Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Divergência em condomínio expõe novo caso sobre acesso ilegal de dados

18 de outubro de 2010 9

Um novo caso envolvendo acesso ao sistema de Consultas Integradas da Secretaria da Segurança, desta vez por supostos motivos particulares, reacende a polêmica sobre o assunto. Enquanto o Ministério Público de Canoas finaliza investigação sobre o sargento da Casa Militar suspeito de espionagem, uma disputa ao cargo de síndico em um prédio de Porto Alegre coloca em questão a facilidade com que mais de 18 mil usuários de 49 órgãos fazem a pesquisa.

O que preocupa as autoridades é se o motivo das consultas não for apenas para finalidades profissionais. E foi nesta linha a conclusão de um procedimento que chegou à 17ª Delegacia de Polícia da Capital nos últimos dias. Um Termo Circunstanciado foi aberto para averiguar a utilização de informações do Consultas Integradas para fins particulares. A Polícia constatou que um soldado da Brigada Militar pediu a um colega, que possui senha do sistema, para investigar um concorrente ao cargo de síndico de um prédio.

O objetivo seria saber se um dos candidatos tinha antecedentes criminais. No entanto, o PM negou que tenha divulgado as informações. A 17ª DP concluiu que houve violação de sigilo funcional. O caso foi encaminhado para a Justiça e para a Corregedoria da Brigada Militar.

Comentários (9)

  • Emir Pinho diz: 18 de outubro de 2010

    Em tempos de ampla utilização dos meios digitais, o crime que é praticado quase que ininterruptamente em todas as esferas, é justamente o de acesso e roubo às informações, sejam elas públicas ou privadas.

    E diante desse quadro, não vemos medidas e nem tampouco, atitudes para evitar, diminuir ou minimizar esses crimes.

    Por essas e outras, as “Erenices” circulam livremente e impunes.

  • Danilo diz: 18 de outubro de 2010

    “mais de 18 mil usuários de 49 órgãos fazem a pesquisa.”
    Isso sem falar na imprensa, certo?

  • José diz: 18 de outubro de 2010

    Estamos a mercê dos mal intencionados a nivel estadual na Brigada, no Federal na Receita Federal, lameentável que não sejam respeitados os mais elementares direitos individuais.

  • Marcelo de Deus Aquino diz: 18 de outubro de 2010

    Boa Tarde.
    È inadmissivel este tipo de conduta do policial, porque saber se o individuo concorrente possui antecedentes,
    qual a finalidade do conhecimento? impugnar a candidatura, denegrir a imagem, acho que a eleição para sindico
    deve ter regras claras a respeito dos candidatos, então qual seria o motivo? Como policial deve saber que esta atitude
    é ilegal, bem como de seu colega o qual possui a senha de acesso. Isto esta fugindo do controle da secretaria de justiça
    que não esta tomando a atitude correta em relação aos acessos ilegais. A paz.

  • Igor diz: 18 de outubro de 2010

    É incrivel como essas consultas acontecem quase que diariamente, os “poderosos” consultam nossas vidas como se fossem a uma agência bancária solicitar um extrato de sua conta. É a tecnologia a favor dos maus intecionados.

  • laudir diz: 18 de outubro de 2010

    Mas que Barbaridade tche , isso ja se arrasta a decadas ,não e novidade , mas antes tinha-mos etica, hoje esta um OBA OBA OBA. quem pode mais chora menos . Mas e o jogo do BIXO foi extinto ??????? fique feliz em saber e ver que o nosso novo GOV. foi a canoas visitar o Del. assaltado !!!!!

  • Luciano diz: 18 de outubro de 2010

    Quem não deve não teme, podem divulgar todos os meus dados, quem quiser saber meu CPF é só me seguir no twitter, LucianoJo

  • Gustav diz: 18 de outubro de 2010

    O judiciário,também se utiliza destes dados e inclui em processos cível.
    E quando se tenta reclama,nada fazem. É um grande atoleiro!!!Vasculhando a vida dos indivíduos,corretos cumpridores de suas obrigações.
    Mas sempre há alguém mais “EXPERTO” profissionais que se utiliza e são acobertados.

  • Sobradinho diz: 18 de outubro de 2010

    Fico a imaginar que outros tantos fatos de consultas a dados sigilosos tenham sido acessados sem a devida autorização legal, administrativa ou judicial. Imagine que qualquer um consulta o que quer e ninguém toma as devidas providências quanto a violação de dados dos cidadãos. Talvez seja o caso do MP/RS e Poder Judiciário tomarem as devidas providências necessárias quanto as consultas, seja disciplinando o referido acesso. Até parece casa de Ninguém, qualquer um faz o que quer. Precisamos de providências imediatas quanto a estes fatos que se tornaram corriqueiros. É necessário atitudes de nossos Governantes.

Envie seu Comentário