Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

É tempo de faxina no Metropolitano

22 de agosto de 2011 9

Como bem disse a reportagem do Santa dessa segunda-feira (veja aqui), a viagem a longa e dá tempo para refletir bastante. No retorno de Cianorte (PR), o Metropolitano deve encaminhar o futuro.

Há muito o que encaminhar, por sinal.

O time decepcionou. Nos confrontos diretos que valiam a classificação, fracassos sucessivos e erros imperdoáveis. Notem que falo do time, não do clube. O clube (direção, parceiros), fez mais do que poderia, deu condições que poucos clubes na competição (se é que há algum) dão. Fora de campo, estava tudo funcionando, apesar das dificuldades. O fiasco foi dentro de campo. A culpa, nesse caso, é EXCLUSIVAMENTE de jogadores e comissão técnica.

Portanto, trata-se de um caso onde não é nenhuma falta de coerência propor uma faxina geral.

Poucos merecem ficar. Pra cumprir tabela na Série D (apesar das chances matemáticas, o futebol praticado não permite mais acreditar na vaga), que se coloque a base para jogar. Comprometimento sem dúvida será maior. Quem veio para aproveitar as condições que o clube oferece (certamente boleiros comentam isso entre eles) como se estivesse num spa, que sigam seus rumos. Saudade dúvido que deixem.

O técnico tem história no clube, mas paramos por aí. Lio Evaristo é simpático, tudo o mais, mas está provado que é “técnico bombeiro”. O discurso “oba-oba” só se justifica quando é para tirar o time do atoleiro. Ele pedia uma oportunidade para montar um trabalho, teve apoio de muita gente e ganhou o que queria. Fracassou, então que assuma a responsabilidade e siga a vida em outro lugar. Obrigado, Lio, pelas vezes que você salvou o clube. Quem sabe volte pra isso em outra oportunidade. Por hoje, deu pra ti. Além disso, já passou, e muito, da hora de profissionalizar o departamento de futebol.

Agora, o clube.

Desde que se falou na tal união de empresários pelo Metropolitano, o foco sempre foi o Catarinense de 2012. Pois bem, até agora quando as pessoas na rua cobravam (e com razão) e até agora tudo não passava de blá-blá-blá, a justificativa era essa. Pois bem, a Série D já era, o clube não pode fechar as portas, reabrir em novembro, quase dezembro, e achar que vai subir de patamar no Estadual como que num passe de mágica.

Empresários, vocês vão mesmo colocar a mão na massa? Então que comecem já o planejamento para o clube projetar o futebol de Blumenau novamente. A direção também vive momento de transição. Quem quer investir cobra a permanência do Dr. Edson “Pingo”, que por estatuto deixa o clube em outubro. Ele já me confidenciou vontade de passar a bola pra frente, mas não abandonar o Metrô, assumir outro tipo de responsabilidade. E eu concordo. Ele já fez a parte dele (bem feita, por sinal). É hora de outro chegar para assumir, “mudar a roupa”, o discurso, agregar novas ideias. Se entre todos que foram à imprensa dizer que estavam com o clube, ninguém puder assumir essa responsabilidade, então começo a acreditar que o discurso de “tâmo junto” era mesmo da boca pra fora. Compromissos profissionais todos têm.

O Metropolitano ainda é muito jovem, fará 10 anos no início de 2012 (aliás, ótima data pra mudar de patamar). Quem cobra resultados imediatos está errado, mas até dá pra entender o torcedor blumenauense, carente de alguém para torcer e acreditar. O Metropolitano precisa de uma sequência, de um planejamento de longo prazo que esteja acima dos altos e baixos normais do futebol. Precisa de mostras claras de união e de onde quer chegar. Precisa conquistar o torcedor (e pra isso vitórias em campo são, sim, obrigatórias). fiascos como o que esse grupo de jogadores protagonizou só fazem o projeto andar pra trás, mas não pode ser assim.

É nessa hora, quando se está por baixo, que quem é sério precisa mostrar que é. Levanta a poeira e dá a volta por cima.

Se fizer isso, o Metropolitano ganha pontos diante daqueles que insistem em desconfiar dele.

Nisso, eu acredito.

Siga o blogueiro no Twitter:

Comentários (9)

  • ricardo diz: 22 de agosto de 2011

    Cara,
    Vc está equivocado.
    Apesar de poder ter ido além, e concordo que os jogadores e próprio técnico tenham que ser cobrados, ainda não é um fiasco.
    Perdemos um jogo ganho em casa, e perdemos 2 outros fora, estes 2 considerados normais.
    O que não pode é perder a cabeça, como alguns jogadores o estão fazendo.
    Acho que precisa é de bom senso, e não pressão incontrolada.
    Abraço

    Do blogueiro: Pra mim é fiasco e já não há mais chance de classificação. Opinião minha, respeito perfeitamente quem, como você, pensa de outra forma. Abraço

  • francisco caldas diz: 22 de agosto de 2011

    vergonhoso ve os catarinenses viralatas irem ate porto alegre com faixas e cartazes pra torcer pelo time da globo..e ainda por cima dizerem que sao de sc….lixo de pessoas que nao valorizam as coisas daqui..sou paraibano mas desde que vim morar aqui em sc resolvi valorizar o estado e torcer pelo figueirense….infelizmente por manipulaçao da midia principalmente a globo..temos esses debiloides que torcem por times que nao tem patrimonio…e so vivem pela ajuda da midia e dos babacas que nao moram no estado do rj…abraços braga..blumenau precisa torcer pelo metropolitano….so assim ele cresce..e deixar de gostar das coisas do rj

  • Altair Mancine diz: 22 de agosto de 2011

    viralatas????? Escuta aqui Francisco Caldas, se você é de uma região do país aonde curtem pão e circo fica com isso pra você!! Você provavelmente nunca ouvio falar do Palmeiras nem do estádio na Rua das Palmeiras! A cultura européia não da moral pra ladrão, repito A CULTURA DA CIDADE NÂO DA MORAL PRA LADRÂO! O pessoal aqui não financia time que divide campeonato com time que é rebaixádo e sobe pra segunda divisão! Sabe quem patrocína essa galera??? Kia, Real Madrid, Sanchez, Globo, Record, Assís, Petrobrás, Gilette… ou seja, quem tem mt grana e literalmente brinca de futebol. EM Blumenau ainda não se pode brincar, portanto se o time for de incompetentes ngm vai prestigiar mesmo! Ta preocupádo vá torcer pro Figueirense, só não se assuste se aos 18 seu filho for comemorar as vitórias em alguma Boca de fumo da capital! Ouvi dizer projeto de captação de tributos privádos para cultura da banda Cavalinho Branco é 300.000… perguntem quanto a hering da ao Metropolitano! Acordem, enquanto não transmitirem os jogos fora, dentro de um estádio com continuidade nunca vai dar certo! Vai ficar isso aí, só da certo pro repórter, comissão técnica, jogadores e empresários lavadores! Poranto não queira que um ser normal perca tempo la no estádio com essa várzea, não rompa a realidade cidadão!!!

    Do blogueiro: Opinião sua, Altair, que fique bem claro. Não compactuo de forma alguma com esse papo de “pessoal daqui” e pessoal de lá” e muito menos com as acusações.

  • Rafael diz: 22 de agosto de 2011

    Pra mim o metro é um time nunca deu certo em blumenau e nunca vai dar. simples assim, igual tipo um bar que abre e logo fecha por não ter clientes, não teve identidade com a cidade, nem o nome ajuda, não adianta. hoje é motivo de chacota e piada na cidade, queimou o filme. the end.

  • fiedler diz: 22 de agosto de 2011

    Este é o problema destes que se dizem dirigentes do futeból de Santa Catarina … Alguem de vocês ja ouviu alguma notícia de que o Metro já arrecadou algum centavo com negociações dos jogadores ?… Adivinhem com quem fica … Dirigentes … Então quando está faltando dinheiro , que se virem os dirigentes ( empresarios ) … O certo é que querem ficar com o bônus e socializar o ônus … Aqui em Ibirama temos o mesmo problema … Saudações …

  • Paulo Santos diz: 22 de agosto de 2011

    Paulo Mancine,

    Num texto tão pequeno, conseguiste não dizer quase nada, e o que conseguiste passar, foi de que és um sujeito mal informado, preconceituoso, invejoso e sobretudo, possuidor daqueles ranços de antigos Blumenauenses que achavam que eram europeus, e que Blumenau era a cidade mais importante do estado. A cultura europeia em Blumenau acabou há mais de 40 anos, seu trouxa. Blumenau é hoje uma cidade como outra qualquer aqui em SC, com o detalhe que ficou para trás no desenvolvimento, sendo hoje superada por diversas cidades catarinenses que recebem indústrias todos os anos, enquanto Blumenau perdeu as mais importantes para outros cidades brasileiras ou que simplesmente faliram. Quero registrar que adoro Blumenau onde possuo muitos amigo que visito regularmente. Mas dá pena ver a decadência de Bluemanu hoje, contra o que que já representou para o estado no passado. Basta dizer que temos cidades hoje como Jaraguá, São José e Palhoça que no ritimo atual superarão Blumenau em breve, naquilo que já foi seu maior orgulho, a industrialização. No tocante a futebol, lamento Blumenau nunca mais ter conseguido se destacar, desde a época do saudoso Palmeiras, cujo estádio, há poucos dias visitando a cidade, constatei que nem existe mais: só um terreno cheio de mato. Falar por falar (mal) da capital e do maior clube do estado o Figueirense, que registro, conta com um expressivo número de simpatizantes na cidade, é fácil. Dificil é provar que tuas manifestações não são reflexos pura e simplesmente de tua inveja ou desinformação. Como é provável que tua “cultura europeia” não te permite morar na europa, onde também provavelmente jamais colocastes os pés, fica a inveja de milhares de brasileiros que optaram por vir morar em Floripa, pelo nível de vida oferecido pela cidade. Por outro lado, mesmo sem ter as estatísticas, não é dificil de acreditar que Blumanu é mais violenta e proporcionalmente ter mais boca de fumo que a grande Florianópolis com seus quase um milhão de habitantes, contra os cerca de 350 mil hab. de Bluemanu.

  • José diz: 22 de agosto de 2011

    Primeiro, ao Altair, tá batido este discurso de dizer que Nordestino gosta de pão e Circo, né, tu não acha meio preconceituso!!! Já pro Francisco, pô chamar, nós, catarinas de vira latas só porque não torcemos pro Figueira, seria no minimo um contracenso vc falar que torce pro Figueira e não pro Metropolitano tu não achas!!!

    O Metropolitano, vai ser sempre, com raras exceçoes, o segundo time de alguém. Alguem que torce pro Flamengo, e torce pro Metro no Camp. Catarinense, torce pro América e pro metro e etc..

    Mas o problema está na identificação do time com a cidade. Como pode um clube ter identificação com a torcida, se na terra da cerveja, é proibido vender chopp no estadio. Como podemos ter identidade com o time, se na terra do Salsichão, só tem pipoca no estadio?
    Como é que pode ter camisas do Metro ao preço que os caras vendem? Pra pagar aquele preço eu compro do meu 1º Time, que é o Flamengo, mas se o valor fosse mais em conta compraria uma do Metro também.

  • André diz: 22 de agosto de 2011

    Infelizmente, o que falta para o Metrô é torcida.
    Como se consegue torcida? Com títulos, vitórias, resultados positivos.
    Lembro muito bem que em 2005 e 2006 (e em 2007 também, talvez) o SESI lotava, o torcedor apoiava, acreditava que logo logo viriam títulos. Porém, foram passando os anos e o torcedor deixou de ir ao estádio, deixou de apoiar, deixou de acreditar.
    Tenho certeza de que um estádio melhor localizado traria um excelente público (que falta que faz o Estádio Aderbal Ramos da Silva), um prefeito que se interessasse por futebol construiria um estádio (exemplo de Chapecó: o prefeito ama futebol, resultado: Chape campeã do Catarinense, derrubando times de Série A, e candidatíssima a Série B 2012). Até mesmo a FCF poderia contribuir MUITO MAIS (no RS, por exemplo, TODOS OS TIMES têm calendário para o ano inteiro: além de 1ª, 2ª e 3ª Divisão Gaúcha, tem as divisões do Brasileirão, Copa Enio Costamilan, Copa Laci Ughini, Copa FGF, entre muitas outras; a FGF também contribuirá com 1 milhão para cada clube da 1ª Divisão Gaúcha ano que vem)
    São exemplos de coisas que trariam resultados positivos ao Metrô, e consequentemente, títulos.
    Eu nunca vou abandonar o Metropolitano enquanto esse time existir, mas sei que poucos pensam como eu.
    O Catarinão 2012 tá aí, vejo que o futuro do futebol de Blumenau ta nas mãos desse tal projeto dos empresários. Que seja o que Deus quiser.

  • Thiago diz: 23 de agosto de 2011

    Braga, o Metropolitano deveria se espelhar na Chapecoense. Blumenau é cidade de porte médio, com história no futebol. O que está faltando é a cidade e seus empresários “respirarem” futebol. Em Chapecó, o clube está crescendo a cada temporada, devagar e com planejamento. Não conheço a história de vocês a fundo, mas em minha opinião jamais deveriam ter derrubado o nome BEC. Quase que cometeram esse ato de desespero aqui devido a dívidas antigas que achavam jamais poderem ser sanadas. Hoje a Chapecoense é marca forte e com potencial de crescimento ainda maior, não preciso nem dizer porquê. E só cornetando um pouco: se vocês querem ser grandes comecem trocando as cores do clube, pois só existe espaço para um verdão em SC. Desconheço qualquer estado onde dois clubes grandes tenham a mesma identificação de cores. hehe Abraços! E enquanto houver esperança de subir, não a percam. Ano passado a Chape dependia de um empate na ultima rodada entre Brasil e Caxias lá em Caxias e deu no que deu. bola na trave, jogador cara a cara com o goleiro e não saiu do 0 x 0!

Envie seu Comentário