Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Governo considera games supérfluos. Impostos de 72%

01 de outubro de 2009 23

Como bem informou minha colega Vanessa Nunes, o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) divulgou os índices de impostos sobre os produtos brasileiros. E pra variar, caros amigos, nós gamers são os que mais sofremos aqui no Brasil. Os impostos sobre videogames e jogos são nada menos do que 72,18% – um absurdo.

E sabem qual a explicação pra isso?  O diretor técnico do IBPT, João Eloi Olenike, explicou que os games são considerados supérfluos.

– Pelo princípio da Seletividade, o legislador deve destinar alíquotas mais altas para os produtos mais desnecessários à população e alíquotas menores aos mais necessários e essenciais, como exemplo os produtos da cesta básica – disse Olenike.

Confira a tabela tributária:

Consoles de videogame: 72,18%
Jogos de videogame: 72,18%
MP3 players: 49,45%
Televisores: 44,94%
Computadores acima de R$ 4 mil: 33,62%
Computadores até R$ 4 mil: 24,30%
Celular: 39,80%

É revoltante esse 72,18% de impostos cobrados em cima dos games. Por isso que aqui no Brasil o índice de pirataria é tão gigantesco e assusta as grandes empresas.

Postado por Diego, com informações de Vanessa Nunes

Comentários (23)

  • Robson Verri diz: 1 de outubro de 2009

    Te pergunto, Diego, se há alguma maneira de reverter essa situação por vias jurídicas e constitucionais. Cadê o meu direito ao lazer sem afetar meu lado econômico e financeiro?

  • Carlos diz: 1 de outubro de 2009

    Ao leitor Rodrigo de Floripa. Meu caro, em 1º lugar, nunca vi um jogo por 340 reais. Os mais caros são aprox. 300 (fora exceções como os Guitar Hero/Rock Band com instrumentos, etc). Digamos q esse jogo de 300 reais, perdesse os 72,18% de imposto: custaria 83 reais, mto longe dos teus 200 (claro q o cálculo não é tão simples mas baixa mto o valor). Isso os mais caros! Volta (ou continua) no colégio e vai estudar um pouquinho de matemática básica, antes de sair chamando os outros de hipócritas.

  • Kadu diz: 1 de outubro de 2009

    que os games são superfluos, ninguem discute, mas essa taxa de impostos é absurda, alias, qual taxa de imposto no Brasil não é absurda? Depois querem que Multinacionais venham montar suas fábricas aqui.

  • Leo diz: 1 de outubro de 2009

    Agora é so fazer as contas: 72,18% d impostos sobre games equivalem a 100% d pirataria!!!

  • Jonathan Colorado diz: 1 de outubro de 2009

    cara… mas que filhos da p**** !! Como que podemos mudar isso ?? Se é que temos como mudar né !!

  • Carlos diz: 1 de outubro de 2009

    Infelizmente, isso é como tudo no Brasil. Por isso pobre não tem nada. O governo prefere taxar até onde dá, do q baixar impostos, e todo mundo poder comprar. Isso inclusive aumentaria a arrecadação. Mas não, preferem, por exemplo, que só 3 possam comprar e arrecadar 600 reais de imposto, do q permitir q 12 comprem e arrecadar ou mesmos 600 ou até mais. Eles acham q se baixar o imposto, os mesmos 3 vão comprar, q não é o imposto o culpado por vender pouco. Aaaaahhhhhh, pq nasci no Brasil, Deus???

  • Anderson diz: 1 de outubro de 2009

    E depois querem fazer camapnhas contra pirataria…

  • Josue diz: 1 de outubro de 2009

    O imposto é alto mas cá entre nós tem muita gente que leva bem mais que o governo nos preços de jogos… vejam o preço que está o Little Big Planet para Play 3 na Saraiva: R$99,90 !

    Um jogo que a 2 ou 3 meses atrás estava 3 vezes mais !

  • Andre Ruiz diz: 1 de outubro de 2009

    Até tem certa lógica, mas não deixa de ser absurdo!

  • Cássio Varisco Haetinger diz: 1 de outubro de 2009

    brasil eh vergonhoso. se fexa para um mercado bilionario dos games. esses politicos so querem saber de tira um por fora

  • Rodrigo diz: 1 de outubro de 2009

    bando de hipócritas os que escrevem aqui… até parece que estes comprariam um jogo que custa R$ 340 com impostos por R$ 200, e não o “similar” por 20 reais…

  • leandro diz: 1 de outubro de 2009

    VIVA A PIRATARIA HEHE VAMOS NESSA! AZAR PRO BRASIL JA FUI AO PARAGUAY A DUAS VEZES, NUMA O PLAY 3 VEI COMIGO POR 400 E POUCOS REAIS. AZARRRRRRR BRASIL !!!!

  • Robson Verri diz: 1 de outubro de 2009

    Talvez fosse melhor o sr. João Eloi Olenike sair da idade média e se atualizar. Só mesmo morando em outro planeta para não descobrir que os videogames já fazem parte das residências brasileiras. É interessante saber que os televisores e computadores também possuem taxas altas e acabam entrando na lista de “supérfluos”. É isso! Brasileiro sem TV, sem computador e sem internet é brasileiro sem notícias do que ocorre no mundo, por fora das informações.

  • Diego diz: 1 de outubro de 2009

    Bah! chega a ser deprimente ver uma declarção dessas, isso parece ditadura, estão querendo dizer o que é ou não supréfluo pra mim agora. Concordo que se tenha politica de manter impostos baixos para artigos de primeira necessidade, mas não por isso que tem “cravar” uma taxa ABSURDA de 72,18%, considero isso um estupro as minhas financas, não só minhas, mas de todos que gostam de jogos e acabam não podendo comprar seu console ou jogo na boa 100% legal.

  • EddieMetal diz: 1 de outubro de 2009

    Por isso que eu falo. Não é nem com relação a pirataria, mas sim buscar formas de comprar os jogos fora do país mesmo.

    Agora isso só mudaria com uma pressão de empresas e estúdios que atuam no Brasil. Alguém dos eventos como o WCG 09 entre outros, convidou alguém do “governo” para prestigiar o evento e ver o mercado que existe ali?

    Nessas horas é que ao votar em vereadores, deputados e senadores se tem que pensar bem. Basta classificar os “games” como “cultura ou arte” para mudar isso.

  • EddieMetal diz: 1 de outubro de 2009

    Afinal os games atuais estão como os filmes… só que permitindo “interatividade”.

  • Carlos diz: 1 de outubro de 2009

    Eu já tinha comentado isso em outro post semelhante aqui. Existe um projeto de lei, parado, que diminuiria esses impostos. http://www.camara.gov.br/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=343613 Pena q ele parou na gaveta do queridíssimo Dep. Antônio Palocci. Ou seja, morreu o assunto. Eu queria comprar legalmente todos os meus jogos, e ter todos os consoles, sem ter q escolher um só, pq ele custa o valor de 3 lá fora. Mas fazer o q né? Isso é Brasil! E querem fim da pirataria. SONHEM!!!

  • O Princípio da Seletividade « Novidades diz: 13 de outubro de 2009

    [...] Canal dos Games Votar [...]

  • William Rosa diz: 13 de outubro de 2009

    Se os próprios governantes consideram os games produtos supérfluos, nunca vamos deixar de ser um país de terceiro mundo onde jogar um game eletrônico é uma atividade para poucos e se alimentar mal e porcamente é um dever de todos, onde nem isso acontece. Logo, eles só querem que nos alimentamos… Aff

  • Alex Carvalho diz: 14 de novembro de 2009

    Criei uma comunidade no orkut para montar mailling para futuro abaixo assinado virtual para mandar para os governantes pedindo redução urgente nesse valor.

    Participe!

  • Bispo Snake diz: 30 de dezembro de 2009

    E os gamers consideram os políticos supérfluos!

  • Canal dos Games » Arquivo » O futuro será os gamers por streaming? diz: 15 de março de 2010

    [...] estarão mais acessíveis para o público, até mesmo para os brasileiros, que sofrem tanto com os impostos absurdos de 72%. Mas creio que tempos melhores estão por vir para todos [...]

  • Nicolas diz: 15 de março de 2010

    Que absurdo! Li outro dia que a aliquota de impostos sobre o cigarro eh 65%!
    Alguem me explica se existe alguma coisa mais superflua que cigarro?? Alem de nao servir pra nada, ainda faz mal pra saude!
    Bota mais imposto em videogame do que tabaco eh RIDICULO!!
    abraco

Envie seu Comentário