Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Escutas telefônicas comprovam ligação do bandido Seco com roubos de veículos e tráfico de drogas

06 de novembro de 2014 1
Foto: Cid Martins/Rádio Gaúcha

Foto: Cid Martins/Rádio Gaúcha

A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), com autorização judicial, divulgou na manhã desta quinta-feira (06) escutas telefônicas que comprovam a ligação de José Carlos dos Santos, o bandido Seco, com roubo de veículos e tráfico de drogas. Ele é apontado por comandar os crimes de dentro da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) com apoio também de comparsas em outros presídios.

Os carros e caminhões eram clonados após os roubos e enviados para Santa Catarina, Paraná e Paraguai, foram mais de 200 em um ano. Seco estaria ainda mantendo contato com a quadrilha de traficantes dos “Bala na Cara”, que comanda o tráfico de drogas na Grande Porto Alegre. No início da manhã, foi desencadeada a Operação Trinca-Ferro em 17 cidades da Grande Porto Alegre, quando foram cumpridos 50 mandados de busca e de prisões.

Seco comandava roubos de veículos e tráfico de drogas de dentro da Pasc

De acordo com as escutas telefônicas, são sete ao todo, mostram como agia a quadrilha mais perigosa do estado em relação aos roubos de veículos, inclusive com sequestros. Em um delas, de acordo com o delegado Juliano Ferreira, do DEIC, o bandido Seco fala sobre caminhão roubado em Farroupilha e que, possivelmente, deveria ser clonado:

Outra gravação, também com a participação de Seco, de dentro da Pasc, a polícia identifica uma aproximação com a quadrilha dos “Bala na Cara”:

Em uma terceira escuta, Seco, segundo o delegado Ferreira, fala de explosivos, mas por meio de códigos como cordinhas e barbantes:

Em outra gravação de telefones, Seco fala sobre clonagem de caminhão para ser encaminhado ao Paraná:

Nas conversas de dentro da Pasc, de acordo com a Polícia Civil, Seco fala sobre “kits” para rastreamento de veículos:

Além de Seco, a polícia descobriu conversas de comparsas dele, no caso Carlos Raimundo Alves Júnior, o Ninho, também detido, falando por meio de códigos que foram roubados sete carros em um dia:

Uma última gravação autorizada pela Justiça, o comparsa de Seco, o Ninho, recebe encomenda de uma caminhonete 4×4:

Delegado Juliano Ferreira, do Deic, fala sobre a Operação Trinca-Ferro:

Comentários (1)

  • Ricardo diz: 6 de novembro de 2014

    Mas manda mata uma imundícia dessa. Pelo amor de deus.

Envie seu Comentário