Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de março 2012

Palpites da 7ª rodada do returno do Catarinense

30 de março de 2012 25

Agora o bicho pega!

Fui poupado de palpitar no inesquecível clássico dos rebaixados entre Marcílio Dias e Brusque, que os envolvidos ignoraram o Estatuto do Torcedor e passaram para sexta-feira.

De resto, é só jogão, minha gente. Vamos a eles. Quem quiser participar, aqui já sabe como faz tempo.

Metropolitano 1 x 1 Chapecoense

O Metrô tem um problema sério nesse Catarinense: não consegue jogar bem em casa. Freud explica, o time cede à pressão psicológica de precisar convencer diante do torcedor. Mesmo precisando vencer, tem pela frente uma Chapecoense que se reencontrou. Cheiro de vacilo. De novo.

Atlético Ibirama 2 x 1 Camboriú

Quem acha que vai ser moleza pelo fato de o Cambura já estar a passeio, está muito enganado. Leve, o time vai poder jogar o bom futebol que o marcou ao longo da campanha, mesmo quando os resultados não vieram. Mas pela necessidade, e pela força na Baixada, o Atlético leva. Apertado.

Joinville 2 x 2 Criciúma

Difícil, hein. O JEC tomou uma paulada em Chapecó no meio de semana, o Tigre é a sensação do returno. Pinta de jogão. E de empate dos bons.

Figueirense 3 x 1 Avaí

Clássico é clássico, já diria o Jardel. Mas nesse o Figueira é muito favorito. Pode dar o contrário, claro, mas vai ser surpresa. No último Brasileirão, por exemplo, foi exatamente assim. Será que o raio cai 3 vezes no mesmo lugar? Acho que não.

E vocês, o que acham? Vamos ver quem vai melhor na rodada?

Siga o blogueiro no Twitter:

Um Catarinense muito doido

29 de março de 2012 26

Que Catarinense maluco é esse de 2012, minha gente!

Eu, eu mesmo, aqui neste espaço, já tratava de colocar de lado Criciúma e Chapecoense da briga pelas semifinais. E o que eles fizeram? Reaparecem em grande estilo. Com vitórias convincentes, pularam para a segunda e terceira colocação na classificação geral. O Tigre, embalado, de quebra ainda lidera o returno. Ambos estão mais vivos do que nunca.

O jogo de Chapecó carece de explicação. Foi 4 a 1, e o goleiro Ivan ainda foi o nome do jogo (entre outras coisas, pegou dois pênaltis). Ou seja, foi um atropelamento. No turno, na Arena, foi o contrário. Campeonato maluco esse…

Em Criciúma, o Tigre não tem nada, nadinha mesmo, com o fato de o Figueira poupar titulares pensando no clássico de domingo, no Scarpelli. Ganhou merecidamente, pulou na frente no returno e mostrou que Silvio Criciúma achou a formação ideal do time (será que foi porque enfim passou a apostar no talentoso Lucca, diferente dos antecessores?). O Figueira pela primeira vez não marcou no ano. Fez uma opção em priorizar o clássico e pagou o preço. Mas cá entre nós, um time sacaneado pelo regulamento, que não tem motivação nenhuma em buscar também o returno, até que o alvinegro está fazendo além da conta.

O Avaí sem Ovelha massacrou o saco de pancadas do campeonato. Até aí, qual a surpresa? Alguém dirá que o problema era o treinador, mas eu não concordo. Era o adversário ideial para abafar crise. O Leão, mesmo em situação mais dura em relação aos rivais, também sonha com as semifinais.

Em Blumenau, empate ruim para Metropolitano e Atlético: 2 a 2. O Metrô virou com o artilheiro Rafael Costa, mas cedeu a igualdade nos minutos finais. Na briga entre eles pela Série D, vantagem verde mantida em 5 pontos, mas o time do Alto Vale gostou, pois considera sua tabela mais fácil na reta final (e é mesmo). O Metrô agora vai precisar de superação se não quiser ver ir pelos ares a campanha que construiu até aqui. Tem dois jogos em casa, contra Chapecoense e Avaí brigando, e esse é o problema: jogar em casa. Fora, visita o embalado Criciúma. A situação do Metrô, de fato, complicou-se.

Por fim, os rebaixados. Quarta-feira triste para Brusque e Marcílio Dias. Mas a campanha deles é tão ruim, mas tão ruim (perdi as contas de quantas goleadas tomou o Marinheiro), que não há ninguém surpreso. Os dois precisarão repensar muita coisa, de castigo lá no limbo da Segundo na estadual em 2013. O Camboriú, que não tem nada com isso, festejou a permanência na elite.

Siga o blogueiro no Twitter:

Acompanhe Metropolitano x Atl. Ibirama

28 de março de 2012 10

Blog acompanha o jogo no Sesi nesta quarta, a partir das 20h30min. É decisão para os dois times do Vale. Acompanhe os lances e comente aqui:

Clube belga faz clipe com paródia de hip hop

28 de março de 2012 1

O Club Brugge é um dos times mais populares da Bélgica. Mas isso, convenhamos, não quer dizer lá grandes coisas…

Atualmente, é vice-líder do Campeonato Belga, seis pontos atrás do maior rival, o Anderlecht. Confira aqui o site oficial dos caras.

Bom, mas isso não vem ao caso.

O interessante mesmo foi o que aprontou o grupo de jogadores do Brugge. Sem muita coisa pra fazer no frio belga, os malucos resolveram gravar um clipe da música Party Rock Anthem, do grupo de hip hop LIMFAO. O resultado é cômico, confiram aí abaixo. Com direito a participação das musas do clube (aliás, tão muito bem de musas), dos mascotes e até do técnico! (sim, o figuraça de bigode é o técnico do time). Confiram:

Palpites da 6ª rodada do returno do Catarinense

27 de março de 2012 46

Pois é, eles andaram sumidos (igual ao blogueiro). Mas também voltaram. Palpites quentinhos da rodada que promete ser muito quente. Sem enrolação, vamos a eles. E vocês sabem como participar:

Chapecoense 1 x 2 Joinville

É a última cartada da Chape em relação às semifinais (não matematicamente, mas moralmente). Se não vencer em casa, o time sabe que ficará difícil avançar. Pra complicar, o JEC vem no seu melhor momento no campeonato. Sem falar que o tricolor nos últimos anos se transformou na asa negra do Verdão do Oeste.

Brusque 1 x 1 Camboriú

Praticamente uma missa de corpo presente. Todo mundo já sabe que o Brusque vai cair, só falta o empurrão final. Que o Camboriú vai dar, fazer a festa pela permanência e de quebra rebaixar também o Marcílio Dias. Merecidamente.

Metropolitano 3 x 2 Atlético Ibirama

Tenho um palpite que será um dos melhores jogos do campeonato. Dois times que têm potencial ofensivo, tocam bem a bola e precisam muito vencer. É uma final paralela, pois vitória do Metrô (ou até um empate) praticamente define a vaga disputada por eles na Série D do Brasileiro.

Avaí 3 x 0 Marcílio Dias

Nada como o saco de pancadas do campeonato para amenizar uma crise. De técnico (s) novo (s), o Avaí atropela o rebaixado Marinheiro e respira.

Criciúma 3 x 3 Figueirense

Outro que promete ser um jogaço. Tigre e Figueira estão em alta e o potencial do encontro entre eles é de muitos gols.

E vocês? Concordam?

Siga o blogueiro no Twitter:

Figueira sobra na turma. JEC vai no embalo

26 de março de 2012 37


Figueira venceu fácil a Chapecoense e lidera também o returno


Olá, pessoal, estou de volta depois de 10 dias em compromissos profissionais fora do país. Daqui por diante, vamos retomar a rotina de debater aqui o dia a dia do nosso Campeonato Catarinense.

No post anterior (leia aqui) já falei dos jogos de sábado. Do virtual rebaixamento de dois ex-campeões estaduais (Brusque e Marcílio Dias) e da queda (confirmada neste domingo à noite) do técnico Mauro Ovelha no Avaí.

Agora, vamos aos jogos desse domingo:

Na Arena, o Joinville mereceu a vitória sobre o Metropolitano. Dominou a maior parte do jogo e o goleiro Dida foi o nome da partida. O Metrô, cheio de desfalques, tinha uma proposta de esfriar o jogo, um empate estaria de ótimo tamanho. E quase conseguiu. Não fossem as falhas clamorosas da defesas nos dois gols de Alex para o JEC (no primeiro, Nequinha, meio metro mais baixo, sobe para dividir bola aérea com Lima). E principalmente não fosse o gol inacreditável perdido pelo estreante Clodoaldo na etapa final, daqueles de inacreditável futebol clube.

O Metrô sofreu a segunda derrota seguida, mas segue na briga pelas semifinais (dos quatro jogos, faz três em casa, e os adversários se enfrentam). E, de forma mais direta, pela vaga na Série D. Com a vitória do Atlético no sábado, a diferença caiu para cinco pontos e na quarta-feira as duas equipes se enfrentam no Sesi. É decisão para ver quem segue com calendário no resto da temporada. Já o JEC me parece garantido nas semifinais, resta saber se como campeão do returno ou pelo índice técnico.

Na Capital, o Figueira manteve o embalo e passou fácil pela Chapecoense: 3 a 0. A nota triste do jogo foi a contusão grave de Héber, numa entrada de Souza que alguns julgaram de jogo, outros viram como criminosa, e eu, vendo a imagem, a defino como, no mínimo, desproporcional. Chocante mesmo foi o árbitro José Acácio da Rocha não ter dado nem amarelo no lance. Quer dizer, chocante não é , né…

O Figueira tem sobrado na turma, é cada vez mais favorito ao título. Mas pode tropeçar no regulamento ridículo do Catarinense, que não permite que o alvinegro levante a taça conquistando o turno (já levou) e o returno (lidera), como é em outros estaduais. Aí, numa semifinal, vai que tem um dia ruim… A Chapecoense me parece cada vez mais sem forças para chegar à reta final do campeonato. Nesta semana, recebe o JEC e visita o Metrô. É o teste definitivo.

Siga o blogueiro no Twitter:

Sobre a queda de Ovelha no Avaí. Único culpado?

25 de março de 2012 21

Com a derrota em Camboriú, Avaí fica em situação complicada no Estadual


O Camboriú é o caçula do Catarinense 2012. De orçamento modesto, desde o início deixou claro que o objetivo nesta estreia na elite era ficar na oitava colocação, garantindo assim a permanência no próximo ano.

Pois bem, o Cambura pelo jeito chegou lá neste sábado, ao vencer o Avaí por 1 a 0 no Robertão e promover um verdadeiro strike no campeonato. Com o resultado, absolutamente justo, derrubou, de uma única vez, Brusque e Marcílio Dias, agora virtualmente rebaixados, e o técnico Mauro Ovelha, demitido do Leão de maneira oficial neste domingo à noite (confira aqui a nota oficial no site do clube).

O Camboriú não tem nada com isso, claro. Fez a parte dele e está de parabéns pela façanha.

Brusque e Marcílio também não de hoje estão balançando. Fazem péssimas campanhas desde o início do Estadual. Agora, após as derrotas para Atlético e Criciúma, respectivamente, só um milagre daqueles (que até eles sabem que não virá) para evitar a degola.

Pausa para falar dos vencedores: o Atlético se manteve vivo na briga pela Série D e jogou pressão pra cima do Metropolitano, que neste domingo tem parada duríssima contra o JEC na Arena. E quarta-feira os dois rivais do Vale fazem “final” por esta vaga no Sesi. E o Criciúma, enfim, parece um time seguro. Após os 7 a 0 da rodada anterior, entrou na briga pelo título do returno. Que diga-se de passagem é a única chance do Tigre, pois a pontuação baixa do turno dificilmente permitirá almejar algo no índice técnico.

Agora, o Avaí:

O time é fraco, e ponto final. Mauro Ovelha fracassou na tentativa de montar um time com apostas baratas para a qual foi contratado. Desde o fim do jogo, sábado, e na verdade até bem antes, era certo que dificilmente ficaria na Ressacada.

Mas fica a pergunta: seria Ovelha o único culpado? Ou ele apenas não conseguiu fazer o milagre de ajeitar um elenco que é fraco tecnicamente? Com esse time, que provavelmente deu adeus ao Estadual com a derrota em Camboriú, temo que o Avaí vá à Série B apenas para fazer aquela baldeação que tantos clubes já fizeram: da A pra C. O que seria terrível para o futebol catarinense. Mudar o técnico, tudo bem, até porque ficou mesmo insustentável. Mas trocar apenas o comandante não vai mudar muita coisa.

Siga o blogueiro no Twitter:

Em Blumenau não dá para fazer futebol?

21 de março de 2012 26

Pois bem, trago para o espaço democrático do blog o debate que lancei na minha coluna do Santa desta quarta-feira. Opinem!

Como vocês sabem, foi bem de longe que acompanhei a derrota do Metropolitano no domingo para o Figueirense. Tampouco aqui da Nova Zelândia pude dimensionar, até então, o tamanho da polêmica pela venda do atacante Maurinho para o futebol russo.

Pois foi acabar o jogo aí no Brasil, manhã de segunda-feira em Auckland, que minha caixa de e-mails foi forrada de desabafos de torcedores (?) do clube, que adotaram a venda do jogador como culpada pela goleada. Fiquei espantado. Os termos mais comuns foram “é sempre assim”, “em Blumenau não dá”, “time de empresários”. Só faltou o “volta, BEC”, para estar completo todo o rosário de ladainhas…

Às vezes, até entendo quem defende a tese de que em Blumenau não dá. Mas não porque o clube errou ao vender o Maurinho (porque não errou). Cá entre nós, jogador mediano quando vive fase boa qual clube não vende na primeira oportunidade para aproveitar a valorização? Diga um, um único que seja, que não faça isso. Com Maurinho ou sem Maurinho, o Metrô provavelmente perderia igual no domingo, porque o Figueirense está em outro nível e também porque foi um daqueles jogos em que tudo deu errado. Acontece. O Metropolitano caminha para se tornar um time grande, tem uma caminhada sólida nos últimos anos. Mas para alguns, toda vez que perde a desculpa é que o time não tem identificação com a cidade, blá, blá, blá.

Se em Blumenau não dá (eu acho que dá), a culpa no caso é de quem prefere torcer com controle remoto no sofá e que quando aparece é pra remar o barco para trás.

Volvo Ocean Race - acompanhe os barcos até Itajaí

20 de março de 2012 4

Os barcos da Volvo Ocean Race 2011/2012 partiram de Auckland, Nova Zelândia, no domingo. Agora os olhos do mundo da vela estão todos apontados para Itajaí, próxima parada da flotilha.

Aqui no blog, que mostrou pra vocês os bastidores aqui da Nova Zelândia, acompanhe de pertinho o caminho dos aventureiros até o nosso litoral.

Acompanhe neste aplicativo do site oficial da Volvo Ocean Race a performance em tempo real de cada um dos seis barcos nos 12,4 mil quilômetros da etapa mais longa e perigosa da volta ao mundo. No momento dessa postagem, a liderança era do barco espanhol Telefónica, mas com pouca vantagem e ainda nas proximidades da Nova Zelândia. E o barco de Abu Dhabi, que precisou retornar a Auckland para reparos, bem distante do grupo, provavelmente com a etapa já comprometida.

Divirtam-se

O Saint Patrick's Day em Auckland

16 de março de 2012 3

Enquanto escrevo esse post ainda é noite de sexta-feira no Brasil. Aqui na Nova Zelândia, já é sábado (estamos 16 horas à frente). E sábado de festa. Como em todos os países de colonização britânica, comemora-se no 17 de março o Dia de São Patrício (Saint Patrick´s Day), um dos santos padroeiros da Irlanda.

É muito provavelmente o feriado santo mais divertido do mundo. O St. Patrick’s tornou-se uma celebração da amizade, e as pessoas saem às ruas todas vestidas de verde (cor da Irlanda) e com fantasias e, claro, os chapéus típicos dos irlandeses, aquelas cartolas bem altas. E os bares, em alguns casos, patrocinam a bebedeira para comemorar.

A Vila da Regata da Volvo Ocean Race aqui em Auckland está no clima da festa. A maioria esmagadora das pessoas que lota a área neste sábado, dia de regata, está de verde. Também é o dia em homenagem à Irlanda (o do Brasil foi quinta-feira), já que a Volvo Race vai terminar na cidade irlandesa de Galway em julho.

Festa é festa, amizade é amizade, mas os neozelandeses não perdem a oportunidade de cutucar os vizinhos australianos (uma rivalidade histórica que lembra muito nosso Brasil x Argentina, mas trocando o futebol pelo rúgbi). Em vários bares, cartazes alusivos ao feriado de uma cervejaria irlandesa brincam que o 17 de março é “dia de celebrar a amizade com todos os povos e australianos”…