Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coluna do Braga no Santa - 30/5/2012

30 de maio de 2012 1

Coluna publicada na edição desta quarta-feira no Jornal de Santa Catarina:

O legado e a inveja

Blumenauenses têm orgulho do legado da cidade no esporte amador, e com razão. Mas têm uma invejinha velada, sim senhor, do sucesso de equipes de cidades vizinhas, que investem fortunas e ganham títulos. Sempre foi assim.

Atire a primeira pedra quem nunca quis aqui na cidade um timaço de futsal como o da Malwee (Jaraguá do Sul), ou um esquadrão de vôlei como o da Cimed (Florianópolis). Quem sabe um time de basquete de ponta brigando por títulos importantes, como Joinville. Há mais exemplos, fiquemos apenas com os mais importantes.

O problema é que investimentos privados no esporte (ao menos na política praticada aqui no Brasil) simplesmente acabam, do dia pra noite, quando os objetivos de quem paga a conta são alcançados. A Malwee, que já era famosa antes de Falcão e Cia, hoje é conhecida mundialmente. E quem, a não ser que venda remédios, sabia que a Cimed produz medicamentos genéricos antes de associar a marca com os títulos do vôlei? E aqui não estou julgando, tampouco culpando ninguém por fechar a torneira. É um direito, e não são os primeiros nem serão os últimos casos assim. A questão a lamentar é: e aí, sobra o quê?

Eu tenho orgulho da estrutura do esporte de base que Blumenau mantém, já disse isso outras vezes. Mas queria muito ver aqui um troféu de Superliga, da Liga Futsal, um time que se projete internacionalmente. A cidade merece isso. Mas não com dinheiro público.

O dia em que o empresariado local enxergar o esporte como investimento, não como filantropia, teremos times de elite por aqui. Se cabe algo às autoridades do esporte neste cenário (além de manter o trabalho na base), é fomentar a ideia e até buscar alternativas (leia-se dinheiro) fora da cidade. Como atrativo, Blumenau tem a oferecer uma estrutura que poucos lugares possuem. E quando o investimento acabar (porque ele acaba), a base continuará lá cumprindo com o seu papel, que vai muito além do esporte, é social.

Será que estou sonhando alto?

Pra terminar…

A cada dia, fica mais claro: o Brusque vive a maior crise de sua história. O caso é grave.

Comentários (1)

  • Jequeano diz: 30 de maio de 2012

    Eu nao consigo entender como em Blumenau nao tem um time de futebol ao nivel da cidade. Uma cidade riquíssima, com uma das melhores bases esportivas do estado.
    Metropolitano, na minha opinião, nao representa bem blumenau..
    Cadê o BEC?

Envie seu Comentário