Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de dezembro 2011

Melhores e piores de 2011

25 de dezembro de 2011 9

O ano está chegando ao fim. Esportivamente, 2011 foi cheio de atrativos:

No futebol, foi o ano de Messi, do imbatível Barcelona, do Santos, sim, por que não? Foi o ano do início da afirmação de Neymar, da ressureição do Vasco. Foi, em vários sentidos, um ano do Corinthians. Parecia que seria o ano da volta de Ronaldinho Gaúcho, de Kaká, de Ganso. Não foi. Parecia que a nova Seleção Brasileira mostraria suas credenciais. Pelo contrário, deixou nas nossas cabeças uma enorme interrogação. Em 2011, um nome tornou-se realidade: Leandro Damião.

E por falar em Santa Catarina (onde ele começou), por estas terras o ano parecia que seria do Avaí, mas não foi. Parecia que não seria o ano do Figueirense, mas de certa forma acabou sendo. Parecia que o Criciúma brilharia, mas ficou no quase. Parecia que o Joinville seguiria a rotina de insucessos, mas o tricolor virou o jogo. E parecia que a Chapecoense e Mauro Ovelha ficariam no quase, mas eles brilharam (no Estadual, na Série C de fato ficaram no quase…). De qualquer forma, o treinador é um personagem do futebol catarinense no ano que termina. Afirmou-se, ganhou enfim a chance que tanto queria. No ano de Roni, de Lima, de Aloísio, de Willian, de Fernandes, de Jorginho, de Wellington Nem, Ovelha é o meu destaque.

No futebol do Vale, não há destaques. A região tem quantidade, mas falta qualidade. Acabar com o abismo que a separa dos grandes é o maior desafio de 2012.

Nos demais esportes, foi, sobretudo, o ano de uma sigla: UFC. O Brasil apaixonou-se por algo que já era febre há muitos anos nos EUA e no Japão. E por uma simples razão. No octágono, o Brasil hoje é vencedor. Anderson Silva é o grande nome de 2011, mas o catarinense Júnior Cigano e tantos outros brilham e arrastam legiões de fãs. Situação inversa vive a Fórmula 1, que parece estar em divórcio com o torcedor brasileiro, cansado após 18 anos (desde a morte de Senna) de coadjuvantes e fracassos. Nas corridas, aliás, segue a supremacia alemã, que agora atende pelo nome de Sebastian Vettel. 2011 também será inesquecível para o tenista sérvio Novak Djokovic, para o nadador César Cielo e também para o super surfista norte-americano Kelly Slater.

E aí, será que esqueci de alguém? E pra vocês, quem brilhou e quem deixou a desejar em 2011?

Férias do blogueiro

Este é o último post do blog em 2011. Saio para um merecido descanso e retorno dia 16 de janeiro, de gás renovado e com muitas novidades. Desejo a todos que ajudaram a fazer o blog neste ano um 2012 muito especial, com muitas conquistas e realizações. E que continuem por aqui no próximo ano. Dia 16 estou de volta, para falar muito da semana que antecede o início do Catarinense.

Um grande abraço e Feliz 2012!

Siga o blogueiro no Twitter:

A um mês do Catarinense 2012...

22 de dezembro de 2011 38

Hoje (22), estamos a um mês da estreia do Catarinense. E o blog quer saber dos torcedores:

- Quem está se preparando melhor?

- Quem está dormindo de touca?

- Os clubes estão se reforçando bem? Quem larga na frente?

- Já é possível apontar um favorito? E um candidato ao rebaixamento?

- Alguém acredita que algum clube pode surpreender?

Respondam aí, vamos debater o nosso Catarinense…

Siga o blogueiro no Twitter:

Jogo das Estrelas em Camboriú

19 de dezembro de 2011 5

Está confirmada para o próximo dia 29 mais uma edição do já tradicional Jogo das Estrelas no Estádio Robertão, em Camboriú.

O “anfitrião” será o atacante Diego Tardelli, do Anzhi, da Rússia, figurinha fácil na região desde os tempos que o pai, Zé Tadeu Martins, era técnico do Metropolitano. E o irmão, Juninho Tardelli, foi um dos destaques da brilhante campanha do Camboriú no título da Segundona Catarinense (mas não vai ficar para o Estadual 2012, está indo para o Esportivo de Bento Gonçalves-RS).

A lista de convidados ilustres é imensa. Abaixo, destaco alguns:

Diego e Juninho Tardelli

Léo Moura (Flamengo)

André (Atlético-MG, ex-Santos)

Carlos Alberto (ex-Figueirense e Corinthians)

Edno (Portuguesa)

Renan (Goleiro Corinthians, ex-Avaí)

Pinha (cantor do Grupo Exaltasamba)

Belo (cantor)

Dagoberto (São Paulo, está indo para o Inter)

Carlinhos (Ator, era o Mendigo do Pânico!)

Rafinha (Bayern de Munique)

Dirceu (Avaí)

Henrique (Palmeiras)

Evandro (blumenauense ex-Palmeiras, está no Estrela Vermelha, da Sérvia)

Eduardo Costa (Vasco)

Pedro Ken (Avaí)

Gabriel (Grêmio)

Carlos Alberto (Bahia)

Denílson (ex-São Paulo, Palmeiras, Seleção, atual comentarista da Band)

Dorival Junior (técnico do Inter)

Rodrigo Pimpão (ex-Vasco, está na Ponte Preta)

Rafael Coelho (Avaí)

Netinho (Atlético-PR)

Ari (Spartak Moscou)

Renê (goleiro do Barueri)

Rudnei (Ex-Avaí, está indo para o Cruzeiro)

Val Baiano

Edilson (Atlético-PR)

Julinho (Vasco, ex-Avaí)

Luis Mário (ex-Corinthians)

Oficialmente, nem Paulo Henrique Ganso, nem Neymar, estão confirmados na partida. Mas a presença deles, que ainda estão retornando do Japão, mas já estão em férias, é bem provável, de acordo com os organizadores.

A entrada será 2 quilos de alimento não-perecível. Os pontos de troca já estão disponíveis:

Camboriú

Supermercado Schimt, Papelaria Ferreira, Fundação Municipal de Esportes

Balneário Camboriú

D’Linge

Itajaí

Brava Beach

Outras informações sobre o jogo podem ser obtidas pelo telefone (47) 3365-5675

Siga o blogueiro no Twitter:

As lições do Barcelona em Yokohama

19 de dezembro de 2011 30

Estive de folga no domingo, sem acesso ao blog. Então me perdoem por postar minhas impressões sobre o jogo só agora:

Ao sair de campo após ser atropelado pelo Barcelona por 4 a 0 (não foi só o placar elástico, e sim o contexto da partida), Neymar, do alto dos seus 19 anos, mostrou maturidade de veterano:

“Hoje aqui foi uma aula de futebol. Temos que aprender e tentar melhorar para o futuro”

Não há o que contestar nas palavras de Neymar. Muito menos na vitória do Barcelona em Yokohama. Que era esperada, claro, mas foi com mais facilidade do que se imaginava (ao menos que eu imaginava). O Santos teve medo do Barça, tentou marcar lá atrás e sair em contra-ataques, mas deu tudo errado (como sempre dá com quem tenta fazer isso). Quando acordou, já perdia por 3 a 0 e o sonho do tri já tinha virado pó. Mas Neymar não deixou de ser um craque promissor por causa disso. Desde o fim do jogo as críticas dos oportunistas de plantão me parecem por demais injustas. O que penso dele, e de Messi, escrevi no post anterior (confiram aqui). E minha opinião não mudar uma vírgula terminado o jogo.

Bom, mas o jogo aqui não é o mais importante. Destaco aqui as razões que leval o Barcelona a ser tão superior atualmente. Não só em relação ao bom time do Santos, mas ao Real Madrid, ao Manchester United, ao Milan, enfim, a qualquer um. Discordo totalmente de quem, após o jogo, fez comentários oportunistas exaltando a superioridade do futebol europeu sobre o sul-americano (e brasileiro). O Barcelona não conta, é quase de outro planeta. Fosse outro adversário badalado na Europa, o Santos poderia vencer (provavelmente venceria). Teve azar de pegar o Barcelona de Guardiola, um time, hoje, imbatível.

E por que afinal o Barça é imbatível?

De tempos em tempos, alguns times marcam época impondo revoluções na forma de se jogar futebol. Estamos vivenciando a Era Barcelona, de um time que joga (pasmem) sem atacante (pelo menos da forma como conhecemos por aqui). Em que todo mundo se movimenta, não tem posição enraizada e marca (e aqui nem o melhor do mundo é exceção). E, principalmente, valoriza a posse de bola como algo sagrado. Erra muito pouco e joga seu jogo, aquele que acredita, independente de adversário e situação imposta pela partida.

Em resumo, um time irritantemente perfeito.

Parece natural, claro, que outros times vão arrumar um antídoto ao veneno do Barça. Não sei quanto tempo vai levar, mas vai acontecer. Nas palavras de Neymar, é preciso ter humildade de reconhecer que há muito o que aprender com eles na forma como se jogará futebol daqui por diante. Levará vantagem quem se adaptar mais rápido.

Mas calma…

Porque preparem-se para ouvir no futuro próximo muito treinador e jogador dizendo que quer jogar como o Barcelona, que o futuro é esse, aquelas coisas. Mas não se iluda, que não vai ser assim, da noite para o dia, que o seu time aí, cheio de pernas de pau, vai jogar como o time espanhol.

Eles levaram anos pra impor esta filosofia, muitos técnicos tentaram, mas só o atual, Pep Guardiola, conseguiu. O Barça teve muito time ruim, cheio de jogadores meia-boca, até conseguir colocar em prática a ideia de ter um time praticamente todo formado na base, com a filosoafia de jogo desejada bem treinada e compreendida desde os primeiros toques numa bola. No jogo com o Santos, só os laterais Dani Alves e Abidal não eram formados nas “cancheras”. Que clube brasileiro consegue fazer isso? O São Paulo recentemente tentou, mas neste ano, o time cheio de garotos formados no tricolor fez água, e a filosofia já foi mandado pro vinagre pelos cartolas.

O Barcelona não erra passes, valoriza a posse de bola, não tem vergonha de começar tudo outra vez até achar um companheiro pronto a receber a bola. O time faz poucas faltas, geralmente na zona morta do campo e faltas bobas, pra parar o lance mesmo. E só quando necessário. E nunca, nunca mesmo, dá chutão ou rifa a bola. E aí eu pergunto outra vez: que clube brasileiro chega perto disso? Aqui a filosofia desde sempre (e não só aqui, sejamos justos) é chegar na linha de fundo e cruzar, muitas vezes sem olhar se há um companheiro na área. Dar chutão pro atacante se virar lá na frente e, quando está perdendo, então, é chuveirinho pra área o tempo todo, sem se importar se essa é ou não a melhor alternativa.

Pense bem aí se o seu time, independente de qual seja, não faz exatamente isso?

Pois então, minha conclusão é que a maior lição que o Barcelona deixa aos demais clubes do planeta é de que o futebol fica muito mais bonito, e eficiente, quando jogado com INTELIGÊNCIA. O time catalão é vanguarda nisso e pode até colher uma hegemonia de anos e anos no futebol mundial. Resta saber quanto tempo nossos jogadores e treinadores em geral vão levar pra quebrar os velhos paradigmas, quase eternos, e entrar nesta nova era da bola. Hoje, só o Barcelona já está lá.

Siga o blogueiro no Twitter:

Messi ou Neymar, quem é melhor?

16 de dezembro de 2011 22

Domingo de manhã tem a tão esperada (e imperdível) final do Mundial de Clubes no Japão entre Santos e Barcelona.

É o encontro mais do que aguardado entre Neymar, o futuro, e Messi, o presente.

Em relação aos clubes, o Barcelona é muito favorito. O Santos pode, sim, vencer, porque estamos falando de futebol e porque tem talento e técnico competente para inverter a lógica. Mas precisará de uma façanha muito, mas muito maior do que aquela do Inter contra o mesmo Barcelona, em 2006. Mesmo em relação ao clube, porque aquele Barça era infinitamente inferior a este atual.

Sobre os protagonistas, é inevitável a pergunta: quem é melhor? Neymar ou Messi?

Pra mim, a resposta é muito mais simples do que parece.

Ambos são espetaculares, extra classe. Mas o argentino é melhor. No currículo e na bola.

Porém, Neymar, aos 19 anos, mostra mais potencial do que Messi mostrou aos 19 (hoje tem 24). Logo, ainda pode ser melhor.

E vocês, o que acham? Para ajudar, fiquem com um clipe com lances dos dois cracaços:

Siga o blogueiro no Twitter:

Vagas de emprego no Metropolitano

15 de dezembro de 2011 12

O Metropolitano está contratando. Sim, mas não são apenas jogadores para a temporada 2012, não.

Você que está aí, procurando um emprego, quem sabe sua chance não pinta neste fim de ano.

As vagas são para o projeto do Centro Metropolitano de Formação Esportiva, uma iniciativa muito positiva que o clube aprovou junto ao Ministério dos Esportes.

As vagas são estas:

- Assistente Social (1 vaga)
- Técnico de Futebol – Juniores (1 vaga)
- Técnico de Futebol – Juvenil (1 vaga)
- Técnico de Futebol – infantil (1 vaga)
- Auxiliar Técnico – Juniores (1 vaga)
- Auxiliar Técnico – Juvenil (1 vaga)
- Preparador de Goleiros – Juniores (1 vaga)
- Preparador de Goleiros – Juvenil/Infantil (1 vaga)
- Preparador Físico – Juniores (1 vaga)
– Preparador Físico – Juvenil (1 vaga)
- Preparador Físico – Infantil (1 vaga)
- Estagiário de Educação Física (3 vagas)
- Roupeiro (2 vagas)
- Psicólogo (1 vaga)
- Coordenador Técnico (1 vaga)
- Assistente Administrativo (1 vaga)
- Fisioterapeuta (1 vaga)
- Médico Desportista (1 vaga)
- Massagista (3 vagas)
Leia mais sobre o projeto aqui.
Siga o blogueiro no Twitter:

Metropolitano empresta o atacante Jairo

14 de dezembro de 2011 10

O atacante Jairo, 20 anos, o Jota Black, não vai jogar pelo Metropolitano no Catarinense 2012.

A jovem promessa, que marcou gol no jogo-treino de terça-feira, contra o São Luiz de Ijuí (RS), vai jogar no japonês Tochigui, mesmo time do volante blumenauense Paulinho.

O acerto já tem alguns dias, faltavam pequenos detalhes. Jairo vai por empréstimo de um ano (com opção de compra) e deve ter o contrato com o Verdão (que expira no fim de 2012) renovado antes disso.

Mesmo sendo o centroavante mais alto do elenco, ele não era opção principal nos planos do elenco. Por esse lado, pegar experiência fora do país pode fazer bem numa eventual volta ao clube no futuro.

Sem falar, claro, no lado pessoal. Jogar no Japão já dá pra fazer um pé de meia, como se diz. Pra quem há menos de um ano veio de ônibus de Tocantins, sem tomar banho e só a base de refrigerante e pastel (história fantástica que o Santa já contou), é uma bela guinada na vida.

Coisas do futebol.

Siga o blogueiro no Twitter:

Catarinenses no ranking da CBF 2012

13 de dezembro de 2011 17

Se há algo difícil de entender é o tal ranking da CBF, divulgado nesta terça-feira. Mas vá lá, é oficial (apesar de confuso). Serve, por exemplo, para determinar os times que entrarão na Copa do Brasil 2012 via convite.

E aí o torcedor do Figueirense tem muito a lamentar. O clube perdeu a última vaga na Copa do Brasil do próximo ano para o América-MG POR UM PONTINHO! Sim, 656 a 655. Ou seja, a arrancada do time mineiro na reta final, mesmo que tenha caído, mandando o Avaí para a lanterna, e os últimos resultados do Figueira no Brasileirão, determinaram não só o fim do sonho da Libertadores, mas também do que seria uma vaga justa na competição nacional. Mas há também um lado a ser observado: a campanha pífia no Catarinense acabou, no fim das contas, determinando este castigo. Mais um motivo pra repensar a forma como tem encarado o Estadual.

Ano que vem, muda tudo na Copa do Brasil, os critérios serão novos e, dizem, times das Séries A e B estarão automaticamente classificados. Ou seja, em 2013 o Figueirense já está garantido, mesmo que seja rebaixado na Série A.

Bom, olhando o ranking apenas entre os times catarinenses vemos muito equilíbrio entre os ponteiros. O Avaí, mesmo rebaixado na Série aproximou-se do Joinville por causa da semifinal da Copa do Brasil. O JEC, por sua vez, subiu pelo título da Série C. E o Criciúma segue liderando. Entre os times do Vale, o curioso é que o “líder” é o Blumenau Esporte Clube, o BEC, que não atua desde 2006, mas que ainda computa os pontos de boas campanhas nos anos 80 e 90. Confiram os catarinenses na lista:

30º Criciúma (733)

33º Figueirense (655)

35º Joinville (610)

38º Avaí (591)

105º Chapecoense (95)

119º Blumenau-BEC (63)

124º Marcílio Dias (61)

173º Tubarão (26)

209º Brusque (12)

216º Atlético de Ibirama (11)

276º Metropolitano (3)

302º Caxias e Juventus (2)

360º Caçadorense, Lages e Joaçaba (1)

Os 10 primeiros do ranking da CBF, lembrando que a entidade passou a considerar os títulos pré-Brasileirão, o que fez com que Santos e Palmeiras saltassem pro topo da tabela:

1º Palmeiras (2366)

2º Santos (2358)

3º Vasco (2234)

4º Grêmio (2208)

5º Flamengo (2207)

6º Corinthians (2197)

7º Cruzeiro (2114)

8º Internacional (2111)

9º São Paulo (2109)

10º Atlético-MG (2080)

E aí, o que achou? Concorda com a CBF?

Siga o blogueiro no Twitter:

Branco é o novo Jorginho no Figueira

13 de dezembro de 2011 14

O Figueirense queria alguém com perfil do técnico Jorginho. Conseguiu.

Se Adilson Batista e Falcão de certa forma também eram apostas, mas por motivos distintos, e pediram alto demais pra quem está em baixa no mercado, o alvinegro foi buscar outra opção.

Branco tem experiência como dirigente, como técnico engatinha. É arriscado, mas Jorginho também era. Conhecer de futebol, ambos conhecem a mesma coisa, creio eu. Jogaram em alto nível.

É uma aposta, talvez tenha torcedor que acredite que estava na hora de o clube parar de apostar. Mas eu, particularmente, gostei da escolha.

O problema do Figueirense, e agora problema do Branco, é o desmanche quase total do elenco de 2011. Este sim é um tremendo pepino a ser resolvido a curto prazo, pois o Catarinense está logo ali e o torcedor, dessa vez, não vai aceitar primeiro turno como laboratório, como tem sido nos últimos anos.

Siga o blogueiro no Twitter:

Metropolitano ficou com o Plano D

12 de dezembro de 2011 14

Fim do suspense. O Metropolitano anunciou nesta segunda-feira à tarde o nome do atacante que tanto procurou nos últimos dias.

E acabou não sendo nenhum nome de impacto, como se diz. É Chrys (assim mesmo), 25 anos, que era reserva do Tupi-MG campeão da Série D deste ano (chegou já com o torneio em andamento). Ele é filho do ex-meia Aílton, aquele que fez o gol do título brasileiro do Grêmio, em 1996, contra a Portuguesa, e um ano antes fez toda a jogada do épico gol de barriga de Renato Gaúcho pelo Fluminense na decisão do Carioca contra o Flamengo.

Por falar em D, é mais ou menos por aí que se encaixa a opção que acabou vingando. O Metropolitano queria sim um nome conhecido, até para atrair torcedores. Mas não faria nenhuma loucura (em termos financeiros) por isso.

Dodô nunca foi uma opção, apenas um nome ventilado sabe-se lá por quem. A primeira opção era Roni, ex-Fluminense e que estava no Vila Nova-GO. Não deu. O Plano B estava na pauta até esta segunda-feira, mas o atacante Warley, ex-São Paulo, Grêmio, Seleção, que estava no Treze-PB. Faltou ele dizer o sim para a proposta do clube. Antes de todos eles, cogitou Pedrão, ex-Barueri, mas ele optou pelo América-SP, que vai jogar a Segundona do Paulistão.

A verdade é que o Metrô até queria um nome famoso, mas não apenas por marketing. Teria que ser alguém que acrescentasse ao time, e como as opções viáveis encontradas não vingaram, o clube voltou ao trivial e contratou uma promessa, um atacante de acordo com a realidade do Verdão.

Pode frustrar quem esperava por uma bomba, mas não deixa de ser uma boa contratação.

Só fica uma dúvida: não teria sido mais negócio então manter o Jônatas? Que, por sinal, nesta segunda também se apresentou ao Juventude-RS.

Sobre outras especulações, como Iranildo e Kléber Pereira, não posso falar porque em nenhum momento ouvi estes nomes das minhas fontes.

Ah, e a promoção no blog!!! Foram 72 tentativas, um chutou o Warley, dois o Roni e pelo menos um outro o Pedrão. E aí, alguma sugestão? Sorteio entre eles o ganhador?

Siga o blogueiro no Twitter: