Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

DPs - Delegacias do Passado: Balneário Quintão, o trabalho de um homem só

29 de outubro de 2012 9

O atropelamento de 17 pessoas no mês de fevereiro deste ano, no balneário de Quintão, Litoral Norte, revelou um problema constante para a Polícia Civil da região. Oito meses depois, apesar do indiciamento do motorista, ainda falta ouvir testemunhas e uma das vítimas. Motivo: O posto policial tem apenas um servidor na baixa temporada. O investigador Yário Chaves diz que se esforça ao máximo, mas o trabalho é constante, principalmente porque neste ano já foram registradas quase 800 ocorrências.

Posto policial de Quintão tem apenas um servidor na baixa temporada / Foto: Cid Martins

Mas o problema não é só esse, sobre efetivo. Apesar de reforço no verão, o posto é pequeno e nesta época tem mais movimento do que a delegacia localizada em Palmares do Sul. No dia em que a reportagem da Rádio Gaúcha esteve no local, no final de setembro, vítima, testemunha, PMs e um preso algemado, além de pessoas envolvidas em outra ocorrência se espremiam em um verdadeiro cubículo.

Trabalho de um homem só no posto policial de Quintão / Foto: Cid Martins

Para piorar a situação, o local sofre com a infestação de cupins e a fiação elétrica é precária. Também não há espaço para armazenar materiais apreendidos e a solução foi conseguir emprestada uma residência próxima ao posto.

Depósito emprestado para guardar materiais apreendidos/ Foto: Cid Martins

O investigador Yário Chaves aguarda pela decisão sobre um projeto de 2005 para tornar o posto uma delegacia e assim ter mais recursos e pessoal. Ele já tem quase 65 anos de serviço e está em tempo de se aposentar, o que para a comunidade de Quintão é outro problema.

Outros municípios

Em Tramandaí, 14 policiais deixaram o município desde o ano passado. No lugar deles, não foi mandado ninguém. Além disso, oito agentes já estão em tempo de se aposentar. A reforma do prédio começou há mais de 20 anos. No verão, com o reforço do policiamento, os servidores ficam amontoados na delegacia. Apreensões de caça-níqueis, por exemplo, só em caso extremo. Não há depósito para armazenar o material.  Apesar do quadro nada animador, 17 dos 18 homicídios ocorridos em 2012 já foram solucionados.

Em Tramandaí, até o gabinete do delegado virou depósito / Foto: Cid Martins

Em Capão da Canoa, houve reforma no prédio, mas ainda é preciso ampliá-lo.

Em Torres, os policiais conseguiram verba de 100 mil reais para reformar a delegacia. O dinheiro foi garantido por meio do programa Consulta Popular do ano passado, mas, até agora, os recursos não chegaram.

Em Cidreira, o prédio da delegacia foi interditado neste verão porque corre o risco de desabar. Um novo imóvel foi alugado.

Em Cidreira, prédio interditado por risco de desabar / Foto: Cid Martins

Em Imbé, foi construído um depósito para armazenar materiais apreendidos, que rapidamente foi ocupado. Atualmente, os objetos são colocados no pátio da delegacia.

Outro depósito teve de ser improvisado no pátio da delegacia / Foto: Cid Martins

Amanhã, na próxima reportagem da série: DPsDelegacias do Passado – O distrito infestado por pulgas e cupins.

Confira a reportagem em vídeo:

Confira a reportagem em áudio:

Comentários (9)

  • Jaime José Dresch diz: 30 de outubro de 2012

    Tenho casa em Quintão. PIOR do que o imóvel da Polícia, estão todas as ruas de QUINTÃO. Sugiro uma reportagem sobre a situação da praia de QUINTÃO, distrito de PAKMARES DO SUL, absolutamente abandonada. Comecem pela esquina da rua onde tenho casa (Livramento) com a rua principal de Quintão (Athenas). Vale a pena alertar as autoridades municipais que NADA fazem para melhorar a praia.

  • José Antônio diz: 30 de outubro de 2012

    Vocês tem certeza que isso é uma Delegacia? Mais parece uma espelunca de mais de 200 anos que nunca passou por uma reforma.

  • Helio diz: 30 de outubro de 2012

    O posto de Quintão é o tipo caso de cobertor curto, já existe falta de todo tipo de recursos nas DPs, para que manter um posto (em condições precárias) para atender em média 04 ocorrências por dia útil, a prova está que falta recurso humano na DP ao qual o posto esta subordinado para dar andamento nos inquéritos onde são instaurados e posteriormente remetidos a justiça. Assim como postos policiais também existem Delegacias que tecnicamente são inviáveis mas manditas muitas vezes por POLÌTICA.

  • DPs – Delegacias do Passado – São Leopoldo… A delegacia infestada por pulgas e cupins | Caso de Polícia diz: 30 de outubro de 2012

    [...] para encontrar os primeiros sinais da falta de infraestrutura. Diferente do posto policial de Quintão, no Litoral, que tem apenas um servidor na baixa temporada, o distrito no Vale do Sinos tem [...]

  • DPs – Delegacias do Passado – Charqueadas: Delegacia que atua no complexo prisional ficou quatro anos sem setor de investigação | Caso de Polícia diz: 31 de outubro de 2012

    [...] da 1ª Delegacia de São Leopoldo, no Vale do Sinos, e do posto policial do balneário de Quintão, no Litoral. Na edição de hoje, o distrito de Charqueadas tem um uma situação semelhante e ao [...]

  • DPs – Delegacias do Passado – Polícia gasta por mês quase R$ 1 milhão em aluguel de prédios e em substituições de delegados | Caso de Polícia diz: 1 de novembro de 2012

    [...] de mostrar os problemas de infraestrutura em imóveis da Polícia em Charqueadas, São Leopoldo e Balneário Quintão, nesta quarta edição da Série: DPs – Delegacias do Passado, a Reportagem da Rádio Gaúcha [...]

  • DPs – Delegacias do Passado: Porto Alegre, a delegacia da parada de ônibus e o distrito que alagava quando chovia | Caso de Polícia diz: 2 de novembro de 2012

    [...] chovia, a 18ª DP. Nas outras edições, a Reportagem da Rádio Gaúcha mostrou a situação em Quintão, São Leopoldo, Charqueadas e os gastos de quase R$ 1 milhão por mês com aluguel de prédios e [...]

  • Atropelamento coletivo em Quintão: terminado prazo dado pelo MP, polícia ainda realiza investigações | Caso de Polícia diz: 27 de novembro de 2012

    [...] O inquérito foi concluído em março, mas o MP solicitou novas diligências policiais para definir o caso. No entanto, a tarefa é complicada. A Polícia Civil o com apenas um servidor durante a baixa temporada no balneário Quintão: o investigador Yário Chaves. [...]

  • Motorista que atropelou 17 pessoas no balneário de Quintão é denunciado pelo Ministério Público | Caso de Polícia diz: 10 de janeiro de 2013

    [...] houve demora para cumprir as diligências pelo fato do posto policial de Quintão ter apenas um servidor. A denúncia está na Justiça de Palmares do Sul. O jovem alegou que agiu em legítima defesa já [...]

Envie seu Comentário