Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2011

Pequena pausa

25 de março de 2011 28

Sair por ai, absolutamente sozinho por duas grandes cidades onde ninguém me conhece e eu não conheço ninguém para zerar uma semana de férias do ano passado, essa é a minha missão a partir de  hoje. Primeiro São Paulo, depois Buenos Aires para show do U2 quarta-feira; chegada da família na quinta e aniversário no sábado. Um tempinho para a minha cabeça. Chutar lata, entrar em espeluncas, chamar táxi, sentar na grama, nos cafés, circular anonimamente, conversar com Deus, ouvir Carlos Gardel, traçar objetivos, refletir, andar pela cidade grande e colorida de neons e, se possível, dançar um tango. E tomar um vinho, né tolo!

Quem trabalha sete dias por semana, dependendo só dele, e também nos feriados, sabe a importância de uma semana no ócio.

Barcelona

25 de março de 2011 5
Oi querido!
 
Com um recepção carinhosa pelo arquiteto Samuel Brito e sua mulher Jacina Rolin, fez a diferença chegar nesta cidade tão linda como Barcelona. Estou me sentindo em casa! O catalão não é esse bicho de 7 cabeças, sua língua me é bem familiar, já que minha família tem uma descendência espanhola dessa região.
 
A viajem foi ótima, sem esperas em aeroportos, ja que a diferença entre os horários de voo eram de quase menos 2 horas: FLN/SP, SP/Lisboa, Lisboa/Barcelona. A espera maior foi no aeroporto de Floripa, que por conta do jogo do nosso Time, AVAI, no mesmo horário do meu voo para Sampa, tive que sair de casa antes das 5h da tarde.
 
O Samuel ja me esperava aqui no aeroporto e pra ser diferente, achou que deveriamos ir pra casa de ônibus especial, saltando na praça da Espanha, apreciando e curtindo tudo, caminhando pra casa. Era horário da saida dos alunos das escolas, e, foi impressionando o número de crianças e adolecentes nos cafés acompanhados de seus pais Uma festa. No caminho sentamos para um café no Café Brasil e nos deliciamos com os doces tipicos da regão.
 
O Bairro Sants, bairro antigo, é bem próximo ao centro de Barcelona, quero dizer, da Plaza de Cataluña. para quem gosta de caminhar da de ir caminhando. É um bairro família com muito comércio.
 
Aqui perto é a antiga Plaza de Touros, e como a Cataluña, a anos, proibio a touradas, sera inaugurado nessa sexta, um shopping center, no próprio prédio, tendo este sido levantado do chão com uma tecnica inovadora da engenharia e arquiteura daqui. Vamos a inauguração da nova Plaza de Touros esta noite.
 
O gostoso é que cada um liga seu computador, lê o DC, o Cacau é claro, e ficamos comentando os assuntos dai. Isto faz a diferença da minha estada aqui no nordeste da Espanha.
 
 
Um beijo,
 
Véra Brito

Golaço

25 de março de 2011 4

Caro Cacau,

 Não quero desmerecer  os gols do Schwenck contra o Imbituba, mas a imprensa desprezar o gol do Thomas é um crime. O atacante do Imbituba deu uma entortada no zagueiro do Criciúma que ele esta até hoje procurando a sala de fisioterapia para arrumar a coluna.    Foi um drible e um gol  tipo o do Romário ainda no Flamengo, contra o Corinthians.  Aí Cacau, mostre e comente este gol, lave a honra da galera da Zimba, pois sabemos que tu adora lances e gols bonitos.               

 Pitta – Imbituba   

BICICLETA DOBRÁVEL

25 de março de 2011 2
Quem tem apartamento e gosta de andar de bicicleta sabe o quanto é incômodo achar um lugar para guardar a “magrela”. Como diria o pessoal do ex-programa Caceta & Planeta, donos das Organizações Tabajara, “seus problemas acabaram”. Chega ao Brasil esta semana aquela que é considerada a melhor bicicleta dobrável do mundo. A marca Bromptons circula pelo mundo há mais de 30 anos. Dobradas, ocupam espaço ligeiramente maior do que suas rodas e o peso varia de 9 a 12,5 quilos. O problema é o preço, entre R$ 5 mil e R$ 10 mil.
 
O Brasil já possui uma frota aproximada de 70 milhões de bicicletas e se apresenta como um mercado promissor para fabricantes e importadoras.
 

Eta povo tinhoso

25 de março de 2011 13

Uma das imagens que melhor sintetiza o pavoroso terremoto que abateu o Japão – o mais alto, neste século, atingindo o nível 9 – é o da Autoestrada Great Kanto, partida ao meio exatamente onde existiam as faixas de separação de pistas de rolamento.

Apesar do tsunami, da radiação e da falta de tudo, assim mesmo a rodovia já não representa mais a tragédia, e sim o espírito de uma grava raça, eis que já foi devolvida ao tráfego menos de duas semanas após a tragédia e após uma semana de trabalho.

Se compararmos a uma determina rodovia no sul do sul deste abençoado País, sem terremoto, sem tsunami, sem falta de água, sem tragédia nuclear, é de chorar de ódio, de raiva, de desesperança, de abandono.

Bandeira branca

25 de março de 2011 8

Treinador Jorginho, do Figueira, foi hoje ao Jornal do Almoço, na sua primeira entrevista em televisão, na cidade, conversar comigo, abrir seu coração e pedir o apoio da torcida no jogo de domingo contra o líder, Chapecoense, no Scarpelli. Sabe que está entre a cruz e a espada e que só uma vitória pode trazer a tranquilidade que todos esperam para tentar o título e depois uma boa campanha na Série A.

Se perder, o protesto se justificará. Se vencer, não. O treinador Marcio Goiano já está empregado e o Figueira precisa tocar a sua vida. Jorginho é uma pessoa do bem, de igreja, de boa índole. E conhecedor profundo de futebol. Um pouquinho de paciência não custa nada. Ou o clube aborta logo essa crise ou terá publemas no resto do ano. A torcida escolhe.

Vila Santa Rosa

25 de março de 2011 20

A operação policial realizada na tarde desta quinta-feira na comunidade da Vila Santa Rosa, na região da Avenida Beira-Mar Norte, entrou para o anedotário da segurança pública. Cerca de 200 agentes das polícias Militar, Civil e Federal fortemente armados ocuparam apenas uma das vielas do bairro. Invadiram casas, vasculharam terrenos e revistaram moradores. Nada foi apreendido, nem mesmo um cigarro de maconha, que, na Ilha, é mais fácil encontrar do que um pirulito.

O que se viu muito foram crianças chorando, assustadas com o ostensivo armamento e com a invasão de suas humildes casas, vizinhas de prédios ilustres como a casa do governador, a sede da Polícia Federal, a sede da OAB e o novo prédio da Justiça Federal.

POUCOS LIVROS

25 de março de 2011 5

Levantamento inédito do Movimento Todos Pela Educação, feito com base no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2010, analisou 65 países e indicou que cerca de 40% dos estudantes brasileiros declararam possuir, no máximo, 10 obras literárias, informa o Jornal do Commercio, de Pernambuco. O índice é pior do que outros países vizinhos, como México e Colômbia. Entre os que afirmam ter mais de 200 livros, estamos em penúltimo lugar (1,9%), atrás apenas da Tunísia (1,7%).

Sexo lento

25 de março de 2011 9

A busca pelo clímax e a falta de desejo continuam sendo os principais motivos da ida das mulheres a consultórios de sexólogos e terapeutas. Outro dado curioso da pesquisa sobre sexualidade do Hospital das Clínicas da USP é que a nossa cultura não estimula as mulheres a sentir desejo.

A massacrante felicidade dos outros

24 de março de 2011 15

OUTRA PÉROLA DA MARTHA MEDEIROS:

 

Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho não é mais verde coisíssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco.

Há no ar um certo queixume sem razões muito claras. Converso com mulheres que estão entre os 40 e 50 anos, todas com profissão, marido, filhos, saúde, e ainda assim elas trazem dentro delas um não-sei-o-quê perturbador, algo que as incomoda, mesmo estando tudo bem. De onde vem isso?

Anos atrás, a cantora Marina Lima compôs com o seu irmão, o poeta Antonio Cícero, uma música que dizia: “Eu espero/ acontecimentos/ só que quando anoitece/ é festa no outro apartamento”. Passei minha adolescência com esta sensação: a de que algo muito animado estava acontecendo em algum lugar para o qual eu não tinha convite. É uma das características da juventude: considerar-se deslocado e impedido de ser feliz como os outros são – ou aparentam ser. Só que chega uma hora em que é preciso deixar de ficar tão ligada na grama do vizinho.

As festas em outros apartamentos são fruto da nossa imaginação, que é infectada por falsos holofotes, falsos sorrisos e falsas notícias. Os notáveis alardeiam muito suas vitórias, mas falam pouco das suas angústias, revelam pouco suas aflições, não dão bandeira das suas fraquezas, então fica parecendo que todos estão comemorando grandes paixões e fortunas, quando na verdade a festa lá fora não está tão animada assim.

Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho não é mais verde coisíssima nenhuma. Estamos todos no mesmo barco, com motivos pra dançar pela sala e também motivos pra se refugiar no escuro, alternadamente. Só que os motivos pra se refugiar no escuro raramente são divulgados. Pra consumo externo, todos são belos, sexys, lúcidos, íntegros, ricos, sedutores. “Nunca conheci quem tivesse levado porrada/ todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo”. Fernando Pessoa também já se sentiu abafado pela perfeição alheia, e olha que na época em que ele escreveu estes versos não havia esta overdose de revistas que há hoje, vendendo um mundo de faz-de-conta.

Nesta era de exaltação de celebridades – reais e inventadas – fica difícil mesmo achar que a vida da gente tem graça. Mas tem. Paz interior, amigos leais, nossas músicas, livros, fantasias, desilusões e recomeços, tudo isso vale ser incluído na nossa biografia. Ou será que é tão divertido passar dois dias na Ilha de Caras fotografando junto a todos os produtos dos patrocinadores? Compensa passar a vida comendo alface para ter o corpo que a profissão de modelo exige? Será tão gratificante ter um paparazzo na sua cola cada vez que você sai de casa? Estarão mesmo todos realizando um milhão de coisas interessantes enquanto só você está sentada no sofá pintando as unhas do pé?

Favor não confundir uma vida sensacional com uma vida sensacionalista. As melhores festas acontecem dentro do nosso próprio apartamento.

Martha Medeiros