Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2011

A rotina dos catarinenses no Brasileirão

30 de outubro de 2011 4

Mais uma rodada do Brasileirão onde aconteceu o que tem sido tendência para os catarinenses.

O Avaí voltou a fazer uma boa partida contra o líder Corinthians. Saiu na frente e, como tem sido rotina, tomou a virada, mesmo com um a mais. Aqui o esforço do Corinthians em buscar o resultado precisa ser ressaltado, mas o Leão falhou outra vez.

Difícil imaginar que conseguirá alcançar pontuação necessária para escapar do rebaixamento sem depender de ninguém. Então o negócio é torcer para que quem está na parte de baixo perca muito, e o número mágico seja bem menor. O que, por sinal, está acontecendo.. Por isso, o jogo com o Ceará, semana que vem, na Ressacada, precisa ser encarado como final de Mundial de Clubes pelo time e pela torcida do Avaí. Me arrisco a dizer que um tropeço nesse jogo vai selar a sorte do Leão.

Já o Figueirense segue em estado de graça. Não jogou bem, saiu atrás do Bahia no Scarpelli. Mas contou com a boa fase pra virar e vencer mais uma. Fernandes, o ídolo alvinegro, saiu do banco para fazer os dois gols. Gols não, golaços! O ídolo resolve, o time sabe virar, o técnico mostra ter estrela. Com 50 pontos, o Figueira é oitavo, mas definitivamente entrou na briga pela Libertadores. E tem outra: com mais sete pontinhos nos 18 que restam, supera a campanha do Avaí de 2009, a melhor de um catarinense no Brasileirão até aqui.

As próximas rodadas prometem.

Santa estreia novo colunista de esporte

28 de outubro de 2011 42

Uma novidade para os leitores da editoria de esporte do Jornal de Santa Catarina. A partir da próxima terça-feira, dia 1º de novembro, o jornal passa a publicar a coluna do jornalista carioca Renato Maurício Prado, que trata, principalmente, do futebol nacional _ com foco maior, mas não único, nos clubes cariocas. É um acréscimo de opinião, sem excluir as demais colunas e o foco do Santa no esporte local. Em breve, virão mais novidades por aí.

A coluna de Renato Maurício Prado _ mais conhecido pelo público pelas participações nos programas esportivos do canal a cabo SporTV, como o Bem, Amigos! e o Redação SporTV _ vai comentar o panorama do esporte nacional três vezes por semana: às terças, sextas e nos finais de semana.

O colunista tem 35 anos de carreira no jornalismo, a maior parte ligada ao esporte, e assina a coluna que será publicada pelo Santa (e já era publicada no Diário Catarinense) no jornal carioca O Globo desde 2002. Além do futebol, ele também costuma comentar outras questões do esporte nacional, Fórmula 1 (já foi correspondente) e tênis _ escreveu um livro que narra a trajetória do nosso catarinense Gustavo Kuerten no tricampeonato de Roland Garros.

Quem é ele

* Renato Maurício Prado nasceu em Niterói em 11/1/1953 e começou no jornalismo em 1976, no Jornal do Brasil, onde foi repórter de política e de esportes.

* Em 1979, transferiu-se para O Globo, como repórter da editoria de esportes, onde posteriormente foi colunista, subeditor e editor (no período de 83 a 86).

* Em 1987, foi designado correspondente do Globo em Madri, Espanha, tendo como uma das principais atribuições cobrir a Fórmula-1 por todo o mundo.

* De volta ao Brasil, em 1988, teve rápida passagem pela Rede Globo de Televisão, como repórter de vídeo, na editoria de esportes, e passou a chefiar a sucursal Rio da revista Placar, da Abril.

* Em 2002, voltou a ser colunista de esportes de O Globo, onde assina uma coluna às terças, sextas e domingos. Participa do Programa “Bem Amigos” no Sport TV, nas noites de segunda-feira e faz também comentários esportivos no canal a cabo e nas rádios Globo e CBN.

* Tem dois livros publicados: o “Deixa que eu chuto” (foto), com duas edições, sobre o lado folclórico e divertido do esporte, e o “Saibro, suor e glória”, que conta a trajetória vitoriosa do ídolo catarinense Gustavo Kuerten em Roland Garros.

Abaixo, a entrevista que eu fiz com o Renato Maurício Prado durante a semana, e que está publicada também na edição de fim de semana do Santa:

“Os clubes do Rio aprenderam a disputar os pontos corridos”

Santa – Pra começar, uma bem fácil: quem será o campeão brasileiro de 2011?

Renato – Sou jornalista e não adivinho! (risos) Esse campeonato é completamente imprevisível! No momento, o favorito é o Vasco, que vem voando, graças a um doping extremamente positivo e poderoso: a vontade de ganhar o título para o Ricardo Gomes, que viveu aquele drama do AVC e ainda está se recuperando.

Santa – O futebol carioca ressurgiu nos últimos anos, com títulos importantes e times fortes. Os clubes aprenderam a lição ou trata-se apenas de coincidência?

Renato – Os clubes do Rio aprenderam a disputar campeonatos por pontos corridos. Passaram a montar elencos fortes, e não somente times, e apostaram no retorno de jogadores que podem fazer a diferença, como Ronaldinho Gaúcho, Renato (ex-Santos e atualmente no Botafogo), Juninho Pernambucano, Fred etc. Ainda falta muito, em termos de estrutura, mas o Rio esta provando que Centro de Treinamento é bom e ajuda, mas não é o bastante. Até porque não entra em campo e não faz gol.

Santa – Que nota dá para o andamento da Copa de 2014 até o momento? E das Olimpíadas de 2016 no Rio?

Renato – Por enquanto, zero e zero. Esse tipo de competição é uma grande oportunidade para que se consiga fazer obras de infraestrutura que, passados os eventos, se tornam legados importantes para o povo. Nada disso foi feito até agora. Ao contrario, estão plantando elefantes brancos em lugares que não precisavam de estádios, como Brasília, Belém e Cuiabá! E nossos aeroportos (que são vergonhoso) terão puxadinhos provisórios! Isso sem falar nas denuncias de desvios de verba no Ministério do Esporte…

Santa – Mano Menezes corre risco na Seleção no caso de não engrenar em 2012?

Renato – Corre. E muito! Se fracassar nas Olimpíadas de Londres, acho que não chega à Copa. Até porque a seleção principal não esta jogando nada.

Santa – Neymar tem condições de ser o melhor do mundo nos próximos anos?

Renato – Tem. Ele é fenomenal! Mas precisa manter a cabeça no lugar, pra não deixar a carreira encolher, como aconteceu, por exemplo, com o Robinho.

Santa – Além de futebol, você também gosta muito de F-1 e tênis, dois esportes que já viveram dias melhores no Brasil. Acha que o país poderá voltar a ter novos ídolos nesses esportes?

Renato – Torço muito para que isso aconteça. Mas as perspectivas a curto prazo não são animadoras…

Siga o blogueiro no Twitter:

Metropolitano vende o meia Cristiano

26 de outubro de 2011 4

Informação exclusiva do blog:

Apurei esta tarde (confirmei há pouco) que o meia Cristiano, emprestado ao Juventude (pisoteou o Metrô nos confrontos recentes pela Série D) e com contrato com o clube blumenauense até 2015, foi vendido ao FC Red Bull Salzburg, da Áustria. O clube, um dos novos ricos do futebol europeu, é o atual terceiro colocado do campeonato do país e está disputando a Uefa Europa League.

Os valores da transação são excepcionais para o clube blumenauense (o Metrô tem direito a um percentual da transação). Mesmo sem entrar em detalhes, o presidente Edson Pedro da Silva confirmou que será possível colocar as contas do clube em dia, assim que estiver tudo sacramentado. O Verdão ainda poderá receber bônus no caso de conquistas do jogador lá e até mesmo parte em uma futura negociação.

O meia ainda joga esta noite pelo time da Serra Gaúcha (o Juventude enfrenta o São Paulo, de Rio Grande, no Alfredo Jaconi, pelas quartas de final da Copa Laci Uguini). Deve viajar no outro final de semana para Salzburg, para assinar contrato e iniciar os treinamentos. Porém, Cristiano só poderá estrear pelo novo clube em janeiro, quando reabre a janela de transferências internacionais.

Cristiano foi revelado pelo Galo Adap-PR e chegou ao Metropolitano em 2009, vindo do Rio Claro-SP (antes teve também uma rápida passagem pelo Marcílio Dias). Destacou-se rapidamente no clube de Blumenau. Camisa 10 de bons recursos, acabou emprestado para a Chapecoense em 2009 e ao Juventude em 2010, onde permanece, virou ídolo e um dos destaques do time gaúcho.

Uma outra informação sobre o Metropolitano:

O clube está ingressando na Fifa para receber os valores da venda do meia-atacante Eric, que estava no Gaz Metan (Romênia) e foi negociado com o ucraniano Karpaty Lviv. O pessoal do Leste europeu resolveu desistir do negócio, mas o Metrô quer receber. Como um processo desses pode levar até dois anos na Fifa, o clube não descarta tentar um acordo para que Eric possa ser negociado com outro clube na janela de janeiro. Era um dinheiro que o Metropolitano (sobretudo os primeiros investidores do clube) já contava para começar a reaver os valores investidos até aqui.

Siga o blogueiro pelo Twitter:

Criciúma falha no jogo do ano

25 de outubro de 2011 19

Era o tal “jogo do ano”, mas o Tigre novamente jogou fora uma oportunidade de ouro.

Tá certo que o gramado estava inviável, parecia polo aquático. Mas era a hora da superação. O jogo foi morno e as melhores chances foram do Americana. O empate sem gols se deve ao goleiro Andrey.

Se vencesse, o Tigre entraria no G-4 e aí bastaria ficar secando os adversários diretos, que jogam só no sábado (o Bragantino em casa, contra o Icasa goleado pelo Tigre na última rodada, o Sport nos Aflitos tem o clássico contra o Náutico, pedreira das grandes). Agora até subiu para o quinto lugar, mas não diminuiu a vantagem pro time paulista e deve voltar para o sétimo no fim da rodada. Difícil que o Bragantino não vença o empate em casa, e no clássico de Recife um empate seria o ideal, mas agora até uma vitória do Náutico praticamente limita a briga a uma única vaga, mas deixa o Sport pra trás.

A vaga é possível. Agora são dois jogos em casa contra a já classificada e virtual campeã Portuguesa e a Ponte Preta, vice-líder e outra com vaga bem encaminhada.Diferente de muitos, não vejo moleza por estarem os adversários com a vida quase resolvida. Líder e vice-líder. É hora de superação e de lotar o Heriberto Hülse.

O momento é de botar na cabeça que essas duas vitória em casa credenciam o Tigre ao acesso. Na primeira oportunidade, o time catarinense falhou.

Quem gosta do futebol catarinense, independente do clube que prefere, torce por isso.

Siga o blogueiro no Twitter:

Pelo que os catarinenses ainda brigam?

24 de outubro de 2011 15

A temporada do Brasileirão está chegando ao fim.

Os clubes catarinenses vivem momentos distintos nas respectivas séries que disputam. O blog fez um breve resumo do que resta a cada um até o fim do ano:

AVAÍ

A briga: para não ser rebaixado

Situação: a vitória sobre o Botafogo, sábado, é um espelho daquilo que o blog vem falando há algum tempo. O Avaí luta muito, ninguém no elenco pode ser acusado de não dar a cara a tapa nessa hora complicada. O problema são os erros que sugem por causa da falta de qualidade de alguns setores. Contra o Fogão, diferente de alguns outros jogos, a vontade acabou prevalecendo e a vitória veio. É daquelas que dão ânimo para seguir lutando. Mas a situação do Avaí ainda é dramática.

Jogos que restam: Corinthians (f) / Ceará (c) / São Paulo (f) / Cruzeiro (c) / Vasco (f) / Coritiba (f) / Figueirense (c)

FIGUEIRENSE

A briga: Libertadores, sim! Por que não?

Situação: o Figueirense faz uma das melhores campanhas do returno. E joga, sem medo de errar, o melhor futebol do momento no Brasileirão. Sábado, venceu o Palmeiras no Canindé com um pé nas costas, dominou completamente. Terceira vitória seguida fora de casa, a sexta no geral. Como o São Paulo desandou e faz campanha patética no momento, o Figueira tem tudo para assumir o posto de visitante mais indesejado da competição. E está a três pontos do G-5 que hoje dá vaga na Libertadores. Então vamos parar com essa de que não dá pra brigar, porque dá, sim! Hoje vejo o time catarinense mais no páreo do que Inter e São Paulo, em queda de produção. Briga, portanto, com os cariocas Fluminense, Flamengo e Botafogo (e ainda enfrenta os três). Pra título, de fato, não dá mais, mas Libertadores seria um prêmio e tanto para um clube que vem arrancando elogios nas últimas rodadas. A Sul-Americana já está praticamente garantida.

Jogos que restam: Bahia (c) / Botafogo (f) / Atlético-MG (c) / Flamengo (f) / Fluminense (c) / Corinthians (c) / Avaí (f)

CRICIÚMA

A briga: pelo acesso à elite na Série B

Situação: posts anteriores aqui no blog já resumiram bem pelo que briga o Tigre nessa reta final da Segundona e a sequência de jogos. Ressalto apenas que o próximo jogo, contra o Americana, terça-feira, no interior paulista, é primordial. Se vencer o adversário direto, o Criciúma se credencia, de vez, ao acesso.

JOINVILLE

A briga: pelo título da Série C

Situação: o JEC está em festa, o torcedor tricolor, em estado de graça. O clube já conquistou por antecipação o acesso à Série B. Agora, o objetivo é buscar o título nacional. Neste domingo, em jogo de festa, uma partidaça com a Chapecoense na Arena, vitória por 3 a 2, no fim, de virada, com direito a gol do ídolo Lima no centésimo jogo dele pelo clube. Festa completa. Disparado na chave, o JEC já se garantiu na final da Série C nesta segunda, após o Brasiliense golear o Ipatinga por 4 a 1, em Taguatinga. Assim, a última rodada do Grupo F (Ipatinga x JEC, Chapecoense x Brasiliense) será apenas uma formalidade. O tricolor espera agora pela definição do imbróglio judicial no Grupo E para saber quem será seu adversário na decisão, ainda sem previsão de data. Ruim, porque o clube corre o risco de ficar muito tempo parado, enquanto o adversário virá embalado. Mas, de qualquer forma, o JEC tem tudo para repetir os feitos do Avaí (1997) e Criciúma (2006).

Jogos que restam: Ipatinga (f) e finais da Série C (a definir datas e adversário)

CHAPECOENSE

Por fim, um registro da Chapecoense. O time do Oeste não foi bem na fase decisiva. Mas no domingo surgiu um boato de possível punição ao Ipatinga por escalação irregular de jogadores. Nunca gosto dessas coisas, mas vamos aguardar para ver se vai além de boato.

Siga o blogueiro no Twitter:

A elite é logo ali, Criciúma!

22 de outubro de 2011 12

A regularidade, aquela arrancada convincente pedida faz tempo, até aqui ainda não veio. Mas nem precisou. Os adversários ajudaram e o Criciúma colou no G-4 da Série B. chegou a estar a 10 pontos dele, termina a 32ª rodada a apenas 2 pontinhos, com a boa e obrigatória vitória sobre o Icasa por 5 a 2 no HH. Goleada motivadora, até o Roni desencantou no fim. Bom sinal.

Agora é tudo ou nada nas seis rodadas que restam.

O Tigre está jogando bem e é sim candidato ao acesso nesta reta final. A rigor, A Portuguesa já subiu e já é campeã, e a Ponte Preta está com um pé na elite. De resto, as outras duas vagas, hoje de Náutico e Americana, estão em aberto. E, além deles, brigam por elas Sport, Tigre, Bragantino e Vitória.

Imprevisível, mas o time catarinense tá no páreo.

Siga o blogueiro no Twitter:

Maga - O pior time do mundo

22 de outubro de 2011 1

O Jornal de Santa Catarina publica neste final de semana (22 e 23/10) a primeira reportagem da Série “Histórias Reais da Bola”, que nos próximos finais de semana vai contar casos do futebol do Vale que, só mostrando dá pra acreditar que são de verdade. A produção é desse blogueiro que vos escreve, com colaboração do meu fiel escudeiro Everton Siemann, fotos do Jandyr Nascimento, o filósofo Janda, e projeto gráfico do Arivaldo Hermes (orgulho de Abdon Batista), o Tchô.

No primeiro episódio, a minha história favorita. A inacreditável saga da Associação Maga Esporte Clube, de Indaial, o “nosso” pior time do mundo. Uma trajetória de cinema. Um time que nunca sequer empatou, que venceu um único jogo (por WO, porque o adversário desistiu), marcou 6 gols e tomou 97 em 20 jogos. E mais, umclube modesto, que usa basicamente no elenco garotos que estão em busca de um futuro no futebol e que tem como um dos principais colaboradores um dos empresários de futebol mais importantes da Europa, que agencia craques como o sueco Ibrahimovic e o italiano Balotelli, entre tantos outros.

Uma história imperdível, que merecia ser contada dessa forma, com pompa. Uma das melhores que eu já contei nesses anos todos de jornalismo.

Abaixo, os links para os textos da edição impressa do Santa. Fotos e tabelas que estão nas páginas estão no fim de cada link:

O pior time do mundo

Goleada sem reservas e com três testemunhas

Nos bastidores, um empresário poderoso

Presidente banca projeto até 2018: “Estou plantando”

Abaixo, o texto que eu escrevi no jornal impresso, dizendo que virei fã de quem faz o dia a dia de um clube que na verdade é um retrato fiel do que o futebol brasileiro tem de melhor e pior:

Essência do futebol

Acreditem, virei fã do Maga. O time é folclórico, só apanha, mas não desiste. Já jogou sem reservas, com jogador a menos, com goleiro gordinho de atacante, mas nunca deixou de cumprir com a obrigação de estar em campo. No único jogo que não disputou, e venceu, foi o adversário que pisou na bola e perdeu por WO.

Os jogadores, basicamente garotos, são o retrato do nosso futebol. Pelo sonho do estrelato, se agarram a qualquer chance.

Até mesmo o lado mais obscuro do Maga, o das transferências de jogadores, merece defesa. Posso gostar ou não, mas só isso. Não há nada de errado, é a regra do jogo. Podemos discutir a lei, mas não o que está regularizado por ela.

O Maga é um espelho fiel do que o futebol brasileiro tem de melhor e de pior, depende de como você enxerga. De qualquer forma, ganhou um fã.

Bom, é isso. Nos próximos finais de semana a Série continua e eu vou sempre colocar algo aqui no blog pra vocês. E já faço uma convocação: se você aí, leitor, acha que conhece uma história do futebol do Vale que merece ser contada aqui, mande pra mim.

Siga o blogueiro no Twitter:


Entrevista com Dunga

20 de outubro de 2011 2

Nesta quarta-feira, conversei com o capitão do tetra e ex-técnico da Seleção, Dunga, que esteve em Blumenau para participar, com outros ex-jogadores, de um amistoso beneficente em prol das vítimas das enchentes de setembro no Alto Vale. Foi uma conversa bem interessante, onde me surpreendeu o ótimo humor dele e a disposição de falar de qualquer assunto, mesmo os que ele vinha evitando tocar.

A entrevista está nas páginas do Jornal de Santa Catarina dessa quinta-feira (se preferir, leia aqui) . Para os leitores do blog, reservei o vídeo da íntegra da entrevista, dividido em duas partes. Confiram:

Entrevista Dunga (parte 1)

Entrevista Dunga (parte 2)

Siga o blogueiro no Twitter:

G-4 mais perto do Criciúma

18 de outubro de 2011 10

Assistindo ao jogo, fiquei na dúvida se o Criciúma ganhou um ponto ou perdeu dois no empate com o Paraná, nesta terça à noite. Jogo morno, onde as melhores chances foram d0 Tigre. Se tivesse que sair de campo um vencedor, seria o time catarinense. Mas o 0 a 0 prevaleceu.

A rodada, mais uma vez, ajudou. A diferença para o G-4 caiu mais um pouco, jpa foi de 9 pontos, de sete e agora é de cinco pontinhos a distância para o Americana, hoje o último que subiria (aliás, torço pra não subir, mais um time desses de aluguel e sem torcida na Série A ninguém merece).

Ainda dá, faltam sete rodadas. O problema é que, ao meu ver, as três outras vagas do acesso estão praticamente encaminhadas. A da Portuguesa, óbvio, inclusive o título já levou, e Ponte e Náutico estão quase lá. A vaga do Americana está na roda, e a briga do Tigre me parece ser, além do time do interior paulista, com Sport (osso duro) e Bragantino, principalmente. Situação totalmente em aberto. O Criciúma faz quatro jogos no Heriberto Hülse e três fora, e vários confrontos diretos.

Ou seja, é hora de esquecer o que passou e mobilizar-se para uma arrancada nestas rodadas finais.

Os jogos que restam ao Tigre:

22/10 – Icasa (c) – obrigação de vencer

25/10 – Americana (f) – Confronto direto!

1/11 – Portuguesa (c) – pode estar “em férias” já

8/11 – Ponte Preta (c) – parada dura

12/11 – Vitória (f) – pode ser confronto direto

19/11 – Barueri (c) – obrigação de vencer

26/11 – São Caetano (f) – Dá pra vencer

Siga o blogueiro no Twitter:

JEC vai do abismo à redenção em 2 anos

17 de outubro de 2011 84

Um post para dar os parabéns ao Joinville Esporte Clube e aos seus torcedores. O acesso do JEC à Série B do Brasileiro, com méritos e com autoridade, atropelando o Brasiliense por 4 a 1 no DF, faz bem a todo o futebol de Santa Catarina.

E coroa o ressurgimento de um dos mais tradicionais clubes do Estado.

Não faz muito tempo, o JEC perambulou até pela Segundona estadual. Conseguiu reorganizar-se, buscou apoios, voltou a unir a cidade em torno do projeto. Vai colher os frutos agora, voltando à Série B nacional depois de 7 anos. Não só o clube, mas quem joga no clube, a cidade, quem trabalha indiretamente com o clube (imprensa de Joinville, por exemplo). É um dia de festa, sem dúvida.

Curiosamente, a festa hoje vem exato um ano depois daquele fatídico jogo com o América-AM na Arena, que eliminou o tricolor e parecia ser uma tragédia, mas na verdade foi o começo de tudo, já que o adversário perdeu a vaga no Tapetão por excesso de lambança. Outra curiosidade: também foi o Brasiliense o coadjuvante da festa do acesso do Avaí à Série A, em 2008.

Com os dois acessos seguidos, o JEC saiu do abismo da Série D (em 2009 precisou buscar a vaga na Quarta Divisão via Copa SC) para uma competição que já proporciona uma projeção muito maior. Tem TV, tem adversários tradicionais, mais dinheiro, e a possibilidade de chegar à elite. É mudar da água suja pro vinho do Porto. Uma pena que a Chapecoense não foi junto. Era muito mais time que o Ipatinga, mas fraquejou na hora decisiva. De novo. Ano passado viu o Tigre subir, agora o JEC.

Passada a festa merecida, dá para pensar em ir em busca do título da Série C (que Criciúma e Avaí já trouxeram pra SC). Mas também é tempo de já projetar 2012. Na Série B é tudo melhor, mas também tudo mais difícil. O JEC não pode perder a oportunidade de se estabilizar no cenário nacional, fazendo campanha ruim e caindo outra vez pra C. De maneira cautelosa, e com apoios da comunidade em geral, dá para projetar uns 2 anos de Série B antes de ir forte buscar o acesso à elite. Sem atropelos. Mas se o projeto crescer, e a vaga aparecer antes, por que não?

Parabéns ao JEC e a todos os envolvidos. Agora vamos aguardar mais algumas rodadas para saber se o tricolor vai representar SC sozinho ou com a companhia dos rivais Criciúma e Avaí. Não é o objetivos dos dois, claro, mas tornaria a Série B um mini Catarinense em 2012.

Siga o blogueiro no Twitter: