Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Vila Santa Rosa

25 de março de 2011 20

A operação policial realizada na tarde desta quinta-feira na comunidade da Vila Santa Rosa, na região da Avenida Beira-Mar Norte, entrou para o anedotário da segurança pública. Cerca de 200 agentes das polícias Militar, Civil e Federal fortemente armados ocuparam apenas uma das vielas do bairro. Invadiram casas, vasculharam terrenos e revistaram moradores. Nada foi apreendido, nem mesmo um cigarro de maconha, que, na Ilha, é mais fácil encontrar do que um pirulito.

O que se viu muito foram crianças chorando, assustadas com o ostensivo armamento e com a invasão de suas humildes casas, vizinhas de prédios ilustres como a casa do governador, a sede da Polícia Federal, a sede da OAB e o novo prédio da Justiça Federal.

Comentários (20)

  • Fábio diz: 25 de março de 2011

    A operação, ainda que inexitosa, merece aplausos. Nos tempos atuais, em que os bandidos estão cada vez mais audaciosos e fazendo pouco caso do Poder Público, são necessárias demonstrações de força.
    As crianças assustadas vão superar isso e os bandidos receberam uma mensagem. Se eu fosse Secretário de Segurança Pública, determinaria uma operação dessa por semana, em localidades aleatórias da cidade suspeitas de abrigarem traficantes, pois é imprescindível demonstrar que ainda existe um Estado/Poder Público.

  • Carlos Amancio diz: 25 de março de 2011

    Interessante o comentário do senhor Fábio. Com certeza deve ser um dos policias envolvidos na operação.
    A pergunta que gostaria de fazer, é: Eu nasci em 1972 na Maternidae Carmela Dutra. Nunca na minha vida, até hoje, tomei ciência de alguma operação desse tipo – policiais armados até os dentes invadindo casas aleatoriamente – na Avenida Trompowsky, na Almirante Lamento, na Esteves Júnior, no Jardim Itaguaçu…nesse lugares só tem santo? não há crimes?

    E dou aqui uma sugestão: por que a polícia não leva junto nessas operações psicólogos , para justamente acalmar e orientar as pessoas de bem, que não tem nada a ver com o rolo?

  • Berloque Gomes diz: 25 de março de 2011

    É aquela história: muita ação e pouca inteligência acabam dando em nada. Em primeiro lugar, é preciso fazer um trabalho de inteligência, agindo nos pontos certos. Operações pouco estudadas acabam nisso.

  • IRINU JOSE NUNES diz: 25 de março de 2011

    E quando sera que vão fazer um operação deste porte naqueles locais onde metem a mão no dinheiro do povo? Deixando as crianças sem Hospitais dignos, sem escola, etc.

  • Adriel diz: 25 de março de 2011

    Isso é muito interessante, a Polícia fazendo o papel dela, e o povo malhando, quando não vão, é porque não foram, quando vão é porque foram fortemente armados, sugiro que daqui em diante os polícias quando forem fazer novas ações, em vez de armas levem flores, e, cantando aquela música “Caminhando e cantando e seguindo a canção…” Vamos parar de hipocrisia, vamos deixa-los trabalhar. Obs: Não participei da ação!!!!

  • Fábio diz: 25 de março de 2011

    Sr. Carlos,
    Inicialmente, afirmo que não sou vinculado a nenhum órgão de segurança pública. Não tenho sequer um parente que seja vinculado a tais instituições. Nasci no mesmo local que você — apesar de não saber saber qual a pertinência dessa questão — e sempre morei nas imediações.
    Sou apenas um cidadão atento a tudo o que está acontecendo. E a realidade é que o atual estágio de insegurança pública é vergonhoso, desanimador e desesperador.
    Não conheço policiais, mas conheço vítimas. Várias. Um primo foi assassinado com um tiro na nuca em seu local de trabalho, após o roubo do dinheiro que seria pagamento de seus funcionários. Meu irmão foi vítima de sequestro relâmpago. Tenho cerca de 6 amigos/amigas que foram vítimas do mesmo crime. Todos esses casos ocorreram nos últimos 10 anos e não foram noticiados. A partir disso, você pode ter uma dimensão do que realmente acontece e do que é noticiado.
    É imprescindível a demonstração da presença do Poder Público. Se você ainda morar no centro da cidade, experimente sair em direção à lagoa, ao norte da ilha ou a qualquer outro ponto da ilha e faça a contagem de quantas viaturas policiais você irá encontrar no caminho. Ontem fui até a casa de um parente na Barra da Lagoa, às 20hs, e não encontrei UM CARRO SEQUER.
    Conheci o Rio de Janeiro pela primeira vez há duas semanas e afirmo de boca cheia: a sensação de segurança lá é maior do que aqui. Enquanto estava na rua, não fiquei 5 minutos sem ver a presença de uma guarnição policial.
    É preciso acabar com essa hipocrisia. Tempos extremos reclamam por medidas extremas. É preciso mostrar que ainda existe LEI e ORDEM nessa cidade. E é por isso que aplaudo e vou continuar aplaudindo ações que, ainda que de forma transversa, demonstrem a presença do Poder Público.

  • Victor diz: 25 de março de 2011

    Absurdo! Agora que diversos departamentos que comandam a sociedade estão instalados naquela região, querem de alguma forma intimidar os que ali moram muito antes de se ter um prédio naqueles arredores, e assim pressioná-los a buscar outro local de moradia. Nos locais onde realmente o bixo pega não se faz isso. Já quando há peixe grande envolvido e encontram alguma coisa… daí, daí … vira em pizza, deve ser aquela de “aliche”. Ainda lembram da moeda verde?

  • Antônio Carlos Souza diz: 25 de março de 2011

    Cacau, as Polícias de Santa Catarina ou estão muito desorganizadas e perdidas, como baratas tontas em meio a tanto crime, ou existe má fé nessas operações que só servem para “mostrar serviço”.
    Já telefonei várias vezes para o 190, o 181, Ouvidorias das PM e PC e o comércio de drogas continua 24 horas na Rua Kurt Rantour, em Capoeiras, aonde mataram um marginal conhecido como anão, na quarta feira passada.
    Porque não fecham o beco aonde fica um olheiro 24 horas e invadem o barraco (de madeira) do traficante.
    De onde estou (sacada do meu prédio) acompanho toda a movimentação e as Polícias não podem fazer nada?
    Até famílias já foram expulsas e a iluminação pública foi desativada para facilitar a venda durante a noite.
    Se a PM não pode pedir a CELESC para religar a luz e “sufocar” esses pés-de-chinelo, imagine os tubarões?
    Muito esquisito…

  • rafael diz: 25 de março de 2011

    Berloque, falo tudo.ta faltando cabeça pra pensar.

  • Rutger Hauer diz: 25 de março de 2011

    Parece que fizeram a operação no vizinho errado. Da próxima vez espero que eles vasculhem os vizinhos ilustres…

  • Veronasce diz: 25 de março de 2011

    Cara… Fico imaginando uma operação dessas na Assembéia Legislativa,,, Em alguns prédios da Beira =Mar…e sucesso certo, em Jurerê Internacional… principalmente quando tiver festa na P12 etc…

  • Fredy diz: 25 de março de 2011

    Cacau!

    A hipocresia do tal de Fábio demonstra bem o que é o nosso Brasil atual. A polícia invadindo casas de pessoas humildes trabalhadoras. Seria bom a polícia fazer uma visita ao bairro desse senhor e fazer com sua família o que ele acha normal fazerem com essas pobres crianças. Queria saber se ele apoiaria a operação. Com certeza iria botar a boca no trombone e entraria na justiça para pedir uma indenização. Esse cara é um exemplo claro de que a justiça só deve funcionar para o pobres. Será que se fosse com seus filhos ele defenderia a operação da mesma forma? É um hipócrita.

  • Manoel da Costa e Silva diz: 26 de março de 2011

    Os policiais erraram o endereço…..era pra ter ocorrino na sede da PF, na sede da OAB e na casa do Governador, se tivessem pelo menos acertado o endereço, Cacau, te garante que uns 10 seriam presos.

  • gustavo linhares diz: 26 de março de 2011

    Este Fabio deve ter a sua boca numa das tetas do governo estadual pra escrever tamanha asneira… A verdade e a policia e hipocrita e esta ai pra proteger que tem e nada mais. Porque a policia nao faz blitz na saida das boates da beira mar??? ou na saida da peixada do Gui ou da feijoada do CACAU???? Sabem o motivo??? NAO TEM COMANDANTE na PM, COM CULHAO, PRA FAZER UMA AÇÃO DESSAS!!! E UM BANDO DE BABA OVO E BORRA BOTAS!!!!! ta tudo perdido…. chama a mae pois nao tem mais o pai… morreu na fila do hospital

  • Airton diz: 26 de março de 2011

    Talvez se a bendita operação tivesse se estendido para os citados endereços vizinhos nossos homens da lei poderiam obter melhor sucesso.

  • Cantidio diz: 26 de março de 2011

    Oi Cacau… Nao quero sacanear mas acho que tas assistindo muito Helio Costa. O Diario on line (teu jornal) informou que nao foi nem a metade desse número de policiais, que foram feitas prisões e aprrendidas armas e drogas. Da ate o calibre da arma, uma 9 mm, de uso exlusivo das forcas armadas. Quem diz que foram duzentos (e ta errada a informação), foi a record, no notícias do dia on line, se bem que eles também falaram das prisões (será que foi aí que vc leu?). Agora quem deu o mesmo enfoque de exagero e disse que foram duzentos policiais e nada foi apreendido foi o Helio Costa que assim como você nao esteve no local. Fica uma curiosidade: sendo o jornal do helio na RIC no mesmo horário que o jornal do almoço na rbs, como você faz para assistir: grava para ver mais tarde? Nao sei se esse meu comentário vai ser publicado ou “censurado”, mas fica a pergunta: o que vais fazer com essa informação?
    Checar e desmentir se for o caso? Ou deixar o dito pelo nao dito?

  • maneca diz: 28 de março de 2011

    Passados mais de anos 30 (anos) da instituição da legislação antitóxicos ( Lei nº 6.368/76) o que se constata é o aumento do tráfico, do consumo, da corrupção e principalmente da hipocrisia.
    Sob o álibe da repressão se ocultam interesses múltiplos, mormente dos grandes interesses econômicos, seja de manter preços elevados da droga, seja o incentivo ao mercado de armas, equipamentos e serviços de segurança, etc, etc.
    Cigarro, bebidas, medicamentos, não deixam de ser drogas e no entanto, o comércio destes produtos sendo livre não dá ensejo a criminalidade: o crime resulta da própria proibição. Basta rememora a lei seca nos EUA e todas as suas conseqüências nefastas.
    Claro que o Estado, suas forças repressivas e o poder econômico em geral é beneficiado com a limitação da criminalidade – sempre avessos à conformidade e ao status quo – às zonas periféricas dos Municípios. Aumentada a repressão certamente os malfeitores avançariam sobre as pessoas e os bens das elites econômicas.
    A polícia por seu turno se vale das incursões para estabelecer números estatísticos de trabalho, para enaltecer vaidades individuais e para estabelecer preciosos pontos de informação e investigação.
    De resto, a polícia , os cárceres e o judiciário vivem envoltos e atulhados de pseudo traficantes, com toda espécie de “zés ninguém”, uma ralé formada pela própria repressão.
    Um custo incalculável de vidas, uma indizível chaga social. Pouco se investe no tratamento de dependentes e na reinclusão social dos apenados. As drogas batem às nossas portas de longa data mas ainda é a hipocrisia que prevalece .

  • almanaque do roberto diz: 28 de março de 2011

    Olha a FIRULA aí gente : http://fantastico.globo.com/

  • angela silveira diz: 31 de março de 2011

    NÃO ACHO QUE AGIRAM ERRADO NÃO.
    FIZERAM O TRABALHO DELES . ESTÁ CERTO QUE HÁ LUGARES PRECISANDO DE VISITA ,MAS SERÁ QUE NÃO HOUVE ALGUMA DENÚNCIA?????????
    DEVERÍAMOS RECLAMAR SE NÃO FOSSEM PROCURAR, SE NÃO ENCONTRARAM NADA , MELHOR!!!!!!!!!!!!!
    VÃO DEIXAR ESSES EM PAZ E PROCURAR OUTROS LOCAIS .
    DEVEM SER ,É AGRADECIDOS ,POIS ESTÃO SENDO CUIDADOS.

  • fernando machado diz: 31 de março de 2011

    E verdade, fui na emergencia do hospital florianopolis as 6 da manha de sabado estava fechado, fui no celso ramos tambem estava fechado, fui no hopistal universitario fiquei 4 horas esperando para ser atendido e nao fui atendido por falta de ortopedista…. simplesmente fui na ortocline e tive q pagar 200 pau por uma consulta de 5 min…. tem q mandar esses politicos ficar numa porta de um hospital pra ver oq eh bom pra tosse pois tem tudo unimed com o dinheiro roubado do povo!!!!

Envie seu Comentário