Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Etiene Medeiros é a primeira nadadora brasileira campeã Pan-Americana

18 de julho de 2015 0

A pernambucana Etiene Medeiros voltou a escrever seu nome na história da Natação feminina brasileira. Primeira atleta do país conquistar uma medalha em um Campeonato Mundial, a prata no Júnior de Monterrey-2008 e, depois, primeira campeã mundial nos 50m costas no em piscina Curta em Doha, no ano passado, ela agora é a primeira medalhista de ouro em uma edição de Jogos Pan-Americanos.

Etiene e sua medalha de ouro - Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

Etiene e sua medalha de ouro – Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

O feito atingido por Etiene aconteceu na final dos 100m costas, disputada à noite passada, em Toronto. Com o tempo de  59s61, bateu o recorde sul-americano e ainda superou a marca da competição. 

Uma hora depois, a nadadora de  24 anos conquistarua a prata dos 50m livre, com direito a novo recorde sul-americano, que caiu de 24s74 para 24s55. Graciele Herrmann (Grêmio Náutico União) marcou 24s94 e terminou em sétimo lugar. A vencedora foi Ariana Vanderpool, de Bahamas, com 24s38. 

Etiene Medeiros fez história - Divulgação/CBDA/Satiro Sodré

Etiene Medeiros fez história – Divulgação/CBDA/Satiro Sodré

Com as duas medalhas no peito, Etiene avaliou seus desempenhos no Pan.

- Ainda estou com muita adrenalina. A ficha ainda não caiu. É meu segundo Pan e eu conquistei um feito muito importante. Isso tudo conta pontos para o próximo ano (Rio 2016).

Dobradinha brasileira nos 100 m peito

Na final masculina dos 100m nado peito, uma dobradinha brasileira. Felipe França venceu com 59s21 e fez o terceiro melhor tempo do mundo em 2015. A prata ficou com Felipe Lima, com 1m00s01. Dessa forma, eles repetiram as mesmas posições obtidas quatro anos atrás, nos Jogos de Guadalajara.

A dobradinha brasileira Felipes Lima e França - Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

A dobradinha brasileira Felipes Lima e França – Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

Sobre o resultado, França disse não ter nadado com 100%, em virtude da proximidade do Campeonato Mundial.

- Eu estou focando mais o Mundial. A ida foi tranquila mas cansei um pouco na volta. Estas duas semanas até Kazan vai servir para corrigir alguns detalhes e descansar meu corpo e minha mente para ir bem no Mundial. Esta medalha é importante porque marca e é bom pro país, com mais uma dobradinha minha com o Felipe Lima, repetindo Guadalajara.

Ouro de Felipe França - Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

Ouro de Felipe França – Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

Guilherme Guido faz melhor tempo sem os trajes tecnológicos

Mesmo sem ficar com a medalha de ouro, Guilherme Guido vibrou após a final dos 100m nado costas, já que com 53s35 garantiu a prata e fez seu melhor melhor tempo sem os trajes tecnológicos. O ouro foi ganho pelo norte-americano Nicholas Thoman, com 53s20, novo recorde do campeonato.  

Guido foi prata - Divulgação/CBDA/Satiro Sodré

Guido foi prata – Divulgação/CBDA/Satiro Sodré

Após receber a medalha, Guido demonstrou sua satisfação.

- Apesar do gosto de ouro, pelo bom tempo que fiz, o 6º do mundo. Afinal, o vencedor foi prata nos Jogos de Londres e nadou muito bem hoje.

Leonardo de Deus fatura sua terceira medalha

Campeão dos 200m borboleta e bronze nos 200m costas, Leonardo de Deus ganhou sua terceira medalha em Toronto nos 400m livre. Com o tempo de 3m50s30 ele foi o terceiro colocado, atrás do canadense Ryan Cochrane, vencedor com 3m48s29 (recorde pan-americano) e do norte-americano Ryan Feeley.

Leo de Deus e sua terceira medalha - Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

Leo de Deus e sua terceira medalha – Foto: André Silva/Rádio Gaúcha

Bruno Fratus é prata nos 50m livre e Brasil perde hegemonia

O Brasil lutava pela sexta medalha de ouro seguida nos 50m livre. Porém, Bruno Fratus ficou com a de prata ao nadar em  21s91, repetindo o resultado de Guadalajara-11. O norte-americano Josh Schneider, com, 21s86, foi o responsável por quebrar a hegemonia brasileira que durava desde Mar del Plata-1995, quando Fernando Scherer ganhou o primeiro de seus três ouros e que passou pelo bicampeonato de César Cielo.

Fratus comemora prata com torcida brasileira - Divulgação/CBDA/Satiro Sodré

Fratus comemora prata com torcida brasileira – Divulgação/CBDA/Satiro Sodré

Depois da prova, Fratus afirmou que ainda não está no seu melhor.

-  Está faltando os chamados ajustes que faremos em Portugal. Não foi o ouro que desejava, mas fico feliz por trazer mais uma medalha para o Brasil, o que sempre ajuda no quadro de medalhas. 

Envie seu Comentário