Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Voto de castidade

31 de janeiro de 2014 10

Cacau, a propósito de sua nota no DC de hoje, permita-me dizer-lhe que a castidade não está no ato gerador, mas na intenção casta e pura.Assim como José e Maria realizaram o ato gerador sem desejo nem paixão, mas como um sacrifício para gerar um novo corpo para um espírito purificado renascer, e  deles nasceu Jesus, assim também poderia ter realizado o casal mencionado. O mundo necessita de salvadores e muitos têm nascido  assim da geração pura.Semelhante atrai semelhante.

Da mesma forma como a pureza atraiu o espírito puro de Jesus, o desejo e a paixão atraem espíritos que se comprazem na fornicação.Cada vez que se usa a força geradora, gera-se alguma coisa: um novo corpo, ou bactérias, vírus, micróbios, sofrimento, doença, dor, morte. o assunto é vasto, mas fico por aqui. Caso você queira mais detalhamento sobre o assunto, fico à dispositção.Um abraço. Ernesto Weber Rossa.Florianópolis – SC”.

 

(a nota)

Voto de castidade

Alguns católicos ficam surpresos com as escolhas de pessoas que se tornam santos, e ficam mesmo até sem entender, como pode um casal carioca, que teve vários filhos e todos se tornaram padres e freiras, ser a mais nova indicação para beatificar no Brasil. Quanto aos milagres a eles atribuídos não se questiona, porém o que mais gera curiosidade é o fato de serem casados. Se é possível beatificar um casal, por que a igreja católica não permite o casamento entre os religiosos? Afinal, estes, são seres humanos da mesma forma do que os milagreiros que se tornam santos.

Comentários (10)

  • Alexx diz: 31 de janeiro de 2014

    Igreja Católica: “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço……”

  • O Mané diz: 31 de janeiro de 2014

    Milagre mesmo é alguém admitir que Jesus Cristo e Papai Noel são a mesma pessoa!

  • Sandra diz: 31 de janeiro de 2014

    Muita falta de informação aí. Sexo não é mal, é humano, é bom e existe prazer justamente para a continuidade das espécies, é da natureza.
    Quanto ao nascimento de Jesus, há muito tempo se sabe que forma feitos dogmas em cima para manipulação da massa.
    Existem muitos mistérios e muitos esclarecimentos. Para quem gosta de estudar e se informar há um manancial de documentos, livros, muito conteúdo acerca do dito “sobrenatural”, que nada mais é do que parte da natureza que quem não consegue compreender mistifica.
    Muita Paz e muito Amor a todos, e muita Luz para todos nós.

  • Sandra diz: 31 de janeiro de 2014

    A propósito, sou completamente a favor do casamento e do acasalamento em todas as religiões.
    Salve-se casos em que a pessoa não deseja, não tem vontade de se envolver, casos de pessoas extremante altruístas, o que não é o caso da maioria dos humanos…

  • Luciano diz: 31 de janeiro de 2014

    Mais uma falsa dicotomia!
    O que conduz a humanidade nos seus atos é o caráter e a retidão no comportamento as vezes mostra o caráter da pessoa ou as vezes serve para tentar disfarça-lo.
    A dedicação a uma vida religiosa pode ser entendida – e deveria de fato ser – uma atitude de vocação. Porém, em tempos não muito distantes os pais é que determinavam que algum filho da família abraçaria este tipo de vida -tendo ou não vocação – como também era comum os pais determinarem com quem os filhos teriam que se casar para aumentar ou manter o poder político, de amizades e compadrio. Do mesmo jeito que indicar ou melhor dizendo forçar um filho ou filha a levar uma vida religiosa quem o faz ou fez pensa que aumenta sua aliança com o Divino. Fora isto, havia casos em que se obrigava algumas meninas a entrarem para o convento em virtude de terem “dado um passo em falso”.
    Pode até ter quem pense o contrário, mas acredito que o celibato como parte importante da vida religiosa é algo que contrarie a natureza. Sim, o ser humano é senhor da suas vontades, mas se Deus, ou o Criador do Universo, ou como queiram chamar não achasse o sexo como forma de integração e comunhão da natureza e por sua vez do homem com o Universo teria criado e indicado outras formas de criar e multiplicar os seres da natureza.
    Precisamos é desmistificar esta coisa de sexo como pecado e entende-lo como o fato que nos trouxe a vida, e faze-lo conscientemente e entender que o prazer que ele proporciona é antes de tudo a confirmação de que ele não contraria a natureza.

  • Rocker diz: 31 de janeiro de 2014

    José e Maria realizaram o “ato gerador” sem paixão nem desejo… aham, tá.
    E o ato foi um sacrifício. Será que Maria ou José eram tão feios assim?
    Mas peraí… ela não era virgem quando concebeu Jesus?
    Acho que há contradições nesse depoimento.

  • Wellington de BSB diz: 31 de janeiro de 2014

    “Assim como José e Maria realizaram o ato gerador sem desejo nem paixão, mas como um sacrifício para gerar um novo corpo para um espírito purificado renascer, e deles nasceu Jesus”. Meu caro Ernesto Weber, creio que há um erro teológico nessa sua interpretação bíblica. Em nenhum momento há a participação de José na concepção de Jesus.

    No evangelho de Mateus, capítulo1, diz: Foi assim o nascimento de Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo.

    Por ser José, seu marido, um homem justo, e não querendo expô-la à desonra pública, pretendia anular o casamento secretamente.

    Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: “José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo.

    Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”.

    Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta:
    “A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel” que significa “Deus conosco”.

    Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. Mateus 1:18-24

    Falar que José e Maria fizeram sexo para gerar Jesus não bate com nenhuma teologia. Leia Louis Berkhof que foi um excelente teólogo sistemático. Abs e fique com Deus.

  • wilson diz: 31 de janeiro de 2014

    Em pleno século XXI tem gente que ainda acredita que Jesus nasceu do Espírito Santo.
    Faz me rir.
    Religião, ópio do povo

  • Artesão diz: 31 de janeiro de 2014

    Como sou feliz sendo ATEU!

  • Farias diz: 1 de fevereiro de 2014

    Quanto mais se discute o tema, mais fica evidente a falta de respeito ao próximo.
    “Ames o próximo como a ti mesmo” E não tem nada de sexo nisso.

Envie seu Comentário