Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Violência"

Cansou

02 de agosto de 2010 10

Boa Tarde Cacau,
Tenho loja perto do local onde foi furtado MAIS um carro nas redondezas da POLICIA MILITAR do Santa Monica. E ja fui vitima desses marginais e do descaso policial.
Roubaram a mala da minha namorada, tbm do porta malas, com todas as suas roupas maquiagens e presentes de aniversario. Nada demais é verdade, algumas coisas com valor sentimental, o pior é a sensação de INsegurança. Mas o fato esta se tornando comum. Num bairro de classe media alta, com um Posto Policial nas proximidades, poderia ser um fator impeditivo. Porém quem for ao posto policial vai entender porque os bandidos agem com tal liberdade.
Os policiais, quando não estão vendo filmes “de sacanagem” ou futebol na TV, e fazem questão de te atender, ou olhar pra sua cara e até mesmo se dão o trabalho de tirar os pés de cima da mesa e falar com vc, dizem que:   “furto aqui é comum, normal, não adianta falar, se quiser fazer um BO vai na Civil, mas nao vai adiantar nada”  
Depois de ouvir isso do Policial de plantão, sem tirar os olhos do futebol na Tv e nem as pernas de cima da mesa, sai de la decepcionado e tendo que me conformar que furtar carros a menos de 200 metros de um posto policial, aqui em Floripa, é COMUM!!!!
As vezes a porta do posto policial esta trancada e pra acordar o Oficial la dentro dormindo é complicado!!
Capaz de ele ficar de mau humor!
Absurdos do nosso cotidiano…
Abracos
Eduardo Araujo
Empresario

Lembranças

29 de julho de 2010 2

Caro Cacau…
 
Ao ler a sua nota “Memórias de um Repórter”, não tive como conter as minhas próprias lembranças da invasão da TV Cultura, poucos comentam o fato de ter ocorrido uma outra invasão dias antes.

Naquela oportunidade eu era ainda sonoplasta da rádio Cultura, trabalhava com Miguel Livramento e Roberto Alves, eu era o “operador” da manhã, meu horário ia das cinco ao meio-dia, o primeiro locutor da manhã se chamava Zé do Mato, seu programa, claro, era de música sertaneja. Pois bem, ao chegarmos aos estúdios da TV e da rádio Cultura, eu, Zé do Mato e o motorista da Kombi da emissora fomos rendidos por um policial armado e fora de si, ela já tinha rendido outros três policiais, nosso porteiro e, armado com oito revólveres 38, queria de qualquer jeito entrar ao vivo na programação da TV, como eu era o único operador no local, coube a mim explicar que aquilo seria impossível, que a única chance era entrar ao vivo na programação da rádio.

Assim fomos todos em fila indiana, sob ameaça de morte, para o pequeno estúdio da Rádio Cultura, sem contar, é claro, que os disparos que ele fazia para nos apavorar.

Bem, ao colocar o policial ao vivo na Cultura, logo o Morro da Cruz viu um grande desfile de sirenes e luzes, mas sem qualquer tentativa de nos resgatar, o policial estava realmente desequilibrado e o motivo também era pelos baixos salários da PM na época. E nós, aproveitando desse “desequilíbrio”, ao poucos cada um foi conseguindo fugir.

Minha fuga foi acompanhada de vários disparos do dito policial, trago até hoje cicatrizes na minha perna ao rolar o Morro da Cruz abaixo, indo dar na recepção da RBS, onde encontrei todos “entrincheirados” atrás de um grande sofá.

Finalizando a saga do primeiro policial: ele acabou indo se entregar somente no comando geral da PM, isso depois de furar a balas o nosso estúdio, viaturas e instalações da própria corporação.

Bem, fiquei uma semana sem trabalhar, levei alguns pontos na perna e, ao aparecer na emissora, ainda lembro da rapaziada (Miguel, Roberto e outros) tirando aquele sarro dos companheiros, só que eles não esperavam que outro policial inspirado pelo primeiro também lhes faria uma “visita” logo em seguida.

Bem, ainda trabalho com rádio e televisão aqui em Rio do Sul, nunca guardei mágoa alguma da PM, até mesmo tenho com orgulho o título de Amigo do Batalhão aqui de nossa cidade.

Só fico meio preocupado quando ouço algum PM reclamar do salário rsrsrsrs…

Um grande abraço do seu  leitor…

Chico Santos

Na cara

29 de julho de 2010 4

Foi roubado na madrugada de hoje — estouraram a vidraça da Audi Breitkopf — um Audi A4 zero km, na cor preta. Barulho, alarme, polícia… e nada do ladrão. Detalhe, a loja fica na frente ao Quartel do Exército, o 63º BI, em Florianópolis.

Crime na Ilha

23 de julho de 2010 22

Sensibilizado, o ex-presidente da OAB e candidato a deputado federal pelo PMDB, Adriano Zanotto se manifesta pelo ocorrido na manhã de ontem, dia 22/07 em Florianópolis.

— É mais um colega que se vai, sem a chance de defesa! — lamenta Zanotto.

O homicídio do profissional de advocacia, na porta de seu escritório, mostra a realidade atual brasileira, com falta de segurança em todos os nichos da sociedade.

Adriano Zanotto, quando presidente da OAB, apresentou proposta de anteprojeto de lei para que os advogados passem a ter direito a porte de arma para defesa pessoal, a exemplo dos magistrados e membros do Ministério Público por exercerem atividades de risco a própria vida e integridade física.

— Não há justificativa para que os advogados não sejam contemplados com idêntica prerrogativa, pois as atividades por eles desenvolvidas em tudo se assemelham às dos membros do Ministério Público e da Magistratura — disse.

>>> clique aqui e leia mais sobre o crime