Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de abril 2011

Palpite da final do returno do Catarinense

29 de abril de 2011 6

Demorou, mas eis que surjo para dar pitaco na grande final do returno do Catarinense 2011. O Criciúma aguarda ansioso pela definição do adversário na finalíssima do Estadual. E ele vai sair de um Índio Condá que vai ferver, domingo, na decisão entre Chapecoense e Avaí.

Difícil, muito mesmo, opinar sobre um favorito. Pelo que a Chape jogou até o momento no Estadual e pelo poder de reação que o Avaí mostrou no clássico do Scarpelli, finalmente dando as caras no campeonato. No papel, o Avaí é melhor. Mas o Verdão do Oeste tem um time tinindo, com o melhor jogador do Catarinense na minha opinião (Aloísio) e com a vantagem de jogar em casa (e lá a torcida faz diferença) e pelo empate.

E esse pra mim parece um fator primordial. Sem delongas, meu palpite para a final é:

Chapecoense 1 x 1 Avaí

Logo, Verdão campeão do returno e na final com o Tigre. Não que, sinceramente, não ache nada improvável o Avaí voltar de Chapecó campeão e finalista.

Bom, diferente de todo o Estadual até aqui, e como também vivemos momentos decisivos em outros estaduais importantes, farei de outro jeito dessa vez. De “brinde”, vão aqui meus palpites para as decisões dos outros estaduais mais importantes:

Carioca

Vasco 2 x 0 Flamengo (vai ter final)

Paulista

São Paulo 1 x 2 Santos

Palmeiras 1 x 1 Corinthians (Verdão leva a vaga à final nos pênaltis)

Gaúcho

Internacional 3 x 1 Grêmio (vai ter final)

Todo mundo já sabe. Caso queiram opinar, concordar, discordar ou mandar os seus palpites, é só participar.

Sobre os finalistas do Catarinense

28 de abril de 2011 6

Pronto, fim de férias fora de época (praticamente uma micareta). O blogueiro está de volta, e nesse primeiro post para atualizar a situação dos três finalistas do Catarinense sob meu ponto de vista:

Primeiro, quem está só de camarote, esperando pela definição do adversário na final. O Crociúma confirmou Edson Gaúcho para o lugar de Guilherme Macuglia. Achei uma boa solução da diretoria. Faz tempo que digo aqui que o Tigre precisava cuidar agora para não ser mais uma vítima da síndrome do campeão do turno. Garantido na final, fez um returno no sonolento e, independente de quem seja o campeão do returno, pegará um adversário que vem atropelando, enquanto o Tigre, digamos, entra frio.

Posto isso, a escolha do técnico foi positiva. Sem analisar as razões de Macuglia para sair (só acho que, hoje em dia, trocar o futebol catarinense pelo interior gaúcho é burrice, sem falar que, sob todos os aspectos, o Criciúma é muito maior que o Caxias), a solução encontrada pode evitar essa acomodação. Edson Gaúcho chega para ligar o Tigre na tomada a tempo de entrar energizado nas finais. Tem identificação com o clube e pode criar essa onda (com a ajuda da torcida) para que o time entre ao menos em condições de igualdade com o adversário, que por ter ganho o returno uma semana antes já entrará mordendo. Só não sei se para a Série B (aposto no Tigre como candidato seríssimo ao acesso) foi uma boa escolha. Mas vá lá, Edson Gaúcho já levou o Tigre à elite uma vez e merece esse voto de confiança.

A Chapecoense, pelo que construiu até o momento, é favorita na final contra o Avaí, domingo, no Índio Condá que estará apinhado de torcedores. Mas favoritismo, muito menos campanha, garantem algo agora. O que vale são os 90 minutos em campo e o time verde precisará lutar contra o que esse tal favoritismo pode pesar contra. Já disse aqui outras vezes: Mauro Ovelha, um técnico que há tempos é merecedor de um título importante, nunca esteve tão perto de acabar com a sina de vice-campeonatos (são dois com o Ibirama, 2005 e 2006, e os dois últimos, ambos contra o Avaí, pela própria Chapecoense em 2009 e pelo JEC em 2010). Vencer os próprios traumas me parece o grande desafio desse momento para Ovelha e a Chapecoense. É favorita, sim, mas o Figueirense também era na semana passada.

E aí chegamos ao Avaí. O time azul sempre teve pecha de favorito ao título sem em nenhum momento nesse Catarinense merecê-la. Até domingo, quando mandou pras cucuias o Figueirense em pleno Scarpelli. O Avaí ressurgiu ali, encarnou finalmente a força de quem briga pelo tricampeonato estadual. E colocará tudo isso em prova no jogo do Índio Condá. Na estreia do returno, tomou um vareio de bola lá. Aliás, perdeu os dois jogos para o Verdão no Estadual. Mas agora inegavelmente a realidade é bem diferente. Se jogar bola para se impor, mesmo no caldeirão adversário, tem chances consideráveis de levar o returno e entrar muito forte na final.

E, estando na final do Catarinense, tem ainda o fator Copa do Brasil a ser levado em conta pelo Avaí. O Leão vai encarar o São Paulo, um dos favoritos ao título, e nesta quinta a CBF definiu que o primeiro jogo será na quarta, dia 4, no Morumbi, e a decisão dia 12, quinta-feira, na Ressacada. Dividir-se neste momento decisivo, onde me parece impossível priorizar algo, as duas coisas são muito importantes, pode pesar contra o time da Ilha? Na Copa do Brasil tem ainda a questão das punições pela pancadaria ao final do jogo com o Botafogo na Ressacada. E aí o primeiro jogo diante do tricolor no Morumbi não me pareceu bom negócio. O São Paulo respeita o avaí e o fator Ressacada e sabe que tem uma chance de ouro de, diante de um adversário muito desfalcado, construir a classificação em casa. Ou seja, ao Avaí resta jogar no Morumbi para trazer a decisão para Floripa. tudo isso, em tese, entre as finais do Estadual. Se a Chapecoense permitir, claro.

O Criciúma me parece o grande beneficiado disso tudo.

Blogueiro no Bola nas Costas da Atlântida

26 de abril de 2011 3

Meio demorado, eu sei. Mas é que estive afastado do blog na semana que passou em função de uns dias de folga, expliquei a vocês, lembram? Pois é, segunda passada estive participando em Floripa do programa Bola nas Costas, da Rede Atlântida, com o amigo Marcos Castiel (também blogueiro aqui da RBS) e com os comunicadores Bola e Helton Luis. Figuraças. E convidados. O vídeo do programa, cortesia do André Podiacki (valeu!) só consegui colocar agora aqui. quem quiser ainda dar uma espiada, à vontade. Prometo em participações futuras neste ou em outros programas ser mais ágil na interação aqui no blog.

Avaí apareceu na hora decisiva

24 de abril de 2011 10

Até o torcedor avaiano sabe que o time não havia engrenado ainda na temporada. Não havia. Porque na hora da verdade, quando as coisas realmente se definem, o time da ilha deu as caras. Devolveu com juros e correção aquela derrota na Ressacada na fase de classificação, passou à final do returno com méritos e, principalmente, despachou o arquirrival Figueirense do Catarinense 2011.

Dava pra aparecer em hora melhor?

Não que o Avaí não tivesse feito nenhum bom jogo na temporada. O que faltou ao Leão até aqui foi regularidade. Mas foi muito bem na decisão no Scarpelli, um 2 a 0 sem contestação pelos relatos que me informam (relembro aos que estão sempre pelo blog que sigo de folga e não vi os jogos das semifinais). Teve uma semana espetacular, eliminando o Botafogo na Copa do Brasil buscando uma reação e agora entrou de vez na briga pelo tri estadual ao mandar o Figueira pra casa. Sobre o alvinegro, decepcionou nas duas horas decisivas que teve no Estadual, as duas em casa. Era meu favorito ao título desde antes de o Estadual começar, mas sem dúvida fracassou. E tem outra: se a derrota para o Tigre na final do turno derrubou o Márcio Goiano, essa derrota para o Avaí ameaça Jorginho? Na minha opinião, ele não é técnico para o clube no Brasileirão. E agora resta arrumar a casa para o Nacional, daqui a menos de um mês.

E esse Avaí, fortalecido na reta final, a rigor novamente não é favorito diante da Chapecoense na final do returno, domingo que vem, no Índio Condá. O Verdão do Oeste passou sem dificuldades pelo Joinville, sobrou no returno e é favorita, sim, à vaga na final do Estadual contra o Criciúma. O Avaí terá que buscar a superação mais uma vez. Mas isso está longe de ser algo impossível. Será uma final fantástica, do melhor time do campeonato contra o favorito ao título que apareceu só na hora decisiva.

Palpites das semifinais do returno

22 de abril de 2011 11

Sexta-feira Santa, feriadão prolongado, mas os palpites não poderiam faltar. Ainda mais em etapa tão decisiva. A vantagem do mandante é enorme nesta etapa do Estadual, coisas do regulamento (todos assinaram). Então, é natural colocar na conta dos mandantes um certo favoritismo. quem quiser concordar, discordar, argumentar ou apenas mandar os seus palpites, já sabe como fazer:

Chapecoense 2 x 1 Joinville

O Verdão é muito forte no Índio Condá e vai tentar se impor, óbvio. O JEC só pode reverter esse favoritismo adversário se contar com uma jornada inspirada da dupla Ramon e Lima. Curiosidade: a semifinal já é uma prévia do duelo que deve valer vaga no grupo da morte da Série C do Brasileiro.

Figueirense 2 x 2 Avaí

Apostar em empate no clássico da Capital não é ficar em cima do muro, fazer média. É uma questão de estatística. O equilíbrio é muito grande entre os rivais. Sorte do Figueira, que leva a vantagem de poder empatar em casa. Na minha opinião, vantagem suficiente para ir à final.

Metrô e Brusque: pedreira na Série D

21 de abril de 2011 3

É só em agosto, mas seria recomendável começar a pensar com carinho desde já. Brusque e Metropolitano vão representar Santa Catarina no Brasileiro da Série D. Ambos precisarão passar por reformulação grande até lá, uma vez que não foram bem no Estadual.

Santa Catarina tem uma peculiariedade. Aqui, sete dos 10 participantes do Estadual estão em alguma série do Brasileiro. É muita coisa! Mas aí clubes que não foram bem entram no nacional contra clubes de outros estados que fizeram boas campanhas, mesmo pequenos, e por isso estão lá. Junte a isso a regionalização dos grupos, o que torna as chaves do Sul/Sudeste finais antecipadas.

Em resumo, a dupla do Vale terá pela frente uma tremenda pedreira, é bom se preparar o quanto antes para encará-la.

São vários os clubes já classificados para a Série D (dá pra conferir e acompanhar a situação neste blog que acompanha de perto a Quarta Divisão). Hoje, focando apenas nos grupos nos quais podem atuar os times do Vale, já estão garantidos:

RS - Juventude (rebaixado da Série C), Cruzeiro (campeão do interior no Gauchão) e Cerâmica (classificado na Copa Enio Costamilan 2010). Cerâmica ainda pode abrir mão da vaga.

SC - Brusque (classificado pelo Catarinense) e Metropolitano (classificado pela Copa SC 2010).

PR - Operário (melhor do interior no Paranaense). A segunda vaga será disputada entre Cianorte e Arapongas.

SP – Mirassol e Oeste (melhores no Paulistão).

São todos times fortes (alguns passarão por desmanche pós-estadual, naturalmente. Mas é obrigação da dupla do Vale se preparar para encarar como quem quer um lugar ao sol no futebol brasileiro. Se for pra “só participar”, aí com certeza não passam nem da primeira fase, e aí vale até repensar pra que jogar dinheiro fora. É melhor nem ir.

Avaí precisa se impor na Ressacada

20 de abril de 2011 1

Quarta-feira de decisão para o Avaí. Aliás, a primeira das grandes decisões que o Leão encara na semana.

Após o empate em 2 a 2 no Engenhão, é matemático o favoritismo azurra diante do Botafogo, na Ressacada. Mas dentro das quatro linhas ele significa muito pouco.

O adversário vem mordido, tem tradição e chega pressionado a tentar salvar o semestre, após a eliminação vexatória no Carioca. O Botafogo é um bom time, é importante que o Avaí o respeite, mas não tem porque temê-lo. Se conseguir se impor, usando o fator casa e a pressão da torcida, mas principalmente dentro de campo, pode usar a boa vantagem que tem nas mãos: pode empatar em 0 a 0 ou 1 a 1.

O que é bem diferente de “jogar pelo empate”, ou “para empatar”. Geralmente, que faz isso, perde.

O Avaí é favorito esta noite diante do Botafogo. E isso está longe de ser um menosprezo ao adversário. É questão de bola, e essas questões precisam ser decididas lá, dentro de campo. Se o Leão fizer isso, colocará Santa Catarina nas quartas de final da Copa do Brasil.

PS: Como estou fora durante a semana (já expliquei em post anterior), não poderei assistir ao jogo do Leão hoje à noite, e possivelmente não poderei postar após a partida. Se der, prometo tentar ao menos deixar um comentário.

Um aviso aos navegantes do blog

19 de abril de 2011 3

Recadinho rápido aos leitores:

Durante esta semana estarei um pouco afastado do blog. Uma folga merecida e uma viagem com a família. Logo volto, não se preocupem.

Até a próxima segunda-feira (dia 25), é possível que esse espaço fique um pouco, digamos, abandonado. Não sei se terei internet à disposição para blogar. Alguns posts entrarão no ar pois ficarão programados, mas os comentários talvez demorem um pouco mais para ser moderados e liberados. Mas não deixem de participar.

Um grande abraço a todos

Rodrigo Braga

O fracasso do Vale no Catarinense 2011

18 de abril de 2011 9

Comentário publicado na edição dessa segunda-feira do Jornal de Santa Catarina:

Esse comentário não é apenas sobre o Metropolitano. Avalia a participação do trio do Vale no Catarinense 2011. Estão todos fora, Metrô, Brusque e Marcílio Dias. Todos foram coadjuvantes, em nenhum momento almejaram algo significativo. Com uma única diferença: os times de Blumenau e Itajaí fizeram o que deles se esperava, ou seja, nada. Mas o Brusque de certa forma decepcionou. Investiu, fez um bom time no papel, mas não engrenou. Na reta final, quando até empolgou, perdeu os dois últimos jogos, inclusive mandando pelos ares uma invencibilidade de mais de ano em casa.

O futebol do Vale vive uma fase ruim. Pouco investimento (salvo alguns abnegados) e o resultado é o encolhimento da região no cenário estadual. É a que possui mais times na elite, mas todos fazendo figuração. É preciso fazer alguma coisa para reverter isso.

Se não houver a Copa SC (o que ainda é bem provável), o ano acabou domingo para o Marcílio Dias. Se houver a Copinha, será um campeonato deficitário e que não vai acrescentar nada. Brusque e Metropolitano começam hoje a pensar na Série D do Brasileiro, que começa em agosto. Enquanto um, o Metrô, precisa reavaliar o elenco, corrigir os muitos erros e, sem sombra de dúvida, mudar muita coisa, cabe ao Bruscão debater se vale a pena manter a fórmula de figurões, que inegavelmente fracassou. Aloísio veio e marcou dois gols. Outros reforços de grife também não foram bem. O emparceiramento da dupla do Vale na Série D será pedreira, com times paranaenses e gaúchos fortes, incluindo aí o Juventude. Sem elencos de qualidade, mesmo que a competição seja deficitária (e é), vamos mais uma vez participar por participar, sem almejar nada.

Até quando será assim?

Há muito trabalho a ser feito para o Vale voltar a ser de forte no futebol de SC. Hoje, a decepção é grande. Para o torcedor daqui, o Catarinense acabou muito antes do tempo. E não deixou saudade alguma.

Importante: Nesta segunda-feira, dia 18, a partir das 20h, estarei na Rádio Atlântida pra todo o Estado, ao lado do parceiro Marcos Castiel e da turma do Programa Bola nas Costas, falando de Campeonato Catarinense e o que mais pintar. Não deixem de conferir!

Deu a lógica na semifinal do Catarinense

17 de abril de 2011 19

Não vi surpresas na última rodada do returno do Catarinense. Para confirmar isso, basta conferir os palpites que postei na sexta-feira para a rodada (veja aqui). Avançaram os melhores da fase, caiu para a Segundona quem mereceu. Vai ser emocionante a reta final do Estadual.

Com o Criciúma de camarote, só esperando pelo adversário na final, os outros quatro candidatos ao título vão brigar pelo returno. Chapecoense pinta como favorita, afinal dominou toda a fase e vai decidir semifinal e eventual final no caldeirão do Índio Condá. Na despedida da fase de classificação, deu mais uma demonstração de força batendo o Brusque no Augusto Bauer. O time da casa não perdia ali há 22 jogos (mais de um ano). Nunca, nunca mesmo, Mauro Ovelha teve tantas condições técnicas de acabar com a sina de eterno vice. O time é bom.

O adversário do Verdão do Oeste é o Joinville, que classificou-se após o empate em 2 a 2 com o Metropolitano, no Sesi. Jogou para o gasto, como o Brusque não venceu, não precisava fazer mais que isso. Outra vez, como no turno, avança em quarto. Diferente apenas que, naquele mata-mata com o Figueirense, tinha um time em frangalhos. Agora, ao menos, está acertado e pode, sim, surpreender se Lima e Ramon desequilibrarem. Mas não é favorito.

E o clássico, tão aguardado, está marcado. Ou Figueirense, ou Avaí. Só um deles vai sobreviver no Estadual após o domingo de Páscoa. Na última rodada, ambos atropelaram os rebaixados (Figueira 6 a 0 no Zimba; Avaí 4 a 0 no Concórdia). O alvinegro jogará em casa e com uma vantagem especialmente significativa: o direito de empatar. Num confronto tão equilibrado (oito empates nos últimos nove jogos), é muita coisa. O Leão, se quer de fato o tri estadual, terá que finalmente mostrar força de favorito, o que não fez até agora. E nem poderá priorizar o clássico a partir dessa segunda-feira, já que na quarta tem decisão com o Botafogo, na Ressacada, pela Copa do Brasil. E o adversário vem mordido, pois neste domingo foi vexatoriamente eliminado do Carioca.

Na parte de baixo (e aqui um detalhe: há muito tempo não havia um abismo tão grande entre grandes e pequenos no Estadual), o regulamento confuso acabou abafado, e a bola foi quem resolveu. Apesar do Tapetão, caíram os piores de fato, Concórdia e Imbituba. E o Metropolitano vai pra Série D do Brasileiro pelos próprios méritos, ficou à frente de Marcílio, Zimba e Concórdia. Sobre o trio do Vale, uma decepção. Há muito para mudar. O Brusque investiu para incomodar os grandes, mas em nenhum momento fez isso. Aloísio Chulapa fez dois gols e passou mais tempo machucado do que em campo. Metrô e Marcílio sem dúvida podem preparar uma barca monstro: são poucos, pouquíssimos, os que jogaram o Estadual e que merecem permanecer.

Importante: Nesta segunda-feira, dia 18, a partir das 20h, estarei na Rádio Atlântida pra todo o Estado, ao lado do parceiro Marcos Castiel e da turma do Programa Bola nas Costas, falando de Campeonato Catarinense e o que mais pintar. Não deixem de conferir!