Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Vítima de incêndio criminoso com três mortes na Capital faz apelo antes de réu ser interrogado

16 de dezembro de 2015 0
Incêndio ocorreu na avenida Panamericana, zona Norte, e entre as vítimas estavam os dois filhos do acusado / Foto: Agência RBS

Incêndio ocorreu na avenida Panamericana, zona Norte, e entre as vítimas estavam os dois filhos do acusado / Foto: Agência RBS

Bárbara Penna de Moraes Souza, que tinha 19 anos na época em que houve o incêndio criminoso com três mortes na avenida Panamericana, zona Norte da Capital, em novembro de 2013, fez um apelo nas redes sociais para que o réu continue preso. O relato da vítima ocorreu pouco mais de um dia antes do interrogatório de João Guatimozin Moojen Neto, 24 anos, marcado para quinta-feira (17) na 2ª Vara do Júri do Foro Central. Na ocasião, também será ouvida a última testemunha de defesa.

Segundo relato de Bárbara, ele teme que o réu possa ser solto e destaca que há um habeas corpus tramitando no Superior Tribunal de Justiça.

“Estou verdadeiramente triste, derrotada e me sentindo injustiçada”, ressalta a vítima.

Neto chegou a confessar a autoria do incêndio ocorrido em apartamento na avenida Panamericana, em prédio onde moram 1,5 mil pessoas, no condomínio Conjunto Residencial Village Lindoia. O crime teria sido motivado pelo fim do relacionamento que João mantinha com Bárbara. Ele não concordava com o rompimento.

Ela despencou do terceiro andar do prédio enquanto as chamas atingiam o imóvel e teve vários ferimentos. Morreram asfixiados os dois filhos do casal, Isadora, de dois anos e sete meses, e João Henrique, de quatro meses. Um vizinho do casal, Mario Ênio Pagliarini, de 76 anos, também inalou fumaça e acabou falecendo. De acordo com vizinhos, as brigas entre o casal eram frequentes.

O réu responde por três homicídios com dolo eventual e uma tentativa de homicídio, além do crime de ter provocado incêndio. Ele está detido no complexo prisional de Charqueadas.

Saiba mais:

Juiz do caso de incêndio com três mortes na Capital ouvirá testemunhas de defesa em agosto.

Três pessoas morrem após incêndio em apartamento na zona Norte da Capital.

* Leia na íntegra o relato de Barbara Penna no Facebook:

Compartilhem!!!!!

Boa noite meus amigos do Facebook, que me seguem, que me acompanham e me ajudam de alguma forma.

Estou verdadeiramente TRISTE, DERROTADA E ME SENTINDO INJUSTIÇADA!
No último mês, a defensoria publica que defendia o acusado (((((João Guatimozin Moojen Neto))))), meu ALGOZ o cidadão que destruiu COMPLETAMENTE a minha vida, solicitou para o STJ- supremo tribunal de justiça, o HABEAS CORPUS, alegando que o réu, está preso preventivamente e que devido a lentidão, morosidade do judiciário de condená-lo, ele deve aguardar o julgamento em liberdade. SOLTO! ISSO MESMO que leu!!!

Esse pedido está sobre a decisão do ministro Dantas, que a qualquer momento pode proferir sua decisão de soltá-lo ou continuar preso, até o julgamento final.

Eu me pergunto, um homem que vivia do seu lado, que teve deliberandamente, a vontade de escolher como me matar, me espancou enquanto eu dormia, tentou quebrar meu pescoço sentado nas minhas costas não dando direito de me defender, jogou álcool em mim, mirando no meu rosto, acendeu o fogo e ali comecei a queimar viva. Escuto até hoje o barulho do fogo derretendo o meu cabelo e meu rosto.
Não satisfeito, me seguiu, enquanto eu gritava por socorro, me pegou e me jogou pela janela do 3 andar, enquanto o apartamento pegava fogo, e eu também.

Enquanto eu estava naquele situação de pleno desespero, nossos filhos (me dói falar que MEUS FILHOS ERAM DELE TAMBEM), a Isadora? Minha boneca de 2 anos e 7 meses e o meu filhinho tanto amado Henrique de 3 meses, sufocavam até a morte pela fumaça dentro do quarto que ele mesmo trancou. Ainda teve a morte de um idoso, Sr. Ênio, vizinho que tentou ajudar.
E teve sua vida interrompida também!

Esse é o cidadão, que a justiça pode soltar. Que justiça eu pergunto????

A justiça da viúva do Sr. Ênio que não tem mais a presença do seu companheiro? A justiça da vida dos meus dois anjinhos, dois inocentes, que não tinham nada haver com os ataques de ciúmes, doentios e agressoes?
Que justiça é essa que pode soltar, o cidadão que causou traumas em inúmeras pessoas no bairro, que fazem tratamentos psicológicos até hoje????

Que justiça é essa, que solta o ASSASSINO CONFESSO, que depois de tentar me matar, tirar o meus tesouros, meus filhos -Gente, nada dói mais pra uma mulher que perder seus filhos e o pior, não perdi por causa de doença que a vida trás, o que se dizia pai os matou no momento que trancou a porta do quarto deles.-
Esse ser que está prestes a sair Me fez ter dores inimagináveis, não tenho 100% do meu cabelo, ainda não tenho orelha – não posso usar óculos, amarrar o cabelo,por exemplo -

Tenho a pele marcada, puxada, rasgada, enrugada, com queloides.
Tenho dores TODOS OS DIAS, por causa de ter quebrado quase todo o corpo, com a queda que ele provocou. Uso muletas, nas quais, sem, não consigo dar um passo.
Fiz até agora 224 cirurgias. bisturi, agulhas, remédios, ataduras, dificuldades, dores, choros… Só de cirurgia tenho no mínimo 7 (sete).
E o meu psicológico, com medo de sair sozinha, com medo de acender um fogão, com trauma do cheiro do álcool, com medo de me relacionar e me encontrar com pessoas novas, a dor de não ter meus filhos, de não conseguir olhar fotos deles, falar neles, e sem a esperança de uma recuperação plena???
Que justiça é essa, que pode soltar, o cara que mesmo preso, me ameaçou e me prometeu de morte, através de uma mensagem de celular????
Que adianta eu ter medida protetiva se nesse país quem faz as coisas fica solto e quem não faz fica preso? Pra quem fez tudo o que fez, não tem NADA A PERDER!

Agora ele deve estar rindo da minha cara COMO FEZ EM TODOS OS MOMENTOS QUE TENTOU ME MATAR, no apartamento, enquanto eu estava caída gritando pelos meus filhos, na ambulância (sim, ainda tive a ilustre companhia desse ser na ambulância e ele debochava da minha cara) e no hospital.

Peço a TODOS, a imprensa, as pessoas de bem, que tiveram experiências parecidas, que se sensibilizam, que me conhecem ou aquelas que me admiram mesmo de longe, que possam tentar se colocar no meu lugar, em saber que a pessoa que DESTRUIU a minha vida, e que quer me ver num caixão, morta, pode sair, curtir uma praia, ir ao shopping, dividir o acento do cinema do seu lado, ou até mesmo, namorar a filha de vocês, enquanto espera numa boa.
Como se nada tivesse acontecido???

Excelentíssimo Sr. Ministro Dantas, quando for pegar a caneta e assinar sua decisão, imagine um pouco o que é ter a vida virada do avesso e vegetar, porque hoje, eu vegeto.
Imagine-se você com sua filha, se tiver, ou um familiar, o que o senhor faria? Soltaria essa pessoa????
Lanço agora e peço como nunca a ajuda de todos que estão comigo até hoje, que compartilhem, esse pedido, as reportagens que vou fornecer, até que se chegue até aos olhos desse ministro, Sr. Dantas.
Hoje, eu falo com vocês, se ele tiver solto, não vou poder falar nunca mais, pois, acredito sim na ameaça que ele fez, mesmo preso, mesmo depois de tudo, nunca se mostrou arrependido.

Me ajudem por favor , divulguem, estou desesperada.

Sr. ministro, deixe esse ser que teve culpa de estragar a vida de centenas de pessoas preso.
O João é um risco pra minha, pra minha família, pra SOCIEDADE, PRA TODOS NÓS!!!!!

minha vida está em suas mãos.
Agradeço a todos e é em pesar que me despeço.

Obs: desculpem me a imagem forte. Essa cirurgia realizei ano passado e terei de refazê-la entre janeiro e fevereiro“.

 

Envie seu Comentário