Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

DPs - Delegacias do Passado - Charqueadas: Delegacia que atua no complexo prisional ficou quatro anos sem setor de investigação

31 de outubro de 2012 2

Na terceira edição da Série: DPsDelegacias do Passado – A reportagem da Rádio Gaúcha revela a situação do distrito policial de Charqueadas, responsável pelos crimes ocorridos no entorno do maior complexo prisional do Rio Grande do Sul. No entanto, a delegacia ficou quatro anos sem setor de investigação devido à falta de pessoal, além de armas, arquivos e materiais apreendidos sendo guardados em locais inapropriados.

Armas e materiais apreendidos guardados em locais inadequados / Foto: Divulgação OAB

Nas edições anteriores, foi divulgada a situação da 1ª Delegacia de São Leopoldo, no Vale do Sinos, e do posto policial do balneário de Quintão, no Litoral. Na edição de hoje, o distrito de Charqueadas tem um uma situação semelhante e ao mesmo tempo um trabalho diferenciado que acaba sendo prejudicado. Além dos 31 mil habitantes no município, há mais 4,7 mil apenados de oito casas prisionais. Segundo a Polícia, em dia de visitas, por exemplo, aumentam as ocorrências e os flagrantes. Como havia apenas regime de plantão, os inquéritos sem solução se acumularam no período de quatro anos. Até algumas semanas, a delegacia tinha apenas cinco policiais. Além do delegado, quatro servidores se revezavam nos turnos do plantão. Eles são os responsáveis para atender a comunidade, os flagrantes em dia de visitas e ainda apurar procediementos sobre drogas, armas e celulares apreendidos nos presídios.

Materiais apreendidos e sem local para depósito / Foto: Divulgação OAB

O maior problema foi o fato do distrito ficar quatro anos sem setor de investigação e somente um agente apurava todos os crimes cometidos dentro e fora das cadeias. Fatos como este, levaram a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a acompanhar investigações, como por exemplo, o caso do encontro de ossos humanos na Colônia Penal do município. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Ricardo Breier, destacou que o distrito não tinha qualquer estrutura física e humana. Segundo ele, uma delegacia precária, sucateada e mesmo com poucas apreensões, problemas para armazenar materiais devido à falta de um depósito adequado. Lá, Breier encontrou um quadro desanimador: Armas, drogas e outros materias apreendidos expostos sem qualquer segurança.

Confira o vídeo sobre a situação da delegacia de Charqueadas:

Coincidência ou não, após a visita, a delegacia recebeu sete novos servidores e o setor de investigação pode ser reaberto. O delegado regional Carlos Amodeo diz que houve uma evolução desde a vistia da Ordem. Desde então, o telhado foi reformado, foi realizada uma limpeza e o distrito conta agora com um delegado titular, específico para o município.

“Além disso, com o novo pessoal o trabalho está chegando à normalidade. O Ministério Público e a Justiça também estão nos ajudando”, diz Amodeo.

A delegacia também recebeu computador, viatura e ar condicionado.

Santa Maria

Mesmo cinco anos após denúncias de que 17 policiais contraíram leptospirose, os problemas de infraestrutura continuam, principalmente no plantão. Levantamento feito em 23 cidades da região de cobertura da Gaúcha Santa Maria, o problema maior é a carência de pessoal. Em São Sepé, Tupanciretã, Júlio de Castilhos e Restinga Seca, o número de policiais não ultrapassa o número de cinco.

Serra

Em Monte Belo do Sul, a cidade tem apenas um policial. Uma servidora formada há menos de dois meses. Em Caxias do Sul, apesar do reforço de 42 novos servidores, o lema é priorizar ocorrências. Além disso, o prédio da Central de Polícia tem 40 anos e já foi um banco e o foro da cidade.

Polícia verifica o que sobrou da agência bancária de Jaquirana: Juan Barbosa / Agencia RBS

O exemplo da fragilidade da Polícia Civil nas pequenas cidades da Serra ficou evidente no ataque ao Banco do Brasil de Jaquirana. Na madrugada de 28 de setembro deste ano, criminosos sitiaram a cidade e explodiram o cofre e dois caixas eletrônicos do banco. Enquanto preparavam os explosivos, criminosos questionavam a população sobre o paradeiro da polícia. O único policial civil da cidade assistiu de longe a ação, sem poder fazer nada diante do poder de fogo dos criminosos. Ele estava armado com uma pistola. Os bandidos com fuzis.

Confira em áudio a terceira edição da série DPsDelegacias do Passado:

* Colaboração da Gaúcha Serra e Gaúcha Santa Maria.

Comentários (2)

  • DPs – Delegacias do Passado – Polícia gasta por mês quase R$ 1 milhão em aluguel de prédios e em substituições de delegados | Caso de Polícia diz: 1 de novembro de 2012

    [...] de mostrar os problemas de infraestrutura em imóveis da Polícia em Charqueadas, São Leopoldo e Balneário Quintão, nesta quarta edição da Série: DPs – Delegacias do Passado, [...]

  • Vídeo e fotos revelam bastidores de operação contra tráfico em Charqueadas | Caso de Polícia diz: 9 de novembro de 2012

    [...] A operação desta manhã é resultado de investimentos em efetivo e equipamentos para a polícia de Charqueadas, desde o final de setembro. A delegacia, que atua no maior complexo prisional do Estado, recebeu sete novos agentes. Com isso, o setor de investigação, desativado há quatro anos, voltou a funcionar. O problema foi mostrado na série: DPs – Delegacias do Passado. [...]

Envie seu Comentário