Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Polícia prende envolvidos em série de incêndios a ônibus e lotação na Capital

11 de março de 2016 2
Um dos coletivos foi incendiado na Rua Ventos do Sul, no bairro Jardim Vila Nova Foto: Gabriel Moura / Divulgação

Um dos coletivos foi incendiado na Rua Ventos do Sul, no bairro Jardim Vila Nova
Foto: Gabriel Moura / Divulgação

A 13ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre confirmou na manhã desta sexta-feira (11) a prisão de dois suspeitos de uma série de incêndios em coletivos no início de dezembro do ano passado. Ao todo, foram cinco ônibus e um lotação atacados nos bairros Cascata, Jardim Vila Nova e Restinga.

O delegado Luciano Coelho diz que são dois jovens que confirmaram ter recebido ordens de uma facção criminosa que age em presídios e disputa pontos de venda de drogas na vila Cruzeiro, zona sul da Capital.

Um terceiro envolvido, um adolescente, foi morto em fevereiro deste ano. A investigação é sobre três, dos seis coletivos incendiados, e diz respeito aos casos no bairro Jardim Vila Nova.

A polícia apura que o principal fato que motivou os ataques foi a morte de um jovem após confronto com a Brigada Militar no bairro Cascata, tanto é que os primeiros veículos queimados estavam na avenida Oscar Pereira. Cristian Luciano da Rosa, 18 anos, era apontado por ser integrante da facção criminosa que ordenou as ações contra o transporte coletivo.

Prisões

O delegado Luciano Coelho destaca que a prisão do suspeito Mateus Teixeira de Souza, 20 anos, ocorreu na noite desta quinta-feira (10) no Morro Santa Tereza e a prisão de Wellington Luiz da Silva Rabelini, 21 anos, ocorreu no dia 6 de janeiro na mesma região. A divulgação só foi feita hoje para não prejudicar a investigação, bem como evitar que um dos envolvidos pudesse fugir.

Um terceiro suspeito, o adolescente Matheus Teixeira Menezes Alves, 17 anos, foi morto em fevereiro deste ano. Coelho destaca que os três estão sendo investigados no inquérito policial que apura o incêndio em três coletivos, dois na rua Ventos do Sul e outro na rua Monte Cristo, esquina com Eduardo Prado, no bairro Jardim Vila Nova.

Ainda em dezembro, a Brigada Militar prendeu um suspeito de parte dos ataques e o Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc) prendeu outros três. O delegado Coelho acredita que a mesma facção criminosa foi a responsável por dar ordens a outros suspeitos que atearam fogo em coletivos nos bairros Cascata e Restinga. Para a polícia, foi uma ação coordenada por um apenado que comanda o tráfico de drogas no bairro Cascata e que é integrante da facção criminosa investigada.

Reconhecimento

A 13ª Delegacia de polícia vai fazer na tarde de hoje um reconhecimento pessoal dos dois presos. Motoristas e cobradores dos ônibus incendiados no bairro Jardim Vila Nova, que inclusive foram feitos reféns pelos criminosos, participarão.

* Saiba mais:

Polícia confirma que pelo menos seis pessoas participaram de ataques a ônibus na Capital.

Comentários (2)

  • Sergio diz: 11 de março de 2016

    É o governixo do gringo caloteiro, protegido pela mídia partidarizada, promovendo o caos generalizado no Rio Grande do Sul, onde um governador omisso, incompetente deveria ter a dignidade de declara-se incompetente para continuar no governo.Ele deveria renunciar e não pode mais continuar se escondendo na sombra amiga da mídia gaucha. Muitos inocentes foram mortos pela omissao desse governo sem politicas publicas par as necessidades mínimas da populçao que está cada dia mais apavorada e com medo num estado sitiado pela incompetencia do gringo e de seus aliados omissos com o caos genalizado que criaram no Rio Grande do Sul.
    O POVO GAUCHO NÃO PODE MAIS PAGAR O PATO PELO CAOS ESTABELECIDO POR ESTE GOVERNADOR INCOMPETENTE

  • Marcelo diz: 11 de março de 2016

    Caro Sr. Sergio.
    Para não irmos longe, leia o clicrbs de SC verás que os catarinenses assim como todo o povo Brasileiro passa pelos mesmos problemas que nós gaúchos, claro que concordo que o governador é um acomodado para disser o minimo, mas a violência é um problema nacional, bancado pela famosa sensação de impunidade. Enquanto está sensação imperar continuaremos enxugando gelo. Isto, é culpa de quem? De todos nós pois somos nós que votamos (obrigados ás vezes) neste legisladores quadrilheiros e gestores incompetentes. Por isso, eu repito uma frase antiga. “FAÇA UM POLITICO TRABALHAR NÃO O REELEGA”!!! Eu até iria mais longe, diria não elega nem quem ele apoia, no caso dos prefeitos atuais, por exemplo.

Envie seu Comentário