Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Operação combate golpe da casa pré-fabricada que fez mais de 150 vítimas na Região Metropolitana

25 de abril de 2016 4
c1

Foto: Cid Martins / Gaúcha

Uma operação policial foi realizada na manhã desta segunda-feira (25) para combater o chamado golpe da casa pré-fabricada na Região Metropolitana. Criminosos montaram empresas de fachada utilizando documentos falsos e começaram, pelo menos há um ano, a vender residências no papel, sem depois realizar entrega.

Na ação, dez pessoas foram presas e outras estão sendo encaminhadas para prestar depoimento. O último a ser preso foi o responsável por comandar o esquema criminoso. Amilton Galvão se apresentou à polícia no Centro de Canoas. Armas, incluindo uma metralhadora, documentos e dinheiro também foram apreendidos.

Nesse período, foram identificadas pelo menos 80 vítimas. Foram cumpridos hoje seis mandados de prisão preventiva e oito de condução coercitiva, além de 21 mandados de busca e apreensão. Dessas 80 vítimas, 28 registraram ocorrência e foram lesadas, ao todo, em R$ 425 mil.

A ação, da 1ª Delegacia de Canoas (2ª Delegacia Regional Metropolitana) e da nova Delegacia Especializada em Crimes de Lavagem de Dinheiro, ocorre em Canoas, Porto Alegre e demais cidades da região. Os mandados foram cumpridos nas residências dos suspeitos e nos locais que foram identificados como sede das empresas montadas pelo grupo.

Em seis meses de investigação, os agentes descobriram que os golpistas pediam 50% do valor das residências como entrada e depois cobravam outras 36 parcelas. Eles se passavam por arquitetos e projetistas e chegavam a visitar os terrenos com as vítimas. Quando elas descobriam que se tratava de um golpe, não conseguiam mais contato com os criminosos.

No momento em os compradores descobriam a fraude, novas empresas eram abertas para dar continuidade ao golpe. Pelo menos cinco empresas foram abertas a aplicação dos crimes. A principal empresa investigada é a Casas Canoense, que, segundo a polícia, nem CNPJ possuem. Outra delas, possui um registro na área de segurança. Duas companhias eram reais, com registro e conta bancária para poderem captar o dinheiro das vítimas.

Uma das vítimas, segundo o delegado Juliano Ferreira, diretor da 2ª DRM, está morando atualmente em uma garagem depois de demolir a casa para comprar uma nova com os golpistas.

“As pessoas chegaram a criar um grupo nas redes sociais para trocar informações, tentar localizar os envolvidos e solicitar auxílio das autoridades”, informa Ferreira.

Entre os criminosos, está o filho do responsável por montar o esquema criminoso. Segundo a polícia, ele é jogador de futebol na Suécia e participou de pelo menos dois golpes. Dinheiro das vítimas foi depositado na conta bancária dele.

Saiba mais:

Delegacia do Consumidor investiga golpe da casa pré-fabricada.

Polícia identifica três empresas suspeitas de envolvimento no golpe da casa pré-fabricada.

Comentários (4)

  • Jussara Maltha diz: 25 de abril de 2016

    Ótima matéria.Parabéns! Gostaria de saber época do ano que faço a poda e como fazer(onde corto),se tem algum cuidado ao fazer.Obrigada pela atenção.

  • Diego Lisboa diz: 25 de abril de 2016

    Bah, fiz contato na época com este rapaz, que é jogador, não vou citar nome pois é conhecido de um amigo meu. Quase fechei negocio com ele, era muito fácil comprar a casa, pagava a metade de entrada e parcelava o restante em 24x sem juros. Bando de sem vergonha, tem que mofar na cadeia. Chinelos!

  • Olsem Noção diz: 25 de abril de 2016

    Jussara: É poda!

  • Curioso diz: 25 de abril de 2016

    Fiquei curioso para saber o que o comentário da Jussara quer dizer. Não entendi nada. Será que os iluminatis estão se comunicando via comentários casuais e criptografados em matérias do ClicRbs e seus blog correlatos? Será tudo uma grande conspiração oculta?

Envie seu Comentário