Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

IGP corrige erro após troca de corpos, e famílias realizam sepultamentos no Interior e na Região Metropolitana

15 de janeiro de 2016 0
Corpos foram trocados por técnica do Instituto Geral de Perícias / Foto: Agência RBS

Corpos foram trocados por técnica do Instituto Geral de Perícias / Foto: Agência RBS

Depois de quase dois meses, as famílias de Rosângela Muzikant Peres, 35 anos, e Vanderlei Stevan, 37 anos, puderam realizar os sepultamentos dos dois. Ela em Cachoeirinha e ele em Não-Me-Toque. Além dos casos de desaparecimento e da espera pela identificação dos dois, a troca de corpos no Departamento Médico Legal (DML) de Passo Fundo foram os motivos para tanta demora e principalmente para que a família de Vanderlei sepultasse o corpo de Rosângela. Já a família dela iria realizar o enterro na semana passada e o corpo havia sumido. O Instituto Geral de Perícias (IGP) confirmou o erro, instaurou sindicância e nesta semana conseguiu resolver o problema.

Procedimentos

O corpo de Rosângela foi desenterrado e passou por novo exame de DNA no sábado passado. O corpo de Vanderlei, que continuava como não identificado no DML de Passo Fundo, também passou pelo mesmo procedimento. Na terça-feira desta semana, os resultados deram positivo, as identificações foram confirmadas, os corpos foram liberados corretamente na quarta-feira e os sepultamentos ocorreram nesta quinta-feira (14).

De acordo com a Assessoria de Imprensa do IGP, uma perita da Capital estava cobrindo férias dos peritos de Passo Fundo (que acompanhavam todo o caso) e acabou liberando o corpo de Rosângela como se fosse o de Vanderlei. Ambos estavam em avançado estado de decomposição. Além disso, o IGP destacou que ocorre acúmulo de serviço, devido à falta de pessoal, e também tem problemas de estrutura, o que acabou fazendo com que os dois corpos fossem encaminhados para Passo Fundo. Caso contrário, por exemplo, o corpo de uma das pessoas poderia ter ficado em Erechim. Isso não ocorreu por que o DML deste município estava, em dezembro, com problemas na câmara fria.

Sobre o caso de Rosângela, a polícia de Guaporé segue investigando o caso. Ela desapareceu quando viajava de Torres para Gravataí, em novembro. O corpo foi encontrado dias depois no rio Taquari, em São Valentim do Sul.

Saiba mais:

IGP faz exumação e coleta DNA em corpo enterrado por engano.

IGP admite falha e sindicância vai apurar liberação de corpo errado no DML no norte do RS.

Envie seu Comentário