Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Kingdom Hearts Birth by Sleep, o game que levou à disputa de um mundial

14 de julho de 2011 1

“Destiny is never left to chance”.

Tudo começou por um simples acaso, um encontro que uniria dois clássicos e consagraria a história dos videogames. Kingdom Hearts nasceu de um encontro entre o produtor da Square Enix, Shinji Hashimoto, e um executivo da Disney no elevador. Apesar de uma certa resistência no início, unir o universo de Final Fantasy ao de Mickey e companhia partiu de ma aposta que resultou na criação de um RPG de ação, que traz a eterna luta entre a luz e as trevas, seguindo a linha de um FF ambientado nos diversos mundos da Disney (Alice no País das Maravilhas, Alladin, Pinochio, Tarzan, Pequena Sereia, entre outros nomes famosos). O primeiro jogo foi lançado em 2002. E este foi o ponto de partida para o início das aventuras de Sora, Kairi e Rikku.

Mas a história que vou contar aqui começou em 2006…

Foi neste ano que Débora Guerra da Silva, 19 anos, teve seu primeiro contato com o game através de um amigo. Gostar de Final Fantasy foi um dos maiores atrativos para que ela experimentasse o jogo, além da curiosidade de ver como era a interação dos seus personagens favoritos com o universo da Disney. Aliás, esta é a única “crítica” que ela faz: se pudesse, incluiria mais personagens da Square na série, atribuindo à Disney o papel de coadjuvante (em KHBS, apenas Zack representa a franquia da Square). Fã declarada de KH, a estudante de Direito da Universidade de Caxias do Sul já jogou cinco títulos da franquia e confessa que só não tentou ainda a versão lançada para celular e o Kingdom Hearts 358/2 Days (Nintendo DS).

Um ano depois de conhecer a Débora, em 2010, Bruno Lorandi Pagno, 23 anos, começou a jogar a série para acompanhar a namorada. O estudante de Ciências da Computação da UCS conta que não teve uma primeira impressão tão boa assim quanto ela, já que não gostava da ideia da mistura entre personagens da Disney e Final Fantasy. Bruno diz que levou um tempo para se adaptar à presença de Pateta, Donald, Mickey e toda a trupe. Imagem que começou a mudar graças ao famoso ratinho, que surge no game como um grande líder. Orgulhoso, ele revela que a Débora completou praticamente todos os jogos em 100% – Chain I e II, Chain of Memories (três versões diferentes) e Kingdom Hearts Birth by Sleep.

No final deste post, farei uma recapitulação de toda a série. Chegou a hora de tratar de um título de KH em especial - Kingdom Hearts Birth by Sleep.

:: 3 Amigos, 3 Destinos ::

“Three friends, three destinies. Everything will link back to the beginning”.

Após a sucedida adaptação da série para o DS, o game chegou ao PlayStation Portable. Antes de começar, o player é convidado a escolher um entre três personagens para dar início a sua jornada pelo mundo de Kingdom Hearts. Terra (detentor de uma força incrível), Aqua(magia é seu ponto mais alto) e Ventus ou Ven (conhecido por ataques rápidos e movimentos evasivos).

Este trio participa de um teste para receber o título de Keyblade Master. Cada personagem tem sua própria história, em meio a eventos que se interligam no decorrer da trama, e um objetivo em comum, descobrir a verdade por trás da “invasão” de criaturas das trevas.

Débora levou cerca de 30 horas para completar o jogo, mais ou menos 10 horas para cada personagem. O que mais encantou o casal de Caxias do Sul em Kingdom Hearts Birth by Sleep foi o enredo, além dos personagens e da peculiar personalidade atribuída a cada um deles. Sem contar a qualidade gráfica, considerada boa pela avaliação dos dois para o console ao qual foi lançado. Mas o que tem KHBS? Sistema de cartas, evolução de magias, customização. Estes são alguns dos pontos que Débora destaca do game. Para ela, também vale uma atenção especial para a possibilidade de explorar as habilidades máximas dos personagens. Bruno, por sua vez, diz que as batalhas são mais rápidas, e os cenários mais amplos que nos demais jogos da série.

E se a avaliação levar em conta os pontos negativos? Bruno não aprova o final em aberto, que dá margem à possibilidade de uma sequência para, quem sabe, o tão esperado lançamento de Kingdom Hearts III. Se pudesse, Débora queria ver mais cenas românticas entre os personagens e passaria o final para o formato GC.

No quesito curiosidade, e como gamers atentos e bons conhecedores da franquia, a dupla revela que todos os jogos de Kingdom Hearts carregam um final secreto, que dá indícios do próximo game, o que reforça, segundo o casal, a teoria sobre uma possível continuação para KHBS. Aliás, há três caminhos para trilhar no game: Standard, Prod ou Critical. E o player tem a chance de jogar um capítulo extra, que lhe mostrará os finais secretos que explicam uma série de eventos do título original.

Por falar nisso, Bruno e Débora lembraram de uma cena marcante e hilária, diga-se de passagem, por uma pequena “falha” gráfica. No final da cena, quase chegando aos cinco minutos, reparem no dedo de que aponta para Ventus.

:: KH leva dupla gaúcha à final de competição mundial ::

Kingdom Hearts Birth by Sleep serviu de inspiração para o casal, que levou uma cena do game das telinhas do PSP direto para o palco do World Cosplay Summit 2011 – Etapa JBC Brasil. A ideia deu mais do que certo. Na pele dos personagens Terra e Aqua, Bruno e Débora garantiram vaga na seletiva do AnimeXtreme, em maio, e disputam neste domingo a final brasileira em São Paulo.

A ideia para uma apresentação baseada no game surgiu logo após completarem as 30 horas em KHBS. Débora terminou em setembro de 2010, e Bruno, um mês depois. Ela conta que a “empolgação do momento” pesou na decisão.  O próximo passo seria escolher os personagens, uma “cena legal” para representar e começar a confecção dos cosplays.

Ao se identificarem com os protagonistas Terra e Aqua, o casal procurou o script do jogo para montar a cena. No entanto, depois de gravar o áudio, eles não gostaram do resultado. O que fazer numa hora dessas?  - Foi aí que surgiu uma nova ideia, com a espuma para simular O Guardião – lembra Débora - Conseguimos fazer uma apresentação como a gente queria. Valeu a pena.

Foram três meses entre elaboração do roteiro, preparação dos cosplays, montagem dos acessórios (armadura, espadas…) e apenas três dias de ensaio para valer. Afinal, com estudos e trabalho o tempo livre torna-se escasso.

:: Kingdom Hearts Birth by Sleep por Débora e Bruno ::

Débora explica que a paixão pelo game pode ser comparada à leitura de um livro: – Tem que ir até o fim quando a estória se torna envolvente. E foi o que aconteceu.

Bruno, já conformado com o encontro entre personagens de Final Fantasy e da Disney, mas ainda um pouco relutante: “Apesar da Disney, Kingdom Hearts é legal”.

********************************************************************************************************

:: Entenda um pouco mais da série Kingdom Hearts ::

Lançado em 2002 para o PlayStation 2, Kingdom Hearts é o primeiro jogo da série. O game introduziu a maior parte dos personagens principais que se aventuram “por outros mundos” e seguem aparecendo até nas sequências mais atuais, e também serviu de base para a estrutura do enredo que envolve corações, Heartless e Keyblades. Durante sua jornada, o protagonista Sora conhecerá Donald e Pateta, que estão em busca do rei desaparecido, e ainda recebe ajuda de rostinhos conhecidos do universo Disney. As referências a Final Fantasy aparecem, além dos personagens, nos nomes de magias, como Fire, Blizzard, Thunder e Cure. Um dos mascotes de FF, o Moogle, também está em KH e desempenha o papel de uma espécie de NPC. No mesmo ano, o game ganhou uma adaptação chamada Kingdom Hearts: Final Mix.

Dois anos depois, foi a vez de Kingdom Hearts: Chain of Memories, lançado para Game Boy Advance, e que também recebeu um remake para o PS2, intitulado Kingdom Hearts Re: Chain of Memories. O título explica acontecimentos do primeiro jogo através de um sistema de cartas. A estória se passa entre Kingdom Hearts 1 e o 358/2 Days.

Em 2005, Kingdom Hearts II chega ao PS2, elevando o conceito de Nobodies e Heartless. Destaque para a luta contra o Sephiroth, com a trilha ‘One Winged Angel’ ao fundo. E mais um remake, Kingdom Hearts II: Final Mix, com extras, novos chefões e cut scenes adicionais.

Kingdom Hearts 358/2 Days (Nintendo DS) é ambientado entre Chain of Memories e Kingdom Hearts II e conta a trajetória de Roxas na Organização XIII.

Na contramão dos demais títulos lançados anteriormente, Kingdom Hearts Birth by Sleep (PSP) chegou em 2010 para revelar os acontecimentos de dez anos antes do primeiro KH. Terra, Aqua e Ventus são os protagonistas. A primeira aparição do trio foi num vídeo secreto de KH II chamado “The Gathering” mais uma continuação em KH II Final Mix através de um vídeo intitulado “Birth by Sleep”.

Em fase de produção, Kingdom Hearts 3D: Dream Drop Distance estará disponível para o Nintendo 3DS, ainda sem data de lançamento definida. O game deve ser um prelúdio do aguardado KH III. No enredo, Sora será testado para se tornar um mestre legítimo da Keyblade.

________________________________________________________________

Post de Natália Cagnani, jornalista e cosplayer fissurada por cultura japonesa, games e animes. Acompanhe todas as novidades sobre o WCS 2011 e, no Twitter, podem me encontrar como @natyaeris

Comentários (1)

  • Jackson diz: 15 de julho de 2011

    Muito bom o texto. Gostoso de ler. Eu nao conhecia Kingdom Hearts, e se me falassem que tem disney no meio, deixaria o jogo de lado. Mas agora fiquei curioso! Vou jogar, sim!

Envie seu Comentário