Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de novembro 2012

ACADÊMICOS DA SAÚDE

30 de novembro de 2012 6

A Academia de Medicina de Santa Catarina ganha, hoje, 30, três novos acadêmicos: João Ghizzo, Paulo Zeni e Arari Bittencourt.  Ghizzo foi quem reformulou a política de saúde e reestruturou os hospitais no governo de Vilson Kleinubing. Hoje, dirige o curso de Medicina da Unisul.

Decorridos apenas oito anos do fim do governo de Kleinubing, o sistema de saúde está decadente e a maioria dos hospitais abandonada.  Por isso, é visivelmente urgente que políticas de saúde, educação e de segurança não sejam atropeladas por vaidades e estratégias eleitorais de governadores. É preciso profissionalizar o Estado.


Cassação

30 de novembro de 2012 4

No país só um em cinco casos, pessoas acabaram presas por matarem enquanto dirigiam embriagadas. A assombrosa realidade foi constata em pesquisa de um ano feita pela engenheiro paulista Rafael Baltresca que perdeu mãe e irmã atropeladas por um bêbado que estava a 140 km/h e que segue ainda em liberdade.

Não se trata de radicalismo, mas não seria sensato e mais do que justo que nesses casos, entre outras punições, o assassino perdesse pelo menos o direito de conduzir veículo para sempre? Chega de multinhas, chega de perda de pontinhos na carteira etc. Chega de brincadeira. Pau neles!

Briga boa

30 de novembro de 2012 17
 
    Se fosse antigamente, nao tao antigamente assim, canhoes e espadas seriam acionados para resolver essa questao da distribuiçao dos royalties do petróleo. Rio de Janeiro e Espírito Santo querem que a maior fatia – a grande fatia aliás – fique com eles, enquanto o restante dos estados ficariam a chupar no dedo. Santa Catarina, por exemplo, que nao é considerado um estado produtor, está obtendo apenas R$ 150 milhoes. Esse valor poderia ser multiplicado no mínimo por dez. O petróleo está no mar e seus recursos sao de todos os brasileiros, de forma igualitária. E que se levante a bandeira dos barriga-verdes.

Carnaval 2013

30 de novembro de 2012 11

Questionamentos feitos pela equipe de transição do prefeito eleito Cesar Souza Júnior à atual administração, através de ofício, a propósito da realização do Carnaval 2013.

O prefeito eleito Cesar Souza Júnior esclarece que aguarda as respostas para poder tomar uma decisão sobre a festa.

  

1 – Qual o valor, individualizado, do custo total para a realização do desfile das Escolas de Samba, desfile das Escolas de Samba do Segundo Grupo, Grande Sociedades, Blocos Carnavalescos e Carnaval de rua?

2 – Quanto será pago no corrente ano?

3 – Quanto restará à próxima administração?

4 – Qual a razão do não cumprimento do cronograma de pagamento acordado com as Escolas de Samba em 11/10/2012, mediante ofício Setur número 343/2012?

5 – Qual o estado atual das licitações de estrutura, bilhetagem, palco, luz, som e segurança para a realização do carnaval?

6 – Qual a situação do Segundo Grupo e a participação da agremiação Unidos do Caramuru no desfile do Primeiro Grupo em 2013?

7 – Especificamente em relação à passarela Nego Quirido: qual a situação estrutural; quais os procedimentos licitatórios instaurados e quais os investimentos necessários para o Carnaval 2013?

8 – Qual o valor repassado para a Liga e sua destinação?

 

Insensatos corações

30 de novembro de 2012 12

Parar os ônibus em Florianópolis por duas horas em solidariedade à greve da saúde? Esse pessoal ou está querendo transformar nosso país numa imensa Grécia ou então tem algo errado com esses governos de direita que dominam a cidade há 12 anos – tempos de Grando/Afranio.

 

Pais e filhos

30 de novembro de 2012 9

Caro colega Cacau,

 É fiquei emocionado com o vídeo escolhido, ainda mais com seu comentário que percebi um certo arrependimento do que perdeu ou poderia ter feito no passado na educação de seus.

 Fique sabendo que nunca é tarde, sempre há tempo para construir um fim melhor.

 Tenho 46 anos e 5 filhos com a mesma esposa, dia 17 de dezembro de 2007 na época com 42 anos, tive um presente divino.

 Nasceu a minha 5ª filha, Raphaela o qual faz aniversario dia 17 agora.

 Cacau foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida, rejuvenesci muitos anos e me dedico à maioria do meu tempo para brincar, passear e educar minha filha, assim corrigindo possíveis falhas na educação dos meus 4 filhos o qual não acha tempo, sempre trabalhando e viajando.

 Grande abraço Cacau e obrigado por este presente “vídeo”.

 Att

Luiz Henrique

WWW.C5PRODUCOES.COM

O impacto do exemplo de um pai

30 de novembro de 2012 16

 Acabei de exibir no Jornal do Almoço  este vídeo que já assisti três vezes e sempre com lágrimas nos olhos.

 http://www.youtube.com/watch?v=sxNysIy7ohw&feature=share

 

É para os colaboradores, mas foi dividí-los com vocês

30 de novembro de 2012 3

Caros colaboradores do Grupo RBS,

Esta foi a minha mensagem durante a cerimônia dos Jubilados ontem e que eu gostaria de estendê-la a todos vocês:

 

Meus companheiros de RBS, queridos familiares, amados amigos.

Comecei o dia com uma nota muito especial de emoção. A carta que o Nelson me mandou e que copiou todos vocês mostra bem o afeto e a solidez de relações que vem se construindo ao longo de uma vida inteira e que estão, sem dúvida, aqui dentro na nossa casa. Obrigado e um beijo, meu sobrinho, meu sócio, meu parceiro e sobretudo, meu amigo, Nelson!

Quem me conhece, sabe que eu sou emotivo e sabe também que costumo usar o bom humor nas minhas falas.

Hoje não vou fazer isso.

Vou cometer a ousadia de encarar, sem o recurso do riso, esta doce armadilha chamada emoção.

Parece que foi ontem, mas já estou completando 50 anos de RBS.

No ano que vem, vou celebrar 100 anos de outro evento muito significativo para mim e de certa forma, para todos nós.

O ano de 2013 assinala o centenário da imigração dos meus avós e dos meus pais, que vieram da Rússia.

Neste século, meus queridos, estão incluídos os meus 78 anos de vida, os 55 da história da RBS e um pedaço da existência e da carreira de todos nós que estamos aqui hoje, exatamente para celebrar esta parceria de trabalho, profissionalismo e amizade.

Trabalho, profissionalismo, amizade – eis aí alguns valores que sustentam esta história bonita.

Sendo filho de modestos imigrantes, muito cedo tive a oportunidade de conhecê-los. Com menos de 10 anos, eu já frequentava o balcão do armazém de meu pai, em Passo Fundo e aprendia o significado do trabalho.

Foi lá que eu, Maurício e nossos outros irmãos tivemos a bênção de aprender os valores familiares que nos guiaram para o futuro.

Meu pai José Sirotsky e minha mãe Rebecca Birmann Sirotsky, que vieram jovens para o Brasil fugindo da perseguição aos judeus na Europa, construíram aqui uma história digna e exemplar.

Quando penso nas adversidades que meu pai enfrentou no seu tempo, fico impressionado de ver aonde ele chegou.

Imaginem o que foi a trajetória desse homem, que era praticamente analfabeto em português, embora tenha aprendido ídiche e cirílico lá na sua infância russa.

Ele desembarcou numa inóspita colônia de imigrantes em Erebango, então distrito de Erechim, no início do século passado.

Depois de sentar dormentes e trilhos na ferrovia que se construía à época, depois de domar cavalos xucros e de conduzir tropas de mulas para a cidade, ele abriu um pequeno açougue, que transformou em botequim e posteriormente no armazém que deu resguardo para a nossa infância e que foi, na minha visão, uma das sementes da RBS.

Meu pai e minha mãe casaram-se em 1920 e sempre tiveram a convicção de que a melhor herança que poderiam deixar para os filhos seria a educação. 

Por isso transferiram a família de Erebango para Passo Fundo, proporcionando aos quatro filhos que haviam nascido na colônia e a mim, que viria a nascer naquela cidade, as ferramentas da educação e a vocação para transformar sonhos em projetos.

E aqui estamos nós, tocando esta maravilhosa RBS, para a qual transferimos nosso aprendizado e nossos valores.

Me empolga e emociona saber que a partir daquele humilde casal de imigrantes edificou-se esta verdadeira fábrica de sonhos e projetos.

Me empolga e emociona constatar que nesta construção tivemos a felicidade de proporcionar oportunidades para dezenas de milhares de famílias iniciarem e consolidarem suas vidas pessoais e profissionais.

Claro, cada um de vocês tem a sua própria história e devem preservá-la como um bem inestimável. Mas há um momento em que ela se mistura com este empreendimento inspirado nos valores daquela família de imigrantes que fincou raízes em Erebango e gerou flores e frutos.

Me empolga e emociona pensar que este ciclo começou com gente modesta, mas que sempre teve noção da importância do trabalho, da honestidade, da ética, da solidariedade, do relacionamento comunitário e, sobretudo, da educação.

Esses valores, que sempre pautaram a minha vida, me impulsionaram também para atividades associativas e de interesse da comunidade, que pude exercer antes e também paralelamente à minha participação na RBS.

Da presidência da União Passofundense de Estudantes, na adolescência, à presidência da Associação Mundial de Jornais, vivi experiências maravilhosas de militância em entidades estudantis, profissionais, culturais e beneficentes.

Essa vivência reforçou ainda mais a minha crença na democracia, no trabalho, no empreendedorismo e na liberdade de expressão.

E também solidificou a certeza de que os sonhos que a gente sonha juntos viram realidade.

Posso querer mais, estando aqui nesta noite com todos que me são caros: meus filhos, netos e familiares?

Posso querer mais do que estar com eles que são o maior e melhor projeto de minha vida?

Pois eu digo que sim.

Vamos continuar a sonhar juntos.

Vamos criar e realizar projetos. Vamos viver com a mesma emoção desta noite inesquecível.

Obrigado meus queridos.

 

Jayme Sirotsky

Exemplos que ficam

30 de novembro de 2012 2

Caro Cacau

 Acabo de assistir teu programa e, foi emocionante o vídeo sobre a relação com os filhos. Para nós, que ja perdemos essa etapa dos nossos maiores amores, tentemos seguir as palavras de Chico Chavier: “Se não puder fazer um novo começo, procure fazer um novo fim”.

Te admiro muito.

Um abraço.

 Atenciosamente,
Mariza Sudbrack Turatti

Ponta do Coral

30 de novembro de 2012 40

Sobre a entrevista de ontem com Cesar Souza Jr, o diretor da Hantei, Aliator Silveira, em resposta às afirmações que o prefeito eleito deu  no Jornal do Almoço:

“O diretor da Hantei, responsável pelo projeto Parque Hotel Marina Ponta do Coral, Aliator Silveira, argumenta que o impacto do empreendimento hoteleiro no trânsito é baixo. Como exemplo disso, basta observar o baixo impacto que os hotéis Majestic e Sofitel ocasionam. Além disso, como sede de eventos, o projeto também não afetará a Avenida Beira-Mar Norte, com influência menor que a do CIC, pois será também melhor absorvido pela via coletora. Estes argumentos são resultados de estudos técnicos precisos e aprofundados, já submetidos aos órgãos competentes para análise, a qual deve ser extremamente técnica.”