Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Nenhuma vergonha de nada

30 de abril de 2014 6

Fica aqui, através deste blog, uma pequena  homenagem dos catarinenses ao baiano Dourival  Caymmi, que se vivo fosse, estaria completando hoje,  30 de abril de 2014, um século.  O Brasil festeja os 100 anos desse gênio da MPB que nfluenciou gerações, de João Gilberto a Caetano Veloso.  “Eu vou pra Maracangalha, eu vou…” Sapato branco, camiseta listrada, jangada, rede, filhos, chapéu de palha, paciênca de Jó, poesia, boa vida…Nossa, fez parte, via meus pais, da minha infância em Coqueiros,   anos 60, Praia Clube, LP na vitrola olhando o trampolim e o Morro do Cambirela, esperando Luiz Henrique Rosa acender as luzes para mais uma noitada no seu piano bar Samburá, na sede do Clube Doze, o maior point de todos os tempos da cidade, em frente ao meu quarto na Praia da Saudade.   

Minha primeira filha, Maria Cláudia,  nasceu no mesmo dia de Caymmi, faz hoje 32 anos. Gosta de mar, de sol, de música, de simplicidade.  Amanhã a RBS completa 35 anos em Floripa. Dois acontecimentos que mudaram a minha vida: a primeira filha e o emprego dos sonhos.  Dois dias para celebrar intimamente e intensamente na solidão do meu quarto, de onde, nesse momento, ouvindo Chico e Caetano – juntos ao vivo no Teatro Castro Alves, de Salvador, num show histórico do verão  de 1972 -  trabalho todos os dias, ontem, hoje e amanhã também, feriado do trabalhador.  E agora lembro do quanto fui premiado. Pela fiha,   pelo emprego, por ouvir Caymmi desde cedo, por ter encarado sem perder a dignidade as alegrias e as porradas  da vida e que não foram poucas. E que não param nunca.  Hoje cedo estava me vendo no espelho, nesse mesmo quarto onde  estou agora,  me deparando com as marcas do tempo num corpo nunca muito bem cuidado e dando os primeiros sinais de envelhecimento. Nunca fui um homem bonito, como, por exemplo, meu irmão Marcelo. Mas também nunca me preocupei muito com isso. Fiz assim feio, nessa delícia de Ilha, quase tudo o que quis dentro do que um cara feio, sem muito dinheiro, pode fazer com o que Deus lhe deu.  Os nativos sabem.  Não cuidei  bem de mim, e verdade.  Mas cuidei muitos  dos outros,  a partir daquele 30 de abril de 1982. Meu corpo, minha idade, minha realidade. Nenhuma vergonha de nada. 

 

Senhoras e senhores, com vocês, o Vento!

https://www.youtube.com/watch?v=RJWPjpFnCZ0

 

Comentários (6)

  • mpbfm.com.br diz: 30 de abril de 2014

    Faro MPB – O programa recebe o Quarteto Primo e Alice Caymmi, em uma homenagem ao centenário do Caymmi : http://www.mpbbrasil.com.br

  • Pepa Costa diz: 30 de abril de 2014

    Um dia parece um ano e um ano parece um dia, a vida é assim, e o tempo passa quase igual a um elefante, vai levando tudo, grandes, pequenas ou nenhuma realização, você é um iluminado, juntaram-se muitas coisas, berço, carisma, vontade, cidade, acontecimentos e muito gosto pelo trabalho, um trabalho ímpar, mas a gente segue o ciclo da vida e o tempo passa e aí o que fazer? Talvez o melhor seja, nem pensar nas coisas inevitáveis e seguir em frente. Abraço.

  • HOMENAGEM A ESTE BLOGUEIRO,AMIGO DOS AMIGOS,com letras inéditas acrescentadas na música de Seu Jorge,viva São jorge! diz: 1 de maio de 2014

    Parabéns a todos nós,todas as pessoas que trabalham no mundo inteiro,todas!

    HOMENAGEM A TODAS AS PESSOAS,DISSEMOS TODAS!

    Trabalhador
    Seu Jorge

    Está na luta, no corre-corre, no dia-a-dia
    Marmita é fria mas se precisa ir trabalhar
    Essa rotina em toda firma começa às sete da manhã
    Patrão reclama e manda embora quem atrasar

    Trabalhador
    Trabalhador brasileiro
    Dentista, frentista, polícia, bombeiro
    Trabalhador brasileiro
    Tem gari por aí que é formado engenheiro
    Trabalhador brasileiro
    Trabalhador

    E sem dinheiro vai dar um jeito
    Vai pro serviço
    É compromisso, vai ter problema se ele faltar
    Salário é pouco, não dá pra nada
    Desempregado também não dá
    E desse jeito a vida segue sem melhorar

    Trabalhador
    Trabalhador brasileiro
    Garçom, garçonete, jurista, pedreiro
    Trabalhador brasileiro
    Trabalha igual burro e não ganha dinheiro
    Trabalhador brasileiro
    Trabalhador

    Surfista,copista,marujo do mar
    Trabalhador brasileiro
    Piloto,cantor,arteiro,copeiro
    Trabalhador brasileiro
    Trabalha em São Pedro,Floripa,ou no mar
    Trabalhador brasileiro
    Trabalhador

    Amigo do lima,da xuxa e do ar
    Trabalhador brasileiro
    Amante por serra,na terra,peninha vem cá
    Trabalhador brasileiro
    Boleiro,gandula,redondo no amar
    Trabalhador brasileiro
    Trabalhador

    Vai na avenida,pedágio na pista
    Não dá pra pagar
    TRabalhador brasileiro
    Acredita na sorte,pro norte e pro sul
    A gasolina não dá
    Trabalhador brasileiro
    Trabalhador

    Vai pra Floripa,no almoço na janta
    Não dá pra pagar
    Trabalhador brasileiro
    Pãozinho de trigo com mista e suquinho
    É bom pra tomar
    Trabalhador brasileiro
    Trabalhador

    Inventor,criador,sonhador
    Não dá pra acordar
    Trabalhador brasileiro
    Iriê dazaranha rural rpz na geral
    Dalua dailha da terra do fogo e do mar
    Trabalhador brasileiro
    Trabalhador.

  • maria diz: 1 de maio de 2014

    Quando leio você dando a ” cara a tapas” me lembro que só te vi uma vez.
    Amo você e o que você escreve,faço parte do time que lê o DC de traz pra frente.
    Saúde,felicidade e sucesso pra você, sempre.

  • Marcelo diz: 2 de maio de 2014

    Pelo contrário! Só para se orgulhar!
    Meio caído, magoado, não acredito mais em nada.
    Recebi ontem uma ligação as 17:30. ” ai Negão bonito pra cacete”. Não entendi nada…
    Hoje leio o blog e só posso dizer: gosto é igual rosto, fico até vermelho, eu bonito?
    Devo ter sido pois tive ás mulheres que quis, mas também posso afirmar: bonito, mas ordinário, ordinário e sozinho. Com 10% das tuas realizações já posso dizer: Sou feliz! Valeu parceiro!

  • Pepa Costa diz: 2 de maio de 2014

    Interessante, o pai do Zico sempre falava: O Zico joga bem mas o bom de bola mesmo é o seu irmão Antunes. e agora…

Envie seu Comentário