Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Morador de Jurerê Internacional

10 de janeiro de 2012 500
Cacau, como sabes, moro em Jurerê. Há cinco anos e meio. E é um ótimo lugar pra se morar, fora da temporada. Natal passado tirei um cara pelado completamente travado de dentro da garagem do meu prédio. Hoje, acordei com os berros de um cara às seis da manhã que, ao sair de uma festa atropelou uma pessoa, fugiu, e tentou se esconder no Open Shopping. Os seguranças pediam para que ele os acompanhasse e ele só gritava “que foi cara!” repetidamente (não conseguia nem formular um pensamento pra se defender). Outro dia um guri de dezoito anos, também saindo bêbado de uma festa aqui no norte da ilha, matou um senhor de sessenta e poucos anos que andava de bicicleta. (e lembra daquele rapaz que foi atropelado que tem até aquela “ghost bike” ali no caminho pra jurerê né?, mesma causa…).
No show do David Guetta acho que fizeram uma blitz no começo da festa: tem que fazer no final! Passar um pente fino com o bafômetro nessa galera toda na saída. 
Concordo com os caras do Pretinho Básico quando disseram que 99% da população de turistas de Jurerê é composta de IDIOTAS que, por exemplo, economizam o ano inteiro para alugar uma casa em vinte paulistas querendo pagar de milionários, e o pior: escutando Michel Teló no máximo!!
Bando de IDIOTAS! não respeitam nada nem ninguém, não têm educação, nem opinião própria.
Camarote$, pul$eirinha$, champã$ e ferrari$ são os únicos valores dessa turma. Se vestem tudo igualzinho, tentando parecer que acabaram de chegar de Ibiza.
Bombadões com correntes de prata (nunca vi rico de verdade usar isso, nem de ouro (só o Ronaldinho Gaúcho)), biatches de vestidinhos curtos, tudo de “óclão” de marca… com camisa de jogador de pólo cheia de bordados…e, rasgando dinheiro? literalmente?? só tenho certeza de uma coisa quando vejo isso: aquele cara não trabalhou pra ganhar aquela grana.
Em Jurerê tem desde o casalzinho de Erechim até a super celebridade. Passando por todo tipo de pessoa. 
Mas eu não acredito que os caras tenham esse comportamento em suas respectivas cidades, aqui, furam sinal, fila de carro, fila de supermercado, andam na contramão direto. Perdem os freios sociais, afinal, ninguém os conhece. 
Tenho uma teoria: eles não pegam ninguém nessas nights de fazeção de média e aparência e aí saem avacalhando com tudo fazendo merda, bebendo, depredando, acelerando, frustrados.
E mais, além desse tipo de turismo “predatório”, vem a bandidagem do Brasil inteiro veranear em Floripa. Como os que mataram aquele policial rodoviário federal em Coqueiros. E aí já é outro assunto-problema. Falaste do rapaz que morreu com tesouradas…
Uma vez ouvi do atual Secretário de Turismo da Capital que o turismo aqui não dá retorno em termos de arrecadação de impostos à cidade. O valor arrecadado empataria com o investimento feito pelo Poder Público. Isso se dá porque a grande maioria da hospedagem se dá em pousadas informais, que não recolhem os tributos devidamente. Esse dado pode estar errado (com certeza será contestado agora), mas se é assim será que vale a pena nos submetermos a isso tudo só para engordar a conta bancária de meia dúzia de empresários?
No mundo todo quando o turismo vira baderna a comunidade local se mobiliza. Até me lembrou um amigo que já passamos por isso em Canasvieiras, com os gringos. Infelizmente fazer blitz na sáida das festas não vai resolver o problema. É uma questão de educação. Muito mais profunda.
A raça daqui também se “idiotiza”: o sonho é ir tirar a camisa no P-12! pagar de grandão, de gatão ou de ricão. 
Nada contra o turismo, o pessoal de fora, nem contra festas e “la dolce vita”, mas vamos pelo menos respeitar a vida dos outros.
Enfim, dai-nos paciência Deus, a nós da ilha, até acabar esse verão. Aguentar essa filas e abobados tentando furá-las. Cuidando para não sermos abalroados, principalmente se você anda “di pé”, de bike, ou de moto – pasme – de manhã cedo!!! Desculpe o desabafo. Fui. Rica Ribas.

Comentários (500)

  • manezinho (campeche) diz: 10 de janeiro de 2012

    Falou tudo..!! assino embaixo…
    Apenas retirando as citações “paulistas”, “erechim” etc… Acho que tem de tudo…
    Cada ano piora, e a galera insiste em trazer todo mundo para Jurerê..!! Claro com o patrocínio dos bares de jurerê e da Habitasul (que está querendo mudar o perfil do bairro), que antigamente era mais de pessoas idosas (aposentadas), e hoje está mudando drasticamente, nem o céu, nem o inferno…

  • GABRIEL BENATTI diz: 10 de janeiro de 2012

    NOSSA, ALGUÉM FINALMENTE FALOU TODA A REALIDADE VIVIDA POR JURERÊ…
    O CIRO GOMES AFIRMOU CERTA VEZ, COM TODA A RAZÃO, QUE FORTALEZA ERA UM PUTEIRO A CÉU ABERTO…
    MAS RICA RIBAS DETERMINA, COM SEU BRILHANTE COMENTÁRIO, QUE JURERÊ, ALÉM DE SER MAIS UM PUTEIRO NO BRASIL, AINDA É PALCO DE ORGIAS DE RICOS FAJUTOS QUE NEM CALIGULA ADMITIRIA…
    UMA CIDADE TURISTICA NÃO É ABSOLUTAMENTE ISTO. OLHEM O CASO DE PARATI, ANGRA, GRAMADO E OUTRAS TANTAS CIDADES QUE NÃO PRECISAM SER O CENTRO DA MARGINÁLIA PRA FICAR CONHECIDA.
    É HORA, PRINCIPALMENTE DA IMPRENSA ALERTAR AOS GESTORES PUBLICOS SOBRE A IMORALIDADE E A ANARQUIA QUE ESTÁ TOMANDO CONTA DA NOSSA ILHA DA MAGIA.
    ANTES QUE ELA SE SEJA APELIDADA DE ILHA DA PUTARIA!

  • bob diz: 10 de janeiro de 2012

    Precisamos da OPERAÇÃO LEI SECA, tal qual acontece todas as noites no Rio !!!!

    LEI SECA já !!!!!!!!!!!!

  • Anselmo diz: 10 de janeiro de 2012

    Falou tudo..!! assino embaixo…
    Apenas retirando as citações “paulistas”, “erechim” etc… Acho que tem de tudo…
    Cada ano piora, e a galera insiste em trazer todo mundo para Jurerê..!! Claro com o patrocínio dos bares de jurerê e da Habitasul (que está querendo mudar o perfil do bairro), que antigamente era mais de pessoas idosas (aposentadas), e hoje está mudando drasticamente, nem o céu, nem o inferno…

  • Tom diz: 10 de janeiro de 2012

    Bem Rica Ribas, sou de SP e moro em Floripa a 6 anos, concordo em 99% do que vc comentou aqui, mas não são somente os Paulista que alugam casas em 20 pessoas em Jurerê Internacional, pois gente do Brasil inteiro, eu sei que resumiu como um exemplo, eu mesmo no show do David Guetta estava retornando para casa de saindo da praia em Jurerê, ficamos exatamente 1:30 para atravessar o posto da policia até a SC 401, pelo o q vi foi um acidente de carro e uma moto, mas com certeza uma super falta de respeito de muitas pessoas, transitando em alta velocidade no acostamento e até no acostamento no sentido contrário, não sei como não aconteceu nada de mais grave pois tinha bastante pessoas caminhando pelo dois sentido das pista e tem mais, a policia rodoviaria estava no local e o acostamento virou um estacionamento guardado pelos flanelinhas e cambistas q estavamos cobrando R$ 300,00 a 500,00 para entrar no Show, e todos nós sabemos que nessa hora tem os espertinhos. deixo aqui o meu comentário tambem e concordo com vc q todos nós temos que respeitar o proximo…………………………

  • Highsecret diz: 10 de janeiro de 2012

    No caso de Jurerê “INTERNACIONAL” a culpa toda é da “HABITASUL” que foi uma tremenda de uma picareta vendendo a promessa de lugar bom para se viver no intuito de usar da mansões para atrair os idiotas para seus hotéis e beach points!

    Engraçado foi a cobrança de taxas de “IPQD” que além de inconstitucional não pegou porque somente trouxa aceitaria ficar doando dinheiro para tamanha farsa!

    Eu tive planos de morar em JI mas quando percebi que o bairro era marca registrada da HABITASIL ( veja no site do INPI), me senti um trouxa e acabei vendendo tudo que tinha nesse pedaço de enganação!

    Não espere nada de bom enquanto essa HABITASUL ficar dando as cartas no bairro!

  • VADINHO diz: 10 de janeiro de 2012

    MATOU A PAU!
    JURERE ESTÁ IMPORTANDO UMA NATA DE MARGINAIS QUE SE ENDIVIDAM ATÉ O RABO PRA VIR A UMA ILHA SEM LEI, ONDE TUDO PODE E NÃO HÁ LIMITES.
    POR OUTRO LADO, CONSIDERANDO QUE O TURISMO SÓ É VIÁVEL SE FOR UMA FONTE DE RENDA PARA O ESTADO, PERGUNTEM A ESSES EMPREENDEDORES DAS FESTAS=BORDÉIS QUE REALIZAM, O QUANTO ELES RECOLHEM PARA O FISCO, JÁ QUE TUDO LÁ, DESDE O INGRESSO ATÉ O CONSUMO, NÃO APARECE EM RECEITA ALGUMA.
    VIVA POIS A ZONA QUE VIROU A CIDADE NA TEMPORADA…

  • Moradora diz: 10 de janeiro de 2012

    Perfeita exposição! Jurerê Internacional tem sofrido com a extensa exposição na mídia, trazendo diversos tipos mal educados e incovenientes que retiraram o sossego dos moradores e das demais pessoas que só querem aproveitar a praia e o verão com educação e cordialidade.

  • Pensador diz: 10 de janeiro de 2012

    É Ribas, estás certo, mas te aconselho se mudar para a Praia do Saquinho, eu estive lá este final de semana e posso te afirmar que o silencio mora lá. Vc bem disse que já mora a mais de cinco anos em Jurerê, e, ainda não se acostumou? Como diria um manezinho “Aaa para né oooo”…….

  • Arnaldo diz: 10 de janeiro de 2012

    Acho que tá faltando mais MANÉ ingênuo na ilha.

  • Andréia diz: 10 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente com o cidadão, não sou de Floripa, mais tenho familiares que moram aí. e todo verão é a mesma coisa… as praias ficam um CAOS.

  • Bibi diz: 10 de janeiro de 2012

    Raramente algo ou uma situação foi tão brilhantemente “verbalizada”, com fez nosso amigo Ribas. Perfeito. Devemos é compartilhar em nossas redes sociais, este Post do Blog Cacau, para que todos os envolvidos, sociedade, empresários (principalmente do ramo do entretenimento), e órgãos constituídos, possam dar uma rumo a essa baderna toda. Desculpem-me, mas as situações exemplificadas pelo missivista, estão passando do limite. Sábado fui perseguido na SC 401, por um idiota com um carro da marca Renault, placas de Brusque, sem ter até agora entendido porque. Jogou-me três vezes pra fora da pista. Isso tudo às 19 horas. Consegui ver a fisionomia do sujeito. Parecia o diabo em forma de gente. Mas também tem aquele velho ditado: “O diabo sabe pra quem aparece”.

  • Carlos diz: 10 de janeiro de 2012

    Também concordo. Tenho apartamento em jurerê e nesta época nem dá vontade de aparecer por lá. Mas também me recuso a alugar, pra não dar espaço para virem mais malas para a cidade. Esse tipo de turismo que se criou para a cidade é um lixo, pode até trazer fortuna para alguns, mas para a maioria é um inferno. Os caras vem pra se esbaldar dia e noite sem parar, mas a mairoria dos moradores precisa trabalhar, levantar cedo. Bons tempos em que os argentinos e suas numerosas familias eram os invasores, ao menos eles nos deixavam dormir!

  • MARCELO GANZO diz: 10 de janeiro de 2012

    Está mais do que provado que 90% da bandalheira é promovida por gente de fora.
    A PM devia atuar com mais rigor naquela área, fazendo blitz e parando principalmente os carros de fora. Garanto que boa parte destes abobobalhados que pagam de grandão nem estão com o licenciamento do carro em dia…
    Jurerê virou uma área crítica, culpa da inoperância do Estado, da nossa mídia provinciana (no mal sentido) e da falta de educação dos turistas.

  • Marcelo S. diz: 10 de janeiro de 2012

    Até que enfim, finalmente alguém falou algo útil. Só não vê quem não quer!!!
    Parabéns Rica Ribas, vc é o tipo de cidadão que precisamos na nossa cidade.

  • ZÉ LELÉ diz: 10 de janeiro de 2012

    Chega a dar vontade de vomitar quando vejo diariamente várias reportagens mostrando o que fizeram com a cidade. Além de jurerê, Ingleses, Brava, Santo Antônio, Campeche, Ratones etc… Tá tudo dominado pela baderna generalizada vendida pelos fracos políticos politiqueiros…eca!

  • Ricardo Floripa!!! diz: 10 de janeiro de 2012

    Realmente não tem solução pra essa época do ano aqui na ilha… tem que se isolar em casa e evitar ao máximo circular pra não se incomodar.

  • Estefania diz: 10 de janeiro de 2012

    Perfeito o desabafo. Recordo-me que há alguns anos atrás íamos a jurerê quase deserta e limpa. Pessoas que não tem educação e que acham por estar longe de suas cidades podem ficar destruindo as outras.
    A mídia tb colabora com essa exposição de pseudo-ryyycos. Tudo para que os empresários ganhem seus milhões apenas na temporada para se manterem o resto do ano.
    Abraço ao Ribas

  • LesPaul Corvette diz: 10 de janeiro de 2012

    Mrs Ribas NOTA 10. Sem tirar nem por. Apenas a restrição a paulistas e gaúchos é equivocada. Nossa Ilha há muito foi invadida por tudo quanto é tipo de otário. O que tem de bagaceiro do centro-oeste, abonados da soja, mas completamente abobados da cachaminhola e sem NENHUMA educação. Aí Cacau, a guarda municipal, que brigou tanto pra andar armada ou fica no Centro da cidade multando carros ou na praia correndo atrás de ambulantes miseráveis. Com os otários, folgados, arruaceiros, abonados ou não, fakes na maioria dos casos, NADA.

  • SOTNAS diz: 10 de janeiro de 2012

    Cacau, olha o que escrevia o saudoso Beto Stodieck há trinta anos passados: [...] o ilhéu, ao invés de manter sua forma de viver e seus hábitos, assimilava os hábitos dos forasteiros sem maiores obstáculos conforme escrevia “Na Ilha dos Patos”: Florianópolis mesmo não tem jeito – quanto mais velha, mais tonta. Ou melhor, os florianopolitanos deslumbrados. Vamos virar o século e no entanto muitos continuam se comportando como se estivéssemos na virada do século passado… Basta aqui aportar um bem falante forasteiro dizendo-se que é isso, aquilo ou o que quer que seja e quer, pra que as portas se abram (como num passe de mágica) com todas as pompas e circunstâncias.

  • Marcos Vieira diz: 10 de janeiro de 2012

    Parabéns pelo seu comentário, em poucas palavras descreveu a anarquia instalada nesta cidade durante a temporada, é só circular pela Lagoa, Mole e Jurerê para a constatação. Isto é turismo, com a palavra as nossas “autoridades”.

  • Ernesto São Thiago diz: 10 de janeiro de 2012

    Acho que a Habitasul faz até muito mais do que deveria pelo bairro que, registre-se, não é um condomínio fechado. Não duvido que haja imbecis por lá, de todas as classes sociais e origens (inclusive nativos) azucrinando os moradores desde a falta de educação a até cometimento de crimes. Mas, é fato, isto ocorre em todos bairros da cidade. Só há uma solução: policiamento 24h, ostensivo, da PM e da GMF, com tolerância zero e operação lei seca permanente. E isto não é obrigação da Habitasul.

  • sandro alves diz: 10 de janeiro de 2012

    grande comentario, ja tinha falado aqui no cacau que jurere e a grande merda do verao, pobres bancando de rico e ricos indo para outros lugares menos puteiros, rico que vem pra ca e pra comer as vadias daqui que se vendem por champagne, novidade, elas fazem isso o ano inteiro ate por balde de cerveja, pobres de espirito, jurere ja era, so pra paulista , goiano e gaucho otario, valeuuuuuuuuuuuu rica

  • marcelo souza diz: 10 de janeiro de 2012

    É por isso que as pessoas sensatas já sairam ou estão saindo de Jurerê.
    Essa é a realidade… Essas “beach houses” e esses turistas, são sim, os responsáveis pela imensa valorização da área e consequentemente desse cenário caótico.
    Não está contente? Venda seu imóvel, provavelmente por 2,3x o que você pagou e invista em algum bairro familiar e sadio para criar sua família.
    Jurerê é terra sem lei.
    Como publicado hoje mesmo pelo Cacau, o empresário Roger (Dono do café de la musique) afirmou que em 15 dias já faturou o suficiente para passar o ano todo em qualquer lugar do mundo. Parabéns para ele. Não é inveja. Só gostaria que o referido empresário pagassse todos os seus IMPOSTOS. Esta casa, assim como todas as outras não emitem nota ou cupom fiscal, é fato! Só pedindo ou somente quando paga no cartão. Pessoas morrem e matam ao sair embreagados dessas “beach houses”. Ninguém faz absolutamente nada!
    Bom senso e vergonha na cara, por favor!

  • Morador diz: 10 de janeiro de 2012

    Dia 20/12, plena terça feira, na saída de um baile funk no Stage , além do acidente relatado no link abaixo, teve mais 2 ou 3 carros enfiados no mangue do carijós, pra não falar no frequentadores de “alto nível ” indo embora a pé depredando o que tiver pela frente …

    http://wp.clicrbs.com.br/blogdotransito/tag/acidente/?topo=67,1,1,,,e265

  • Renato diz: 10 de janeiro de 2012

    Ribas,que visão realista.O cacau quando o Manoelzinho levou uma porrada no joelho,magoado expressou toda sua indignação alertando para essa ELITE VIOLENTA.E fostes morar no meio deles Cacau.

  • Nana diz: 10 de janeiro de 2012

    Ai, falou tudo…Nossa, o que está virando a “nossa” Floripa!
    Que saudade dos velhos tempos!
    Realmente, pessoas boas vem pra cá, curtir, aproveitar..mas como tem “malas” e mal educados!
    Faz isso esse absurdo de propaganda que fazem daqui..
    E concordo, quando dizem que a cidade virou uma verdadeira “zona”.

  • Pedro diz: 10 de janeiro de 2012

    VOCÊ TEM TODO O DIREITO DE RECLAMAR DE PESSOAS QUE ATERRORIZAM SEUS MINUTOS DE SOSSEGO. CONCORDO EM MUITOS ASPECTOS NO QUE FOI COLOCADO. SÓ ACHO QUE DEVERIAS TER MAIS CUIDADO COM ALGUNS PONTOS. POR EX.: SE SÃO PAULO É A CIDADE MAIS POPULOSA DO BRASIL, É ÓBVIO QUE APRESENTARÁ UM MAIOR NÚMERO DE PESSOAS MAL INTENCIONADAS. ALÉM DISTO, A CIDADE TEM UM PADRÃO DE VIDA SUPERIOR A QQ OUTRA BRASILEIRA, O QUE TEORICAMENTE DÁ MAIS ACESSO AS PESSOAS QUE NELA VIVEM. LOGO, NÃO GENERALIZAR. SEGUNDO ASPECTO, FAZER MENÇÃO A POPULAÇÃO DE ERECHIM DE TAL FORMA FOI VERGONHOSO. ESTÁ NA HORA DE ACABAR COM A DISCRIMINAÇÃO DO POVO DO INTERIOR DOS ESTADO DO RS, SC E PR SIMPLESMENTE PQ SÃO MAIS SIMPLES OU POR OUTROS MOTIVOS QUE NÃO CONVÉM AQUI MENCIONAR. ESTE POVO MERECE RESPEITO PELOS VALORES QUE APRESENTAM E PELA FORÇA DE TRABALHO QUE SEMPRE MOSTRARAM.

  • Matungo diz: 10 de janeiro de 2012

    Ainda bem que temos muitas PRAIAS…bem melhores que esta da boca da baia norte! fuiiiiiiiiiiiiii

  • Marcelo diz: 10 de janeiro de 2012

    Tudo perfeito,só uma perguntinha e quem é que aluga as mansões?para ganhar um “dinheirinho”,dos Paulistas “marginais”.É verão e os “ricos” não
    curtem suas mansões?não vão buscar uns para passar o inverno contando que são os responsaveis por fazer de Floripa um dos lugares do planeta que
    nada pode.ah pode sim explorar os “marginais”.AH meu pai hoje eu acordei
    e percebi que nossa ilha está cercada e não é de agua.Ribas nada contra teu texto.até gostei!

  • Paquistanes diz: 10 de janeiro de 2012

    Cacau, afinal, tu és contra ou a favor desta putarização de Florianópolis. Tu tens um discurso um dia, noutro tu és o divulgador-mor desta falsa Ibiza, congestionada, poluída mas badalada, com ferraris, bichas musculosas, putas, exibicionismos mil. Agora que a merda está batendo na tua porta ela está incomodando, ou não?? Enquanto era só nos bairros outros, não tem?, estava legal?? Explica aí, bro.. Esta muito dúbia tua posição. Até, porque, este espaço não é só pra puxar saco, ou é?

  • Paquistanes diz: 10 de janeiro de 2012

    Ibiza sofreu o mesmo processo de decomposição e encontra-se em processo de decadência. Depois os otários dão risada quando se fala que Florianópolis morreu. A Florianópolis paraíso morreu, sobrou esta avacalhação, esta Camboriú poluída , violenta e muito, muito, corrupta. Mas vamos extrair as últimas gotas de sumo desta fruta chupada, vamos ganhar o que der com imóveis superavaliados enquanto a bolha imobiliária não estourar… Riam, riam, sos abobado.

  • Décio diz: 10 de janeiro de 2012

    Custou mais alguem com consiência e sabedoria colocou muito bem o que vivemos hoje em Jurere, seja Internacional ou Tradicional.
    Um bando de idiotas mauricinhos e patricinhas achando que dinheiro pode tudo.
    Não vejo a hora de terminar a temporada para voltar a paz costumeira do bairro.
    Se não houver uma intervenção logo logo vai haver conflito pois temos meia duzia de burgueses oriundos principalmente de São Paulo que se acham os donos da praia de Jurere.

  • Berloque Gomes diz: 10 de janeiro de 2012

    Rica Ribas e Highsecret têm ambos razão. Aliás, essa carta deveria ser publicada na tua coluna, Cacau. E tem mais uma coisa: muitos desconhecem (ou fingem desconhecer), mas a indústria que mais arrecada impostos em Florianópolis não é a do turismo, mas sim a indústria de tecnologia. Esta dá emprego pra gente qualificada, não polui, atrai gente de bom nível pra cidade e não inferniza a vida da população. Nossa cidade atrai muitos turistas de baixo nível, que trazem pouco dinheiro e muita incomodação. Está na hora de mudar o foco. É melhor receber menos turistas, mas de qualidade, do que essa cacalhada mal-educada que invade a cidade e traz só problema.

  • Barnaby Jones diz: 10 de janeiro de 2012

    Q merhda da censura… Elogio a Rica Ribas não sai? o Dindin das docas do porto de Tubarão não aprovaria tal expediente!

  • Alvaro Bertoli diz: 10 de janeiro de 2012

    O desabafo do meu amigo, Ricardo Ribas, mostra na sua essência o quanto precisamos evoluir como cidade em todos aspectos.Mostra a evidente necessidade de consciência de nossos gestores públicos e das autoridades pararem de blá blá bá e agirem. Servirem ao povo não servir-se.Mostra também, a necessidade de que a indignação com tais fatos,resultem na apreciação do votar e da importância do bem votar e de ação.Não manter os olhos distantes da política e dos políticos , por que tal atitude, afeta seu presente e futuro.Cobrar dos seus representantes públicos diariamente por qualquer meio é dever cidadão,que a maioria esquece no dia seguinte ao dia da eleição ao teclar na urna eletrônica.As coisas continuarão iguais se não mudarmos também.Exigirmos como habitantes desta cidade eficiência pública de gestão em todos os níveis.A matéria de ética,moral e cívica devia ser obrigatória em todas as escolas assim como educação de qualidade. Neste sentido, poderíamos proporcionar melhores instrumentos as nossas crianças e jovens da necessidade de civilizar-se, da importância “de” e ter a consciência da necessidade de que participar de uma sociedade pacífica,ordeira, organizada e evoluída educadamente, beneficia a todos e a todo mundo. A nossa querida ilha, tem toda a beleza que universo pode dar a um lugar,mas nos falta muito para atingirmos o patamar de um lugar verdadeiramente civilizado como sociedade moderna.O poder de mudar é com a gente, “Déjà vu” de nada adianta. Uma das coisas que leva a resultados é ação,votar bem, escolher como seu representante gente de bem, e que sirva a coletividade.

  • José Carlos diz: 10 de janeiro de 2012

    É simplesmente repugnante o ardil utilizado pela mídia local direcionado à valorização de Jurerê Internacional, como se fosse a única praia dessa nossa majestosa ilha, sempre no intuito de corresponder aos interesses de meia dúzia de “empresários”, que buscam como atrativos à clientela que abastece suas ambições, a estimulação de vulgaridades de comportamentos e de imagens, sem nenhum compromisso com a verdadeira função social inerente ao lazer da coletividade que frequenta aquele ambiente.
    Meus parabéns à Rica Ribas.

  • eu,tu, qualquer um diz: 10 de janeiro de 2012

    Carissimos:
    em 1º lugar, a população não quer turismo na cidade, os governantes não querem turismo, turismo é uma coisa realmente de meia duzia de empresarios hotelerios-pousadeiros que cada vez ganham menos, pq, vamos combinar que qualquer turista que realmente tem dinheiro, com os preços praticados aqui, vai pra miami e europa e qualquer outro lugar que tem infraestrutura, segurança e lei, é tem lei e se respeita pq tem policia.aqui só tem vindo chinelos nos ultimos 10 anos, pq essas celebridades vivem de hotel gratis e balada gratis pq são duros…quem tem grana mesmo vem pra cá fica dois dias e vai pra outro lugar, nõa fica mendigando, reclamando de uma cidade linda que não tem infra pra tudo e todos. isso é uma coisa.estudei gastronomia em faculdade, ralei, limpei chão, me deram calote, negaram meus direitos trabalhistas, pra dizer poucoe salario ninguem quer pagar, vc quer ter um chef especializado , estudado com experiencia e quer pagar mil e “real”? isso é turismo? cobra do cliente horrores… com comida merreca, ambientes insalubres … isso é turismo?
    bem no caso do jurere internacional… bem claro tranquilo…o jurere era um bairro bem valorizado e que todo o bacana do brasil queria investir… queria… aconteceu que alguem botou na cabeça das pessoas que esse cliente que todos falam mal, esse ai, o baladeiro, esse é melhor… correram as familias que vinham ficar um mes inteiro gastando na ilha, gerando renda pro inverno na cidade, esse correram com esse papo de night-balada-lounge-beach-club, pergunto a vcs oque a cidade realmente ganha com baladas internacionais? quantos empregos são gerados? pra onde vai a grana gerada nesses eventos? a bandidagem ta tomando conta….

  • eu, tu qualquer um II diz: 10 de janeiro de 2012

    transformar floripa em capital da musica eletronica é menosprezar o potencial turistico da capital….não sou contra, sou jovem tambem, mas não sou burro nem egoista!!!
    nos prescisamos de turismo o ano inteiro e não tudo concentrado em uma só estação do ano!!! uma cidade pronta pra varias modalidades esportivas, com capacidade hoteleira ociosa.. aqui tem mão de obra qualificada sim senhor!!! tem sim!!! mas dono de hotel, dono de restaurante não quer pagar por isso, não quer bom garçon, não quer barman, não quer profissional de nivel, quer trabalhador desqualificado que trabalha por qualquer dinheiro, de qualquer jeito!! é isso sim! em jurere ou em qualquer lugar da ilha!!! a maioria dos beachpoints de jurere tem falcatrua 99%, se vcs soubessem como são feitas e por quem são feitas as comidas desses locais…tente tomar um cafe expresso feito por barista….tente falar outro idioma com o garçon…hahahahaha jurere é uma grande farsa….habitasul e uma fraude….ja tomou a agua que a habitasul vende? e o esgoto a vacuo? unica praia do brasil com bandeira azul…hahahaha respeitam a ecologia….um dos decks polemicos do taiko foi re-feito a noite, na surdina, roubo de carro é recorde todo o ano, consumo de droga então, nem se fala… cara e tem coisa!!!!

  • eu ,tu, e qualquer um III diz: 10 de janeiro de 2012

    … desculpe! mas, só pra finalizar lembro de um diretor comercial da habitasul a quem “carinhosamente” nos apelidamos de “charles milk”.
    ele perguntava: “…seu cliente fechou o terreno ?”
    perguntava ele, respondiamos que sim, e ele dizia: ” se ja pagou, então que se f#$%$@ o cliente”!!!! é isso que a habitasul pensa de seus clientes.

  • Testa de Ferro diz: 10 de janeiro de 2012

    …”mas se é assim será que vale a pena nos submetermos a isso tudo só para engordar a conta bancária de meia dúzia de empresários?”…

    vamos dar nomes aos bois … se for pesquisar vai ver que não são “nem” meia duzia de empresários… ;…

    abraço

  • Moradora da ilha diz: 10 de janeiro de 2012

    O pensamento da ilha é esse, não só na temporada, mas fora dela. Pagação de pau o ano todo, todos se mostrando. Não to defendendo turista mal educado, mas é essa a imagem que vocês criaram da ilha, de um projeto de ibiza…. reclamem com quem faz a propaganda ou não… afinal essa ilha vive em grande parte de turismo….

  • Adriano Lima diz: 10 de janeiro de 2012

    Creio que este é o pensamento de muitos moradores da Vila Olímpia em São Paulo.
    É exatamente isso que acontece. Nada mais, nada menos!

  • Leo Ventura diz: 10 de janeiro de 2012

    E meu clubinho de piriguetes continua bombando mas nights… O povo tem memoria curta, entao nao da naaaaada

  • Wall diz: 10 de janeiro de 2012

    Nem os lagartos, outrora vistos andando calmamente nas ruas de Jurerê no verão escaldante sem qualquer perturbação, poderiam evitar de assinar embaixo desse post. Canasvieiras viveu esse momento há umas duas décadas e depois virou decadência, coisa que os seus moradores de hoje lembram e buscam fazê-la melhor, apesar dos pesares. Mas convenhamos, não vamos citar paulistas e nem o pessoal de Erechim, pois idiotas se encontram em todos os lugares, mesmo aqui em Floripa. No mais, perfeito o “soltar o verbo”. Talvez a “ficha possa cair” nos poderes. Ou seria “podrees” em um erro de digitação apropriado?

  • Sidnei Valter da Silva diz: 10 de janeiro de 2012

    Vivemos uma geração de clonados, todos se acham o melhor , o bom, mas o comportamento e o estilo são os mesmos, bombados, tatuados, e por ai vai, são todos artificias sem identidade própria, nada contra a auto estima (musculação) ou preferências ( tatuagens ) e sim pela falta de personalidade, bando de clonados, tudo igaul e dizem viva a diferença…

  • Luiz diz: 10 de janeiro de 2012

    Meu amigo, você falou uma coisa que eu repito sempre, quem rasga dinheiro do jeito que fazem em JI, não pode ganhar com suor do trabalho, não duvido que tem muito dinheiro desviado de merenda escolar para bancar a farra desses idiotas.

  • Tiago Luiz dos Santos diz: 10 de janeiro de 2012

    Não é apenas Jurerê que se tornou uma pocilga de acéfalos e degenerados, é Florianópolis inteira.
    Vou aproveitar o espaço para contar sobre a experiência que tenho vivido, tanto no meu bairro: Coqueiros (que era o principal balneário de Floripa) e da minha empresa.

    A minha empresa foi arrombada e depredada duas vezes em menos de 20 dias, a primeira vez havia sido dia 20 de Dezembro de 2011, a segunda no dia 04 de Janeiro. Chegamos no escritório e o bandido além de quebrar duas portas de blindex, sujar tudo de sangue, ainda teve o trabalho de bagunçar e quebrar todo o escritório. Na primeira vez roubaram notebooks e outros itens de valor, na segunda, não roubaram nada, mas destruiram tudo causando um prejuízo enorme. Ficamos das 8 horas da manhã esperando pela perícia policial, que só chegou no local as 5 da tarde. A razão? Ahh… Essa é a melhor, existe apenas UM perito para TODA a Grande Florianópolis (incluindo São José, Palhoça, Biguaçu e etc).

    Já no bairro de Coqueiros, considerado um bairro “Nobre” (moro próximo a Videoteca), na mesma rua em que morava o pai do Cacau, é impossível sair de casa a pé após as 21h. Se você transitar na rua após esse horário, é certo que será abordado por algum malaco completamente drogado de crack.

    Se a prefeitura colocasse os policiais militares que estão enfiados dentro dos orgãos públicos, como a assembléia legislativa (lembrando que por lei, cada orgão deve contratar um serviço de segurança privado através de licitações), nas ruas, já ajudaria bastante a reduzir a criminalidade. Eu fico abismado com a quantidade de policiais que estão na rua apenas para multar o cidadão comum, e não defendê-lo.

    Além disso, na segunda-feira, vi que a prefeitura colocou na Beira-mar norte suas novas aquisições ( viatura e equipamentos) em exposição. Acho engraçado e ridiculo a prefeitura colocar isso a mostra como propaganda política ao invés de colocar nas ruas, típico de uma república das bananas. Eu que me orgulhava tanto de morar em uma das poucas cidades civilizadas e desenvolvidas, percebo que Florianópolis está se tornando uma cidade completamente abandonada (e saqueada) pelas autoridades. Tá mais do que na hora de ter uma administração que governe visando os interesses públicos ao invés de privados. Tá na hora de ter um governo a altura de Floripa, um governo de primeiro mundo.

  • jessamine diz: 10 de janeiro de 2012

    Concordo, tbm sou moradora do norte da ilha, mas infelizmente escolhemos morar num lugar turistico e que por sinal um dos mais badalados nesse momento e se pararmos pra pensar a economia de florianopolis gira em torno de turismo….
    E isso que temos pra hoje… ;)

  • André Venâncio Alves diz: 10 de janeiro de 2012

    Esta é a realidade que a mídia não mostra, principalmente esses casos relatados e quando sai no ar não passa de uma pequena nota e logo após colam uma baita matéria para tirar de foco do telespectabobo, é assim que somos tratados pela grande maioria das redes de comunicação, têns dúvidas? Estive uma ou duas vezes em JI e sinceramente quem mora ali são dois tipos de pessoas, as que no passado foram em buscar de um lugar bom para se viver a as pessoas que acham que vivem bem fazendo o que o mercado financeiro chama de “negócio da China” e apontadas como empreendedores bem sucedidos, sim porque compraram um imóvel ali, vivem boa parte do ano e geralmente na alta temporada dando uma de “corretor de imóveis” alugam por várias vezes a moradia para quem pagar mais, pouco se importando com quem não tem nada a ver com isto e tão pouco tem este tipo de renda ou a forma de viver e aí dane-se os outros porque as contas dos ditos “moradores” continuam engordando a cada ano garantido suas viagens a europa, caribe ou onde eles quiserem.
    Se os moradores de JI que não aderem a este estilo de vida não formarem um grupo a fins de mudar essa realidade, infelizmente vão ter que se mudar, pois parece que ainda existem muitos que se dizem “endinheirados” que vão continuar “rasgando grana”, na minha terra existe um ditado para os ditos “Comem galinha o ano todo e vem arrotar peru uns dias”
    Jurerê Internacional Numa Boa Já! Botem esses “bons vizinhos” pra correrem!

  • Daniel Boeira Lodetti diz: 11 de janeiro de 2012

    Realmente, é uma completa put*ria o que acontece na nossa ilha. Em detrimento de 400 mil habitantes, 8 empresários ganham muito. A população precisa agir!

  • Fernanda diz: 11 de janeiro de 2012

    Não foi somente um desabafo e sim o relato do que realmente esta acontecendo em Floripa.A situação não esta caótica somente em Jurerê e sim em toda ilha.Nasci e cresci na ilha.E Não temos infra estrutura para receber os turistas.Por isso está esse caos.Espero que esse não seje somente um desabafo e sim o inicio de grandes mudanças.Realmente só Deus nas nossas vidas.Fica á dica!!!

  • Renato Silvy Andrade diz: 11 de janeiro de 2012

    É isso ai, pode ser qualquer coisa, menos uma praia, na qual eu nasci em 1964 quando chegou a energia elétrica. Aos que conheceram devem sentir a falta do Rio do Meio, criadoro de várias espécies de peixes e muitooooos camarões.

  • Agostinho diz: 11 de janeiro de 2012

    Falta EDUCAÇÃO pra esse povo. E UMA VIGILÂNCIA DECENTE em nossa cidade. “Expulsar” os turistas é uma utopia, temos que nos estruturar. Eu mesmo sofri na mão desses tais “turistas”, roubaram até chinelos porém enquanto nada for feito continuaremos ‘sofrendo’…

  • Nancy Venancio (Campeche) diz: 11 de janeiro de 2012

    Ui ui ui, a coisa tá indo pro mesmo rumo aqui no Campeche. Turista sim mas baderneiros, mulherada vulgar, bêbados brigões nã-não… A comunidade “tem” que se unir e agir conforme sua criatividade… “Si nóis diz” rsrsrsrs

  • Rafaela Rocha diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou de Floripa, moro aqui desde sempre e amo esse lugar.
    Nunca vi as pessoas se revoltarem tanto assim contra os turistas que visitam a Ilha. Reclamam do transito, das praias lotadas, da falta de educação, etc, etc, etc.
    Ok, cada um com sua opinião. O problema é que isso já tá passando do limite! Tem até perfil no Facebook dizendo que, se algum turista “sair da linha” em Floripa, o pessoal vai se juntar pra pegar o cara… Nesta mesma página, dizem que em Floripa se vive o espírito de preservação e cuidado com a natureza, bla bla bla e que “ai” do turista que não respeitar…
    Depois de ver essas demonstrações de maior papo furado e hipocrisia dos meus queridos conterrâneos, cheguei a conclusão de que andou faltando assunto nas redes sociais e então resolveram criar essa “polêmica”, pra movimentar a vida (?)

    Será que vocês nunca perceberam que o trânsito em Floripa SEMPRE foi um caos, um inferno? Chega a ser muito pior fora do período de férias… E essa história de “espírito de preservação e cuidado com a natureza”? Fala sério! Floripa deveria SIM, ser exemplo nesse aspecto, mas não é essa a realidade que vivemos aqui (infelizmente). Porque eles vão respeitar a natureza daqui, se nem os próprios nativos o fazem?

    Florianópolis é uma capital turística que tem uma estrutura ridícula e isto é fato!
    Só que a culpa disso não é dos turistas, e sim, dos próprios moradores! Ou será que foram os turistas que elegeram nosso prefeito e nossos vereadores? Esses sim, DEVERIAM proporcionar uma estrutura confortável para os moradores daqui e até pra quem vem de fora visitar…
    Comentaram aqui, que os bares, hoteis, restaurantes e casas noturnas não dão o retorno esperado aos cofres públicos… Ok, isso também NÃO é culpa dos turistas!! Será que preciso ajudar vocês a lembrarem o que será que está acontecendo com o dinheiro que nós pagamos em impostos?
    E não adianta negar: O turismo movimenta nossa economia, sim!

    O que Florianópolis enfrenta hoje é um problema puramente político. Tem gente que tá entrando nessa ondinha de “A Ilha é nossa”, pra se sentir ultra revolucionário e depois joga latinha de cerveja pra fora do carro… Chega a ser ridículo!

    Nossa cidade tem problemas como qualquer cidade do Brasil, então parem de pensar isoladamente e saiam do mundinho de Jurerê Internacional. Se quiserem ver soluções para estes problemas, mudem suas atitudes como verdadeiros amantes de Floripa (principalmente em relação a política!) e o resto todo vai melhorando…

    Polêmica em 3…. 2…. 1…. VALENDO!

  • Fabito Floripa diz: 11 de janeiro de 2012

    Para né ô…Vão morar em Antonio Carlos…Papo furado. Aposto q nenhum de vcs passariam na blitz de bafômetro!

  • Cecilia diz: 11 de janeiro de 2012

    Pois é! E a polícia, cadê? Não tinha mais policiamento este verão? Nem em Jurerê nem em lugar nenhum está melhorando a situação..

  • Daniel diz: 11 de janeiro de 2012

    O texto disse tudo, mas muito mais do que fazer blitz de “lei seca” é necessário intervenção da policia rodoviaria federal quando há essas festas com público de 5 a 10 mil pessoas como é no P12 e Stage Music Park.

    Simplesmente vira um pandemônio a Sc-401, a “turistada” e os “bonzões” andam pelo acostamento / contra mão, enquanto grande parte da comunidade local parada no trânisto ou até mesmo se direcionando ao local fica na fila. Em 2 ou 3 shows já questionei quando vi a policia parada apenas “olhando as meninas de mini saias” e eles dizem, cuida da tua vida que nosso serviço sabemos o que fazer.

    Depois aparece ciclista atropelado, pedestre acidentado… O que adianta colocar 5 viaturas na frente dos shows fazendo pose de mal e falando bonito na rádio se em todo percurso ao local não tem fiscalização? é um salve se quem puder pela via e desvie de quem vier pela contra mão.

    Não adianta tapar o sol com a peneira..

  • Thiago Netto Campos diz: 11 de janeiro de 2012

    As pessoas nao devem ser julgadas por seu estado de origem, e sim, pelos seus atos, muitos turistas sao pessoas excelentes.e nao tem outra opcao de vir pra ca do que senao na temporada, alem de ser a melhor epoca de usufruir das praias, infelizmente a maioria das pessoas gosta de dias cinzentos, mar agitado e de ondas grandes, comuns na baixa temporada pelo nosso litoral sul de SC. Tolerancia e paciencia, o homem muda o universo ao seu redor, quando muda a si mesmo.
    Cheers!!!!!

    Abraco ilheu

  • Thiago Netto Campos diz: 11 de janeiro de 2012

    As pessoas nao devem ser julgadas por seu estado de origem, e sim, pelos seus atos, muitos turistas sao pessoas excelentes.e nao tem outra opcao de vir pra ca do que senao na temporada, alem de ser a melhor epoca de usufruir das praias, infelizmente a maioria das pessoas nao gosta de dias cinzentos, mar agitado e de ondas grandes, comuns na baixa temporada pelo nosso litoral sul de SC. Tolerancia e paciencia, o homem muda o universo ao seu redor, quando muda a si mesmo.
    Cheers!!!!!

    Abraco ilheu

  • neto diz: 11 de janeiro de 2012

    Enquanto a polícia não prender esses baderneiros, que juntam migalhas o ano todo e vem para Floripa como se rico fossem, faltarem com o respeito ao cidadão local como se estes fossem os otários do mundo e para enganar as prostitutas baratas da cidade (que se vendem por taça de champagne e dose de vodka), não teremos vantagens alguma com este tipo de turista, pois continuaremos reféns deste “turismo depreciativo”que gastam apenas com bebida alcoólica nas baladas e alimentam-se de fast food para economizar e param por ai, esse não pode ser o perfil de turismo que Floripa precisa, já que as baladas a sonegação fiscal é enorme e fast food a arrecadação e distribuição de renda é ridícula, logo se continuarmos assim, num futuro não muito distante nossa cidade estará ainda pior, infelizmente.

  • Fernando diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com o Tom, pois também sou de SP e moro aqui desde 2008, e Paulista não é sinõnimo de baderna e muito menos de falta de educação, acredito até que Santa Catarina tem muito o que aprender com SP quando o assunto é atendimento e educação, porém o assunto abordado nesse momento não é esse. Apenas como curiosidade; foi apresentada uma reportagem recentemente(infelizmente não encontrei o link) dizendo que atualmente a maioria das locações carissimas das mansões de Jurerê Internacional são feitas por turistas de MT e MS, provavelmente fazendeiros e empresários do agronegócio, porém também não podemos generalizar e taxar as pessoas desses estados como baderneiras. Cada um tem o direito colocar aquilo que pensa, porém pensar um pouquinho antes de sair escrevendo faz bem. Essa situação realmente é lamentável mas sem uma postura efetiva da administração pública realmente fica muito difícil, Sr. Prefeito, por favor ajude a ilha.

  • MACHADO diz: 11 de janeiro de 2012

    concordo plenamente! acho tambem que a GM deveria impor respeito pois eu viiiiii eles abordando o tiozinho vendendo agua no sinal e na frente deles uma caminhonete vinda do RS atravessou o canteiro no meio da beira-mar eles olharam e voltaram a fazer o tio da agua de criminoso… acho que estao se importando de mais com aparencias na ilha pois tem ate central bilingue no 190 agora sendo q a PM tem o mesmo efetivo a mais de 20 anos … acho que estao esquecendo que de uns 15 anos pra cá a ilha triplicou e os manezinhos assim como eu meus pais e avos estamos sendo raridade acredito que menos de 20% da ilha seja da ilha …. a invasao desordenada causando tudo isso como efeito e ngm percebe!!! aqui ficam meus votos revoltados de alguem quem ama a ilha e queria apenas viver em paz como foi um dia! um pedacinho de terra perdido no mar agora seria um pedacinho de mar perdido pra umonte de gente

  • Juliana diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou nascida e criada em Florianópolis, tenho 29 anos, frequentadora de Jurerê desde sempre.
    Rica Ribas tem razão na sua declaração, concordo com ele e com alguns que comentaram, e tenho esta visão mais de perto ainda por ter a mesma faixa etária da grande maioria dos “turistas” que chagam à Ilha. Turistas entre aspas porque para mim, turista não é alguém que desrespeita a cidade onde não vive, e sim busca conhecê-la da melhor maneira possível e aproveitar a experiência de visitar um lugar, sua cultura e beleza.
    Entretanto, já se questionaram ao comentar que em outras cidades turísticas (diga-se de passagem, que Florianópolis não tem estrutura para ser nomeada como turística, mas isto é um outro assunto) as pessoas que visitam não possuem este comportamento?
    Explano, por experiência de viver nesta cidade e em plenos verões.
    Florianópolis tem moradores, e muitos, que são exatamente iguais aos turistas que chegam na Ilha. E indiferente da sua cidade de origem (não vou generalizar), muitos dos frequentadores de Jurerê no verão possuem exatamente o mesmo comportamento de muitos moradores de Florianópolis. Moramos numa cidade linda, mas que não possui mais sua essência. Conto nos dedos meus amigos que nasceram aqui. Moramos numa cidade com duas das melhores Universidades públicas do país, e quem frequenta estas Universidades? Cidadãos de SC? Muito pouco. Moramos numa cidade onde uma grande parte dos jovens vivem de estereótipos. Não são somente os turistas que andam com correntes, marombados, ou meninas fúteis querendo conhecer homens com grana. Nossos conterrâneos são exatamente assim! Critico sim, o desrespeito de muitos turistas em Florianópolis, mas critico também a futilidade como vivem os jovens/jovens adultos que moram aqui, a falta de objetivos na vida, de um pouco de ambição para conquistarem seu próprio dinheiro com honestidade.
    Temos turistas que são a nossa cara. Como podemos julgar seus comportamentos se moradores da Ilha possuem o mesmo comportamento? Estes jovens que vem pra cá no verão se dão esta liberdade porque perceberam que aqui eles podem ser assim.
    Morei por quase dois anos em umas das principais capitais do país. Eu sempre tive esta visão de Florianópolis, mesmo antes de sair daqui por um curto período de tempo. Porém, volto, em pleno verão, com uma visão ainda mais crítica de como vivem as pessoas com seus 20 e poucos anos. Lamentável!

  • Fabito Floripa diz: 11 de janeiro de 2012

    Amiga concordo contigo em tudo! Mas caretice é coisa do passado. Isso naum acontece só aki. Em todos os lugares turísticos. Afinal o turista vem pra se divertir…mas infelizmente esquece da educação…Agora se vc quer sossego…aconselho a serra. Lá terá! Ah! tenho uma chácara em Três Riachos p venda. Baratinho..

  • Luiz Rachadel (mané, filho de mané, neto de mané, bisneto de mané…) diz: 11 de janeiro de 2012

    Nossa, acho que este relato(sincero e sensato) está postado no blog errado não?! Ou não é Cacau e a turma da RBS que vangloriam Jurerê e suas baladas, fazem propaganda das nights mais “tops” da tal Jurerê Internacional(que nomezinho mais medíocre) e seus milionários excêntricos. Série passada no JA e Estúdio SC: “Reveillon na Butica mil e tantos reais…Reveillon no P12 trocentos mangos…Quer Glamour?!Sofisticação?!Gente bonita?! Venha para Jugueguê!” Vão falar o quê?! Estilo “dá o tapa e esconde a mão” não dá né?! Sejamos coerentes: está Ilha está uma zona! É hora sim de o povo local e daqueles que aqui escolheram para morar pensarem (discutirem e cobrarem) realmente em qual cidade querem viver: Cidade pra turista ou cidade para o cidadão florianopolitano?! E ainda se fala em Mega hotel na ponta do coral, 4ªponte…E a moeda verde?!Amarelou…

  • Carlos diz: 11 de janeiro de 2012

    Não só concordo como sei de bairros além do Jurerê Internacional que sofrem da mesma praga. Nós que moramos no continente sabemos a tempo que bairros de Florianópolis mais precisamente da Ilha são “atacados por vândalos” vindos de outros lugares do país. No continente não é diferente, em São José também acontecem badernas e falta de educação, é claro que estamos falando de todo tipo de gente, até mesmo de manezinhos e moradores locais, um exemplo é o bairro Kobrasol que não se pode mais caminhar no calçadão até tarde da noite como fazíamos num passado não tão longe, sem ser ao menos molestado verbal ou até mesmo atacado fisicamente, não se tem mais sossego. Ladrões vêem às “pencas” para nossos bairros, entram em nossas casas e até mesmo escalam paredes para poderem roubar em apartamentos. Na Grande Florianópolis isso acontece todos os anos e não aparece na mídia porque não tem muita gente de grana ou famosa por aqui, o turista não vem muito pra cá. Nós aqui chamamos a polícia e pasmem, demoram mais de 45 minutos para chegarem, isso se eles chegam e o posto policial fica a uns 4 km de distância. Em minha casa um desses ladrões entrou e foi até o meu quarto onde dormiam às 3 da manhã minha esposa e meu bebê e só não fez nada porque Deus fez minha esposa querida acordar e gritar aos prantos que havia um homem dentro de casa, estava eu em um quarto na parte de baixo da casa trabalhando e só não matei o desgraçado, graças a Deus, porque não tinha nada ao meu alcance, alguns poucos vizinhos mais chegados correram juntamente comigo atrás do, “sei lá como chamar”, mas não conseguimos pegá-lo, ele se meteu no mato. Chamamos a polícia e depois de tudo ter passado chegaram até nós e nos disseram na maior cara de pau que não adiantava correr atrás no mato porque não podiam abandonara viatura, dois policiais somente vieram, nem tentaram. após o meu episódio, escutamos vários tiros por semanas, sabemos que foram de policias que também tiveram suas casas invadidas mas reagiram e prenderam uns três ou quatro e agora tudo está mais tranquilo, acredito que neste exato momento policiais estão sendo mobilizados para toda ilha e o continente fica a mercê destes desgraçados. Aqui a coisa deu uma maneirada mas até quando? Então o problema não é só em Jurerê e sim na Grande Florianópolis e é mais político do que imaginamos. Onde estão os policias?

  • joao diz: 11 de janeiro de 2012

    go back yanks

  • A COISA ESTÁ FEIA AQUI NO BRASIL… MUITO FEIA MESMO!! DE UMA COISA EU TENHO A ABSOLUTA CERTEZA: LEIS NO BRASIL NÃO SÃO LEVADAS A SÉRIO E JAMAIS SERÃO ENQUANTO AS PENAS PARA TAIS CRIMES CONTINUAREM A SER TÃO MALEÁVEIS E FRAQUINHAS COMO SÃO. diz: 11 de janeiro de 2012

    A COISA ESTÁ FEIA AQUI NO BRASIL… MUITO FEIA MESMO!! DE UMA COISA EU TENHO A ABSOLUTA CERTEZA: LEIS NO BRASIL NÃO SÃO LEVADAS A SÉRIO E JAMAIS SERÃO ENQUANTO AS PENAS PARA TAIS CRIMES CONTINUAREM A SER TÃO MALEÁVEIS E FRAQUINHAS COMO SÃO.

  • Miriam Braga diz: 11 de janeiro de 2012

    Parabéns Cacau pelo relato, esta também é uma forma de combate a violência, alertar as autoridades de Florianópolis, do quanto a cada temporada esta mais dificil, você curtir aquele passeio a pé a noite com seus filhos para tomar um sorvete, bater um papo com uma amiga numa calçada, ou simplesmente sentar numa cadeirinha a noite na frente da sua casa…Não vamos permitir que isto aconteça sem que façamos nada, estarei compartilhando tua matéria no face, twitter e entrar nesta corrente pedindo mais SEGURANÇA para nossa querida Ilha da Magia!Grande beijuuu @miriambragaa

  • Marlon Victório diz: 11 de janeiro de 2012

    É isso ai, fico indignado porque pratico esportes radicais, e o verão em floripa era pra ter um mega evento verão radical esportes, e não esse house, psy entre outras festas MR CATRA, CANTANDO PUTARIA PRAS CRIANÇAS OUVIREM… Porra cade as autoridades dessa merada de cidade, você vai no centro só tem crakeiro cagando no meio do calçadão, ai um cidadão acende um cigarrinho de maconha, vem a policia abordando como se estivesse na guerra do Iraque… Não não Floriapa é chamada por muitos de califórnia brasileria mas cade os evnetos de verão radical, parapente, kitsurf,skate,surf, sundboard, escalada,trilhas etc…
    Um evento desses dai sim atrai turismo de verdade!

  • berenice diz: 11 de janeiro de 2012

    nossa!!!!!!!!!
    adorei esse desabafo.no facebook tem idiota o dia inteiro enaltecendo julhelhê…
    que nojo.uns pobre coitados que tentam o ano inteiro um programinha de tv em qualquer emissora,mas vive mesmo encostado nos badalados…pobre de talento e de espirito.postei até um comentário perguntando: voce acha que só existe julhelhe em floripa? resposta:não? literalmente IDIOTA.por favor cacau dê um choque de realidade nesse povinho pobre(de espirito)é claro.

  • Estela diz: 11 de janeiro de 2012

    Olá, Cacau e demais leitores!
    Sou paulistana e moro em Jurerê Tradicional há quase 9 anos. O motivo da minha vinda com meu marido para cá foi encontrar a tranquilidade da antiga “praia que só tem velho”, como os jovens costumavam dizer. Na época, eu tinha 35 anos.
    Com o tempo, o perfil começou a mudar, principalmente devido à instalação das boates de praia. Sinto dizer que, pelo que me consta, a maioria delas é de propriedade de paulistanos, como eu.
    Mas realmente não é exclusividade dos paulistanos a falta de educação e tampouco de jovens. Gente de todo país e de todas as idades tem encontrado aqui uma Ibiza brasileira para farrear – quem acompanha o que se passa fora do Brasil sabe que Ibiza é sinônimo de praia para bagunçar.
    E alguém já comentou sobre a falta de retorno para a população. Desde que moro aqui, critico a falta de hospedagem profissional em toda a Ilha. A maioria dos leitos disponíveis estão localizados em imóveis alugados e pousadas não regulamentadas pelos órgãos de turismo. Resultado: tributos não são recolhidos e apenas os proprietários lucram. Eles logicamente devem lucrar, mas deve haver a contrapartida pelo uso da infraestrutura pública: os ônibus, inclusive executivos, ficam cheios de areia (inclusive os bancos), os postos de saúde têm que prestar atendimento, as estradas ficam cheias, o trânsito precisa de mais guardas, além do reforço necessário para o efetivo da PM, Polícia Civil recebendo mais ocorrências, etc.
    Se queremos viver em harmonia com o turismo que, a meu ver, deveria ser o principal “ganha-pão” do Município, precisamos reinventar a forma como fazemos negócios e como aceitamos o que nos é imposto.
    Mas vale lembrar que gente de peso e influence politicamente está envolvida com o lucro das baladas e festas have, que acontecem durante o ano todo, inclusive no inverno.
    Na verdade, o problema não é exclusivamente de quem nos visita, mas de quem permite que isso aconteça de forma desorganizada: nós, os moradores, os empresários e as autoridades públicas.

  • fabio diz: 11 de janeiro de 2012

    esses problemas não são “previlégio” de floripa eles acontecem em varios locais do mundo… o problema é estarmos vivendo em tempos de completa ignorancia do significado de valores reais de vida, sociabilidade, e civilidade e em especial em nosso país,com a inexistencia do que se chama de edudação, desde a de base até a a mais refinada, este problema não é criado por paulistas, argentinos, manés, americanos, cristãos ou judeus ou por qualquer ser de alguma região do planeta este é um problema criado pela apologia ao ter e não ao ser, pela única ilusão de que a vitória atravez do capitalismo é a única forma de inclusão social e que me parece até incentivada por quase e aceita por quase todos, dai a competiçào, a desunião, a revolta o problema meu amigo morador do jurere que tem sua praia invadida todos os anos, o problema é muito mais profundo o problema está no ser humano desorientado, perdido, desesperado, sem conhecimento e sem valores reais, a única saída não é blitz, revolta, reclamação, repressão…. a começar por mim, por voce, por esse colunista nosso amigo, por nossos vizinhos, filhos, amigos, inimigos ou por toda a humanidade… é uma reforma moral, interior, em cada individuo, em cada mente, em busca do verdadeiro conhecimento, dos verdadeiros valores da vida do verdadeiro, significado de civilização, fraternidade, respeito e união!! que pena que os seres humanos atualmente acreditam que serem ricos é apenas terem acumulado dinheiro, de que em muito breve não irá valer de mais nada!

  • Rodrigo diz: 11 de janeiro de 2012

    É isso ae, e faltou ainda comentar que isso ja não esta so em Jurere, ja esta se espalhando pela ilha, unica coisa boa do verão por aqui é o calor, o restante o povo de fora estraga, as pessoas nem fazem idéia da quantidade de lixo que é produzida em floripa no verão, e da quantidade que é jogada em qualquer lugar, dos roubos, assaltos e violência, depois ainda tem turista que diz que Mané não gosta de gente de fora…mas falando serio, assim fica bem difícil mesmo.

  • Leonardo diz: 11 de janeiro de 2012

    Pois é Cacau, mas reveja os tapes da RBS e conte quantas vezes as festas em jurerê foram notícia! Esse ano a exposição na mídia foi muito mais notória que anos anteriores, e isso, querendo ou não, influencia a mentalidade dos jovens, que fizeram de jurerê o paraíso do verão. Com toda essa influência da mídia, tem dono de beach club “plantando” até coqueiro em plena areia e preenchendo o espaço público com espreguiçadeiras. Realmente esse ano em jurerê foi triste de ver tanta pagação!

  • artur dobairrol diz: 11 de janeiro de 2012

    Falasse tudo Rica Ribas. O pior e ainda ver uma monte de chinelo querendo pagar sapo de rico e no final do verao nao tem nem o q comer, cambada de desocupado, de mente vazia, de sem rumo, a ilha no verao fica um nojo, todo verao fico contando as horas, fico angustiado esperando a temporada passar pra ver essa gente toda, que de bonita nao tem nada ir embora.. um grande fuck off pra essa gente sem conteudo.

  • Tony Thiesen diz: 11 de janeiro de 2012

    Infelizmente a gde exposição de Floripa na mídia nacional e internacional, faz com que tudo dito por Rico Ribas seja a mais pura realidade.
    E nos simples ” manes” temos que suportar toda esta algazarra, que eles produzem, e que deixam alguns empresários com seus bolsos cheios.

    EM TEMPO: Será que a fiscalização tributaria tem noção de quanto realmente, estas casas faturam vendendo seus produtos em valores extratosfericos?, com CERTEZA a arrecadação para o ESTADO de ser muito volumosa, ou NÂO?

  • João Daniel Hazim diz: 11 de janeiro de 2012

    Bom dia pessoal,

    Também concordo com o post. É isso mesmo que vem acontecendo por aqui. Só não concordo com as criticas à empresa gestora do bairro – Habitasul. Não trabalho lá, não tenho qualquer vinculo com a empresa. Acontece que me parece que graças a uma gestão privada, temos um bairro bem estruturado, bem planejado. Não é perfeito, longe disso, mas comparado com o restante da cidade, da de 10 em todas as gestões públicas que por essa cidade passaram. O que me parece é que ficou tudo tão bom, tão bonito, que perdeu a linha. Todos perceberam a maravilha que era e resolveram ir pra JI aproveitar, desmedidamente. Nesse momento, quando tudo virou uma baderna, deveriam acontecer ações, tanto por parte da empresa gestora quanto do governo, para que esses absurdos parassem. Se o bairro esta sendo administrado como empresa, deve continuar sendo até o fim. Fizeram todo o trabalho de atração. Agora que a coisa aconteceu, são necessárias ações para que a cidade e seus moradores não sejam prejudicados.

    Sou natural daqui e, sinceramente, acho que a melhor época do ano na cidade é dos turistas. Nós, moradores, não conseguimos aproveitar. Ta na hora é de parar com essa superexposição sobre a cidade. Enquanto não tivermos estrutura pra receber esse povo todo, isso precisa parar. É novela da Globo e revistas. Assim não da.

    E pra finalizar, uma critica para todas essas casas noturnas dos infernos, e organizadores de shows que acontecem na cidade: PAREM DE PANFLETAR. Na Beira Mar Norte, você deixa seu carro estacionado, quando volta no dia seguinte encontra 10 panfletos espalhados pelo carro. Quando chove durante a noite, é preciso tirar todos com cuidado para não manchar a pintura. Vira tudo uma caca. Não aceito receber esse tipo de publicidade. Não sou obrigado a aceitar isso. Gostaria que todos que fazem isso, fossem pro inferno.

  • delo. diz: 11 de janeiro de 2012

    Parabéns pelo comentário Rica Ribas.
    Frequentava Jurere desde a época que colhia-se pitanga a beira da praia. Deixei por causa destes absurdos.Se não forem tomadas providencias infelizmente minha Floripa por adoção deixará de ser ou já deixou a rota de turistas que vem para curtir as maravilhas de nossa ilha. Turistas verdadeiros que realmente se comportam como tal para cederem espaços para os que fazem vaquinha por uma semana , para só provocarem badernas, confusões e bebedeiras. Que as autoridades competentes comecem a pensar sériamente neste problema e que encontrem verdadeiras e acertadas soluções .

  • Carolina diz: 11 de janeiro de 2012

    Falou tudooooo!!!!!! Publicação perfeita! concordo plenamente com vc!! O que mais tem em Jurerê é pobre querendo aparecer, se achando rico…

  • George diz: 11 de janeiro de 2012

    É Ribas, com certeza é um texto contundente.

    É triste a gente ver a que ponto as coisas chegaram, mas também não é de surpreender ninguém, afinal aqui em Floripa esse tipo de comportamento “pseudo elitista babaca” já rola ha muuuuito tempo.

    A Confraria da Lagoa´e Jurere Internacional já vem a tempo mostrando a escalada da tribo dos haoles pseudo elitistas babacas e também de muito nativo que desde a época do Koxixo’s, Baturité e Café Cancum vem pagando de playboy.

    E muitas mulheres no eterno afã de achar um otário rico vem motivando tudo isso. Eu acredito que agora a escalada esta perto de chegar ao cume, estamos vendo coisas inéditas na ilha (gordinhos rasgando dinheiro na Confraria e mulheres de calcinha dançando não centrinho da Lagoa), está realmente virando um pólo de sacanagem e pagação.

    Li em um artigo esses dias, que no centro de Floripa vários “inferninhos” estão virando bares para a galera “Indie” porque muitas prostitutas desistiram da arte alegando que as “civis” estão prostituindo o mercado dando de graça…rsrsrr.

    Vamos e venhamos, tem muita gatinha metidinha a rica e intelectual que com a maior hipocrisia vai para Jurere Internacional atrás de homem rico e glamour e isso nada mais é que prostituição. Sexo por dinheiro, pura e simplesmente.

    O futuro de Floripa é sombrio, a ilha esta se tornando referencia de balada, sacanagem e pagação, cada vez mais pessoas virão pra cá, cada vez mais pessoas não irão embora ao fim da temporada, cada vez mais carros nas ruas, cada vez menos espaço, cada vez mais violência e cada vez mais também vai aumentar a saudade de idos tempos quando a ilha era nossa.

  • Gaúcha/moradora-SC diz: 11 de janeiro de 2012

    Realmente a descrição destas pessoas ditas “Turistas” é perfeita, mas o índice de idiotas não se limita tão somente a Jurerê Internacional e sim a toda a extenção de Florianópolis, onde não existe uma atuação plausível dos supostos responsáveis (lei), perante estes abusos que tanto desagradam a nós moradores.

  • Rutger Hauer diz: 11 de janeiro de 2012

    Tá na hora de chamar os nossos super-heróis manezinhos, Os Mascarados da Barra, pra dar um jeito nestes baderneiros.

  • Tamylle Melego diz: 11 de janeiro de 2012

    A bola da vez de novo é Jurerê.. todos os jornais, notícias e comentários da cidade direcionados para lá, ou melhor.. para cá em mais um verão..

    O motivo hoje é a morte de uma pessoa por tesourada no estacionamento da praia. Isto causou um verdadeiro bafafá nas redes sociais, virou assunto.. mas a verdade é que a única diferença deste e de outros verões é que hoje as pessoas tem direito de falar, que as redes sociais estão espalhando informações e acontecimentos tomando uma proporção a qual antes não era possível e que hoje não é possível de controlar os teclados. Antes era tudo abafado aqui dentro, para não cairem os preços das lindas casas, é claro! Mas.. me pergunto.. qual o preço real de viver numa linda casa onde tudo parece mais um vitrine??.. vitrine essa que estampa falsas “verdades” e um mundo ilusório banhado a champagne e glamour?

    Sou moradora de Jurerê Internacional desde que nasci.. e a verdade é que milhares de vezes jurerê foi alvo de muitos acontecimentos.. sequestros, homem morto esfaqueado na casa de amigo que até hoje nunca foi preso e ninguém nunca mais ouviu falar sobre o caso, desembargador espancando um amigo nosso em frente ao Taiko numa saída de reveillon pois ele batia na própria filha em meio a balada.. filha matando a própria mãe com marteladas na cabeça.. roubos de carros.. assaltos a mão armada.. homem morto em frente aos filhos e moradores em meio ao Open shopping com pouco mais de 100 facadas.. traficante preso no posto procurado pelo mundo inteiro.. Casas sendo roubadas até trê vezes no mesmo dia na mesma residência.. E a segurança o que faz? Fecha os olhos! Ou pior.. deve estar ajudando nesta palhaçada.. pois não é possível.. que nada seja feito.. nuncaaaa!

    A associação de moradores de Jurerê Internacional estão preocupados.. sim preocupados se as crianças estão jogando bola em frente suas casas incomodando seu sono.. preocupados se existe conserto de maestro em uma residencia.. e com a bandeira azul que tanto esperavam.. títulos por ai de mellhor lugar para morar.. de lugar bem planejado.. etc etc etc.. mas e a preocupação com a segurança? Como faz? Querem fechar os bares!.. ok.. tudo bem.. mas a verdade é que foi com a vinda do taiko que Jurerê começou a valorizar, depois com p12 etc etc.. foi com as festas que Jurerê tomou a proporção que tomou.. será que o problema realmente é dos bares, será que não? O que seria bom para tudo isso? Será que o problema não é o descaso da segurança que desfila em frente as grandes festas mas que nada faz além disso?.. Estão preocupados com os grandes empresários que sonegam impostos em jurerê mas enquanto isso deixam os malandrinhos colocarem medo na casa de moradores.. Houve um tempo em que eu tomava banho na praia de biquini a noite ao voltar da faculdade.. que caminhava na areia da praia as 6 hrs da manhã onde hj só encontro lixos na praia.. houve um tempo em que tinha uma turma de vinte amigas e amigos as quais saiamos de casa todos juntos para ir ao Open shopping ou jogar nosso tenis, volei, frescobol e que nossos pais ficavam em casa tranquilos e despreocupados.. E hoje tenho 24 anos.. esse tempo não é tão longe assim não.. se hj já está assim.. se mudou tanto com essa velocidade absurda.. como irá terminar essa história? A sc401 será nossa nova Paulista daqui alguns anos.. Jurerê estará no centro da cidade.. será que nós até lá estaremos refem e no centro ainda mais dessa sacanagem??

    Enquanto isso.. nós que somos moradores nos mantemos longe da praia.. não frequentamos a praia de Jurerê do dia 26 ao dia 07.. ficamos na piscina.. pois não tem 20 cm na praia para sentarmos.. e com medo de sair da praia.. não saímos para ir ao mercado pq o transito está caótico.. não podemos tirar nossos carros de casa pq nossas garagens estão trancadas por outros carros.. e o verão? Bom, como diz meu amigo Paulinho Ferrarini: “Amarei para sempre nossa Ilha… depois do Carnaval!”

  • Math diz: 11 de janeiro de 2012

    Qué saber? To Cagando…. É a mais pura verdade, porém pelo jeito só agora tão se ligando, Floripa (grande Fplois) tá virada num lixo a muito tempo e vocês o povo da “nata” agora quér vir cantar de galo?, façam me o favor, o problema existe a muito tempo e não é porque é em jurerê pagassão “interancional” que eu vo me preocupar. (Veja você bem, que já pelo próprio nome sabíamos os objetivos para o qual jurerê foi criado). Floripa já era faz tempo amigão, corre pra serra, pro interior, lá sim há descanso e qualidade de vida!

  • Mauri Goulart diz: 11 de janeiro de 2012

    Quem disse que isso é “privilégio” de Jurerê?

  • Mariana diz: 11 de janeiro de 2012

    Falou e disse, sem tirar nem por. O fato é que Floripa quer esses turistas, não digo nós que nos revoltamos com uma situação dessas, mas aa midia, só fala de Jurere, o Prefeito só pensa em melhorar o transito de Jurere, e assim vai, querem turistas desse tipo que só tem prejudicado a cidade…. sem falar no lixo que deixaram na praia na virada, ve se algum desses turistas se levantou cedo e fez multirao pra limpar a praia, que nada, nao tao nem ai pra ver a cidade limpa.

  • Flávia diz: 11 de janeiro de 2012

    Não frequento Jurerê, mal conheço. Talvez tenha passado por lá dmirando as belas mansões umas duas ou três vezes. Nunca fui ao P-12 e não pretendo. Mas diante de tudo que vejo e leio, nos blogs, nas colunas sociais, nas redes sociais, o que que Ricas Riba comentou é exatamente o que penso a respeito de tudo que acontece nesta época na região. É muita ostentação e pouco respeito. E haja paciência!

  • Lisa diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente com os comentários dos leitores e pergunto. Onde esta a fiscalização, a polícia, nossa tão querida e prestativa Guarda Municipal que até agora só tem corrido atras de ambulantes e pondo em risco os frequentadores da praia com suas corridas desenfreadas atras dos coitados ?
    Isso aqui está virando uma verdadeira bagunça.

  • Suellen Cardoso diz: 11 de janeiro de 2012

    COMPLETAMENTE PERFEITO!!!
    é exatamente isso que esta acontecendo na Ilha!
    recebemos os turistas na nossa “casa” e eles retribuem jogando lixo pelas ruas, que as fotos que circulam pelas redes sociais não me deixa mentir! é um poca da vergonha! e eles ainda se achão no direito, e fingem que não é com eles!
    Existem turistas educados, simpáticos, que até vieram me pedir enformação no semáfaro, enquanto estava parado, foram cordiais, depois sairam sem dar “showzinho”, de boa… mas tem turista que vou te falar ow… não vale um ovo o xtepô!! Fica aqui nossa indignação!

  • Karina diz: 11 de janeiro de 2012

    mt bommmmm, falou tudoooooooo morador de jurere!!!!!!!! ricos q sao ricos, nao tao aii se pagandooooo!!!!! E POLICIAS, FAVOR FAZER MT MAIS BAFOMETRO, oq tao esperando pra agir? todo dia morrendo jovens alcoolizados! Se a cidade,tivesse mais leis com grandes punições.. talvez melhorasse ;)

  • marcos santos diz: 11 de janeiro de 2012

    quando eu falava sobre isso, me chamavam de chato, agora tá todo mundo revoltado, Jurerê outrora uma praia linda e tranquila virou essa bagunça generalizada, o que me chama ainda mais a atenção é que não são 20 paulistas, ou um cidadão de Erechim que faz essa praia ficar assim, é gaúchos, curitibanos, cariocas, paulistas, mato grossenses, etc….o perfil dessa praia é o mesmo, bombados, bebados e idiotas rasgando dinheiro X garotas de reputação duvidosas se mostrando pra ver se ganha um presentinho gordo no final…….fora que alguns da imprensa tem seu papel de culpa, porque idolatravam esses playboys e alguns artistas que por aqui passavam……agora tá no hora da população sair as ruas e exigir que essa bagunça acabe o mais rápido possível…
    marquito

  • Elinton Souza Cunha diz: 11 de janeiro de 2012

    Lendo isso tudo só chego à uma conclusão: INVEJA!

    Cada um se estressa com aquilo que lhe interessa..
    Carrões, correntões, “champas”, mulheres de vestidões e, tudo mais..
    Tudo é o tal do “Bem Material” que TODOS gostariam de gozar, mesmo que fosse apenas em um simples veraneio, onde separa-se dinheiro o ano todo para ter.
    Casas com 20 paulistas, marroquinos, koreanos, gaúchos.. TANTO FAZ, TANTO FEZ!
    A diversão da virada é Em jurerê internacional, pois ali, estão as belezas para serem vistas e invejadas.
    SIM! Concordo com as idiotices em filas de carros, de mercados e outros mais e, SIM! Concordo também com os idiotas que alugam casas entre 20, rasgam dinheiro e ouvem michel teló..
    Só DUVIDO que em nenhum momento, passe pela cabeça de todos o seguinte pensamento: QUERIA PODER TER ISSO!

    Não importa quem traga esta inconveniente situação à ilha.
    O problema é de todos.. Pois nos 3 meses de alta temporada, Jurerê Internacional é a praia mais visitada, pelas idiotices desejadas que lá existem!

    Abraços à todos.

  • Carlos Eduardo Elias dos Prazeres diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou de Florianópolis e morei aí por 25 anos, hoje moro em São Paulo, mas minha família continua na Ilha. De fato está ocorrendo uma depreciação progressiva com a Ilha. Grandes incorporadoras já dominam as terras da Ilha, desrespeieitando os locais de preservação, transformando nossas encostas em puro concreto – Vejam no que se transformou a Praia Brava, o Campeche, no que está se transformando Sambaqui e Sto Antonio de Lisboa!!! Chega o verão e o desespero dos manezinhos aumenta! Já não basta o fato de a Ilha não ter um plano de gestão de cidade, cresce sem planejamento urbano algum,tornando-se um caos (trânsito, transporte público, saúde,aeroporto, prestação de serviço tudo precário), a Ilha é infestada por um turismo vazio, que não contribui para o crescimento da cidade. Ao contrário, ano após ano, pessoas cultas e de posses (verdadeiras) afastam-se de Florianópolis. A cidade fica tomada por um culto de ostentação barato e mal fundado. Parte disso tem culpa os manezinhos sim, que compraram e idolatram esse culto de quem pode mais. Florianópolis tornou-se uma cidade de aparência, infelizmente com um recheio bastante escasso! Engana-se quem pensa que essa Ilha assemelha-se aos balneários europeus, tais como Ibiza, Saint Tropez, Croácia. Além de boas festas e lindas praias, é visitada por um povo inteligente, que não tem como foco principal o culto ao corpo e a ostentação, e sim está interessado em usufruir o que as cidades tem a oferecer, quer em termos de cultura e natureza, quer em termos de diversão. Não se restringem a um metro quadrado porque tem-se a possibilidade de ter flashs e porque eu preciso desfilar meu óculos novo, meu carro importado e meu corpo bombado! Preocupam-se em levar para suas respectivas cidades um pouco da cultura local. Que meus conterrâneos aprendam a investir em um turismo que traga retorno e crescimento estruturado para a cidade. Que direcionem suas energias não só para o bumbum ou o bíceps, estudem! Que aprendam com os Catalães – Percebam o que é Barcelona hoje. Uma cidade bonita e bastante interessante, nada surreal, mas com uma carga cultural, histórica que mescla muito bem com o moderno e de vanguarda. Vendem a idéia de uma cidade espetacular que foi comprada pelo mundo todo, com o turismo bem estruturado crescendo exponencialmente ano após ano.
    Já é tempo de mudar. Caso contrário, Florianópolis todo transformar-se-á em um Balneário de Canasvieiras, onde lixos andam junto com os pedestres, onde o mar é inapropriado, e onde a beleza da natureza foi tomada por prédios e lojinhas de quinquilharias!

  • Jucá diz: 11 de janeiro de 2012

    Eu sempre falei isso quando morava em Floripa… sou morador de Brasília agora, e sinto pouca vontade de ir veranear em casa por conta dessa baderna toda – sem contar os preços. Secretária de Turismo e o restante do aparato de governo poderiam muito bem organizar as coisas e instituir um perfil de comportamento, se não fosse prejudicar os amigos dos amigos…

  • Rodrigo diz: 11 de janeiro de 2012

    Acho que estão gastando vela à toa. Questionar as expressões “paulistas” ou “Erechim” é perda de tempo. Cada um, com capacidade de interpretação, poderá ver que essas expressões podem ser substituídas, sem perda alguma do sentido do texto. Poderíamos ter “Gaúchos e Curitiba”, “Paranaenses e Blumenau”, “Catarinenses e cuiabanos”. Infelizmente, temos péssimos exemplos vindos de vários lugares, inclusive muitos nativos. A falta de educação e os sentimentos de superioridade e impunidade estão imperando, praticamente tornando-se instituições.

  • ribamar diz: 11 de janeiro de 2012

    meeeeeeu Deus. merece um premio e ser lido no JA.
    se bem que no JA só tem babaca do mesmo jeito… mas pelo menos mais gente vai saber desse desabafo.
    você é mestre.

  • Sofia diz: 11 de janeiro de 2012

    Que vergonha…sou de Floripa,mas vivo fora do Brasil a 5 anos e não tenho a mínima vontade de voltar. O pior é que aqui na Europa Florianópolis está em alta,fazem propaganda enganosa…já conheci gente que voltou muito decepcionado com a nossa Ilha,uma pena…um lugar tão lindo e com potencial.

  • Janil diz: 11 de janeiro de 2012

    Parabéns Rica Ribas, por seu comentário. As festas de Jurere extrapolaram todos os limites do bom censo. E a pergunta que não quer calar, onde estão os orgões responsável em fazer valer as leis vigentes, do silêncio, dirigir embreagado, etc ? em nome da ganância, e de cada ano ganhar mais, certos empresários ( a maioria de fora da cidade ) estão acabando com nossa cidade. A ilha é reconhecida por nossas belezas naturais, não por vulgaridades dessas festas, que a mídia gosta tanto de mostrar.

  • Lucia zerlotti diz: 11 de janeiro de 2012

    Como moradora de jereré internacional , acho que o bairro precisa de estrutura,organização ,segurança e menos propaganda enganosa

  • Fernandes diz: 11 de janeiro de 2012

    Velho. Não sei se são paulistas, mas por aqui em Sampa está uma delicia. Podemos tomar o nosso chopp sossegados, curtir a namorada e ainda voltar pra casa de taxi na boa.
    Gosto de Floripa, mas só vou fora da temporada!!

  • Rômulo Pereira diz: 11 de janeiro de 2012

    Eu até entendo a exposição do morador de Jurerê Internacional, concordo que deve haver mais controle das festas e bebedeiras, mas Jurerê Internacional virou um local chique pra você visitar e infelizmente ou felizmente atrai todos os tipos de pessoas. O que deve haver, que já acontece em outros países onde há points assim badalados – cito – Miami Beach, Ibiza, entre outros, é um controle mais forte e uma preparação melhor pelos órgãos responsáveis pelo turismo. Alegria, diversão, barulho, excessos, são difíceis de controlar e requerem uma preparação em conjunto dos mais diversos departamentos de controle governamentais. Teríamos que ter uma ação integrada entre clubes e locais para festa como o P12, as secretarias de turismo entre outras, polícia, bombeiros, para que estes eventos fossem organizados com mais precisão e seriedade. Quanto ao morar nestes lugares, quem tem, já sabe que são badalados e complicados. Mas tem o privilégio de ter imóveis que custavam menos de R$ 10.000 se transformarem em propriedades com valores em milhões de reais. Sugiro, que ao invés de reclamar DURANTE o verão, assim que este o for, ao invés de “curtir” a paz e o sossego trabalhe com afinco pra que estas condições de segurança sejam alcançadas. Fica aqui a dica.

  • Paulo R. Xavier diz: 11 de janeiro de 2012

    Olha e tem mais um culpado nessa história, Esse portal é um, e os meios de comunicação também que enaltecem esse tipo de algazarra, Balada em alto mar, etc…
    É porque não sentiram na pele como eu ja passei pegando um retardado saindo da balada e atropelando. Risco dos meus amigos que treinam para uma prova que ja acontece aqui a mais de 10 anos. Ao invés de promover a Capaital da saúde, promovem a capital da sacanagem.

  • Matheus diz: 11 de janeiro de 2012

    Realmente, moro na Grande Florianópolis desde quando nasci e a primeira vez que fui em Jurerê foi no Reveillon, e não para curtir, para trabalhar, já que trabalho a área de eventos. É uma falta de respeito o que as pessoas fazem aí, tudo que foi falado (retirando a parte de paulistas e do Erechim), eu assino em baixo. Na festa que trabalhei, a quantidade de gente querendo se pagar de rico, gente que faz economia o ano inteiro pra gastar em uma única noisa, pra quê? Pra postar fotos na internet e receber 823 “curtir”. Eu inclusive vi pessoas conhecidas que não saem e não gastam dinheiro o ano INTEIRO, “mas opa! em Jurerê, tenho que comprar tudo VIP, e comprar só as bebidas mais caras, AHHHH sem contar uma coisa, sou obrigado a ir com roupas caras também, pode até ser falsificada, mas tem que ter o logotipo BEM GRANDE pra todo mundo ver. Senão o que vão falar de mim amanhã no facebook?”

    Como morador da grande Florianópolis (continente), me sinto mal em ver o que fazem com um patrimônio tão maravilhoso que devíamos ter liberdade de ir passear e mostrar pra nossas famílias, amigos, etcs… Eu sinceramente tenho medo de ir passar um dia em lugares assim, principalmente pela violência.

    Sem contar, que nós que somos daqui, mas não moramos em Jurerê somos considerados “farofeiros” se irmos passar um dia na praia…

    Triste…

  • Mara Protta diz: 11 de janeiro de 2012

    Gente mal educada é mal educada em qq lugar do mundo. A diferença é que em lugares bem administrados o mal educado não se cria. Quem tem que defender o turismo local é a prefeitura e o governo do estado, lançando mão de todos os dispositivos legais para isso. E não a população ter que ficar se expondo a reclamar publicamente, como o corajoso Rica Ribas que, apesar de tudo, corre o risco de ser mais uma voz no vazio. O Brasil inteiro sofre desse mal e se esforça pra isso desde 07 de setembro de 1822!!!!

  • Nilton Jr diz: 11 de janeiro de 2012

    Falo tudo… Tem é assim nos ingleses.

  • Morador de Floripa diz: 11 de janeiro de 2012

    Moro na ilha há mais de 9 anos e Jurerê só decai… tá insuportável além de tudo isso descrito acima a praia já virou o PISCINÃO DE RAMOS.
    Obs: Me desculpe o povo que frequenta piscinão ramos pela comparação.

  • Gilson diz: 11 de janeiro de 2012

    Cacau concordo contigo. estive no show do David Guetta e vou relatar o seguinte.
    1- A Policia estava presente só para multar que estava estacionado do lado de fora do estacionamento da Pacha.
    2- Não parou sequer um carro pra ver se estava com documentos atrasados ou se tinha alguém embriagado, ou algum ladrão ou traficante, parece que foi chamado só para controlar o estacionamento da pacha, claro pelo lado de fora.
    3- Na saída as 6 da manhã os intitulados ricos saíam com seus carros bêbados e cheios de pessoas na qual a capacidade seria cinco e tinha 7,8 um no colo do outro e passavam em frente a policia e a mesma não fazia absolutamente nada.
    4- Se fizessem o tal de controle etílico (bafômetro) não passaria um. Mas isso eu tal coisa nunca vi fazerem.
    5- Queria saber o por que de deixarmos esses tais ricos¨ virem fazer baderna e fazer fila na nossa cidade, cagar e mijar aqui, Será que se formos em suas cidades poderemos fazer o mesmo?

  • Vanessa Aguiar diz: 11 de janeiro de 2012

    Tem muito paulista legal no Campeche e muito idiota mané da Ilha em Jurerê. Idiota é idiota e tem em todo lugar. Concordo muito com esse desabafo, só temos que tomar cuidado com juízo de valor, esteriótipos e preconceitos com pessoas de outros lugares, sejam eles quais forem. Senão corre o risco de virarem verdades absolutas, daí ferra tudo e prejudica o debate em cima do que realmente importa.

  • Monique diz: 11 de janeiro de 2012

    Animal o que esse cara disse! a mais pura verdade

  • Grasi Ramos diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou de Floripa e moro em Portugal há 5 anos, estive em floripa 3 meses agr e fui assaltada e bateram no meu carro. Fiquei ATERRORIZADA com o TRÂNSITO AGRESSIVO e com a educação das Pessoas, que ainda te mostram o dedo mesmo estando errados. É tipo cala a boca ou te mato! Graças à Deus, voltei pra portugal e posso não estar no verão, tomar banho no mar de águas quentes, mas aqui estou em Paz!!!!!

  • Júlia de Pinho Franco diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com tudo que foi falado nesse texto.
    E, como foi citado o show do David Guetta, não vi comentário algum na imprensa sobre o verdadeiro arrastão que aconteceu lá. Muitas pessoas foram roubadas – inclusive com ameaça de faca no pescoço! Isso em pleno Stage Music Park. Paguei caro para, além de não ver o show e ter o celular roubado, ser mal tratada pelos policiais, seguranças e gerencia. Um absurdo.

  • Luiz Crema diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo.

    Sou morador de Jurerê Tradicional, próximo ao hotel Beach Village e lá também está uma vergonha. Dias atrás turistas baderneiros me acordaram e à minha família por volta das 6 da manhã, parecendo um bando de louco, gritando e quebrando garrafas na frente do prédio ao lado da minha casa. Fui pedir educadamente para silenciarem-se e quase apanhei. Os valores estão invertidos!

    É uma vergonha, ainda mais porque o turismo na capital, nos moldes atual, favorece uma dúzia de empresários e comerciantes, em detrimento da quebra da paz e tranquilidade de milhares que moram em Floripa o ano inteiro.

    Isso sem contar a sujeira que fazem questão de deixar aqui quando vão embora.. mas daí são outros quinhentos!

  • Gabriel Garcia diz: 11 de janeiro de 2012

    Floripa infelizmente está sendo vendida para paulistas e gaúchos.
    O que nós tínhamos de melhor, a beleza e a cultura açoriana, esta se perdendo com tamanha displicência por pessoas que chegam desses estados se achando o dono do pedaço.

  • Otavio diz: 11 de janeiro de 2012

    Por isto sou da seguinte conclusão: NÃO ENTRE NA ILHA NA TEMPORADA, E QUEM É MANÉ. SAIA DELA, VÁ PARA PRAIA EM OUTRA CIDADE, NEM QUE SEJA NO EXTERIOR. A ILHA NÃO É MAIS A MESMA, ACABARAM COM TUDO.

  • Melissa diz: 11 de janeiro de 2012

    Realmente é lamantável o que ocorre na nossa linda Ilha da Magia a cada ano e gradativamente piora a cada ano !!! Adotei a Ilha há 15 anos, e fico muito triste em ver no que a cidade se torna no verão. Imagino que não sou a única que espera por essa estação maravilhosa, para curtir a praia com os filhos (para quem tem, assim como eu). Mas na hora de entrar no carro … pra que lado ir ??? Vamos pro clube que está mais perto e não precisa levar HORAS para retornar pra casa… Lamentável !! A educação não vem da cidade de onde a pessoa é (nasci em Erechim), vem de casa. O que falta para uma grande maioria é EDUCAÇÃO. Parabéns Ribas pela iniciativa. Espero que consigamos tomar alguma providência para que possamos zelar pela nossa linda e bela Ilha de Santa Catarina.

  • Cristiane Rosa diz: 11 de janeiro de 2012

    É agora? Põe na tela AMARELA!
    Vergonheiraaaa

  • Menina diz: 11 de janeiro de 2012

    Bom,tem pessoas ai defendendo os paulistas,mas sinceramente é só ir p capital deles p ver como eles cuidam,lixo por toda parte,bandidagem(a maioria q são presas aqui sao de sp e sem contar q noticiario no jornal nacional só passa os bandidinhos de lá)cidade poluida,pixada,suja,putas e travecos de dia nas ruas,pessoas passando por cima da outra no transito,esses dias eu vi um carro de sp(aqui em floripa),lotado de homem com o som alto e furando a fila,fiquei reparando naqueles com a sua cerveja na mão e back,fala sério q exemplo q eles dao pras crianças dos outros carros.
    Outro fato q eu vi,foi em um restaurante,vi um grupo comendo só comida vegetariana,depois compraram picolé e ao invés de jogar o lixo no LIXEIRO eles pegam simplesmente e jogam na rua =)… mais alguma coisa p citar sobre os PAULISTASS??? ahhhh tem varias
    mas tb tem o Povinho do RIO de janeiro,
    que chega na balada falando alto,tentam ficar com a gatinha a força e se a menina nao quer eles começam a xingar alto,fazendo o maior vexame se achando q sao os tals,os caras,os mais gatos(nem fazem ideia q a maioria das mulheres odeiam os cariocas=)),depois de alguns goles eles acham q tem o direito de sair socando deus e o mundo! oh povinho q gosta de arrumar confusaoooo!!!!
    bom vou parar por aqui q ja to ficando com mta raiva! logo mais cito o resto de turista q vem p nossa ILHAA!! pq sim,é nossa e nao de vcs!! nós q pagamos o imposto e lutamos p melhora dessa ilha!

  • Pobre diz: 11 de janeiro de 2012

    O autor está correto na maioria do que escreve, mas tem um tom elitista quase facista. A falta de educação, a grosseria, tudo isso tem de ser criticado, etc. Agora este papo de que os caras economizam o ano todo para alugar casa, que rico de verdade não usa isso ou aquilo. Espera um pouquinho, quer dizer que se todo mundo fosse RICO DE VERDADE Jurerê seria um paraíso? Muito triste esse tipo de visão da sociedade, que dizer que a baderna é um problema da classe média que quer ser classe alta? Quer dizer que a classe alta é educada, respeitosa? Onde? Concorso com Darci Ribeiro que o problema do Brasil não é a Elite, é a falta de uma Elite! Comentário correto no que aponta problemas, mas extremamente preconceituoso!!!!

  • Bianca diz: 11 de janeiro de 2012

    Com certeza o autor desse texto externou a indignação de todos que amam a cidade e estão vendo a ilha afundar com o turismo predatório! A imprensa e três ou quatro bares que invadiram a praia insistem em vender a falsa ideia de luxo e “glamour”… triste mundinho de faz-de-conta… saudade da época em que Jurerê era exemplo de bairro planejado e qualidade de vida…

  • Juliana diz: 11 de janeiro de 2012

    Quando leio seu post e dificil nao se identificar, mais pensando de maneira abrangente, aonde nao falta policia no Brasil? esse nao e um caso especificico de Jurere o Brasil todo sofre com impunidade, a culpa real e da cultura, estamos sendo vendidos com o que a de mais futil beleza, musica ruim e publicidade barata. Ja morei em outras cidades como Sao Paulo, Curitiba e Florianopolis e percebo que os tres estao sofrendo com o mesmo problema porem de maneiras distintas, Sao Paulo por exemplo ainda tem incentivo a cultura e projetos sem fins lucrativos afim de tirar a populacao desse estado de idiotizacao, mais vamos falar de Florianopolis que incentivo nos temos aqui? teatro nao chega, shows bons nao vem pra ca, tudo e caro, o que faz sucesso tem que estar na modinha, sendo assim que turista vai vir para a ilha? aquele que tiver valores pequenos e se identificar com a cultura cultivada na regiao.
    A solucao esta na educacao a midia esta consumindo o cerebro das pessoas, esses inumeros jovens imersos na bebida e usando drogas estao sem rumo, a coisa mais revolucionaria que fazem e escrever no seu facebook. Sendo assim nao acho que seja bom classificar estereotipos por regioes aonde vivem e sim classificar problemas que se repetem pelo Brasil inteiro.
    obs: desculpem mais meu pc esta com problemas nos acentos.

  • Johnny Siqueira diz: 11 de janeiro de 2012

    Realmente o pessoal deveria deixar de se “idiotizar” e enriquecer seu conhecimento, principalmente no quesito social aprender respeitar e viver harmoniosamente na sociedade. Queres viver como você quer? Ok, mas acima de tudo respeite o direito dos outros, para ter o seu direito de ser como é.
    Abraços.

  • Ju[[ diz: 11 de janeiro de 2012

    Realmente este texto deveria ser lido no JA!!!!! O autor foi perfeito na sua critica!!!!

  • Carol Campeche diz: 11 de janeiro de 2012

    E o pior esta acontecendo o mesmo com o Campeche ! Super condominios , sem a menor estrutura de saneamento basico ! O Riozinho q antigamente era conhecido por nós como a performace por ali se instalar uma academia de mesmo nome !
    Eram frequentadores familias e criancas pois era mais sussegado ! Depois virou o Riozinho e em 6/7 anos foi-se a degradação total o Riozinho agora possui a unica area em toda a extensão do campeche com a agua impropria ! E depois eramos ogros ! Semn prespectiva de crescimento,
    Não , na. Verdade acontece q sabiamos q era isso q aconteceria com o nosso bairro ! Demoliram o bar do Seu chico!b q não degradava nada ! P construirem mega condominios de luxo com deck de acesso a praia , e nas dunas e restingas! Fico triste pois logo eestaremos falando o mesmo do campeche em pouquissimo tempo !

  • mALDITOS JOVENS DO REGGAEY diz: 11 de janeiro de 2012

    eita manezada comedia…

    elegem mal seus politicos e dps querem culpar os turistas…

    quer tranquilidade? vai pra daniela… que por enquanto é praia de velho… por enquanto

  • Ernesto São Thiago diz: 11 de janeiro de 2012

    Pesquisa “FUTUROPOLIS”, do Instituto Mapa, apontou que 77% dos entrevistados entende que a principal vocação econômica de Florianópolis é “TURISMO e LAZER”. E 93% deles respondeu que a cidade deve continuar a se dedicar ao TURISMO e que ele deve ser incentivado.

    Link para a pesquisa: http://www.slideshare.net/ErnestoThiago/apresentao-futuropolis-eventonacmaravfinal

    Ou seja, está bem claro que neste blog, como de ordinário em outros, nas redes sociais, em audiências públicas, a maioria silenciosa simplesmente se manifesta muito pouco.

  • GILBERTO LUIZ SLIWIENSKI diz: 11 de janeiro de 2012

    A prefeitura de Floripa(se tiver interesse é lógico) deveria de fazer estágio na Secret. de Turismo de Blumenau, pois no inicio da decada de 90, eles tinham os mesmos pro lemas em relação a Oktoberfest…….e lá eles conseguiram diminuir consideravelmente esse tipo de turista, que tanto prejuízo traz a todos…….
    ET:- sou Blumenauense, mas,moro em Cuiabá 20 anos…..abraços ao povo da terrinha…

  • Concordo diz: 11 de janeiro de 2012

    Pobre diz:
    11 de janeiro de 2012
    O autor está correto na maioria do que escreve, mas tem um tom elitista quase facista. A falta de educação, a grosseria, tudo isso tem de ser criticado, etc. Agora este papo de que os caras economizam o ano todo para alugar casa, que rico de verdade não usa isso ou aquilo. Espera um pouquinho, quer dizer que se todo mundo fosse RICO DE VERDADE Jurerê seria um paraíso? Muito triste esse tipo de visão da sociedade, que dizer que a baderna é um problema da classe média que quer ser classe alta? Quer dizer que a classe alta é educada, respeitosa? Onde? Concorso com Darci Ribeiro que o problema do Brasil não é a Elite, é a falta de uma Elite! Comentário correto no que aponta problemas, mas extremamente preconceituoso!!!!

  • Natália diz: 11 de janeiro de 2012

    Olha… Apesar de concordar PLENAMENTE com tudo o que vc diz, tenho algumas ressalvas:
    1. Turismo traz MUITO dinheiro sim, SEM BEM ADMINISTRADO E PLANEJADO
    2. Abobados como esse existem em todo o Brasil (inclusive SC) e em todos os países
    3. Utilizo a SC 401 2 vezes ao dia, todos os dias e cada vez fico mais indignada com a falta de educação no trânsito das pessoas… Mas tenho observado atentamente o seguinte: 80 % dos carros que furam fila e andam pelo acostamento tem placa de FLORIANÓPOLIS
    4. Eu defendo a taxa turismo, que é cobrada no mundo todo… Mas mais importante que isso, uma coisa precisa (infelizmente precisa, num país onde ser malandro é cultural e “bonito”) e faz muita falta em Florianópolis (e digo isso com convicção, pois já vivi em diversas cidades do Brasil e exterior, e aqui é onde isso é mais precário): FALTA FISCALIZAÇÃO!!!! Já vi muito policial ver e não fazer nada para: carros estacionados em locais proibidos, ultrapassagens pelo acostamento, badernas na madrugada, roubos na saída de bares, drogadição no centro de Floripa, etc…

    Pode ter certeza que essa minha visão corre pelo Brasil… E tb corre a idéia que Floripa é o paraíso de baladas e drogas… Não foi o Cacau mesmo que publicou no J. Almoço (achando o máximo) a tal “Casa das 7 mulheres” em Jurerê?? Então enquanto os “proprietários” (prefeitura, policiamento e, mesmo nós moradores) dessa zona não colocarem ordem na casa, não vai ter turista de lugar nenhum que vai respeitar (não, pelo menos, os mau educados que se multiplicam pelo Brasil afora…).

  • Nelson Pessoa Guimarães diz: 11 de janeiro de 2012

    O Rica Ribas disse quase tudo e o pessoal que comentou até aqui disse amém a tudo e um pouco mais, e teve gente que culpou até a HABITASUL, como se fosse ela quem alugasse as casas e organizasse os eventos de verão – não vi ninguém fazer qualquer referência à RBS, associados e colaboradores, que vivem de botar lenha nessa fogueira de nulidades… Ainda no ultimo domingo, o Estúdio SC apresentou belíssima reportagem sobre as baladas a bordo, corpos sarados, muita pegação, todo mundo e a repórter gritando descaradamente “morram de inveja pobretões das areias” a merda e o lixo aí desaparecem na edição. Mal sabem que não passam de sepulcros caiados, bonitos por fora e podres por dentro…

  • Marcelo diz: 11 de janeiro de 2012

    Como já disseram aqui, as operações da “Lei Seca” aqui no Rio funcionam sim e paga do pequeno ao graúdo… pode ser pobre, pode ser mega celebridade ou um político grandão todo tipo de gente perde o carro e é autuado aqui no Rio.

    Mas tem umas entrelinhas que facilitam isso tudo…
    Como por exemplo, taxi barato e em abundância pela cidade toda, eis que se tornou um hábito pras baladas Cariocas. Aqui todo mundo sai de taxi bebe ou não, e volta de taxi.

    Mesmo tendo carro, pra que vou sair de casa com meu carro, correr riscos, pagar 15, R$ 20 num vallet, consumir combustível, desgaste e etc q não convém entrar no mérito ou até mesmo pagar uma série de multas e taxas pra buscar meu carro depois?

    Prefiro gastar R$ 15 pra ir, R$ 15 pra voltar de motorista, ficar tranquilo e respeitar a lei. A pergunta que fica é se isso não vai pesar no orçamento dos “fake-eikes” de Jurerê…

    ps. morei 9 anos em Floripa, sei que um taxi longe da praça XV é quase um milagre natalino além de custar mais caro, sabe lá Deus pq se o combustível aí é mais barato.

    ps. outra boa idéia daqui que caberia como luva aí, seria o choque de ordem… onde nesse caso se fiscaliza locação de acomodações de forma coletiva, onde não existe permissão e/ou recolhimento para tal atividade comercial… casas com 7 quarto e 20 pessoas? qual o benefício pra cidade?

  • Mar diz: 11 de janeiro de 2012

    Infelizmente é tudo verdade! Jurerê é um paraíso durante o ano, e um inferno na temporada. A Habitasul fez um ótimo trabalho quando concebeu o bairro. E durante muito tempo ela vendeu o bairro como ideal para viver. Assim foi enquanto vendiam e lotearam toda a praia. Eu e demais moradores e proprietários “compramos” essa idéia. Mas os terrenos foram todos vendidos, a loteadora precisava de novas formas para ganhar dinheiro. Foi assim que surgiu a “brilhante” idéia de tirar os restaurantes da praia, e transformá-los em Beach Points. A gestão da Habitasul tinha a idéia de transformar Jurerê em uma espécie de St Tropez, local frequentado e admirado pelos gestores-prorietários.O problema todo é DINHEIRO, o lucro gerado compra tudo.
    Nós os moradores e proprietários pouco podemos fazer…Pagamos de forma voluntária a manutenção e segurança privada do bairro. Nossas casas(isso de mansão é deslumbramento de quem não nunca viu uma mansão de verdade) e jardins sem muros, servem de cenário para uns poucos lucrarem muito as custas de toda uma comunidade. Por aqui, muitos de nós esperam que o fundo do poço leve esses gafanhotos para outras bandas. E quem sabe Jurerê volte a ser um pouco do que era.

  • bibi diz: 11 de janeiro de 2012

    Adorei o comentário! Parabéns pela iniciativa. Moro em Canasvieiras há 3 anos e sou de Manaus. Nunca vi tanto ”macaco” enjaulado que nas férias fica solto e começa a aprontar! Viram verdadeiros monstros para a sociedade, e se não houver contenção, vira um caos!Repito: Viram verdadeiros MONSTROS! Por que matar e roubar não são verbos que representem atos de pessoas de bem. Tem que haver punição SIM! Mais uma vez PARABÉNS Cacau!

  • luciana diz: 11 de janeiro de 2012

    Se vcs olhassem o faturamento da cidade que os turistas “babacas” trazem nao falariam tanta bobagem.Junto a marginalidade está manézinhos,gaúchos,paulistas ,catarinenses e muito mais.O problema está aqui dentro e nao fora,onde estao esses policias para fazer a blitz? estao nas festa junto com todos os marginais que vcs citam como “sendo de fora”

  • Emerson diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo 100% com este morador. Fruto de uma sociedade desigual onde um gerente ganha 30 x mais que uma faxineira de uma mesma empresa, e onde a maioria quer mostrar ter mais do que realmente tem para parecer estar numa classe superior. Uma das coisas que mais apreciava morando na inglaterra é que ninguém dava bola para o que vc vestia, que carro andava ou quanto ganhava. Aqui no Brasil pelo contrário, estes são os principais valores de uma sociedade doentia onde prostitutas e participantes do big-brother são celebridades e modelos para toda a população.

  • Flavio diz: 11 de janeiro de 2012

    O que não pode é o morador de uma cidade que vive EXCLUSIVAMENTE do turismo pedir que os turistas não venham mais pra cá.

    Grande parte deste hiato evolutivo que vive Floripa é em virtude dessa aversão de Florianópolis à migração dos que vêm aqui morar.

    Esse saudosismo, esse papo de “Fora Howlie”, “Viesse pra Floripa e esquecesse de voltar?” é o que transforma FLoripa nessa bagunça.

    O manézinho tinha sim é que assumir a condição de morador de uma cidade turística, e ajudar na preparação da cidade para aguentar isso. E não ficar aí com esse bairrismo démodé.

  • Salete Ramos Nunes diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou manesinha, amo a minha cidade, não é só a época de varaneio que as pessoas são mal educadas e se acham donos.Pra mim é o ano todo, as pessoas que vem passear, gostam e depois voltam para morar. As pessoas que mais reclaman de tudo em Floripa são as pessoas de fora. Quando conhecem Floripa, dizem que maravilha , e muito linda e etc, e depois que invadem nossa cidade, se da uma greve , ou tem fila ou os onibús estão cheio ficam reclamando e chingando, eu escuto muito isso e sempre são pessoas de fora. Olha vão acabar com isso, se não estão satisfeitos, voltem para suas ciadades e deixe agente em paz. Eu odeio e muito. Tenho 46 anos e sinto muita saudade de Floripa, a antiga desterro sosegada e pacata. É ISSO QUE EU FALO PRA QUEM QUER DAR UM DE GOSTOSO, ESSA CIDADE É DOS MANEZINHOS E NINGUEM VEM SE METER A BESTA…..

  • Raquel diz: 11 de janeiro de 2012

    Algumas pessoas não entenderam o comentário de Rica ribas,quando ele cita “20 paulistas alugando casas em jurerê”é uma força de expressão!!!!!!!não se faz necessário citar paulistas,gauchos,paraenses,bahianos etc….Ele usou o termo paulista em um sentindo amplo,Por favor gente não sejam tão medíocres,é por isso que acontece tantos desentendimentos entre as pessoas,as pessoas na maioria tem dificuldade de compreender a mensagem que recebem,seja numa simples conversa ou num comentario como este,fico chocada com este comportamento.Pensem nisso!!!
    E em relação ao comentário perfeita as colocações,90% dos frequentadores das baladas de jurerê nessa epoca do ano entram vip, uma maneira mais chique de dizer de graça,mulheres ficam a caça de mesas com bebidas,fazem pose de ricos quando na verdade 10% é quem realmente tem grana pra bancar,a reportagem do estudio santa catarina do ultimo domingo passou uma materia sobe os “vips e os não vips de jurere” me matei de rir com a reportagem,as pessoas tem essa falsa ideia que estar no p12 ou to taiko etc é sinal que é riqueza,a maioria é vip com certeza entram de graça e fazem teatrinho de que tem muita grana no banco e pagaram para estar ali ! patético,como aquela velha expressão popular “comem chuchu e arrotam peru” kakakakakkakka
    E quem realmente tem grana são os moradores de jurere que são invandidos,desrespeitados por essa gentinha vip.garanto que quando construiram suas casas,ou compram a mesmas a ideia era de morar em lugar seguro,bonito e com sossego bem longe da realidade vivida.

  • Fernanda Oliveira diz: 11 de janeiro de 2012

    Rica sempre acertando nos seus comentários….quero deixar bem claro que estes episódios se passam em toda Florianópolis. Eu como moradora da Lagoa da Conceição passo pelo mesmo problema, alguns valores são subtituídos por de menos ou por de mais valor, mas os acontecimentos os mesmos. E ainda dizem que Floripa é a Ilha, é uma pena dizer pois manezinha que sou…..mas Floripa foi a Ilha!

  • Daniel diz: 11 de janeiro de 2012

    Negócio e colocar boi de mamao na frente do taiko, Rendeiras fazendo suas rendas na frente do café de la music e DAZARANHA tocando no p12.

    É isso ai, quem é daqui gostará, quem não é….aquele abraço.

  • beatriz diz: 11 de janeiro de 2012

    faço das suas, as minhas palavras. infelizmente nós nativos temos que aturar esse tipo gente todo verão e muitas vezes no resto do ano. pessoas não tem culpa de serem ricas, o problema é serem mal educadas e não respeitarem outras pessoas, principalmente os que habitam a cidade que eles tanto gostam de se mostrar, nesse caso, floripa

  • Evandro Jair Duarte diz: 11 de janeiro de 2012

    O autor do post falou tudo o que os moradores da ilha sentem pela falta de educação dos turistas com a ilha maravilhosa. Teremos uma ilha assim por muito tempo? Ouvi muitos amigos falando que o show do DAVID GUETTA só tinha gente mal educada e bêbada…o lixo jogado na praia é muito grande … falta de educação … tá louco.

  • leitor diz: 11 de janeiro de 2012

    concordo em partes, infelizmente me parece que esse desabafo esta sendo por um gaucho, onde que pra mim, são os mais esnobes turistas que pra cá vêem, infelizmente, sujam tudo, jeito de soberba, mal educados, enfim…

  • Lino Pavan diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente com Cacau mas sou contra a discriminação subliminar a paulistas…somos todos brasileiros seres humanos e em todos lugares existem pessoas boas e ruins..morei 10 anos em floripa fiz muitas amizades ae com catarinenses gauchos paranaenses…nao acredito que a evoluçao do homem venha acompanhada desse bairrismo discriminatorio…educaçao e bom senso a todos!

  • Regiane diz: 11 de janeiro de 2012

    sou de SP e fico pasmada com seu comentário sobre os paulistas!
    como se fossem so nos que causassem os caos em jurere….
    Passei a virada em jurere, e vi coisas que ate hj estou de boca aberta, sendo vcs os manezinhos como são chamados, meninas que so faltava abaixar pra fazer o ato sexual, homens que nem sabiam onde estavam de tão bebados…
    Falar mal é facil…. dificil e concordar que o pessoal daqui não é diferente….
    Existem paulistas e paulistas, e acho um absurdo falar das pessoas como nos paulistas sendo da proporção que SP é, e fazemos daqui uma cidade turistica….
    E claro de outros estados tb….
    Se não tiver gostando do lugar onde mora !!!!!
    É de facil solução SE MUDA!!!!

  • manfrine de melo paes diz: 11 de janeiro de 2012

    disse tudo !!!

  • Jeane Moura diz: 11 de janeiro de 2012

    Tudo seria resolvido com um numero maior de policiais, de rondas, de blits. Sou beneficiada com os turistas em Florianópolis e muitos, como eu, esperam o ano inteiro por esta época. Infelizmente nossa cidade não tem atrações no inverno para que possamos nos dar o luxo de exigir maior qualidade no verão. Afasta-los será prejudicial para todos que vivem do comércio. Para quem não fez concurso publico que recebe salários bons e seguros para comprar casas no bairro que quiser, a alternativa é esta: agradecer e tentar manter o controle. O desabafo é interessante e merece atenção, a solução é que pode ser outra. O dia que os “falsos ricos” resolverem gastar seus “nao suados” dinheiros em outra cidade da moda, o que será de nós? Miami tem ouro, ostentação, putas de luxo, champã, carrões e tudo mais, massss, tem ordem, policiamento…experimenta jogar lixo no chão ou fazer xixi na calçada…

  • valerio diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou mané e digo que já faz algum tempo que a ilha ficou brega!

  • Régis, diz: 11 de janeiro de 2012

    É infelizmente isso tá a cada ano pior, sendo que sempre foi o objetivo, porém não tem como ter dinheiro “turistas” em floripa sem ter os idiotas querendo se mostrar cada vez mais, que com certeza pessoas que trabalharam e suaram de verdade não fazem isso ou seja são pessoas que não dão valor ao dinheiro pois vem fácil de que forma ? Não sei e nem quero saber, os manezinhos só querem um pouco mais de educação, simplicidade e a ilha de volta !!!! :( !!!!!!!

  • Anderson Peterson diz: 11 de janeiro de 2012

    infelizmente a nossa simplicidade florianopolitana é o palco ideal para essa cambada de babaca, pois vendo praias maravilhosas e gatas que só encontram aqui perdem a noção, se passam, ficam loucos e acham que assim como lá nos seus respectivos interiores, a cidade inteira vai ficar o idolatrando só por causa de sua carretona ou de seu champagnhe. CAMBADA DE HAOLE. Cabe a nós, cidadãos locais, ignorar e repugnar esse tipo de comportamento.

  • Ilde diz: 11 de janeiro de 2012

    Acabei de ver no JA o criador deste Post e mais dois convidados, o mais coerente para mim, e que falou menos tb, foi Vinicius L., pena que não deixaram ele falar, talvez por medo, eu acho……. É fácil somente reclamar, como fizeram os dois outros, agora eu quero ver é dar sugestão para melhorarem esta baderna toda. Este tal de Paulinho é outro, um paulista (deixo bem claro que não tenho nada contra estado nenhum), que chegou aqui, encheu as burras com o dinheiro dos manés e dos turistas e agora está falando mal da cidade, e, disse que está pensando em deixar a cidade, assim é fácil né cidadão????

  • Sinal Vermelho Curitiba diz: 11 de janeiro de 2012

    Excelente! Assim, como Curitiba, que perdeu a condição de cidade-modelo faz tempo, Jurerê também virou essa palhaçada na temporada. Até que enfim alguém falou a real, parabéns!

  • Rosangela Ribas diz: 11 de janeiro de 2012

    Boa tarde…

    Concordo contigo Ricardo, realmente as pessoas estao perdendo o bom senso. Moro no santinho e aqui o q mais me indigna é q as pessoas perdem a nocao no transito, alem é claro da falta de sinalizacao tanto no santinho como nos ingleses.
    Para acrescentar ao debate da falta de educacao e nocao dos turistas, estou postando este video gravado na semana passada na lagoa, o q demostra q o problema esta em toda a ilha.
    Valeu!!!

    http://m.youtube.com/#/watch?desktop_uri=%2Fwatch%3Fv%3DUdcHhu7ovig&v=UdcHhu7ovig&gl=BR

  • Theseu diz: 11 de janeiro de 2012

    Falta é o pessoal da barra da lagoa criar uma escola de “boas maneiras” para nós os LEGÍTIMOS ilhéus, aprender a defender a nossa terra natal e não aceitar desaforo de qualquer um que chega na ilha querendo mudar nosso hábitos.
    #clan-ilhéu

  • Adriano Dotta diz: 11 de janeiro de 2012

    É q nem tráfico de drogas. Se há consumidor há traficante. Se há mulheres q dão bola pra esses ostentadores desordeiros eles sempre existirão. Infelizmente é mudança de cultura ou Presença da Segurança, q não há interesse político como sempre. Lema político: Sem Caos não há lucro.

  • Paula diz: 11 de janeiro de 2012

    então eu me pergunto: o que afinal o secretário de turismo tentou dizer no Jornal do Almoço? ora, se acham que Floripa é capital de tudo isso, ou se querem parecer que é, ou se realmente é, a questão é que então passou da hora de investir em infra-estrutura (vias urbanas pavimentas com calçadas, sinalização de trânsito, segurança pública equipada e com efetivo adequado, SANEAMENTO BÁSICO, … enfim, tudo o que sabemos que faz falta e é um absurdo não ter), pois se o poder público não cuida do que é nosso o particular vem e desrespeita tudo!

  • Flavio Sobierajski diz: 11 de janeiro de 2012

    Caro Cacau e Ricardo Ribas meu grande amigo do handebol,
    Florianopolis por ter varias praias, com varias propostas, reúne todo o tipo de turista. O mal educado existe em todas as classes sociais. Para freiar o mal educado e preservar os direitos da coletividade existem normas que, se não cumpridas, preveem punições para os infratores, seja de que classe for, pois a lei é, ou deveria ser, para todos. Se os excessos estão sendo cometidos em abundancia é em função da falta de fiscalização dos órgãos competentes. Nossa policia nessa época faz vista grossa em função do despreparo e baixo efetivo. O mal educado, pra não rotula-lo de outra forma, se vê livre pra deitar e rolar nesse paraíso do tudo pode! Muita propaganda de nossa cidade foi feita, tem muita gente lucrando, e não houve nenhum preparo para se receber essa enxurrada de turistas, famosos, mal educados…

  • soraya diz: 11 de janeiro de 2012

    pior é ver o povo daqui, principalmente as meninas, enfrentando horas de fila, gastando tudo que tem em roupichas novas, pra ver se agarra um desses bichas malhados e se dar bem pro resto da vida, ah, fala sério né, já ouvi de 3, 4 amigas de amigas, manezinhas, dizendo que gastar 2.000,00 em roupa pra passar reveillon no Boutique não é gasto, é investimento! Lutar pela preservação de nossas areias brancas nem pensar, vão lá e deixam suas garrafas na praia também, matam as tartarugas entupidas com as suas bitucas de cigarro também, pagam pau pra esses idiotas que vem aqui usam e abusam e vão embora rindo… que tristeza! Moro em Jurerê e fui atropelada no ano passado por um bêbado saindo da Life em plenas 19h00, contra mão a 140k’/hora, eu estava indo ao teatro toda feliz, e além da perda total no meu carro, 1 ano depois ainda estou em fisioterapia pra recuperar meus movimentos da mão direita e acreditem, o otário da vez é florianopolitano, filho de diretor de empresa gigante da ilha, que nunca nem um pedido de desculpas me fez. Pelamordedeus!

  • Fábio diz: 11 de janeiro de 2012

    CHEGA DE APENAS CONCORDAR, É HORA DE AGIR!!
    Se você, assim como eu, concordou com essa mensagem e está indignado com o que acontece em Jurerê e na ilha toda, repasse o texto aos seus amigos e conhecidos! Publique no seu mural no Facebook, publique o link no seu Twitter, e se não é conectado em nenhuma rede social, copie cole e encaminhe por email!
    Ficar indignado sozinho não vai fazer nenhuma diferença. É preciso haver MOBILIZAÇÃO!
    Esse ano teremos ELEIÇÕES MUNICIPAIS. Se você quer mudanças no chiqueiro que esta cidade se tornou, pense nisso quando votar para PREFEITO E VEREADORES!!!

  • Paula diz: 11 de janeiro de 2012

    estamos numa ilha, devia-se fazer um pente fino, geral… e limpar essa cidade em todos os aspectos!

  • Tiago diz: 11 de janeiro de 2012

    Coitado do Dalai Lama. Assisti o jornal do almoço. Não acreditei na citaçâo feita pelo nosso secretário de turismo. Respeito ao outro ser humano, isto é o que diz este líder espiritual. Respeito as leis, é o que não está sendo feito em jurerê. Um “beach club” (não citarei o nome mas todo mundo sabe qual é) tem autorizaçaõ para colocar som até as 22h, no último sábado só consegui dormir ás 3h da manhã, olha que terminou cedo. E isto esá ocorrendo diversas vezes durante o ano. Existe uma legislação limitando o número de decibeis emitidos, nem o Dalai Lama com toda sua tranquilidade aguentaria ficar dentro da minha casa em um dia de festa deste estabelecimento. Ao contrário do que disse o nosso secretário, é possível SIM desenvolver o turismo em florianópolis, crescer, gerar renda, criar empregos, sem esta bagunça e total desrespeito as leis.

  • Giuseppe diz: 11 de janeiro de 2012

    Parabéns pelo texto…
    Onde o lixo do luxo e o dinheiro prevalecem, com esse bando de bosta pagando de grandão é o que dá… homens com h minúsculo, cheio de anabolizante, de sunga e pagando de grandão, e no fundo a maioria tudo afeminado, e as mulheres cheias de mania, exigindo status e no fundo umas vagabundas… Enfim, almas perdidas clamam por ajuda, e o diabo está a solta dando risada e jogando champagne pra cima, inclusive com muitos filhos, parentes e com um exército de gente fraca de espírito… Eu não vou prá lá nem de graça, até porque moro no campeche, um lugar que apesar de ter seus problemas é muito melhor que esse inferno…
    Já é a ilha da putaria, e pra mudar isso demora meu povo… que M tamanha e sem noção…

  • Simone diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com 99% do que foi falado, sou catarinense do oeste do estado e moro na ilha a 20 anos, na temporada procuro não ir a praia pra não me aborrecer, mas como tbem sou filha Deus estava eu fim de semana nos inglese quando vi uma senhora tirar a fralda de seu filho e jogar as suas necessidades dentro do mar, e vindo parar na praia,(deu briga com certeza) e EU fiz com que a ‘senhora” mal educada arrumasse uma maneira de tirar as ”cacas” do filho que foi parar na praia. A indignação e revolta pela falta de educação não é só de moradores de jurere, pode ter certeza é de todos moradores da ilha, que lutam o ano todo pra ver ela bonita.
    Mas se voce não quer se aborrecer tem que se isolar em casa e evitar ao máximo circular pra não se incomodar.

  • Carlos R. Vieira diz: 11 de janeiro de 2012

    Não vamos ser simplistas, pois estes epsódios envolvem questões muito mais complexas, desde de segurança pública até cultura, porem uma coisa é certa, os maoires culpados são, efetivamente os proprietários ou ganaciosas de plantão, que alugam suas casas, sem antes estabelecer regras ou contratos que garanta o minimo de sussego e segurança aos seus vizinhos e a si prórpio, pois alugar casa para qualquer um não é privilégio só do Jurerê, pois o desespero por grana leva as pessoas a alugar seu imovel sem nehum critério , a unica garantia exigida é a grana na mão e de prefrência adiantada, o resto que se exploda.

  • Daniela diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou moradora do sul da ilha, aqui a situação (ainda) não é como em Jurerê e não sei se chegará a tal ponto pois o sul da ilha não tem estrutura para tal, Jurerê é a Miami brasileira…… Mas recebemos muitos turistas, gaúchos, paulistas, cariocas, paranaenses, de todo o brasil, não importa o lugar, a maioria não tem educação, pensam que estão numa terra de ninguém que podem fazer o que bem entendem pois estão pagando! Afinal não é isso que vemos na TV td sábado? “Uma mulher pobre que enriquece casando com o senador e pode fazer tudo o que quer pq: EU TÔ PAGANO!” Penso se 2012 será mesmo O FIM?

  • JOAO MARTINS diz: 11 de janeiro de 2012

    QUEM LUCRA COM ESSA MERDA TODA!!!!!!!!!!!!
    DONOS DE POSTOS DE GASOLINA
    SUPERMERCADISTAS
    HOTELEIROS
    DONOS DE BARES E RESTAURANTES
    DONOS DE ESTACIONAMENTOS
    E PROPRIETÁRIOS DE RESIDÊNCIAS(ALUGAM DE FORMA FRIA, SEM PAGAR IMPOSTOS)
    QUEM SOFRE???????????????????
    A POPULAÇÃO DE FLORIPA.(COM FILAS , TRÂNSITO, LIXO, POLUIÇÃO ETC)

  • George Soares diz: 11 de janeiro de 2012

    Cada vez mais vemos a falta de respeito próximo ficar maior ! Juntando com a falta de atuação do poder público, falta de compromisso, vira uma bomba ! Sou a favor de multas e cadeia por barulho, pertubação do silencio alheio , beber embriagado, e por ai vai…. Quando a coisa fica rígido, esse povinho não volta com medo. Melhor ficar conhecido por ser uma cidade com leis RÍGIDAS do que uma cidade sem lei , aonde pode tudo ! Em MIAMI nãos e pode beber mostrando a garrafa e todo mundo respeita porque a multa é pesada !! Precisamos pensar como um país GRANDE , de primeiro mundo de fato !

  • Marcos diz: 11 de janeiro de 2012

    Sem dúvida a grande culpada por esse turismo ”bárbaro” é a mídia, inclusive a RBS.

  • CLAUDIA CERRI “”POP” diz: 11 de janeiro de 2012

    HOJE FLORIPA INFELIZMENTE PODE SER CHAMADA “” FLORIPA A ILHA DE SODOMA E GOMORRA!!!! ISSO SIM É APOCALIPSE!!!!……””
    UMA PENA MESMO……VAMOS MUDAR ISSO JA!!!!!! BJU

  • Tiago diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo con tudo que o Ribas falou.
    Se tivessem blitz nas saidas das praias, que funcionem as que eu vi até hoje eram apenas “corpo presente”. Imagino que deve ter filho de grandão que vai para essas festas. Com isso não tem blitz as 2, 3, 4 da manhã.
    Mas tambem fora da temporada rola uma falta de respeito. Principalmente no trasito. É lamentavel a que ponto a cidade chegou.

  • samuel diz: 11 de janeiro de 2012

    Quem tem, não precisa se exibir!!! Esses que se exibem, são IDIOTAS de classe media alta e baixa, que economizam o ano todo, e alugam casas dividindo com mais 30 e 40 bebem e se acham os milionarios das Arabias….Vão embora pra real vida deles, e iniciam as economias só comendo pão velho pra guardar dim dim…RIDICULOS!!!!

  • joão martins diz: 11 de janeiro de 2012

    QUEM GANHA COM ESSA MERDA TODA???????????
    Os donos de residências, que alugam e sonegam tudo.

  • Pruciano diz: 11 de janeiro de 2012

    Parabéns pelo desabafo. Acredito que todo esta situação causada por esses “turistas baderneiros” nunca será resolvida sem um planejamento adequado por parte de nossos representantes políticos, que podemos dizer, são mercenários em busca de dinheiro fácil.

  • Marcos diz: 11 de janeiro de 2012

    Moro em MG e estive em Floripa pela primeira vez em novembro/2011. Escolhi ir fora de temporada justamente por ter ouvido histórias sobre o caos que impera na cidade durante o verão. Conheci a praia de Jurerê, que por sinal estava praticamente deserta e ideal para passar o dia. Sorte minha! Acho importante a mobilização de moradores da ilha no sentido de coibir práticas como essas descritas no texto. A cidade não vive só de turismo e, portanto, é preciso garantir o bem-estar de quem tem residência fixa. E, como turista, garanto que não me senti ofendido, pois o objetivo do verdadeiro turista é buscar lazer, diversão, conhecer lugares bonitos, novas culturas, sem levar na bagagem a intenção de promover desordem, vandalismo e criminalidade.

  • marcelo diz: 11 de janeiro de 2012

    O debate continuou no ‘ja’ desta quarta, e gostaria de questionar aqui a sentença de Vinícius Lummertz de que a justificativa pra tudo esta no fato de Floripa ser hoje a melhor cidade do Brasil. Melhor? por quê? UMA ILHA SERVIDA DE UMA PONTE QUE VAI E OUTRA QUE VEM? E REDES DE ESGOTOS E SERVIÇOS DE ÁGUA NAS PRAIAS? PRECISA DE GRANDES E NOVAS TECNOLOGIAS, JÁ QUE ELE ARGUMENTOU QUE SOMOS UM POLO DESTA? POSTOS DE POLÍCIA FECHADOS COMBINAM COM MEGA EVENTOS REGADOS E PATROCINADOS POR BEBIDAS? ISSO SEM FALAR DO CORREDOR DA ‘MORTE’ A FATÍDICA BR-101. REZE PRA CHEGAR NO PARAÍSO, POR QUE O INFERNO TÁ DE OLHO EM TI!! DEVERIA SER O SLOGAN NA DIREÇÃO DE FLORIPA! CARO, QUE A MÍDIA TBÉM TEM CULPA. DEBATES COMO ESTES TEM TEMPO ULTA LIMITADO (NINGUÉM PAGA PRA ELES ACONTECEREM, NÉ). AI A MÍDIA VENDIDA ACABA POR GLAMURIZAR O ROSTINHO MAQUIADO ESQUECENDO QUE POR DENTRO O DENTE TÁ PODRE! QUER DIZER: A BOCAS FECHADAS TÁ TUDO BEM. DEPOIS QUE O VERÃO PASSA AI A DOR VEM, PROS QUE FICAM PAGAR A CONTA! ESTAMOS INVESTINDO EM UM MODELO DE PROGRESSO E TURISMO OBSOLETO E QUE OS GRANDES CENTROS JÁ ESTÃO ABANDONANDO FAZ DÉCADAS. PARIS FECHOU UMA RUA PRA AMPLIAR SUA ÁREA VERDE EM VOLTA DO SENA, ENQUANTO AQUI A PRÓPRIA MÍDIA FEZ DE TUDO PARA QUE A PAULO FONTES VOLTASSE A SERVIR AOS CARROS. PERGUNTO: E A ‘MALTA’ QUE FREQUENTA O TERMINAL DE ôNIBUS? E A PASSARELA OU TÚNEL QUE DISSERAM IAM SER FEITOS? AINDA PRECISAM INVENTAR TECNOLOGIA PRA FAZÊ-LOS, É ISSO? SEI QUE ALÉM DOS PROBLEMAS DE ADMINISTRAÇÃO EXISTE OUTRA COISA QUE FOGE AO NOSSO CONTROLE (SERÁ? TALVEZ SE NOS PREOCUPÁSSEMOS UM POUCO MAIS COM EDUCAÇÃO, NEM TANTO):TEMOS QUE LEMBRAR QUE COM DINHEIRO E TECNOLOGIA SEM EDUCAÇÃO VERÍAMOS NASCER O ‘JECA URBANO’, POIS, ESTES AVANÇOS INFELIZMENTE NÃO TRAZEM JUNTO CONSIGO EDUCAÇÃO, RESPEITO E TODOS OS ATRIBUTOS QUE PRECISAMOS TER PRA VIVER NUMA SOCIEDADE QUE QUER SER VISTA COMO CIVILIZADA. É, DARIA PRA FALAR HORAS! VALE UMA SIMPÓSIO APÓS O CARNAVAL. ALIÁS, ALGUÉM OUVIU FALAR DE CARNAVAL NA CIDADE? ERA TÃO BOM!!!!!!!!ACHO QUE HOJE O PLANETA ATLÂNTIDA E AS BALADAS DE JURERÊ INTERNACIONAL SÃO MUITO MAIS CARNE-AVAL, QUERO DIZER: CARNAVAL! OBRIGADO PELA OPORTUNIDADE E DESCULPEM-ME UMA CERTA INTRANSIGÊNCIA.

  • Fiorella diz: 11 de janeiro de 2012

    De qualquer lugar que venha o turista, que o mesmo trate com respeito nossa formosa ilha.

  • Henrique diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com 50%.

    Não gostei da parte onde julgam paulistas e gaúchos, além de julgar a música do Michel Teló.

  • Renata Carnovale diz: 11 de janeiro de 2012

    Pois eh, infelizmente a grande maioria das pessoas que vem pro sul nessa epoca do ano sao assim…eu estou no Rosa e estou tambem muito feliz de todo esse povo ter ido embora. Eu quase briguei no transito e na praia umas 10 x nessa epoca, muita gente babaca e na grande maioria sao paulista mesmo e os piores sao os de interior, deus me livre!
    Eu sou do Parana e infelizmente tem paranaense babacas tambem, e aos monte.
    Entao a falta eh mesmo de educacao, polica, politica, a sociedade local agir.
    E outra pra esses empresarios que ganham nessa epoca nao sei se vale tanto a pena pq seu patrimonio eh depredado e no fim pra pagar o preju sai na mesma, entao tem que pensar e fazer as contas.

  • Paulista diz: 11 de janeiro de 2012

    Olá, sou paulista e nao gostei do que voce disse, acho que voce deveria pensar 2 vezes antes de falar, pois eu respeito todos, nao pulo fila, vou de taxi para as festa, para evitar o pior depois… agr se um ou outro paulista fazem coisas erradas, o resto nao deveria levar a culpa!
    Att.

  • Marelice Caron Mazzaroppi diz: 11 de janeiro de 2012

    Depois de tantos comentários, acho que o meu não acrescenta muito, mas concordo: Este turismo é totalmente decadente. As pessoas quando tiram férias parecem perder a razão. Fico com a minha piscina. E lamento…assim caminha a humanidade…até um dia a ficha cair….espero que não seja tarde. Existem coisas que dinheiro nenhum no mundo compra. Dignidade é uma delas.
    Abç

  • Paulo César Filho diz: 11 de janeiro de 2012

    É isso ai Joao e Thiago.., fully agree. Vão panfletar na casa do c****** essas nights pega trocha, o 10% do garçom virou 150% se for em bosterê infernacional… e se der bobeira a turistada BADERNEIRA ( excluo aí os turistas educados e que vem só para aproveitar ) vai tomar um xixicola na nuca..

  • Paulo diz: 11 de janeiro de 2012

    Floripa e Balneário estão no mesmo nível com essas mer…
    Eu, que sou de família nativa de Balneário, já estou procurando outro lugar para morar… vou ter que sair da minha terra por não conseguir mais lidar com essas situações…

  • Matheus diz: 11 de janeiro de 2012

    Exatamente isso, quem tem e sabe como conquistou não tem necessidade de ficar expondo aos outros, normalmente esses caras são aqueles que pegaram do Pai, ou que uma vez na vida ganharam dinheiro e qrem mostrar pra Deus e o mundo. Extremamente, ridiculo!!
    Uma ilha dessas, do jeito que é, com as mulheres que tem, podia ser melhor aproveitada… Igual aquelas 3 meninas no centro da lagoa dançando de calcinha fio dental? Tudo bem, nao que nao seje bonito, mas é uma p!@# falta de respeito com pessoas que não são obrigadas a ver isso, como mulheres e idosos… mas por ai vai!! paciencia

  • Eliéser diz: 11 de janeiro de 2012

    Muito oportuno trazer esse assunto para o programa.

    A pergunta é: A função de controlar essa bagunça é de quem…??? da população ou do Poder Publico quem é responssável pelo controle ou descontrole social.

    É bom lembrar que estamos vivendo em um tempo em que o que preldomina o ”nào da nada” pois o Estado deixou de atuar ja faz tempo. Cometer CRIME no nosso pais “nào da nada”, basta pagar e você fica na boa….

    Nào se trata de identificar a origem dessas pessoas, até por que muitos fazem questão de se identificarem pelo sotaque ou pela giria, mas de atitude….

  • Vudalack diz: 11 de janeiro de 2012

    Consequencias do APOCALIPSI nativos da ilha falam de mas, gabam aqui como melhor lugar do pais, ae sofrem as consequencias…

  • Lucas diz: 11 de janeiro de 2012

    Paulista é que nem gafanhoto. Escolhe um lugar, destroi e depois muda pra outro. Foi assim como o RJ, com a BA e agora com SC

  • CLAUDIA CERRI “”POP” diz: 11 de janeiro de 2012

    Proibir consumir bebida alcoólica na areia!!!!!….. uma forma de começar a mudar…. concorda?????

  • Paula diz: 11 de janeiro de 2012

    Realmente está terrível a invasão em todo nosso litoral, transito, marginais, mal educados… tudo que é de ruím vem pra cá.
    Policiamento nas ruas, nos bairros já!!

  • Bernardo diz: 11 de janeiro de 2012

    A situação esta ficando realmente fora do controle e não é só em Jurerê! no fundo os reais moradores são prejudicados diariamente pela falta de respeito e pela forma de turismo “predatório” sem suporte executada pelos órgãos “competentes”… Os reais manezinhos ficaram gratos se esses intrusos respeitassem a nossa ilha, inclusive vocês empresários sem escrúpulos que só visam lucros!!!!

  • Luciano Souza diz: 11 de janeiro de 2012

    O Luiz rachadel falou tudo… Ir falar de jurerê na RBS!!! Chama a camille reis pra ver o que ela acha?

  • Evandro diz: 11 de janeiro de 2012

    “estamos numa ilha, devia-se fazer um pente fino, geral… e limpar essa cidade em todos os aspectos!”

    Eita povinho em, não é postando comentários aqui que vocês vão mudar a cidade, façam a diferença em suas atitudes, e aconselhem aos outros. Ninguém vai ser mudado a partir da brutalidade.

  • Alda diz: 11 de janeiro de 2012

    Mas isso tudo é pq fazem mta propaganda na mídia… Florianópolis é cidade tranquila… Jurerê Internacional é um balneario de ricos… que servem proseco na praia… lugar bom para se morar… PAREM DE FAZER ESTA PROPAGANDA TODA, ISSO SÓ TIRA O NOSSO SOSSEGO.

  • Léo diz: 11 de janeiro de 2012

    Eu nasci e morei sempre em Floripa. Desde que começou o verão, me incomodei só uma vez, num bar na lagoa com uma guria que achou que podia fazer todo mundo de palhaço.
    Era de Floripa.
    Em matéria de falta de educação, o manezinho é rei. Não ponha a culpa no turista.
    Abraço!

  • Giovanna Meyer diz: 11 de janeiro de 2012

    Nunca o tal do glamour foi tão cafona!!

  • Carolinne diz: 11 de janeiro de 2012

    Bom, esse é o problema de ter tanta exposição na mídia. Neymar, Ronaldinho Gaúcho, Michel Teló (pois é, até ele resolveufazer showzinho por aqui).
    Infelizmente, não só Jurerê mas como as outras praias e outras cidades (Balneário Camboriú, por exemplo) estão sofrendo com esse tipo de problema, principalmente os moradores. Graças aos paulistas que ganham muito mais, o preço das coisas sobem absurdamente nesta época. O jeito é se ausentar da terrinha na temporada e só voltar depois de fevereiro, mas querer não é poder. O jeito é ficar isolada em casa!

  • Vanessa diz: 11 de janeiro de 2012

    Faço do post da Rafaela Rocha o meu. É sempre mais fácil olhar pra fora e botar a culpa em alguém né…e nossa sujeira vamos botando embaixo do tapete.

    “Sou de Floripa, moro aqui desde sempre e amo esse lugar.
    Nunca vi as pessoas se revoltarem tanto assim contra os turistas que visitam a Ilha. Reclamam do transito, das praias lotadas, da falta de educação, etc, etc, etc.
    Ok, cada um com sua opinião. O problema é que isso já tá passando do limite! Tem até perfil no Facebook dizendo que, se algum turista \”sair da linha\” em Floripa, o pessoal vai se juntar pra pegar o cara… Nesta mesma página, dizem que em Floripa se vive o espírito de preservação e cuidado com a natureza, bla bla bla e que \”ai\” do turista que não respeitar…
    Depois de ver essas demonstrações de maior papo furado e hipocrisia dos meus queridos conterrâneos, cheguei a conclusão de que andou faltando assunto nas redes sociais e então resolveram criar essa \”polêmica\”, pra movimentar a vida (?)

    Será que vocês nunca perceberam que o trânsito em Floripa SEMPRE foi um caos, um inferno? Chega a ser muito pior fora do período de férias… E essa história de \”espírito de preservação e cuidado com a natureza\”? Fala sério! Floripa deveria SIM, ser exemplo nesse aspecto, mas não é essa a realidade que vivemos aqui (infelizmente). Porque eles vão respeitar a natureza daqui, se nem os próprios nativos o fazem?

    Florianópolis é uma capital turística que tem uma estrutura ridícula e isto é fato!
    Só que a culpa disso não é dos turistas, e sim, dos próprios moradores! Ou será que foram os turistas que elegeram nosso prefeito e nossos vereadores? Esses sim, DEVERIAM proporcionar uma estrutura confortável para os moradores daqui e até pra quem vem de fora visitar…
    Comentaram aqui, que os bares, hoteis, restaurantes e casas noturnas não dão o retorno esperado aos cofres públicos… Ok, isso também NÃO é culpa dos turistas!! Será que preciso ajudar vocês a lembrarem o que será que está acontecendo com o dinheiro que nós pagamos em impostos?
    E não adianta negar: O turismo movimenta nossa economia, sim!

    O que Florianópolis enfrenta hoje é um problema puramente político. Tem gente que tá entrando nessa ondinha de \”A Ilha é nossa\”, pra se sentir ultra revolucionário e depois joga latinha de cerveja pra fora do carro… Chega a ser ridículo!

    Nossa cidade tem problemas como qualquer cidade do Brasil, então parem de pensar isoladamente e saiam do mundinho de Jurerê Internacional. Se quiserem ver soluções para estes problemas, mudem suas atitudes como verdadeiros amantes de Floripa (principalmente em relação a política!) e o resto todo vai melhorando…” (Rafela Rocha…alguns post acima)

  • Jeferson diz: 11 de janeiro de 2012

    Grande desabafo do nosso amigo. É fato! Não estamos preparados para esse “boom” do turismo em nossa cidade. Não temos infraestrutura física para isso. Muito menos estrutura psicológica para suportar tudo isso… O babaca que a cada taça de champagne fica mais rico, que perde o filtro. Faz e fala o que bem entende. Ou melhor, nem sabe o que fala nem faz. E este mesmo idiota depois pena para pagar os cartões de crédito (porque uso até dois para pagar uma única conta, falo porque sou trbalho na noite), e paga a fatura do cartão parcelado com certeza. Mas mesmo assim é o “cara”. O Minha tia aluga sua casa em Jurerê. Aluga para uma família de oito pessoas. No dia que a família entra na casa, chegam as oito pessoas. Quando o dono da casa vira as costas…chegam mais vinte pessoas. Daí é fácil né mô quirido!

  • Renata diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou catarinense com MUITO orgulho e moro em São Paulo a 10 anos, aliás em um bairro de classe realmente alta. Desde criança freqüento Floripa mas nunca JI. Meus parentes se mudaram pra lá e por isso comecei a freqüentá-la. Minha primeira vez foi fora de temporada e foi amor a primeira vista. Que lugar bacana! Que vontade de me mudar pra Floripa! Que inveja de meus parentes! Na segunda vez foi na alta temporada. Meus Deus!!!! Que caos e que pena dos moradores permanentes. Nunca, nos meus 10 anos de São Paulo vi paulistas com tanta falta de educação e respeito. Realmente parece terra de ninguém, ou melhor, de arruaceiros. Mas vamos ser justos, de maneira alguma eram só paulistas.

    De quem é a culpa? Da secretaria do turismo que permite essa divulgação, da policia que não fiscaliza, mas principalmente do florianopolitano que não faz absolutamente nada para mudar a situação.

    É fácil falar para os insatisfeitos mudarem pra outro bairro, mas é justo? Tirar as pessoas de bem para beneficiar os baderneiros? Incluo nessa categoria os donos das “baladas” e afins já que permitem esse caos.

  • cris diz: 11 de janeiro de 2012

    quem sabe uma fiscalização da vigilância sanitária, que só assim fecharam durante uns dias caré de lá music, pelo horror dos banheiros e a sujeira que se encontravam todos e tudo,QUE PAGAM ABUSURDOS E COMEM RATOS E BARATAS

  • Carlos Alberto W. diz: 11 de janeiro de 2012

    A RBS tv tem sua parcela de culpa, pois neste verão apenas Jurerê está em destaque em suas matérias contribuindo para essa putaria onde quem ganha são apenas os donos de bares que devem trabalhar ou tem parceria muto forte com a emissora chamando o mundo todo para uma praia de família……e além do mais quem trabalha na área do turismo recebe um dos menores pisos salariais do mercado….saudade da época em que so tinha o clube 12 em jurerê e o Bonde do Tomé para levar h-lera pra praia….quem viveu os anos 80 no pico sabe o que estou falando….

  • Dani diz: 11 de janeiro de 2012

    A “Ilha da Magia” tá virando “Ilha da Putaria” !!!!!!!!!

  • Micheli diz: 11 de janeiro de 2012

    Dei uma olhada no post e penso q o assunto é polêmico. Primeiro temos q ter consciência q todos nós temos uma parcela de culpa pelo q está acontecendo. Alguns pela omissão, outros pela exploração e outros pela assimilação. Explico. Omissão por aceitar passivamente o q pessoas mal educadas fazem em nossa presença. Exploração pq mtos pensam q o mais importante é o qnt lucram durante o período de temporada, desde o mais simples ambulante até o dono das mansões de Jurerê Internacional. Finalmente, assimilação, pq mtos dos manezinhos devem estar achando o máximo o comportamento desses “mal educados” e passam a agir da mesma forma, inclusive, fora da temporada, pq a nossa Cidade virou um palco de “fazeção”, de pessoas sem valores, sem educação, sem personalidade. Eu amo minha Florianópolis, mas não gosto do rumo q a cidade está tomando.

  • sivonei aguiar diz: 11 de janeiro de 2012

    isso ja saio no jornal do almoço???? acho q vc tbm nao é de floripa… e outra coisa culpa esses politicos q so querem ganhar dinheiro e ficam fazendo propaganda de floripa la fora!!!!! pq a rbs nao faz uma campanha p falar sobre esses cidadaos q vem de outros estados acabar com floripa… falar é facil dificil e ir la e ter coragem p falar na rbs…

  • Marco diz: 11 de janeiro de 2012

    Cacau Menezes e RBS tem culpa também, gosta de fazer uma propaganda e pagar pau pra celebridade e milionário.

  • Bibiana diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente, moro no norte da ilha e fico horrorizada, pois as pessoas tiram férias das leis, comportamento e principalmente da civilidade. Durante o período de férias vale tudo não precisa respeitar nada…Muito indignada!!!!

  • Marcos Ebersol diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com 99,9%…Mas não podemos negar que muita gente nossa (cada vez mais) vem se comportando da mesma forma. Não sei se é o exemplo do pessoal de fora, mas que tem, isso tem! Tivemos o exemplo daquele cidadão de classe média alta, que ia no sentido Jurerê e, bêbado, matou várias pessoas na SC e invadiu o Kart da antiga Lupus. Ta livre, leve e solto, e é manézinho, como nós. Agora também não podemos esquecer que MUITA gente que é habitante fixa de Jurerê Internacional (que termo mais cafona) é paulista, carioca, brasiliense e por aí vai… Não sejamos ilhas, deixemos isso pra Floripa. Espero que todos tenhamos mais consciência e consideração, seja dos turistas para conosco, seja da gente para eles!

  • Morador diz: 11 de janeiro de 2012

    Quer saber….somente em Jurerê Internacional em janeiro.

    03 assaltos,
    01 latrocinio,
    02 carros furtados,
    07 carros arrombados,

    a fonte é segura

  • Bruno diz: 11 de janeiro de 2012

    Pessoal como um paulista vivendo em Florianópolis venho ouvindo nos veículos de comunicação (rádio, jornal e TV) falando sobre a degradação e destruição da cidade colocando como responsáveis e como pessoas totalmente toscos e sem noção os “paulistas”, quero colocar aqui a minha indignação, por que duvido que qualquer um destes que estão falando mal, fui até aquele cidadão que rasgava dinheiro, ou as “piriguetes” que falavam tão mal e perguntaram de que cidade vinham, outra coisa quero que perguntem para os donos das boates por aqui se estão infelizes com o publico que consome, de qualquer forma não concordo com a “banalização” do sexo que vem sendo explorado a anos na televisão, mas dizer que são os “paulistas” responsáveis pela baderna ai é generalizar demais e sem o menos “direcionamento” sabe os gaúchos, mineiros, paranaenses e até as pessoas da própria Santa Catarina, peço aos veículos um pouco mais de atenção e responsabilidade no conteúdo informado, somente pelo fato de ser paulistas e que alguns idiotas vem aqui e destroem a cidade.
    Tenho uma real amor por Floripa, quando como já vi vários moradores locais, jogando lixo na rua, gastando absurdo de dinheiros nas baladas, arrumando confusão de monte.

  • Josiani diz: 11 de janeiro de 2012

    Aplausos para esse morador. Fica na cara a falta de respeito de turistas com os moradores da capital, vale lembrar que a maioria que fazem isso agem como se mandassem na cidade. E o pior é que mandam, pois não vejo nada a impeça eles de continuarem fazendo isso. Uma pena pois Floripa é linda e infelizmente, essas atitudes só estragam a ilha da magia.

  • Marcos diz: 11 de janeiro de 2012

    Depois dizem que somos xenofóbicos e que não toleramos a entrada de haoles em nossa ilha… Não somos nós que faltamos com o respeito ao turista e sim o contrário! Tem gente que vem pra cá achando que não existe lei do lado de cá da ponte. O pior é que meia dúzia desses abobados ainda conseguem vir morar aqui, tornando o inferno da temporada um transtorno permanente.
    Não temos nada contra o turista nem contra quem decide morar aqui, desde que comporte-se em nossa casa da mesma forma que se comporta na sua e, respeite nossa gente e nossas tradições e, principalmente, não tente transformar Florianópolis na filial da sua cidade.

  • Wilson Neves Filho diz: 11 de janeiro de 2012

    Pois é! Sou paulista e fazem 10 anos que moro em SC, dos quais 6 foram na Brava de Floripa e sempre frequentei Jurere!
    O problema deste turismo predatório só acontece por que SC permite! A medida é simples e chama-se educação e punição!
    Permitimos idiotices de Brasileiros e Argentinos. cada um de uma forma acabam estragando estas Belissimas praias e bairros que temos.
    Os brasileiros abusando do direito de fazer bagunça, derespeitar os moradores e paz local e os argentinos abusando no direito de sujar, fazer trapalhadas no transito, roubar, baixar o padrão de qualidade em preços e atendimento do litoral.
    A solução é educar… na frinteira todo carro estrangeiro que entrar ser abordado e a eles entregar um manual de bons costumes e procedimento (nas praias, no transito e nos estabelecimentos comercias). E contra partida, todo carro que for multado ser retido da fronteira até o pagamento da multa. Nas praias deveria ter além de salva-vidas… supervisores que monitorariam os comportamentos abusivos (de todos os turistas) com isso inibiria os abusos!
    Concordo mesmo que esta extrapolado, mas cabe a nós impormos as regras de onde moramos! Afinal quando recebemos visitas em casa… tratamos bem, mas a casa é nossa, a regra é nossa!

  • no final, fica tudo na mesma diz: 11 de janeiro de 2012

    Eu concordo com o manifesto, e não é somente Floripa que fica em caos, praticamente todas as praias e cidades ditas “badaladas”. Sim, grande parte de turistas não tem o minímo de respeito pela cidade que visita, pessoas que estão ao seu redor, é menina novinha que finge estar bebada, usa vestido que nem vestido é, para passar no meio da galera na “night”, esbarra em todo mundo, que te olha diferente porque tu se veste como quer, , gurizão que anda com o carro do pai e só faz merda na rua, enche a cara e não se importa com ninguém, fica agarrando as meninas na festa (algumas gostam) mas garanto que a maioria só acha escroto e nojento, acha que dinheiro compra tudo, deixa a educação em casa,faz ultrapassagem forçada o que não deve nem pensar na sua própria vida. E essa “coisa” de blitz em final de festa, por favor, é só para polícia ter um status né? Fui no show do Snoop Dogg na Stage e quando saímos, a blitz estava lá montada e vários policiais, se pararam algum carro que saia da festa? Não, NENHUM.

  • FABIANE SIMSEN diz: 11 de janeiro de 2012

    E A MALACADA , (malacada de playboizinho)TA COMENDO SOLTA, roubaram meu DVD pra ir para o P12 pagar bebida para as piriguete … No domingo fui á praia, deixei meu carro na rua, mas a rua SUPER movimentada e cheia de carros… Roubaram meu aparelho de DVD , um óculos CK e um par de sapatos, éé um par de sapatos usadoooo… Um absurdo… Isso não é uma região de auto padrão?????!!!! Isso é uma praia comum que no verão os babacas vem querendo ser o que não são…

  • GAROPABA diz: 11 de janeiro de 2012

    BAIIIITA DESABAFO!!!

    FALOU TUDO E MAIS UM POUCO!!! EM GAROPABA ISSO NÃO É DIFERENTE (A NÃO SER É CLARO OS CARRÕES DESFILANDO PELAS RUAS RSSS).

    ESSE TURISMO IDIOTA É O QUE MAIS SE VÊ EM SC!

    ABRAÇO!

  • Roberta, Blumenau diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com o colega que postou o desabafo.
    Eu fui moradora de Floripa de 1993 – 2002. Nos mudamos de Tubarão pra Ilha porque meu pai foi chamado para um concurso. Meus pais ainda moram lá. E a cada ano quando vou visitá-los constato que tenho um certo medo de andar por aí. Não é mais aquela cidade onde eu fiz todos os meus melhores amigos. Onde eu aprendi a ser gente, onde tinha uma vida cultural alternativa linda. Bons tempos eram aqueles em que podíamos andar em três meninas a pé, depois das 3 da manhã na Avenida das Rendeiras pra pegar o madrugadão depois das festas. Isso acabou. Sem falar no custo de vida que aumentou absurdamente. E tudo isso se deve ao excesso de propaganda de “gente bonita em Floripa”, de “qualidade de vida”, de “lugares bucólicos como o Ribeirão ou Santo Antônio de Lisboa”. Propaganda irresponsável chamando pessoas para aproveitar o que não se tem. Não tem mobilidade, não tem mais segurança, e o turismo… É explorativo. Quem é da Ilha sabe que se chegar pra comer uma dúzia de ostras na maioria dos restaurantes o preço é reajustado na temporada de verão. POr que? Os preços dos insumos sobem só nessa época? Não! é que não se pode perder a oportunidade de explorar o turista desavisado. Isso já me aconteceu muitas vezes quando morava aí, assim como os tamanhos das porções diminuíam entre outras pilantrices mais. Pra resumir, a cidade não se prepara como deve para recebr o turista e muito menos para garantir a tranquilidade do contribuinte de um ano todo: O MORADOR. Saí daí em 2002 porque assim como o meu pai, passei num concurso e fui para o interior. E sinceramente? Não pretendo voltar. Aí não tem mais espaço pra gente como eu, que ganha um salário mediano. Mas em outras cidades nas quais já morei, é possível viver dignamente, com o mínimo de conforto e até adquirir um imóvel. Floripa pouco a pouco vai se tornar a terra dos ricos e miseráveis, porque a classe média quase não aguenta mais sustentar tantos custos, tanto transtorno, tanta disparidade, descaso… É isso.

  • FABIANE SIMSEN diz: 11 de janeiro de 2012

    Meu pai me disse e vou repetir aqui: Jurere Internacional no Verão – ” PESSOAS QUE TRABALHAM HONESTAMENTE , NÃO PAGAM R$ 10.000,00 por diáriaaa em ALUGUEL DE CASA… PESSOAS QUE PAGAM ISSO É gente que rouba dinheiro do GOVERNO!!!!!!!!!!! Dinheiro nosso!!!!!!” Muito fácil pagar 10 mil por dia sendo que o babaca não precisou trabalhar nenhum dia pra isso

  • luis álvares diz: 11 de janeiro de 2012

    o problema é que essa turma tem platéia…

  • Digão SC diz: 11 de janeiro de 2012

    Haole bom, só aquele que chega na humildade, respeitando quem é daqui.
    Pra haole marrento, só um recado: TAPA NA CARA DE VAGABUNDO!

  • Susana diz: 11 de janeiro de 2012

    Retifico minha colocação: nada contra loiras, poderiam ser morenas, morenos, não importa. O que importa é publicar isso tudo que estamos aqui criticando, essa é a questão.

  • Tita diz: 11 de janeiro de 2012

    HAHAHA FALANDO DA MINHA CIDADE “ERECHIM” FOI OTIMO HAUAUHUA

  • Jeferson diz: 11 de janeiro de 2012

    Grande desabafo do nosso amigo. É fato! Não estamos preparados para esse “boom” do turismo em nossa cidade. Não temos infraestrutura física para isso. Muito menos estrutura psicológica para suportar tudo isso… Suportar por exemplo o babaca que a cada taça de champagne fica mais rico, que perde o filtro. Faz e fala o que bem entende. Ou melhor, não sabe o que fala, nem o que faz. E este mesmo idiota depois pena para pagar os cartões de crédito (porque uso até dois para pagar uma única conta, falo porque sou gerente de restaurante), e paga a fatura do cartão parcelado com certeza. Mas mesmo assim é o “cara”. O que acontece muito em Jurerê: tenho um amigo que aluga sua casa em Jurerê. Aluga para uma família de oito pessoas. No dia que a família entra na casa, chegam as oito pessoas! Quando o dono da casa vira as costas…chegam mais vinte pessoas. Daí é fácil né mô quirido! Dizer que alugou casa em Jurerê. Falta muita educação a essas pessoas. Mas não são só turistas não. Tem muito manezinho que adora fazer média. Anda de ônibus a semana toda para se fazer de ricão nestes point’s no domingo. Gasta o salário numa garrafa e fica com a mesma garrafa o dia todo. Porque não tem dinheiro para comprar outra. Eu já tive a alegria de estar presente numa palestra ministrada pelo grande Salomão Riba Junior. E agora lendo este artigo que seu filho escreveu. Tenho certeza que educação vem de berço! Valeu Cacau pelo espaço. Temos que cuidar de nossa terrinha. Turismo sim, mas turista educado.

  • douglas diz: 11 de janeiro de 2012

    é…

  • Kinho Reis diz: 11 de janeiro de 2012

    “Sei calcular os movimentos dos corpos celestes, mas não a insensatez das pessoas”
    Issac Newton

  • Big diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou paulistano, aluguei uma casa com amigos para o reveillon e fui nas badaladas da cidade… Porém consigo entender exatamente o sentimento da visita q a cidade gostaria de receber, e a distancia da q de fato recebe…sinto me envergonhado, pois não há como separar os INDIOS dos bons turistas… E a fama é generalizada com os de fora….é triste…Mas no fim do Ano to ai denovo… Esse lugar é maravilhoso, e é por isso q todos deveriam cuidar bem!!

  • Alexandra diz: 11 de janeiro de 2012

    Se a metade da população de Santa Catarina, tivesse a educação, respeito e cultura que tem o povo gaúcho, não sairia com certeza escrevendo essas besteiras. Santa Catarina necsssita de turista, tenha isso em mente.

  • Cristiane Marin diz: 11 de janeiro de 2012

    Parabéns pelo comentário e ao Cacau pela publicação. Até que enfim, falou-se com propriedade, sobre as barbaridades que vem acontecendo em Florianópolis, mais especificamente, em Jurerê, antes balneário familiar, de gente de bem, que apenas queria sossego para viver com qualidade, agora transformado, absurdamente, em antro de pessoas arruaceiras, desrespeitosas, endinheiradas ou não (sem educação, que diferença faz?), que só querem tirar proveito da condição de turista para agredir e infringir as regras gerais da boa convivência em sociedade e da própria cidade que os acolhe. Drogas, bebidas, festas, descontrole emocional, não importa o mote da combinação, o que tem que se deixar claro é que, nós, manezinhos e/ou moradores da Ilha, não temos que partilhar espaço com esta situação e com este naipe de pessoas que, no verão, habitam nossas praias e nossa preocupação. A insegurança é geral e o estado de calamidade é notório. Só as autoridades públicas e a imprensa, que veementemente propangandeia a vinda dos “ricos” para cá, como se Ibiza mesmo fôssemos (me poupe!) é que não enxergam o perigoso rumo que nossa cidade está tomando. Como nativa da Ilha, cidadã arrecadadora de impostos, mãe de família e pessoa do bem que sou, tenho medo, vergonha e nojo por tudo o que tem acontecido aqui!!!!

  • Alexandre diz: 11 de janeiro de 2012

    Parabéns ao Ribas por levantar a questão. Também sou morador de Jurerê e faz 4 anos que parei de alugar minha casa para turistas pelos motivos citados. As imobiliárias também tem parcela de culpa nestas locações, pois não fiscalizam se o imóvel está sendo ocupado pelo real “inquilino” e na quantidade de hóspedes declarada. Parabéns aos comentários que citaram a responsabilidade – Não assumida – pela Habitasul, a FALTA DE PRESENÇA E AÇÃO da PM e GMF. Bem a GMF até agora eu só vi multando carro que não paga Zona Azul, fora disto não vejo efetividade alguma (as vezes vejo arrogância de seus policiais – correndo com as Meriva e Motos, se motivo aparente). Sugiro Cacau, que você como funcionário da RBS, ajude-ns a divulgar corretamente o turismo em SC, de forma independente e descomprometida, porque antes do Natal e logo após a inauguração do novo prédio da RBS, diariamente havia matérias diretamente de Jurerê “promovendo a baderna” e o status que ela poderia proporcionar aos “idiotas que dela participassem”.

  • andrtei eduardo diz: 11 de janeiro de 2012

    O que o amigo passa em Jurere também passo por todas as noites aqui em Canasvieiras normanente sou acordado com alguma pessoas sendo espancada ou assaltada por um grupo de pessoas que sempre são os mesmos como aconteceu na madrugada de sábado para domingo dia 08/01 ou por loucos que passam na rua com som a milhão bedados ao volante normanete com alguém pendurado na janela pelo lado de fora ou por malas berrando alucinados ou drogados sei lá, só sei que é horrível pois não sabemos para quem recorrer a policia alem de não existir não não atende o telefone e a justivicativa é sempre a mesma é porque é verão e no inverno porque é inverno. Mais o que me deixa triste é saber que o amigo ai de Jurere também passa pelos mesmo problema que eu passo aqui em canasvieiras. Socorro.

  • Thais Soares diz: 11 de janeiro de 2012

    Adorei!
    Não acontece apenas em Jurrê, infelizmente. Essa falta de respeito está se alastrando. Aqui no sul de SC, na cidade de Araranguá, a praia também está cheia de idiotas com seus carros na beira-mar, porta-malas aberto e som no último volume.
    Eu não pedi para ouvir a música que ele está ouvindo. Não gostaria que nossas crianças fossem obrigadas a ouvir o pornô-sonoro dos funks cariocas. Nem gostamos de conviver com a quantidade de lixo que esses mal-educados deixam na nossa praia: são latinhas de cerveja, garrafas de cerveja, garrafas de vodka, garrafas de energéticos e camisinhas usadas. Blitz? Nenhuma. Nosso querido Morro dos Conventos também está ameçadado.

  • Marquinho diz: 11 de janeiro de 2012

    Poh que carta boa de se ler… Também moro aqui em Jurerê, no Nacional, mas to de “cara” com essas coisas. Esta semama a zeladora do meu prédio passou dias na praia depois do expediente, catando latinha pela praia inteira embaixo de sol pra arrecadar R$ 180,00 e comprar o materia escolar da filha dela, e esses idiotas abrem champagne e dão pras mulheres na volta estourar e não sobra uma gota, gastam 25 mil reais nisso, que absurdo! Falasse tudo, quem trabalha suado e ralando não faz isso nunca!

    No Show do David Guetta fui inventar de ir, a fila tava aqui no posto BR de Jurerê Nacional, ai fiquei com muita raiva, os taxistas passando pelo acostamento enquanto as pessoas que por ali transitavam tinham que ir pro mato pra eles passarem, e o pior, os carros de turistas, os carrões, passando na contra-mão, e quando vinha algum carro do outro lado iam pro acostamento da contra-mão, que vergonha… E o pior: tinha polícia perto, passavam na contra-mão em frente aos carros deles.

    É isso aí, a gente que é manezinho tem que lutar para que o turismo aqui seja uma coisa boa, e não essa palhaçada que ta virando.

    abração, parabéns pelo texto

  • Ricardo diz: 11 de janeiro de 2012

    Não dá pra falar melhor.
    Mas estamos falando da cidade que gosta de pregar: “moro onde vocês passam férias”
    Moro em Floripa desde 1994, e são cidades completamente diferentes,ontem e hoje. Não há mais respeito com nada.
    No dia 30 de dezembro fui a Jurerê tomar um banho de mar, e na chegada na praia, em frente ao Taiko, vi o verdadeiro BLOQUEIO que o estabelecimento fez na praia, com uma grande tenda montada. Quantos impostos ou taxas eles recolheram para isso? Se acham donos da praia, colocando sua parafernália na areia.
    Combinando com seus freqüentadores, que se acham melhores que outros pois estão ali se exibindo. E as mulheres, literalmente à venda no local, atrás de um riquinho que lhe pague um CHAMPÃ, achando que o que interessa é o golpe do baú que vai dar.
    Me entristece ver que vendemos cada vez mais esse PRODUTO ao Brasil.
    Uma pena.

  • Matheus diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou natural de Erechim e o povo de lá, que se presta a vir pra Floripa e veranear em Jurerê Internacional, adora mesmo comer um ovo e arrotar caviar. E postar as fotos no Facebook como se estivessem em Saint Tropez. Claro, nem todos são assim, mas o exemplo utilizado pelo autor do texto é válido.

  • Edval Nunes diz: 11 de janeiro de 2012

    O problema Senhores e Senhoras, está na boa ação de Políticos. ação efetiva de policiais. Temos muito Papo e Pouca ação….muitos projetos no papel e pouca realização…..Muitos Out Doors pela cidade….de carinhas de políticos..ou futuros…Moro em São José ha 11 anos…Morei em Curitiba 17 anos. Quando cheguei aqui me deparei com o verdadeiro jeitinho Brasileiro…tudo se dá um jeito…Não temos boa sinalização…para uma cidade turística, deveria ser melhor. Policiamento instruindo o trânsito…entre outros…Enfim…o Secretário vem dizer no Programa do Cacau que Florianópolis é a melhor cidade do País…em questões de Natureza até concordo….mas e o essencial? Nem vamos falar em mobilidade … .Vamos se mexer gente !!!!!!!!!! Trabalhar é bom e não faz mal a ninguém…Depois ficam falando de turistas…se as regras fossem aplicadas, nada disso acontecia.

  • Eduardo diz: 11 de janeiro de 2012

    Não interessa se o individuo gasta 1 ou 1.000.000 de reais, a ele é incubido o dever de cumprir a lei e ao Estado fiscaliza-lo. Que jogue a primeira pedra…

  • Felipe diz: 11 de janeiro de 2012

    Cara, em todas as praias isso acontece. Vai pro Rio de Janeiro ver como fica a cidade. Sou morador de SC e já passei por Jurerê durante o verão, e realmente fica uma desordem. Mas onde anda a polícia nessas horas? Não somos nós que pagamos impostos ALTÍSSSIMOS para segurança, infraestrutura e afins? Nessas horas conseguimos ver onde esta o retorno do nosso dinheiro investido? E quem é o culpado nisso? O governo!! Que não promove a segurança do lugar, simplesmente isso.. Duvido que se fizessem as blits no final da balada iria ter essa desordem toda. Duvido que se houvesse pelo menos meia dúzia de viatura circulando nas ruas de Jurerê Internacional e arredores, existiria toda essa baderna. O que falta é a segurança pública fazer seu papel, educação para o povo e cadeia para os políticos..

  • HTSR diz: 11 de janeiro de 2012

    Depois de tudo que aqui foi dito o que mais há para escrever? Só compartilho de minha indignação junto a dos demais e faço de quase todas as palavras, aqui postadas, a minha própria fala. Mesmo sendo carioca de nascimento, vivo aqui há mais de 30 anos e é de cair em prantos ver a deterioração galopante pela qual passa a Ilha. Me pergunto diariamente, onde estar o poder público, para coibir tantos abusos e falta de respeito.

  • Cassiano diz: 11 de janeiro de 2012

    Perfeito, concordo com quase tudo como todos.

    Só queria ressaltar uma coisa que existe nessa ilha, é com relação desse papo de “sou nativo”. A para !!! tem um monte de nativo mal educado como em qualquer lugar tem, sim, não sou nativo, mas amo esse lugar. Sou fanático por esportes, pedalo, surfo, velejo,… preservo sempre, vivo juntando lixo dos outros na praia. Escolhi essa cidade para morar mesmo podendo ganhar mais em outros lugares justamente pelo o que ela oferece para meus esportes.

    Tenho 26 anos, sou novo, já estudei aqui na UFSC e continuo aqui com planos de continuar para sempre. Assim como sou viciado em esportes gosto muito da vida noturna. Tem muita festa boa na ilha, óbvio que está cheio mesmo de pessoas que só dão valor para as pulserinhas, mas isso é o ano todo. Grande maioria das manezinhas que conheço aqui tem essa mentalidade das pulseiras, e justamente as pessoas que vieram de fora para morar aqui por paixão pelo lugar tem a cabeça que pensa o oposto. Essa cidade é comandada por uma corrupção ridicula que faz tudo crescer sem ordem e cria a chance pra ilha explodir de gente. Então não fiquem culpando só as pessoas mal educadas.

    Sobre o show do guetta, foi rídiculo o que fizeram, falta de estrutura total, socaram gente até não poder mais. Fui 3x no show dele aqui, a primeira em BC, a segunda no stage no carnaval e essa ultima agora. A última com certeza foi a pior DISPARADA, foi umas quantas vezes pior que a edição do carnaval do ano passado. E ninguém comenta nada com a falta de respeito que foi a organização. Saí de casa 22h pra não pegar fila de carros, já foram 2h de engarrafamento, 40 reais pra por o carro no meio do mato, depois mais uma fila de pessoas de 1:30, depois mais filas pro banheiro e consumir dentro da stage. TOTAL FALTA DE ESTRUTURA

  • Aline diz: 11 de janeiro de 2012

    Eu também concordo com tudo o que vc disse Ribas, à exceção de uma questão: não existem ricos “fajutos” em Jurerê Internacional. Quem apronta e faz merda por lá são os riquinhos, filhinhos de papai, que não têm limites. Pobre não tem grana pra passar férias em Floripa, muito menos em Jurerê Internacional.
    Ter grana infelizmente não é sinônimo de ter educação. Não são ricos fajutos, são ricos mal educados mesmo, playboys que acham que a vida é uma festa e só se preocupam com o seu próprio umbigo e em desfilar com seus carrões (que ganharam do papai). Esses sim são os responsáveis pelo seu e pelo nosso transtorno nas férias em Santa Catarina…

  • Marcia diz: 11 de janeiro de 2012

    Saudades de quando a Ilha da Magia era uma ilha cuja fonte de renda era a pesca. Onde as pessoas vinham visitar as praias, ver a ponte, passear na Beira-Mar. Hoje em dia isso tudo foi esquecido. A praia é um pretexto para refrescos e bajulação, onde a maior importância é quantas garrafas de Champanhe você pode consumir. Festas “Tops”, com DJ’s internacionais atraindo pessoas de todo o mundo, junto com a ignorância e a falta de educação. Se o policiamento fosse igual ao de cidades internacionais como Miami e Ibiza, poderiamos ficar tranquilos quanto o tanto de turístas que chegam todo o ano em nossa cidade. Só que, ao contrário, não existe policiamento, os “ricassos” que chegam na ilha durante a temporada aprontam e fazem todo o tipo de merda que querem, e basta pagarem que nem são levados a delegacia. Até quando vamos permitir isso? Se as autoridades não tomam conta (ou não querem), está na hora de pararmos de reclamar e fazermos alguma coisa. A cada ano Floripa fica mais caótica, mais insuportável. Ninguém mais sabe fazer turismo, ninguém mais vem para fazer turismo. Que com esse artigo todos se conscientizem e cuidem desse paraíso em que vivemos e tanto amamos.

  • Jeremias Abman diz: 11 de janeiro de 2012

    O problema da ilha sempre foram os forasteiros. Primeiro chegaram os portugueses e brancos, avacalharam tudo e acabaram com a paz dos índios. Depois chegaram os açorianos e outros imigrantes e avacalharam mais ainda, desmataram, desfiguraram e instalaram uma cultura atrasada, preconceituosa e xenófoba na ilha. Agora chegam os turistas. O problema não é serem paulistas, mato-grossenses ou paranaenses. O problema é serem parte de um sistema que não privilegia educação, cordialidade, respeito à cultura local, ao próximo e à natureza. É a cultura do ego, do individual em detrimento do coletivo, que manda no mundo de hoje. Generalizações à parte, o manezinho também não é santo e também promove baderna, barulho e desrespeito, em casa e fora dela.

  • Julie Polli diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou daqui da ilha mas moro em São Paulo há 9 anos. Cada vez que venho aqui visitar minha família fico mais decepcionada. Não concordo quando tu se refere aos turistas bandalheiros como Paulistas Idiotas….tais se portando como tal falando dessa maneira generalizada. O problema de Floripa não está só nos turistas que guardam dinheiro o ano inteiro pra vir aqui gastar e mostrar o que não são…..o grande problema está nos próprios Florianopolitanos, medíocres e hipócritas, que também querem mostrar o que não são ou os que tem querem mostrar que são os bons. E pior: as gurias daqui adoram esses “Paulistas Idiotas” … fazem de tudo pra subir num camarote e beber de graça com eles …. E por que criticar o Michel Teló? O que o cara tem a ver com isso tudo? Só porque ele tá cada vez mais milionário fazendo a alegria da galera? Ridículo é ir no show do cara e gastar 3 mil reais numa garrafa de Moet Chandon…ridículo é ir à praia à tarde e ficar bêbado tomando champagne….conclusão: ridículo são as próprias pessoas daqui que ditam essas modas….as pessoas que vem de fora querem apenas acompanhar o que é tendência aqui. O problema do trânsito é culpa dos turistas ou culpa do Governo de SC que não investe em infraestrutura na principal cidade turística do Estado? Os assaltos e homicídios frequentes…..cadê a polícia? Eu estou aqui há quase 1 mês e não vejo policiamento em lugar nenhum, principalmente nas praias. Quem controla os bêbados que saem das baladas à noite matando pessoas inocentes? Ninguém. Eu moro em São Paulo e não tenho visto tanta barbaridade como aqui….até lá os motoristas estão mais educados que aqui, os próprios moradores da cidade, que antes paravam o carro para as pessoas atravessarem, agora falta passar por cima. Quem é a galera que anda pichando as pedras das praias? São turistas? Tenho certeza que não…. A questão é a seguinte: não tô querendo defender turistas, até porque eu também preferia Floripa como era há 10….15 anos atrás. Porém o turismo é a base da economia da cidade, portanto não podemos criticá-los dessa maneira quando na verdade a maioria dos problemas vem daqui mesmo….do Governo e das pessoas que habitam essa cidade. Então não adianta tapar o sol com a peneira e jogar todos os problemas e podridões pra quem vem de fora….pra começar a tentar melhorar primeiro é preciso limpar a podridão daqui primeiro.

  • Rodrigo diz: 11 de janeiro de 2012

    Pior é que é bem assim mesmo , mas pq so apareceu na “RSB” agora em há será que foi pq aconteceu em “jurere” isso acontece a anos em todas as praias aqui em Floripa e não são só os turistas de fora tem muita gente daq que também faz isso não sou daq moro aq a 11 anos e venho fazer turismo em Floripa desde meus 5 anos de idade , agora gostei só comentaram e apareceu pq foi em “Jurere” moro nos ingleses acontece isso a anos isso tb acontece em outras praias aqui em Floripa e infelismente digo que tem muita gente aqui q explora o turista reclama deles mas quando vem só faltam abaixar … sabem né , assim como tem gente que vem e se comporta muito bem tem os maus e engraçado né foram falaram das festas dos turistas de tudo que é lugar mas a propria “rbs” usa cenas das festas em comerciais que coisa linda isso tb

  • Bruno diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente essas pessoas vêem de suas cidades de origem sujão praias , fazem de tudo que querem não apenas 20 paulistas que dividiram uma casa mais grandes ricos jovens abusam aqui sendo rico ou pobre o intuito de respeito a cidade e as pessoas que nela residem tambem. Ta virando uma palhaçada sou morador frenquento a praia e acho, que muito gente so vem a jurere internacional para ostentar sejam em festa ou até nas ruas muitos ainda não tem o “pau para dar no gato” mais gasta tudo em bebidas sai bebado das festas e matam pessoas, isso e ridiculo e inaceitavel.

  • Rodrigo Mendieta diz: 11 de janeiro de 2012

    Pior é que é bem assim mesmo , mas pq so apareceu na “Tv” agora em há será que foi pq aconteceu em “jurere” isso acontece a anos em todas as praias aqui em Floripa e não são só os turistas de fora tem muita gente daq que também faz isso não sou daq moro aq a 11 anos e venho fazer turismo em Floripa desde meus 5 anos de idade , agora gostei só comentaram e apareceu pq foi em “Jurere” moro nos ingleses acontece isso a anos isso tb acontece em outras praias aqui em Floripa e infelismente digo que tem muita gente aqui q explora o turista reclama deles mas quando vem só faltam abaixar … sabem né , assim como tem gente que vem e se comporta muito bem tem os maus e engraçado né foram falaram das festas dos turistas de tudo que é lugar mas a propria “Tv” usa cenas das festas em comerciais que coisa linda isso tb

  • Leonel Bagolin diz: 11 de janeiro de 2012

    Esse tem sido um desabafo generalizado de quem mora aqui.
    Ninguem mais aguenta esse bando de baderneiros fazem arruaça, depredando, trazendo uma fama que não é da ilha.

    A poucos dias tinha escrito esse texto “Turista não sabe se comportar” ( http://bomdemas.com.br/turista-nao-sabe-se-comportar ) , sobre o lixo nas praias e as bagunças feitas por turista que se transformam quando passam a ponte.

    Acho q estamos pagando um preço muito alto pra suposta alegria de gente que nem vive aqui.

  • Letícia de Assis diz: 11 de janeiro de 2012

    Não sou ‘mané’, mas tive o privilégio de morar na Ilha por 4 anos. Hoje vivo no interior do Rio, em Macaé. E concordo com tudo que o Rica falou. Achei o texto-desabafo perfeito, sobretudo para forasteiros como eu que sempre respeitaram Floripa e foram gratos a ela pela acolhida e pela beleza. Por anos vi pessoas idiotas agindo feito animais da pior espécie nas praias, na ruas, nos supermercados, etc.
    Espero que um dia as coisas mudem, embora as estatísticas só mostrem o contrário.
    Paz para todos!
    Bjks pra ti, Cacau.
    Letícia

  • Douglas diz: 11 de janeiro de 2012

    Como as pessoas são hipocritas não?? Voces deveriam é morar no meio da roça bando de colonos, querem falar de paulistas, gauchos?? Voces só nasceram por nossa causa!! e qto a gastação de dinheiro, uma pergunta, o dinheiro é de voces? voces que pagam as contas dessas pessoas? intao vá cada um cuidar da sua vida que não tem problema nenhum. Querem reclamar que a cidade está lotada? isso é uma questão de lógica a populaçâo está crescendo, oque acontece é que nao tem infra-estrutura. É revoltante ver como existe gente ignorante e só sabe reclamar, isso se chama inveja! Queria ver se uma dessas piriguetes que tanto falam fosse dar mole pra voce e voce nao iria fazer nada, intao relaxem e gozem!!

  • james diz: 11 de janeiro de 2012

    CTRL + C >> CTRL + V
    Balneário Camboriú é essa zona tbm.
    Muita Droga sintética na cabeça dessa cacalhada.
    Uma hora a sequela bate.

  • Luciano diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo em parte com o que foi dito mas, lembro que qualquer generalização é perigosa e injusta pra não dizer preconceituosa. Não importa de qual estado da Federação, ou de que lugar do mundo venha a pessoa ou o turista. O que importa são os valores , os princípios e a educação, ou ainda para os menos inteligentes, a NOÇÃO DE QUE O NOSSO DIREITO TERMINA ONDE COMEÇA O DOS OUTROS. Gaúcho ??? Com muito orgulho, não só do meu estado mas dos valores e principios ensinados na minha família…que são suficientes pra saber que assim como tem muito PAULISTA, CARIOCA, PARANAENSE…arrogante, prepotente, irresponsável, impulsivo, presunsoço e narcisista também tem muito GAÚCHO E CATARINENSE.
    Não sou frequentador assíduo de Jurerê e nem de Florianópolis, vou eventualmente durante o ano. Este ano casualmente ao passar o Revellion em Jurerê pagando R$ 1.000.00 a diária por dez dias em um casa com 8 pessoas… piscina e 5 quartos sento 2 suítes, me surpreendi negativamente com “OS SEM NOÇÃO”, com os bêbados inconvenientes, com os Drogados, com quem não respeitava nem as mulheres acompanhadas, com a falta de segurança, com a turminha de bombados covardes sem camisa que ia para o CAFÉ DE LA MUSIC pra arrumar briga, sempre com o mais fracos e em menor número. COMO SE DIZ POR AQUI, UM BANDO DE CALÇA FROUXA QUE SE ESCONDE NO MEIO DA MULTIDÃO E DOS AMIGOS para se auto-afirmarem sexualmente. Esquecem que gentileza gera gentileza, que todos inclusive as mulheres admiram a boa educação e o respeito. Ser HOMEM não é o que assisti por lá, não basta ter aquilo no meio das pernas, não é pegar todas.
    Sair na porrada ?!?!?!? Sim, mas penas quando for o último recurso.
    Ah…e qto. aos Catarinenses, recomendo cuidado para não estragarem o Paraíso com que foram abençoados, respeitem os turistas, os animais, e a natureza. Não exerçam a covardia brigando de dez contra um, e varram do mapa a FARRA DO BOI ja que o verão acaba rápido…
    Abrs a todos

  • sol diz: 11 de janeiro de 2012

    é isso ai,concordo com tudo oque tu dix…
    não é só nas praias que estão avacalhando com a magia da ilha,aki no centro
    tbm ,virou uma cacalhada,correram com os vagabundos ,sujos imundos,ladrões,xeradores e fumadores de crak,do Rio de Janeiro,e vieram tudo parar aki no centro da Capital,acabou o sossego e vão acabar com a magia da ilha,bora fazer alguma coisa, cadê as otoridades de Floripa!?

  • Marina diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com o que o Ribas disse:Florianópolis realmente vira um circo durante a alta temporada.
    Tudo bem que ela é uma cidade turística e tal mas ela não vive EXCLUSIVAMENTE só do turismo,tem outros setores em potencial(o que poucos sabem) como os tecnopolos Alfa e Beta que são uma referência nacional em inovações tecnológicas e criação de games e entre outros.
    Para que os outros saibam e quando falo os outros refiro-me aos turistas,não é que somos Xenofobistas(termo que já foi me dito quando perguntaram porque nós somos assim),nós queremos que vocês cuidem do lugar onde vocês vem passar as férias pois duvido que vocês façam isso na cidade de vocês.
    Querem mostrar que tem dinheiro,que sabem apostar corrida em suas ferraris ou ir para esses tais bares com festas de dia?ótimo,façam isso mas depois não reclamem que vocês são mal recepcionados pois cada ato tem uma consequência.
    É ótimo temos um grande potencial turístico já que isso proporciona aos nossos moradores oportunidades de trabalho e rendas extra mas queremos acima de tudo RESPEITO E BOM SENSO para que Florianópolis continue sendo um dos destinos mais procurados por aqueles que visam ao bem-estar,diverção e boa recepção.

  • Camill diz: 11 de janeiro de 2012

    Eu como uma moradora aqui da Ilha e boa MANÉZINHA concordo com o Ribas, porém acredito que isso não seja apenas a polícia que tenha que fazer algo, mas sim o nosso “querido” prefeito que está ganhando muito bem para administrar esta cidade, o que acredito que não está fazendo tão bem assim, pois filas temos o ano inteiro(agora claro muito mais devido a grande quantidade de pessoas) porém se as pessoas se conscientizarem um pouco mais em andar de ônibus(que concordo que é cansativo e nada agradável) será muito mais fácil, por que afinal serão obrigados a aumentar as frotas e com isso teremos muito menos pessoas desempregadas em Florianópolis. Com questão a blitz, concordo que deve ser feita depois das baladas, mas se ainda assim investirem em micro-ônibus, onde as pessoas possam se conscientizar de que é muito mais fácil voltarem pras suas casas assim do que de carro. Isso realmente vem de EDUCAÇÃO o que está faltando muito em nosso país não só aqui em Floripa, e educação vem de casa não das escolas como muitas pais pensam que é. Esses “filhinhos de papai” que vem fazer essa baderna toda aqui em floripa resulta muitas vezes de pais que passam o dia trabalhando para poder dar tudo o melhor para eles, e acabam não tendo tempo de educá-los, fácil é colocá-los no mundo e julgá-los por que estão fazendo tal bagunça, mas difícil é educar. A única coisa que não podemos esquecer é que aqui é uma cidade TURÍSTICA e deve ser investido nisso. A Ilha já não é mais a mesma. Essa é uma discussão que vai longe Cacau. A ilha está lotada não só no verão mas sim no inverno, e não é lotada de manézinho, mas sim lotada de pessoas de fora. Para que você possa ouvir o nosso sotaque ultimamente, só no jornal do almoço com Cacau Menezes. Onde estão os manés?

  • José Luís P. Cunha diz: 11 de janeiro de 2012

    Bom…todos tem o direito de curtir… mas ha limites…Estamos num lugar de curtição onde a grande maioria vive da renda destes que pagam e bancam muitas vezes de idiotas, por acharem no direito de fazer o que bem entendem, pois infelizmente quem deveria coibir em linha dura, fecha os olhos , porque alguém pede..e não me digam que isto não é verdade…Ha !!existe uma associação de moradores ai ???Mexam-se , não esperem que leiam estes rabiscos e lhe dem ouvidos..Onde se vive de turismo a muitas concessões por mais estupidas que sejam….Agora ao baderneiros e metidos, na boa…curtam o lugar , pois é schow e tem muita gente interessante …não precisa fazer um aue pra ser notado…

  • Agnialdo Bustamante diz: 11 de janeiro de 2012

    As roupas e os óculos descritos são iguais a tudo o que o Cacau usa…

  • Concordo Plenamente diz: 11 de janeiro de 2012

    Assino embaixo e digo mais: bons tempos quando só havia turistas argentinos… Dos males, o menor!

  • Carlos diz: 11 de janeiro de 2012

    Cacau,
    Esperto foi o irmao do Rica Ricas, o Marcel, que atualmente mora no Texas. So vem a Floripa para passar ferias (fora de temporada) claro.
    Rica foi morar em Jurere depois que o pai vendeu a casa no Santa Monica (avenida), ai o Dr. Salomao deu de presente uma casa em Jurere para ele.
    Ele provavelmente ja fez muita propaganda e ja tirou muita onda tipo (MORO ONDE VC PASSA AS FERIAS)…..rsrsrs…Agora aguenta PLAYBOY !!

  • Berloque Gomes diz: 11 de janeiro de 2012

    Alguns fatos:
    - O Rica Ribas mandou muito bem no Jornal do Almoço de hoje. O Vinicius Quirido foi um desastre;
    - A indústria que mais arrecada impostos em Florianópolis não é da do turismo, mas a de tecnologia. Esta indústria cria empregos de alto nível, atrai gente boa pra cá, não polui e não inferniza a vida da população. Já o turismo predatório, com turistas de baixíssimo nível, só é vantajosa para uma meia dúzia de empresários;
    - Como bem disseram, esses babacas de Jurerê fazem o que fazem porque têm público e espaço na mídia. O que não falta é reportagem, geralmente da RBS, jogando confete nestas festas de abobados em Jurerê. Se deixassem esses imbecis pra lá, nem voltariam nos próximos anos. Querem é aparecer.

  • Alexandre diz: 11 de janeiro de 2012

    Infelizmente vemos isso acontecer repetidamente ano após ano, somente o povo tomando atitude isso vai mudar….o poder público lava as mãos, para eles quanto mais glamour melhor…

  • jeferson diz: 11 de janeiro de 2012

    um tempo atras rolava aqueles luau nos bares a beira da praia,
    era bem tranquilo e não encomodava ninguen, mas a prefeitura
    acabou com tudo, e agora essas festas que estão acontecendo
    e estão acabando com a ilha vão continuar?

  • Léo diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo plenamento com o desabafo, mas como disse o “Highsecret” , não são paulistas/erechim somente.. tem gente do Brasil inteiro… Lembram-se no ano passado, aqueles 2 amigos e 2 amigas que vieram de avião particular do mato grosso e qdo desceram no aeroporto hercilio luz pegaram um helicoptero pra fugir do transito.. e tudo regado a que ?? mta champã…
    sou de São Paulo e moro aqui há 7 anos… e o que constroi ou derruba uma cidade, bar, restaurante ou qquer coisa do genero, é a MÍDIA !!!
    Enchem a bola demais de Jurerê, e automaticamente o povo fica louco pra fazer o que ??? estar lá e aparecer. ficar 2 ou 3 horas pra chegar em Jurere e curtir de bacana ?? isso é coisa de gente que nao tem nada na cabeça…
    é uma pena ver Floripa se acabando…

  • Jackson diz: 11 de janeiro de 2012

    Faltou falar da quantidade de lixo deixado na areia da praia. Finalzinho de tarde a situação é crítica. Eta povinho mal educado! Fala-se tanto em consciência ecológica e parece que o sol afeta o cérebro desse tipo de turista que queremos distância!

  • THIAGO CHAVES diz: 11 de janeiro de 2012

    Fico me perguntando: quando o brasileiro vai acordar? Quando vamos parar de valorizar o que é CARO em detrimento do Conforto do que é BOM!!!!

    Perdoa-me os amigos que pagam, mas tem que ser muito TROUXA para rasgar R$500,00 ou mais só para entrar em uma BALADA….
    Em nenhum lugar do mundo festas assim são tão CARAS como aqui no Brasil, especialmente em Floripa!!!!

    JURERÊ está assim porque quer atrair esse tipo de turista? Precisamos mudar a mentalidade do povo e o que se divulga sobre FLORIPA!

    O TURISMO DE QUALIDADE não precisa ser necessariamente o TURISMO CARO!!!!

  • Gustavo diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou carioca e frequentei muito Floripa no verão, carnaval, reveillon e em alguns feriados… De 1996 até 2009 quase todo feriadão ou carnaval, viajava para Ilha da Magia. Eu e o meu grupo de amigos sempre buscávamos um lugar tão bonito quanto o Rio (nas suas devidas proporções), festas bem organizadas e baratas e suas belas mulheres, mas lá no final dos anos 90 e início dos anos 2000, a coisa era muito diferente do que se vê agora. Realmente naquela época, todos se divertiam com mais respeito e o principal objetivo, pelo menos para os homens, era curtir os eventos bem organizados e as catarinenses. Claro que os bêbados, as brigas e até os argentinos estavam presentes, mas sem ofuscar tanto a festa ou atrapalhar a rotina dos que lá moram. Mas a maioria apenas queria se divertir num lugar bonito, barato (na época era pelo menos para quem era do Rio e SP) e com muitas belas mulheres, que ainda não tinham descoberto que com a sua beleza natural, podiam comprar o que e quem quisessem… O tempo passou e vi que ao longo destes anos, aquelas pessoas que iam somente para se divertir e curtir as meninas, foram substituídas por grupos de idiotas que, graças ao crescimento financeiro nestas regiões(Rio e SP), viajavam para ostentar suas riquezas, causar tumultos e tratar as meninas de SC como putas… Claro que com esta mudança, a cabeça delas tbm mudou. Nas últimas vezes que fui para Jurerê conheci muita menina de SC, mas principalmente as Gaúchas, procurando esses idiotas para serem sustentadas nestes eventos ou apenas para ganhar uma garrfa de “champa” em troca de uns amassos… Aposto que tem uma grande maioria da população da ilha e das cidades vizinhas, que fica esperando estes idiotas chegarem, para se “prostituírem”, aproveitando esta ostentação descabida… É realmente triste ver que Floripa passa por esta transformação nesse período… Mas antes de esperar uma mudança de comportamento destes imbecís, vcs precisam combater internamente quem se favorece com este novo grupo que frequenta SC no verão e criar leis rigorosas para conter essa bagunça causada por quem vem de fora. Turismo nunca será algo ruim, mas tem que ser ordenado e trazer benefícios para todos e não somente para um grupo de sanguessugas ou putas da região…

  • Maurício diz: 11 de janeiro de 2012

    Enquanto o Cacau Menezes difundir e fomentar a xenofobia (prática ilegal, mas que ele acha que é boa), vamos ter que ouvir, ou ler, pessoas de baixo poder intelectual mandando os outros pra fora de uma cidade que, já sabemos, foi tomada por posse por seus avós e vendidas à peso de ouro por seus pais. Fizeram isso e agora reclamam. Sinceramente, Florianópolis só não é uma cidade de primeira porque ainda tá cheia de manés. Ei, Mané!!! Fora da nossa ilha!!!! Nós a compramos!!!!!
    Beijos.
    Sou Haole sim, com muito orgulho!!!!

  • Marcos diz: 11 de janeiro de 2012

    Povo bairrista, só sabem colocar os problemas da cidade em pessoas de fora, um uruguaio do meu lado na festa de fim de ano foi agredido sem motivo por um manezinho que bêbado ainda roubou a placa do carro dele, andar por essa cidade e ser agredido verbalmente e constantemente por ser de fora ninguém reclama em lugar nenhum, nasci aqui e fui morar quando criança no sudeste, por ter o sotaque de lá, quase fui expulso do ônibus ano passado por um grupo de jovens (que chamam de maloqueiros) que afirmava que deveria voltar para cidade da onde eu vim, e se não fosse um grupo de estudantes teriam me agredido, a cidade esta do jeito que esta por culpa da população que elege políticos ladrões que em nada melhoram as condições da cidade abrigar os que vem de fora para passar alguns dias na cidade, que vem suas praias serem destruídas pelos próprios moradores, ou aqueles esgotos que que circulam a ilha vem de SP?, que insistem em se gabar de morarem em um paraíso,, que não existe praias poluídas, policia inoperante, transito caótico, população grosseira… comem ovo e vomitam caviar, quem sai bêbado das festas correndo em carros por ai são seus filhos playboys que passam o ano inteiro esperando o verão para tentar a sorte nas noites da cidade, não vi tamanha comoção quando um determinado morador ilustre estuprou uma menina, talvez se ele fosse paulista né, vá a uma delegacia e procure saber sobre o estado da onde vem os que cometem a maioria das infrações. lamentável o texto que só serve pra alimentar essa pensamento de que somos os melhores do mundo que alguns moradores tem, aprendam com os americanos que acham que todo os problemas deles se devem aos imigrantes, e que o mundo todo e pior que eles. Somos todos brasileiros e devemos exigir melhorias dos nossos lideres e não colocar culpa das nossas frustações em outras pessoas, afinal nossos ancestrais vieram de um continente para aqui sugar tudo que podiam fugindo da pobreza, os verdadeiros nativos dessa ilha não são vcs.

  • Carlos Augusto diz: 11 de janeiro de 2012

    Assiti a entrevista hoje na RBS, onde ouvi o Sr Vinicius , falar em Florianópolis como “Polo Turistico”. Que polo turistico ?, uma cidade que quando chove, apresenta a sua deficiente infraestrutura, a sua falta de outras formas de lazer para moradores e turistas, obrigando os que aqui se hospedam a irem ao Shopping, como gado durante o dia e à noite para as baladas, se enbebedar, tirando o sossego dos moradores que ao contrário dos empresários do ramo hoteleiro e dos que alugam casas, tem que levantar cedo para trabalhar.Dia desses, colocando gasolina no posto do Jurere, às 7:20, me deparei com um grupo de 08 caras, completamente bebados a procura de cerveja, nisso o atendente me disse “moço, depois eles vão tudo prá estrada e aí já viu né” Turismo ? sim, mas com responsabilidade, não podemos sob o argumento de que Florianópolis é um paraiso turístico, fechar os olhos para: Trânsito caótico, falta de água, de luz, de segurança, mulheres peladas, bebados pelados etc.
    Para se pensar: Nós pagamos os impostos, nós vivemos aqui o ano todo, nós fazemos a cidade ser um paraiso. Acho que merecemos mais respeito e consideração por parte dos responsáveis por esta zona que se tornou Floripa.

  • Carlos baena diz: 11 de janeiro de 2012

    sou de são paulo á 5 anos atrás fiquei intusisasmado com a maravilhosa ilha da magia ,quando fui visitar um cliente e hoje um dos meus melhores amigo Fernando prospero que mora na ponta das canas ,fiquei na sua casa por uma semana e me decidi á montar a minha fabrica e levar a minha familia á morar em jurere ,com o passar do tempo vi que é pura ilusão policiais que não estão nem ai ,nem mesmo voce dando a placa da moto que o ladrão que me roubou duas veses em plena areia da praia do jurere internacional,sendo turistas na ilha a virem nos roubar em nossa própria ilha ,sem contar que tive a minha fábrica roubada 11 veses e até hoje nem sinal de nada vou falar pura ilusão para voces mesmo verem voltando do centro com a minha familia um amigo me liga e me fala que tinha visto um carro adentrar a minha fabrica
    chegando la o ladrão ainda estava no estabelecimento e depois de 2 horas chegou uma viatura e falou que poderiam faser nada ,impressionante ,desanimei totalmente e voltei para são paulo ,Cacau voce que tem uma voz muito ativa e respeitada faça que a ilha seja mais respeitada e patrulhada abraços.

  • Bárbara diz: 11 de janeiro de 2012

    Moro no centro e passo meus verões em Jurerê. E confesso que também não aguento mais. É música alta todo dia ao redor e barracos nas mansões vizinhas após muitas doses de álcool e drogas. Na noite de ano novo lá pelas seis da manhã minha vizinhança foi acordada pelos gritos de um casal, em mais uma daquelas festinhas onde a putaria rola solta. O homem chamava a mulher de puta, vagabunda e ela só pedia a mala de volta para ir embora, ao que ele respondia que tinha dinheiro pra comprar a família toda dela se quisesse, que ela era não era ninguém e dizia ter raiva do “André” por ter trazido “aquelas mulheres”. Resultado ela foi embora descalça, sem a tal mala e só porque correu atrás de um carro. Mais uma daquelas gurias bonitas que em troca de álcool, drogas e atraída pelo dinheiro se submete a esses caras que as humilham quando algo não sai como o esperado. Assim como um leitor aí de cima, também alugávamos a nossa casa até que em um verão ao receber a casa de volta meus pais se depararam com um cenário de horror. Sofá, puff e redes rasgadas, furadas com cigarro – olha a educação do pessoal. Box do banheiro também quebrado e a pessoa que se machucou no box não fez nem a gentileza de limpar o sangue. Sangue pela casa toda. Toalha rasgada para improvisar um torniquete no acidentado que possivelmente estava muito bebâdo ou drogado, porque pelo estado que a minha casa estava infere-se que eles passaram todo o tempo assim. Camisinhas usadas pela casa toda – SIM, os imbecis não se deram nem ao trabalho de juntar os preservativos que usavam. Camisinha na sala, camisinha no jardim, camisinha no banheiro, camisinha embaixo da escada. Além de pertences quebrados, outros roubados como um Buda que eu tinha. Quebraram um aquário também e todo conteúdo do aquário jogaram dentro de um arranjo de mesa. Depois de tudo isso foram embora deixando a casa aberta e um cheque caução sem fundo. Pessoas sem educação, sem respeito, sem escrupulos, sem valores, sem princípios. Completos selvagens. Esse tipo de turista eu odeio sim. E, infelizmente, é disso que Jurerê, principalmente está cheio. Procurei depois o cara que tinha assinado o contrato de locação, era playboy rico, morador da Av. Atlântica em Copacabana e que estava depois de temporada de horror e bebedeira em Jurerê estava indo fazer uma “trip” nos Eua. Outro inquilino era ninguém menos do que Duda Nagle, aquele ator meia boca da Globo, que usa a fama pra isso pegar mulher e encher a cara. Mais um desses bestas que a emissora de vocês paga pau e faz questão de mostrar na TV ou aqui pelo site mesmo que está passando o ano novo e as férias em Floripa. Tá aí, é pra isso que eles vem pra cá, pra fazer tudo isso aí que vocês leram e a televisão ainda dá moral, dá ipobe, projeção, por isso que esses caras de acham os donos do mundo. Eles vem pra cá fazer merda e ainda são agraciados com muita puxação de saco. Está tudo errado.

  • Leonel Bagolin diz: 11 de janeiro de 2012

    Esse tem sido um desabafo generalizado de quem mora aqui.
    Ninguem mais aguenta esse bando de baderneiros fazem arruaça, depredando, trazendo uma fama que não é da ilha.

    A poucos dias tinha escrito esse texto “Turista não sabe se comportar” ( http://bomdemas.com.br/turista-nao-sabe-se-comportar ) , sobre o lixo nas praias e as bagunças feitas por turista que se transformam quando passam a ponte.

    Acho q estamos pagando um preço muito alto pra suposta alegria de gente que nem vive aqui.

  • Alvaro Inchausti diz: 11 de janeiro de 2012

    Isto não acontece somente em Jurerê, mas sim na ilha inteira e não tem nada a ver com a procedência da pessoa.
    Não resolve xenofobar cegamente e simplesmente pôr a culpa no pessoal de fora. Muitos turistas vem para extrapolar, encher a cara e não respeitam quem mora aqui, mas roubo e destruição da natureza acontecem de forma crescente o ano inteiro e a maior porção desta responsabilidade recai no nativo daqui mesmo.

    Canso de juntar lixo alheio, canso de discutir com pescador para não jogar pilha no mar, cigarro e plástico no mato; para não matar e desperdiçar manjuva deixando-a na praia porque não era o que queria pegar (a resposta que mais ouço é: “Você não é nativo daqui, não se meta”).

    Esta ilha maravilhosa onde cresci e para onde voltei passados os anos, cresceu sem planejamento, sem organização, tendo o lucro de poucos como o único norte.
    A infraestrutura simplesmente não comporta a quantidade de gente que vem atraída pela publicidade que a promociona febrilmente como ‘um dos melhores destinos turísticos do mundo’, ‘capital campeã de qualidade de vida’, etc.
    Não há estradas, não há esgotos, não há policiamento, não há nem suficiente água potável para todo esse povo!
    A tal da magia desta ilha vai acabar deste jeito; realmente, dá vontade de chorar de nostalgia da época quando peixe e renda era o que caracterizava Florianópolis…

    Mas com relação à ordem, falta polícia e falta treinamento adequado para esta polícia. Falta agilidade e consistência jurídica para processar os infratores e impedir que os MESMOS voltem para a rua logo e cometam os mesmos crimes e desacatos.

  • FloripaTriste diz: 11 de janeiro de 2012

    Coisa linda o comentário acima sobre o bonde do tomé, naquela época nos divertiamos comendo pitanga e correndo pelos matagal da região, a moda era o clube 12, e não essa palaçada de banho de champã……bando de haole bombado que nem combina com a cidade e varias puta querendo arrumar homem rico….realmente virou um inferno!!!!!

  • Rigido diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou a favor de furar os pneus de carros vindos de outros estados durante a temporada!TODOS, ou pelo menos daqueles que aprontarem por aqui!

  • Alexandre I. diz: 11 de janeiro de 2012

    Essa semana mesmo discutia isso: Será que vale a pena tanto gasto público pra trazer essa turistada que não movimenta a economia da cidade senão meia duzia de casas noturnas ?

    O resultado é sempre o mesmo: filas caóticas no trânsito; falta de abastecimento de água; os bandidos fazem a festa, pois todo o efetivo fica só nas praias; e pasmem: esse ano faltou certos produtos nas prateleiras do mercado.

    Será que é esse tipo de turismo/desenvolvimento que se procura ?

  • Carlos Eduardo diz: 11 de janeiro de 2012

    Meus queridos colegas.
    Concordo com o Ribas no desabafo de uma series de relatos acontecidos em Jurerê Internacional. Essa desordem não acontece apenas em Jurerê.
    Moro no continente e costumo a pedalar pela região da grande Fpolis. Estava eu subindo o morro da lagoa de Bike e vem um camarada “IDIOTA” dirigindo um carro com placa de São Paulo, enrola o tapete do carro e me acerta com o tapete saindo rindo por sinal. Confesso que não peguei a placa do carro por estar perto do topo do morro e o FDP Estava rápido.
    Fiquei sem poder fazer nada e me deu raiva de estar impotente naquele momento em pelo menos xingar aquele “cocha colada”. Penso o seguinte;
    Falta mais fiscalização por parte dos órgãos competentes e da própria população que age sorrindo e aplaudindo essa exposição de moleques que se acham os donos do mundo, rasgando dinheiro, tomam banho de champanhe, furando filas, entre outros. Para esses eu digo: Vão para o quinto dos infernos cambada de vagabundos.

  • Ricardo diz: 11 de janeiro de 2012

    Finalmente um residente interessado falou tudo e mais um pouco desse lugar desagradável e decadente que se tornou JI, apesar da insistência da sociedade local em divulgar o balneário como chique e elegante, da “elite”, confundindo elite social com pistoleiras, lavadores de dinheiro e remediados torrando o limite do cheque especial e do cartão de crédito em espumante contrabandeado do Paraguai. A última Ferrari que eu vi sair do local foi em cima de reboque. Logo após o motorista, que havia alugado o veículo em SP, ser jogado no camburão por ser estelionatário. E alguém lembra da lenda que em Jurerê atravessar na faixa era mais seguro que em Oxford, porque todos os motoristas paravam imediatamente? Pergunte a opinião das famílias dos atropelados defronte ao Open Shoping. Desejo sorte aos moradores da ilhaara que isso mude, quem sabe com um tsunami ou uma intvenção federal no município. Sempre há esperança, até porque o Sr. Cacau já mudou o discurso de 2009, quando se orgulhava de divulgar que o reveillon de JI era o mais caro do mundo. Por fim, para quem não sabe, JI já é comhecida em SP como Tiger Beach. Abraços!

  • Gibran diz: 11 de janeiro de 2012

    gostei do comentario.. mas exagerou um pouco falando algumas coisas.. ” 99% da população de turistas de Jurerê é composta de IDIOTAS… ” Se tu nao gosta do turismo.. vem morar no interior cara.. é obvio que quando em ferias.. todos querem viajar e todo o litoral é assim.. Sobre o cara que rasgou o dinheiro.. é um coitado que nem opinião propria deve ter.. quanto a arrecadação fiscal.. culpa dos proprietarios das casas que alugam e nao pagam os tributos.. etc..

  • Branco diz: 11 de janeiro de 2012

    Esta é a “napa” da sociedade….
    A podridão precisa se rotular de marcas e status…
    Tudo alma perdida e sem direção…
    Os playboy parecem o rick martin e as patricinhas são a tereza cristina da novelha, ehehehe
    Pior…

  • Luciana diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com quase td oq ue foi comentado, mas sinto informar que muitas pessoas fazem isso sim em suas próprias cidades, atualmente moro em uma em que as pessoas fazem da própria cidade um lixão e ainda dizem que a amam, imagina o que fazem qdo chegam em floripa ou em outra cidade turistica e bonita, querem mais é acabar com td para não se sentirem tão inferiores. O que falta? Educação, civilidade e menos miséria espiritual.

  • Hugo diz: 11 de janeiro de 2012

    Tá, e Florianópolis é a melhor cidade do mundo ha-ha! Alguns comentários preconceituosos aqui nesta página. Sou mineiro e moro na cidade há 2 anos. Vim a trabalho e tive que me CONTENTAR em ficar aqui.

    NÃO VEJO NADA DE PARADISÍACO na cidade (já vi praias melhores, mais bem frequentadas) e detesto essa gente que se acha dona do lugar. Você não manda no lugar onde nasceu. Coloquem definitivamente uma coisa na cabeça de vocês seus MANÉS (ótima palavra para descrever o povo, por sinal): sua cidade não é a melhor cidade do mundo (essa é para você SALETE RAMOS NUNES e os outros que falaram mal dos paulistas e cariocas). Não culpem quem é de fora por todos os problemas da ilha. Como disseram acima, outras cidades turísticas como Barcelona e Cancún sofrem dos mesmos problemas. Reclamem com Deus então pela natureza que lhes foi dada. Lamentem o fato e saibam votar melhor nas suas autoridades.

    Mas, entendo que certas pessoas tenham pensamento medíocre, porque faz parte da personalidade dos pobres de espírito e de pouca massa encefálica, por isso sugiro uma coisa: façam uma lei municipal, um decreto ou acordo, sei lá, ALGO QUE PROÍBA AS EMPRESAS DE DAREM EMPREGO PARA QUEM É DE FORA. Quem sabe assim seja evitado que pessoas de outros estados, mais competentes, venham trabalhar na cidade. O meu caso, diga-se de passagem. Quando recebi a proposta de trabalho, a entrevistadora me disse em off que A EMPRESA TEM PREFERÊNCIA POR PESSOAS DE FORA, QUE SÃO MAIS PRODUTIVAS E NÃO SAEM DA EMPRESA DURANTE O VERÃO.

    Não vejo a hora de conseguir um emprego que pague tão bem quanto ganho aqui no meu estado, onde não tem praia, mas tem gente humana, hospitaleira, que não está nem ai se você é de fora ou de dentro, se você realmente contribui para fazer da cidade um lugar melhor para todos.

  • Celio diz: 11 de janeiro de 2012

    Ler o texto e todos os seus depoimentos só me fez sentir cada vez mais a minha saída do Brasil. Se Deus quiser, só volto de férias em lugares não “pop”. Não sou de SC e nem moro lá. Mas fico pensando: “E se fosse comigo”? Fico com o pior sentimento sobre as pessoas que moram em Jurerê: pena. Pena pq no Brasil lei nao funciona, apenas dinheiro (principalmente o sujo)….Vao ter que aguentar um bom tempo esse bando de bestas….

  • Cláudio R Heidemann diz: 11 de janeiro de 2012

    Floripa já foi a segunda casa dos argentinos, que vinham com seus dólares e faziam o que queriam.
    Depois virou o melhor lugar do mundo para se viver, inflacionada por grandes interesses imobiliários.
    Hj é a cidade das belas mulheres, das festas vip, das espumantes de 14 mil e da sacanagem a ceu aberto.
    Não importa o que ela seja, o importante é faturar e muito e não interessa com o que seja.

  • Thiago diz: 11 de janeiro de 2012

    Rica Ribas meus parabéns por você relatar o que estamos passando nos últimos anos em Jurerê.
    Sinceramente não vejo a hora deste povo ir embora,um bando de “IDIOTAS” sem conteúdo que só fazem merda.
    E a empresa de segurança que pagamos só assiste e não faz nada.
    Estou cansado de procurar autoridades e nada acontece.

    Blitz da Lei Seca ,aumento de viaturas circulando em nosso bairro, quem sabe mude um pouco este cenário.Sinceramente é um sonho que espero que não esteja tão distante.
    “Turistas Ricos”kkkkkk façam estas merdas em suas cidades e não voltem mais aqui.

  • Reiner Wolff diz: 11 de janeiro de 2012

    Esse “raça” temos também aqui em Balneário Camboriú – principalmente nas praias agrestes. Lugar dos Beach House – ! Povo que bebe demais – anda com pick up cheio de caixas de som – e um som lá nas alturas. Joga suas garafas na Interpraias – deixa seu lixo na praia e as vezes bate na curva mais falada do sul do Pais! http://curvamalassombrada.blogspot.com/

  • Colono de Bento diz: 11 de janeiro de 2012

    Boa tarde a todos! Sou aqui da Serra Gaúcha, como disse, um colono de Bento. Vou p Jurerê há cerca de 20 anos, ainda na época do El Gran Comilon e do Galetus, por onde até se podia entrar com barcos!!! E nesssa época, o amigo Cacau já fazia sua feijoada ali, perto da antiga marina, que hoje virou o Café Riso Plage… bons tempos aqueles. Saía com a minha família p veraneio…como nós gaúchos chamamos as férias e ficava por cerca de 20 dias com toda minha família. Na última década, temos notado a bestialização da praia…mas não acredito q sejam apenas gaúchos e paulistas os responsáveis por isso…afinal, quem vendeu a licença p o shopping no Mangue? Quem causou o assoreamento dos 4 córregos q desembocavam na praia? Quem permite o fechamento da areia pelos Beach Clubs? Está na hora dos locais assumirem q o progresso traz benesses, mas tb traz um ônus q é aquilo q se vive lá hoje!!! Minha solução…vou p lá em março!!! Boa praia a todos…inclusive p o casal amigo de Erechim que apesar de colonos como eu, sempre se portou com educação e cordialidade…reclamam dos paulistas e outros babacas mas desdenham das pessoas simples e honestas…q paradoxo? E não venham me chamar de haole pq a família de minha mãe é de lá e sei bem como a banda toca na Ilha

  • Sarda diz: 11 de janeiro de 2012

    Mais um que, gostaria de ter o que não pode.

    Então metemos o pau, Eitaaa inveja…..dos turistas ou daqueles que economizam dinheiro o ano todo para poder aproveitar em festas. Aiii se eu pudesse né meu caro reclamante.

  • Gerson from Taubaté/SP diz: 11 de janeiro de 2012

    Peço desculpas ao sr. Cacau Menezes por este não ser o autor do foi escrito no post, mas não devia ser publicado na página dele, pois viola o item c dos “termos e condições” onde discrimina paulistas, gringos, entre outros.
    A maior forma de ignorância é a discriminação.

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas dos sites do clicRBS, na forma que se passa a expor:
    É vetada a publicação de comentários que:
    sejam falsos ou infundados;
    invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;

  • Andrezaum diz: 11 de janeiro de 2012

    Esta tudo errado…. os valores foram trocados!!!
    me da pena dessa gente muita pena… estao perdidos em seus ideais, em seus valores em suas vidas… mais pode ter certeza imagem super ego nao trazem felicidade… a maior malandragem e viver, percebendo a riquesa em pequenas coisas…nem tudo o dinheiro compra…

  • Marlon Schreiber diz: 11 de janeiro de 2012

    falou e disse tudo…nao ha o q acrecesntar…vale a atitude de cada 1 #RESPEITO.

  • Kika diz: 11 de janeiro de 2012

    Moro em Jurerê e costumo passear de bicicleta com meus filhos por cause do perigo no trânsito, somo obrigados a passear somente pelo Caminho dos Namorados. Costumávamos pedalar até o parque perto da Dourados, mas ficou impossível andar de bicicleta até lá, principalmente com duas crianças pequenas. Pago muito dinheiro de aluguel, para que minha família possa aproveitar esse bairro que durante quase todo ano, é muito tranquilo e seguro. Mas desde a semana do Natal até semana passada, tive vontade de pedir meu dinheiro de volta, pois a insegurança e o volume alto da gurizada, estava irritante. Poderíamos esperar que aqueles responsáveis pela nossa cidade, fizessem algo para preservar nosso tão querido bairro, porém creio que muitos deles estejam também se esbaldando nessas festas que acontecem nos tão badalados bares de Jurerê. E quem iria se intrometer e correr o risco de não ser convidado para festar com os atores globais, modelos internacionais e jogadores de futebol? Já basta ter de pagar muito mais por qualquer serviço (manicure, faxineira, comida, etc) só porque moro em Jurerê, agora ainda tenho que conviver com uma cambada de gente mau-educada (daqui de Floripa mesmo e de muitos outros lugares) sem nenhum respeito excelente bairro em que moro. Minha amiga (um tanto quanto bêbada) jogou uma latinha no chão, e eu mandei ela juntar porque quero manter meu bairro limpo. Ou seja, creio que o primeiro passo venha dos moradores. Denuncie. Não alugue para qualquer um. O exemplo vem de casa.

  • Carlos diz: 11 de janeiro de 2012

    e o babaca que aparece rasgando nota de 20,00, provavelmente falcificada, do trabalho honesto que nao era

  • Elis diz: 11 de janeiro de 2012

    Falou tudo!!! Sem comentários…

  • Andrea diz: 11 de janeiro de 2012

    Agradeço ao CARLOS ALBERTO W. pela doce lembrança do bonde do Tomé no 12, ô coisa boa ! E catar discos de barro no tiro era demais, sem falar do zoológico e as pistas de cross e sk8..Summer Jurerê. Essa galera curtiu sem tantas preocupações com aparências e sem cometer tantos excessos. O Doze e o LIC, além da Joaca com o torpedo de siri do bar do chico, marcam época muito mais feliz, livre e autêntica. O Campeche era tão deserto que parecia infinito e pescar no Santinho era uma aventura. Não sabíamos que tão rapidamente tudo mudaria para pior em Floripa, eramos felizes.. bem pelo menos sabíamos que eramos felizes. Hoje sinto que não há vontade política e valores de coletividade que possam conter a situação.. daqui pra frente é ladeira abaixo, já viramos Brasilzão. Referente a culpa de quem é, como já foi dito, nossa casa, nossas regras . Visitas percebem se sua casa é uma bagunça e uma anarquia, e comportam-se conforme o ambiente permite. Falo de turistas e dos que vieram para morar mas que pouco se importam. Muitos moram há anos e nem votam aqui, mas reclamar eles reclamam. Gostaria de poder ajudar, mas por onde começar ? Dar exemplo, ok . Ah, eleições esse ano. Boa idéia, eleger gente decente e com genuino compromisso com a cidade. Será que conseguiremos ?

  • José Luis Barbosa Da Silva diz: 11 de janeiro de 2012

    Poxa sabias palavras eu como um não nativo paulistano mais floriopolitano d coração amo essa cidade d coração tbm não admito essa locuras q tem occorrido aqui na ilha , todos os derrespeitos com os moradores q da até raiva por algumas providencias q deveriam ser tomadas a tempo pelomsnos pra aminizar os problemas , e polo contrario não dexa relevar por conta do dinheiro q se ganha com a inresponsabilidade d alguns tiristas e se deixa somente o descaso aos moradores , muitas vezes tenho vergonha d algusn paulistas visitarem a ilha por conta doque eles fazem aqui me sinto muito envergonhado , mais o descaso são com as punições q devem ser tomadas não somente com a verdadeira mina d dinheiro q se acha q esta fazendo , mais o desabafo ja foi feiro e garanto q tem o apoio d muitos por aqui temos sim q tornar publicos esses fatos para ser tomadas providencias sérias se não em vez de cidade turitica de verão vira cidade da baderna onde todos podem fazer oq quizer aqui q ninguem vai ser punidos e não é bem isso q os moradores merecem respeito (me encluo como morador por morar aqui a 11 anos ) Poder publico v se toma vergonha e toma alguma providencia meus amigos nos q colocamos vcs ai agora faça valer a pena nossos votos !!!!

  • Solange diz: 11 de janeiro de 2012

    Fui a Jurerê Internacional, de passagem, sem conhecer sua fama. Casas maravilhosas, pessoas educadas na praia, um senhor fumando ao lado de um cesto de lixo e jogando as cinzas de seu cigarro lá. Mas vi também pessoas me olhando de cima a baixo como se eu não tivesse o DIREITO de estar em uma praia brasileira. Para algumas pessoas que postaram aqui só resta tentar fazer de lá uma praia particular e assim pessoas como eu, que são educadas e limpas, que não jogam lixo na rua, que tem saquinho no carro para depositar qualquer coisa inadequada,incluindo propagandas não possam pisar no chão de Floripa. Certos depoimentos fizeram-me ter vontade de pedir desculpas por ter ido passar alguns dias aí. Fiquei indignada com alguns argentinos que nos fecharam, corriam etc e o que mais vimos lá foram carros estrangeiros. Mas isso não significa que o sejam. Eles podem ter um carro estrangeiro e ser moradores daí mesmo. Sou paulistana e minha cidade, infelizmente, é muito suja. Nós temos um contingente muito grande de pessoas de outros Estados que vêm à procura de emprego e não o encontram. Acabam ficando pelas ruas. É um grande problema social e nos sentimos impotentes diante da inoperância de nossas autoridades. Eles trocam os drogados de lugar, fingem não ver os mendigos sujos, bêbados e drogados que nos abordam o tempo todo. Os paulistanos são pessoas educadas, que sabem se comportar em qualquer lugar. Que tem dinheiro e gostam TAMBÉM das praias brasileiras e as praias de SC são lindas ou será que vocês moradores não valorizam o que têm? Pessoas sem educação encontram-se no mundo inteiro. Outra coisa que vi foi gente daí na Praia dos Ingleses correndo altas horas da noite, cantando pneu… etc. Acho ruim esse preconceito porque denota separatismo. Somos todos brasileiros e todos gostamos de respeito. Quanto aos baderneiros, independente de quem são, punam-nos com rigor. Inclusive os estrangeiros que NÃO RESPEITAM NENHUMA LEI. Inclusive nas estradas. Prendam-nos até terminarem suas férias. Certamente eles terão muito o que contar sobre nossas cadeias e não terão vontade de voltar a badernar em lugar nenhum.

  • Sandro diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo em gênero grau e número com o post. Acrescento que infelizmente não é só em Jurerê Internacional que esses fatos estão acontecendo. Outras praias de Floripa já sofrem com algo parecido ou vão sofrer. Sou nascido e criado em Florianópolis, mas atualmente não moro na cidade. Quando vou para Florianópolis me sinto mal vendo a cidade, que deve crescer sustentavelmente é claro, sendo acabada por uma raça que não acrescenta nada de bom (aí se inclui alguns manezinhos também). Vejo o trânsito piorar, a violência aumentar… Ainda bem que sobra tanta natureza e beleza que “jamais algum poeta teve tanto para cantar”, como disse o poeta Zininho.

  • Mendes diz: 11 de janeiro de 2012

    Os problemas comentados são sintomas de uma sociedade débil:

    - presume-se que existe polícia, o que não é verdade. Simples assim.

    - presume-se que existe punição para quem comete crimes, o que não é verdade. A maioria dos bandidos fica livre, mesmo quando flagrados. Simples assim.

    - presume-se que existema autoridades, o que não é verdade. Os políticos não são afetados pela sua ineptitude. Muitos são apenas corruptos buscando o máximo para si, em conluio com parceiros ‘privados’. Simples assim.

    - muita gente gosta mesmo é de agir como vândalo, ser mal educado, meter-se a esperto no trânsito, contar vantagem das barbáries que faz, exibir-se como falso-magnata para arrebanhar umas piranhas da sua espécie. Porque não têm perspectiva nenhuma de receber punição alguma. Simples assim.

    O resto é conseqüência.

  • eric rodriguez diz: 11 de janeiro de 2012

    E A TAL CLASSE “A” A DE ABOBADO E O QUE MERECEM? OUTRO “A” A DE ATOLADO, SE FOSSEM LITERALMENTE ATOLADOS PELO PODER PÚBLICO ENTRARIAM NA LINHA , MANDA ELES AGIREM ASSIM EM MIAMI PRA VER A CANA QUE DÁ.

  • Claudio diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou de Sao Paulo e frequento a ilha , em especial o JI há 15 anos, tenho familiares que moram em Floripa. Hoje só vou a Floripa por causa dos familiares e realmente de um tempo prá cá a degradação tem transformado bastante este lugar. Como turista , sempre fui muito mal recebido, péssimos serviços e preços extorsivos. É uma pena, mas não pretendo voltar a Floripa como turista. Um lugar maravilhoso, mas muito ameaçado pela exploração economica desmedida e falta de respeito ao meio ambiente.

  • Daninha diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente com todas as palavras ditas. Não moro em Jurere mais vivemos este constante desrespeito na temporada em toda a ilha. Alem de constantes filas, pessoas mal educadas, só porque possuem um pouco de dinheiro se acham no direito de vir encomodar nosso sossego. Na semana passada fui curtir a praia com meu marido, num dia de folga que tivemos, e quando estavamos curtindo a praia, se estalou nossa frente na areia, uma familia de argentinos de umas seis pessoas, simplesmente se acharam os donos da praia, outro bando de porcos, mal educados, tomaram conta de toda a faixa de areia, sem se importar que existiam mais familias ali querendo usufruir de um pouco de praia, de sol. Só vem para cá encomodar.

  • Gustavo diz: 11 de janeiro de 2012

    É realmente repugnante o que ocorre em Jurerê Internacional, morei lá alguns anos e prefiro o inverno no bairro. O verão se tornou um transtorno, culpa da falta de educação do povo (todos os que lá visitam) e das autoridades públicas. Estes últimos ao menos podemos condenar (de novo) visto que não aprimoram a nossa precária infra-estrutura, ou a falta dela… Caso existissem vias duplicadas, banheiros públicos, policiamento 24h (flanelinhas não valem) e outros, talvez pudessem funcionar.

    Mas como sou brasileiro, e sei que nada vai funcionar mesmo, ao menos a baderna fica em Jurerê! Não reclamem, deixem a zorra por lá! E viva o que fazem por lá! Aplausos! Vivas! E nos é claro que não vamos! Ao menos no verão!

  • Isabel diz: 11 de janeiro de 2012

    Cara… matou a pau literalmente, e não é só Jurerê, a ilha toda ta tomada de inúteis desse tipo, vejam o que aconteceu na Lagoa, mulheres semi-nuas dançando na rua, que que é isso??? onde estamos??? de fato é a ilha da putaria, e como nós moradores vivemos no verão, somos obrigados a aturar isso?? não né, e até qd vamos ficar vendo essas atrocidades e não nos mexermos pra fazer nada?? por favor povo vamos nos mobilizar, a paz e as vidas das pessoas inocentes valem mais que esse tipo de constrangimento

  • André Arins diz: 11 de janeiro de 2012

    Hj tecnologia dá mais arrecadação do que turismo em Floripa. Nem precisamos mais trazer esta gente sem educação pra cá!
    As vezes é necessário desabafar mesmo.
    Abraço;

  • luciana diz: 11 de janeiro de 2012

    Caro Ribas,eu como uma legitima PAULISTA me senti ofendida quando fala de paulistas idiotas!!Imagimo que turistas não são feitos só de paulistas,mas sim do Brasil inteiro e idiotas tem em todo lugar,em Floripa também!!Você já deve ter sido turista algum dia da sua vida,então tente lembrar como era.Congestionamento,idiotas bebados, periguetes dançando funk,é só perguntar para qualquer morador do Guarujá,Buzios,Cabo Frio,Camboriu,Guaratuba,Ubatuba e por ai vai .Minha filha,genro e irmã acabaram de chegar de férias de Floripa e só teceram elogios dessa cidade.E eles são paulistas!.Com todo respeito,você foi preconceituoso e bairrista, mas eu aceito as suas desculpas.Aceite um conselho,mude-se durante o verão, vá para algum lugar beeeemmmm distante, onde o unico turista será você.Abraços!

  • João Henrique Gasparino diz: 11 de janeiro de 2012

    Muito bem apontado Ricardo…
    E o pior é que a mulherada de Floripa (que vivem criticando mas adoram uma ostentação) alimentam esse tipo de comportamento. Claro, isso não é uma regra, mas acontece.

    Tenho casa em jurere desde que nasci, primeiro no Tradicional (quando o outro lado era só mato) e hoje no internacional, bem perto do cafe de la musique. O local é lindo, o café em dias fora de temporada, com festas da galera etc é muito bom. Agora, vem esse pessoal gastar 15 mil no camarote quebrar tudo e sair dirigindo bebado pela nossa prainha querida… porra. O pior é que a maioria ainda é gente ruim, que sai de lá querendo brigar. Meu irmão de 15 anos voltava para casa quando se deparou com 2 desses bombadões que saíam do café por volta da meia noite e falvam em vóz alta: “agora eu quero bater em alguem.” foram até meu irmão, que estava com um amigo, e se decepcionaram pois eram apenas duas crianças… acabaram desistindo da empreitada.

    Eu, como membro da sociedade, se vejo uma coisa dessas, não sei o que faria… ainda mais com meu irmão… bater nos caras eu não ia conseguir, mas ver meu irmão sendo espancado muito menos. Se precisasse eu mataria. E ai??

    Vi a praia de jurerê ir do auge ao inferno, costumava ser um local bem frequentado, hoje em dia é só putaria e bagunça. Claro, quem me conhece sabe que eu também gosto de festa, mas com respeito, sem destruição, sem poluição, sem briga.

    A comunidade tem que reagir. Somos a maioria e não podemos deixar barato. Em floripa, turista bom é turista em casa!!!

  • Thiago diz: 11 de janeiro de 2012

    Boa noite a todos. Sou Florianopolitano e contemporaneamente isto vem ocorrendo com frequencia em nossa ilha.
    Na minha opinião uma percentagem disto vem da própria mídia de Florianópolis, quem ficam mostrando e vangloriando os “ricassos” que rasgam dinheiro dinheiro nessas baladas, e infelizmente como foi citado anteriormente são caras que guardam o ano todo suando a camisa para torrar em 1 semana e fazerem as atrocidades citadas pelos leitores aqui neste post.
    Acredito que se a mídia parasse de estimular este tipo de atitude talvez, não sei, o número de casos diminuísse.

    Forte abraço a todos

  • Tavo diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo sobre a falta de educação de alguns turistas ,pois nosso Brasil só se procupa com crescimento econômico ,mais renda e esqueçe da EDUCAÇÃO.Não basta ter dinheiro ,sem ter educação e CIVILIDADE…..coisa que tu vê na Europa e longe de se ver no Brasil…..Agora os manezinhos se acham uns “santinhos”,são puros ,não usam drogas ,não bebem…..quanta hipocresia desse povo da ilha heim ???Reclamam dos turistas mas ficam na beira da faixa sacudindo molhos de chaves para alugarem suas casas pra não morrerem de fome durante o Inverno……menos ,bem menos

  • Tavo diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo sobre a falta de educação de alguns turistas ,pois nosso Brasil só se procupa com crescimento econômico ,mais renda e esqueçe da EDUCAÇÃO.Não basta ter dinheiro ,sem ter educação e CIVILIDADE…..coisa que tu vê na Europa e longe de se ver no Brasil…..Agora os manezinhos se acham uns “santinhos”,são puros ,não usam drogas ,não bebem…..quanta hipocresia desse povo da ilha heim ???Reclamam dos turistas mas ficam na beira da faixa sacudindo molhos de chaves para alugarem suas casas pra não morrerem de fome durante o Inverno……menos ,bem menos gente

  • Patricia Cristine diz: 11 de janeiro de 2012

    PARABÉNS ! Verdade pura !!
    A sete anos moro em Salavdor, já morei em São Paulo, Rio de Janeiro e fico indignada com a falta de educação do povo. Não importa se é cidade grande ou pequena.
    Mato a saudade de Blumenau ao vivo através das cameras no http://blumenau.bnu.com.br/aovivo/beirario e fico admirando a educação do nosso povo catarinense, mesmo na hora de pico com congestionamentos não existe motoristas mal educados cortando pela via exclusiva de onibus. Podem conferir.
    Que saudades..

  • Rica morim diz: 11 de janeiro de 2012

    E fato que estamos perdendo os bons turistas de jurere as pessoas de família que tem um poder de renda p ser gasto na hotelaria em restaurantes shopping devido a bagunça que o local vem demostrando com esse pessoal q vem p ca gastar somente em meia dúzia de festas .. Afinal tenho casa em jurere e os empresários das baladas não sao capaz nem de recolher o lixo deixado por sua clientela .. Visando somente o lucro e o povo q se exploda . Como a pácha colocou 16 mil pessoas em seu estabelecimento se não tem nem estacionamento para ..ta na hora de pagar impostos sobre e o mínimo

  • thiago diz: 11 de janeiro de 2012

    Não temos que tratar turista bem coisa nenhuma, temos q tratalos como pessoas normais!
    mais isso eh culpa naum soh dos politicos, eh da mulherada daqui tbm q cada vez mais tem fama de vagabunda em sao paulo, rio e outros estados! naum podem ver um carro bunito que ja se assanham todas! ai eles voltam comentando vamo pra floripa q la ta cheio de safada! a ilha eh da manezada e pronto! fora HAOLE!

  • Lucianne Liz Allet Matte diz: 11 de janeiro de 2012

    Balneário Camboriú não é nada diferente disso. O que falta pra essa gente é respeito e educação…tanto para os que vem quanto para os que moram aqui e ficam acobertando ou se aproveitando pra badernar também. Sabe o que ouvi outro dia de um morador da região? Que eu deveria ser gentil com os turistas… ele queria que eu desse a ré no meu carro pra deixar um ônibus passar na contramão. Chutou meu carro. Eu sou gentil o que eu não sou é ignorante pra não saber a diferença entre gentileza e desrespeito. Nada contra o turismo…tudo contra a falta de educação!

  • Iris diz: 11 de janeiro de 2012

    Lendo todos estes depoimentos chego a uma triste e real conclusão: cada um tem sua pequena parcela de culpa; O Poder Público, os visitantes, a população, enfim…de nada adianta procurar culpados onde todos estão inseridos…talvez a maior parcela de culpa seja dos Poderes sim, mas com relação à educação, porque se investissem mais pesado na educação, quem sabe não deixaríamos filhos melhores para cuidar deste patrimônio todo? Aliás, tudo começa por aí, pois a educação começa em casa e tem continuidade na escola…Vamos lá pessoal, quem sabe agir mais, criticar menos, cobrar mais (inclusive daqueles que lucram com isso) ajudaria a minimizar o problema? E não me refiro aqui apenas à Jurerê Internacional, mas sim à Grande Florianópolis. Não sou daqui, mas escolhi esta cidade por opção há 22 anos atrás e não a troco por nada neste mundo. Não podemos simplesmente olhar, comentar, criticar, apontar e nada resolver… Será que não está na hora de aparecer representantes de cada comunidade, para inserir os problemas numa pauta e ir direto àqueles que devem ser cobrados por tudo isso??? Pensem nisso…
    Obrigada pelo desabafo de todos…valeu. Espero que na próxima temporada tenhamos MUITAS coisas boas pra falar da nossa linda Floripa…

  • marcio andre gerhardt diz: 11 de janeiro de 2012

    bem isso!!!! e nos que pagamos IPTU e tantos outros impostos o ano inteiro para custear o imovel sequer temos a contraprestacao do Estado que acaba sem fazer nada em favor do cidadao de bem….. seria tao simples uma fiscalizacao na saida de cada festa noturna…. essa turma toda ia correr para outro lugar e a paz voltaria a reinar…. nao tenho medo de dizer que o poder publico come na mao deles – nao existe outro motivo para o final de festa nao ser fiscalizado

  • Lucianne Liz Allet Matte diz: 11 de janeiro de 2012

    Peço desculpas às pessoas de outros locais que moram aqui, trabalham, ou simplesmente vem passar as férias aqui em nosso Estado. Isso é um problema de falta de educação e respeito e não de naturalidade e nacionalidade. Como já disse antes, os turistas são e serão sempre bem vindos assim como todos os que vem trabalhar e morar aqui. Não posso dizer o mesmo para os que não obedecem Leis e não respeitam as pessoas .

  • Floripa S.O.S. diz: 11 de janeiro de 2012

    Cara, se não fosse as praias… é o que se salva aqui na ilha da perdição…
    A putaria come solta… O que ainda salva aqui são as praias… o ser humano rico é uma ameaça à vida…
    Dinheiro e status não tem nada a ver com VIDA, PURA VIDA, VIDA PURA…
    SÃO PAULO É UM LIXO E ELES INVADEM COM FACILIDADE (FINANCEIRA É CLARO)

  • fernando diz: 11 de janeiro de 2012

    Turista sustentável, não vem de carro , fica pouco e gasta muito …. Também sou mané, minha família já teve apto em Jurerê, vendemos na hora certa, independente do tipo de turista que venha para Fpolis, o que eu quero mesmo é paz, curtir meu verãozinho tranquilo, até porque , como diz um amigo meu milionário de verdade avesso aos fleches, trabalhador, educado, e unanimidade perante a sociedade empresarial… ” lata cheia não faz barulho”. Jureres bizarres beach…

  • Paquistanes diz: 11 de janeiro de 2012

    Cacau, Florianópolis está seriamente doente. Anos de exploração imobiliária e turística predatórias, muita corrupção, superexposição, violência urbana explosiva, levaram a cidade a superar todos os seus LIMITES, ambientais, demográficos, geográficos e morais. Ou a cidade pisa no freio, repensa, troca toda esta putada no poder-até porque, fraldas e políticos tem que ser trocados com frequência e pelos mesmos motivos- e cria LIMITES, ou vamos pro buraco, com bolha imobiliária e tudo!!Capital Turística do Merdasul??

  • Juliana Campeche diz: 11 de janeiro de 2012

    Infelizmente está faltando visão na ilha… é muito Marketing e pouco investimento! Eu escolhi morar aqui, por acreditar que viveria com mais qualidade e segurança do que em Porto Alegre. Rezo pra que pelos menos as belezas naturais sejam PRESERVADAS. No mais, fico no meu cantinho.

  • Tom diz: 11 de janeiro de 2012

    Bem galéra ja que todo mundo reclama dos TURISTA aqui na ILHA vou expressar minha opinião, concordo que tem muitos turistas mal educados, sem educação, sem respeito e etc, mas vocês tem que ver o outro lado tambem pois muitas pessoas sobrevivem com a alta temporada na ilha, pois depois fica tudo morto por aqui, antes de falarem algo pensem que muitos deles precisam do TURISTA para sobreviver e garantir o ganha pão de cada dia e durante meses e tem muita gente que trabalhar com os TURISTAS e reclamam, só vejo reclamação de transito ruim (Floripa já está uma droga todos os dias), praia lotada (finais de semana com sol), Jurerê Internacional, riozinho (culpa da midia), violência (falta de policia nas ruas), transito (falta de respeito de motoristas e fiscalização), moro na Ilha a 6 anos, e tem coisas aqui que tenho que dar risada, amo essa cidade, só que aqui tem muito q aprender ainda, pois todos nós sabemos como Floripa está crescendo e muitas coisas estão ficando para tras, então vamos parar de ficar colocando a culpa nos TURISTAS pois FLORIPA necessita deles como outros ESTADOS tambem, pois para mim a culpa de tudo isso é dos GOVERNANTES do nosso ESTADO que não fazem nada para resolver essa sitiação……..

  • Marcio diz: 11 de janeiro de 2012

    Vc tem algo contra paulista???
    Não generalize amigo, como tem estes tipos de paulistas que vc fala, tbem tem catarinos, mineiros, paranaense, enfim brasileiros…
    Já que está falando de todos, inclusive “raças daqui”, não esqueça dos argentinos que pensam que são donos de tudo.
    Isso tem em qualquer litoral badalado brasileiro, isso é o preço que se paga pelas ações desses políticos que “distribuem” alvarás, para tornar o lugar “badalado”.
    Com certeza, vc deve ter conhecido Jurere (sem o internacional) e sabe como isso era gostoso, não só Jurere, mas varias praias da ilha e do estado, vc conheceu Balneario Camboriu ha 20 anos atrás? Se conheceu, sabe do que eu estou falando…

  • Gabriel diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com o que vc fala sobre a bagunça, falta de respeito e educação… Porém falar de “paulistas” so faz de vc um arrogante, separatista e sem a menor noção de que a culpa de tudo isso é a total falta de policiamento nas ruas de Jurerê. A ILHA não é de vcs! Cai na real… Assim como São Paulo não é nossa! Adorei minha estadia ai e as principais reclamações que tenho é o péssimo atendimento, péssimos serviços e a falta de administração da cidade pelos que tão orgulhosamente chamam de sua. Administrar significa cuidar, para que não vire essa bagunça que vcs mesmos deixaram acontecer. Se fossem tão bons como dizem ser, cobrariam seus representantes para que eles aumentassem o policiamento e punissem com rigor o que lhes incomodam tanto. Colocar a culpa nesse ou naquele não te faz melhor e sim pior. Aqui em Sâo Paulo temos pelo menos 100 vezes o tamanho de Floripa e convivemos com gente de tds os estados inclusive do seu e nem por isso colocamos a culpa dos nossos problemas nos outros… MENOS…MENOS…MENOS! VC FALA MUITO! QUAL ATITUDE REAL VC TOMOU? NENHUMA? ENTÃO VC NÃO É REFERÊNCIA… VC SERIA IRREVERENTE MESMO SE TIVESSE TOMADO ALGUMA ATITUDE CONTUNDENTE REFERENTE AO QUE VC TANTO RECLAMA. O BRASIL JA ESTA CHEIO DE GENTE FALANDO… VC NÃO MERECE FLORIANOPOLIS, NEM TD A BELEZA DESSA ILHA PELO SIMPLES FATO DE NÃO CUIDAR DELA E PERDER SEU TEMPO FALANDO ABOBRINHAS PRECONCEITUOSAS EM SEU BLOG… MUDE SUA ATITUDE ANTES DE ESPERAR QUE OS OUTROS MUDEM AS DELES!

  • Henrique diz: 11 de janeiro de 2012

    Em Parati (RJ) e em Fernando de Noronha todo turista que adentrar a estas cidades (duas ilhas como Florianópolis) pagam taxas, espécie de pedágio, para a conservação, seleção e preservação das cidades. Em Fernando de Noronha é cerca de R$ 140 por pessoa. Em Florianópolis se alguém propor isto vai preso, toma porrada na rua, é achincalhado na mídia. Duvido que algum prefeito tenha coragem de fazer e duvido mais ainda que a Câmara de Vereadores (vendida para os empresários haja vista vários episódios como a moratória do Itacorubi) aprove.

    Enquanto houver gente pagando pau pra esses turistas do Jurerê Internacional estamos fu… ou então o povo irá se revoltar e fazer igual aconteceu na Barra da Lagoa, aliás falta pouco pra isso.

  • éoqueda diz: 11 de janeiro de 2012

    pois é seus manezinhos, se acham o máximo, que floripa eh melhor que tudo, que moram onde os outros passam as férias, agora aguentem.

  • Bianca diz: 11 de janeiro de 2012

    O comentário da Rafaela Rocha merecia virar um post também.

  • Gui Oliveira diz: 11 de janeiro de 2012

    Moro no Rs e adoro Santa Catarina, tenho amigos muito queridos ai. Conheço Jurerê e fico feliz em saber que a iniciativa de uma pessoa foi capaz de trazer a tona tantas opiniões a(bem parecidas) sobre o caus que esta se toranndo Jurerê e tantos outros lugares da ilha. Bom, os empresários não vão mover uma palha pra mudar essa situação,pelo contrário vão tentar atrair mais “invasores” metidos a rico. Sem falar que Jurerê internacional se tornou o logar preferido de ricos ladrões, politicos corruptos, um lugar onde pode se fechar negócios podres, de chinelos de dedo e dermudas, com bebidas caras, festas milionárias com um monte de piranha em volta que vão pra essas festas pensando na aposentadoria. Para que a paz e a tranquilidade volte para esse lugar, comentarios na internete vão ajudar mas não vão resolver o probleméa. Só uma coisa vai…a coletividade, o povo que mora ai é a única força capaz de mudar esse quadro. Protejam Floripa! salvem floripa!

  • Petry diz: 11 de janeiro de 2012

    Há 5 anos não haviam tais barbaridades.

  • gurja diz: 11 de janeiro de 2012

    o comentario foi pertinente e pouco ofensivo. so esqueceu de comentar das profissionais do sexo que vao p la encher ou tentar encher o rabo de din din dos ricos ou falsos ricos esbanjadores. a ilha da magia recebeu um apelido adequado.

  • Max Cesar Nunes diz: 11 de janeiro de 2012

    Rica Ribas, tu mora no paraíso…é claro que as vezes pinta uns demônios na área! Uma vez um empresário estava reclamando que roubaram um dos 45 caminhões dele…..o office boy empregado do empresário, na sua ingenuidade disse pro patrão…mas patrão, isto só acontece com quem tem caminhão….vê se acontece comigo? Eu bem que queria ter uns caminhõezinhos para serem roubados….

  • Catarina diz: 11 de janeiro de 2012

    Ja ta dando saudade de Rico fresco e esnobe, que não faz mal a ninguem!

  • Ex-mané diz: 11 de janeiro de 2012

    Parece o início do fim. Aliás, se é assim em Jurerê, multiplique nas outras.
    É… mataram a glainha dos ovos de ouro…

  • Olga diz: 11 de janeiro de 2012

    As verdades, além de serem ditas, deveriam ser prioridades de soluções. Mas por quem?

  • Evandro Amandio diz: 11 de janeiro de 2012

    Parece que estão falando de outra cidade, e não a linda, e maravilhosa floripa que morei ha anos atras.Uma pena ver a degradação ambiental e social da nossa capital.Aquela historia de chamar Ilha da fantasia gerou efeitos colaterais.Apropriado o comentário de Ribas Rica, e já adianto que farol de Sta Marta esta no mesmo caminho.Alias o mundo inteiro esta assim, a contra-mão da sustentabilidade.

  • Ju diz: 11 de janeiro de 2012

    No Rio Grande do Sul estão fazendo uma ação BALADA SEGURA policiais em todos os lugares de agitos…E fundamental que façam isso em Floripa urgente.

  • edison reis diz: 11 de janeiro de 2012

    O que acontece é pessoas como Rica Ribas, antigamnte com o carro nacional do ano, Campari e Martini eram os caras na cidade, mas hoje com os Paulistas , Gaúchos e Ferrari e cia perderam o trono, a inveja é foda.

  • zico gremista diz: 11 de janeiro de 2012

    Se fosse jurere gremista seria uma maravilha ,mas um bocó colocou jurere internacional é claro que vai dar merda.

  • francesco colombo diz: 11 de janeiro de 2012

    Ue o ano passado o nobre colunista elogiava JI por isso dai….e agora??? Arrependeu-se? Santa ingenuidade! Era previvel que isso tudo iria deteriorar.!

  • Ana Beatriz diz: 11 de janeiro de 2012

    Olá Rica Ribas, sou moradora dos Ingleses, não sou da Ilha mas moro aqui há 12 anos, concordo plenamente contigo, pois aqui o que tem de gente mal educada, não é diferente. Principalmente aquele pessoal que se acha dono da areia da praia, sacode a canga na sua cara, abre o guarda sol no lugar que você está tomando sol. Faixa de segurança???Para que???, você é atropelado se pensar em atravessar, pois raramente alguém para. Em algumas ruas existem placas de proibido parar e estacionar, mas o que você mais vê é carro estacionado. Penso que as pessoas reclamam do brasil para lá e para cá, que tudo está errado no governo, mas eu te digo, o que está mesmo errado são estas pessoas que acham que pque como vc falou, juntam uma grana o ano todo e vem bancar o todo poderoso e sem humildade.
    pronto falei: Ana Beatriz!!!

  • Ricardo Santos diz: 11 de janeiro de 2012

    Um polo positivo atrai particulas negativas. Nao da pra ser uma ilha da fantasia no meio de um pais tao baguncado, pois uma hora ou outra havera uma invasao e um choque da realidade. Jurere eh um centro de turismo e alugueis de casas e este ciclo de atracao de turistas uma hora ou outra iria criar problemas locais. Isto nao eh novo e ja aconteceu em outros lugares do Brasil em outras epocas. Turista eh sempre turista tras dinheiro mas tambem tras seus costumes e sua educacao.

  • Melody diz: 11 de janeiro de 2012

    Há tempos que vejo pessoas que mudam-se para o litoral (em especial o catarinense) pagando de nativo e fazendo cara feia pra turistas. No dia 22 fomos hostilizados por uma funcionária do BB de ingleses. A ilha realmente tem sinalização péssima, estrutura defasada. Mas é linda e é do Brasil. Em qquer lugar do mundo é assim de Guaratuba às Ibiza, Ilhas Fiji, seja lá o que for, não é só em Jurerê INTERNACIONAL (quem sabe não inventam Jurerê Estadual, só pros catarina). Sossego tem na Groenlândia. Tá a fim disso, sai da cidade turística. O que não pode é descontar em todos os turistas as pendengas locais. Até pq queremos aproveitar antes que o oceano abocanhe tudo.

  • Vinicius diz: 11 de janeiro de 2012

    Bom era a época em que jurerê tinha até parque aquático. Agora quero ver quem já morava aqui nessa época. Eu já!

  • Marcos diz: 11 de janeiro de 2012

    Inicialmente devo parabenizar a iniciativa de discutir a situação atual de nossa cidade, que não se resume a suas belezas naturais. Temos muitos problemas como a maioria das cidades do nosso país com falta de segurança, saneamento básico, saúde e tantos outros.
    Com relação ao turismo, temos problemas decorrentes da concentração de veranistas comuns a qualquer cidade litorânea e outros oriundos da falta de educação das pessoas (creio que não devemos entrar no mérito da origem) que sujam indiscriminadamente nossas praias ou apresentam comportamento indigno de pessoas civilizadas.
    É necessário ter cuidado com a imagem vendida nos meios de comunicação, que muitas vezes vangloriam a ostentação do consumismo, dos frequentadores dos lugares badalados e do culto ao corpo como sinônimo de felicidade e modelo de vida a ser almejado.
    Devemos aproveitar a mídia e fazer campanhas com o objetivo de preservar e melhorar o paraíso de belezas naturais que temos, educando aqueles que vem aproveitar nossa cidade no sentido de que aqui não toleramos determinados tipos de comportamento. Nesse ponto as instituições têm um papel fundamental no sentido de uma atuação efetiva na repressão dos abusos.
    Creio que todos aqueles que desejam amar e cuidar da cidade, aproveitando seus encantos naturais e conhecendo sua gente calorosa são bem vindos. Importante mudar a mentalidade das pessoas e cobrar dos empresários que se preocupam com outros valores que só contribuem para prostituir a cidade.
    Essa é a opinião de um paulista que vive em Florianópolis e se atreve de chamar a cidade de sua, preocupado com o futuro desta Ilha que a todos encanta. Espero que a mesma continue encantando com sua própria personalidade e pelos valores corretos e não pela banalidade.

  • Felipe Bertin diz: 11 de janeiro de 2012

    Poderia escrever um verdadeiro ¨Tratado¨ sobre este tipo de gente abjeta. Bricar de RICO em curta temporada com economias feitas a duras penas é no mínimo patético. O ¨faz de conta¨ é o caminho mais curto para a demência. Essas pessoas tem uma idéia destorcida ou melhor, deformada de alguém que nasceu em previlégio social. E nunca saberão. Li uma vez que: ¨Não adianta tentarmos ensinar um porco a dançar. Será esforço inútil, conseguindo talvez, apenas irritar o porco¨. Não existe Ferrari que empane a verdade infeliz da realidade destes seres. Rezemos para que a ¨seleção natural¨ do universo possa extinguir estes animais inúteis de nossa fauna.

  • Rafael diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou paulista e concordo em parte com o que você falou, infelizmente a imagem de todos os turistas fica manchada devido a atitude irracional desses baderneiros, porém respeito o protesto e acho que vocês que sofrem com essa situação não devem deixar como está…

    um grande abraço e espero que achem uma solução o quanto antes para esse problema

  • elis nunes diz: 11 de janeiro de 2012

    Sou Catarinense, nascida em Itajaí, Moro em SP desde 1992.
    Tenho casa em Jurerê Internacional, próximo da Búzios…
    Meu marido é de SP, desde 2000 passamos todos os finais de ano aqui…

    Concordo com muitas das palavras de Rica, mas não com algumas:

    Os BOY’s com carrões na maioria são do Paraná e Rio Grande do Sul…

    Há conivência dos proprietários a partir do momento que alugam suas casas…

    A maioria das “mocinhas de famílias” que ficam nos bares são daqui!!!

    As maiores Baladas estão intaladas aqui, então, é fatal tal situação…

    O que deve ser feito:

    Mais fiscalização, policiamento!

    Campanhas para concientizar o turista!

    E por ai vai…

    IMAGINEM JURERÊ SEM ESSE GLAMOUR!!!!

    Com certeza o bairro terá uma desvalorização!!!!

    ORDEM E PROGRESSO!!!

    Esse é o caminho!!!!!!

  • Kiabbo diz: 11 de janeiro de 2012

    O que está acontecendo com JI é a realidade de grande parte dos bons locais de turismo em SC, promovidos excessivamente, com o intuito de festas e locais sem regras para seguir.
    Estão acabando com o nosso estado. Estado esse que nunca ganhara destaque anteriormente com violências nos mais variados âmbitos, mas hoje é figura carimbada em tragédias que mancham esta terra tão linda.
    Graças a Deus nasci aqui. Graças a Deus minha família possui uma confortável situação financeira. Saudades de me deslocar para qualquer praia de Florianópolis, sem este caos, e lentidão como é hoje.

    Vocês que são de foras de SC, e querem vim pra cá, aprendam uma coisa: AQUI NÃO TEM NADA QUE PRESTE. FIQUEM ONDE VOCÊS ESTÃO, QUE AÍ TEM. AQUI NÃO TEM NADA DE BOM PRA SE FAZER. SC EM TURISMO É UM LIXO.

    Cacau e Rica Ribas, esperem para vocês verem quando chegar próximo do carnaval, o tamanho da muvuca que vai virar Florianópolis, e o litoral sul de SC.

    Hoje em dia é muita facilidade financeira, na mão de quem não sabe administrar!

    Saudações!

  • Highsecret diz: 11 de janeiro de 2012

    Fiquei surpreso com a quantidade de comentários, o que demonstra que um dia Floripa ainda pode voltar aos trilhos! Já comentei várias vezes no passado que já tinha assistido esse filme anos atrás e vou repetir .

    Quando eu ainda era criança lia as revistas VISÃO, VEJA…e era comum aquelas colunas mostrando a XUXA & PELÉ..etc (Celebridades da época) marcando presença em Itaparica e Porto Seguro, na Bahia. Era um lugar paradisíaco e estava “BOMBANDO” numa linguagem semelhante a dos corretores de Jurerê a partir de 2005!

    Não demorou muito construíram um aeroporto em Porto Seguro e começaram os vôs fretados.. e o mercado imobiliário em alta, construindo casas até na areia da praia …até ser tomada por todo tipo de farofeiro e se tornar um lugar INDESEJADO!

    A alma de Floripa é o Manezinho e não esses EX BBBs pagos para bater ponto em “Beach Points”. Por muito tempo ouvi falar em Floripa mas sempre dizia que lá era Brasil também e que a novela era a mesma.. até que, depois do atentado de 2001 nos EUA, resolvi desembarcar em Floripa e achei que ainda tinha muita coisa boa até perceber que estava condenada da mesma forma que Porto Seguro e Itaparica foram sacrificadas!

    Gente, o povo de Floripa e muito ingênuo e reforço, conheço o Brasil e sei o que é essa gente e por isso acho que o turismo vai acabar com a ilha da mesma forma que acabou com muitos paraísos pelo Brasil afora!

    Excluindo os outros lugares, vamos concentrar nos casos de Itaparica e Porto Seguro. Começaram como Jurerê Internacional e terminou como CAGADOR NACIONAL!
    O Catarinense não sabe o que é o turismo gafanhoto mas eu digo, é quando divulgam um lugar demais e começa chover todo tipo de traça que passa como uma nuvem de gafanhotos e deixam uma desgraça!!! Os turistas que gostam de qualidade e pagam por isso vão embora para sempre porque existem lugares melhores e daí ficam as sobras que só levam problemas!

    Quanto ao caso especifico de Jurerê Internacional, percebi que a Habitasul sonhava lotear toda estação ecológica dos Carijós mas depois de ter seus planos frustrados pela operação moeda verde, rasgou o compromisso que tinha assumido com os moradores e passou a explorar a NOITE, com os Beachs Points ( São dela não são?) pois essa se tornou a única fonte de renda dela no bairro! Pouca gente ou talvez ninguém tenha percebido isso!

    Para terminar vou dizer o que um amigo que esteve na Nova Zelândia nos anos 90 me disse:

    “Lá é um paraíso mas fica somente entre nós, não divulgue isso!”

  • Highsecret diz: 11 de janeiro de 2012

    Como o post trata de Jurerê Internacional, vale destacar que finalmente uma pessoa bem informada foi ao cenbtro do problema. Parabéns Mar,

    Mesmo sem pedir sua autorização repito seu cometário e convido a ler os meus.

    ” Mar diz:11 de janeiro de 2012

    Infelizmente é tudo verdade! Jurerê é um paraíso durante o ano, e um inferno na temporada. A Habitasul fez um ótimo trabalho quando concebeu o bairro. E durante muito tempo ela vendeu o bairro como ideal para viver. Assim foi enquanto vendiam e lotearam toda a praia. Eu e demais moradores e proprietários \”compramos\” essa idéia. Mas os terrenos foram todos vendidos, a loteadora precisava de novas formas para ganhar dinheiro. Foi assim que surgiu a \”brilhante\” idéia de tirar os restaurantes da praia, e transformá-los em Beach Points. A gestão da Habitasul tinha a idéia de transformar Jurerê em uma espécie de St Tropez, local frequentado e admirado pelos gestores-prorietários.O problema todo é DINHEIRO, o lucro gerado compra tudo.
    Nós os moradores e proprietários pouco podemos fazer…Pagamos de forma voluntária a manutenção e segurança privada do bairro. Nossas casas(isso de mansão é deslumbramento de quem não nunca viu uma mansão de verdade) e jardins sem muros, servem de cenário para uns poucos lucrarem muito as custas de toda uma comunidade. Por aqui, muitos de nós esperam que o fundo do poço leve esses gafanhotos para outras bandas. E quem sabe Jurerê volte a ser um pouco do que era.”

  • Walkíria diz: 11 de janeiro de 2012

    Cacau o desbafo do Ricardo e de tantos que postaram seus comentários só demonstra o quanto estamos saturados de conviver com pessoas mal educadas (ilhéus/manezinhos e turistas), insatisfeitos com a ausência de um planejamento administrativo sério em relação ao turismo e ao crescimento da cidade, enojados com a supervalorização do “ter” (dinheiro, poder, fama) a qualquer preço e com ganância exacerbada de determinados empresários que só pensam no seu lucro, nem que seja pagando mal seus empregados, não emitindo notas fiscais para burlar o fisco e não trazendo nenhum benefício social/ambiental para a cidade. Este é um ano de eleições municipais…é a hora certa de demonstrar nossa indignação através das associações de bairro, organizações sociais e meios de comunicação. É a hora de estarmos atentos às propostas dos candidatos e discutirmos, entre tantas coisas, o modelo de turismo que queremos para os próximos anos. Um turismo que concilie a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento econômico, que valorize a arte, a música e a cultura locais, com exposições e apresentações em diversos locais da cidade com acesso a toda população, que incentive a prática segura e saudável de esportes e, sobretudo, promova a atuação eficaz dos órgãos de segurança e fiscalização, visando o cumprimento da lei e manutenção da tranquilidade de ilhéus e turistas.

  • AAZ diz: 11 de janeiro de 2012

    Caramba, ate que enfim manifestacoes!!! Venho falando disso ha anos.. e só vem piorando, e nada é feito.A midia sai espalhando por ai que jurere é a meca do luxo\baladas\gente bonita – a miami brasileira. Ai vem a corja de turistas mal educados (me referi ao mal educado ok?) querendo torrar seu cofrinho, p\ se passar de rico no facebook. Com isso vem a bandidagem toda, atras desses baderneiros incautos, e quem sofre, é a jurere, dos bons tempos que tinhamos segurança, turistas educados, com cortesia e respeito.

    Deu dessa imprensa fazer espetaculo, queremos jurere quieta, tranquila e pacifica, como sempre foi!nao uma ibiza tupiniquim!!!!!!!!

  • Julio Cesar de Lacerda diz: 11 de janeiro de 2012

    Estão estuprando a Ilha da Magia! Onde está o poder público?

  • Alexandra diz: 11 de janeiro de 2012

    Concordo com tudo o que foi dito! Não sou moradora de Jurerê Internacional, mas minha experiência com o local não é nada boa. Há uns dois anos fui passar as férias em Florianópolis e parei por algumas horas com uma amiga em JI, bastaram 3h para que nosso carro fosse arrombado e todas as nossas coisas fossem roubadas de dentro dele, ou seja, fiquei sem dinheiro e somente com a roupa que estava usando, pois minha mala foi levada. Quando entramos em contato com a empresa de segurança do local, que diz ter câmeras de segurança em todas as ruas, a resposta que tivemos foi de que não poderiam fazer nada porque não éramos moradoras do local, minha amiga falou que sua irmã era moradora e eles disseram que só poderiam fazer algo se ela entrasse em contato com eles, mas como ela não estava na cidade nada pode ser feito. Tivemos que ir até a polícia em Canasvieiras, que nada resolveu e eu tive que pegar dinheiro emprestado e voltar para casa no dia seguinte.
    O que acontece com JI, é que existe muita propaganda da cidade e da qualidade de vida do local, mas quando ocorre algum problema com um turista, se ele não paga os serviços locais, não pode ser ajudado!

  • miltinho diz: 11 de janeiro de 2012

    Nao sou de sc, nem de SP, mas tenho certeza que o mesmo paulista que resmunga por o post citar “paulistas” e chama o autor de separatista, é o mesmo que mete o pau em nordestino, que os “paraíba” ferraram sao paulo. O problema nao é de um local, regiao, ou outro… e sim, pessoas! Pessoas sem educação, seja paulista, carioca, mineiro, acreano enfim… acredito que o autor só citou um exemplo, tal como tbm 20 cariocas tocam o terror, 20 gauchos, ou 15 paraenses.. Só que é mais comum ver paulistas, pelo fato de ser mais populoso e rico tambem. Nao veja como uma ofensa colegas paulistas. :)

  • pedro diz: 11 de janeiro de 2012

    Florianópolis não passa de pura ilusão.

    Esta porcaria de cidade é, sempre foi e sempre será uma bagunça só. Nasci aqui, mas não tenho orgulho nenhum de dizer que sou “manézinho”. Graças a Deus não tenho esse sotaque horroroso, acho o centro e demais lugares históricos, uma lixeira só (extremamente mal cuidados), não idolatro o Guga e muito menos vou nessas festas de gente medíocre de Jurerê Internacional (até porque hoje em dia, durante o dia só tem babaca e prostituas, e a noite só ladrão que vão roubar os babacas)
    Aliás, falando em Jurerê internacional, o principal contingente de idiotas que vai lá babar nas ferraris, porsches e lamborghinis é local. Não tem tanto turista assim pra ir lá ver meia duzia de carro importado. E como tem idiota nessa cidade.
    No dia que esta cidade passar a ser uma cidade de trabalho, e não bagunça e vagabundagem, quem sabe não seja bom passar o verão aqui.

  • nativa diz: 11 de janeiro de 2012

    Sobre tudo o que foi falado que expressar minha opinião com outra visão: enquanto a cidade recebe os turistas que só querem aproveitar o verão, não importa como, eu estou trabalhando, servindo essas pessoas. Trabalho em uma farmácia na praia e pude presenciar a seguinte situação: um rapaz aparentando ter uns 30 anos, coberto de correntes de ouro (daquelas de clip de rapper americano), estava hospedado em uma /mansão/ em JI e foi comprar algumas coisas básicas. Sua compra: 6 recargas de celular, no valor de 100 reais casa uma; 6 protetores solar; um “kit ressaca” suficiente para umas 40 pessoas; secador de cabelo; hidratantes; produtos de higiene pessoal… valor total:R$ 2600,00… o detalhe é que ele não perguntou o preço de nada, aceitou todas as minhas sugestões e saiu dizendo que estava se preparando pra uma balada, as 11 da manhã. Quem será essa pessoa??? Como ele existem muitos outros….

  • clovis vijales diz: 11 de janeiro de 2012

    tenho uma duvida a brigada militar de santa catarina não faz operação verão deslocando policiamento do interior do estado pra ilha, aqui no rio grande temos a operação golfinho, que triplica o efetivo na temporada?

  • clovis vijales diz: 11 de janeiro de 2012

    a próxima eleição pra prefeito tá ai gente!!!!

  • Fernando diz: 11 de janeiro de 2012

    sensacional esse artigo. bando de babacas, economizam o ano todo, alugam carros importados, gastam em champagnes para ostentar algo que não são, a maioria é trabalhador de empresas, até ganham bem, mas não são sequer sócios e donos de grandes empresas. ou vcs já viram um EIKE Batista da vida agindo como esses imbecis que invadem Jurere ?????? e pior ainda são as otárias das mulheres que caem na lábia desses falsos ricos, e ficam sonhando com um mundo de glamour e grana.e outra se forem mesmo de dinheiro a policia federal deveria marcar em cima, pega fotinho no facebook e vai investigar o cara, pq ninguém sai torrando grana suada assim, é grana ilicita certamente.

  • IGOR FONSECA diz: 11 de janeiro de 2012

    É o preço do sucesso, no Rio de Janeiro está até pior e em outras capitais do nordeste também, agora duvido que a cidade não lucre com o turismo, indiretamente o governo estadual arrecada com maior circulação de bens e serviços. Até o momento, nenhuma cidade do Brasil conhece o que é a indústria do turismo, tanto pelos serviços públicos e privados ofertados aos turistas quanto pela civilidade dos visitantes. Os moradores permanentes devem exigir maior atuação do poder público nos períodos de visitação.

  • DIEGO diz: 11 de janeiro de 2012

    concerteza aqueles de comentários contrario ao dito pelo nosso amigo ribas nao é um morador ou frequentador nativo da ilha.
    sempre tem aqueles “péla sacos” que se julgam o melhor e adoram tirar com a cara dos outros sem ao menos se identificar.
    a ilha está virando um tremendo inferno, desculpe o uso da palavra, mas é o que nós nativos realmente sentimos.
    jurere citado acima é só um exemplo do que acontece em todas outras regiões de floripa.

    NÃO AGUENTAMOS MAIS TURISTAS SEM RESPEITO ALGUM NA ILHA.
    SEJA BEM VINDO A FLORIPA, AGORA POR FAVOR NAO VOLTE!!!!!

  • Lia Braga diz: 11 de janeiro de 2012

    Já li em muitos lugares e campanhas no facebook, de alguns moradores da ILHA DA MAGIA que: TURISTAS esse lugar esta lotado, fechado nesta temporada, coisas do gênero, como se os habitantes da nossa capital fossem donos do lugar, massss….. a ilha é de todos, sou uma turista que sabe respeitar quem mora ai ou em outras cidades litorâneas, mas não sinto o respeito da população local… olham como se fossemos todos uns porcos que estamos ali apenas para sujar e desrespeitar, infelizmente nunca ouvi falar bem de nenhum turista, sempre coisas ruins, não se pode generalizar.

  • LUIZ diz: 11 de janeiro de 2012

    CONCORDO COM O SR., RICA RIBAS, complemento, moro aquí em Jurerê, fazem 11 anos, tenho mais de 70, continuo trabalhando, pois pensão do INSS, não sustenta ninguem, muito menos idoso, tenho comigo, 539 B.Os.,somente dos meses de JAN/FEV dos anos 06,07,08,09 e 10, bem como fotos, filmes, recortes de jornais, inclusive com , NÃO ENTENDI! ” convocação de colunista para que o PESSOAL DOS MORROS, para virem para JURERÊ, POIS JURERÊ NÃO MORDE… ETC.TEC., agora já temos de tudo, paredes recheadas pelo TRÁFICO, traficantes, assessor da FAZENDA tinha guardado R$ 649.000,00 e US$ 57.000,00 no apartamento em JURERÊ., FILIPINO dono de IGREJA, procurado pela POLICIA DE SEU PAIS, mora aquí,a PM faz B.O. (2007) ONDE, dono de festa em residência, manda-os de volta, dizendo que caso contrario, ligaria para o GOVERNADOR (2007), neste B.O., consta o nome e o número da OAB desta pessoa e assim é hoje o nosso bairro, TEM TUDO PARA PIORAR, GRAÇAS A MÍDIA E AS PESSOAS QUE VIVEM DA NOITE, DOS ALUGUÉIS INCLUSIVE DE ÁREAS PÚBLICAS (APP), ONDE, nossas AUTORIDADES, emitem LICENÇAS PARA AUMENTAREM A ÀREA DE CONSTRUÇÕES DOS BARES/BOITES EXISTENTES, NA ORLA DE JURERÊ INTERNACIONAL.fui

  • Willian Rosa diz: 12 de janeiro de 2012

    Florianópolis, uma das únicas cidades brasileiras onde o status vem antes da educação, gentileza, sabedoria e até mesmo o própio dinheiro.
    Floripa aqui parecer é mais importante do que ser.

    Esse ano passei o revéllion fora e assim será todos os próximos, Praia Brava,Santinho e Ponta do Papagaio não perdem nada para Jurerê Ilusão Internacional..

  • Tiago diz: 12 de janeiro de 2012

    Sugiro mudar-te…. Pois Jurerê será a mesma por um bom tempo…. Bom que vc tem outras praias por perto e vender seu imóvel para comprar outro noutra praia não será difícil, aliás, pelo que dizes, deverá ser um bom negócio….
    Infelizmente para alguns, felizmente para outros, algum local será a “Jurerê” da vez… No momento é Floripa, daqui um tempo será outra….
    Frequento Jurerê em dias turbulentos. Entendo que o julgamento de alguém independente do seu gosto musical, visual, posses, etc, pois cada um faz o que bem entender com o seu dinheiro. Concordo que a liberdade de um termina aonde começa a do outro. Existem excessos e irresponsabilidades em Jurerê, como em qualquer praia ou local com o movimento e densidade similar, aliás, é muito pior!
    Conselho de quem não lhe conhece: viaje, leia mais, e avalie o conteúdo de seus dizeres, pois estás se mostrando um ser tão pior quanto aqueles que julgas pela roupa, correntes, gostos musicais, e carro. Mude de local, venda a sua casa, assim ficarás mais feliz e satisfeito com sua vida. Existem muitas praias como era Jurere há 5 ou 10 anos atrás (e baratas!). O mundo é assim, feliz ou infelizmente. Conforme-se e tente mudá-lo de uma forma inteligente, e não como está fazendo…

  • sonia diz: 12 de janeiro de 2012

    Boa tarde,
    Parabéns ao Ribas pela iniciativa, e a você Cacau pela oportunidade.
    Também moro em Jurerê, caminho diariamente no Passeio dos Namorados, e tenho assistido muitas outras cenas de desrespeito aos que por ali trafegam.
    Sem contar a dificuldade de ir e vir do centro (onde trabalho,) em dias de eventos no norte da ilha.
    Talvez, precise aumentar o policiamento nesta época do ano,principalmente nestes locais próximos aos clubes,e locais de lazer e esportes em geral, ou fosse o momento de limitar um pouco os “alvarás para estas bandas de cá,” pois com a concentração da maior parte de eventos de lazer pro norte da ilha, estamos reunindo os necessários ingredientes para uma verdadeira bomba.
    Ou seja:
    Acesso através de vias rápidas, altíssima concentração de pessoas, grande numero de estabelecimentos cuja a motivação é etílica, e a total falta de educação, por uma grande parte das pessoas que frequentam estes eventos e “Beach Clubs”
    Nossa cidade na minha opinião, é muito bem cuidada, dentro do possível.
    Mas não contávamos em ficar “tão grande e famosa.”
    Consequência lógica de boas, praias, boas casas,boa administração,boa divulgação e um povo muito bom.
    Mas, na minha opinião, algumas providências precisam ser tomadas por parte dos órgãos competentes e empresários.
    sabemos que não podemos, e não queremos, impedir a vinda dos turistas, sejam eles: de um bairro para o outro, de uma cidade, ou de um pais para o outro.
    São bem-vindos.
    Mas, o intercâmbio tem que ser de educação, limites, direitos, obrigações e respeito.

  • juH diz: 12 de janeiro de 2012

    bomm sou moradora, nativa, sinceramente a ilha ta um infernooooooooooooooooooooooooooooooooooooo eu trabalho em canasvieiras pego transito todos os diass vc ,sabe o que é ate chegar no serviço, ja cansada de tanta baderna no transito de gente idiota que acham que podem fazer o que quererm por que estão pagando pra estar aqui, gente mais estupidas, não respeitam a faxa de pedrestre, sinais, o acostamento virou uma segunda mão como pista dupla neh. eu mal vejo uma placa de florianopolis so gente de fora nada contra o pessoal de fora vem muitas pessoas boas concerteza com suas familias para realmete aproveitar as praias. mais olha o que vem de gente achando q ta tudo liberado a gente pelo amor de DEUS neh sera que no seu lugar fazem isso?
    cade os policiais nessas horas de filas que estão passado pelo acostamento? que não paão para deixar os pedestres passar? mais pra cuidar de um inicio de uma baladinha para cuidar de bebados maus educados que ainda saem matando gente honesta nessas estradas estão cheios neh . esses dias vindo do serviço um carro vou ate ier da onde DE PORTO ALEGRE o cara achouque tinha comprado a estrada neh be no meiooo e fazendo a maior fila e o pior não é isso e parei na faixa para duas crianças passar vcs acreditão que ele quase passou por cima e nao parou eu fquei puta da cara chinguei berrei sozinha dentro do carro.AGORA TE PERGUNTO CACAU. VCS ENCHEM TANTO A BOLA DOS TURISTAS QUE SÃO OS BAM BAM BAM QUE FAZEM FLORIANOPOLIS SER UM CIDADE VISTA, GRANDE, BOA DE PASSAR FERIAS E TALS?
    SEU TOLO COMO EU MANEZINHA FALO TIMBORA VCS AI ENCHENDO A BOLA DELES E ELES RINDO DA NOSSA E SUA CARA CHANDO A GENTE DE MANEZINHO DE BURROS INCAPAZES DE ALGUMA COISA E IMITANDO O GENITOTOLOQUE PRA ELES É BEM ISSO NEH. O NOSSO JEITO E CULTURA DE FALAR RINDO DAS NOSSAS CULTURAS ESTRAGANDO O NOSSO LUGAR COM PUTARIA E BADERNA NOS CHAMANDO DE VAGABUNDO QUE NÃO GOSTAMOS DE TRABALHAR ATE POR QUE NEH O QUE SERIA DELES NA TEMPORADA SEM OS TOLOS AQUI A TRABALHAR PRA ELES NEH OLHA NEM VO FALA MAIS NADA QUE ECHO QE TA TA BOM É SO UMA PALINHA DO QUE EU PENSO E UMMM TIMBORA PRA VCSSSSSSSSSS.

  • renato cunha diz: 12 de janeiro de 2012

    passei alguns dias na ilha, e, acostumado ao policiamento ostensivo e bliz com bafometro obrigatorio em porto alegre, fiquei surpreso ao ouvir de amigo nativo que aqui nao precisaria me preocupar, poderia beber a vontade e voltar para a pousada sem risco, pois as blitz nao existem……. ilha da magia, pronta para devolver os velhos habitos dos que dirigem bebados. Pensava que isso era passado. Talvez acusem gauchos e paulistas de fazer em floripa o que nao mais fazem nas suas terras, pois aqui a permissividade permeia, ainda mais num carro importado e pagando de gatao em JI…… viva o dinheiro bem vindo nao? essa é a imagem que a sociedade de florianopolis passa aos visitantes, bem intencionados ou nao……

  • Moradora de Floripa diz: 12 de janeiro de 2012

    Muito bom o texto, mas acho que não se trata dos turistas isoladamente uma vez que uma grande parcela do pessoal que reside em Floripa faz exatamente o que o texto descreve o ano inteiro em especial no verão quando a maioria está de férias e o número de festas promovidas mais que dobra. A questão é EDUCAÇÃO das pessoas de fora e daqui também!

  • Eduardo diz: 12 de janeiro de 2012

    Interessante…Minhas Família é toda de Floripa, posso ir em todas as praias, ficar de graça, comer de graça (não que ue não tenha condições, já que avó, tios e tias moram lá e são nativos de lá). Me lembro de quando ia a Floripa com os meus pais e irmãos aqui de Blumenau, da casa da minha avó que era outra casa, não a atual, onde se via a ponte hercílio luz, a Colombo Salles e ainda em construção a Pedro Ivo Campos. Era uma cidade pacata, isso era em 1981 ou 1982. Nasci em Florianópolis, apenas nasci, pois minha mãe estava em Floripa visitando meus avós, sou Blumenauense, como eu falo, Manezinho com tecnologia Alemã! Gosto muito de praia, realmente gosto muito!! Porém a divulgação de Florianópolis na mídia acabou com a cidade. 1° Vieram os gaúchos (por mim poderia vir só as gaúchas) 2° Vieram os paulistas …3°os forrasteiros de outras regiões, enfim, uma raça. Florianópolis (Nome do “O Marechal de Ferro”) cidade que ficou na saudade. Os Florianópolitanos foram iludidos igual aos índios quando os portugueses descobriram o Brasil, trocaram o “Ouro” por pente, e penduricalhos. Consequência dessa troca é isto que vocês estão vendo. A mídia também é culpada disso! É novela, jornal enfim! Vi o Estúdio RBS esses dias mostrando Jurerê, quanta tolice em uma matéria só! A única coisa que salvou a matéria foi as TOPs! Isso mostra que Florianópolis entrou em uma situação irreversível, onde só tende a aumentar, isso é igual a campanha contra o tabagismo, sempre foi avisado, quando ver é tarde!

  • Não faz diferença diz: 12 de janeiro de 2012

    Cara, cai na real, por mais verdadeiro que seja teu desabafo, teus argumentos e tudo mais, tu acha que a burguezada que ta no “tudo de bom e do melhor” vai se dar o luxo de reclamar disso? NUNCA! Cansei de passar por Jurerê a pé com amigas minhas e aqueles filhos de papai que não tem vergonha na cara de ser alguém na vida, pegam o carro do papai e da mamão e se pagam de patrão falando: “Pô, perdendo tempo com um esse pobre ai, vem pro papai!”. O problema não é só com os turistas, mas em maior parte com os IGNORANTES que por lá vivem.

  • elton schaffer diz: 12 de janeiro de 2012

    É verdade que Jurere Internaciona virou um centro para ladrões de carro e arombadores de veiculo e muitos outros crimes. Tive meu carro arombado no dia 07/01/12 e jurere internacional e levei um prejuizo de ums 20.000,00 e nada pode ser feito a kronos diz que não tem oque faser quando falei com o plantão deles e o governo de SC ao invés de por altidor na BR 101 fasendo publicidade da segurança que não existe fose contratar mais policiais com este dinheiro. ISSO É UMA VERGONHA.

  • Thatty diz: 12 de janeiro de 2012

    É lamentável para Santa Catarina, é só dar uma espiadinha pela net nos vídeos e post que fizeram de Jurerê internacional uma Las Vegas( brasileira). Sim vamos guardar dinheiro, alugar uma casa legal e imaginar que somos ricos.Fazer de tudo para chamar atenção,bancar festas… Não generalizo em paulistas e gaúchos, nunca! O tipinho esnobe que incomoda por ali não FAZ no seu estado(quem diria cidade) as atrocidades públicas que efetua ali. O que da nojo com o perdão da palavra é que todas as praias de SC estão sofrendo com este tipo de invasão e não somente em Floripa. O lixo deixando nas praias o desrespeito com os verdadeiros Turistas…E o lixo que também fica navegando na net …LAMENTO!!!

  • Ronaldo Marchetto diz: 12 de janeiro de 2012

    Concordo cmo que escreveu Edison reis. Já morei em Florianópolis e sei que é umlocal onde o crime, as barbáries e desmandos da lei correm soltos (mas são abafados em nome de uma magia que a ilha não tem). Vários amigos meus são manés legítimos, mas pessoas cultas, graduadas e que moraramfora deste calderião d efantasias que o “floripano” pensa ser o melhor do mundo. Creio que uma cidade que vive de turismo precisa de organização, fiscalização e acima de tudo EDUCAÇÃO (vamos educar os manés para receberem o turista, preservarem suas raizes e fazerem bem seu trabahlo no turismo. Aguém cita Gramado e outras cidades como exemplo. Bom, no dia que a educação do povo dai se equiparar à educação do povo destas cidades (falo porque as conheço) Floripa será realmente um paraiso e somente quem puder pagar por este paraiso o frequentará.

  • ELTON SCHAFFER diz: 12 de janeiro de 2012

    jURERE ESTA COM MUITA OCORRENCIA DE ROUBOS ASSALTOS E FURTO, NÃO TEM SEGURANÇA PARA QUEM VEM DE FORA A EMPRESA DE SEGURANÇA Q TEM LA É PRIVADA E FALTA POLICIAIS NA RUA. CULPA DO GOVERNO DE SC.

  • Ricardo Bocão diz: 12 de janeiro de 2012

    …desabafaram? agora o que farão? quem pode fazer não o quer, pois ganham tb, muitos dos que podem são donos das casas sugeridas e que fornecem bebidas e a recreção para a turma de abobalhados! não me importa de onde venham, desde que voltem!!! saudações a todos, saúde e paz!!!

  • Soraia (São José dos Campos-SP) diz: 12 de janeiro de 2012

    Bom, não são somente os Paulistas que alugam casas em Jurerê Internacional, mas concordo com o que foi falado aqui e tb acho que esse repeito tem que ser em todo lugar, é triste saber que moramos num país onde não existe respeito pelo animais, pela natureza, pela pessoas…

  • Mylene Varella diz: 12 de janeiro de 2012

    Por que a PMF não cria uma Taxa de Perservação Ambiental igual a que existe no arquipélago de Fernando de Noronha?? Lá a taxa é cobrada de acordo com os dias de permanência na Ilha. No entanto, se por acaso, a pessoa sair antes do período programado e já tenha pago, tem direito à restituição da diferença antes de sair da Ilha para o continente. Da mesma forma, se resolver prolongar a visita, o valor referente aos dias a mais será cobrado na saída. E o pagamento pode ser feito à vista, cheque, cartões de crédito, dólar etc. Uma taxa de uns R$50,00 por dia, como a que foi instituída lá, já iria coibir a vinda de muitos turistas indesejados, que só vem para cá realmente para bagunçar a Ilha! Mecanismos para restringir esses tipos de atitudes existem, é só querer e saber usar!!!

  • JC diz: 12 de janeiro de 2012

    O que falta é policiamento, faltam policiais, não só em Jurerê, mas em todos os bairros, pois nesta época temos turistas em todo lugar, seja passeando, se hodedando ou aproveitando a vida de dia e a noite.
    O que faz a Guarda Municipal além de multar carros estacionados ????????? Os caras queriam arma pra quê ????????? Quando acaba o expediente 18:00hs acabam os problemas da cidade, sim pq a GM vai para casa como se tudo estivesse resolvido. E a PM, onde estão ????????? Se falta gente o Sr. prefeito deveria abrir concurso, e rápido !!!!!!!!
    Quanto aos bêbados no volante. Quem aqui já presenciou uma blitz da Lei Seca em florianópolis ?????????? Eu nnca soube e nem vi.
    Caro Rica, concordo em parte com seu post, mas acabar com o entreteniomento e espantar o turista é uma solução bizarra. Vc deve ser a favor do fim do carnaval de rua por causa da violência ?!?!?!?!?!!? Tem que haver POLICIAMENTO !!!!!!!!!
    Daqui a pouco vc vai querer que todos andem a pé, pois assim ninguém sofre acidente de carro. A idade da pedra já acabou a muito tempo. PRECISAMOS DE ORGANIZAÇÃO !!!!!!
    Quanto a impostos não recolhidos, se é que não são mesmo, é um caso de fiscalização !!!!!!!!!! Será que o poder público sabe o que é isso ????????

    De qq forma parabéns pelo post.

    Abs

  • math diz: 12 de janeiro de 2012

    A verdade é que Floripa e a Grande Fpolis, passam por um choque cultural gigantesco, muitas pessoas boas aqui chegam, porém muitas outras de má chegam e por aqui ficam… É inevitável, e não há o que fazer. Vale lembrar que 90% dos que leem ou escreveram no seu blog, nem são com raízes daqui, isto é só para vermos o quão pouco sobrou dos manézinhos, como eu!

    Estes que aqui aportam, escolhem mal nossos governantes, vide preito de Florianópolis que me nego a tocar em seu nome fez da sua vida pública um grande negócio, apoiado pelo pessoal que vem de fora e que nem conhece a história desta ilha, digo isto, pois cansei de ouvir nas ruas por pessoas dos Estados vizinhos dizendo, temos que acabar com essa família Amim, como alguém de fora pode dizer isto sem nem conhecer a nossa história? E a partir dai pra frente, só retrocesso….

  • ana diz: 12 de janeiro de 2012

    Não se pode generalizar. Em todas as festas (não temporada) terminam do mesmo jeito…(badernas, pessoal alterado e outros) e o pior não são turistas né……
    O turismo é importantissimo para a sobrevivencia da ilha/capital. Alias as casas que são alugadas para os turistas são de propriedade de quem mesmo????? Quem quer ganhar dinheiro facil mesmo??????
    É melhor refletir muito antes de sair escrevendo que o turismo é quem detona a ilha da magia.

    PRONTOFALEI!

  • Dilson diz: 12 de janeiro de 2012

    Sou gaúcho, tive várias a Floripa, é impressionante como os turistas não respeitam nada.
    Outro dia estavamos indo a praia e no transito um carro com placa de SP simplesmente parou e o motorista foi a um bar comprar uma cerveja e o transito parou,
    DEVERIA TER EM FLORIPA “EPTC” que desse umas multas legais, terminaria essa baderna que os turistas fazem…

  • zé ( da Palhoca) diz: 12 de janeiro de 2012

    So falto falar da SUNGAA dos idiotas!!!!!

  • math diz: 12 de janeiro de 2012

    Realmente o JC mandou bem.

    Quanto a arrecadação de impostos, realmente meu amigo, os caras ganham mó grana preta e na hora de pagar o ISS, meu amigo, pagam como se ninguém tivesse ido ao hotel e quem foi pagou super em conta sua estadia… Trabalho na contabilidade de alguns desses hotéis e é bizarro, a fiscalização não pega porque não qu$$$, sacas?

  • A VOCAÇÃO DE FLORIPA NÃO É O TURISMO, E SIM A TECNOLOGIA diz: 12 de janeiro de 2012

    Só pra corrigir, o setor de T.I. (Tecnologia da Informação), corresponde a mais de 40% da arrecadação de impostos em Floripa. Acho muito mais justo investir em educação, do que em Turismo, visto que são os empreendedores dessa área que mantém essa cidade em pé, e não o Grupo El Divino, P12 e toda essa zorra metida a Saint Tropez.

    E outra, o povo votou no Dário, não foi? O resultado tá aí gente, acordem! Vão lá bater panela na prefeitura, exijam aumento salarial para os policiais, exijam cultura, educação de qualidade. Batam na porta de seus sindicatos e exijam melhores salários. Ah polícia não dá conta? Façam um multirão para espantar os drogados e traficantes de vossas ruas. Tem flanelinha na rua? Atira com uma espingarda de chumbinho. O descaso de Florianópolis é político, nada mais além disso. Acho engraçado é que todos ficam indignados porque é em Jurerê, que tá longe de ser o local mais bonito da ilha. Tem tantos lugares melhor e que estão abandonados que dá até pena de ver a mentalidade de vocês. Pra mim, rico é quem tem educação, conhecimento, se não tiverem isso, podem ter certeza, a miséria irá alcança-los, é só uma questão de tempo.

  • FABIANE SIMSEN diz: 12 de janeiro de 2012

    Minha resposta ao comentário de :

    Author: Tiago

    Comment:
    Sugiro mudar-te…. Pois Jurerê será a mesma por um bom tempo…. Bom que vc tem outras praias por perto e vender seu imóvel para comprar outro noutra praia não será difícil, aliás, pelo que dizes, deverá ser um bom negócio….
    Infelizmente para alguns, felizmente para outros, algum local será a “Jurerê” da vez… No momento é Floripa, daqui um tempo será outra….
    Frequento Jurerê em dias turbulentos. Entendo que o julgamento de alguém independente do seu gosto musical, visual, posses, etc, pois cada um faz o que bem entender com o seu dinheiro. Concordo que a liberdade de um termina aonde começa a do outro. Existem excessos e irresponsabilidades em Jurerê, como em qualquer praia ou local com o movimento e densidade similar, aliás, é muito pior!
    Conselho de quem não lhe conhece: viaje, leia mais, e avalie o conteúdo de seus dizeres, pois estás se mostrando um ser tão pior quanto aqueles que julgas pela roupa, correntes, gostos musicais, e carro. Mude de local, venda a sua casa, assim ficarás mais feliz e satisfeito com sua vida. Existem muitas praias como era Jurere há 5 ou 10 anos atrás (e baratas!). O mundo é assim, feliz ou infelizmente. Conforme-se e tente mudá-lo de uma forma inteligente, e não como está fazendo…

    CALA SUA BOCA seu idiota, vc deve ser só mais um desses … Quem tem que viajar é você, ou tu acha que outros lugares do mundo são assim, pelo jeito nunca saiu de casa…Em Jurerê se trata de DINHEIRO SUJO!!!! Estamos discutindo algo que vai além de homens armários sem camisa no P12 com aqueles correntões que nem no meu cachorro eu coloco, discutimos aqui EDUCAçÃO, RESPEITO, CIDADANIA… Acho melhor você apagar esse seu comentário aqui, pq ele é RIDICULO!!!

  • KARLLOS GRUBER diz: 12 de janeiro de 2012

    FALOU TUDO E PIOR…!!! Eu era… Falei “ERAAA…!!!” Morador da Lagoa da Conceição. Não aguentei a esculhambação daquele lugar. Filas intermináveis de carros. Gente querendo furar fila, travando transito, volume de som automotores a mil, sem respeitar quem esta a fim de ouvir podridão musical. e mais…!!!!!!!! SEM POLICIAMENTO… NUNCA VI UMA CIDADE SEM POLICIAMENTO. NINGUÉM CONTROLANDO O TRÂNSITO. CAOS TOTAL… Florianópolis NUNCA MAIS… CIDADE SEM PREFEITO… FLORIANÓPOLIS É O PIOR TRÂNSITO DO PAÍS… ” A ILHA VAI AFUNDARRRRR…!!!!”

  • ER… diz: 12 de janeiro de 2012

    Todo esse movimento não da em nada ,se na hora de votar não votamos certo.
    Essa baderna tem que acabar e tem que envolver toda a associedade,MPE,PM,GUARDA MUNICIPAL mas o que me parece è que todos ficam ai sò vento o acontecido.
    Ai gente atropelada,tesourada,estrupada,roubada…
    Olha ai acho melhor ressuscitar o GENERAL NEWTON CRUZ para ser o Secretario de Seguranca.Porque desse jeito vai ficar muito feio….

  • Rodrigo diz: 12 de janeiro de 2012

    Foda-se.. eu não vou pra esses lugares mesmo!

  • JB diz: 12 de janeiro de 2012

    Tudo certo o que você falou, com exceção do seu idiota preconceito contra paulistas…
    Sou paulista, paulistano, tenho orgulho disso, moro em blumenau a 8 anos, sou um engenheiro formado e não sou nenhum idiota… aliás diria que esse comportamento descrito vem muito mais de catarinenses com essa mania de high Society. Coluna social… hahaha o que que é isso, sério? mostrando a nata, “os bem nascidos” pelo amor de deus… “veja massa como sua vida é um lixo” hehehe valorizar alguém porque seu pai ou seu avó ralou muito pra ganhar dinheiro e o seu único mérito é saber gasta-lo, convenhamos não é nada louvável, mais aqui isso é mais admirado do que qualquer outra coisa …. Coluna social e os ricos cheirando a brilhantina… parabens sociedade…. cada nossos mestres aparecendo nas colunas sociais ou nossos bombeiros e policias… podem não ter o dinheiro que esse pessoal da coluna social tem… mais acredito que eles tem muito mais a nos ensinar….

  • Giovanna diz: 12 de janeiro de 2012

    Gente, não adianta pedir pra mídia falar a real para o público na televisão! Eles nunca vão fazer propaganda negativa daqui, pra eles quanto mais dinheiro melhor!!! Quem tem que fazer diferença somos nós, vamos levantar a bunda da cadeira, parar de digitar a indignação e partir pras ruas de uma vez. O problema do povo brasileiro é exatamente este, a gente adora escrever nossas revoltas e esperar que a midia faça seu papel no lugar de nós sairmos de casa e nós fazermos a diferença!!!!!!! Tenho 27 anos, moro na Ilha desde 1997 e vejo cada barbaridade que dá nojo! Estou indo embora daqui no meio do ano, não dá mais, a prefeitura não faz nada pela nossa segurança, não faz nada pra cidade crescer e ter uma infra que dê para receber os turistas e o Jurerê que um dia foi um local calmo, que eu almoçava todos os domingos com minha familia na beira do mar hoje é um antro de gente estúpida, mesquinha, metida que só dá valor pra uma coisa, se fingir de rico!!!! Realidade da Ilha… que tal nos unirmos e acabarmos com essa palhaçada de uma vez por todas, não é o Cacau, não é o Prestes que vai fazer a diferença, SOMOS NÓS!

  • Rudi diz: 12 de janeiro de 2012

    Gentalha gentalha Prrrrr

  • Márcia diz: 12 de janeiro de 2012

    Concordo 100% com tudo que foi dito, inclusive sobre a parte em que mencionam outros bairros afetados além de Jurere Internacional, sou gaúcha, moro a mais de 18 anos na ilha, minha família também mora aqui e nossos filhos são nativos, digo da minha parte que quero ver uma mudança em todo esse sitema, também tenho aptos para locação, mas não alugo na temporada, quero pessoas de bem que trabalham e tem objetivos por perto, não um bando de mal educados e baderneiros, marginais que pensam que tudo podem por não serem conhecidos. Quero ver mais a ação da polícia, nas blitz, acho que ” gostaríamos ” já não adianta mais. Quero e exijo uma Florianópolis segura pra meus filhos e sobrinhos viverem, pois educação vem de casa.
    Pago meus impostos em dia, e pago mais do que deveria, pois para um cidadão honesto e educado, geralmente as leis são mais rígidas. Boa temporada a todos e cuidemo-nos uns dos outros.

  • Sirlei diz: 12 de janeiro de 2012

    isso acontece em todos lugares e a população não aguenta mais, estamos sufocados

  • Jean Pierri diz: 12 de janeiro de 2012

    Concordo com isso, em parte. No entanto está cheio de IMBECIL na assembléia (fazendo tudo isso escondido) e essa galera que se incomada com as festas não está nem aí, pois vive na frente do PC (a maioria) preocupada com o face dos outros…

  • Giovanna diz: 12 de janeiro de 2012

    Bora destruir as pontes que dão acesso a ilha e invadir o aeroporto rss…. essa Ilha vai afundar com tanto turista!!!! :P
    Mas volto a dizer, PREFEITURA NÃO FAZ NADA PRA MELHORAR A ESTRUTURA PARA RECEBER OS TURISTAS, CADÊ A INFRA???? HEIN DÁRIO????

  • joao diz: 12 de janeiro de 2012

    Aquele monte de sangue sugas cobrando para estacionar na rua (“larga vintão ai tio….”), vendendo ingresso para festa, são tão chatos que quase entram no carro. Aquela curva do tal P12 está um saco.

  • Marcos diz: 12 de janeiro de 2012

    Conheço bem o Ricardo Ribas, jogamos handebol juntos durante anos, ele é um grande cara e concordo com tudo que ele falou, claro com algumas ressalvas.
    Concordo plenamente com o que foi dito pelo Paquistanês e dá pra engessar muito mais o texto dele. A mesma mídia que finge defender os interesses da população de Florianópolis é a mesma mídia provinciana (no mal sentido – como mencionou o Marcelo Ganzo) que sempre tentou ser a dona da lei na cidade juntamente com a elite que dela faz parte aqui em Florianópolis.
    Se formos realmente mexer nesse vespeiro muita sujeira virá a tona e daria pra escrever um livro gigantesco com tanto assunto a investigar, mas estando no Brasil sobrará apenas a indignação das pessoas em redes sociais e nada será feito.
    Este tipo de comportamento acontece porque surgiu daqui mesmo, a cidade criou o seu monstro e agora terá de exterminá-lo.
    Grande abraço pra ti Ribas!

  • Silvio diz: 12 de janeiro de 2012

    O problema não está no turista e sim na infraestrutura da cidade, uma hora queremos turistas e outra não, necessitamos dos turistas. Florianópolis sempre é assim o turista vem e é mal recebido ou seja pedimos para ele ir embora (?????) e ainda queriamos sediar a copa? queremos ser uma cidade de grandes eventos e atrair recursos externos mas não nos preparamos para tanto, a situação citada pelo morador na minha opinião não é culpa de quem vem e sim de quem mora, o dono da casa da o respeito que ela merece, não temos policiais suficientes nem organização suficiente para este tipo de inchaço no verão e nem em outras estações, experimente na alta temporada precisar ir para o Hospital saindo do norte da ilha por volta de 45min (morreu), até 2 semanas atrás Ponta das Canas não tinha 1 salva-vidas (?????) a Praia mais familia da cidade não precisava de salva-vidas ??
    Turista venha para Floripa e aproveite, seu dinheiro aqui é mutio bem vindo nós é que não nos preparamos para receber vocês, quanto a alguem dizer que os turistas que estão ai não trazem muito dinheiro, pra quem tem dinheiro é facil falar e para os que esperam o ano inteiro o pouco é o que sustenta o resto do ano que não temos atrações de qualidade para manter o turista na ilha, novamente na minha opinião O DONO DA CASA É QUEM TEM QUE DAR O DEVIDO RESPEITO, se não temos infraestrutura não podemos trazer ninguem para cá, então devemos continuar a viver no ostracismo, naquele mundinho que meia duzia acha que é o bom, turismo de qualidade se faz com infraestrutura e identidade própria coisa que floripa perdeu a muito tempo.
    Precisamos do Turista assim como ele precisa de nós, mas não estamos prontos para recebe-lo.

  • Bianka diz: 12 de janeiro de 2012

    Concordo e assino em baixo!!! Concordo também com o que a Giovanna diz!!!

  • Gabriel Rocga diz: 12 de janeiro de 2012

    PERFEITO

  • Paula diz: 12 de janeiro de 2012

    A falta de capacidade de interpretação de texto demonstrada em alguns comentários ao post é impressionante! Não tenho dúvidas que a menção a paulistas no texto tratou-se de mera figura de linguagem. Não se trata também de aversão ao turismo, mas apenas ao tipo de turismo que toda essa exposição está atraindo.

  • Dino Montêz diz: 12 de janeiro de 2012

    Ai que saudades de Jurerê nos bons tempos…sem a exploração do Grupo Habitasul…chegava em Jurerê de carro quase na praia..ficava embaixo de algumas árvores..coisa boa…aí transformaram o local em Jurerê Internacional…veio essa CAMBADA de fúteis de fora..poucos podemos incluir que são pessoas do bem e estão acabando com nosso Jurerê…Queremos sim receber os “bons turistas”o resto pode ficar por lá mesmo e nem devrriam pisar os pés aqui em nossa ilha.Desculpe..aqui é o cidadão que está desabafando, ok?

  • Douglas Venancio diz: 12 de janeiro de 2012

    Falaste tudo o mané!!1 Essa pouca vergonha e descaso não só com a ilha mais tambem com o povo desta terra, é culpa da maquiagem que esses porcos que estão sentados em seus gabinetes fazem a imprensa passar, de melhor destino no verão, de glamour,riqueza,l praias bonitas e lindas, mas exquecem que quem mora aqui sofre com falta d’ agua, policiais nas ruas, transito, enchentes, deslizamentos, roubos, em fim varios problemas que simplesmente não existem nessa epoca do ano, porque? por causa da maquiagem que é passada, e enquanto isso, ou melhor depois que a agua for jogada e a maquiagem sair, volta os problemas e as promessas que na temporada quem vem estará tuo melhor e o turista podera volta muito mais tranquilo, e o povo daqui durante o ano que se f…!!!!! É trista mais é assim que é..
    Abraços do venancio

  • Daniel diz: 12 de janeiro de 2012

    Interessante ver que um catarinense tem essa visão de uma pessoa que nasce em Erechim. Sou erechinense e sei bem que as pessoas da minha cidade, tirando uns 10%, não chegam nem perto de um perfil desses. Aliás, são pessoas educadas, simples e honestas.

    Atualmente estudo em São Paulo e conheço muita gente natural do estado de SP. São pessoas com uma cultura diferente, com um jeito diferente, mas ao mesmo tempo são receptivas, te ajudam no que for necessário. Não são da forma como você se refere a elas.

    Generalizações são sempre horríveis e acabam com qualquer texto/reflexão.

    Eu iria compartilhar, mas não consigo contribuir com alguém que despreza pessoas que vêm de uma cidade humilde como Erechim.

  • Iris diz: 12 de janeiro de 2012

    Pessoal… Já comentei anteriormente que ficar culpando o “outro” é mais fácil do que tentar resolver a situação…todos tem motivos para indignação, não importa naturalidade, nacionalidade, raça, cor dos olhos, sexo, enfim…não podemos simplesmente pedir ao Cacau (que tem a mídia ao seu alcance) iniciar uma campanha de conscientização, mas para TODOS, afinal ninguém é “dono” do lugar público. O que não se pode admitir é que o DIREITO INDIVIDUAL sobreponha-se ao DIREITO COLETIVO. Vamos iniciar algo concreto que tenha como objetivo MUDAR PARA MELHORAR… Abços a todos e tentem aproveitar a estação do ano que deveria estar trazendo prazer a todos…

  • Gambábriel diz: 12 de janeiro de 2012

    Um excelente depoimento, muito sério, e nos faz refletir não somente a situação de Jurerê, como também da Ilha inteira. Nos mostra a situação de quem sempre morou não no paraíso, mas em uma cidade que, apesar de ser muito anunciada pela mídia,tem uma infra-estrutura limitada, mas que apesar de tudo ainda se podia viver bem, vendo os engarrafamentos e os crimes só aumentando. Então vimos o metido rasgando dinheiro, turistas visitando a ilha sem respeitar seus moradores, e as mega-boates que entopem a ilha com esse tipo de gente faturando rios sem pagar imposto algum, indo parar a culpa no nativo que aluga sua casinha no verão! Qualquer nativo (eu prefiro a expressão nativo do que manézinho, que muitas vezes acaba tornando-se pejorativo) se identifica com esse depoimento, fica triste com essa transformação, causada por muita propaganda e pouca infra-estrutura. Não me leve a mal, Cacau, mas vi muitos depoimentos ali em cima de paulistas que em que o chapéu serviu, se defendendo, de gauchos e tudo mais. Mas o depoimento que eu achei mais infeliz foi o seu ultimo.

  • Moradora do Sul diz: 12 de janeiro de 2012

    Enquanto no Norte da Ilha os bobos da corte fazem a festa pagando de ricões,no Sul da Ilha os bandidos fazem a festa roubando e aterrorizando a vida de nativos e turistas….Oque esta acontecendo é que a Ilha da Magia deixou de ser mágica pelo menos para nos moradores nativos,que como foi citado em vários comentários não ganhamos nada com o turismo,apenas encomodações,filas de carro,em banco,em super mercados,e etc….e sem levar em conta o abuso que é ver eles aqui e falar mal da ilha, isso que é mas revoltante,alem de vim fazer baderna na nossa terra falam mal dos nativos,não admito,por mim não entrava mas ninguem de fora na ilha,pq vem a primeira vez como turistas e depois ja vem em bando com mochilas nas costas pra morar em qualquer albergue,e alguns na maioria das vezes vem corrido de suas cidades por varios motivos(incluindo a bandidagem),acho que cada um tem que ficar no seu quadrado!Ja basta a Ilha não suporta mas ninguem e cada ano vai piorar…..

  • Carlos diz: 12 de janeiro de 2012

    Fala Cacau,

    Aqui no Canada, esta um frio de rachar….mas as coisas funcionando perfeitamente como sempre. O importante eh saber que o Verao chegará, as pessoas irão se divertir e tudo continuará normal. Isso se chama educação. Aqui um frio….e aí um inferno….rsrsrs.
    Floripa, só mesmo para passar férias, depois dessa zona toda.
    Canadá está nos fazendo muito bem….lendo todos esses relatos de Floripa….aí mesmo que me manterei distante.

    Abcs

  • Eduardo Fragoso diz: 12 de janeiro de 2012

    É nisso que dá.. ficam fazendo propaganda do lugar o ano inteiro e daí não querem atrair essas criaturas! Agora a fama já se alastrou!

  • éoqueda diz: 12 de janeiro de 2012

    concordo com a Giovanna, soh faltou falar em afundar a ilha pq ela nao traz nada de beneficio pra santa catarina, enquanto as outras cidades tem que ficar sustentando essa tal ilha da magia, (magia pq o dinheiro aparece sem fazer nem um esforço) e quanto a educação dos turistas, primeiramente reveem os conceitos dos próprios manézinhos que se acham os máximos e não são ninguém, ainda mais com esse sotaque ridículo quexx quexx nao quexx diga,

  • ELISABET diz: 12 de janeiro de 2012

    Concordo plenamente com o cidadão .Muito bom ele ter feito esse depoimento , por que o que eu tenho presenciado é o pessoal de Florianópolis já criando uma certa rivalidade com o pessoal de Jurere , quando na realidade não é o nosso pessoal daqui e sim turista.
    Quando um cara vai pra mídia e fala que em Jurere não tem feio nem pobre . Que 20 reais não é dinheiro pra ele e rasga na TV . Isso pra mim é uma afronta , aqui a maioria é funcionário publico . Gente que trabalha . Ai vem um babaca e diz que só no Revellion ele gastou 6 mil reais . O meu dinheiro eu sei de onde vem , vem de muita luta.Agora o dele , deve ser dinheiro facíl , pra rasgar .Eu não saio de casa no verão, eu não suporto ir a supermercado, eu não vou a praia . Porque sei que vou me sintir mal de tanta imundice . O meu respeito ao moradores de Jurere.Os da ilha.

  • Stephan Klaus Radloff diz: 12 de janeiro de 2012

    Pois é Rica Ribas e Cacau, “A raça daqui também se “idiotiza”: o sonho é ir tirar a camisa no P-12! pagar de granDÃO, de gaTÃO ou de riCÃO”. Você tem razão!!! No fim elas DÃO, eles TÃO e os nossos dias, véio… continuam a ser dias de CÃO!

  • Nelson Azambuja Jr. diz: 12 de janeiro de 2012

    Fantástico Rica Ribas. Falaste tudo.
    Eu sou morador de Canasvieiras e a coisa não é muito diferente por lá. Talvez não tenham tantos ricaços e festas “a la dolce vita”, mas a falta de educação, desordem, bêbados, infrações a torto e a direito, tudo isso e mais um pouco, tem. Incluindo as pousadas, restaurantes e “picos” informais que não arrecadam imposto nenhum.
    Criminalidade também tem. Há algum tempo atrás mataram um argentino a 100m do posto policial. Aliás, digo uma coisa. Canasvieiras possui 2 postos da PM e uma academia da Polícia Civil. Não consigo entender como é possível eu assistir, diariamente, a tantas infrações em todos os sentidos, sem que a polícia não tome nenhuma providência.
    Turista vem pra cá e já sabe, de antemão, que pode fazer tudo o que bem entender, e não vai acontecer nada com eles. Andar na contramão, estacionar em local proibido, barulho extremo fora de horário? Isso não é nada. Tem muito mais coisa acontecendo bem de baixo dos olhos da polícia.

  • TEREZA diz: 12 de janeiro de 2012

    Acredito que todos, de alguma forma forma tem razão em seus comentários, porém, independente de qual lugar do país venham os “turistas”, o que eu condeno é a falta de educação, civilidade, respeito. Condeno também o descaso das autoridades, seja de que esfera for, em fazer cumprir a lei. Temos leis e temos responsáveis por cumprí-las e fazê-las serem cumpridas. Todo brasileiro tem o direito de ir e vir, mas também tem o dever de respeitar o direito de seus semelhantes, sejam eles moradores, nativos ou visitantes. Afinal, somos todos brasileiros e estamos exatamente onde devemos estar….em nosso país.

  • Maria Luiza diz: 12 de janeiro de 2012

    Concordo com muito do que foi dito neste artigo, falta respeito por parte dos turistas, que por pagarem altos valores para se estabelecer nos locais citados, acham que podem fazer tudo o que surgir na cabeça. ENTRETANTO, ACHEI EXTREMAMENTE MEDÍOCRE CITAR PAULISTAS E ERECHINENSES COMO PESSOAS ‘INFERIORES’ E CULPADOS POR TUDO QUE DE RUIM OCORRE NESTA ÉPOCA DO ANO NO LITORAL CATARINENSE. É preciso saber o que se escreve, antes de divulgar. Sabemos que inúmeras pessoas que estão fazendo estas barbaridades são catarinenses tbm!!! Cuidado com a ignorância!!!

  • Luan diz: 12 de janeiro de 2012

    Cade os secretários de Turismo do estado pra comentar isso? O nosso estado fica gastando com esses esbanjadores e cortam verbas para o uniforme para dar aumento pros professores! ABSURDO!!

  • teresinha diz: 12 de janeiro de 2012

    Assinado! Em Canavieiras não conseguimos dormir. Um Bando de mal educado ….cai fora…… Que venha pessoal corretas, educadas de boa índole!

  • ADE MEIRA diz: 12 de janeiro de 2012

    O comentário é correto,só não cita Erechin,como se fosse só os gaúchos,pois se não vem aquela coisa que os catarina quando vem no rio grande também fazem merda………..

  • Gilda Becher diz: 12 de janeiro de 2012

    Meus queridos hoje moro em SP, mas já morei em Fpolis por 8 anos, e tenho muita pena de ver que as praias de Jurere e muitas outras, tenham virado esta Sodoma, mas espero que vc se lembrem que quem procura acha, vcs os Florianopolitanos permitiram que isso acontecesse, e lembren-se que por causa da ganancia propria de vcs, esta cidade esta se transformando, lembro bem muitos de vcs Cacau qdo mocinho tambem adorava viver perigosamente, e hoje duvido que vc não de importancia p/ os realmente ricos de SPaulo, que vão p/ ai encher os bolsos de todos vcs, é claro que existe estes cretinos idiotas, bobandos e putinhas que estao atras dos Neimares e outros tantos novos ricos, mas ai não tem nenhuma praticinha que dá ibope a eles? Pensem bem antes de só jogarem pedras pois o seu pessoal, é muito mais ridiculo, quando vem a SP, querendo se mostraem e se vangloriando do que nos os Paulistanos quando vamos até ai, pois em materia de grana não compare SP, c/ Fpolis eneme generalize o pvo mal educado, pois isso em toda parte tem e não é só daqui. Lembra como vcs já reclamaram dos argentinos, e outros tanto turistas que deixaram Jurere mais rica,. Foi assim que tudo começou, não foi?

  • Paulista diz: 12 de janeiro de 2012

    A ilha é nossa cambada…Já estava enjoado de Santos, Guarujá, Agora é tarde!kkk

  • Rodrigo Frias diz: 12 de janeiro de 2012

    CACAU vc é o típico local que adora aparecer mais que os turistas, e ainda por cima, pagar de sabidão, modernão…Caso contrario FRUSTRA-SE.

    Justo vc publicando algo, que pelo que parece, vai contra o seu “estilo”, ou melhor, “tipo”.

    DECISA-SE espertão

  • Vânia Márcia Silveira Almeida Stock diz: 12 de janeiro de 2012

    “Perdem os freios sociais, afinal, ninguém os conhece. ” Bela frase. A falta de respeito é o que importa.Se querem “aparecer”, parecer o que não são, gastar o que não tem, problema de cada um, mas quando afeta o “coletivo”, aí está o problema, (assaltos, roubos, acidentes).Com relação as filas, não fomos educados para o transpote coletivo, até porque deixam muito a desejar, mas seria uma forma de diminuir a quantidade de carros, “mas como se quer aparecer”…

  • Jonatã diz: 12 de janeiro de 2012

    Toda generalização empobrece uma reflexão, é como se o autor, na inabilidade de argumentação, recorresse a um artifício medíocre para cativar os leitores menos atentos.

  • Bruna Perussello diz: 12 de janeiro de 2012

    Em muitas coisas a sociedade está evoluindo, isso é um fato. Alguns aspectos ficam melhores geração após geração; outros, ficam piores. Na realidade, cada geração tem suas peculiaridades, e cabe a cada um pesar os aspectos bons e ruins de cada uma.

    Percebo, no entanto, muitas faces desanimadoras da geração que chamo de anos 90. Refiro-me aos adolescentes que estão hoje com 19, 15 anos, cuja faixa etária corresponde a um período de internalização de valores e de intenso consumo. Geração anos 90 é, portanto, o grupo dos que são hoje adolescentes e que tão logo serão adultos.

    Muitos parecem ser os lemas dessa geração, mas um muito característico parece ser o de que “não dá nada”. Quantas vezes vocês já não ouviram essa frase de um adolescente? Se a mãe diz: “vá estudar, você tem prova amanhã!”, eles respondem: “ah, não dá nada!”. Se a educação sexual lhes garante que deve-se usar preservativo nas relações sexuais, eles pensam: “ah, não dá nada!”. Se o ideal é não jogar lixo no chão, eles jogam com o pensamento de que “não vai dar nada”. Se o som está alto e o vizinho pode estar incomodado, eles dizem com desdém “não dá nada”.

    E isso remete a um outro lema: “o que importa é se divertir”. Na realidade, acho que este é o fundamento do lema “não dá nada”. São tempos de se viver o momento intensamente sem pensar nas conseqüências. O que importa é o eu. O que importa é o que isso traz de bom para si. Se para se divertir eles tiverem que incomodar o vizinho, eles incomodarão. Se para curtirem uma festa com os amigos eles tiverem que deixar certos valores na porta, eles o farão.

    A geração anos 90 é, também, a geração das incoerências. Nunca uma geração levantou tanto a bandeira da não-violência, mas fumam um “baseadinho” nos finais de semana, como se isso não provocasse as mortes e a violência que o tráfico faz emergir. Atacam a cultura de “junk food”, boicotando redes como Mc Donald´s, mas tomam anabolizantes e complementos nutricionais totalmente industrializados para potencializar o resultado da academia. Se afirmam como “geração saúde”, mas tomam ecstasy na balada. As mulheres nunca almejaram tanto o trabalho e a independência financeira, mas o primeiro dinheiro que começam a ganhar, juntam para pagar uma cirurgia plástica. Ou gastam praticamente todo o salário mensal em shopping e salão de beleza. Nunca uma geração compartilhou tanto do sentimento anti-imperialismo norte-americano, mas cada vez mais o Brasil se torna cópia dos Estados Unidos, sendo isso claro no que se refere aos padrões de beleza e de comportamento. Escrever errado não é motivo de vergonha para eles; vergonha é ter uma barriguinha. Passar em 1º lugar no vestibular é legal, mas motivo de orgulho mesmo é conseguir ser capa da Playboy. Seguir religiosamente alguma coisa? Só os rituais de beleza.

    Um terceiro lema, talvez o mais preocupante, é o de que “cada um sabe o que faz da sua vida”. Eles realmente acreditam que cada um faz o que quiser e ninguém pode meter o bedelho na vida de ninguém. É preciso ter liberdade, é verdade, mas a vida em sociedade se faz possível, primeiramente, pela renúncia de certos instintos individuais que seriam prejudiciais à vida em coletividade. Em segundo lugar, toda ação individual traz conseqüências para a sociedade, por mais pífia que seja esta atitude. Em terceiro, nossos comportamentos e personalidades são moldados pela convivência com os outros. É comum mudarmos de idéia, de valores, de opinião e de atitude porque alguém nos deu um toque que não estávamos na linha certa, ou porque alguém, discordando de nós, nos deu uma luz para refletirmos sobre nossos comportamentos, o que nos faz mudar. Mudar e evoluir. “Meter o bedelho” na vida dos outros às vezes é necessário, nós muitas vezes aprendemos com isso.

    Esse lema, ademais, dá margem para o próximo lema: “libera geral!”. Já que cada um está liberado para fazer o que quiser e ninguém pode criticar nada, é proibido ter qualquer preceito moral. A palavra moral assusta. Moral é coisa do passado. Moral, para a nova geração, é sinônimo de moralismo, é coisa de gente careta que acha que pode apontar o dedo pros outros dizendo o que é certo e o que é errado. Ninguém mais pode fazer isso hoje. Criticar qualquer coisa é ser um moralista conservador. Tudo se justifica pela diversão e pelo dinheiro. “Se dá uma boa grana, porque não?!” é o que eles pensam. O senso crítico se dissipou faz tempo, afinal, ter senso crítico é refletir, questionar, criticar. E criticar é proibido. Tem que se aceitar tudo, caso contrário, você é um moralista conservador.

    A permissividade exagerada, seja na vida real ou na mídia, é vista com extrema naturalidade, afinal, é a geração dos que, quando crianças, assistiram Banheira do Gugu com os pais nos domingos à tarde. É a geração das meninas que com cerca de 7 anos de idade dançavam “na boquinha da garrafa”, enquanto suas mães achavam a “brincadeira” extremamente simpática e inocente. É a geração das meninas que tiveram Tiazinhas e Feiticeiras como exemplo de mulheres de sucesso.

    É a geração do consumismo, do culto neurótico ao corpo, da valorização de coisas superficiais e passageiras. É a idolatria de pessoas vazias. É o ter para ser. É a geração que se entusiasma mais com a votação para o paredão do Big Brother Brasil do que com as votações políticas. É ter como objetivo de vida uma oportunidade de fama na televisão, seja por que motivo for.

    Seria fácil e cômodo, todavia, culpar esses adolescentes pelo cenário cultural que temos hoje. Entretanto, eles são apenas reforçadores de uma cultura que fora construída aos poucos por outras pessoas: a geração de seus pais.

  • BRASIL diz: 12 de janeiro de 2012

    ESSA É A RESPOSTA DO BRASIL AUMENTANDO SEU PODER AQUISITIVO!!!
    VALOR PELO PATRIMONIO.. VALOR PELO PÚBLICO NUNCA EXISTIU AQUI!!
    AS PESSOAS VÃO IR MAIS E MAIS.. ALÉM DO MAIS, JOVENS, SOMOS BRASILEIROS E TODOS OS JOVENS FAZEM ISSO UM DIA… O PROBLEMA QUE VOCÊS TEM A FONTE DO PROBLEMA!!
    VIVO NO INTERIOR PARANAENSE E CURTI UM FIM DE ANO ESPETACULAR, COM MUITO SOL, PISCINA E BONS AMIGOS.. NÃO POR FALTA DE DINHEIRO, OPÇÃO!!
    MUDEM SEUS HÁBITOS!!
    BOA SORTE PRA NÓS BRASILEIROS!!

  • Haroldo diz: 12 de janeiro de 2012

    Sinto Saudades do Sol, da Praia e da Beleza Natural da ilha!(povo e natureza)

    Mas estar na Europa a 0 graus e poder desfrutar de boa educacao nao tem preco, estou em mestrado aqui e vivendo modestamente, e nao tenho a minima vontade de ver nossa linda ilha povoada por estes comentados! Voltarei! Mas espero que isto mude!

    Parabens pelos comentarios ao Rica Ribas! Falou bonito! Pena que só falar nao basta! Mas ao menos o povo escuta!

  • Rodrigo diz: 12 de janeiro de 2012

    Disse tudo!
    Comentário rico e verdadeiro!
    Bando de otários que querem pagar de grandão, mas tem uma mente pequena!

  • Cíntia Beatriz Nunes diz: 12 de janeiro de 2012

    Há gente boa e ruim em tudo quanto é lugar do Brasil e mundo. Em Floripa, deveriam agradecer a presença dos turistas, uma vez que, a principal atividade econômica da cidade é o Turismo. É errado, aliás muito, mas muito mesmo, culpar apenas o povo que vem de fora pelos problemas existentes. Há problemas internos e bem podres por aqui. O problema de Florianópolis não está somente nos turistas que guardam dinheiro o ano inteiro para vir pra cá gastar nas festas badaladas de Jurerê internacional; infelizmente, o grande e abominável problema é ver uma massa de manézinhos e manézinhas, medíocres e hipócritas ostentando uma realidade que eles não tem no dia a dia e os que ainda tem mais recursos, achando-se no direito de pisar nos outros, mostrando que são os bons, os “donos da terra”. Ter grana não é e nunca será sinônimo de ter educação. Não são ricos fuleiros que aparecem lá, alguns são ricos bem mal-educados mesmo, playboys, umas patricinhas, outras bem vadias que se vendem por uma taça de champagne, pulseirinha em camarote, achando que vão tirar a sorte grande de arrumar o casamento ou de ganhar na mega-sena, que acham que a vida é só festa e só se preocupam com o seu próprio umbigo e em desfilar com seus carrões e roupinhas de marca, que ganharam do papai e da mamãe.

    Sem dúvida, cada um faz o que acha ser certo. Gostar de frequentar bons lugares e se divertir de forma decente entre amigos é necessário e saudável. Há vários lugares a mostrar em Santa Catarina e não apenas Jurerê Internacional, que tanto a mídia insisti em exibir. Conheci as festas em Jurerê, mas não consigo ficar muito tempo no ambiente. Não pelo som, porque os Djs que tocam são sempre muito bons, mas em matéria de público requer sorte e um saco de paciência pra aturar a futilidade. Como eu não aturo gente folgada, vitrine, metida, em que uns até podem ter um esteriótipo que chama atenção, mas o cérebro não acompanha e como amam se aparecer e não ser o que é, evito frequentar. No fundo é um bando de estrelas sem brilho próprio, que na tentativa de parecer o máximo, acabam com o mínimo.

    Tem que fazer o que fizeram na Ilha do Mel, Fernando de Noronha limitar o número de visitantes; O Estado precisa agir; a mídia tem que párar de insistir com essa exposição obcecada pelos rostinhos e bumbum bonito que circulam em Jurerê. Não é só lá que tem gente bonita e belas paisagens. Jurerê virou área crítica e acaba atraindo mil e um sem noção que acha que pode “comprar” todas as mulheres e ainda sair levantando a bandeira dizendo que passou os melhores dia da sua vida na “ilha da putaria”. Sem falar a polícia que não fiscaliza direto e, principalmente, o Florianopolitano que não faz nada pra mudar. Quem quer solução, tem que mudar a atitude como verdadeiro apaixonado por Floripa, em especial em relação a política. Aí, aos poucos, o resto vai melhorando; do contrário, nunca mais iremos aspirar tranquilidade e veremos esse paraíso ainda preservado. Turistas educados, que contribuem nos bares, restaurantes, comércio, casa noturnas e que sabem respeitar o meio ambiente, as praias e todos os lugares em que visitam, com certeza, devemos receber bem e que voltem sempre; agora, gente que acha que pode fazer o que bem quiser, como se a ilha fosse a casa da “Mãe Joana”, já demoraram para ir embora. Bom senso, respeito é bom e todo mundo gosta. Quer vir pra Floripa, venha e gaste bastante dinheiro, mas alimente a sua consciência e não incomode ninguém! Abs, Cíntia Beatriz Nunes.

  • Raul diz: 12 de janeiro de 2012

    legal o texto à título de informação, mas não ache isso que é exclusivo dos turistas de jurerê; essas suas reclamações são universais e aposto que ocorrem em 90% das praias (se é que isso te serve como consolação)

  • Júnior Lopes diz: 12 de janeiro de 2012

    Ótimo desabafo, bem realista e pontual sua atitude. Porém, não adianta querer contestar um FATO que vem ocorrendo a anos. Devemos nos acostumar com esses mal educados falidos que veem pra nossa ilha curtir as férias que aguardam o ano todo. Bom seria se todos que estão aqui só de passagem lessem esse texto, saber realmente o que estão fazendo. A vida não gira através de marginalismo! O respeito e a responsabilidade resumem em boas e durarouras atitudes. Não sou contra o turismo aqui na ilha, bem pelo contrário, curtam essa ilha maravilhosa! Venham festejar venham brindar.. Tudo isso ela lhe ofereçe! Mas vamos cultivar! Vamos sentir a essencia da vida… Vamos respeitar os moradores para serem aceitos na nossa cultura, na nossa sociabilidade! Somos pessoas de braços abertos.. não queremos ser comparados com São Paulo ou Rio de Janeiro… Queremos o diferenciado, a exigencia e a qualidade em cada detalhe. Não digo pra esbanjar dólares mas viver momentos e relembrar de Florianópolis como um lugar único!
    Eu não vou admitir pessoas de estados vizinhos vim pra cá fazer bandalhera enquanto nós trabalhamos para mostrar o melhor de SC á vocês. VAMOS IGUALAR NOSSAS PERCEPÇÕES! Viva Florianópolis, Viva Jurere, Viva o respeito.. Viva a vida!
    Mais paz. Por favor

  • Luciano de Bem Macuco diz: 12 de janeiro de 2012

    Quanto ao atropelamento do ciclista idoso em Canasvieiras:

    Passei com meu carro pela rodovia no momento em que o IML recolhia ao rabecão o cadáver do ciclista, já noite plena, por volta das 21h.
    Como foi a primeira vez em que transitei por aquela via, notei, ainda que rapidamente já que estava ao volante que, para quem vem chegando a Canasvieiras, não há separação física entre a via dos automóveis e a ciclovia, como ocorre na excelente ciclovia de mais de 10km na Beiramar Norte. Ali em Canasvieiras, na SC-401 sentido bairro existe apenas “olhos de gato” para sinalização visual. Se os engenheiros responsáveis fossem realmente responsáveis, ou inteligentes, teriam projetado uma separação por guia (meio-fio) entre a pista dos automotores e a pista das bikes, a exemplo do que ocorre na ciclovia da Beiramar Norte, onde acidentes deste tipo eu não tenho ciência. Podem preparar o rabecão para recolher mais corpos, notadamente à noite, onde podemos transitar a 80km/h e naquele trecho não existe iluminação. Se fosse iluminado, provavelmente o acidente não teria ocorrido, pois até um jovem de 18 anos embriagado, se consegue enxergar para poder dirigir, também conseguiria enxergar que ali havia uma pessoa andando de bike. Com a palavra, as autoridades incompetentes do DEINFRA e PMF.

  • Ana diz: 12 de janeiro de 2012

    Acho que quem vem pra cá, vem por algum atrativo. A própria ilha financia o passeio desses tipos de pessoas.Virou um point e o governo lutou por isso. Colocou Florianópolis como uma cidade turística e prepara todo ano entre “aspas” a cidade pra receber estas pessoas. Como é uma cidade que não investe em segurança e tão pouco em normas, ficou sujeita a atitude de pessoas que vem de férias para cá e não só de férias. Muitos Florianopolitanos e até Josefenses entre outros, acham bonito este tipo de comportamento, pra falar a verdade, acho que até imitam. É muito bonito parecer ter dinheiro e ir pra balada com o salário e gastar ele inteiro em uma noite. Acho que no fim, é falta de cultura mesmo. Certas atitudes vem do berço… Quem garante que o pessoal que mora aqui também não vai em outras cidades fazer estragos?

  • Phelipe diz: 12 de janeiro de 2012

    ESTOU AQUI EM BRASÍLIA DANDO GARGALHADAS DESTA HISTÓRIA TODA. MINHA FAMÍLIA MORA AÍ E ESTOU FORA DAÍ HÁ 20 ANOS. VOU PARA FLORIPA 2 A 3 VEZES POR ANO PARA VISITÁ-LOS E TODAS AS VEZES VOLTO DECEPCIONADO COM A FALTA DE ESTRUTURA PARA RECEBER TURISTAS DE VERDADE! OS HOTEIS SAO UMA BOSTA! NOS RESTAURANRES QUEM ATENDE É O FILHO DO DONO, SEM PREPARO, SEM EDUCAÇAO. PEDIR PARA ALGUEM FALA INGLES PARA ATENDE…. IMAGINA!
    CONHEÇO PARIS, ROMA, VENEZA, E MAIS 50 cidades turísticas ao redor do mundo… E uma coisa eu sei VOCES NAO GOSTAM DE TURISTA.
    Empresa de aluguel de carro sem ser as grandes nacionais… Putz, nem me fale!
    O Taxi alem de mal humorado, é caríssimo! O transito mesmo fora da temporada,…, é um caos ha mais de 10 anos.
    Restaurantes fora da temporada… Nao funcionam…. Ridículo. A estrutura do turismo é totalmente informal e despreparada!!!!
    Mas para mim a grande verdade É: O FLORIANOPOLITANO É BAIRRISTA, ACHA QUE É O DONO DA ILHA, E FICA PUTINHO COM O TURISMO. SEMPRE FOI ASSIM. E COMO NAO GOSTA DE TURISTA, …, NAO SE PREPARA… E AÍ ATRAI ESPECULADORES E IDIOTAS.
    TENHO MUITOS AMIGOS RICOS QUE ADORARAM CONHECER ILHA. ATE GOSTARIAM DE VOLTAR… MAS A FALTA DE PREPARO DA VOSSA CIDADE NAO MAIS OS ATRAIRÁ. POR QUE PARA ATRAIR E MANTER RICOS… TEM QUE SER PROFISSIOAL. COISA QUE FALTA MUITO AÍ.
    ENTAO VOCES ESTAO TENDO EXATAMENTE O QUE MERECEM.
    É UMA PENA, POIS AMO ESTA CIDADE.
    Quem sabe voces param de reclamar e façam alguma coisa para o proximo verão.

  • Pacato do Campeche diz: 12 de janeiro de 2012

    Concordo, discordo apenas da citação de Gauchos e Paulista …… a merda é feita por BRASILEIROS, mal aducados……. São de todos os estados…..

  • Luciana de Freitas Silveira diz: 12 de janeiro de 2012

    Tantas chamadas para Ilha só pode da nisto.E ainda dizem que o povo do morro que é violento e mau educado,acredito que ao invés de investirem tanto e turismo para burguês, deveriam investir em educação igualitária para todos, assim é que se faz um país de respeito e respeitados!

  • Geraldo diz: 12 de janeiro de 2012

    Assino embaixo tb. Jurerê já foi Jurerê. Policia tem q descer o pau nessa cambada. E olha ai o comentário do Paulista…tinha q ser paulista(volta pra Guaruja o babaca, aquela ilha de esgoto. E não sao ricos, ricos sao os pais como disse Rica no comentário…duvido q trabalhem pra torrar assim. Tudo bombado babaca, puta(infelizmente hoje a maioria das mulheres estao assim) e a droga. E todo mundo em jurerê sabe onde e quem vende essa bosta. Acabem com eles antes q eles acabem com jurerê. E nao sou de Sta Catarina , tem muita gente de floripa nessa bagunça tb mas os paulistas são maioria.

  • ADE MEIRA diz: 12 de janeiro de 2012

    Mas o mais legal de tudo é que todos tem alguém da familia que fazem essas coisinhas nas praias,um tio,um pai,um irmão ….amigos então nem se fala,vai dizer que todos ficam quietinhos em casa na virada de ano…..aqui no morro dos conventos fiz um churrascão em casa,não fui a praia,fiquei na boa sem incomodação,ai entra a falta de educação que vem de dentro de casa,lá é que começa tudo.
    Finalizando memso assim não troco minha praia aqui no morro por nada,é bom dimais passar a temporada e ai sim se aproveitar com todo aquele mar e dunas,bom dimais.

  • monica diz: 12 de janeiro de 2012

    A falta de policiamento em Florianópolis, principalmente à noite, em lugares onde há casas noturnas, deixa todos em pânico.Baderneiros e bebados andam tranquilamente de madrugada pelo bairro, acordando a todos com berros e brigas, sem que nada ou ninguém os perturbe ou refreie. Esquecem -se que aqui no bairro, mais da metade são pessoas que trabalham e nao estão de férias, e são os que pagam os impostos municipais.A Habitasul permitie e explora os beach points, que nao seriam nada sem as belas casas e jardins do entorno, entorno este que eles desrespeitam com música alta e atraindo tipos que urinam no seu jardim sem muros, invadem sua piscina até para transar (com você em casa), enfim, uma bagunça que nao existiria se houvesse LEI E ORDEM, mas a polícia nao faz rondas, é raro ver algum policial na rua, agora, você os encontra em estádios de futebol, shows e festas, aos montes. O trânsito é caótico e agressivo até de manha cedo, fui levar meu pai ao aeroporto as 7 da manha e peguei um congestionamento que nos atrasou em 20 min na sida da Pacha,, isso que havia polícia rodoviária no local, o acostamento cheio de carros estacionados, dentro da vala, etc…Como permitem que os bebados já saiam direto para a estrada? Só no Brasil…mas aqui o turista é rei, e os moradores são lixo. Milhares sofrem, sem dormir, para que centenas possam assistir a um show ao ar livre, que começa de madrugada. Sim, é terra de ninguém…
    A Habitasul vendeu o bairro pelo planejamento , tranquilidade, vida familiar de qualidade, com uma boa escola, zoneamento bem definido e , principalmentre, segurança, que era feita pela Khronos, em rondas constantes. Isto atraiu pessoas do Brasil interio, que fugiam da violência urbana e do estilo de vida caótico das grandes cidades, valorizando os imóveis como em nenhum outro lugar do Brasil, dentre estas, grandes empresários que largaram tudo por uma vida mais humana, mais simples.Há alguns anos, um coronel de polícia que assumiu aqui acabou com as rondas da Khronos,que fazia a segurança do bairro de forma absolutamente satisfatória, alegando que nao tinham poder de polícia, deixando, assim, o bairro desprotegido, agora com uma parca segurança.Além disso, a infra-estrutura do bairro, mesmo com o aumento dos turistas, foi diminuindo, restaurantes foram fechando para dar lugar a bares pelo lucro, o supermercado que serve o bairro não atende ao padrao de qualidade do mesmo,as ruas de Jurere tradicional sequer foram abertas, apesar da insistencia dos moradores, para que os carros saiam das avenidas principais e o fluxo local seja facilitado, as placas de sinalizaçao mal colocadas ou inexistentes, enfim, com a ajuda da prefeitura e Habitasul, o bairro e sua adjacência, o Jurerê tradicional, encontram-se em franca decadência… apesar de que, fora da temporada, seja um excelente bairro para se viver, com moradores simpáticos, amantes da natureza e dos esportes, de bom nivel, que sofrem muito com a mudança no padrão que se desencadeia a partir do Natal…Eu, pessoalmente, nao aguento mais outro verão selvagem e barulhento em Jurerê, ou melhor, na ilha.

  • Murilo Magalhães diz: 12 de janeiro de 2012

    Isso, sem falar no lixo que estes “idiotas” vão jogando pelas janelas dos seus carrões, como tenho presenciado frequentemente pelas ruas desta cidade. Tenho vontade de faz~e-los parar para juntar. Adoro o verão, mas prefiro a paz e o respeito pelas pessoas e pela ilha.

  • Fernando Floresta diz: 12 de janeiro de 2012

    Parabéns! Sintetizastes uma época, um período, um local e um conjunto de atitudes sem atitude, em bela crônica. Por isso tudo é que este gaúcho aqui, não troca a bela (e ainda pacata) Meia Praia, em Itapema.

  • Talia diz: 12 de janeiro de 2012

    Meu Deus…a que ponto chegamos. Alguém tem alguma dúvida com relação ao que ocorre na ilha, a muito tempo? Sou nativa da ilha SIM e sei que o povo não é lá muito fã de trabalho pesado. Daí, logicamente, como é que vamos exigir da polícia ou do governo, trabalho duro? Adoramos um feriado e a quantidade de funcionários públicos por aqui adora fazer greve de pijamas.O turista PAGA o que for, e LOTA as praias, com ou sem infra-estrutura. Porque investir? Quem não quer se estressar indo a praia ou pegando fila pra tudo, não saia de casa. Simples assim. Como um dos colegas paulistas aí em cima falou, o ser humano tende a DESORDEM. Se não há regras e nem limite pra nada, vai atrair quemmm??? Bons cidadãos? Respeitosos, honestos? Não me venha com palhaçada meus irmãos conterrâneos…Vamos tratar de olhar pro nosso umbigo. Enquanto isso em Jurerê, “Carioca phoda” vem rasgar nota de R$ 20 reais…
    Agora, estou constatando um verão que andorinha não faz sozinha!!! Mobilização já e boa sorte pra todos nós!

  • Adriano diz: 12 de janeiro de 2012

    Sou morador de Ponta das Canas e não é de hoje que percebo essa bacanália por aqui, durante a temporada de verão, especialmente no carnaval. E além dessa situação ainda temos conviver com o estado de abandono em que se encontra o norte da ilha, principalmente a região de Cachoeira e Ponta das Canas, que há muito tempo não conta com manutenção e limpeza das vias, sem falar da herança deixada pela empresa responsável pela implantação do sistema de esgoto da região, tais como: calçadas quebradas, ciclovias não demarcadas, buracos nos pontos de visitação do sistema (bem no meio da via), entre outras tantas aberrações. Basta dar uma volta pela região para perceber o caos. Como queremos ser respeitados pelos turistas se as próprias autoridades públicas de Floripa não nos respeitam. Esse ano teremos eleições municipais e tá mais do que na hora de fazermos a diferença nas urnas.

  • Lobão diz: 13 de janeiro de 2012

    Esse tal de Felipe com PH (?) e bem esse típo que melhor fica em Brasilia! Novos ricos, se achando – provalmente mamado nos tetos do Governo – acha tem direito para criticar ! Querem o “rústico”, o natural da Ilha ,mas no mesmo tempo queram o tapetes vermelho para jogar seu champagner sobre ele! Etá povo besterol!

  • Joao diz: 13 de janeiro de 2012

    Concordo ….sou turista faz 2 anos em floripa..fico em jureré…ali ate q e bom..mas quando vc vai pra o internacional ja vira baderna..vc QUASE NAO CONSEGUE ANDA..
    muita gente se axando os bons…tudo filinho de papai que nao sabe nem se limpa.

    mas gosto da praia…ate um certo tempo..

  • jow diz: 13 de janeiro de 2012

    Sou +1 reforçando o coro da opinião …
    O que está feito, está feito. A princípio, a praia bucólica de Jurerê de 20 anos atrás não voltará mais. A reputação Jure-bunda-rerê já se espalhou via propaganda boca-a-boca e pelas diversas mídias com suas coberturas purpurinadas das festas glamurosas… Imagino que agora, só com uma mobilização dos moradores do bairro para que a prefeitura ou estado tomem ações junto a estes para que o bairro se torne +Ibiza do que Canasvieiras.
    Se queremos uma ilha onde se possa encontrar o antigo ar campesino, devemos zelar por outros bairros que ainda não foram visados pela especulação imobiliária. Precisaríamos monitorar o crescimento da população nesses lugares e delimitarmos as áreas de novas contruções à bairros já totalmente urbanizados. Deveríamos procurar representantes que invistam seriamente em embargar obras irregulares em terrenos de posse e em sanear e regularizar o que já se tem construído. Representantes que tenham planos para ações inteligentes que incentivem os nativos a não venderem suas casinhas pros especuladores imobiliários e que consigam manter intactos os bairros que ainda possuam sua parcela de belezas naturais.
    O que noto é um certo desalinhamento político os moradores do município com suas representações… Se não gostam de turista, na próxima vez votem em candidatos que foquem em alternativas de capitalização para a ilha, como a tão falada indústria de tecnologia (Como anda o Sapiens Park mesmo?) e que pretendam manter quem quer fazer renda rendando e quem quer pescar tainha, pescando, ô ixtupô…

    Abraço!

  • Mayara diz: 13 de janeiro de 2012

    Eu acho o seguinte: Não se pode pôr a culpa somente nos turistas, pois os nascidos aqui em Floripa se aproveitam dessa época p/ fazerem muitas coisas erradas, já que Jurerê está taxado de ”point mais badalado da ilha”. Claro que eles não estão nem aí pra ninguém, estão em um paraíso, que foge na maioria das vezes da realidade da cidade deles, e não se importam em fazer merda na frente dos outros, já que ninguém os conhece..
    Realmente é assim na maior parte dos locais turísticos bem frequentados: Onde há diversão, há propensão à incomodações. PRINCIPALMENTE p/ os moradores da região. Acho errado culpar SOMENTE os turistas.
    Concordo com o Rica: Tem que fazer blitz no fim das festas e parar a galera que já está alterada. No Rio a lei seca reduziu em mais de 50% os acidentes de trânsito, e lá é rigoroso mesmoooo, TODO DIA tem lei seca e FUNCIONA!

  • Marco Aurelio Steffani diz: 13 de janeiro de 2012

    De fato, quem conheceu as praias do norte da Ilha no início da década de 1980, quando acampávamos embaixo das árvores na praia de Canasvieiras, tudo era lindo, tudo era belo.
    Depois, passamos a frequentar a praia de Ingleses, muito deserto por lá, poucas pessoas, gente que procurava por sossego.
    Começaram a vir os hermanos, alguns metidos a besta, emergentes-sem-noção, bêbados mal educados que andavam pelados pelas ruas, riscando veículos, virando ladas de lixo, gritando, fazendo arruaça e acordando todo mundo. Furando filas, desrespeitando as leis de trânsito, trazendo muitos dólares e arregalando os olhos famintos dos garçons e guardadores de carros.
    Veio a crise financeira argentina e o bicho pegou por lá. Nos abandonaram. Eu dava graças a Deus que a praia de Ingleses já não mais falava espanhol, sem aquela gente estúpida e pelada na fila do supermercado. Uns poucos argentinos, MAIS educados, continuaram vindo, sem tanto estardalhaço.
    Nem demorou tanto assim, e a economia brasileira estabilizou, o poder de compra da classe C melhorou, e alguns parecem ter tomado o elixir do “dinheiro-compra-tudol”.
    Hoje, quase tudo aquilo que alguns bandalheiros argentinos faziam na década de 90 alguns turistas brasileiros estão repetindo. Em mesmo grau, gênero e número. Mas com uma diferença fundamental: estão falando brasileiro.
    Mordo minha língua: eu creditava esse desvio de conduta aos hermanos.
    Hoje, constato ser uma incapacidade humana de lidar com a rápida ascensão financeira, independendo da origem. Não importa se é paranaense, gaúcho, paulista, mineiro, carioca ou catarinense.
    O que me intriga é até onde vai esse comportamento? Quem imporá limites a essa “gentalha”, como diz o Quico?
    Quem poderá nos salvar? O Chapolin Colorado?

  • ADEMIR MEIRA diz: 13 de janeiro de 2012

    Dizer que prescisa diploma para escrever a jornais….

  • Alvaro Inchausti diz: 13 de janeiro de 2012

    Julio Cesar de Lacerda diz:
    11 de janeiro de 2012
    Estão estuprando a Ilha da Magia! Onde está o poder público?
    :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

    Caro Julio, o poder público está na mão de quem lucra com este estupro.

  • Renata diz: 13 de janeiro de 2012

    Bem… sou de Erechim e moro em Jurerê há 2 anos.
    E não existe apenas lá pessoas sem consciência e respeito. Alias pessoas assim existe no mundo inteiro.
    Agora se tu quer falar o nome de alguem fale. Mas não generalize para o todo, pois eu tenho respeito por todo mundo. Pena que tenha alguns que não tenham…e lá em ERECHIM como toda cidade tem violência….mas não é só por causa disso que terei vergonha de dizer que sou de lá. Pelo contrário tenho muito orgulho das minhas origens e mais por não ter ido pelo caminho errado.
    Ou seja o fator principal desses acontecimentos é a EDUCAÇÃO mais uma coisa básica que todo mundo recebe em casa e não demonstra.
    Não é porque existe criminosos lá em Erechim que eu tenho que ser uma tambem.
    Então espero que você tenha consciência ao se referir a uma cidade ou a quem quer que seja. Não generalize sem antes mesmo saber se todo mundo é assim.
    Apesar dos apesares….Floripa tá linda e muiitoo movimentada nesse verão.
    Mesmo tendo esses acontecimentos desagradáveis o turista ainda prefere a nossa ilha!

  • Alvaro Inchausti diz: 13 de janeiro de 2012

    O progresso é uma faca de dois gumes.
    É também algo que não pode ser evitado mas que deveria ser administrado com prioridade para a conservação da natureza e (consequentemente) para o bem geral.
    Vejam bem que uma maçã podre estraga a salada de fruta e isto é o que se destaca.
    A maioria dos turistas são gente boa, gente que trabalha o ano todo para poder passar 15 dias em um lugar maravilhoso como este onde moramos.
    Ficar apontando dedo para a procedência do turista e colocando todo mundo no mesmo saco é uma discriminação ridícula que só quem nunca saiu do seu cantinho pra viajar pelo Brasil ou pelo mundo; é falta de visão, de experiência. Há gente boa e ruim no mundo inteiro, nativo, brasileiro e estrangeiro. O que importa é exatamente isto: quem é bom e quem é ruim, e não onde nasceu.

    Florianópolis precisa do turismo assim como quem trabalha na lavoura precisa da terra, a questão é exercer a atividade com consciência e sustentabilidade, para não matar, esgotar e estragar a fonte.
    Reclamar do turismo e querer expulsar que vem de férias é coisa de bitolado.
    Se acham que o escasso progresso do qual Florianópolis desfruta no que se refere a estradas, iluminação, etc, foi feito puramente para beneficio da população local, estão enganados. Se este não fosse um lugar lindo e altamente turístico viveríamos ainda na época da estrada de terra sem telefones, e do caminão do gás passando só duas vezes por mês.
    Eu não vivo de turismo mas entendo que muita gente precisa disto para sobreviver, principalmente agora que a pesca artesanal quase está extinta por causa das grandes empresas pesqueiras que ganham concessões irresponsáveis, abusam da natureza e frequentemente cometem infrações que não são punidas ou que são engavetadas jogando dinheiro na mão de algum corrupto no poder público. O mesmo acontece com a construção desenfreada de resorts ou condomínios, muita destruição para benefício de poucos.
    Conheci Ibiza quando era uma ilha pacata, antes de virar uma boate gigante e depois um puteiro internacional. O mesmo para as ilhas gregas, Tenerife, Palma e todas as outras. A responsabilidade final pelo que aconteceu lá (e o que está acontecendo aqui) fica na mão dos governantes. São eles quem concedem licenças e alvarás, assinam projetos e mudam a lei aqui e acolá para acomodar algum empresário que os beneficie.
    A imprensa também deveria exercer uma responsabilidade social com relação ao turismo e promover incansavelmente a sustentabilidade, a consciência de preservação, sair atrás de políticos que não cumprem o que é melhor para a maioria e desmascará-los e fazer com que a população não esqueça quem são, etc, ao invés de ficar paparicando Vips e Globais nos iates com reportagens bacacas de champagne e lagosta; também não deveria dar nenhum espaço a imbecilidades do tipo daquelas bagaceiras dançando de calcinha no centrinho da Lagoa. Não é uma reputação desejável e não reflete a realidade nem os anseios da população, é a maçã podre se destacando na salada de fruta, mas é disto que as pessoas se lembram…. “Florianópolis é folia”! E já vem com esta mentalidade…
    Desenvolvimento com responsabilidade social. Antes que seja tarde demais.

  • Jordana diz: 13 de janeiro de 2012

    Caro Cacau,

    Muito bom ver esse assunto sendo discutido.

    O debate deve ser ampliado. NÃO É SOMENTE JURERÊ QUE SOFRE COM ISSO. É A ILHA TODA!

    O que A POPULAÇÃO PRECISA DECIDIR – E O GOVERNO ACATAR revendo suas políticas – é se Florianópolis quer “viver” para seus moradores (contribuintes o ano inteiro) ou para os turistas.

    Será que Florianópolis precisa de tanto turismo quando ela possui um dos maiores polos de informática do Brasil, um polo universitário respeitável, é sede da maior geradora de energia do Brasil, enfim, possui uma economia diversificada e robusta?

    Daqui a pouco teremos que discutir medidas mais drásticas, como cobrar pedágio para carros com placa de fora, por exemplo.

    Nada contra turistas, mas o cidadão florianopolitano deve estar sempre em primeiro lugar!

  • Marcelo Rocha diz: 13 de janeiro de 2012

    Lamentável o caso e verdadeiramente angustiante! O caso informado pelo nosso colega Rica Ribas mostra nossa realidade e a falta de controle que a ilha está passando. Nasci e me criei em Sambaqui , faço parte da Associação de Bairro e luto constantemente contra estes gafanhotos que invadem a ilha! Somos uma associação atuante, buscando sempre o bem da comunidade, mas a dificuldade que enfrentamos é a mesma de Jurere, e o restante de Florianópolis! A policia não age de forma intensa todos os dias , não coíbem os gafanhotos, não organizam o transito, não fazem Blitz, não atendem nossos pedidos…! Convido vocês a irem a Sambaqui, mais precisamente na Ponta do Sambaqui, em um final de semana, pra constatarem o que estou falando. É deprimente e angustiante ver a destruição, a desordem no local e não poder fazer nada naquele instante! Claro que ofícios foram feitos, para a PM a GM a Floran, mas sem sucesso. Na verdade estamos sem controle, as pessoas mal educadas e destruidoras (Gafanhotos) sabem disso e barbarizam, não serão punidas mesmo! Podemos reclamar, ficarmos revoltados, angustiados, mas quem realmente controlará essa cambada de baderneiros é a policia. Como teremos controle se a policia não controla o descontrolados? Estamos com um cenário desolador em nossa ilha. Temos a força em nossas mãos, estamos vendo o que está acontecendo, e o que irá acontecer!! Não poderemos ficar parados, vamos abrir ações publicas (O MP está ai para nos apoiar) para defender nossa ilha e nossa gente; vamos fazer os responsáveis pagarem pela decadência de Florianópolis!!!

    ” O Governo deu dinheiro, mas não deu educação para o povo”
    Grande abraço!
    Marcelo Rocha

  • Angelina Martin diz: 13 de janeiro de 2012

    Turismo não só é algo rentável como necessário. O problema é o tipo de turismo que se quer por aqui. Floripa é uma cidade linda, com praias lindas que tem muito a oferecer o ano inteiro e não somente na temporada. A exploração do eco turismo é uma realidade em muitos países como a Nova Zelândia e poderíamos muito bem adotá-la aqui. A prefeitura deveria oferecer treinamento a todos que trabalham na área de hospitalidade (hotéis, bares, restaurantes, transporte) e prepará-los para receber esse tipo de turista. O eco turista e o turista esportista normalmente praticam o turismo sustentável, valorizam o meio ambiente e não poluem. Já o turista que hoje frequenta Floripa está atrás de baladas e ostentação, esse turista é o mais predatório que existe e deveria ser desestimulado. Mas com a mudança do conceito de certas praias como Jurerê Internacional fica difícil estabelecer um controle. Alguns empresários, que visam somente o lucro sem se preocupar com a conservação da cidade, estimulam esse tipo de turismo, pois querem dinheiro fácil. Esse tipo de pessoa deveria ser desestimulada a investir aqui. O que deve ser definido é que tipo de turista queremos em nossa cidade. Uma coisa é certa, se continuar como está, em breve veremos o fim de uma cidade que já foi um paraíso. Ainda há tempo, mas para isso temos que abrir nossos olhos e mudar o foco o mais rápido possível.Esses bares de praia (beach points) e similares deveriam estar localizados em áreas específicas para isso e não em áreas residenciais como hoje.

  • Pedro diz: 13 de janeiro de 2012

    Ribas, sou de São Paulo e você tem toda a razão. Frequento Floripa a +/- 7 anos, e esses “pseudo mauricinhos” estragam tudo onde estão. Venho acompanhando a 5 anos a transformação negativa que ocorre em JI, seja aqui em Maresias ou na Praia do Rosa (invadido por idiotas pitbulls cariocas). Neste ano desisti de passar a passagem do ano em Floripa por causa destas bestas. Já que não tem educação, fiscalização neles.

  • Fernanda diz: 13 de janeiro de 2012

    Você está generalizando os paulistas, dizendo que sao eles que invadem a cidade, e alugam casa em vinte, eu sou paulista e morei mtos anos por ai e meus pais ainda moram, e posso te garantir que no verão, qualquer um que quiser vai pra jurere, e não se esqueça que o pessoal do continente, como são josé,palhoça e etc. tbm vão! Tu não gosta de morar na praia? Toda ação gera uma reação, sendo ela boa ou ruim! Sim, o pessoal deve ter respeito, concordo. E todo ano é a mesma coisa, vcs nao querem turistas fazendo baderna por ai..mas esses numeros vão aumentar a cada verão, eu até tendo entender o desabafo, mas assim como vc pede respeito, tbm deve respeitar e não generalizar.Ou então fechem a ilha, quem sabe dá certo :)

  • Julio B diz: 13 de janeiro de 2012

    Olá!minha opinião sobre esse assunto é que antes que vocês quererem criticar a forma que nos turistas usufruimos das praias .. Vocês tem que analisar a forma como os proprios moradores se comportam.Olá!minha opinião sobre esse assunto é que antes que vocês quererem criticar a forma que nos turistas usufruimos das praias .. Vocês tem que analisar a forma como os proprios moradores se comportam. E pelo contrário do que o nosso amigo disse, nos gauchos recebemos muita educação em casa. Não é só porque somos do interior que somos “jecas” . Pelo contrário foi com o trabalho duro que aprendemos a ser educados e a querer conquistar os nossos objetivos. O grande problema de Florianopolis é que vocês não conseguem enxergar o problema que vocês proprios tem e ficam procurando problemas com os turistas. Não digo que não tenha turistas folgados e que não respeitam, pois tem simm mas não “apenas” em Florianopolis no mundo inteiro encontramos pessoas assim. Causa do grande problema que o mundo inteiro enfrenta por falta de consciência. E antes de falarem mal de nós gauchos vão lá em nosso estado ..preferencialmente em minha cidade ERECHIM aprender um pouco a serem mais hospitaleiros. Afinal Florianopolis como todas as cidades litorâneas dependem muiito do turismo para sua economia. Então caros amigos….pensem um pouco mais antes de falarem e criticarem algo. Resolvam primeiramente os problemas internos para depois progredirem para os externos.

  • Fabrício diz: 13 de janeiro de 2012

    Quer paz sossego e calmaria? Vai pra Ilha do Campeche, Praia da Armação, etc…
    Esse bairro que tu vives foi projetado para o turismo de um público das classes altas, que obviamente vão festar.
    Falta de respeito não depende de ser paulista ou de Erechim. Nem o preconceito…

  • Nádia diz: 13 de janeiro de 2012

    PESSOAL!!! MANDA ESSA TURMA PARA A BARRA DA LAGOA!! LÁ NINGUEM SE PASSA!!! QUEM MANDA É A COMUNIDADE!!!

  • Francisco José Lima diz: 13 de janeiro de 2012

    Como “forasteiro” que escolheu a ilha para morar, apesar de ser, pelo menos, natural do Estado, concordo com as palavras de Rica Ribas, que, à propósito, nem imagino quem seja! Discordo, porém, no tocante aos paulistas. De um modo geral, boa parte dos turistas que nos visitam perdem a noção de limites quanse se sentem livres das marras da comunidade em que vivem e acabam achando que manezinho (seja ele nativo ou não!) é sinônimo de tolo, de caipira, de gente de boa fé em excesso…. Acho triste, mas é verdade! Apesar de não ser ilhéu, adotei a ilha e me sinto adotado por ela, e também gostaria que os visitantes fossem menos “espaçosos” quando estiverem por aqui. Que se mantivessem tão educados e sociáveis como quando estão em família, na sua cidade, em seu círculo social. Independente do estado de origem, seria louvável da parte dos turistas que lembrassem, SEMPRE, que eles estão passeando mas que a maioria de nós continua trabalhando, tendo horários a cumprir e, portanto, sendo merecedores de descanso. Afinal, somos NÓS que estamos em casa. Casa,essa, que mantemos de portas abertas às visitas!

  • Carlos diz: 13 de janeiro de 2012

    Esse é o preço que se paga para ser uma cidade “turistica”, cantada em verso e prosa pela mídia local e nacional e por outros setores como o paraíso do turismo sexual “chic” dos novos ricos!!!,… e até de príncipe do Marrocos!!! (jogadores pavões…artistas…pagodeiros…sertanejos..fazendeiros do Mato Grosso… “modelos/hookers”,etc). No mundo todo existe isso! só que aqui na ilha a coisa possui contornos de absurda e caricata orgia, protagonizada por um “povinho” de segunda, mal educado, como infelizmente o brasileiro é conhecido mundo afora.

  • Márcia diz: 14 de janeiro de 2012

    Concordo com a maior parte dos argumentos do amigo, mas eu acho que isso é mais um efeito colateral de uma situação limite. As mansões, a imagem de riqueza extrema que é transmitida tanto nas próprias ruas do Jurerê quanto nos meios de comunicação… As ‘festas fakes’ que passam na TV imitando Ibiza… Bah, pensa só! Uma vez, caminhando em direção à praia do Jurerê com amigos, presenciei uma dessas festas. Eu só consegui rir de tristeza. Aqueles corpos belos e morenos e tatuados, dançando todos iguais, para si mesmos… Em que mundo essas pessoas vivem? Inclusive, mais uma notinha: a própria TV local fomenta essa imagem de Jurerê.

  • Mateus diz: 14 de janeiro de 2012

    Bom dia. Sou de ERECHIM e já fui várias vezes à Florianopolis. Visitei diversas praias e inclusive Jurere, na qual, posso dizer, com certeza, que nunca retornarei.
    Voce, assim como muitos outros moredores locais, ficam ai se achando e fazendo de `rei da cocada preta`, quando, na realidade, devem ser um bando de folgados. Vc, por exemplo, n’ao deve nem trabalhar, porque tem tempo mais que de sobra pra ficar cuidando da vida dos outros.
    Eh bom lembrar que Floripa eh uma cidade maravilhosa, e tem muito gente que escolhe o local para gastar! Gastar sim!! Todas as economias geradas em um ano de SERVICO! Assim, movimenta o comercio, gera renda para os donos de imoveis, para diversos profissionais libeirais, entre outros.
    Alias, nem lembro do nome de qualquer industria com sede em Florianopolis. Assim, eh interessante que vc perceba que a cidade vive, em grande parte, da renda gerada ou pelas universidades e seus estudante, ou pelos empregas publicos, ou, por fim, pelos turistas `idiotas` que vc menciona.
    Ainda nao entendo como uma pessoa que se diz instruida, como vc, possa usar termos termos cque generalizem. Deixe de ser cabeca oca, e especifique.
    Se tiver alguma reclamacao, ou denuncia, procure o orgao responsavel, como MP, brigada, ou ate a puta que pariu.
    Agora nao venha ai falando mal PUBLICAMENTE e me incluindo no meio do assunto sendo que vc nem me conhece.
    A vontade de ir e vir eh livre a qualquer cidadao. Se alguem deve multa-los, notifica-los e averiguar o certo ou errado eh o orgao competente, porque vc eh um simples cidadao, igual a qualquer turista, e nao tem direito de reprimir ou julgar ninguem!
    E por fim, se nao esta satisfeito, eh simples, seja homem e va morar em outro lugar!
    Tem cada um…

    PS. Peco desculpas pelos erros e falta de acentuacao, mas meu NB nao tem teclado padrao portugues-BR.

  • Barney Stinson diz: 14 de janeiro de 2012

    Se nao fosse pelos paulistas nao existiria jurere

  • Anderson diz: 14 de janeiro de 2012

    Eu moro em Jurerê Internacional a 12 anos, infelizmente quando resolvi morar aqui, nunca imaginava ver o que já vi em jurerê, um bando de gente sem educação que chega aqui, eles não respeitam as famílias que moram aqui que vai ficar aqui depois que este povo for embora. Lembro que isso tem que vir da cultura do pessoal do turismo, que divulga a praia para todo mundo, enquanto não mudar isso, vai ser essa baderna.

  • André Luis diz: 14 de janeiro de 2012

    Pra que fazer um apelo 100% válido e estragar com uma generalização infeliz? IDIOTAS vêm de todos os lugares do mundo. Moro em Jurere há 5 anos e pessoalmente, vejo muito mais algazarras de pessoas fora de São Paulo do que os próprios Paulistas.

    Mesma coisa que eu falar que todo Manezinho da Ilha é burro, que Gaucho é porco, que Curitibano é fresco, que Carioca é safado, que Baiano é preguiçoso…

    Cacau e CIA, põe na tela amarelo, mas põe direito!

  • Adolf diz: 15 de janeiro de 2012

    Parece mais conversa de coitado que paga pau para paulista… Artigo preconceituoso, chegando ao cúmulo de menosprezar “99%” dos turistas paulistas, classificando-os como bandidos. Como se não existissem bandidos catarinenses! Quando Floripa sofreu com os desastres naturais, de onde vieram a maioria das doações? De SP.

  • Haroldo diz: 15 de janeiro de 2012

    Favor me excluir da lista de comentarios, pois estou recebendo as notificacoes.

    Nada interessantes.

    Obrigado.

  • chelli diz: 17 de janeiro de 2012

    Estou indo para floripa depois do carnaval, sou mineira e moro na italia , como “turista” espero nao ser recebida com preconceitos, porque nao se pode generalizar e dizer que o turista traz so problemas para a cidade.Eu sei que gente mal educada tem em todos os lugares do mundo, espero nao encontrar muitos desses por ai. fique muito surpresa porque escolhi este ano passar feria ai exatamente por sempre ouvir falar que era uma cidade organizada, limpa,etc.

  • Marcos diz: 17 de janeiro de 2012

    KKKK, A Grande maioria que tecla aqui diz que mora em Jurerê a 5,3 2 anos, outros dizem que moram na Itália, Europa que isso que aquilo, na verdade eu acho que são tudo pé de chinelo igual a mim que só entrou aqui pra ver como se faz pra parecer ser o que não é, e parecer ter o que não pode….

    Abraço a todos os pé de chinelo igual a mim que nunca vamos pra essa praia de rico porque não temos dinheiro mesmo…mais o meu Gol bola 2002 esta pago pelo menos, e sem financiar nada.

  • JC TOSSULINO diz: 17 de janeiro de 2012

    Parabéns, Rica! Vc sintetizou o estrago de verão para os florianopolitanos. Mas não fique preocupado que se nada der errado, a polícia, os médicos dos postos de sáude e hospitais públicos, os bombeiros, enfim, uma equipe de abnegados farão algo por você. Porém, se algo der errado, prontamente os políticos e alguns empresários estarão prontos para executar projetos, apresentados por aqueles, que irão amenizar a dor da população… Este jeitinho brasileiro tem que ser banido, os oportunistas de plantão precisam ser desmascarados. Precisamos nos mobilizar sempre. Rever nossa ética, nossa moral etc., caso contrário seremos co-partícipes dessa barbárie, seja por ação ou por omissão. Mais uma vez: Parabéns, Rica!

  • Marcos Antonio Slaviero diz: 17 de janeiro de 2012

    Caros, trabalho no mercado imobiliário de Jurerê Internacional há 16 anos. Vendo e alugo, dando prioridade para a primeira atividade. Lhes afirmo algo que é a mais pura realidade: o que acontece nessa época é culpa de muitas pessoas, principalmente dos que aqui se destinam pra fazer do nosso local uma “verdadeira aventura turística da badalação”, sem preocupação alguma com as consequências advindas”. Isso é resultado da uma prática descabida por parte de muitos proprietários que alugam seus imóveis em parceria com as empresas imobiliárias locais, não medindo esforços em lucrar, mesmo que isso seja pra tapar a moralidade, a ética e o respeito pelo Bairro e pelas pessoas que aqui residem. O que essas empresas poderiam fazer para melhorar o nível dos frequentadores na alta temporada? FILTRAR O PERFIL DOS CLIENTES AOS QUAIS QUEREM ALUGAR. Isso não acontece com a maioria das empresas, fato que aliado ao “olho grande” de muitos proprietários, resulta nessas revoltosas manisfestãções, principalmente dos que buscam um lugar de tranquilidade e sossego. O número de empresários que tem condições de alugar casa de médio e grande porte nessa época, não ultrapassa os 10%, o que justifica o grande número de residências que são alugadas para as “verdadeiras turmas da bagunça”, e, pasmem, na sua maioria, locações consentidas pelos proprietários. Ai vai um recado para a imobiliárias dos meus parceiros: alugue somente pra familias. Assim você não se incomoda, tem compromisso com o seu vizinho e com toda a comunidade, e ainda mantém a qualidade de vida de todos àqueles clientes que um dia você mesmo já vendeu, garantindo-lhes que Jurerê Internacional é um lugar diferenciado. Abraço Cacau do Marcão.

  • Paulo Fonseca diz: 17 de janeiro de 2012

    Concordo com os comentários do morador de JI. A respeito de arrecadação de impostos, acho que a Receita Federal deveria recolher nas imobiliárias a relação de imóveis alugados, inclusive para festas, e cobrar de seus respectivos donos os impostos cabíveis. Seria uma forma de retornar ao poder público um pouco dos milhões que se gasta por aqui…

  • José Francisco Aiello diz: 17 de janeiro de 2012

    Olá, moro aqui há 13 anos. Sabe o que eu não entendo?
    Todo ano é a mesma coisa. Vocês que se dizem manézinhos, deviam ter pensado melhor antes de lotear a ilha aos “argentinos”. Vocês deveriam ter pensado melhor antes de ir morar na casa dos fundos para alugar suas moradias a turistas para obter renda extra. Deveriam ter pensado melhor o quanto é ridículo ficar balançando chave pelas ruas.
    Sem falar que deveriam pensar melhor antes de qualquer outra manifestação preconceituosa, a grande realidade é que Floripa depende do turismo para fazer circular o dinheiro.

  • LUCAS JURERE diz: 17 de janeiro de 2012

    Sabe o que vai acontecer aqui em jurerê,vamos formar uma turma como a da barra da lagoa e sentar o cacete nesses play Boys que fazem merda,começar e agir como mercenários,só que nosso preço e o sossego!

  • Enzo diz: 17 de janeiro de 2012

    O pior de Florianopolis sao os proprios manezinhos e os porto alegrenses….

    Aposto que essa retardada que escreveu eh de porto alegre.Tem idiotas em todos lugares, TODAS as mulheres de florianopolis saem como bitch o ano inteiro e todo mundo quer vir pra Floripa pegar as safadas da ilha e do sul.

    Sou catarinense, conheco o Brasil inteiro e onde vi falta de educacao e de vontade para tudo foi em Florianopolis

  • João Guilherme Cicarelli diz: 18 de janeiro de 2012

    paulistano de nascimento e curitibano de coração apoio totalmente a campanha do fora paulistas de Jurere e de Floripa como cidadão e jornalista aposentado. Sou a favor da paz com sustentabilidade e do respeito aos direitos constitucionais de cidadania plena. Lugar de bandido é na cadeia. E bebados que atropelam pedestres, bikeiros e pilotos de motos também precisam pagar pelos atos irrresponsaveis no rigor da lei.

  • Tiago Rohrsetzer diz: 19 de janeiro de 2012

    Da saudade dos turistas Argentinos hahaha esses pelo menos a gente baixava a porrada e eles baixavam a bola. Mas agora com esses novos ricos, o bixo pega, eles gostam de apanhar parece. HAHAHA Fora Haole tem que agir com força contra os babacas, jogou lixo no chao tem que fazer juntar, cortou a fila tem que botar no lugar certo .. Soh juntar mais de uma pessoa contra o vagabundo que ele vai cagar na vara. Triste, mas tem gente que soh aprende assim, na base da porrada :D

  • CLAUDIO diz: 19 de janeiro de 2012

    Sou gaucho moro em Natal rn voces nao viram nada venham para ca e vejam o que acontece aqui aqui é o ano intgeiro.

  • enrique gunther drewes diz: 22 de janeiro de 2012

    achei muito oportuna a entrevista no RBs.Moro desde 2006 no Jurere e a degradaçao do bairro esta saindo totalmente do que foi planejado.Eu nao conheço nemhum lugar no mundo onde na zona residencial se possa dirigir a mais de 120 km/h com radio a 100 db e reforço da buzina e onde dirigir bebado seja uma virtude.Onde satisfazer as necessidades fisiologicas podem serrealizadas em qualquer jardim e “transar pode ser efetuado em qualquer lugar e como consequencia assaltos,roubos ,furtos etc sem a menor restriçao o controle o mesmo valendo tambem para o uso de drogas.
    Gostei muito do comentario da Monica do 12/01

  • kellen diz: 25 de janeiro de 2012

    gente, deixa de ser ignorante o Rica usou as palavras Paulistas e Erechim como exempolo, é claro que existem idiotas em todos os cantos do universo….

  • Roberto Santana diz: 14 de fevereiro de 2012

    Nossa, que MERDALHADA !!!!!! Credo nunca vi tanto pé de chinelo em JURERE. Sou morador e nunca me preocupei com isso mas tá demais. Um monte de quero ser vip um dia, pagando com cartão alimentãção, tick restaurante e pousando de rico com uns carrinhos vagabundos normalmente caminhonetes velhas.Tem gente que não vai comer o ano inteiro para pagar as dívidas de uma semana de temporada. E as vagabundas de praia … que lixo.

  • Paulo diz: 22 de fevereiro de 2012

    Em jurerê Gasta-se muito sem se preocupar com a conta? Dinheiro público eis sua origem, podes apostar. Quantas reportagens enaltecento os ricos que lá vão, assim só desinformam o povão.

  • sarah gasil diz: 26 de fevereiro de 2012

    gracas a Deus nao sou catarina ,ja morei em jurere na melhor casa (linda) mas sai dai
    quem realmente tem grana vai embora ,so ficaram os trouxas ah ! coitados ,moro hoje num lugar VIP da america do sul nao troco por nada o Brasil esta podre ,pena que meus filhos morem ai , essa ilha sempre foi uma merda e a culpa e dos proprios catarinas que com olho em grana venderam tudo pra qualquer idiota ,com correntinha de ouro e
    alugando ferrari pra parecer rico oooooooooooooooooo lugar podre e infeliz tem que implodir essa ilha alias Deus qdo fez sc disse verao o povinho que botarei la kakakaka,se fffffff idiotas ,

  • ISAVIT diz: 29 de fevereiro de 2012

    Concordo não 100% de tudo que se foi mencionado a respeito da bandalheira e sim 1000% mas tem muitos comentários infelizes, porque muitos dos que falam mal, a respeito deste ou daquele ” povinho” seja paulista,gaucho,carioca enfim tb já teve o seu dia de podridão, e agora vem dar uma de moralista,certinho…já se perguntarão para os que já abandonaram a ilha que também podem estar sendo muito mal vistos ,mal desejados para onde foram??? Sair de SC e ir morar em SP por exemplo é simplesmente, mais carros,mais milionários ou não tb superpopulando SP. Assim como sair de jurere e ir morar num lugar VIP seja onde for da américa do sul já se perguntaram se os habitantes daquele lugar tb não dizem o mesmo …ah era tão bom quando não tinha estes invasores…Não existe uma capital onde não existem pessoas que sentem prazer em desfilar, florianopolis não é a única desprivilegiada… E este é apenas um exemplo. As pessoas esquecem que o mundo tem um único dono e Jurere Internacional faz parte dele.
    Espero imensamente que os responsáveis possam tomar atitudes que devolvam o mínimo de reputação que a cidade está perdendo.

  • Rosane diz: 1 de outubro de 2012

    Olha, adorei o post da Julie Polli, ela sim disse tudo…
    Sou carioca, moro no Rio de Janeiro, e sei bem conviver com os turistas, acho que todos devemos saber, pois não é possível que não queiram ser turistas também, ou será que quem publicou esse post, quer se fechar em Jurerê e não visitar nunca lugar nenhum…
    Estive em Jurerê como turista e fui assaltada, incrível isso !!! Nunca imaginei um lugar tão lindo, aparentemente bem frequentado, e um acontecimento desses??? Imaginem, saio de uma das cidades qeu a midia mete o pau dizendo ser a mais violenta do Brasil, onde nunca fui assaltada e chego em Florianópolis, como turista, e sou assaltada… e ainda acham que o turista é culpado???????????
    Onde está a segurança, onde está o policiamento????
    Antes de falarem mal de turistas devem pensar se também não são em outros lugares… a não ser que queira se fechar em seu mundinho e nunca conhecer novos lugares… Lamentável isso !!! Outra coisa, quem nunca precisou economizar pra fazer uma viagem??? Pelo visto quem concorda com esse post devem ser um dos milionários de Jurerê Internacional que possuem apartamentos em Nova Iorque e Paris…. e acham que quando viajam pra lá não são turistas…
    Quanta bobagem escrevemmmmm… Muito triste tudo isso !!!!!!!!!!!!!!

  • Mar diz: 2 de outubro de 2012

    Gente! Ninguém é contra os turistas!!!Não é isso que o autor do post está falando.O problema é como muitos “turistas” se comportam quando estão aqui!Em cidade nenhuma do mundo o turista mal educado é bem vindo,não interessa se é rico ou se é pobre!!!
    É justo os moradores que não estão de férias não conseguirem dormir por causa do som abusivo?E as crianças e os idosos? Afinal a praia não tem só baladeiros,como muitos pensam.
    Que sejam muito bem vindos todos os turistas que respeitem a cidade e os seus moradores.Só isso,simples assim!

  • sandro diz: 23 de novembro de 2012

    Brother. Itapema – SC tá iguale……

  • Alexandre diz: 26 de dezembro de 2012

    olha, sou de Salvador, estou com passagens compradas para o fim de janeiro em florianópolis, os ingressos comprados para o p12, show de jorge ben jor. Depois de ler essas coisas, já cancelei os ingressos para o show… e quase cancelando a viagem..

  • william Ribeiro diz: 16 de abril de 2013

    Toda essa baderna na ilha iniciou, com uma campanha da então prefeita Angela Amim, divulgou muito Florianópolis como melhor capital, melhor qualidade de vida, e hoje nós manézinhos não temos mas orgulho da cidade simples e bonita que tínhamos a tempos a trás… Florianópolis era tão boa que deveríamos ter exigido visto aos turistas assim pelomenos faríamos um bom pente fino nessa tranqueirada que esta estragando uma cidade que já foi muito bela, simples humilde charmosa já foi. hoje nos nativos mau podemos ir a praia… que um dia tudo isso melhore… (ESPAÑA IBIZA? VAI APRONTAR LÁ E ANDAR FORA DA LINHA PARA VER SE NÃO É DEPORTADO… E FESTA SIM MAS TEM LEI!!!! JÁ MOREI LÁ!… vamos todos rezar e orar e pedir a Deus por uma cidade melhor e mas segura denovo. Floripa e seu povo pede socorro mas ninguém vê !

  • David diz: 30 de abril de 2013

    SÃO PRAZERES MOMENTANEOS!! FALSAS ILUSOES, ATRASO DE VIDA, DE ESPIRITO, DE MENTALIDADE. RICOS OU POBRES, NAO INTERESSA…ESTÃO TODOS ALIENADOS.

  • EDER BARBOSA diz: 11 de novembro de 2013

    Estou de mala pronta para mudar para Floripa, pretendia comprar uma casa em JI, depois do que li, estou preocupado, me perguntando se vale a pena. Fiquei assustado, pois estive aí em época fora do verão, e pensei que o sossego fosse permanente.

  • Mar diz: 11 de novembro de 2013

    Se vc comprar longe da praia,como no Amoraeville,está tranquilo!

Envie seu Comentário