Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Justiça de Gravataí interroga policiais do Paraná investigados pela morte de PM em 2011

14 de setembro de 2015 0

Reconstituição da morte do PM Ariel em Gravataí ocorreu quase um mês depois do crime

Por Cid Martins

Foram interrogados, nesta segunda-feira (14), na Justiça de Gravataí, os policiais civis do Paraná que mataram, em dezembro de 2011, no município, o PM Ariel da Silva. Eles investigavam o sequestro de um refém e confundiram a vítima com suspeitos de manter o agricultor do estado paranaense Lírio Persch no cativeiro. Na ocasião, acabaram atirando no brigadiano.

Foram ouvidos hoje Alex Olguerd, Daniele Wicz Filho e João Paulo Heitaro Abe. Também foi interrogado Cléber Custódio Furquim, que saiu da polícia paranaense em 2013.

Segundo a Justiça, foi encerrada hoje a fase de instrução. Agora, são aguardadas as alegações finais da acusação e das defesas. Após, será feita a sentença de pronúncia para julgamento em plenário ou não. Também pode ocorrer absolvição sumária ou impronúncia, que é quando os réus são absolvidos temporariamente enquanto são aguardadas novas provas.

Refém

No mesmo dia da morte do brigadiano, o refém também acabou sendo morto por engano. O delegado Leonel Carivali, que disparou contra a vítima, e outro policial foram absolvidos. Sete sequestradores foram condenados pelo crime no ano passado e pegaram, pelo menos, 34 anos de prisão.

Saiba mais:

Policial paranaense acusado de matar PM gaúcho em Gravataí é exonerado

Tribunal de Justiça confirma absolvição de delegado acusado de matar refém em Gravataí

 

Envie seu Comentário