Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Condenado a 122 anos de prisão por assaltos e latrocínio em Caxias do Sul pode ir para o semiaberto

26 de junho de 2014 8
Criminoso foi preso depois de matar advogado durante assalto (nereu de almeida/agência rbs)

Ladrão foi preso depois de matar advogado (nereu de almeida/agência rbs)

 

Beneficiado por uma legislação branda e pelo entendimento de desembargadores do Tribunal de Justiça, o comandante da quadrilha que aterrorizou Caxias do Sul entre agosto e novembro de 2005 está mais perto da rua. Condenado a 122 anos de reclusão por 14 assaltos a residências e um latrocínio, Evorton Rodrigues, o Eto, está fazendo exames para saber se poderá cumprir o restante de sua pena em semiaberto. Como é um apenado que trabalha dentro da cadeia e tem bom comportamento atrás das grades, a possibilidade de ele estar nas ruas nos próximos dias é grande.

Eto gravou seu nome na crônica policial ao comandar uma quadrilha especializada em assaltos a casas de classe média alta, ainda quando o Colina Sorriso e Altos do Seminário eram apenas loteamento do Santa Catarina. Ele e seu bando foram desarticulados pela Delegacia de furtos, roubos, entorpecentes e capturas depois do assassinato do advogado Henrique Martins da Silva, 42. O bacharel foi executado por Eto dentro de sua casa, durante um assalto na madrugada de 16 de novembro de 2005.

Antes de ser preso pela série de ataques já tinha uma sentença de 7 anos por assalto, Eto foi condenado a 99 anos e 7 meses pelos 14 assaltos, porte ilegal de arma de fogo e receptação. Nesse processo, além de Eto, outras cinco pessoas foram condenadas (X). A sentença foi da então titular da 3ª Vara Criminal de Caxias do Sul, juíza Sonáli da Cruz Zluhan. A mesma magistrada foi quem condenou Eto a 23 anos de prisão pelo latrocínio do advogado. Somadas, as penas contabilizavam 122 anos de prisão.

Entretanto, a defesa de Eto recorreu a decisão. Desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça entendeu que nos 14 assaltos houve continuidade delitiva (vários delitos do mesmo modus operandis cometidos em pequenos intervalos de tempo). Com isso, a pena de 99 anos e 7 meses caiu para 38 anos e 2 meses de prisão. Essa condenação foi unificada com a do latrocínio e os cálculos para progressão de regime também foram alterados. Como os crimes foram praticados antes de 2007, quando houve a alteração na redação dos crimes hediondos, Eto precisa cumprir apenas um sexto (1/6) de sua condenação no regime fechado. Atualmente, o cálculo seria de dois quintos (2/5)  para réus primários e três quintos (3/5) para reincidentes.

Eto já faz os exames e Processo de Execução Criminal dele aguarda para ser avaliado pelo Ministério Público. Enquanto isso, ele segue recolhido na Penitenciária Regional de Caxias, no Apanhador.

Os assaltos pelos quais Eto foi condenado

Data: 1º de agosto de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues
Circunstâncias: Evorton invadiu uma residência e rendeu uma mulher que cuidava de um bebê. A babá e a criança foram trancadas no banheiro. Evorton, armado com uma faca, fugiu com roupas e jóias.

 

Data: 14 de agosto de 2005
Bairro: Nossa Senhora da Saúde
Envolvidos: Evorton Rodrigues e mais um réu
Circunstâncias: o dono da moradia foi surpreendido por dois homens armados dentro de sua casa, às 21h30min.O homem ficou sem ação enquanto um dos ladrões apontava a arma para a cabeça de suas filhas, de nove e três anos. Outro criminoso rendeu a mãe das crianças, que estava no andar superior. Os assaltantes fugiram com o carro da família carregado de roupas, jóias e eletroeletrônicos.

 

Data: 23 de agosto de 2005
Bairro: Monte Bérico
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um jovem
Circunstâncias: a dona da moradia havia feito um bolo e colocado para esfriar em uma janela. A abertura foi usada por assaltantes para entrar na casa e render o dono, que segurava um bebê no colo. O casal foi amarrado no banheiro e os dois assaltantes escaparam, após uma hora e meia, levando o veículo das vítimas, roupas e jóias. O segundo assaltante não foi identificado.

 

Data: 25 de setembro de 2005
Bairro: Nossa Senhora da Saúde
Envolvidos: Evorton Rodrigues, um homem e um adolescente
Circunstâncias: às 22h, a dona da moradia via televisão ao lado do marido e do filho quando percebeu que três assaltantes estavam na sala apontando armas para família.O casal foi levado para a garagem e amarrado. Um dos assaltantes montou na mulher e passou a mão em suas nádegas. Após fazer refeições, os três criminosos deixaram a moradia levando eletroeletrônicos, armas e dinheiro.


Data:
2 de outubro de 2005
Bairro: Monte Bérico
Envolvidos: Evorton Rodrigues e dois homens
Circunstâncias: a moradora de uma residência é surpreendida por três homens que arrebentaram a porta com um tora de eucalipto. O dono da casa já estava deitado e, quando levantou para ver o que estava acontecendo, foi atacado por um dos ladrões, que atirou em seu pé, decepando um dedo.O casal e dois filhos foram trancados no banheiro pelo trio, que fugiu com o carro da família carregado de objetos.


Data:
12 de outubro de 2005
Bairro: Serrano
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um homem
Circunstâncias: um casal de noivos é surpreendido no começo da noite com dois homens armados na moradia. Um dos ladrões engatilhou um revólver e apontou para a cabeça das vítimas exigindo dinheiro.O outro ladrão passou a mão pelo corpo da mulher, que simulou um desmaio para não ser levada a um quarto.O casal é amarrado com fitas adesivas pelos criminosos, que fogem no carro do homem.


Data:
17 de outubro de 2005
Bairro: Saint´Etienne
Envolvidos: Evorton Rodrigues e outro jovem
Circunstâncias: durante três horas, Evorton e outro rapaz ficaram ameaçando um casal de morte, exigindo dinheiro e armas. A dupla invadiu a casa por volta da meia-noite.Os ladrões deixaram a moradia levando computadores, jóias e roupas.


Data:
24 de outubro de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um rapaz
Circunstâncias: uma jovem escutou gritos de sua mãe e passos na casa, mas achou que fossem de seu pai. Quando abriu a porta de seu quarto, por volta das 2h, foi atacada por Evorton, armado com dois revólveres. Após exigir dinheiro e armas, ele tentou praticar atos libidinosos com a jovem, dizendo que se ela praticasse sexo com ele a casa não seria roubada. Com um revólver, ele ergueu a blusa da jovem e riu. Os ladrões levaram eletroeletrônicos, dinheiro e jóias.

 

Data: 27 de outubro de 2005
Bairro: São Ciro
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um jovem
Circunstâncias: Evorton e outro suspeito não-identificado renderam sete pessoas da mesma família depois de invadir a residência durante a madrugada.Todos foram trancados em um banheiro enquanto os ladrões procuravam dinheiro e armas. Um dos assaltantes passou o tempo todo engatilhando e desengatilhando a arma, dizendo que mataria todos. As vítimas foram deixadas amarradas pela dupla, que desapareceu levando roupas, jóias e uma arma.

 

Data: 30 de outubro de 2005
Bairro: São Ciro
Envolvidos: Evorton Rodrigues e outro réu
Circunstâncias: o proprietário da casa tomava chimarrão acompanhado de dois filhos, de dois e cinco anos, quando escutou um barulho. Ao olhar para trás, viu dois homens armados. A dona da casa também foi rendida.Todos foram levados para um quarto e passaram cerca de três horas sendo monitorados por um dos assaltantes enquanto o segundo carregou o carro da família e saiu. O ladrão retornou minutos depois para buscar o comparsa com o automóvel da família.


Data:
2 de novembro de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um adolescente
Circunstâncias: uma jovem foi rendida por Evorton. O rapaz, mantendo a vítima refém, rendeu mais três familiares dela, que foi obrigada a ajudar o ladrão a carregar objetos. A jovem contou que o ladrão lhe fazia perguntas íntimas e propunha manter relações sexuais. A dupla fugiu com o carro da família.

 

Data: 4 de novembro de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um adolescente
Circunstâncias: um casal havia acabado de retornar de uma viagem, à meia-noite, quando foi abordado por dois homens armados na moradia. A dupla pediu por dinheiro, jóias e armas e ficou por três horas fazendo ameaças de morte e recolhendo objetos, levados no carro da família.O casal ficou amarrado.

 

Data: 9 de novembro de 2005
Bairro: Interlagos
Envolvido: Evorton Rodrigues
Circunstâncias: um grupo de amigos que estava na sede do Recreio da Juventude foi atacado por Evorton armado, à 1h. O ladrão recolheu roupas, dinheiro e carteiras de seis pessoas.

 

Data: 14 de novembro de 2005
Bairro: Serrano
Envolvidos: Evorton Rodrigues e outro réu
Circunstâncias: às 22h, a dupla invadiu uma casa e rendeu quatro pessoas.Os ladrões ficaram até a 1h recolhendo objetos e fazendo ameaças às vítimas.Todos foram amarrados e trancados em uma das peças. Evorton e comparsa fugiram levando dinheiro, jóias e eletroeletrônicos.

Comentários (8)

  • maria helena diz: 26 de junho de 2014

    mas isso só pode ser piada, e de muito mau gosto…

  • Arthur diz: 26 de junho de 2014

    Esse tipo de traste tinha que ta morto, soltar um vagabundo desses é dar chance para o azar, palhaçada a Lei nesse país, é lei pra vagabundo e vadio.

  • volcir gaiardo diz: 26 de junho de 2014

    morei na colina sorriso nesta época ,sei bem do panico e intranquilidade que esses bandidos causaram ,duvido que esteja recuperado, mas se ele for assaltar novamente peço a DEUS, que seja nas casas dos que permitem que esses bandidos não apodresçam na cadeia.

  • Maria Inês diz: 26 de junho de 2014

    Presos somos nós que estamos a cada dia mais expostos a esses tipos que se dizem seres humanos e são protegidos pelos direitos humanos e pela justiça

  • Felipe diz: 27 de junho de 2014

    Cachorro ovelheiro

  • Ana diz: 27 de junho de 2014

    Nas favelas, no senado
    Sujeira pra todo lado
    Ninguém respeita a constituição
    Mas todos acreditam no futuro da nação
    Que país é esse? ( Renato Russo)

  • James diz: 27 de junho de 2014

    que ele venha tentar entrar dentro da minha casa. VAI ACORDAR COM A BOCA CHEIA DE FORMIGA.

  • Vivaldino diz: 10 de agosto de 2014

    Se ele sair da cadeia e entrar na minha casa, mato ele e atiro de algum perau bem longe daqui. Esse ninguém mais vê.

Envie seu Comentário