Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Raivinha

31 de março de 2008 12

Como estavam só ganhando, alguns torcedores do Figueirense se esqueceram de saber perder. Nunca neguei que torço, nem tanto como antes, é verdade, pelo Avaí, time que fui mascote aos 12 anos de idade. Quando o Figueirense cresceu e subiu para a Série A, fiquei ao seu lado, ajudando, inclusive, na luta contra o rebaixamento, em 2006, que era tudo o que os avaianos mais queriam.

E por isso, por ficar ao lado do único clube de Santa Catarina na Série A, fui humilhado, ofendido, caluniado, difamado, agredido por muitos torcedores do meu próprio clube – e um deles levei à Justiça -, e pelos torcedores do Criciúma, especialmente quando o Figueirense chegou a final da Copa do Brasil, ano passado, com o Mário Sérgio de treinador.

Não sou comentarista de futebol. Sou colunista, e sou manezinho, o que é ainda melhor, porque aqui vivemos brincando uns com os outros. Sempre levei o futebol na esportiva, na brincadeira, na saudável gozação. Foi a primeira vez que meu filho de 11 anos viu seu time vencer no estádio Orlando Scarpelli o seu principal adversário. E hoje me permiti comemorar uma vitória do meu clube. Futebol é momento. Há cinco anos vesti a camisa do Figueira. Essa rivalidade é que mantém a paixão pelo esporte.

Miguel Livramento é avaiano, Nelson Motta é Fluminense, Paulo Santana é Grêmio… Somos humanos, temos clubes, cores, gostos diferentes. O pessoal da minha cidade sempre soube entender isso. E quantas vezes os alvinegros me gozaram? Tudo, no entanto, entendo como uma brincadeira.

Hoje jantaria tranqüilamente com o Bola da Gaviões, com o Phylon da Bob Gueira e com o Paulo Prico Paraiso, por que não? Leia o e-mail do torcedor abaixo que, pelo jeito, ainda não me conhece e nem conhece a nossa cidade. É daqueles que não aprendeu a perder. E quando perde, culpa a imprensa.

Cacau: no primeiro turno ganhamos de 3 x 0 de vocês na Ressacada, mas comemoramos com ombridade e de modo civilizado. É obvio que para vocês, esta vitória foi como ganhar a copa do mundo, afinal ganharam do único time catarinense na série A. Acabei de ver teu comentário no Jornal do Almoço, te peço em nome de todo o povo catarinense: já que tens um microfone na mão, por favor, vá estudar jornalismo, porque lá, na universidade (já ouviu falar nela?) aprenderás que um profissional da comunicação tem que procurar manter a imparcialidade frente aos fatos que comunica. Abraço, Cleber Coelho

Eu poderia aprender mais alguma coisa dessa profissão na faculdade, verdade. Mas esse torcedor também precisa aprender muita coisa na vida. A perder, seria a primeira delas.

Postado por Cacau Menezes – Floripa

Comentários (12)

  • Berloque Gomes diz: 31 de março de 2008

    O Cleber Rabbit tá nervosinho porque o figayra perdeu pro maior rival. Coitado do Clebinho, já tinha sofrido tanto na Páscoa. É que teve uma raça que comeu o coelhinho, não tem? O Cleber nem foi ao estádio, porque não conseguia sentar. E “ombridade” deve ser a idade do ombro, ô. O bicho deve ter feito uma faculdade furreca, tirou notas furrecas e ainda vem posar de abestado. E quem disse que ele pode pedir algo “em nome de todo o povo catarinense”? Rapaigalo, tu, istepô!! Break it all, Avaê!!

  • ROBERTO CHAVES diz: 31 de março de 2008

    Cacau, esse pobre sofredor que nâo sabe escrever – OMBRO/UMBRO/HOMBRIDADE, vem aconselhar a uma faculdade, diga a ele que LETRAS eles podem até ter, mas está acabando, por nâo se educar.
    Porém nõs AVAIANOS só temos a comemorar, e para esses, mando meu recado É CRÉU, CRÉU !!!

  • Wagner * diz: 1 de abril de 2008

    Veja sempre pelo lado positivo, Chaves! Deve ter sido apenas uma falha de digitação. Aproveite a oportunidade e faça uma correção nas onze opiniões abaixo.

  • Luiza Taranto diz: 31 de março de 2008

    Avaí, meu Avaí…Antonio, meu amado filho, também comemorou a primeira vitória do nosso Avaí..Um domingo memorável..bjs

  • Naim Campos diz: 31 de março de 2008

    A maior faculdade é a da vida, Cléber Coelho. E essa, quem é manezinho sabe que o estimado colunista da Ilha da Magia tem! Sou formado em jornalismo, brother, trabalho na área e te digo que felling e talento valem mto mais do que diploma! abraço, irmão, e saudações avaianas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Fran diz: 31 de março de 2008

    Cacau, sem comentários. Saber perder é uma virtude, virtude essa que um time dito “de elite” deveria ter. Elite é ter classe, elite é ter dignidade, elite é ter respeito pelos outros, virtudes estas que estão passando looooonge do time e torcida do Estreito. Foi muito lindo ver meus filhos de 7 e 8 anos vibrando com a vitória e mesmo não tendo visto ainda o Avaí ser campeão, nem pensam em trocar de time. Isso é paixão!!!

  • Evelise diz: 31 de março de 2008

    Berloque, já estava com saudades dos teus comentários engraçadíssimos. Dei boas risadas, tua ironia é fantástica!!!

  • Gustavo diz: 31 de março de 2008

    Marcelo dá uma lida no primeiro post, deixa de ser obtuso.

  • GLAITON DA ROSA diz: 31 de março de 2008

    CACAU, NÓS SABEMOS QUE VOCÊ É AVAIANO ENTÃO COMEMORE, AFINAL DE CONTAS ERAM 20 ANOS NÉ, MAIS NÃO ACHEM QUE VAI SER SEMPRE ASSIM, O FURACÃO TÁ ACORDADO E AGORA ESTÁ ASSIM FIGUEIRA 138 X 124 AVAI. SAUDAÇÕES ALVINEGRAS

  • Juca diz: 31 de março de 2008

    que baita dor de cabeça este torcedor do brócolis deve estar sentindo, quer dizer, o jogador dele pode subir no escudo do Avaí na Ressacada e escarrá-lo e o tal ceará mandar a torcida fazer silêncio no primeiro jogo e os avaianos não podem fazer a dança créu? Então eu digo assim pra ele ó: créu, créu, créu, créu, créu!!!!!!!!! Até o dia em que eles poderem ganhar um título nacional.

  • Marco Santana diz: 31 de março de 2008

    Cacau, já que vc disse que os alvinegros não sabem perder, te digo, os Bvainos não sabem ganhar, pois fazer aquela “sacanagem” na comemoração é digna de time pequenininho…saúdo aqueles que são dignos da vitória…e pra Bvaianos acho que não serve, leia-se, bombas, pedras em ônibus, créu para torcedores decentes, fogo em cadeiras….

  • Manolo S. Jancker diz: 31 de março de 2008

    Mas ao final de contas, o que é “comemorar com ombridade”?
    Seria, por acaso, comemorar com os ombros, ou algo parecido?
    Cacau, antes de mais nada o nosso Avaí ganhou o jogo com HOMBRIDADE, assim mesmo, com “H”.
    Coelho, não te esqueçe de uma coisa: antes de fazer chacota com alguém te informa para ver se tu mesmo não vai viar motivo da mesmo.
    “Ombridade” … sabe a universidade? (já ouviu falar nela?) …lá é oferecido aquele curso de `letras português`! te informa lá, meu caro!!

Envie seu Comentário