Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Filha de mulher morta em assalto na frente de escola em Porto Alegre depõe na Justiça

30 de novembro de 2016 2
Representante comercial foi vítima de latrocínio / Foto: Divulgação

Representante comercial foi vítima de latrocínio / Foto: Divulgação

A adolescente de 17 anos, filha da representante comercial Cristine Fonseca Fagundes, 44 anos, vai depor hoje na segunda audiência sobre o latrocínio que ocorreu em frente ao colégio Dom Bosco, zona norte de Porto Alegre, no mês de agosto. Cristine estava com a filha dentro do carro esperando outro filho sair da aula quando foi atacada e morta por ladrões durante tentativa de roubo de veículo. Outras testemunhas também serão ouvidas e a Justiça também pretende interrogar os três réus.

Audiência

O processo está no Fórum do 4º Distrito, na zona norte da Capital. Na semana passada, 11 testemunhas foram ouvidas no caso que apura os seguintes crimes: latrocínio, formação de quadrilha e pelos roubos de 10 pessoas, ocorridos antes do latrocínio de Cristine. Os três réus, todos presos pela Polícia Civil, são Tiago Oliveira da Silva, que admitiu o crime, Fabrício Farias e Rafael Silveira Santa Helena.

O crime

Cristine foi assassinada na noite do dia 25 de agosto deste ano, em frente à filha de 17 anos, quando esperava o outro filho, de 12 anos, próximo ao colégio Dom Bosco, no bairro Higienópolis, na zona norte da Capital. A vítima foi atingida por um tiro na cabeça. Os bandidos não levaram o carro de Cristine.

O crime culminou na exoneração do Secretário de Segurança, Wantuir Jacini, e no pedido de ajuda à Força Nacional de Segurança pelo governador José Ivo Sartori.

Comentários (2)

  • Cidadão Preocupado diz: 30 de novembro de 2016

    Procuro me manter informado sobre as questões da cidade e até agora não li nem ouvi nenhuma notícia sobre ações de enfrentamento da bandidagem pela tal Força Nacional.

    A população pediu, a imprensa pediu, o Governo não queria, mas eles vieram e não se sabe de nenhuma ação deste pessoal. Acho que não deram nenhum tiro em território gaúcho.

    Ganham muito mais que os Brigadianos e NADA. Quem está pagando essa conta? Será que é o nosso Estado?

  • Ricardo diz: 30 de novembro de 2016

    CADEIA, CADEIA, CADEIA, CADEIA, CADEIA, CADEIA. SEM DIREITO A REVISÃO DE PENA E PROGRESSÃO DE PENA, SEM DIREITO A VISITAS DE REPRESENTANTES DOS DIREITOS HUMANOS. + CADEIA, + CADEIA, + CADEIA, + CADEIA.

Envie seu Comentário