Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

DPs - Delegacias do Passado - Polícia gasta por mês quase R$ 1 milhão em aluguel de prédios e em substituições de delegados

01 de novembro de 2012 1

Depois de mostrar os problemas de infraestrutura em imóveis da Polícia em Charqueadas, São Leopoldo e Balneário Quintão, nesta quarta edição da Série: DPsDelegacias do Passado, a Reportagem da Rádio Gaúcha destaca valores gastos em aluguel de prédios e substituições de delegados. Além disso, a situação de delegacias que tem apenas entre um e três servidores. Por outro lado, os investimentos e esforços que a Chefia de Polícia tem feito para amenizar a situação.

Confira o vídeo da quarta edição da série DPsDelegacias do Passado:

Se por um lado falta dinheiro para investir na compra de novos equipamentos e reformas de distritos policiais, por outro lado, o governo desembolsa mensalmente quase R$ 1 milhão em aluguéis e substituições. Hoje, no Rio Grande do Sul, são 549 delegacias em 324 municípios. Ou seja, em 35% das cidades gaúchas ainda não há uma DP. A comunidade é atendida por servidores de municípios vizinhos. E mesmo que tenha um distrito policial, não significa que os moradores recebam um atendimento de qualidade. Enquanto o ideal era que uma DP tivesse pelo menos quatro agentes, segundo a Chefia de Polícia, quase um 1/3 das delegacias tem entre um e três servidores apenas.

Delegacias com apenas 1 servidor: 54

Delegacias com apenas 2 servidores: 77

Delegacias com apenas 3 servidores: 36

Onde está presente no Estado, a Polícia Civil ocupa 460 imóveis. A maior parte deles, quase 57%, são prédios próprios. Poucos deles estão adaptados para as necessidades e o registro de uma ocorrência expõe a vítima. Para Isaac Ortiz, presidente da Ugeirm, Sindicato da Polícia Civil, mesmo com prédios novos, ainda há uma estrutura antiga.

“Prédios bonitos, condições maravilhosas, mas aquele balcão continua o mesmo, registro na frente de todo o mundo. A população não merece mais isso”, diz Ortiz.

Sobre o restante dos prédios, em 198 casos, ou o imóvel é cedido, ou é alugado. Somente com a locação de 120 estabelecimentos, o governo gasta R$ 456 mil por mês, o que dá uma média de R$ 5,5 milhões por ano. Um deles é o prédio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC). O prédio do principal órgão de investigação da Polícia gaúcha, localizado na Capital, custa por mês em aluguel R$ 50 mil reais, ou R$ 600 mil por ano. Uma alternativa já discutida, mas que não avançou, foi a construção de um prédio para o DEIC em uma área atrás da 3ª DPPA da Capital, perto da Academia de Polícia. Mas a idéia foi abandonada.

Área atrás da 3ª DPPA da Capital chegou a ser cogitada para abrigar o futuro DIEC / Foto: Márcio Doval

Área que poderia ser o futuro DEIC, atrás da 3ª DPPA, fica em frente a atual Academia de Polícia / Foto: Márcio Doval

Outro prédio alugado é o da Academia de Polícia, na zona Norte de Porto Alegre. O aluguel mensal é de R$ 23 mil. Após cinco anos de promessas, um imóvel próprio do governo deve ser inaugurado em março do próximo ano. A sede das Academias Integradas, na avenida Antônio de Carvalho, é um espaço próprio para a capacitação, treinamento e formação dos servidores da Polícia, Instituto Geral de Perícias e Susepe. Atualmente, a Secretaria Estadual da Segurança está formulando o regimento interno da Academia e contratando serviços como limpeza e manutenção. No entanto, o local ainda tem problemas e precisa de melhorias que estão sendo feitas, segundo o governo.

Prédio das Academias Integradas pode começar a receber alunos a partir de março de 2013 / Foto: Márcio Doval

Demais gastos

Entre os gastos mensais da Polícia, também está o pagamento de mais de R$ 500 mil com substituição de delegados. Existem hoje mais de 200 vagas em aberto para a função. Para atender toda a demanda, delegados de comarcas próximas ficam responsáveis pelas ocorrências em cidades vizinhas. Por mais que se esforcem, os substitutos não conseguem dar a atenção necessária nestes municípios. Uma alternativa, entre outras,  seria investir o dinheiro gasto com substituições no pagamento de novos servidores. Estes futuros profissionais dedicariam atenção exclusiva às comunidades, diferentemente do que é feito hoje. Em relação a concursos públicos, no mês de outubro, o governo do Estado chamou 47 aprovados. Mas ainda existem outros 40 que aguardam a convocação para delegado, o que deve ocorrer apenas no segundo semestre de 2013.

Investimentos

Chefe de Polícia, delegado Ranolfo Vieira Júnior:

Já foram investidos R$ 8 milhões desde o ano passado em obras realizadas. Outros R$ 7 milhões estão sendo investidos em reformas e construções. Há ainda a previsão de investimento de outros R$ 21 milhões, que dependem apenas de liberação de verba do Governo gaúcho.

Confira em áudio a quarta edição da série DPs – Delegacias do Passado:

Na última edição, amanhã: Porto Alegre ainda tem a delegacia da parada de ônibus e um distrito policial que sempre alaga quando chove.

Comentários (1)

  • Helio diz: 2 de novembro de 2012

    Sê o governo gastasse menos com CCs, propaganda, e secretários mais competentes a situação estaria melhor. Quando as viaturas novas que estão no estacionamento da da polícia civil (Palácio da Polícia) vão ser entregues as Delegacias, alguém pode respónder? ah, entendo, falta espaço na agenda do Sr. secretário de segurança….. ,não é mesmo?

Envie seu Comentário