba foi a mais empolgante de todos os tempos, se ele jurou fazer os jogadores voltarem a pé pra Joinville se não reagissem, ou se o Concórdia ficou no vestiário aproveitando o chuveiro quentinho. Não houve expulsões em série (aliás, houve só uma, quando a coisa já estava decidida), não há uma justificativa aceitável para o apagão do time da casa. Logo, o JEC fez história ao empilhar gols na etapa final de forma memorável e virar para 6 a 3. Sinceramente, não lembro de outra virada parecida (teve aquela do Vasco sobre o Palmeiras, mas foi de 3 a 1 pra 4 a 3 no 2º tempo, se não me engano. Resultado mais do que suficiente para dar a moral que o tricolor precisava para reagir na tabela. E o Concórdia, com todo o respeito, mostrou que a tendência é mesmo descer a ladeira em alta velocidade. Pelo jeito o técnico Luiz Muller percebeu isso e pediu para sair. Ah, e aqui, já que o tema do post é arbitragem, justiça seja feita ao José Acácio da Rocha, pois de lá ao menos não chegam relatos de lambanças que interferiram no resultado.

E fechando a rodada, o post da zebraça da Ressacada tá aqui, ó. Confiram.

Pra terminar, uma flautinha: recomendo aos leitores do blog que deem uma espiadinha aqui nos meus palpites da rodada. Juro que os números da Mega Sena acumulada eu não tenho, viu.

Comente Chapecoense x Metropolitano

26 de janeiro de 2011 10

Jogo começa às 20h30min na Arena Condá, em Chapecó, e coloca frente a frente dois times ainda invictos no Estadual. Acompanhe aqui, comente e mande suas perguntas. Também acompanho os outros jogos da noite: Brusque x Criciúma, Concórdia x Joinville e Marcílio Dias x Figueirense.

Enquanto a bola não rola, confiram aqui os palpites da rodada

Palpites da 4ª rodada do Catarinense

25 de janeiro de 2011 46

E lá vamos nós para mais uma rodada do Catarinense que começou muito bem, com média de gols alta e times mostrando qualidade. Abaixo, os palpites. Quem quiser participar, já sabe como.

Quarta-feira

Brusque 2 x 2 Criciúma

Concórdia 1 x 2 Joinville

Chapecoense 1 x 0 Metropolitano

Marcílio Dias 1 x 1 Figueirense

Quinta-feira

Avaí 3 x 0 Imbituba

PS: Alô, torcida do Criciúma que anda se sentindo perseguida: notem que o espaço dado no post foi igualzinho para todos, viu.

Primeiro balanço do Catarinense 2011

23 de janeiro de 2011 61

O Catarinense 2011 fechou neste domingo a terceira rodada do turno. E já é possível tirar algumas conclusões. Vejam aí se concordam comigo:

No quesito decepção, seria moleza apontar o Avaí, mas para mim, de fato, a grande decepção até aqui é o Joinville. Suou para vencer o Brusque na estreia (os brusquenses reclamaram muito da arbitragem), e depois lavou aquela trauletada do Figueirense no Scarpelli. Neste domingo, jogando na Arena, foi dominado pelo Marcílio Dias, que mereceu a vitória por 2 a 0, a primeira na competição. O JEC em nenhum momento poupou titulares, como o Avaí, e claramente tem problemas extra-campo. Não me admira, portanto, que o técnico Leandro Machado tenha inaugurado a lista de demitidos no Estadual.

O Avaí complicou-se no turno. Fez uma opção legítima por priorizar a pré-temporada do grupo principal, visando ao restante da temporada. Só que a garotada foi muito mal, forçando a antecipação da estreia do grupo principal neste domingo. E aí, numa tremenda fria, o Leão foi presa fácil para o Tigre no Heriberto Hülse. Ressalto que perder para o Criciúma lá não é demérito pra ninguém, portanto o resultado é normal. Mas o Avaí foi mal, visivelmente sem ritmo, e ainda pra completar o goleiro Zé Carlos falhou nos dois gols do Tigre. Lanterna com três derrotas, só com uma arrancada fantástica daqui por diante ainda brigará por alguma coisa no turno. Ou seja, provavelmente terá que apostar tudo num título do returno, se é que ainda quer o tricampeonato estadual (e obviamente quer).

O Figueirense comprova a condição de favorito até aqui. Duas goleadas em casa e a liderança no saldo. Se é cedo para falar em resultados, não é para dizer que o alvinegro está jogando o melhor futebol, com um time rápido e insinuante, com vocação ofensiva. E, como eu já havia cantadoa pedra antes de o campeonato começar, o jovem Breitner já botou o experiente Fernandes no banco. Seria questão de tempo.

Metropolitano e Chapecoense aproveitaram bem a esperada condição dos chamados pequenos de largarem melhor, com melhor prepração física e entrosamento. Lideram, ao lado do Figueira, com sete pontos. Neste domingo, o time de Mauro Ovelha perdeu os 100% de aproveitamento e teve muita dificuldade para empatar com o Imbituba no Sul do Estado, mas já mostrou que brigará na parte de cima da tabela. Já o Metrô venceu a segunda seguida. Voltou a mostrar qualidade nos 2 a 0 sobre o Concórdia. E não foi só pelo fato de o atacante Jonatas ter marcado os dois e chegado aos quatro na ponta da tabela de artilheiros, ao lado do brusquense Téti. O time de Joceli dos Santos (outra vez) encanta no conjunto, com bons jogadores nas posições cumprindo exatamente o que ele pediu. O Metrô animou a torcida, que já quer sonhar com algo mais que a vaga na Série D do Brasileiro. E o time vai mostrar se pode ou não oferecer isso nos próximos jogos, quando enfrenta, na sequência, Chapecoense, Avaí e Criciúma. E tem ainda a lamentável questão do Sesi. O clube decide nesta semana se poderá jogar ou não no estádio nas rodadas finais e numa eventual fase final de turno.

O Criciúma tem time para brigar pelo título. E ele ainda está sendo reforçado.

O Brusque foi corajoso no Scarpelli, até por isso tomou cinco. Mas precisa arrumar algumas coisas para confirmar a condição de time que quer brigar na parte de cima da tabela. A defesa, por exemplo. Mas uma coisa precisa ser ressaltada: até aqui só pegou times apontados como favoritos (JEC, Avaí e Figueirense). A tendência é de subida daqui por diante.

O Marcílio Dias mostrou que tem a chamada “vergonha na cara” na vitória sobre o JEC. Após muitas críticas, jogou sério, teve méritos na vitória. Reforços ainda vão chegar, o que dá mais ânimo ao torcedor rubro-anil. Seguir brigando dessa forma, o Marcílio certamente não ficará brigando lá embaixo.

Concórdia e Imbituba, apesar de alguns bons momentos, se consolidam como candidatos ao rebaixamento.

Acompanhe Metropolitano x Concórdia

21 de janeiro de 2011 1

O blog vai acompanhar todos os lances de Metropolitano x Concórdia, domingo, às 17h, no Estádio do Sesi. Acompanhe comigo, comente e participe da transmissão. E assim que acabar o jogo no Sesi, o blog segue no ar comentando todos os lances da terceira rodada do Catarinense (que será toda domingo) e o que rolar nos jogos que fecham a rodada, Figueirense x Brusque e Joinville x Marcílio Dias.

Enquanto a rodada não começa, confira os palpites do blog para o domingo.