Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de julho 2010

Celesc quer 11,53% de reajuste na luz

30 de julho de 2010 10

Um absurdo o que a Celesc está pretendendo. Já não chega a Casan ter aumentado a taxa de esgoto que era de 80% do consumo de água para 100% e vem agora a Celesc com essa afronta? Onde estão os políticos que nada fazem em favor do povo? Cobrar 11,53% de reajuste quando a inflação prevista é de 5,39% é uma gatunagem sem tamanho. Mais uma vez o povo irá pagar pelos altos salários da empresa, seus planos de demissão incentivada, suas mordomias. Depois reclamam quando muitos defendem a privatização. ISSO TEM QUE ACABAR!

Admir Marques da Silva

Aposentado

O som da moda

30 de julho de 2010 0

Loucura, loucura, quase 27 milhões de pessoas ja viram o vídeo de Katy Perry. E como hoje é sexta-feira…

Mais um caso de sujeira na cidade

30 de julho de 2010 3

Prezado Cacau.

Nesta tarde às 17h11min, flagrei este caminhão de limpa-fossas despejando dejetos na boca de lobo que dá acesso ao canal que liga ao mangue do Itacorubi, localizada entre a passarela do viaduto Vilson Kleinübing e o Titri. É indiscutível pois a mangueira estava ligada na parte de baixo do caminhão, onde se situa a saída do tanque.

A indignação foi de várias pessoas que naquele momento caminhavam naquele trajeto.

Abraços,

Aurélio J. Zimmermann

Publicitários

30 de julho de 2010 4

Caro e prezado Cacau,

Por tantas vezes vimos você escrever em sua coluna ou comentar quadro do JA sobre várias questões de interesse público e econômico, e levantar polêmicas, como os elevados preços dos combustíveis (e uma possível existência de “cartel”. Hoje querendo ou não, estamos com preços melhores aqui na cidade); ou então sobre os abusos de restaurantes mequetrefes que, se aproveitando da “onda chic” de Floripa, praticam preços “fora da casinha”…

És hoje uma voz nessa cidade e por isso estou lhe escrevendo.

Há um setor aqui na Ilha, que desde sempre sofreu com o PATERNALISMO. Os tempos mudam, as coisas mudam, mas um grupo ainda luta para manter sua hegemonia, aproveitando-se que a cidade é pequena e todo o trade se conhece: o trade da propaganda.

O fato é que, nos dias 19 e 20 de agosto, será realizado um encontro com grandes lideranças da propaganda brasileira, na FIESC, promovido pelo SINAPRO, que é o sindicato que, por tese, teria de defender a categoria dos publicitários. O motivo deste Encontro é debater a qualidade e propostas para qualificar a propaganda regional.

O problema é que estes senhores virão para cá, de todas as partes do País, e sem saberem da realidade do nosso mercado, farão longos discursos, que em nada mudarão a realidade dos publicitários daqui.

E que realidade é esta? A realidade da opressão, promovida por um grupo de donos de agência. A começar pelo Presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Propaganda, que é DONO de agência.
Você já imaginou o dono da General Motors presidente do Sindicato do Metalúrgicos em São Paulo?
Pois, pra começar, é isso que acontece aqui na Ilha. Ou seja, não temos para quem reclamar.

- Hoje a Ilha é a capital, entre as do Sul do País, que pior paga a categoria. Diversos profissionais migraram para São Paulo e Porto Alegre. E já tem a agência querendo contratar, mas não há mais mão de obra disponível. Apenas recém-formados, que não têm experiência para fazer uma comunicação eficiente e responsável ou fazer uma gestão de marca.

- Cacau, como se já não bastasse a prática coletiva de assinar meia carteira de trabalho (e isto, a turma até aceita); se houvesse uma VARREDURA, feita pelo Ministério Públicos, sei lá… iriam ver que a quantidade de agências que trabalha sem assinar carteira para NENHUM de seus funcionários, não é pouca.

- E pra ficar melhor ainda, os funcionários são várias vezes obrigados a fazer jornadas de até 16h ou mais, virando a noite, e HORA EXTRA é outra coisa INEXISTENTE no mercado. Ninguém se manifesta, reclama, porque não há pra quem fazer isso. Antigamente, era muito comum o publicitário varar a noite trabalhando. Só que era um profissional BEM PAGO. Ele ganhava para isso. Hoje tabelaram os salários na Ilha (isso mesmo, tabelaram. Todo mundo sabe que houveram reuniões entre os principais donos de agência. E isso se chama prática de cartel).

- Além disso, plano de saúde, odontológico ou previdência é coisa rara entre o meio.

- Os salários foram severamente achatados de seis anos para cá, enquanto o custo de vida de Florianópolis subiu muito.

- Hoje há muitas agências e agenciazinhas na Ilha. Claro, o principal capital delas é o humano/intelectual… e que aqui em Floripa está custando muito pouco, não se paga carteira, não há fiscalização e o Sindicato não atua, porque seu Presidente é DONO de agência. Entendeu a conta?

- Por fim, estas mesmas pessoas que administram o meio sequer são capazes de atrair grandes marcas da indústria do Estado para trabalharem com agências daqui (não vamos nem citar Perdigão, Sadia e Seara, porque seria covardia, elas todas estão com seus marketings em São Paulo), mas outras menores como do setor de cerâmica do Sul do Estado. A grande maioria das indústrias não entrega suas contas para a propaganda catarinense.

Aqui em Floripa, não temos publicitários. Temos PubliciOTÁRIOS, que trabalham por uma merreca, se saciam com seus egos fazendo campanhas bem mais ou menos, não se mobilizam e ficam sempre vendo seus chefes disputando as CONTAS PÚBLICAS para fazer propaganda para o Governo (Estadual ou Municipal), que AINDA É O que mantém o setor de pé, aqui na Ilha (praticamente sozinho).

E por falar nisso, vamos ver quem ganha nas eleições de 2010? A Agência X ou a Y?

Abs, Cacau

Erico Fontana!

Relógio do coração

30 de julho de 2010 1

Há tempos em nossa vida que contam de forma diferente.

Há semanas que duraram anos, como há anos que não contaram um dia.

Há paixões que foram eternas, como há amigos que passaram céleres, apesar do calendário mostrar que eles ficaram por anos em nossas agendas.

Há amores não realizados que deixaram olhares de meses, e beijos não dados que até hoje esperam o desfecho.

Há trabalhos que nos tomaram décadas de nosso tempo na terra, mas que nossa memória insiste em contá-los como semanas.

Há casamentos que, ao olhar para trás, mal preenchem os feriados das folhinhas.

Há tristezas que nos paralisaram por meses, mas que hoje, passados os dias difíceis, mal guardamos lembranças de horas.

Há eventos que marcaram, e que duram para sempre, o nascimento do filho, a morte do pai, a viagem inesquecível, um sonho realizado.

Estes têm a duração que nos ensina o significado da palavra “eternidade”.

Já viajei para a mesma cidade uma centena de vezes, e na maioria das vezes o tempo transcorrido foi o mesmo.

Mas conforme meu espírito, houve viagem que não teve fim até hoje, como há percurso que nem me lembro de ter feito, tão feliz eu estava na ocasião.

O relógio do coração — hoje eu descubro — bate noutra freqüência daquele que carrego no pulso.

Marca um tempo diferente, de emoções que perduram e que mostram o verdadeiro tempo da gente.

Por este relógio, velhice é coisa de quem não conseguiu esticar o tempo que temos no mundo.

É olhar as rugas e não perceber a maturidade.

É pensar antes naquilo que não foi feito, ao invés de se alegrar e sorrir com as lembranças da vida.

Pense nisso.

E consulte sempre o relógio do coração:

Ele te mostrará o verdadeiro tempo do mundo.

Mário Quintana

Embolado

30 de julho de 2010 23

Bom dia Cacau

Sobre o comentário “Embolado” na sua coluna de hoje, o Campeonato Brasileiro de 2007 também deve ser considerado um dos mais equilibrados dos últimos anos. Ao final da 11ª rodada a diferença entre o 5º colocado e o 18º colocado era de apenas 6 pontos. Ou seja, não é muita diferença para o atual não ! Pode conferir a veracidade aqui.

O voto dos jornalistas

30 de julho de 2010 2

Depois do manezinho Sérgio Murilo de Andrade, chegou a vez do gaúcho Celso Schröder comandar a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Em eleição direta realizada em todo o país, de 27 a 29 de julho, os jornalistas elegeram a Chapa 1 “Virar o Jogo! Em defesa do Jornalismo e do Jornalista”, por 2.736 votos contra 1.210 da Chapa 2 “Luta, Fenaj!”, encabeçada por Pedro Pomar.

Santa Catarina votou na oposição, mas com apenas 12 votos de vantagem (89 a 77). O Estado tem dois nomes na chapa vencedora: o atual presidente da Fenaj, Sérgio Murilo de Andrade, que passará a ocupar o Departamento de Relações Institucionais e Valci Zuculoto, 2ª Tesoureira.

Fala, assessor!

30 de julho de 2010 2

Em atenção à nota “Que Confusão!”, segue:

O que se conhece como Mina Fluorita no município de Morro da Fumaça é uma vila privada pertencente a uma empresa mineradora do Grupo Votorantin, que possui um sistema próprio de abastecimento de água. Esse sistema está defasado, além de ser fora dos padrões para o que se propõe. O que “eles” pretendem, valendo-se da Prefeitura Municipal de Morro da Fumaça, é que a Casan incorpore esse serviço, em outras palavras, assuma o passivo.

A Casan possui uma demanda judicial com o município citado, embora o convênio para o fornecimento de água tenha sido renovado (o executivo pretende privatizar o sistema de abastecimento de água). Portanto, enquanto não houver uma segurança jurídica, a Casan está impedida de fazer novos investimentos ou assumir outros encargos na área de saneamento, de acordo com o que dispõe o Decreto 1.388/2008 que trata da assunção de sistemas particulares.

Só para esclarecer.

Um abraço,

Oldemar Olsen Jr.
Consultor de Comunicação e Marketing da Casan

Nem tudo são flores

30 de julho de 2010 6

Do editorial do portal Carta Maior:

Cristiano Machado impôs a sua candidatura ao PSD nas eleições presidenciais de 1950 e foi abandonado pelo próprio partido, que acabou apoiando Getúlio Vargas. Seu nome inspirou o termo “cristianização” para designar o candidato ‘escondido’ pelos companheiros de sigla, que temem o contágio tóxico de sua impopularidade nas próprias votações. Até a semana passada a maior parte do material de campanha de Aécio Neves, candidato ao Senado por Minas Gerais, e o de Anastasia, seu candidato ao governo do Estado, ainda omitia a imagem de Serra em santinhos e adesivos.
 
A confirmação veio com uma nota no jornal O Globo, de 29 de julho: “O candidato a presidente pelo PSDB, José Serra, terá uma estrutura independente em Minas Gerais para impulsionar sua campanha no Estado. A estratégia foi montada para fazer frente a algumas dificuldades. A decisão foi tomada após descontentamento com o ritmo da campanha no Estado, onde o ex-governador Aécio Neves, que recusou-se a ocupar a vaga de vice na chapa de Serra, é a principal liderança do PSDB.
 
Serraram o Serra! E em Santa Catarina, tem muita gente curiosa para saber como parte do PMDB, que não gostou da desistência de Eduardo Pinho Moreira, que preferiu ser vice de Raimundo Colombo (DEM), vai se comportar na eleição.

Muitas surpresas podem acontecer.

Jornal do Almoço

30 de julho de 2010 1

Cacau no JA de sexta-feira: clique aqui.