Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Leite"

Preço do leite pago ao produtor sobe em março com a queda na produção

28 de março de 2014 0

As cotações do leite pago ao produtor em março registraram alta com a menor produção no campo devido à seca nas principais regiões produtoras no primeiro bimestre e o início da entressafra na região Sul do País. De acordo com os levantamentos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, o preço do leite, entregue em fevereiro, e recebido pelo produtor em março, subiu 3,22% em relação à janeiro. O índice representa acréscimo de quase 3 centavos por litro na média Brasil. O litro fechou a R$ 0,9419/litro. É o 1º aumento após quatro meses de quedas consecutivas. A média do preço do leite em março/14 é a maior para o mês, em termos reais.

Já o Índice de Captação do Leite de fevereiro caiu 2,75% em relação ao mês anterior levando em consideração os 7 estados que compõem a média Brasil, entre eles o Rio Grande do Sul. Ainda assim, o volume produzido em fevereiro foi 13,7% superior ao do mesmo período de 2013. Para abril, a expectativa é de que os preços do leite sigam em alta, ainda impulsionados pela oferta restrita de matéria-prima.

Porto Alegre sedia pela 1ª vez a Avisulat, feira dos setores de aves, suínos e leite do RS

27 de março de 2014 0
Eduardo dos Santos - Coordenador-geral Avisulat 2014

Eduardo dos Santos – Coordenador-geral Avisulat 2014

A boa perspectiva para a colheita de grãos cultivados no verão e o crescimento do agronegócio no Rio Grande do Sul são indicadores positivos para os setores de aves, suínos e leite que lançaram hoje(27) em Porto Alegre, no Centro de Eventos da Fiergs, a quarta edição da Avisulat. A capital gaúcha vai sediar o evento pela 1ª vez. As outras edições ocorreram em Bento Gonçalves, na Serra gaúcha. A Avisulat é realizada a cada 2 anos. O coordenador geral do Congresso Sul Brasileiro de Avicultura, Suinocultura e Laticínios, Eduardo dos Santos, afirma que a escolha de Porto Alegre para sediar o evento levou em conta principalmente a questão de logística para os participantes.

“Sempre consideramos o evento no interior por estar mais próximo dos segmentos, mas ao longo dos últimos anos com a evolução do evento se fez necessário de uma nova condição de logística com oferta de hotéis, aeroporto mais próximo dos hotéis e uma estrutura de centro de eventos que desse condições de trabalhar com atividades paralelas.”

Na programação da Avisulat estão previstas palestras, simpósios e uma rodada internacional de negócios com a participação de países importadores. Durante o lançamento, foram destacados temas importantes para os setores de aves, suínos e leite que movimentam cerca de R$ 15 bilhões por ano e ocupam o 3º lugar no ranking das exportações gaúchas. Entre eles a legislação trabalhista para funcionários das granjas, o abastecimento de milho e abertura de novos mercados.

O Rio Grande do Sul possui 121 mil produtores de leite em 449 municípios e produz 3,93 bilhões de litros de leite/ano. O diretor executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Dertivados do RS (Sindilat), Darlan Palharini, ressaltou durante o lançamento da Avisulat o lado social do setor. Segundo Palharini, a cadeia produtiva do leite emprega 25% mais pessoas no meio rural em relação à outras culturas.

Já o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do RS(Sips), José Roberto Goulart, lembrou as dificuldades enfrentadas pelos suinocultores em anos anteriores quando enfrentaram preços baixos, muita oferta e fechamento de mercados como Rússia e Estados Unidos, e ressaltou a importância de investimento por parte do setor.

O presidente da Associação Gaúcha de Avicultura(Asgav), Nestor Freiberger, também presente ao evento, destacou alguns gargalos do setor, como o abastecimento de grãos(milho e farelo de soja) e linhas de crédito para atender normas de biossegurança e inovação. Nomeou como desafio para os avicultores o aumento no consumo de carne e ovos.

A Avisulat 2014 será realizada entre os dias 4 e 6 de novembro no Centro de Eventos da Fiergs.

Preço de aves, leite e soja desaceleram em outubro

30 de outubro de 2013 0

O Índice de Preços ao Produtor Amplo, apurado pela Fundação Getúlio Vargas, desacelerou de 2,11% para 1,09%, na passagem de setembro para outubro. As principais contribuições para a queda do índice foram as matérias-primas brutas. No estágio inicial da produção, ocorreram recuos nas variações de soja em grão, aves e leite in natura. No entanto, foram registradas acelerações nos preços do minério de ferro, bovinos e aipim.

Grupo vai definir compensação de crédito de PIS/Cofins para o setor lácteo

24 de outubro de 2013 0

leite
A nova forma de devolução do crédito presumido de PIS/Cofins acumulado pelo setor nos últimos nove anos, por causa da desoneração do leite longa vida, começa a ser definida no próximo dia 30. O debate será feito por um grupo formado por técnicos do Ministério da Fazenda e representantes das cooperativas leiteiras, indústrias lácteas e da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados. O presidente da subcomissão do Leite da Câmara, deputado federal Alceu Moreira, afirmou que o montante de crédito presumido que não pode ser compensado pelos laticínios ultrapassa um bilhão de reais. Segundo o assessor da Câmara Setorial do Leite, Marcelo Costa Martins, atualmente o imposto implica custo de R$ 0,07  a  R$ 0,10 sobre o litro de leite produzido pelas indústrias. Ele acredita que a compensação do crédito deve aumentar a competitividade e gerar uma melhoria em termos de preços. Uma das ideias que será discutida na próxima semana é que os recursos do crédito do PIS/Cofins sejam utilizados somente em investimentos no setor leiteiro, como assistência técnica aos produtores e melhoria da qualidade.

Produção gaúcha de leite deve crescer 5% este ano incentivada pelas políticas públicas e assistência técnica

18 de outubro de 2013 0

12953066

O Rio Grande do Sul é o segundo maior produtor de leite do país, com uma produção próxima dos quatro bilhões de litros anuais. Este volume equivale a 12% da produção nacional, ficando atrás somente de Minas Gerais, conforme dados da Pesquisa da Pecuária Municipal divulgados recentemente pelo IBGE. A agricultura familiar é responsável por 85% do total produzido. São mais de 134 mil produtores de leite no Estado, que possuem um rebanho acima de 1,5 milhão de vacas, com produção diária de 10,6 milhões de litros de leite. As políticas públicas e a assistência técnica ajudaram no crescimento da produção gaúcha de leite. O presidente da Emater, Lino De David, afirma que para este ano a estimativa é de um crescimento de cinco por cento no setor. Ele salienta o trabalho da entidade realizado em pequenas e médias propriedades em questões como o manejo do rebanho, melhoramento genético, qualidade do leite e produção de pastagens. Segundo o dirigente, houve a profissionalização dos produtores e, consequentemente, a elevação da produtividade por área e por vaca. Também ajudaram no crescimento da produção leiteira programas do governo do Estado como o Leite Gaúcho, que repassou em 2012 e 2013, cerca de R$ 15 milhões para a compra de equipamentos.

Brasileiro aumenta consumo de alimentos industrializados

15 de outubro de 2013 0
queijos

Foto Divulgação

O consumo de alimentos com maior valor agregado aumentou no Brasil nos últimos cinco anos. Entre eles, estão as carnes e os derivados do leite, além de bebidas, como cerveja e vinho. Um dos motivos apontados para esta elevação, é a alta de 8,6% na renda dos brasileiros no mesmo período. O levantamento é da Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura. Segundo o coordenador de Planejamento Estratégico da pasta, José Garcia Gasques, a tendência é de que o aumento do consumo continue na próxima década. Ele explica que os produtos básicos, como arroz e feijão, devem ter o crescimento do consumo associado ao aumento da população. No entanto, outros com maior valor agregado serão ainda mais buscados no mercado devido ao maior poder aquisitivo dos brasileiros.

RS se destaca em produção e produtividade de leite no país

10 de outubro de 2013 0
vacas leiteiras ag rbs Nauro Júnior

Foto: Nauro Júnior / Agência RBS

Os rebanhos brasileiros ficaram menores em 2012 na comparação com 2011, segundo dados divulgados na quinta-feira(10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Já a produção de leite, ovos, lã e outros produtos de origem animal cresceu no mesmo período. Ao final de 2012, o IBGE estima que havia 211,3 mil cabeças de gado bovino no país, uma redução de 0,7% frente ao ano anterior. A maior parte estava concentrada nos estados da região Centro Oeste, seguida pela região Norte. Conforme o estudo, o Rio Grande do Sul está entre os principais estados do país na produção de produtos de origem animal. O estado possui o maior efetivo nacional de ovinos e coelhos, o segundo maior de suínos, o terceiro de equinos, o quarto de galinhas e também de galos, frangas, frangos e pintos. Além disso, ocupa a sexta posição nos rebanhos bovino e bubalino. Na parte da produção animal, o estado é o primeiro colocado nacional de lã e de mel de abelha, o segundo produtor de leite de vaca e o quarto em ovos de galinha e em ovos de codorna. O principal destaque na pesquisa é a produtividade do leite estadual, 2.670 l/vaca/ano, 88% acima da média nacional. A produção de leite cresceu 12,7% em relação a 2011, ficando atrás apenas de Minas Gerais. Entre os municípios gaúchos, Casca tem a maior produção, 65.200 mil litros, e Carlos Barbosa, a melhor produtividade, 5.768 litros/vaca/ano. A Pesquisa da Pecuária Municipal abrange dados de todas as regiões do Brasil.

Preço do leite pago ao produtor atinge em setembro o maior patamar real em 13 anos

01 de outubro de 2013 0
Roberto Witter  Agencia RBS - LEITE

Foto: Roberto Witter/Agencia RBS

Os preços do leite pagos ao produtor continuaram subindo em setembro e alcançaram o maior patamar real da série do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, iniciada em 2000. Foi a oitava alta consecutiva. O preço bruto, que inclui frete e impostos, aumentou 2,8%, ou 3 centavos/litro, em relação a agosto e chegou a R$ 1,1162/litro. Este valor, se comparado com o de setembro de 2012, representa acréscimo de 21,7% na receita do produtor. Estas médias, calculadas pelo Cepea, são ponderadas pelo volume captado em agosto nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA. A valorização do leite aconteceu mesmo com o aumento da captação pelas indústrias em agosto. Segundo o Índice de Captação de Leite do Cepea, o volume comprado pelos laticínios cresceu 2,04% em agosto, sendo impulsionado especialmente pela produção do Sul do Brasil. Nessa região, produtores forneceram 4,53% a mais de leite no comparativo com julho. Já nos estados do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, a captação de leite se manteve praticamente estável em agosto. Para outubro, a expectativa de representantes de laticínios/cooperativas consultados pelo Cepea é novamente de estabilidade nos preços.

Preço do leite longa vida deve se manter sustentado até o final do ano

23 de setembro de 2013 0
LEITE LONGA VIDA DIVULGAÇÃO

Foto Divulgação

Os preços do leite longa vida devem se manter sustentados até o final do ano. A estimativa é da Associação Brasileira de Leite Longa Vida. Em agosto, o presidente da entidade, Claudio Teixeira, apontava uma tendência de queda para os preços. A entidade divulgou nota afirmando que o volume de leite ofertado continua insuficiente para alterar o cenário de custos da cadeia produtiva. Segundo a associação, fatores conjunturais e climáticos, que levaram a uma queda dos estoques da indústria e nos pontos de vendas, continuarão dando sustentação aos preços. Na virada do ano, a expectativa é de que aumente a oferta de leite cru, se as condições climáticas forem mais favoráveis, e os preços podem ficar mais fracos. A entidade também prevê crescimento de quatro por cento no volume de leite longa vida vendido este ano. Em 2012, foram comercializados mais de seis bilhões de litros.

Aumenta a produção de leite no RS com a aproximação da primavera

17 de setembro de 2013 0
raça holandesa

Foto: Agência RBS

As forragens verdes, principalmente o azevém, utilizadas na alimentação de animais leiteiros, aceleram o seu ciclo de produção nesta época do ano em que a primavera se aproxima e as condições de clima no Rio Grande do Sul se tornam mais amenas. Com isso, ocorre gradualmente uma elevação na produção de leite nas propriedades da maioria das regiões do Estado. Na região de Bagé e Fronteira Oeste é estimada uma variação maior, em torno de 30 por cento, em relação aos meses do início do inverno. Os produtores já estão realizando trabalhos para a implantação das pastagens de verão e lavouras de milho para a produção de silagem. Na região de Frederico Westphalen, também houve aumento significativo da disponibilidade de pastagens anuais de inverno, devido à elevação das temperaturas e boa distribuição das chuvas. As gramíneas anuais de inverno, especialmente de aveia e azevém, estão na fase de pleno desenvolvimento vegetativo. Na região de Passo Fundo, por sua vez, de maneira geral, também existe boa disponibilidade de pastagens cultivadas, especialmente de aveia e azevém, para suprir a necessidade do rebanho leiteiro. Os dados fazem parte de boletim semanal divulgado pela Emater.