Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Salto Alto

31 de janeiro de 2012 3

Um projeto de lei de autoria do deputado federal Décio Lima (PT/SC) foi o tema para uma reportagem da edição de segunda-feira (30) no Jornal Hoje, da Rede Globo, alertando para o uso de calçados de salto alto por crianças e os riscos à saúde. O projeto PL1885/2011 do deputado catarinense proíbe a comercialização de sapatos femininos infantis (até 12 anos)  com salto superior a dois centímetros. A matéria do Jornal Hoje ouviu pais e especialistas em saúde infantil.

Para conferir o vídeo com a reportagem, clique em http://www.deciolimapt.blogspot.com/2012/01/jornal-hoje-destaca-riscos-de-salto.html

Comentários (3)

  • Zezinho diz: 31 de janeiro de 2012

    É, Cacau, o brasileiro tem mesmo memória curta.
    Aqui mesmo, neste Blog, esse mesmo projeto de lei já foi matéria de outra notícia sua, só que desvalorizando-o.
    Parece que, ao menos, o Jornal Hoje conseguiu captar o conteúdo e a finalidade do projeto de lei.
    A título de recordação, vou transcrever o que você disse e o meu comentário, á época, àquela nota.

    Fora de sintonia
    05 de agosto de 2011
    Mesmo com sua experiência de dois mandatos como prefeito de Blumenau e de dois como deputado federal, o catarinense Décio Lima não está acertando o alvo na proposição de projetos de lei na Câmara. Esta semana, dois projetos seus foram motivo de gozação na imprensa nacional. Um proíbe a utilização da tecnologia 3D nos cinemas, alegando que ela faz mal à saúde. Outra, proíbe sapatos de salto alto para as crianças. Ora, nos dois casos a decisão do uso ou não uso cabe aos indivíduos; no caso dos sapatos, também aos pais. Está faltando assessoria para Décio Lima ou sintonia com os verdadeiros problemas de Santa Catarina.

    Zezinho diz:5 de agosto de 2011
    Cacau, me parece que estás equivocado, pois o Projeto não quer proibir a utilização de tecnologia 3D nos cinemas, pelo contrário, o objetivo do projeto de lei é tão somente para que as salas de cinema, empresas que produzem e comercializam aparelhos de televisão, computadores e outros equipamentos que transmitam ou utilizem imagem em tecnologia 3D fiquem obrigadas a alertar aos usuários sobre a possibilidade de danos à saúde decorrentes de sua utilização. Esse projeto tem em vista proteger crianças e adolescentes, e, sobretudo, espectadores com histórico familiar de epilepsia ou derrame, mulheres grávidas, idosos, portadores de doenças graves, que são mais suscetíveis aos prejuízos possivelmente causados por essa tecnologia.
    Quanto ao outro projeto de lei, também visa proteger a criança, pois os riscos à saúde provocados por calçados de salto alto são ainda mais graves quando se trata de crianças, pessoas com até 12 anos de idade, já que são nocivos os efeitos dos saltos altos sobre a coluna infantil. E de coluna você entende.
    Afinal, o uso de cinto de segurança e o uso de equipamento de proteção em obras de engenharia também cabem ao indivíduo, mas nem por isso deixa de ser regulamentado pelo Legislativo.

  • maneca diz: 1 de fevereiro de 2012

    Quem está usando sapato alto é esse deputado não sei da onde.
    Ele ficaria melhor se arraqncasse o salto, ficasse descalço e com os pés bem presos ao chão e da realidade de seu cargo, tratasse de assuntos com efetiva importãncia para a vida dos brasileiros.
    Isso é que é falta de idéias.

  • Edenir Silva diz: 1 de fevereiro de 2012

    Sem querer fazer defesa do Cacau, a quem vi somente uma vez. O fato de ter saído no Jornal Hoje não valida muito o projeto do deputado Décio Lima. Primeiro, porque se a
    filha (ou o filho, nos dias de hoje) querem usar salto alto, cabe aos pais adotar as medidas necessárias, baseados em campanhas de conscientização. Chega de o Estado intervir cada vez mais nas nossas vidas. Daqui a pouco vão querer nos obrigar a usar determinada marca de papel higiênico. Segundo, porque há muitos problemas sérios para serem resolvidos em Blumenau. Vide as enchentes. O deputado errou o foco mesmo. Não há dúvida. Talvez só tenha assinado o projeto bolado por um iluminado.

Envie seu Comentário