Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de fevereiro 2012

Acompanhe e comente Brusque x Metropolitano

29 de fevereiro de 2012 2

O blog acompanha os lances de Brusque x Metropolitano, uma das quatro partidas que abrem o returno do Catarinense 2012 nesta quarta-feira. Venha conosco, participe da transmissão mandando perguntas ou comentários. A transmissão, a partir das 20h15min, será de Anderson Silva, este blogueiro estará nos comentários.

Palpites da 1ª rodada do returno do Catarinense

28 de fevereiro de 2012 30

Turno novo, palpites novos.

Sem delongas, vamos a eles. E quem quiser participar, será muito bem-vindo e já sabe como.

Avaí 1 x 1 Chapecoense

E aí, a Chapecoense derruba Ovelha do comando do Leão? Seria irônico, mas acho que (ainda) não.

Criciúma 2 x 1 Atl. Ibirama

O Tigre precisa de vida nova no returno. Em casa, deve prevalecer, mesmo diante do bom time de Ibirama.

Brusque 1 x 3 Metropolitano

O lanterna Brusque até melhorou depois da chegada do técnico Joceli dos Santos, mas a situação ainda é complicada. O Metrô, por outro lado, vive momento de afirmação e precisa muito da vitória.

Marcílio Dias 2 x 2 Figueirense

Que Figueirense estreia nesta quarta no returno? Aquele que deu uma arrancada espetacular para o título do turno, ou um time desmotivado, já que repetir a dose no returno não lhe garantirá maiores vantagens? Tenho dúvidas, mas acredito que o Marcílio, empolgado após a primeira vitória, vá dar trabalho.

Camboriú 2 x 4 Joinville

Na estreia, o Camboriú aprontou na Arena e bateu o JEC. Agora, no reencontro, o time do norte do Estado é bem diferente (na postura) e tem tudo para devolver o “presente”.

E vocês, o que acham?

Siga o blogueiro no Twitter:

Brasil x Bósnia: comente o amistoso no blog

28 de fevereiro de 2012 2

Assista ao primeiro amistoso do ano da Seleção Brasileira e comente aqui comigo no blog. Gostou? Não gostou? Opine, mande perguntas e comentários durante o jogo que começa às 16h em St. Gallen, na Suíça.

Ronaldinho Gaúcho é enfeite na Seleção

27 de fevereiro de 2012 4

Quase ninguém se importa, mas a Seleção Brasileira vai atrapalhar os clubes mais uma vez nesta terça-feira, com um amistoso sem importância contra a poderosa Bósnia-Herzegovina.

Jogo à parte (não há nada de positivo que possa ser levado dele), as notícias que chegam desde a Suíça sobre o jogo (aliás, até lá dão mais importância pro Michel Teló, que fará show no país, do que à Seleção) me fazem ao menos entender uma das minhas dúvidas a respeito desse time.

Agora, enfim, entendo o que Ronaldinho Gaúcho faz lá. Sem jogar futebol (profissional) há muito tempo, em termos técnicos fica impossível justificar a convocação dele. Diferente de quando voltou, ano passado, e estava na melhor fase com a camisa do Flamengo.

Aí eu vi o dentuço recebendo tratamento de estrela que um dia foi por poarte dos poucos torcedores que foram recepcionar o time. É isso! Ronaldinho é um enfeite, um embaixador da Seleção.

Faz todo o sentido. Como o time vive uma fase sem astros (Neymar ainda não pode ser considerado um na Europa), a CBF precisa do R10 no time para justificar as cotas milionárias nos amistosos. Afinal, quem pagaria caro para ver um monte de desconhecidos, mesmo que vestindo a camisa mais vencedora do planeta?

Tem também uma outra questão que já abordei no ano passado. Como o grupo está em formação, é cheio de jovens com pouca experiência, Ronaldinho acaba tirando deles a pressão, sobretudo quando os resultados não acontecem. Nesse ponto, ele até tem serventia.

De qualquer forma, com enfeite ou sem enfeite, a Seleção da CBF vive um momento bem complicado, se projetarmos 2014. Não bastasse o vexame que daremos fora de campo, na organização da Copa, a esperança era de que ao menos nas quatro linhas ele não se repetisse. Sei não…

PS: Estou pensando em fazer um acompanhamento aqui no blog durante o jogo da Seleção nesta terça. Assim, aproveitaríamos a pelada, digo, o amistoso, para debater o time e demais questões futebolísticas. O que vocês acham?

Siga o blogueiro no Twitter:

Coluna do Braga no Santa - 27/2

27 de fevereiro de 2012 5

Coluna publicada no caderno de esportes do Santa desta segunda-feira:

Returno sorri para o Metrô

Terceiro lugar no turno, concluído com uma vitória histórica, e inédita, sobre o Avaí na Ressacada. Não poderia ter sido melhor a virada de fase para o Metropolitano. Com 16 pontos, o Verdão abre dois pontos para o Atlético na briga pela Série D (disputa será até o fim) e fica em ótima situação projetando o returno, que já começa na quarta-feira.

Com cinco jogos em casa, é seríssimo candidato a uma das vagas nas semifinais pelo índice técnico. Não pode, claro, dar as vaciladas que deu no Sesi até aqui – fez seis pontos em 12, incluindo derrotas para Brusque e Criciúma. Fora de casa, foi muito bem. 10 pontos em 15, com vitórias sobre Atlético, Avaí e Camboriú e empate em Chapecó, jogando melhor. A única derrota foi para o campeão Figueirense. E para a boa campanha no returno, é praticamente obrigação vencer os três primeiros jogos – Camboriú no Sesi e Brusque e Marcílio fora de casa.

Consistente, mas…

No jogo, o Metrô aproveitou o desânimo avaiano para construir uma vitória sólida, apesar do placar apertado. Mas o time precisa largar essa mania de recuar excessivamente quando está ganhando. E o torcedor também agradeceria se não perdesse tantas chances de matar as partidas em contra-ataques…

Recomeço

Na estreia do técnico José Galli Neto, o Marcílio Dias teve outra postura e, de virada, venceu a primeira no Estadual. O 2 a 1 sobre o Atlético de Ibirama foi ótimo para o Metropolitano e encheu o torcedor rubro-anil de esperança de um returno melhor. Mas o time segue campeão em desperdício de pênaltis. Ontem, perdeu o quarto em cinco oportunidades.

Em boas mãos

O Figueirense mereceu o título do turno no Catarinense, sobretudo pela arrancada que deu nas rodadas finais. Belo início de trabalho do estreante técnico Branco, que chegou cercado de desconfiança.

Ovelha a perigo

O Avaí caiu de rendimento na reta final (coincidentemente, depois de assumir a liderança só perdeu e termina o turno em quarto). Tem gente falando em corpo mole pra derrubar Mauro Ovelha, o que pode ocorrer ainda. E seria um erro, na minha opinião.

Coisas da bola

O Vasco poderia ter eliminado o Fluminense na fase de grupos. Bastava perder pontos pra Volta Redonda ou Boavista, isso com o time já classificado. Deixou de lado a sacanagem (fosse nos tempos de Eurico Miranda teria feito), “ajudou” o rival e de presente foi atropelado pelo tricolor na final da Taça Guanabara.

Só o futebol é capaz dessas coisas.

Pra terminar…

E lá se foi a Seleção pra Suíça enfrentar a poderosa Bósnia-Herzegovina, amanhã. Quem se importa?

O turno do Catarinense ficou em boas mãos

26 de fevereiro de 2012 19

E o Figueirense, como já se previa desde a vitória no clássico da Ressacada, há duas rodadas, é o campeão do primeiro turno do Catarinense.

O caminho se abriu para o alvinegro, que não desperdiçou. Depois da derrota para a Chapecoense no Oeste, o Figueira, dado como carta fora do baralho (inclusive por este blogueiro, não me esquivarei), venceu as quatro partidas seguintes, e nelas marcou 15 gols.

Por outro lado, a Chapecoense, desde aquela que havia sido a quinta vitória em cinco jogos, não venceu mais (uma derrota e três empates). E o Avaí, que chegou a assumir a liderança e depois disso perdeu as três partidas seguidas.

Portanto, não há contestação à conquista alvinegra. E o técnico Branco, cercado de desconfiança desde que chegou, carimba o trabalho com um título (mesmo que de certa forma simbólico) logo de cara. Se não lhe garante paz, é no mínimo um bom indicativo.

Sobre o jogo decisivo, em Camboriú, pouco a acrescentar. O Figueira atropelou um frágil time da casa, como era de se imaginar. E mesmo que tivesse tido mais dificuldade, os adversários diretos não fizeram a parte deles.

Na Ressacada, o Avaí foi mal, desinteressado até. Perdeu com justiça para um aplicado Metropolitano, que se despediu do turno comerando sua primeira vitória na Capital e a surpreendente terceira colocação na tabela.

Não sei se Mauro Ovelha balança de fato, como ouço falar. Se sim, não concordo. Ele foi contratado para fazer um trabalho à longo prazo, com um elenco formado na maior parte por apostas. A não ser que, como desconfio, a diretoria trata desde o início o treinador como uma aposta que poderia ou não dar certo no Estadual. E, se desse, ficaria para a Série B.

O Metrô, que não tem nada com isso, vê o returno do Estadual sorrir para ele, como escrevo na minha coluna desta segunda-feira no Caderno de Esportes do Santa (publicarei ela aqui mais tarde). O time de Blumenau tem tudo para ficar com uma das vagas nas semifinais pelo índice técnico.

Quem também projeta um returno bem melhor é o Joinville. Neste domingo, vitória magra em um jogo sem muitos atrativos contra o Brusque, que com justiça foi parar na lanterna da competição. O JEC tem Lima agora artilheiro ao lado de Rafael Costa (ambos com oito gols) e um time que ganhou confiança. A conferir se vai manter o nível das últimas atuações a partir da primeira rodada do segundo turno, no meio de semana. Afinal, o tricolor entra com a obrigação de brigar pelo título ou, no mínimo, pela pontuação necessária para entrar pelo índice técnico. E as boas atuações do time coincidiram com a chegada de Argel, mas também com as rodadas em que o time não brigava mais por nada, sem pressão.

Criciúma e Chapecoense, que empataram no Heriberto Hülse, fecham o turno em baixa. O Verdão é vice-líder, é verdade, mas caiu fortemente de produção. O Tigre, por outro lado, em nenhum momento convenceu completamente. E com uma pontuação baixa até aqui, provavelmente vai precisar de um returno quase perfeito para chegar às semifinais. E não sei se o time, ainda com técnico indefinido, está pronto para isso.

O Atlético de Ibirama até tinha chances de título (bem remotas), mas acabou derrotado pelo Marcílio Dias, que, de técnico novo, enfim desencantou. O Marinheiro deixou uma boa impressão de que pode reagir (deixou a lanterna para o Brusque já). O time de Ibirama, apesar do tropeço, vai seguir na briga (por semifinal, sim) e pela vaga na Série D (briga direta com o Metrô) até o fim.

Por fim, o Camboriú termina o turno na classificação que projetou: a oitava, fora da zona de rebaixamento. Mas o crescimento do Marcílio deve preocupar o caçula do Estadual, que vai precisar roubar uns pontinhos de gente grande no returno pra não cair posições e, por consequência, de divisão. Já o Brusque… Esse, só um milagre daqueles salva.

Siga o blogueiro no Twitter:

Acompanhe os lances de Avaí x Metropolitano

25 de fevereiro de 2012 8

Acompanhe no blog a cobertura da última rodada do turno do Catarinense. O Avaí, ainda com chances de título, recebe o Metropolitano na Ressacada, às 16h. confira os principais lances e comente este e os os demais jogos da rodada decisiva.

Palpites da 9ª rodada do Catarinense

24 de fevereiro de 2012 22

E chegamos à última rodada do primeiro turno do Catarinense. Cinco jogos no domingo, quatro no mesmo horário envolvendo as equipes que ainda brigam pelo título. Vamos aos palpites. Quem quiser participar, sabe  como fazer.

Brusque 1 x 4 Joinville

É o jogo que fecha a rodada, mas como não passa de um cumprimento de tabela, começamos por ele. O Brusque está em busca de um time, que ainda não tem. O JEC já passou por isso ao longo do turno, mas recuperou-se e vai entrar forte no returno.

Criciúma 2 x 1 Chapecoense

O Tigre ganhou moral com a vitória no Sesi, o Verdão ao que tudo indica perdeu fôlego na reta final. Em casa, dá Criciúma.

Marcílio Dias 0 x 3 Atlético Ibirama

O Marinheiro está sem rumo, e vai ter que arrumar a casa no returno pra não cair sem esboçar reação. Nesta despedida do turno, diante do bom e organizado Atlético, deve ser presa fácil diante de um estádio, provavelmente, às moscas.

Avaí 2 x 2 Metropolitano

O Leão ainda tem chances de título, mas no fundo os jogadores sabem o quanto é difícil e o desânimo deve bater, sobretudo se notícias de gols do arquirrival em Camboriú forem chegando. O Metrô, que está com foco na pontuação geral, pode tirar proveito disso.

Camboriú 0 x 2 Figueirense

Acredito que moleza o Figueira não vai encontrar no Robertão. O Camboriú vai dar trabalho, mas no fim a vitória e o título do turno devem ir para o Scarpelli. Merecido pela arrancada na reta final.

E vocês, o que acham? Opinem aí!

Sigam o blogueiro no Twitter:

Com CT, Metropolitano muda de patamar

24 de fevereiro de 2012 6

O Metropolitano anunciou nesta sexta-feira um projeto que já vinha sendo tratado nos bastidores pelo menos desde 2010: a contrução do Centro de Treinamento (veja matéria aqui).

Muitas foram as tratativas (e alternativas), várias naufragaram. Agora, um terreno na região das Itoupavas, cedido pela Família Georg, vai abrigar o CT Romeu Georg (uma justa homenagem a uma dos maiores, se não o maior, incentivador do esporte blumenauense).

O CT é uma vitória não só do clube, mas do futebol blumenauense. Em 10 anos (completados em janeiro), o Metropolitano solidificou-se como clube da cidade (e da região). Evoluiu bastante dentro de campo, mas sempre sem uma base. Agora, muda de patamar para os próximos 10 anos.

Os clubes em geral ganham outra dimensão quando passam a ter um Centro de Treinamento. Reportagem do Santa desse final de semana mostra o exemplo dos cinco grandes do Estado, e o que eles ganharam depois que passaram a ter um CT. Em resumo, a tendência é de evolução exponencial nos próximos anos (após a conclusão do CT, claro).

Por fim, o projeto cala os que ainda insistem em criticar o clube por não ter raízes na cidade, por ser “aventureiro” ou ter como fim único negociar atletas. Tá aí uma coisa que nem vale mais a pena discutir…

O próximo (e importante) passo, é garantir o estádio próprio. E tenho certeza que este projeto também vai sair do papel.

Siga o blogueiro no Twitter:

Figueira com a mão na taça do turno

23 de fevereiro de 2012 41

Todo mundo ajudou, o Figueirense agradeceu.

Mas a verdade é que nenhum resultado chegou a ser uma surpresa daquelas difíceis de imaginar. Desde a última rodada tudo estava pendendo para o lado alvinegro.

Contra o Brusque, fez a parte dele e atropelou: 4 a 0 e grande atuação de Júlio César.Agora, na última rodada, vai ao Robertão enfrentar o bom time do Camboriú. que a turma de Branco não espere por moleza, mas é inegável que ficou muito perto da taça do turno.

Isso porque, em Ibirama, a Chapecoense confirmou a sina de tropeçar no Atlético. Mesmo que o time da casa tenha terminado o jogo com dois homens a menos, só conseguiu o empate na Baixada. É bom registrar, no entanto, que o primeiro gol do Atlético, de Mateus, nasceu de um erro incrível da arbitragem de Rodrigo D’Alonso. O jogador do Atlético dá uma cortada de vôlei na bola no lance na pequena área. Escandaloso. Um erro desses que não dá mais pra admitir na arbitragem catarinense.

Em Joinville, o Avaí não viu a bola e foi amplamente dominado pelo JEC, que ao que parece ressurge sob o comando de Argel. Uma bela atuação tricolor, que dá esperanças ao torcedor de uma campanha melhor no returno.

Por fim, o jogo do Sesi. O Metrô tinha tudo para chegar à rodada final vivo na briga pelo título. Jogou melhor, dominou boa parte do jogo diante de um Criciúma apático, sobretudo no primeiro tempo. O gol de Nequinha, que abriu o placar, veio só aos 16 do segundo tempo. Mas foi aí que o jogo mudou. O interino Silvio Criciúma mostrou que tem estrela: colocou Lucca e André Gava e, no primeiro lance, Lucca fez a jogada e tocou para Gava empatar. O Tigre melhorou e o próprio Lucca (que, sinceramente, não entendo como pode ser reserva nesse time) virou o placar. Desânimo no Sesi. O Metrô mais uma vez falhou numa fase decisiva. E o Tigre ganha fôlego para voltar à briga no returno.

Na última rodada, domingo, com os cinco jogos ao mesmo tempo, Figueira, Chapecoense e Avaí brigam pelo título. O Atlético tem chances apenas matemáticas. Os demais já estão de olho no returno.

Siga o blogueiro no Twitter: