Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

DPs - Delegacias do Passado: Porto Alegre, a delegacia da parada de ônibus e o distrito que alagava quando chovia

02 de novembro de 2012 1

Na última edição da série DPsDelegacias do Passado, Porto Alegre ainda tem os distritos policiais da parada de ônibus, a 21ª DP, e o que alagava quando chovia, a 18ª DP. Nas outras edições, a Reportagem da Rádio Gaúcha mostrou a situação em Quintão, São Leopoldo, Charqueadas e os gastos de quase R$ 1 milhão por mês com aluguel de prédios e substituições de delegados.

21ª Delegacia da Capital

21ª DP, na Lomba do Pinheiro, funciona há 16 anos num terminal de ônibus / Foto: Jocimar Farina

No antigo terminal de ônibus da Lomba do Pinheiro, na zona Leste da Capital, funciona a 21ª DP. O que não é passageiro nesta delegacia é o prazo da mudança para um prédio com melhores condições. Há 16 anos, o distrito policial foi criado provisoriamente naquele local e até hoje por lá permanece. As condições de trabalho e segurança são péssimas. Não há sala de depósito. Banheiro, pátio e sótão foram improvisados para receber objetos apreendidos. O prédio tem uma estrutura de três módulos. Não há acesso interno. Para sair da sala de plantão para o cartório, os policiais precisam passar por uma calçada. Além da falta de estrutura, o distritro sofre com a invasão de formigas, taturanas e lagartas.

Infestação de formigas, cupins e taturanas na 21ª DP / Foto: Jocimar Farina

Segundo o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RS, Ricardo Breier, o estado brasileiro não se preocupa com segurança como tem que ser.

“É grave a situação. Delegacias sem material mínimo. Temos que cobrar ações rápidas. Temos que investir na Polícia”, diz Breier.

Assista ao vídeo sobre a situação das delegacias em Porto Alegre:

Logo na entrada da 21ª DP, móveis velhos indicam a precariedade do local. E a maior parte dos equipamentos mais novos é fruto de doações de bens apreendidos pela Receita Federal ou de descarte do Ministério Público, Judiciário e Polícia Federal. Não há um espaço reservado para colocar um preso no local. Uma barra de ferro anexada à parede, ao lado de um sofá, é o local mais adequado. O mesmo sofá vira dormitório do plantonista da delegacia.

Presos são algemados em barra de ferro, mesmo local usado para plantonista dormir / Foto: Jocimar Farina

A missão é conseguir um novo prédio para ser alugado. Mas a falta de um local adequado que possa receber a delegacia no bairro dificulta o encargo. Já foram dois meses de procura. A delegada Shana Hartz diz que por ser um prédio público, mesmo que locado, tem de ser amplo e ter estacionamento, ou seja, com condições que atendam as especificações de uma delegacia de Polícia. O terreno que irá receber o novo distrito foi doado ao Estado. O projeto já está definido. Seguirá os moldes do prédio recém inaugurado em Canoas. Mas, até ficar pronto, ainda será necessário esperar até dois anos.

18ª Delegacia da Capital

18ª DP, no bairro Mário Quintana, alagava quando chovia / Foto: Jocimar Farina

A 18ª DP é, junto com a 21ª delegacia, o pior distrito da Capital. Localizado no bairro Mário Quintana, na zona Norte, o prédio foi doado pela Prefeitura. Os módulos não têm acesso interno e o cercamento é precário. Há goteiras no telhado. Até algumas semanas, quando chovia, a delegacia alagava. As cadeiras são provenientes de uma apreensão em um bingo. Geladeira e microondas foram doados pelo Ministério Público. Apesar disso, o prédio está recebendo algumas melhorias. Recentemente, um degrau foi construído para impedir a entrada da chuva. Bom por um lado, ruim por outro. Cadeirantes terão dificuldade de acesso. A Prefeitura cedeu um terreno para o novo distrito no bairro. O projeto está pronto, mas as obras ainda não iniciaram.

Degrau construído para barrar entrada de água da chuva / Foto: Jocimar Farina

18ª Delegacia tem infraestrutura precária / Foto: Jocimar Farina

O chefe de Polícia, delegado Ranolfo Vieira Júnior, diz que a instituição trabalha com os recursos possíveis e que em Porto Alegre, as verbas para reformas estão destinadas para os locais com maior necessidade. Neste caso, o distrito policial que funciona numa parada de ônibus, a 21ª DP, e o distrito que alagava quando chovia, a 18ª DP. Além destes dois locais, outro que precisa de melhorias é 20º distrito, no bairro Cristal, zona Sul: A delegacia da Copa do Mundo.

Confira o áudio da última edição da série DPsDelegacias do Passado:

Comentários (1)

  • Meni diz: 6 de novembro de 2012

    Por favor, deêm uma olhada na descrição feita pelo site da UGEIRM, é a descrição quase exata do que se vê na “nova” 3a DPPA. Espero que alguém resolva isso e já. Se os direitos humanos fossem pra lá, a delegacia seria interditada na hora. e Os direitos de nós policiais? Nós que passamos lá 24hrs no plantão, nem temos privacidade e podemos descansar se precisássemos. Acreditem: não existem interruptores!! ou seja, ou estão todas as luzes ligadas (inclusive do andar de cima que só funciona de dia) ou desligadas, economia estatal não existe pelo jeito…

    http://www.ugeirm.com.br/index.php?secao=comunicacao&pagina=noticias&id=1808

Envie seu Comentário