Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

FALTOU COERÊNCIA

31 de julho de 2013 4

O  ex-secretário da Saúde do Estado e atual diretor do curso de Medicina da Unisul, o médico  João Ghizzo Filho, disse, há pouco, que a decisão do governo de sepultar o aumento do curso de medicina em dois anos não acaba com as reações.

- O governo mantém os dois anos de residência aos formandos. Errado! O que ele deveria exigir é um ano de dedicação aos SUS dos médicos formados em cursos  públicos federais de saúde. Isto sim seria coerente, afirmou.

Comentários (4)

  • Julio Ferreira diz: 31 de julho de 2013

    Cacau, esse (des) Governo do PT no Brasil ESCANCAROU a incompetência e a desonestidade dos seus membros, correligionários e cúmplices, pois TODAS as medidas adotadas são “a toque de caixa”, com a urgência que impede o planejamento e SÓ depois que o problema/escândalo é divulgado pela imprensa, essa que eles, AGORA, chamam de “mídia golpista”, mas na oposição se projetaram através das matérias investigativas da Veja e da Folha de SP, por exemplo.
    A ÚNICA ação que deu certo foi a CONTINUIDADE da política econômica NEO LIBERAL do PSDB (motivo de acordo com os banqueiros e empresários, sem o que o Lula estaria, até agora, tentando ser Presidente), mas até isso os CORRUPTOS estão colocando em risco (a estabilidade econômica que HERDARAM DO PSDB) permitindo ou não sabendo controlar a inflação e AUMENTANDO exageradamente os gastos públicos, fazendo o Brasil ter a MAIOR dívida interna da história desse País:
    “GOVERNO do PT EMPACA CARREIRA DE MÉDICOS HÁ 9 ANOS – Apontado nas pesquisas como o principal problema do Brasil, a saúde está longe de ser prioridade no governo PT. A presidente Dilma e seu antecessor Lula – que recebem tratamento vip no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo – travam, há nove anos, projeto que cria plano de carreira no Sistema Único de Saúde. A proposta foi elaborada por comissão especial criada, ainda em 2004, pelo Ministério da Saúde.
    IGNORADA – Em 1990, a Lei nº 8.142 já determinava a elaboração do plano de carreira no SUS para garantir profissionais e verba aos municípios.
    DILMA RECUOU – O governo Dilma já admite voltar atrás na proposta que aumenta em dois anos o curso de Medicina, após enxurrada de críticas no país.
    TEMPOS DE CRISE – Para Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), o recuo da presidente Dilma sobre aumentar o curso de Medicina só passará impressão ao povo de “voo cego do governo, que administra o país na base da tentativa e do erro”.
    ALÔ, GOVERNO! O deputado Romário (PSB-RJ) reclama que o governo executou apenas 12% da verba destinada aos direitos de pessoas com deficiência: “Peço explicações aos responsáveis e sequer respondem – Cláudio Humberto”.

  • marcelocardosodasilva diz: 1 de agosto de 2013

    …estudou em Universidade PÚBLICA??? ( às melhores do Brasil);;; terão que trabalhar pelo menos 2 (dois) anos no Serviço PÚBLICO de Saúde!!!………….Ponto para Presidenta DILMA!!!…

  • silvia helga diz: 1 de agosto de 2013

    Não sei como é na Unisul, mas no curso de Medicina da UFSC, desde o segundo semestre os estágios são realizados em Postos de Saúde, HU, Regional etc. Os 5. e 6. anos, também chamados de internatos, são realizados, numa média de 6 horas diárias mais plantões em finais de semanas, em instituições públicas, ou seja, no SUS. Portanto, a contrapartida já é realizada pelos alunos, que muitas vezes saem dos plantões noturnos e vão direto para a aula, sem terem tempo de descansar.

  • maneca diz: 1 de agosto de 2013

    KKau. Quero crer que a proposta do governo exigindo 02 anos de residência em hospitais do SUS deva ser restrita aqueles formandos em Universidades Pùblcas.Aqueles estudantes das Universidades particulares certamente poderão fazer residência em estabelecimentos hospitalares particulares.

    Se assim não for, quero crer que na realidade o governo está subrepticiamente atacando a máfia corporativista dos cardeais da medicina, clínicas e hospitais privadois que sempre se beneficiaram desda mão-de- obra estudantil e recém formada e de baixo custo – sobretudo subsidiada por recursos públicos – de baixo custo.
    O PT começa surpreender. Talvez, ao PT cumpra a grande missão de acabar com o corporativismo estatal e paraestatal que infesta, consome e destrói este país. FHC já havia dado os passos iniciais eliminando os vogais na JT, com bancos estatais (lembram do BESC), com as empresas de telefônia (lembram, Telesc), o PT com a máfia corporativista aero portuária , e agora partefirme para cima da máfia corporativista dos cardeais da medicina.
    Para enfrentar a irreversível era da globalização na qual o conhecimento, a economia de mercado, a iniciativa privada e o conhecimento gozarão da total hegemonia , ou este país nos próximos 10 anos poe fim em definitivo com esse Estado Corporativista institucionalizado,priilegiado e parasitário da sociedade alforriando a sociedade economicamente ativa ou o corporativismo acaba e condena este pais ao perpétuo subdesenvolvimento .

Envie seu Comentário