Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A tainha do Eça

30 de setembro de 2010 1
O jornalista Fernando Alexandre, autor do Dicionário da Ilha, postou em seu blog www.tainhanarede.blogspot.com uma receita de tainha do escritor e diplomata português Eça de Queirós (1845-1900). Considerado um dos mais importantes escritores da língua portuguesa, em sua produção literária podem ser encontradas mais de 600 citações sobre o jantar, mais de 200 sobre o almoço e outras tantas sobre a ceia, seja em “O Crime do Padre Amaro”, “O Primo Basílio”, “A capital”, “Os Maias” ou mesmo em “A Cidade e as Serras”.

Em 1893, pouco antes de sua morte, mestre Eça pesquisou e descobriu como era um jantar greco-latino na antiguidade. Quase 120 anos depois, a historiadora e gourmet Tupá Guerra Guimarães da Silva, nova colaboradora do “tainha na rede”, revisita a obra e a cozinha do escritor e revela uma de suas receitas.

“O peixe, por exemplo pode ser uma tainha. E aqui está como ela se prepara, ó estudiosos. Tomai essa tainha. Escamai e esvaziai. Preparai uma massa bem batida, com queijo (que hoje pode ser parmesão), azeite, gema de ovo, salsa e ervas fragrantes, e recheai com ela a vossa tainha. Untai-a então de azeite e salpicai-a de sal. Em seguida assai-a num lume forte. Logo depois de bem assada e alourada, umedecei-a com vinagre superfino. Servi e louvai Netuno, deus dos peixes….”

(Eça de Queiroz, Notas Contemporâneas, 1893).
 

Comentários (1)

  • Jean Moriarty diz: 30 de setembro de 2010

    E preparai-vos, após tão lauto jantar, para o violentíssimo surto de gases estomacais a prorrogar-se pela noite adentro.

Envie seu Comentário