Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Permanência de Neymar é uma exceção

10 de novembro de 2011 1

A permanência de Neymar no futebol brasileiro até 2014, ainda que apenas uma promessa diante das câmeras, é sim um fato importante. E inédito.

Porém, nem de longe merece reações pachequisticas de torcedores fundamentalistas, achando que o Brasil virou o novo paraíso sobre a Terra.

Minha opinião, bem resumidamente:

Neymar é um jogador acima da média, isso ninguém mais discute. O normal seria ele ir para um gigante da Europa, Real Madrid ou Barcelona, no caso. Mas lá, ele ainda precisaria provar o que é, seria mais um entre tantas estrelas, teria a questão da adaptação, na primeira partida ruim diriam “tá vendo, jogar na Europa é diferente”…

Mas não pense que ele não queria isso. Todo jogador quer. Ainda mais em clubes top de linha.

Porém, como eu disse, Neymar é diferente. Além disso, só tem 19 anos…

Então, o que aconteceu? Foi armada (no bom sentido) uma tremenda engenharia para que Neymar fique no Brasil. Os motivos são vários. Destaco alguns: o Brasil precisa de ídolos aqui neste momento, onde é urgente uma maior sintonia do povão com a Copa que está por vir. Neymar, sem dúvida, será a grande estrela da Seleção em 2014. Ficando no Brasil, ele traz o torcedor de volta à relação mais carinhosa com a Seleção, hoje tão distante. E isso interessa não só à Seleção, mas aos patrocinadores dela, à publicidade em geral, a tantos outros que ganham com o sucesso da Copa aqui. E são eles que estão ajudando a bancar esta engenharia que sugurou o garoto do topete esquisito por aqui.

E Neymar, mesmo deslumbrado como qualquer garoto que joga bola pela possibilidade de ir jogar num gigante do futebol, foi convencido pelo staff a ficar um pouco mais por aqui. O pai dele, atuante e inteligente, o empresário (macaco velho) e o ótimo presidente do Santos, o melhor dirigente do país na atualidade. Ganhando o mesmo que ganharia na Europa, mas aqui já consagrado, sem precisar provar nada a ninguém, e feliz onde está, por que ele trocaria agora? Você trocaria? Pois é, nem ele.

Assim, Neymar fica mesmo por aqui até a Copa de 2014, se tudo seguir conforme o script, e depois vai seguir seu rumo na Europa, provavelmente para ser o melhor do mundo, ídolo aqui e nos confins da Ásia, estas coisas.

É isso. Portanto, não concordo com quem usou este fato para entoar cânticos nacionalistas, dizer que agora o Brasil vai inverter a lógica do mercado e os europeus vão ficar sem sua matéria-prima barata do futebol. Muito menos que o Santos deu exemplo aos demais clubes de que não é preciso vender craques para pagar as contas.

Até gostaria que tudo isso fosse verdade, mas (ainda) não é bem assim. Quem sabe um dia. Outros jogadores até vão dizer agora que também querem, afinal o Brasil está na crista da onda. Mas não acredito que outros craques serão segurados da mesma forma. Seria ótimo, mas não creio.

O caso de Neymar é diferente, especial. Igual a ele.

Siga o blogueiro no Twiter:

Comentários (1)

  • Eduardo M diz: 11 de novembro de 2011

    Braga ,

    Há anos que escuto de vários jornalistas que o “futebol brasileiro tem que saber vender o espetaculo e não o artista”. É verdade. E no caso do Neymar , pelo carisma que ele tem , o Santos não deixará de ganhar , e muito , dinheiro mantendo o jogador no clube por mais 3 temporadas. Parece mesmo obvio que a torcida do clube irá crescer e muito na Neymarmania , o que será revertido em lucros futuros junto aos patrocinadores.

    O futebol brasileiro tem em mãos uma oportunidade unica de virar um top mundial. O novo contrato com a TV deu aos principais clubes do país condições de fazer frente a muitos outros na Europa. Além disso , a interminavel crise europeia , a Copa de 2014 , os novos estádios que estão sendo construidos e reformados e o aumento da midia para o futebol , tudo isso junto , trará um substancial aumento de receita para os clubes brasileiros.

    Mas se nada disso for bem aproveitado e o Brasil ainda perder a Copa de 2014 , bom , ai teremos uma enorme recessão no pós Copa.

Envie seu Comentário