Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Pode parar

07 de dezembro de 2010 13

O Ministério Público Federal pediu à Justiça Federal que ordene a suspensão das obras do Condomínio Porto da Costa, empreendimento de luxo que está sendo construído naquela que é considerada a última grande gleba de terra da Lagoa da Conceição, o maior cartão postal da Capital.

Proposta pela procuradora da República Analúcia Hartmann, a ação civil pública requer, além da paralisação das obras, a suspensão das licenças e autorizações expedidas pela FATMA para supressão de vegetação e instalação do empreendimento; como, também, a suspensão de autorizações, permissões ou alvarás deferidos pela prefeitura para o empreendimento, cujo projeto prevê a construção de 5 quadras, com um total de 89 lotes, sendo 85 residenciais e 4 comerciais.

Para a procuradora, esta ação retrata o “triste quadro da doença da omissão dos Poderes Públicos, que está acabando com os recursos naturais e a qualidade de vida de Florianópolis. Afinal, os danos ambientais que empreendimentos desse porte podem ocasionar não são apenas suposições”.

 

Comentários (13)

  • bernardo diz: 7 de dezembro de 2010

    ESSA ANALUCIA E DAS BOAS… DAS UM BANHO…E CADEIA PRO FLORES E BASSO..

  • Carlos Freitas diz: 7 de dezembro de 2010

    Cacau, paralelamente á ação de suspensão de uma obra supostamente irregular, a Dra. Procuradora poderia fazer um esforço para apurar as responsabilidades dos funcionários públicos que autorizaram e proporcionaram condições para que essa empresa cometesse a irregularidade.
    Mas como punir funcionário público é impossível no Brasil, quer pelo corporativismo, quer pelo apadrinhamento político, só sobra para o aventureiro que tenta aplicar o “se colar, colou”.
    Mas enquanto esses funcionários continuarem impunes, outros se sentirão motivados a continuarem recebendo propinas e cometendo ilegalidades.
    Até quando?
    Abraços!

  • MAX ARTUR diz: 8 de dezembro de 2010

    MEUS PARABÉNS A PROCURADORA ANALÚCIA HARTMANN ,POIS ESTÁ MAIS QUE NA HORA DE ALGUÉM FAZER ALGUMA COISA POR FLORIANÓPLIS ; JÁ NÃO AGUENTAMOS MAIS VER ESSE DESCASO DAS AUTORIDADES COM OS MEGA EMPRESÁRIOS QUE DESEJAM DETONAR NOSSA BELA ILHA COM SEUS MEGA EMPREENDIMENTOS.
    PARABÉS MAIS UMA VEZ DOUTORA.

  • lerguino diz: 8 de dezembro de 2010

    Que coisa hein, e se essa area fosse da Drª procuradora????? será que doaria para comunidade?????
    Onde muita gente manda da nisto, FLORAN, “FATIMA”, PREFEITURA, IBAMA, ESTADO, Dª DILMA e LULA, PAPA….. Porque permitiram que iniciasse a obra para depois embargar.
    Bom mesmo, são os emirados arabes, onde quem manda é um so, o REI, e vejam o que se constroi naqueles paises.

  • Bernardes diz: 8 de dezembro de 2010

    Olha, me preocupa um pouco essa coisa de ambientalismo exacerbado, daqui a pouco não se pode construir nem um casebre nessa ilha. Já não podemos ter marina, pier, bares, etc, etc, é mais fácil fazer o seguinte: Coloca tudo abaixo, derruba as pontes, casas, edifícios, planta árvores em toda Floripa e chama os índios de volta. Por isso que o estaleiro foi para o RJ, perdendo milhares de empregos diretos e indiretos. Ficamos a mercê de chiitas ambientalistas, a maioria vindo do RS, os mesmos que muitas vezes moram na mesma região que não querem que construa, alguns ali pelo Canto da Lagoa. O ambientalismo só serve para os outros, para estes, vale tudo! Porque essa turma de ambientalistas não foi incomodar lá no RJ, talvez porque existem interesses mil de que as coisas aconteçam por lá ao invés daqui. Enquanto isso, chega gente todos os dias em Florianópolis, o trânsito está um inferno, é mendigos perambulando pela rua, falta de estradas, falta de bares de qualidade, de restaurantes, de diversão pra toda essa gente.

  • Juka Belludo diz: 8 de dezembro de 2010

    Se o MP pudesse por uma escuta telefonica em cada telefone de repartição pública no Brasil com certeza iria faltar área pra tanto presidio que seria necessário.

  • wilson diz: 8 de dezembro de 2010

    Parabens Analúcia. Agora, só não sabemos até quando esta decisão irá durar. Pois todos sabemos que nesta Ilha não existe Lei. Existe sim, aqueles que ganhando um apartamento ou algo mais, colocam tudo a perder. Mas por enquanto, Parabéns!

  • angela diz: 8 de dezembro de 2010

    ACHO QUE NESSE CASO A JUÍZA TEM RAZÃO.
    ESTÁ ERRADO DEIXAR CONSTRUIR PARA DEPOIS EMBARGAR.
    TAMBÉM NESTES CARGOS ESTÃO APENAS APADRINHADOS POLÍTICOS QUE NÃO ENTENDEM NADA.
    PRECISAMOS ACABAR COM ESSE NEGÓCIO DE COLOCAR GENTE INDICADA PARA COMANDAR O QUE NÃO ENTENDE .
    PRECISA HAVER CONCURSO PÚBLICO QUE AVALIE AS CAPACIDADES, QUE SEJAM FORMADOS NAQUELA ÁREA.
    OLHEM COMO ESTÁ SENDO GERENCIADA A CIDADE .NÃO HÁ NADA QUE FUNCIONE DIREITO ,FISCAIS DA PREFEITURA QUE ESTÃO DEIXANDO CONSTRUIR OBRAS NÃO PERMITIDAS .
    QUEREM SER RESPEITADOS QUE SE DÊEM O RESPEITO

  • wilson diz: 8 de dezembro de 2010

    Cacau, fiz um comentário, mas o mesmo foi “censurado”. Será por que disse a verdade? o não interessa a alguém?

  • aacioli diz: 9 de dezembro de 2010

    Bernardes, voce mesmo se contradiz….critica aqueles que, graças a Deus, tentam defender o pouco que resta de natureza por aqui…no entanto reclama da falta de estradas, do transito,etc,etc….voce acredita mesmo que destruindo tudo e trazendo mais e mais genta pra cá tudo, como num toque de mágica, será resolvido ? Creio que voce não é tao ingenuo assim.. Pense nisso “É justo pensarmos apenas no nosso umbigo ?” Será que as proximas geracoes, nosso filhos e netos, não merecem ter um mundo melhor ?? Abs….

  • Bruce diz: 9 de dezembro de 2010

    Esão falando que a área será transformada em parque. Finalmente Floripa terá um lugar para acolher crakeiros, mendigos travestidos de vendedores de “artesanato” da 25 de Março, bebuns, um lugarzinho acolhedor para os malandros dividirem o que oi roubado no dia, enfim, vamos ver no que dá essa tal preservação. Tomara que dê certo, mas eu duvido.

  • Paulo Cesar diz: 12 de dezembro de 2010

    A Procuradora deveria preocupar-se também com as ocupações irregulares dos sem terras nos morros dos Ingleses e arredores, mas parece que a Procuradora tem um carinho especial por empreendedores que buscam a regularização junto aos órgãos oficiais de forma ordeira, pacífica,com os tributos e taxas pagos adequadamente. Infelizmente a Procuradora no seu afã ecológico só tem olhos para a sociedade organizada.Lamentável!!

  • Mayas diz: 26 de fevereiro de 2011

    A humanidade – infelizmente – existe, está aí.

    A racionalidade do uso da natureza, é necessidade reconhecida por todos.

    Aos defensores do meio-ambiente, uma dica: não sejam ingênuos quanto à essas “demonstrações” de defesa da natureza. Nesse jogo de interesses, não há inocentes e muito menos gente movida por ideologias verdadeiras, puras.

    Liberar obra para embargar depois, é resolução absolutamente incongruente, convenhamos … isso sim, não é jogo limpo e envolve – na verdade – o poder judiciário medindo forças com o poder executivo.

    Os “gente-sem-cargo” que estão no meio, é que ficam paralisados pela disputa do poder.

Envie seu Comentário