Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Fim de uma era

30 de maio de 2014 10

Meu estimado amigo Cacau,
Nélson Rodrigues dizia que Sextafeira é o dia em que a virtude
prevarica.”
Neste final de semana desaparece um pouco da memória boêmia de
Florianópolis. Desaparece uma pouco da alma da Ilha. O Bar do Alvim,e
outros da mesma tradição,ficarão apenas na memória daqueles que buscam
a boa convivência na singularidade de um balcão.Em mais de meio
século,Alvim Spinoza foi pai,irmão, terapeuta, psicólogo e
psicanalista de boa parte dos solitários que buscam,no aconchego de
um verdadeiro balcão democrático,uma palavra de afeto e esperança.
Sem o Alvim o Mercado Público de Florianópolis fica menos romântico.
Obrigado Alvim. A esperança não decepciona.
Um forte abraço renovador e maranhense do Georgino Melo

Comentários (10)

  • Paulinho do Bé diz: 30 de maio de 2014

    Cacau!

    Nessa LINHA do “FIM DE UM ERA” está nosso escritor MACHADO de ASSIS.

    SIM, resolveram Estuprar a OBRA do nosso maior escritor brasileiro de todos os tempos – “O Alienista”.

    Pode?

    Então Cacau, uma Professora – Patrícia Secco, resolveu ALTERAR – fazer ENXERTOS – substituindo palavras COMPLEXAS (CULTAS) por outras mais SIMPLES – na maior carta de Pau.

    O troço foi parar no Ministério Público.

    Em Tempo:
    Dizem que foi para ATENDER gente como o “Orlando” – o “CABERTA” (Boca Aberta).

    Ai mEU FFFuuuuuJJJJJJJJooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Paulinho do Bé diz: 30 de maio de 2014

    Cacau!

    Nessa LINHA do “FIM DE UM ERA” está nosso escritor MACHADO de ASSIS.

    SIM, resolveram Estuprar a OBRA do nosso maior escritor brasileiro de todos os tempos – “O Alienista”.

    Pode?

    Então Cacau, uma Professora – Patrícia Secco, resolveu ALTERAR – fazer ENXERTOS – substituindo palavras COMPLEXAS (CULTAS) por outras mais SIMPLES – na maior carta de Pau.

    O troço foi parar no Ministério Público.

    Em Tempo:
    Dizem que foi para ATENDER gente como o “Orlando” – o “CABERTA” (Boca Aberta).

    Ai mEU FFFuuuuuJJJJJJJJooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • mario diz: 30 de maio de 2014

    Exatamente isto !!! E desta forma a ilha vai perdendo suas raízes e a turma que vem de fora vai ocupando o lugar dos manézinhos. Uma pena porque a prefeitura deveria preservar estes tradicionais comerciantes da ilha.

  • guto.fj@hotmail.com diz: 30 de maio de 2014

    Vamos parar de culpar a turma que “vem de fora’” OLHA PARA OS NOSSOS GOVERNANTES ELEITOS ´POR NÓS.
    ENQUANTO ESTAMOS PREOCUPADOS COM A TURMA “DE FORA’” OS RATOS FAZEM A FESTA.

  • Ze netto diz: 30 de maio de 2014

    “a prefeitura deveria preservar estes tradicionais comerciantes da ilha”

    Como é? Não entendi….

    Vão lançar agora a bolsa-formol?

  • resposta aos arrendatários do mercado público diz: 30 de maio de 2014

    Não se pode mais financiar o lucro dos comerciantes, com o dinheiro dos impostos das pessoas. O Mercado Público tem que sobreviver, e os comerciantes que tem todo o lucro, tem que mante-lo. Meus parabéns para o Ministério Público, neste caso.

  • Leo B. diz: 30 de maio de 2014

    Compactuo com o Guto, na linha política, dos 3 senadores de SC, dois são gaúchos e apenas um é Catarinense, e o que fazem por nós. Nada, nada. Se os classificados para o novo mercado são de fora, é até mais fácil para retirá-los, caso não prestarem serviço de qualidade. E a caravana passa.
    Oxigenar é sempre bom, mas não com maracutaia.

  • carlos eduardo diz: 30 de maio de 2014

    Guto, pela primeira vez eu vi uma atitude de HOMEM, seja mulher ou etc.
    O que vale, mesmo, é o que se faz acontecer, o que se quer e, não o que se espera.
    Tomar o poder enquanto resultado de si mesmo, e, por extensão , da comunidade.
    Aqui vai um exemplo, na simplicidade…

  • luiz saulo diz: 30 de maio de 2014

    A concorrência foi pública. Não deu lance para vencer. Ponto final. Respeitem o resultado da concorrência pública. Todos tiveram oportunidades iguais.

  • Marcelo diz: 31 de maio de 2014

    Era só ele ter participado da licitação.
    Não quis.

Envie seu Comentário