Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

VÍDEOS: câmeras flagraram agressões em assaltos a ônibus cometidos por mãe e filhos

26 de abril de 2017 5

* Por Cid Martins

Câmeras de segurança ajudaram a polícia a identificar uma quadrilha composta por mãe, dois filhos e outros dois criminosos que assaltava ônibus desde o final do ano passado na Região Metropolitana. Os investigadores divulgaram algumas das imagens, que mostram a violência dos ataques.

No dia 29 de dezembro do ano passado, o grupo assaltou um coletivo da linha Vila Elza, no bairro Nossa Senhora Aparecida, em Viamão. Foi o primeiro caso investigado pela força-tarefa da Polícia Civil. Nas imagens, Rita, os dois filhos e o homem preso hoje roubam pertences de todos os passageiros e o dinheiro arrecadado pelo cobrador. O fato ocorreu por volta das 22h.

Em 8 de fevereiro deste ano, os mesmos integrantes da quadrilha assaltaram um ônibus da linha Estalagem em Viamão. No dia 1º de março, em Porto Alegre, os suspeitos atacaram um coletivo da linha Orfanotrófio e, horas depois, outro da linha Cavalhada, ambos na Zona Sul.

Nesta ocasião, o homem preso hoje não participou dos roubos, e um quinto integrante foi flagrado pelas imagens. Neste caso também houve agressão às vítimas.

Já em 10 de março, na RS-040, em Viamão, um ônibus da linha Estalagem foi sequestrado e o motorista obrigado a percorrer cerca de 10 quilômetros por dentro de Alvorada enquanto os passageiros eram assaltados e agredidos.

Em outros casos já atribuídos a esse grupo, a polícia não obteve imagens. No entanto, vítimas foram acionadas e reconheceram na delegacia que foram assaltadas pelos suspeitos presos.

Apontada como líder do grupo e ex-integrante da gangue das gordas, Rita de Cássia Cunha Batista, 41 anos, aparece dando socos, tapas e pontapés nos passageiros. Conforme a polícia, ela também causava pânico ao ameaçar os passageiros com uma arma de fogo em punho. Presa durante a investigação, Rita tem 57 antecedentes policiais por lesões, estelionato, furtos, roubos, tráfico, disparo de arma de fogo, entre outros crimes.

Os dois filhos dela, Nathan Kaue Cunha Winck, 18 anos, com registros como adolescente infrator, e Kauan Henrique Cunha Batista, 21 anos, com antecedentes por tráfico de drogas, lesão e receptação, declararam em depoimento que eram forçados pela mãe a participar dos roubos. Em um dos assaltos, um deles tentou quebrar o equipamento instalado dentro de um ônibus.

Chamada de Família do Crime, a operação prendeu temporariamente nesta manhã, no bairro Tijucas, em Alvorada, o único integrante que ainda estava solto. O restante foi preso de forma preventiva durante a investigação.

Comentários (5)

  • Paulo diz: 26 de abril de 2017

    “Rita tem 57 antecedentes policiais por …. ”
    MAS AHHHHHH BRASIL VÉIO DE GUERRA …

    Quero TERCEIRIZAÇÃO NOS TRÊS PODERES!!!!!!

    1) POLÍTICOS DE MERD@ que não sabem redigir uma simples lei abrangente e sem necessidade de remendos!
    2) Juízes CAGºES que não tem peito de manter enjaulado esse “bando mau caráter” que vive assolando a população (me parece uma boa fatia do “povo” colocando as asas de fora). Ficam dando amém pra “Direitor Humanos”. E o meu direito seu Juiz de Bosta?!?!? Como fica?
    3) Povo estúpido que continua votando nos mesmos e na hora do vamos ver faz até pior nas mais simples coisas: usando atalhos pra tudo na vida, invasão de área pública, lixo no chão, comprando artigo roubado, sustentando vagabundo no coitadismo, passando semáforo vermelho, estacionando em local proibido, cagando pra faixa de segurança, contruindo casa em local impróprio e por aí vai!!!

  • Juvenal diz: 26 de abril de 2017

    Tinha que botar num paredão e fuzilar esses vermes

  • Guidogf diz: 26 de abril de 2017

    Deviam largar estes otários todos incluindo a mãezinha num ônibus lotado com vítimas de assalto e esperar para ver se gostaram da experiência, em caso de sobreviverem é claro!

  • Alexander Soares Luvizetto diz: 27 de abril de 2017

    Lixaredo humano. Acho até que podem se “ressocializar” como pretende a lei, mas não com o que oferecermos. Se ao menos soubessem que podem levar um tiro na cara, quem sabe pensariam duas vezes.

  • Alberto diz: 27 de abril de 2017

    Povo trouxa: pagamos um monte de impostos e não reagimos aos assaltos e roubos.

Envie seu Comentário