Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Jogos Rio 2016"

Vôlei de Praia: Brasileiras são semifinalistas no Open de Xiamen

22 de abril de 2017 0

O Brasil já tem medalha garantida no Open de Xiamen, na China, quinta etapa do Circuito Mundial Feminino de Vôlei de Praia. A competição em território  distribui aproximadamente 450 mil reais em prêmios e 600 pontos no ranking mundial da Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

Maria Elisa e Carol Horta comemoram vaga na semifinal - Divulgação/FIVB

Maria Elisa e Carol Horta comemoram vaga na semifinal – Divulgação/FIVB

Na madrugada deste sábado (22), Maria Elisa/Carol Horta (PE/CE) e Bárbara Seixas/Fernanda Berti (RJ) venceram seus jogos das oitavas e quartas de final e garantiram a disputa de uma semifinal brasileira.

Maria Elisa e Carol Horta venceram as compatriotas Josi e Lili (SC/ES) por 2 sets a 1 (23/25, 23/21 e 15/11), em 53 minutos de partida válida pelas oitavas e as russas Evgenia Ukolova e Anastasia Barsuk, nas quartas, por 2 a 0 (21/18 e 24/22), em 35 minutos de confronto.

Fernanda Berti e Bárbara Seixas também nas semifinais - Divulgação/FIVB

Fernanda Berti e Bárbara Seixas também nas semifinais – Divulgação/FIVB

Vice-campeã olímpica nos Jogos Rio 2016, ao lado de Ágatha, Bárbara Seixas, e nova parceira Fernanda Berti passaram pelas russas Olga Motrich/Nadezda Makroguzova por 2 sets a 1 (21/23, 21/13 e 15/7) e pelas norte-americanas Emily Day/Brittany Hochevar também por 2 a 1, de virada, com parciais de 13/21, 21/16 e 15/12, em jogo que teve 52 minutos de duração.

Juliana e Carol Solberg (CE/RJ) foram eliminadas pelas austríacas Stefanie Schwaiger/Katharina Schützenhöfer, nas oitavas de final, por 2 a 1 (22/20, 12/21 e 15/12).

Medalhista paralímpica Susana Schnarndorf assinará com o Grêmio Náutico União

31 de março de 2017 0

A medalhista paralímpica nos Jogos Rio 2016 Susana Schnarndorf é o novo reforço do Grêmio Náutico União. Gaúcha, natural de Porto Alegre, a atleta de 49 anos decidiu retornar ao clube aonde começou sua carreira já com o foco na preparação para o ciclo 2017 – 2020 visando os Jogos Paralimpicos de Tóquio.  Na próxima quarta-feira (0504), ela estará na cidade para assinar o contrato com o clube.

 Susana Schnarndorf - Divulgação/©Daniel Zappe/MPIX/CPB

Susana Schnarndorf – Divulgação/©Daniel Zappe/MPIX/CPB

Susana conquistou a medalha de prata nos Jogos Rio 2016 no revezamento 4x50m misto. A gaúcha começou a nadar ainda criança no próprio União. Após, tornou-se atleta de Triatlon, competindo ainda em diversos Ironman (triatlon de longas distâncias). Em 2005, Susana foi diagnosticada com uma doença degenerativa rara, a Atrofia Múltipla de Sistemas, cuja expectativa de vida costuma ser de 5 a 8 anos. Foi com a natação, que a gaúcha já contrariou expectativas dos médicos quanto a tempo de vida e mobilidade. Desde 2011, compete e conquista medalhas a nível nacional e internacional.

Rogério Micale é eleito o melhor técnico de esportes coletivos e ganha Prêmio Brasil Olímpico 2016

29 de março de 2017 0

Campeão olímpico com a Seleção Brasileira de Futebol masculino, Rogério Micale foi eleito o melhor técnico de esportes coletivos do ano de 2016. O baiano, que ontem completou 48 anos, conduziu o time de Neymar & Cia a conquista da tão esperada medalha de ouro, único título que ainda faltava ao Brasil no futebol. Neste ano, ele foi demitido após a equipe sub-20 fracassar na disputa do Campeonato Sul-Americano e ficar fora da disputa do Mundial da categoria.

Micale ganhou Prêmio Brasil Olímpico - Divulgação/CBf/Arquivo

Micale ganhou Prêmio Brasil Olímpico – Divulgação/CBF/Arquivo

Nos esportes individuais, o espanhol Jesús Morlán foi o vencedor. Técnico da Seleção Brasileira de Canoagem de Velocidade, desde 2013, ele trabalhou a geração liderada por Isaquias Queiroz, que levou três medalhas nos Jogos Rio 2016. Em recuperação de uma cirurgia para extração de um tumor na base do cérebro, em novembro do ano passado, ele não pode comparecer à cerimônia e recebeu a premiação em casa.

Medalhistas olímpicos se destacam no Meeting de Atletismo em Nova Iorque

12 de fevereiro de 2017 0

A norte-americana Ajee’ Wilson, vice-campeã mundial indoor dos 800 m rasos, estabeleceu a segunda melhor marca de todos os tempos ao vencer a disputa do Millrose Games, meeting de atletismo indoor disputado no Madison Square Garden,  Nova Iorque, nos Estados Unidos. Com o tempo de 1min58seg27, ela quebrou a marca nacional que pertencia a Nicole Teter desde 2002.

Ajee' Wilson fez uma das melhores provas da história - Divulgação/Kirby Lee/Millrose Games

Ajee’ Wilson fez uma das melhores provas da história – Divulgação/Kirby Lee/Millrose Games

Com uma grande corrida, Wilson acompanhou as líderes desde o começo e com um grande sprint arrancou para a vitória e o recorde, superando a compatriota Charlene Lipsey (1min58seg64) e a britânica Lynsey Sharp (2min01seg14).

Em sua primeira prova na temporada, a campeã olímpica dos 400 m, Shaunae Miller-Uibo, de Bahamas, correu os 300 m em 35seg71, recorde nacional, e ainda assumiu a liderança do ranking da temporada com o tempo que é o terceiro melhor da história. A prata ficou com a norte-americana Ashley Spencer, bronze nos Jogos Rio 2016 nos 400 m com barreiras, que fez 36seg27. O pódio ainda teve outra corredora da casa, Natasha Hastings, bicampeã olímpica do revezamento 4×400 m rasos, que marcou 36seg88.

Shaunae Miller-Uibo venceu os 400 m - Divulgação/IAAF

Shaunae Miller-Uibo venceu os 400 m – Divulgação/IAAF

Outra campeã olímpica do revezamento 4×400 m no Rio de Janeiro, Courtney Okolo levou a melhor nos 500 m e com 1min97seg34, quebrou o recorde norte-americano e passou a ser a terceira melhor no ranking de todos os tempos. O pódio ainda teve mais duas atletas locais, Alysia Montaño, dona de duas medalhas de bronze nos 800 m em campeonatos mundiais, com 1min09seg55 e Dalilah Muhammad, campeã olímpica dos 400 m com barreiras, que chegou 0seg11 depois.

Courtney Okolo foi ouro no 4x400 nos Jogos do Rio - Divulgação/IAAF

Courtney Okolo foi ouro no 4×400 nos Jogos do Rio – Divulgação/IAAF

Medalha de ouro no salto com vara nos Jogos Olímpicos de 2016, a grega Ekaterini Stefanidi venceu com o melhor salto do ano, 4,82 m. As norte-americanas Sandi Morris (4,72 m) e Katie Nageotte (4,62 m) completaram o pódio.

Stefanidi fez melhor marca do ano - Divulgação/Kirby Lee/Millrose Games

Stefanidi fez melhor marca do ano – Divulgação/Kirby Lee/Millrose Games

Quem também teve um grande desempenho foi a etíope naturalizada holandesa Sifan Hassan. A campeã mundial indoor dos 1.500 m correu em 4min03seg05. As norte-americanas Shannon Rowbury, duas vezes medalhista de bronze em mundiais, e Kate Grace, prata no 4 x 1.500 m do Mundial de Revezamento de 2014, completaram o pódio com 4min04seg56 e 4min04seg86, respectivamente.

Sifan Hassan fez ótima prova na Milha - Divulgação/Kirby Lee/Millrose Games

Sifan Hassan fez ótima prova na Milha – Divulgação/Kirby Lee/Millrose Games

Mas os 1.500 m tiveram sequência de mais 109 m para completar a milha e Hassan permaneceu na liderança com 4min19seg89 e passou a ser a dona do quarta na lista histórica da prova. Grace ultrapassou Rowbury e ficou em segundo lugar.

Demais resultados:

Feminino -

60 metros rasos -

1º Dezerea Brynat (EUA) 7seg12

2º Morolake Akinosun (EUA) 7seg17

3º Wei Yongli (CHN) 7seg26

3.000 m rasos -

1º Kate van Buskirk (CAN) 8min52seg08

2º Stephanie Garcia (EUA) 8min53seg48

3º Tori Gerlach (EUA) 8mn54seg61

60 m com barreiras -

1º Phylicia George (CAN) 7seg98

2º Sharika Nelvis (EUA) 8seg01

3º Leah Nugent (JAM) 8seg02

Masculino:

60 m rasos -

1º Clayton Vaughn (EUA) 6seg611

2º Mike Rodgers (EUA) 6seg614

3º Noah Lyles (EUA) 6seg63

500 m rasos -

1º Vernon Norwood (EUA) 1min00seg11

2º Brycen Spratling (EUA) 1min00seg90

3º Bershawn Jackson (EUA) 1min01seg17

1.000 m rasos -

1º Brannon Kidder (EUA) 2min19seg92

2º Casimir Loxsom (EUA) 2min21seg06

3º David Torrence (CAN) 2min21seg43

1.500 m rasos -

1º Cristian Soratos (EUA) 3min38seg27

2º Chris Hatler (EUA) 3min41seg70

3º Julian Oakley (NZL) 3min44seg67

Milha -

1º Eric Jenkins  (EUA) 3min53seg23

Eric Jenkins venceu nos 1.500 m - Divulgação/Millrose Games

Eric Jenkins venceu a Milha – Divulgação/Millrose Games

2º Clayton Murphy (EUA) 3min54seg31

3º Kyle Merber (EUA) 3min54seg67

2 Milhas -

1º Ben True (EUA) 8min11seg33

2º Ryan Hill (EUA) 8min11seg56

3º Andrew Butchart (GBR) 8min12seg63

60 m com barreiras -

1º Omar McLeod (JAM) 7seg46

Campeão olímpico, Omar McLeod, venceu os 60 m com barreiras - Divulgação/Millrose Games

Campeão olímpico, Omar McLeod, venceu os 60 m com barreiras – Divulgação/Millrose Games

2º Aleec Harris (EUA) 7seg56

3º Eddie Lovett (ISV) 7seg57

Salto em altura -

1º Derek Drouin (CAN) 2,27 m (1ª tentativa)

2º Mike Mason (CAN) 2,27 m (2ª tentativa)

3º Deante Kemper (EUA) 2,18 m

Thiago Braz é prata no Meeting Internacional Indoor de Berlim

10 de fevereiro de 2017 0

O campeão olímpico do salto com vara nos Jogos Rio 2016, o paulista Thiago Braz, conquistou nesta sexta-feira (10) a medalha de prata do Meeting Internacional Indoor de Atletismo de Berlim, na Alemanha. O brasileiro obteve 5,70 m na primeira tentativa, abriu mão dos 5,78 m e não conseguiu superar o sarrafo a 5,86 m, nas três tentativas.

Thiago ficou em segundo em Berlim - Divulgação/Wagner Carmo/CBAt

Thiago ficou em segundo em Berlim – Divulgação/Wagner Carmo/CBAt

A medalha de ouro ficou com o polonês Piotr Lysek, que superou os 5,86 m em seu segundo salto. O alemão Raphael Holzdeppe ficou com a medalha de bronze, com 5,70 m.

Esta foi a terceira competição de Thiago na temporada indoor. Ele estreou com vitória no Meeting Indoor Perche Elite Tour, em Rouen, na França, com 5,86 m e ficou na terceira colocação, com 5,71 m, no All Star Perche, em Clermont-Ferrand, também na França.

Nos 60 m, a brasileira Rosângela Santos disputou as eliminatórias e terminou em terceiro lugar na primeira série eliminatória. Com o tempo de 7seg39, ela ficou atrás da marfinense Marie-Josee Ta Lou (7seg22) e da norte-americana Jessica Warren (7seg30). Na final, a ucraniana Olesya Pvh foi a vencedora com 7seg14, seguida por Ta Lou (7seg24) e pela alemã Gina Luckenkemper (7seg24).

Rosângela Santos não passou das eliminatórias dos 60 m - Divulgação/CBAt

Rosângela Santos não passou das eliminatórias dos 60 m – Divulgação/CBAt

Mas a grande prova do Meeting foi o salto em distância feminino, onde a sérvia Ivana Španović, bronze nos Jogos Rio 2016, saltou 6,87 m em duas oportunidades e além de vencer a disputa ainda estabeleceu a melhor marca da temporada. O pódio ainda teve as alemãs Claudia Salman-Rath (6,76 m) e Alexandra Wester (6,71 m).

 Španović fez melhor marca da temporada - Dvulgação/IAAF

Španović fez melhor marca da temporada – Dvulgação/IAAF

Demais resultados:

60 m rasos masculino -

1º James Dasaolu (GBR) 6seg57

2º Kim Collins (SKN) 6seg59

3º Massimiliano Ferraro (ITA) 6seg66

60 m com barreiras feminino -

1º Cindy Roleder (ALE) 7seg85

2º Pamela Dutkiewicz (ALE) 7seg88

3º Sally Pearson (AUS) 7seg91

60 m com barreiras masculino -

1º Balázs Baji (HUN) 7seg60

2º Petr Svoboda (CE) 7seg67

3º Erik Balnweit (ALE) 7seg81

Arremesso do disco masculino -

1º Christoph Harting (ALE) 63,84 m

2º Martin Wierig (ALE) 62,67 m

3] Lukas Weisshaidinger (AUT) 62,23 m

Campeão olímpico lidera Volta Ciclística da Comunidade Valenciana

03 de fevereiro de 2017 0

Campeão olímpico da prova de Estrada nos Jogos Rio 2016, o belga Greg Van Avermaet, 31 anos, manteve a liderança da 68ª edição da Volta Ciclística da Comunidade Valenciana, na Espanha. Com o tempo de 9h17min13seg, o ciclista da equipe norte-americana BMC Racing Team foi o nono colocado nos 161 km de percurso da terceira etapa, disputada nesta sexta-feira (03), entre as cidades de Canals e Riba-Roja de Turia.

Campeão olímpico lidera em Valencia - Divulgação/JM Artero

Campeão olímpico lidera em Valencia – Divulgação/JM Artero

O vencedor do terceiro estágio foi o dinamarquês Magnus Cort Nielsen, da australiana Orica-Scott, que completou o trajeto em 3h49min02seg e passou para  a 25ª posição na classificação geral, a 1min50seg do líder.

Magnus Cort Nielsen venceu 3ª etapa - Divulgação/JM Artero

Magnus Cort Nielsen venceu 3ª etapa – Divulgação/JM Artero

Mais duas provas estão programadas até o final da competição. No sábado (04), serão 180 km de montanha entre Segorbe e Lucena del Cid e, no domingo, serão percorridos os últimos 130,2 km entre Paterna e Valência.

Centro Olímpico de Tênis ganha forma para disputa do "Gigantes da Praia "

03 de fevereiro de 2017 0

O duelo de vôlei de praia envolvendo quatro medalhistas olímpicos, que acontece no Centro Olímpico de Tênis, no próximo domingo (05), já transforma o local em uma extensão da Arena de Copacabana, onde Alison e Bruno Schmidt conquistaram a medalha de ouro nos Jogos Rio 2016.

Gigantes da Praia acontecerá no Centro Olímpico de Tênis - Divulgação/Renan Rodrigues/CBV

Gigantes da Praia acontecerá no Centro Olímpico de Tênis – Divulgação/Renan Rodrigues/CBV

Uma das atrações do Parque Olímpico da Barra, o local receberá cerca de 280 toneladas de areia para que os confrontos entre os brasileiros campeões olímpicos e os norte-americanos Phil Dalhausser e Nicholas Lucena e a partida preliminar entre duas duplas femininas da casa, Ágatha/Duda e Ana Patrícia/Rebecca. Os jogos deverão começar às 9h (de Brasília).

Fulvio Danilas, diretor de vôlei de praia da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), acredita que o evento trará grande repercussão.

- É uma grande experiência para quem gosta de vôlei de praia e também para quem não pôde ir ao Parque Olímpico durante os Jogos. Um desafio com a presença de três campeões olímpicos, grandes duplas do cenário mundial, uma arena com alto padrão de conforto e segurança. O vôlei de praia proporciona eventos como esse, criando novidades.

Onze pessoas trabalharam na montagem da quadra, e toda a operação durou quatro dias. No dia do evento serão mais de 100 profissionais atuando, entre segurança, limpeza, recepcionistas, boleiros, arbitragem e parte técnica.

Na França, Thiago Braz supera Renaud Lavillenie e vence etapa do Perche Élite Tour

29 de janeiro de 2017 0

O brasileiro Thiago Braz, atual campeão olímpico do salto com vara, voltou a derrotar o francês Renaud Lavillenie, recordista mundial, e garantiu a medalha de ouro na quarta das seis etapas do Perche Élite Tour, circuito realizado em território francês, idealizado por Jean-François Raffalli em 2006.

Thiago venceu na França - Divulgação/Perche Élite Tour

Thiago venceu na França – Divulgação/Perche Élite Tour

Para levar a melhor na kindarena, em Rouen, Thiago reeditou a final dos Jogos Rio 2016, mas desta vez até superou o rival com mais facilidade e venceu com 5,86m. A segunda posição foi do grego Konstadinos Filippidis, campeão mundial de 2014, que parou nos 5.70m. O pódio ainda teve o vice-campeão europeu de 2014, o francês Kévin Menaldo.

Lavillenie é atual recordista mundial - Divulgação/Perche Élite Tour

Lavillenie é atual recordista mundial – Divulgação/Perche Élite Tour

Lavillenie decepcionou a torcida da casa e com 5,50m ficou apenas na sétima colocação. O vencedor do Mundial de 2015, o canadense Shawn Barber foi o quinto com os mesmos 5,50m, atrás do campeão mundial júnior de 2014, o francês Axel Chapelle.

Entre as mulheres, a norte-americana Sandi Morris, vice-campeã mundial e olímpica em 2016, não teve dificuldades para vencer com um salto de 4,57m. A alemã Annika Roloff, bronze no Campeonato Europeu sub-23, e a ucraniana Maryna Kylypko, ambas com 4.40m, ficaram com as medalhas de prata e bronze, respectivamente.

Sandi Morris venceu no feminino - Divulgação/IAAF

Sandi Morris venceu no feminino – Divulgação/IAAF

O Perche Élite Tour ainda terá mais duas etapas. Nos dias 4 e 5 de fevereiro, em Clermont-Ferrand, e em 11 de março, em Niort, ambas cidades francesas.

França não dá chances e atropela o Brasil na estreia do Mundial de Handebol Masculino

11 de janeiro de 2017 0

O Brasil segue sem vencer em jogos de estreia na história do Campeonato Mundial de Handebol Masculino. Nesta quarta-feira (11), em sua 13ª participação no torneio, a Seleção Brasileira perdeu para a França, por 31 a 16, em jogo disputado no Palais Omnisports de Paris-Bercy. A partida foi válida pelo Grupo A, que ainda tem as equipes da Polônia, Rússia, Japão e Noruega. O próximo compromisso dos brasileiros será diante dos poloneses, na sexta-feira (14), às 11h45 (de Brasília), na cidade francesa de Nantes.

Valentin Porte foi o artilheiro da partida - Divulgação/FFHB/S. Pillaud

Valentin Porte foi o artilheiro da partida – Divulgação/FFHB/S. Pillaud

A partida inaugural do Mundial estava cercada de grande expectativas, já que os franceses são os atuais campeões mundiais e vice-campeões olímpicos e, no último confronto, nas quartas de final dos Jogos Rio 2016, o Brasil deu trabalho aos europeus e perdeu por 34 a 27, em jogo muito acirrado.

Haniel tenta superar bloqueio defensivo francês - Divulgação/FFHB/S. Pillaud

Haniel tenta superar bloqueio defensivo francês – Divulgação/FFHB/S. Pillaud

Porém, diante de 15.609 torcedores, entre eles o presidente François Hollande, a França não deu chances ao time comandado por Washington Nunes e rapidamente abriu grande vantagem (11 a 3). Ao final ds 30 minutos iniciais, os franceses venciam por 10 gols de diferença (17 a 7). Na etapa final, o ritmo permaneceu o mesmo e os donos da casa puderam comemorar uma cômoda vitória no começo da campanha pela conquista do sexto título mundial.

Presidente francês François Hollande assistiu o jogo - Divulgação/FFHB/S. Pillaud

Presidente francês François Hollande assistiu o jogo – Divulgação/FFHB/S. Pillaud

Com seis gols, o armador direito Valentin Porte foi o artilheiro da partida. Os gols brasileiros foram marcados por Zé Guilherme (5), Henrique Teixeira (3), João Pedro (2), Fábio Chiuffa (2), Maik (1), Guilherme Torriani (1), Lucas Cândido (1) e Cleryston (1).

Ciclismo: Dono de oito medalhas olímpicas e campeão da Volta da França, Bradley Wiggins anuncia aposentadoria

29 de dezembro de 2016 0

Primeiro britânico vencedor do Tour de France, em 2012, o cilcista Bradley Wiggins, 36 anos, anunciou sua aposentadoria. Nascido na cidade belga de Ghent, o filho de mãe britância e pai australiano, o ex-ciclista Gary Wiggins, é o esportista da Grã-Bretanha com maior número de medalhas conquistadas em Jogos Olímpicos, oito.

Wiggins ganhou oito medalhas olímpicas - Divulgação/UCI

Wiggins ganhou oito medalhas olímpicas – Divulgação/UCI

Wiggins tem cinco ouros olímpicos, além de uma prata e dois bronzes. Nos Jogos de Sydney-2000, ele faturou sua primeira medalha ao ganhar o bronze na perseguição por equipes. Em Atenas-2004, ele venceu a disputa da perseguição individual, foi vice na perseguição por equipes e ficou em terceiro na prova de Madison. Quatro anos mais tarde, em Pequim, veio bicampeonato na perseguição individual. Em Londres-2012, veio o ouro na prova de estrada contra o relógio masculino e nos Jogos Rio-2016. a quinta medalha dourada da carreira, na disputa da perseguição por equipes.

Em 2012, Wiggins tornou-se o primeiro campeão olímpico e da Volta França no mesmo ano - Divulgação/ Lomdon 2012

Em 2012, Wiggins tornou-se o primeiro campeão olímpico e da Volta França no mesmo ano – Divulgação/ Lomdon 2012

Confira a manifestação de Bradley Wiggins em sua conta no Facebook.

“Fui extremamente sortudo por ter podido viver um sonho e por ter realizado o desejo que tinha quando era criança, de viver e me dedicar plenamente ao esporte pelo qual me apaixonei aos 12 anos. Conheci meus ídolos e competi junto e contra os melhores durante 20 anos. O que mais levarei será o apoio que senti do público o tempo todo. O ciclismo me deu tudo, mas não poderia ter conquistado nada sem o apoio da minha mulher, Cath, e dos meus filhos”.